Você está na página 1de 56

CADERNO 1 - ADMINISTRATIVO > PRESIDÊNCIA > NACP - NÚCLEO

AUXILIAR DE CONCILIAÇÃO DE PRECATÓRIOS

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0000539-49.2003.8.05.0000Precatório
Credor : Espólio de Euvaldo Carvalho Luz
Advogado : Josuelito de Sousa Britto (OAB: 13224/BA)
Advogado : Reginaldo Lino (OAB: 644/BA)
Advogado : Francisco José Bastos (OAB: 4281/BA)
Devedor : Municipio de Salvador
Advogado : Wilson Chaves de França (OAB: 24359/BA)
Vistos, etc. Em que pese a finalidade dos Embargos Declaratórios seja a de esclarecer,
complementar ou corrigir erro material da decisão embargada, da leitura dos novos
Embargos opostos, às fls. 620/628, torna-se patente a sua pretensão de modificar a
decisão de fls. 615/619, na qual este Gestor rejeitara os Embargos de Declaração
anteriormente opostos. Assim, há de se reconhecer o caráter puramente infringente dos
Embargos ora opostos, o que, em tese, implicaria na sua rejeição de plano. Todavia, na
ausência de outro recurso para atacar a decisão de fls. 615/619, em observância ao
princípio da fungibilidade, reconhecendo o caráter infringente dos referidos Embargos,
instauro o contraditório e DETERMINO a intimação do Município de Salvador, para,
querendo, oferecer suas contrarrazões recursais, no prazo de 05 (cinco) dias (art. 1023,
§2º, do NCPC). Publique-se. Intime(m)-se. Cumpra-se. Salvador, 10 de outubro de 2018.
JOSÉ REGINALDO COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do NACP -
Biênio 2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

Credor : Leonel Ribeiro


Advogado : Dilson Pedro Frasson (OAB: 310A/BA)
Devedor : Município de Tremedal
Advogado : Braulio Zacarias Ferraz (OAB: 17546/BA)
Advogado : Ícaro Henrique Pedreira Rocha (OAB: 35644/BA)
Vistos, etc. Diante do quanto certificado, às fls. 92 verso, CUMPRA-SE, novamente, a
terceira determinação contida no despacho de fls. 79/80, renovando-se o prazo ali
estabelecido. Publique-se. Intime(m)se. Salvador, 15 de outubro de 2018. JOSÉ
REGINALDO COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do NACP - Biênio
2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0002462-22.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Iva Costa Barreto
Advogado : Iva Costa Barreto (OAB: 512B/BA)
Devedor : Municipio do Salvador
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo da 3º Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
sendo credora Iva Costa Barreto e devedor o Município de Salvador. O Ente Devedor
apresentou impugnação (fl.132/133), aduzindo que foi expedido ofício requisitório com
valor equivocado de R$ 19.059,82 (dezenove mil, cinquenta e nove reais e oitenta e dois
centavos), referente aos honorários sucumbenciais de 5% (cinco por cento) sobre o valor
da causa (fl. 02), indicando que o valor devido a ser requisitado neste precatório é de R$
9.529,91 (nove mil, quinhentos e vinte e nove reais e noventa e um centavos),
correspondente à metade do montante requisitado, sob o argumento de que foram
expedidos dois processos para o pagamento destes honorários - um para o Bel. Maurício
Silvestre de Faria e outro para a Bela. Iva Costa Barreto. Analisando-se os autos, verifica-
se que, no ofício requisitório do presente precatório, ocorreu erro material quanto ao
valor ali encartado, considerando-se que este precatório e o tombado sob o nº 0002463-
07.2017.8.05.0000, provenientes do mesmo processo originário, requisitou, cada um, o
montante integral dos honorários sucumbenciais de 5%, que totalizam a quantia
supramencionada de RS 19.059,82 (dezenove mil, cinquenta e nove reais e oitenta e dois
centavos), constante da planilha da execução (fl. 60). Desta forma, considerando que os
honorários sucumbenciais são devidos a dois advogados, a Bela. Iva Costa Barreto
(credora deste precatório) e o Bel. Maurício Silvestre de Faria (credor do precatório nº
0002463-07.2017.8.05.0000), reconhece-se que o montante a ser requisitado é aquele
constante do formulário de requisição (fl. 06), relativo à metade do valor dos honorários.
ACOLHO, portanto, a Impugnação do Município de Salvador, para reconhecer, como
devido neste precatório, o montante de R$ 9.529,91 (nove mil, quinhentos e vinte e nove
reais e noventa e um centavos), correspondente à metade dos honorários sucumbenciais
de 5% (cinco por cento), como valor histórico a ser requisitado neste precatório.
REMETAM-SE os autos à Contadoria para promover a análise e atualização dos cálculos
deste precatório, certificando, se os valores ultrapassam ou não o teto da RPV deste
Município. Após, retornem conclusos para as providências cabíveis. Publique-se. Intime-
se. Cumpra-se. Salvador, 05 de Outubro de 2018.
Salvador, 16 de outubro de 2018
José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0002191-13.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Celestina Xavier Nunes Rasteli
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Pedro Milton de Brito (OAB: 2967/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Advogado : Washington Bolivar de Brito (OAB: 156/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo do Plenário do Tribunal de Justiça do Estado
da Bahia, sendo credora Celestina Xavier Nunes Rasteli e devedor o Estado da Bahia,
com preferência paga em favor da credora e deferida em favor do advogado Washington
Bolivar de Brito e de Sara Silva de Brito, pendentes de pagamento (fls. 125 e 136). O
Ente Devedor impugnou os cálculos deste Núcleo de Precatórios, apresentando planilha
atualizada até 09/02/2017, reconhecendo como devido o montante de R$ 387.979,20
(trezentos e oitenta e sete mil, novecentos e setenta e nove reais e vinte centavos)- fls.
138/140, ao argumento de que, na hipótese, foram inseridas parcelas nos cálculos, com
data anterior ao ajuizamento do writ. Quanto à impugnação, verifica-se que, no cálculo
da execução (fls. 10/12), foram incluídas parcelas anteriores à data do ajuizamento do
Mandado de Segurança originário, ou seja, computou-se três meses e 9 dias a mais,
considerando-se que o writ foi interposto em 10/05/1995 (fls. 21), e consta nos cálculos
parcelas relativas aos meses de fevereiro a maio com valores integrais. Na petição inicial,
constata-se que o pleito foi para pagamento de diferença salarial, a contar da data da
propositura da ação (fls. 21/24). Desta forma, deve ser reconhecida a exclusão das
parcelas relativas aos meses de fevereiro a abril de 1995 e 9 dias do mês de maio, porque
extrapolam o limite da coisa julgada. Analisando-se as preferências que decorrem dos
honorários contratuais, torna-se imperiosa a REVISÃO e RECONSIDERAÇÃO da
DECISÃO de fls. 136 e verso, no que tange à preferência ali deferida para o causídico
Washington Bolivar de Brito e para a viúva/inventariante do Espólio do Bel. Pedro
Milton de Brito. Revendo anterior posicionamento deste Núcleo de Precatórios, constata-
se que é indevida a concessão de benefício preferencial a advogado(a) que possui crédito
decorrente de honorários contratuais/sucumbenciais requisitados nos autos do precatório
do credor titular. O artigo 100, § 2º, da Constituição Federal, é taxativo, ao determinar
que: "Os débitos de natureza alimentícia cujos titulares, originários ou por sucessão
hereditária, tenham 60 (sessenta) anos de idade, ou sejam portadores de doença grave,
ou pessoas com deficiência, assim definidos em lei, serão pagos com preferência sobre
todos os demais débitos, até o valor equivalente ao triplo fixado em lei para os fins do
disposto no § 3º deste artigo, admitindo o fracionamento para essa finalidade, sendo que
o restante será pago na ordem cronológica de apresentação do precatório". Da leitura da
norma supracitada, depreende-se que o direito à conhecida "superpreferência" alcança
apenas os titulares de créditos originários ou por sucessão hereditária, hipóteses em que
o credor de honorários contratuais/sucumbenciais, requisitados nos autos do precatório
do credor titular, não se enquadra, ressaltando que, no caso dos honorários contratuais,
existe outro gravame, uma vez que estes decorrem de uma relação particular pactuada
entre o titular do crédito e o seu patrono. Portanto, a norma em questão é taxativa acerca
do deferimento do direito à antecipação constitucional apenas para o titular originário,
que, no caso do advogado, somente se enquadraria na hipótese do dispositivo
constitucional citado quando figurasse como credor autônomo, em precatório
individualizado, no tocante aos honorários sucumbenciais. Acerca do tema, a
jurisprudência é uníssona, conforme ementas abaixo transcritas: "PROCESSUAL
CIVIL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA,
PRECATÓRIO. PLEITO DE PAGAMENTO IMEDIATO DE HONORÁRIOS
SUCUMBENCIAIS. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO TITULAR DO CRÉDITO
NÃO EXTENSIVO AO ADVOGADO. Os recorrentes pretendem compelir o Tribunal
de origem a efetuar o pagamento da verba honorária, porquanto o titular do precatório
teve o seu crédito fracionado por força do imposto pelo § 2º do art. 100 da Constituição
Federal. Não se desconhece a tese sobre a titularidade dos valores relativos aos
honorários advocatícios, decorrentes da sucumbência na demanda, os quais podem ser
executados em nome próprio ou nos mesmos autos da ação em que tenha autuado o
causídico. Precedente: REsp 1102473/RS, Ministra Maria Thereza de Assis Moura,
Corte Especial, Dje 27.08.2012. Contudo, no caso dos autos, a impetrante não está sendo
obstada a executar a verba honorária, mas, "ver pagos os honorários sucumbenciais
inscritos no precatório 49.910 por força da regra constitucional que autoriza o
pagamento, pela ordem crescente de valores" (fl.7, e-STJ). Não foi demonstrado o direito
líquido e certo, pois na realidade o pleito do causídico equivale a um pedido vinculado
em relação ao crédito principal, que é dotado do atributo da preferência, por cuidar de
pessoa idosa, que possui direito personalíssimo, não extensivo ao seu advogado (STJ -
RMS 41018 RS 2013/0037877-0, Relator Ministro Humberto Martins, julgado em
01/04/2014). "MANDADO DE SEGURANÇA. ATO JUDICIAL DA CENTRAL DE
CONCILIAÇÃO E PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS DO TRIBUNAL DE
JUSTIÇA. INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PREFERÊNCIA DE
RECEBIMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS EM PRECATÓRIO
EXPEDIDO EM NOME DA PARTE. O ÓRGÃO ESPECIAL TEM
JURISPRUDÊNCIA DE QUE INEXISTE DIREITO LÍQUIDO E CERTO À
PRETENSÃO DE INDIVIDUALIZAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
DA CONDENAÇÃO REPRESENTADA EM PRECATÓRIO CONTRA A FAZENDA
PÚBLICA, JUSTIFICANDO O INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL DO
MANDADO DE SEGURANÇA. OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
SUCUMBENCIAIS POSSUEM NATUREZA ALIMENTAR E DIREITO A
PAGAMENTO PREFERENCIAL, MAS É VEDADO O FRACIONAMENTO OU A
REPARTIÇÃO DO VALOR DA EXECUÇÃO, O QUE DIFERE DE POSTULAR DE
FORMA AUTÔNOMA, EM EXECUÇÃO AUTÔNOMA OU EM LITISCONSORCIO
ATIVO FACULTATIVO, CUJA PROVA NÃO DEMONSTRA. EXECUTANDO OS
HONORÁRIOS JUNTAMENTE COM O CRÉDITO DA PARTE, INEXISTE
DIREITO À PREFERÊNCIA EM FAVOR DO ADVOGADO. MANDADO DE
SEGURANÇA DENEGADO" (MS nº 70069651768/2016- TJRS, Relator
Desembargador Carlos Cini Marchionatti, julgado em 11/12/2017). "PRECATÓRIO.
VERBA ADVOCATÍCIA. NATUREZA PREFERÊNCIA. OS HONORÁRIOS COMO
CONTRAPRESTAÇÃO DO TRABALHO PROFISSIONAL DO ADVOGADO
DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ALIMENTOS, QUANDO SÃO OBJETO DE
PRECATÓRIO EM SEPARADO. AO PRECATÓRIO EXPEDIDO EM FAVOR DO
ADVOGADO, APLICA-SE A PREFERÊNCIA DE QUE TRATA O ART. 100 DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEM PREJUÍZO DA PRIORIDADE DOS CRÉDITOS
DA MESMA ESPÉCIE, OBEDECIDA A ORDEM CRONOLÓGICA DE
APRESENTAÇÃO". (TRF 2ªRegião, Agravo Regimental no Precatório: AGRPRC0
91.02.11890-4, Desembargador Federal Paulo Barata). "MANDADO DE
SEGURANÇA. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. PRECATÓRIO
EXPEDIDO E AGUARDANDO PAGAMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.
EXECUÇÃO EM NOME DO CREDOR PRINCIPAL. AUSÊNCIA DE
LITISCONSORCIO ATIVO FACULTATIVO COM o ADVOGADO. DESTAQUE DA
VERBA HONORÁRIA PARA PAGAMENTO COMO PARCELA PREFERENCIAL.
IMPOSSIBILIDADE. NÃO INCIDÊNCIA DO DISPOSTO NO ART. 100, § 2º DA CF.
AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER TUTELADO NA ESPÉCIE.
ORDEM DENEGADA" (MS nº 70070016555/2016 - TJRS, Relator Nelson Antônio
Monteiro Pacheco). A orientação jurisprudencial supramencionada encontra respaldo em
todos os Tribunais de Justiça do País. A título exemplificativo, seguem transcrições
colhidas nos sites dos Tribunais do Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará: " ()Com isso,
a partir da EC 94/2016, fazem jus ao pagamento prioritário (chamado de
superpreferência) o titular de precatório de natureza alimentar, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: a) como credor originário, a pessoa em nome de quem
foi expedido o precatório, independentemente, de eventual sucessão processual
anteriormente verificada na fase judicial, ou; b) como credor por sucessão hereditária, a
pessoa que, em razão da morte do credor originário, assumir a titularidade do direito
consignado em precatório tanto pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de
escritura pública), com aceitação direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo
administrativo do precatório, como pela via judicial, observada, em qualquer caso, a
legislação pertinente" (TJDFT - http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/precatorios/pedido-
depreferencia - consulta realizada na data de 14/08/2018). "()O Credor o originário é a
pessoa em nome de quem foi expedido o precatório, já o credor por sucessão hereditária
é a pessoa que, em razão da morte do credor originário, assume a titularidade do
precatório por meio de habilitação nos autos do precatório nos termos da legislação
pertinente (TJMG -
http://www.tjmg.jus.br/portaltjmg/processos/precatórios/prioridades-no-pagamento -
consulta realizada na data de 14/08/2018). "O credor que faz jus a esse benefício é o
chamado originário, ou seja, aquele credor que é exequente da decisão judicial
definitiva". (TJCE - https:tjce.jus.br/precatórios/pagamento-prioritário-de-precatorios-
art.100-%C2 - consulta realizada na data de 11/08/2018. Por seu turno, a Câmara
Nacional de Gestores de Precatórios, na Nota Técnica nº 03/2017, já deliberou acerca do
tema: "() Com isso, a partir da vigência da EC 94/2106 assumiu o status de beneficiária
da parcela superpreferencial o titular do precatório, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: ? como credor originário, a pessoa em nome de quem
é expedido o precatório, independente de eventual sucessão anteriormente verificada na
fase judicial, ou ? como credor por sucessão hereditária, a pessoa que, em razão da morte
do credor originário, assumir a titularidade do direito consignado em precatório tanto
pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de escritura pública), com aceitação
direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo administrativo do precatório, como
pela via judicial, observada, em qualquer caso, a legislação pertinente" . Visando
regulamentar as práticas deste Núcleo de Precatórios relativas à matéria em questão, foi
editada e publicada a Portaria nº 07/2018, vedando o deferimento nas hipóteses em que
o advogado não postulou a "superpreferência" em precatório autônomo. Assim, diante
da fundamentação apresentada e seguindo recomendação do CNJ, deve ser reconsiderada
a decisão de fls. 136/136v, afastando a preferencia anteriormente deferida referente aos
honorários contratuais. Deste modo, ACOLHO a Impugnação Estatal apresentada, para
suprimir os valores inseridos no cálculo anteriores à data do ajuizamento do writ, e
RECONSIDERO a decisão de fls. 136 e verso, para INDEFERIR o DIREITO
PREFERENCIAL em favor do advogado WASHINGTON BOLIVAR DE BRITO e da
viúva do patrono PEDRO MILTON DE BRITO, mantendo, todavia, as alterações de
titularidade ali deferidas. Por consequência, DECLARO a PERDA DO OBJETO dos
TERMOS DE AJUSTE DE CONDUTA anteriormente celebrados entre este Núcleo e o
Causídico Washington Bolivar de Brito e a viúva do advogado Pedro Milton de Brito,
dada a mudança de entendimento e diante das fundamentações aqui expostas, e
DETERMINO a EXCLUSÃO do sistema de cálculo das preferências anteriormente
deferidas ao beneficiários mencionados no parágrafo anterior. DETERMINO que a
Contadoria, no momento oportuno, verifique os valores devidos, observando a
preferência paga em favor da credora. INTIMEM-SE as partes para apresentarem
manifestação, no prazo comum de 10 dias. Após, retornem conclusos, para os devidos
fins. Publique-se. Intime-se. Salvador, 5 de outubro de 2018. JOSÉ REGINALDO
COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do NACP - Biênio 2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0016163-89.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Poder Legislativo do Município de Cravolândia
Advogado : José Carlos Britto de Lacerda (OAB: 5762/BA)
Devedor : Poder Executivo do Municipio de Cravolândia
Advogado : Rommel Serra Vasconcelos (OAB: 10250/BA)
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da Vara dos Feitos Cíveis, Comerciais e
Relações de Consumo de Santa Inês, sendo credor o Poder Legislativo do Município de
Cravolândia e devedor o Poder Executivo do Municipio de Cravolândia. Às fls. 165, o
advogado José Carlos Britto de Lacerda juntou contrato pleiteando destacamento de
honorários contratuais. Às fls. 233, o Setor de Cálculos deste NACP certificou a inclusão
dos honorários sucumbenciais no cálculo deste precatório, em conformidade com o
decreto nº 260 de 23 de abril de 2014, como também certificou o destaque dos honorários
contratuais, conforme determinação contida na decisão de fls. 214. Na Gestão anterior
havia entendimento possibilitando o decote dos honorários contratuais nos termos do
contrato celebrado com o credor. Ocorre que, a atividade do magistrado gestor do Núcleo
de Precatórios é meramente administrativa, encontrando-se adstrita ao requerimento do
Juízo da execução, carecendo, portanto, de competência para estabelecer destacamento
de honorários, nos moldes da Resolução do CNJ nº 115/2010, abaixo transcrita. Art. 5º,
§ 2º: "se o advogado quiser destacar do montante da condenação o que lhe couber por
força de honorários contratuais, na forma disciplinada pelo art. 22 da Lei n.º 8.960/1994,
deverá juntar aos autos o respectivo contrato antes da apresentação do precatório ao
Tribunal". Registre-se que, em 7 de março de 2018, na 32ª Sessão Virtual, o CNJ, no
julgamento do Procedimento Administrativo nº 0008065-18.2017.2.00.0000, formulado
pela Ordem dos Advogados de Tocantins, julgou parcialmente procedente o pedido,
determinando ao Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins a adequação das Portarias
n° 4653, de 28 de agosto de 2017 e n° 4539, de 23 de agosto de 2017, a fim de que crédito
decorrente de pagamento precatório e de depósito judicial, devido à parte beneficiária do
processo, seja liberado mediante a expedição de alvará eletrônico em nome do advogado
a quem foi confiado poderes especiais para receber e dar quitação. Desta forma,
RECONSIDERO a decisão proferida e INDEFIRO o pedido de destacamento de
honorários contratuais no Precatório em apreço, em que pese decisão anterior praticada
à fl. 214, estes embasados em entendimento da gestão anterior deste Núcleo,
considerando que foi determinado o pagamento apenas ao Poder Legislativo do
Município de Cravolândia, nos termos do ofício requisitório de fls. 02/04. REMETAM-
SE os autos ao Setor de Cálculos para os ajustes necessários e após, ao Setor de Contas
para pagamento, OBSERVADA A ORDEM CRONOLÓGICA DOS PRECATÓRIOS
CONCILIADOS. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0014859-16.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Maria Luiza dos Santos Freire
Advogado : Luiz de Jesus Barros (OAB: 15268/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca,
onde figuram como credora Maria Luiza dos Santos Freire e como Ente devedor o Estado
da Bahia, no qual houve deferimento do pagamento preferencial em favor da credora,
pendente de pagamento (fls. 93/94). Quanto ao pleito de pagamento preferencial da parte
credora, é cediço que o pagamento a tal título é direito constitucional conferido ao credor
idoso e, também, ao portador de doença grave, ou pessoas com deficiência, nos termos
do § 2º, do artigo 100 da C.F., com a redação dada pela EC nº 94/2016, in verbis: "Os
débitos de natureza alimentícia cujos titulares, originários ou por sucessão hereditária,
tenham 60 (sessenta) anos de idade, ou sejam portadores de doença grave, ou pessoas
com deficiência, assim definidos na forma da lei, serão pagos com preferência sobre
todos os demais débitos, até o valor equivalente ao triplo fixado em lei para os fins do
disposto no § 3º deste artigo, admitido o fracionamento para essa finalidade, sendo que
o restante será pago na ordem cronológica de apresentação do precatório". Da leitura do
dispositivo legal acima citado, observa-se que um dos requisitos para a concessão do
benefício da preferência constitucional é ser o crédito de natureza ALIMENTAR, o que
não é o caso deste Precatório, uma vez que decorre de decisão transitada em julgado em
ação ordinária de reparação por danos morais e materiais. Isto posto, considerando a
natureza PATRIMONIAL/COMUM do presente Precatório, RECONSIDERO,
parcialmente, a decisão plúrima de fls. 93/94 e INDEFIRO o pagamento preferencial em
favor da credora Maria Luiza dos Santos Freire. Aguarde-se em escaninho próprio o
pagamento deste Precatório, observada a ordem cronológica nos termos do art. 100,
caput, da Constituição Federal. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0004670-76.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Antonio dos Santos
Advogado : Vera Lúcia Evaristo de Souza (OAB: 11042/BA)
Advogado : Roberto de Oliveira Aranha (OAB: 14903/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 8ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
onde figuram como credor Antonio dos Santos e como Ente devedor o Estado da Bahia,
no qual houve deferimento de pagamento preferencial em favor do credor, já pago (fls.
86 e 91). Às fls. 95, a advogada Vera Lúcia Evaristo de Souza postulou o benefício de
pagamento preferencial em razão da idade, decorrente dos honorários devidos neste
precatório, juntando documentação de fls. 96. Revisando anterior posicionamento deste
Núcleo de Precatórios, constata-se que é indevida a concessão de benefício preferencial
a advogado(a) que possui crédito decorrente de honorários contratuais/sucumbenciais
requisitados nos autos do precatório do credor titular. O artigo 100, § 2º, da Constituição
Federal, é taxativo, ao determinar que: "Os débitos de natureza alimentícia cujos titulares,
originários ou por sucessão hereditária, tenham 60 (sessenta) anos de idade, ou sejam
portadores de doença grave, ou pessoas com deficiência, assim definidos em lei, serão
pagos com preferência sobre todos os demais débitos, até o valor equivalente ao triplo
fixado em lei para os fins do disposto no § 3º deste artigo, admitindo o fracionamento
para essa finalidade, sendo que o restante será pago na ordem cronológica de
apresentação do precatório". Da leitura da norma supracitada, depreende-se que o direito
à conhecida "superpreferência" alcança apenas os titulares de créditos originários ou por
sucessão hereditária, hipóteses em que o credor de honorários contratuais/sucumbenciais,
requisitados nos autos do precatório do credor titular, não se enquadra, ressaltando que,
no caso dos honorários contratuais, existe outro gravame, pois são decorrentes de uma
relação particular pactuada entre o titular do crédito e o seu patrono. Portanto, a norma
em questão é taxativa acerca do deferimento do direito à antecipação constitucional
apenas para o titular originário, que, no caso do advogado, somente se enquadra na
hipótese do dispositivo constitucional citado quando figura como credor autônomo, em
precatório individualizado, no tocante aos honorários sucumbenciais. Acerca do tema, a
jurisprudência é uníssona, conforme ementas abaixo transcritas: "PROCESSUAL
CIVIL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA,
PRECATÓRIO. PLEITO DE PAGAMENTO IMEDIATO DE HONORÁRIOS
SUCUMBENCIAIS. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO TITULAR DO CRÉDITO
NÃO EXTENSIVO AO ADVOGADO. Os recorrentes pretendem compelir o Tribunal
de origem a efetuar o pagamento da verba honorária, porquanto o titular do precatório
teve o seu crédito fracionado por força do imposto pelo § 2º do art. 100 da Constituição
Federal. Não se desconhece a tese sobre a titularidade dos valores relativos aos
honorários advocatícios, decorrentes da sucumbência na demanda, os quais podem ser
executados em nome próprio ou nos mesmos autos da ação em que tenha autuado o
causídico. Precedente: REsp 1102473/RS, Ministra Maria Thereza de Assis Moura,
Corte Especial, Dje 27.08.2012. Contudo, no caso dos autos, a impetrante não está sendo
obstada a executar a verba honorária, mas, "ver pagos os honorários sucumbenciais
inscritos no precatório 49.910 por força da regra constitucional que autoriza o
pagamento, pela ordem crescente de valores" (fl.7, e-STJ). Não foi demonstrado o direito
líquido e certo, pois na realidade o pleito do causídico equivale a um pedido vinculado
em relação ao crédito principal, que é dotado do atributo da preferência, por cuidar de
pessoa idosa, que possui direito personalíssimo, não extensivo ao seu advogado (STJ -
RMS 41018 RS 2013/0037877-0, Relator Ministro Humberto Martins, julgado em
01/04/2014). "MANDADO DE SEGURANÇA. ATO JUDICIAL DA CENTRAL DE
CONCILIAÇÃO E PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS DO TRIBUNAL DE
JUSTIÇA. INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PREFERÊNCIA DE
RECEBIMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS EM PRECATÓRIO
EXPEDIDO EM NOME DA PARTE. O ÓRGÃO ESPECIAL TEM
JURISPRUDÊNCIA DE QUE INEXISTE DIREITO LÍQUIDO E CERTO À
PRETENSÃO DE INDIVIDUALIZAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
DA CONDENAÇÃO REPRESENTADA EM PRECATÓRIO CONTRA A FAZENDA
PÚBLICA, JUSTIFICANDO O INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL DO
MANDADO DE SEGURANÇA. OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
SUCUMBENCIAIS POSSUEM NATUREZA ALIMENTAR E DIREITO A
PAGAMENTO PREFERENCIAL, MAS É VEDADO O FRACIONAMENTO OU A
REPARTIÇÃO DO VALOR DA EXECUÇÃO, O QUE DIFERE DE POSTULAR DE
FORMA AUTÔNOMA, EM EXECUÇÃO AUTÔNOMA OU EM LITISCONSORCIO
ATIVO FACULTATIVO, CUJA PROVA NÃO DEMONSTRA. EXECUTANDO OS
HONORÁRIOS JUNTAMENTE COM O CRÉDITO DA PARTE, INEXISTE
DIREITO À PREFERÊNCIA EM FAVOR DO ADVOGADO. MANDADO DE
SEGURANÇA DENEGADO" (MS nº 70069651768/2016- TJRS, Relator
Desembargador Carlos Cini Marchionatti, julgado em 11/12/2017). "PRECATÓRIO.
VERBA ADVOCATÍCIA. NATUREZA PREFERÊNCIA. OS HONORÁRIOS COMO
CONTRAPRESTAÇÃO DO TRABALHO PROFISSIONAL DO ADVOGADO
DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ALIMENTOS, QUANDO SÃO OBJETO DE
PRECATÓRIO EM SEPARADO. AO PRECATÓRIO EXPEDIDO EM FAVOR DO
ADVOGADO, APLICA-SE A PREFERÊNCIA DE QUE TRATA O ART. 100 DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEM PREJUÍZO DA PRIORIDADE DOS CRÉDITOS
DA MESMA ESPÉCIE, OBEDECIDA A ORDEM CRONOLÓGICA DE
APRESENTAÇÃO". (TRF 2ªRegião, Agravo Regimental no Precatório: AGRPRC0
91.02.11890-4, Desembargador Federal Paulo Barata). "MANDADO DE
SEGURANÇA. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. PRECATÓRIO
EXPEDIDO E AGUARDANDO PAGAMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.
EXECUÇÃO EM NOME DO CREDOR PRINCIPAL. AUSÊNCIA DE
LITISCONSORCIO ATIVO FACULTATIVO COM o ADVOGADO. DESTAQUE DA
VERBA HONORÁRIA PARA PAGAMENTO COMO PARCELA PREFERENCIAL.
IMPOSSIBILIDADE. NÃO INCIDÊNCIA DO DISPOSTO NO ART. 100, § 2º, DA
CF. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER TUTELADO NA
ESPÉCIE. ORDEM DENEGADA" (MS nº 70070016555/2016 - TJRS, Relator Nelson
Antônio Monteiro Pacheco). A orientação jurisprudencial supramencionada encontra
respaldo em todos os Tribunais de Justiça do País. A título exemplificativo, seguem
transcrições colhidas nos sites dos Tribunais do Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará:
" ()Com isso, a partir da EC 94/2016, fazem jus ao pagamento prioritário (chamado de
superpreferência) o titular de precatório de natureza alimentar, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: a) como credor originário, a pessoa em nome de quem
foi expedido o precatório, independentemente, de eventual sucessão processual
anteriormente verificada na fase judicial, ou; b) como credor por sucessão hereditária, a
pessoa que, em razão da morte do credor originário, assumir a titularidade do direito
consignado em precatório tanto pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de
escritura pública), com aceitação direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo
administrativo do precatório, como pela via judicial, observada, em qualquer caso, a
legislação pertinente" (TJDFT - http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/precatorios/pedido-de-
preferencia - consulta realizada na data de 14/08/2018). "()O Credor o originário é a
pessoa em nome de quem foi expedido o precatório, já o credor por sucessão hereditária
é a pessoa que, em razão da morte do credor originário, assume a titularidade do
precatório por meio de habilitação nos autos do precatório nos termos da legislação
pertinente (TJMG - http://www.tjmg.jus.br/portal-
tjmg/processos/precatórios/prioridades-no-pagamento - consulta realizada na data de
14/08/2018). "O credor que faz jus a esse benefício é o chamado originário, ou seja,
aquele credor que é exequente da decisão judicial definitiva". (TJCE -
https:tjce.jus.br/precatórios/pagamento-prioritário-de-precatorios-art.100-%C2 -
consulta realizada na data de 11/08/2018. Por seu turno, a Câmara Nacional de Gestores
de Precatórios, na Nota Técnica nº 03/2017, já deliberou acerca do tema: "() Com isso, a
partir da vigência da EC 94/2106 assumiu o status de beneficiária da parcela
superpreferencial o titular do precatório, originário ou por sucessão hereditária, assim
compreendido: ? como credor originário, a pessoa em nome de quem é expedido o
precatório, independente de eventual sucessão anteriormente verificada na fase judicial,
ou ? como credor por sucessão hereditária, a pessoa que, em razão da morte do credor
originário, assumir a titularidade do direito consignado em precatório tanto pela via
extrajudicial (mediante partilha por meio de escritura pública), com aceitação direta, pelo
Presidente do tribunal, perante o processo administrativo do precatório, como pela via
judicial, observada, em qualquer caso, a legislação pertinente" . Visando regulamentar
as práticas deste Núcleo de Precatórios relativas à matéria em questão, foi editada e
publicada a Portaria nº 07/2018, vedando o deferimento nas hipóteses em que o advogado
não postulou a "superpreferência" em precatório autônomo. Desta forma, diante da
fundamentação apresentada e seguindo recomendação do CNJ, INDEFIRO o pedido de
pagamento preferencial em favor da ilustre advogada. Publique-se. Intime-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005152-63.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Espólio de Catarina Rodrigues dos Santos
Advogado : José Carlos Matos de Oliveira (OAB: 411B/BA)
Devedor : Município de Ipirá
Advogado : Plorivaldo Mendes de Aragão (OAB: 8168/BA)
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo da Vara dos Feitos Cíveis e Comerciais de
Ipirá (BA), sendo credor o Espólio de Catarina Rodrigues dos Santos e devedor o
MUNICÍPIO citado, incluído em acordo vigente mediante bloqueio do FPM - Fundo de
Participação dos Municípios, em 07 de maio de 2015 (fls. 31/35). Às fls. 113, o espólio
de Catarina Rodrigues dos Santos requereu a juntada de procuração, termo de
compromisso de inventariante certidão de óbito, documentos do viúvo e dados bancários,
pugnando pelo pagamento deste precatório. Compulsando os autos, verifica-se que a
certidão de óbito da credora falecida, certidão de casamento e a comprovação de
parentesco dos respectivos herdeiros não constaram dos documentos acostados às fls.
114/117. Diante do exposto, INTIME-SE o espólio da credora para promover a juntada
dos documentos citados acima, referidos na decisão de fls. 111, como também o
instrumento particular especificando os quinhões dos respectivos herdeiros, para efeito
de pagamento deste precatório, no prazo de 10 (dez) dias. Após a juntada dos
documentos, retornem-me conclusos, para os devidos fins. Publique-se. Intime-se.
Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0004667-24.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Florisvaldo Silva Macedo
Advogado : Vera Lúcia Evaristo de Souza (OAB: 11042/BA)
Advogado : Roberto de Oliveira Aranha (OAB: 14903/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 8ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
onde figuram como credor Florisvaldo Silva Macedo e como Ente devedor o Estado da
Bahia, no qual houve deferimento de pagamento preferencial em favor do credor, já pago
(fls. 78/79 e 91). Às fls. 33, a advogada Vera Lúcia Evaristo de Souza postulou o
benefício de pagamento preferencial em razão da idade, decorrente dos honorários
devidos neste precatório, juntando documentação de fls. 34. Revisando anterior
posicionamento deste Núcleo de Precatórios, constata-se que é indevida a concessão de
benefício preferencial a advogado(a) que possui crédito decorrente de honorários
contratuais/sucumbenciais requisitados nos autos do precatório do credor titular. O artigo
100, § 2º, da Constituição Federal, é taxativo, ao determinar que: "Os débitos de natureza
alimentícia cujos titulares, originários ou por sucessão hereditária, tenham 60 (sessenta)
anos de idade, ou sejam portadores de doença grave, ou pessoas com deficiência, assim
definidos em lei, serão pagos com preferência sobre todos os demais débitos, até o valor
equivalente ao triplo fixado em lei para os fins do disposto no § 3º deste artigo, admitindo
o fracionamento para essa finalidade, sendo que o restante será pago na ordem
cronológica de apresentação do precatório". Da leitura da norma supracitada, depreende-
se que o direito à conhecida "superpreferência" alcança apenas os titulares de créditos
originários ou por sucessão hereditária, hipóteses em que o credor de honorários
contratuais/sucumbenciais, requisitados nos autos do precatório do credor titular, não se
enquadra, ressaltando que, no caso dos honorários contratuais, existe outro gravame, pois
são decorrentes de uma relação particular pactuada entre o titular do crédito e o seu
patrono. Portanto, a norma em questão é taxativa acerca do deferimento do direito à
antecipação constitucional apenas para o titular originário, que, no caso do advogado,
somente se enquadra na hipótese do dispositivo constitucional citado quando figura como
credor autônomo, em precatório individualizado, no tocante aos honorários
sucumbenciais. Acerca do tema, a jurisprudência é uníssona, conforme ementas abaixo
transcritas: "PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE
SEGURANÇA, PRECATÓRIO. PLEITO DE PAGAMENTO IMEDIATO DE
HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO TITULAR
DO CRÉDITO NÃO EXTENSIVO AO ADVOGADO. Os recorrentes pretendem
compelir o Tribunal de origem a efetuar o pagamento da verba honorária, porquanto o
titular do precatório teve o seu crédito fracionado por força do imposto pelo § 2º do art.
100 da Constituição Federal. Não se desconhece a tese sobre a titularidade dos valores
relativos aos honorários advocatícios, decorrentes da sucumbência na demanda, os quais
podem ser executados em nome próprio ou nos mesmos autos da ação em que tenha
autuado o causídico. Precedente: REsp 1102473/RS, Ministra Maria Thereza de Assis
Moura, Corte Especial, Dje 27.08.2012. Contudo, no caso dos autos, a impetrante não
está sendo obstada a executar a verba honorária, mas, "ver pagos os honorários
sucumbenciais inscritos no precatório 49.910 por força da regra constitucional que
autoriza o pagamento, pela ordem crescente de valores" (fl.7, e-STJ). Não foi
demonstrado o direito líquido e certo, pois na realidade o pleito do causídico equivale a
um pedido vinculado em relação ao crédito principal, que é dotado do atributo da
preferência, por cuidar de pessoa idosa, que possui direito personalíssimo, não extensivo
ao seu advogado (STJ - RMS 41018 RS 2013/0037877-0, Relator Ministro Humberto
Martins, julgado em 01/04/2014). "MANDADO DE SEGURANÇA. ATO JUDICIAL
DA CENTRAL DE CONCILIAÇÃO E PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS DO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA. INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PREFERÊNCIA DE
RECEBIMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS EM PRECATÓRIO
EXPEDIDO EM NOME DA PARTE. O ÓRGÃO ESPECIAL TEM
JURISPRUDÊNCIA DE QUE INEXISTE DIREITO LÍQUIDO E CERTO À
PRETENSÃO DE INDIVIDUALIZAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
DA CONDENAÇÃO REPRESENTADA EM PRECATÓRIO CONTRA A FAZENDA
PÚBLICA, JUSTIFICANDO O INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL DO
MANDADO DE SEGURANÇA. OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
SUCUMBENCIAIS POSSUEM NATUREZA ALIMENTAR E DIREITO A
PAGAMENTO PREFERENCIAL, MAS É VEDADO O FRACIONAMENTO OU A
REPARTIÇÃO DO VALOR DA EXECUÇÃO, O QUE DIFERE DE POSTULAR DE
FORMA AUTÔNOMA, EM EXECUÇÃO AUTÔNOMA OU EM LITISCONSORCIO
ATIVO FACULTATIVO, CUJA PROVA NÃO DEMONSTRA. EXECUTANDO OS
HONORÁRIOS JUNTAMENTE COM O CRÉDITO DA PARTE, INEXISTE
DIREITO À PREFERÊNCIA EM FAVOR DO ADVOGADO. MANDADO DE
SEGURANÇA DENEGADO" (MS nº 70069651768/2016- TJRS, Relator
Desembargador Carlos Cini Marchionatti, julgado em 11/12/2017). "PRECATÓRIO.
VERBA ADVOCATÍCIA. NATUREZA PREFERÊNCIA. OS HONORÁRIOS COMO
CONTRAPRESTAÇÃO DO TRABALHO PROFISSIONAL DO ADVOGADO
DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ALIMENTOS, QUANDO SÃO OBJETO DE
PRECATÓRIO EM SEPARADO. AO PRECATÓRIO EXPEDIDO EM FAVOR DO
ADVOGADO, APLICA-SE A PREFERÊNCIA DE QUE TRATA O ART. 100 DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEM PREJUÍZO DA PRIORIDADE DOS CRÉDITOS
DA MESMA ESPÉCIE, OBEDECIDA A ORDEM CRONOLÓGICA DE
APRESENTAÇÃO". (TRF 2ªRegião, Agravo Regimental no Precatório: AGRPRC0
91.02.11890-4, Desembargador Federal Paulo Barata). "MANDADO DE
SEGURANÇA. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. PRECATÓRIO
EXPEDIDO E AGUARDANDO PAGAMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.
EXECUÇÃO EM NOME DO CREDOR PRINCIPAL. AUSÊNCIA DE
LITISCONSORCIO ATIVO FACULTATIVO COM o ADVOGADO. DESTAQUE DA
VERBA HONORÁRIA PARA PAGAMENTO COMO PARCELA PREFERENCIAL.
IMPOSSIBILIDADE. NÃO INCIDÊNCIA DO DISPOSTO NO ART. 100, § 2º, DA
CF. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER TUTELADO NA
ESPÉCIE. ORDEM DENEGADA" (MS nº 70070016555/2016 - TJRS, Relator Nelson
Antônio Monteiro Pacheco). A orientação jurisprudencial supramencionada encontra
respaldo em todos os Tribunais de Justiça do País. A título exemplificativo, seguem
transcrições colhidas nos sites dos Tribunais do Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará:
" ()Com isso, a partir da EC 94/2016, fazem jus ao pagamento prioritário (chamado de
superpreferência) o titular de precatório de natureza alimentar, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: a) como credor originário, a pessoa em nome de quem
foi expedido o precatório, independentemente, de eventual sucessão processual
anteriormente verificada na fase judicial, ou; b) como credor por sucessão hereditária, a
pessoa que, em razão da morte do credor originário, assumir a titularidade do direito
consignado em precatório tanto pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de
escritura pública), com aceitação direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo
administrativo do precatório, como pela via judicial, observada, em qualquer caso, a
legislação pertinente" (TJDFT - http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/precatorios/pedido-de-
preferencia - consulta realizada na data de 14/08/2018). "()O Credor o originário é a
pessoa em nome de quem foi expedido o precatório, já o credor por sucessão hereditária
é a pessoa que, em razão da morte do credor originário, assume a titularidade do
precatório por meio de habilitação nos autos do precatório nos termos da legislação
pertinente (TJMG - http://www.tjmg.jus.br/portal-
tjmg/processos/precatórios/prioridades-no-pagamento - consulta realizada na data de
14/08/2018). "O credor que faz jus a esse benefício é o chamado originário, ou seja,
aquele credor que é exequente da decisão judicial definitiva". (TJCE -
https:tjce.jus.br/precatórios/pagamento-prioritário-de-precatorios-art.100-%C2 -
consulta realizada na data de 11/08/2018. Por seu turno, a Câmara Nacional de Gestores
de Precatórios, na Nota Técnica nº 03/2017, já deliberou acerca do tema: "() Com isso, a
partir da vigência da EC 94/2106 assumiu o status de beneficiária da parcela
superpreferencial o titular do precatório, originário ou por sucessão hereditária, assim
compreendido: ? como credor originário, a pessoa em nome de quem é expedido o
precatório, independente de eventual sucessão anteriormente verificada na fase judicial,
ou ? como credor por sucessão hereditária, a pessoa que, em razão da morte do credor
originário, assumir a titularidade do direito consignado em precatório tanto pela via
extrajudicial (mediante partilha por meio de escritura pública), com aceitação direta, pelo
Presidente do tribunal, perante o processo administrativo do precatório, como pela via
judicial, observada, em qualquer caso, a legislação pertinente" . Visando regulamentar
as práticas deste Núcleo de Precatórios relativas à matéria em questão, foi editada e
publicada a Portaria nº 07/2018, vedando o deferimento nas hipóteses em que o advogado
não postulou a "superpreferência" em precatório autônomo. Desta forma, diante da
fundamentação apresentada e seguindo recomendação do CNJ, INDEFIRO o pedido de
pagamento preferencial em favor da ilustre advogada. Publique-se. Intime-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS
0012518-17.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Osvaldino Paulo dos Santos
Advogado : Claudio Santos de Andrade (OAB: 14134/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 6ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
onde figuram como credor Osvaldino Paulo dos Santos e como Ente devedor o Estado
da Bahia, no qual houve deferimento do pagamento preferencial em favor do credor,
pendente de pagamento (fls. 46/48) Quanto ao pleito de pagamento preferencial da parte
credora, é cediço que o pagamento a tal título é direito constitucional conferido ao credor
idoso e, também, ao portador de doença grave, ou pessoas com deficiência, nos termos
do § 2º, do artigo 100 da C.F., com a redação dada pela EC nº 94/2016, in verbis: "Os
débitos de natureza alimentícia cujos titulares, originários ou por sucessão hereditária,
tenham 60 (sessenta) anos de idade, ou sejam portadores de doença grave, ou pessoas
com deficiência, assim definidos na forma da lei, serão pagos com preferência sobre
todos os demais débitos, até o valor equivalente ao triplo fixado em lei para os fins do
disposto no § 3º deste artigo, admitido o fracionamento para essa finalidade, sendo que
o restante será pago na ordem cronológica de apresentação do precatório". Da leitura do
dispositivo legal acima citado, observa-se que um dos requisitos para a concessão do
benefício da preferência constitucional é ser o crédito de natureza ALIMENTAR, o que
não é o caso deste Precatório, uma vez que decorre de decisão transitada em julgado em
ação ordinária de indenização por danos morais. Isto posto, considerando a natureza
PATRIMONIAL/COMUM do presente Precatório, RECONSIDERO, parcialmente, a
decisão plúrima de fls. 46/48 e INDEFIRO o pedido de pagamento preferencial em favor
do credor Osvaldino Paulo dos Santos. Aguarde-se em escaninho próprio o pagamento
deste Precatório, observada a ordem cronológica nos termos do art. 100, caput, da
Constituição Federal. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0013113-84.2015.8.05.0000Precatório
Credor : Espólio Elizabeth Santos Cabral de Souza
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Pedro Milton de Brito (OAB: 2967/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Advogado : Washington Bolivar de Brito (OAB: 156/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo do Plenário do Tribunal de Justiça do Estado
da Bahia, sendo credor o Espólio de Elizabeth Santos Cabral de Souza e devedor o Estado
da Bahia. O Ente Devedor impugnou os cálculos deste Núcleo de Precatórios,
apresentando planilha atualizada até 30/06/2015, reconhecendo como devido o montante
de R$ 312.725,43 (trezentos e doze mil, setecentos e vinte e cinco reais e quarenta e três
centavos)- fls. 178/181, ao argumento de que, na hipótese, foram inseridas parcelas nos
cálculos, com data anterior ao ajuizamento do writ. Quanto à impugnação, verifica-se
que, no cálculo da execução (fls. 152/154), foram incluídas parcelas anteriores à data do
ajuizamento do Mandado de Segurança originário, ou seja, computou-se três meses e 23
dias a mais, considerando-se que o writ foi interposto em 24/05/1995 (fls. 15), e consta
nos cálculos parcelas relativas aos meses de fevereiro a maio com valores integrais. Na
petição inicial, constata-se que o pleito foi para pagamento de diferença salarial, a contar
da data da propositura da ação (fls. 15/21), pelo que deve ser reconhecida a exclusão das
parcelas relativas aos meses de fevereiro a abril de 1995 e 23 dias do mês de maio, porque
extrapolam o limite da coisa julgada. ACOLHO, portanto, a Impugnação Estatal, para
suprimir os valores inseridos no cálculo anteriores à data do ajuizamento do writ.
DETERMINO que a Contadoria, no momento oportuno, verifique os valores devidos.
INTIMEM-SE as partes para apresentarem manifestação, no prazo comum de 10 dias.
Após, sem objeção, aguarde-se, em escaninho próprio, o pagamento, observada a ordem
cronológica, nos termos do art. 100, caput, da Constituição Federal. Caso contrário,
retornem conclusos, para os devidos fins. Publique-se. Intime-se. Salvador, 5 de outubro
de 2018. JOSÉ REGINALDO COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do
NACP - Biênio 2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0004660-32.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Geraldo Batista de Oliveira
Advogado : Vera Lúcia Evaristo de Souza (OAB: 11042/BA)
Advogado : Roberto de Oliveira Aranha (OAB: 14903/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 8ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
onde figuram como credor Geraldo Batista de Oliveira e como Ente devedor o Estado da
Bahia, no qual houve deferimento de pagamento preferencial em favor do credor, já pago
(fls. 78/79 e 89). Às fls. 91, a advogada Vera Lúcia Evaristo de Souza postulou o
benefício de pagamento preferencial em razão da idade, decorrente dos honorários
devidos neste precatório, juntando documentação de fls. 92. Revisando anterior
posicionamento deste Núcleo de Precatórios, constata-se que é indevida a concessão de
benefício preferencial a advogado(a) que possui crédito decorrente de honorários
contratuais/sucumbenciais requisitados nos autos do precatório do credor titular. O artigo
100, § 2º, da Constituição Federal, é taxativo, ao determinar que: "Os débitos de natureza
alimentícia cujos titulares, originários ou por sucessão hereditária, tenham 60 (sessenta)
anos de idade, ou sejam portadores de doença grave, ou pessoas com deficiência, assim
definidos em lei, serão pagos com preferência sobre todos os demais débitos, até o valor
equivalente ao triplo fixado em lei para os fins do disposto no § 3º deste artigo, admitindo
o fracionamento para essa finalidade, sendo que o restante será pago na ordem
cronológica de apresentação do precatório". Da leitura da norma supracitada, depreende-
se que o direito à conhecida "superpreferência" alcança apenas os titulares de créditos
originários ou por sucessão hereditária, hipóteses em que o credor de honorários
contratuais/sucumbenciais, requisitados nos autos do precatório do credor titular, não se
enquadra, ressaltando que, no caso dos honorários contratuais, existe outro gravame, pois
são decorrentes de uma relação particular pactuada entre o titular do crédito e o seu
patrono. Portanto, a norma em questão é taxativa acerca do deferimento do direito à
antecipação constitucional apenas para o titular originário, que, no caso do advogado,
somente se enquadra na hipótese do dispositivo constitucional citado quando figura como
credor autônomo, em precatório individualizado, no tocante aos honorários
sucumbenciais. Acerca do tema, a jurisprudência é uníssona, conforme ementas abaixo
transcritas: "PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE
SEGURANÇA, PRECATÓRIO. PLEITO DE PAGAMENTO IMEDIATO DE
HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO TITULAR
DO CRÉDITO NÃO EXTENSIVO AO ADVOGADO. Os recorrentes pretendem
compelir o Tribunal de origem a efetuar o pagamento da verba honorária, porquanto o
titular do precatório teve o seu crédito fracionado por força do imposto pelo § 2º do art.
100 da Constituição Federal. Não se desconhece a tese sobre a titularidade dos valores
relativos aos honorários advocatícios, decorrentes da sucumbência na demanda, os quais
podem ser executados em nome próprio ou nos mesmos autos da ação em que tenha
autuado o causídico. Precedente: REsp 1102473/RS, Ministra Maria Thereza de Assis
Moura, Corte Especial, Dje 27.08.2012. Contudo, no caso dos autos, a impetrante não
está sendo obstada a executar a verba honorária, mas, "ver pagos os honorários
sucumbenciais inscritos no precatório 49.910 por força da regra constitucional que
autoriza o pagamento, pela ordem crescente de valores" (fl.7, e-STJ). Não foi
demonstrado o direito líquido e certo, pois na realidade o pleito do causídico equivale a
um pedido vinculado em relação ao crédito principal, que é dotado do atributo da
preferência, por cuidar de pessoa idosa, que possui direito personalíssimo, não extensivo
ao seu advogado (STJ - RMS 41018 RS 2013/0037877-0, Relator Ministro Humberto
Martins, julgado em 01/04/2014). "MANDADO DE SEGURANÇA. ATO JUDICIAL
DA CENTRAL DE CONCILIAÇÃO E PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS DO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA. INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PREFERÊNCIA DE
RECEBIMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS EM PRECATÓRIO
EXPEDIDO EM NOME DA PARTE. O ÓRGÃO ESPECIAL TEM
JURISPRUDÊNCIA DE QUE INEXISTE DIREITO LÍQUIDO E CERTO À
PRETENSÃO DE INDIVIDUALIZAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
DA CONDENAÇÃO REPRESENTADA EM PRECATÓRIO CONTRA A FAZENDA
PÚBLICA, JUSTIFICANDO O INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL DO
MANDADO DE SEGURANÇA. OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
SUCUMBENCIAIS POSSUEM NATUREZA ALIMENTAR E DIREITO A
PAGAMENTO PREFERENCIAL, MAS É VEDADO O FRACIONAMENTO OU A
REPARTIÇÃO DO VALOR DA EXECUÇÃO, O QUE DIFERE DE POSTULAR DE
FORMA AUTÔNOMA, EM EXECUÇÃO AUTÔNOMA OU EM LITISCONSORCIO
ATIVO FACULTATIVO, CUJA PROVA NÃO DEMONSTRA. EXECUTANDO OS
HONORÁRIOS JUNTAMENTE COM O CRÉDITO DA PARTE, INEXISTE
DIREITO À PREFERÊNCIA EM FAVOR DO ADVOGADO. MANDADO DE
SEGURANÇA DENEGADO" (MS nº 70069651768/2016- TJRS, Relator
Desembargador Carlos Cini Marchionatti, julgado em 11/12/2017). "PRECATÓRIO.
VERBA ADVOCATÍCIA. NATUREZA PREFERÊNCIA. OS HONORÁRIOS COMO
CONTRAPRESTAÇÃO DO TRABALHO PROFISSIONAL DO ADVOGADO
DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ALIMENTOS, QUANDO SÃO OBJETO DE
PRECATÓRIO EM SEPARADO. AO PRECATÓRIO EXPEDIDO EM FAVOR DO
ADVOGADO, APLICA-SE A PREFERÊNCIA DE QUE TRATA O ART. 100 DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEM PREJUÍZO DA PRIORIDADE DOS CRÉDITOS
DA MESMA ESPÉCIE, OBEDECIDA A ORDEM CRONOLÓGICA DE
APRESENTAÇÃO". (TRF 2ªRegião, Agravo Regimental no Precatório: AGRPRC0
91.02.11890-4, Desembargador Federal Paulo Barata). "MANDADO DE
SEGURANÇA. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. PRECATÓRIO
EXPEDIDO E AGUARDANDO PAGAMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.
EXECUÇÃO EM NOME DO CREDOR PRINCIPAL. AUSÊNCIA DE
LITISCONSORCIO ATIVO FACULTATIVO COM o ADVOGADO. DESTAQUE DA
VERBA HONORÁRIA PARA PAGAMENTO COMO PARCELA PREFERENCIAL.
IMPOSSIBILIDADE. NÃO INCIDÊNCIA DO DISPOSTO NO ART. 100, § 2º, DA
CF. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER TUTELADO NA
ESPÉCIE. ORDEM DENEGADA" (MS nº 70070016555/2016 - TJRS, Relator Nelson
Antônio Monteiro Pacheco). A orientação jurisprudencial supramencionada encontra
respaldo em todos os Tribunais de Justiça do País. A título exemplificativo, seguem
transcrições colhidas nos sites dos Tribunais do Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará:
" ()Com isso, a partir da EC 94/2016, fazem jus ao pagamento prioritário (chamado de
superpreferência) o titular de precatório de natureza alimentar, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: a) como credor originário, a pessoa em nome de quem
foi expedido o precatório, independentemente, de eventual sucessão processual
anteriormente verificada na fase judicial, ou; b) como credor por sucessão hereditária, a
pessoa que, em razão da morte do credor originário, assumir a titularidade do direito
consignado em precatório tanto pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de
escritura pública), com aceitação direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo
administrativo do precatório, como pela via judicial, observada, em qualquer caso, a
legislação pertinente" (TJDFT - http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/precatorios/pedido-de-
preferencia - consulta realizada na data de 14/08/2018). "()O Credor o originário é a
pessoa em nome de quem foi expedido o precatório, já o credor por sucessão hereditária
é a pessoa que, em razão da morte do credor originário, assume a titularidade do
precatório por meio de habilitação nos autos do precatório nos termos da legislação
pertinente (TJMG -
http://www.tjmg.jus.br/portaltjmg/processos/precatórios/prioridades-no-pagamento -
consulta realizada na data de 14/08/2018). "O credor que faz jus a esse benefício é o
chamado originário, ou seja, aquele credor que é exequente da decisão judicial
definitiva". (TJCE - https:tjce.jus.br/precatórios/pagamento-prioritário-de-precatorios-
art.100-%C2 - consulta realizada na data de 11/08/2018. Por seu turno, a Câmara
Nacional de Gestores de Precatórios, na Nota Técnica nº 03/2017, já deliberou acerca do
tema: "() Com isso, a partir da vigência da EC 94/2106 assumiu o status de beneficiária
da parcela superpreferencial o titular do precatório, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: ? como credor originário, a pessoa em nome de quem
é expedido o precatório, independente de eventual sucessão anteriormente verificada na
fase judicial, ou ? como credor por sucessão hereditária, a pessoa que, em razão da morte
do credor originário, assumir a titularidade do direito consignado em precatório tanto
pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de escritura pública), com aceitação
direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo administrativo do precatório, como
pela via judicial, observada, em qualquer caso, a legislação pertinente". Visando
regulamentar as práticas deste Núcleo de Precatórios relativas à matéria em questão, foi
editada e publicada a Portaria nº 07/2018, vedando o deferimento nas hipóteses em que
o advogado não postulou a "superpreferência" em precatório autônomo. Desta forma,
diante da fundamentação apresentada e seguindo recomendação do CNJ, INDEFIRO o
pedido de pagamento preferencial em favor da ilustre advogada. Publique-se. Intime-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0022103-64.2015.8.05.0000Precatório
Credor : Gard Terceirização de Serviços Ltda
Advogado : Gilfredo Macário Guerra Lima (OAB: 16681/BA)
Devedor : Município de Paulo Afonso
Advogado : Flávio Henrique Magalhães Lima (OAB: 22567/BA)
Advogado : Igor Matos Montalvão (OAB: 33125/BA)
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 1ª Vara Cível, Comercial, Relações de
Consumo e Registros Públicos de Paulo Afonso, sendo credor Gard Terceirização de
Serviços Ltda e devedor o Município de Paulo Afonso. Às fls. 240 e 257, o advogado
Gilfredo Macário Guerra pleiteou o destacamento de honorários contratuais, no
percentual de 15% (quinze por cento). Na Gestão anterior havia entendimento
possibilitando o decote dos honorários contratuais nos termos do contrato celebrado com
o credor. Ocorre que, a atividade do magistrado gestor do Núcleo de Precatórios é
meramente administrativa, encontrando-se adstrita ao requerimento do Juízo da
execução, carecendo, portanto, de competência para estabelecer destacamento de
honorários, nos moldes da Resolução do CNJ nº 115/2010, abaixo transcrita. Art. 5º, §
2º: "se o advogado quiser destacar do montante da condenação o que lhe couber por força
de honorários contratuais, na forma disciplinada pelo art. 22 da Lei n.º 8.960/1994,
deverá juntar aos autos o respectivo contrato antes da apresentação do precatório ao
Tribunal". Registre-se que, em 7 de março de 2018, na 32ª Sessão Virtual, o CNJ, no
julgamento do Procedimento Administrativo nº 0008065-18.2017.2.00.0000, formulado
pela Ordem dos Advogados de Tocantins, julgou parcialmente procedente o pedido,
determinando ao Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins a adequação das Portarias
n° 4653, de 28 de agosto de 2017 e n° 4539, de 23 de agosto de 2017, a fim de que crédito
decorrente de pagamento precatório e de depósito judicial, devido à parte beneficiária do
processo, seja liberado mediante a expedição de alvará eletrônico em nome do advogado
a quem foi confiado poderes especiais para receber e dar quitação. Analisando os autos,
verifica-se que, às fls. 254, o Setor de Cálculos constatou que os honorários
sucumbenciais foram incluídos na memória de cálculo, em desacordo com o decreto 260
de 23/04/2014. Assim, ao excluir a referida verba da planilha que originou o valor
requisitado, foi apurado, em 15/05/2015, o valor de R$ 99.973,93. Desta forma, ao
promover a atualização em 31/07/2018, foi apurado como devido o valor de R$
123.606,01 (cento e vinte e três mil, seiscentos e seis reais e um centavo). Assim, na
elaboração dos cálculos foram utilizados os seguintes indexadores: TR de 15/05/2015 até
14/10/2015 e após IPCA-E até 31/07/2018, com incidência de juros de mora no
percentual de 0,5% ao mês nos mesmos períodos, abatido o período de graça
constitucional de 18 meses, nos termos da Súmula Vinculante nº 17 do STF. Diante do
exposto, RATIFICO os cálculos elaborados por este NACP, já que em consonância com
os requisitos legais e observados os parâmetros fixados na sentença. No tocante ao
destacamento dos honorários contratuais, INDEFIRO o pedido no Precatório em apreço,
considerando que foi determinado o pagamento apenas à credora Siclea Gomes de
Araujo, nos termos da certidão emitida pelo Setor de Cálculos deste NACP (fls. 254).
REMETAM-SE os autos ao Setor de Cálculos para os ajustes necessários e após, ao Setor
de Contas para pagamento, OBSERVADA A ORDEM CRONOLÓGICA DOS
PRECATÓRIOS CONCILIADOS. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0010030-89.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Geraldo de Almeida Ramos
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Henrique Heine Trindade Carmo (OAB: 10709/BA)
Advogado : Arx da Costa Tourinho (OAB: 3297/BA)
Advogado : Anisio Pinheiro de Jesus (OAB: 7650/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Advogado : Washington Bolivar de Brito (OAB: 156/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo do Pleno deste Egrégio Tribunal de Justiça,
sendo credor Geraldo de Almeida Ramos e devedor o Estado da Bahia, com pagamento
preferencial deferido em favor do credor. Conforme se verifica, a viúva Maria Ivete
Medeiros Ramos informou o falecimento do credor (fls. 239/245) e requereu que o
pagamento da parcela preferencial do crédito fosse expedido em seu favor, devolvendo
o alvará em nome do credor falecido. No que pertine a habilitação do espólio, o Novo
Código de Processo Civil determina, no seu art. 687, que: "A habilitação ocorre quando,
por falecimento de qualquer das partes, os interessados houverem de suceder-lhe no
processo." Por seu turno, o art. 688, II, do mesmo diploma legal, preconiza: "A
habilitação pode ser requerida: (...); II - pelos sucessores do falecido, em relação à parte."
Analisando os autos, pois, restou comprovado o vínculo dos sucessores do credor
originário, pelo que DEFIRO o pedido de habilitação da viúva elencada às fls. 239,
devendo a Secretaria fazer as anotações devidas, constando o Espólio no polo ativo, no
Sistema e na capa dos autos. No tocante ao pedido de expedição de alvará da preferência
em favor da viúva meeira, o artigo 10, § 4º, da Resolução do CNJ nº 115/2010, permite
a liberação do crédito apenas no caso de falecimento do credor após o pedido
preferencial, conforme abaixo transcrito: Art. 10º, § 4º: "Apenas no caso de morte do
credor após o protocolo do requerimento, a preferência por idade ou doença estende-se
em favor do cônjuge supérstite, companheiro ou companheira, em união estável, nos
termos do art. 1.211-C do CPC, não se aplicando a mesma preferência aos cessionários.
(Incluído pela Resolução n° 123, de 09.11.10) Pelo exposto, DEFIRO a expedição dos
alvará em favor da viúva Maria Ivete Medeiros Ramos, tendo em vista os argumentos
descritos acima. INTIME-SE o Espólio do Credor, através de seu advogado, para, no
prazo de 20 (vinte) dias, juntar aos autos os documentos (procuração e documento de
identidade) dos quatro filhos referidos na certidão de óbito do credor, para efeito de
habilitação destes herdeiros e futuro pagamento. REMETAM-SE os autos ao Setor de
Contas para a confecção de novo alvará em favor da viúva meeira Maria Ivete Medeiros
Ramos. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0009926-68.2015.8.05.0000Precatório
Credor : Edgar Francisco Aires dos Santos Neto
Advogado : Jorge Santos Rocha Junior (OAB: 12492/BA)
Advogado : Abdul Latif Rodrigues Hedjazi (OAB: 3898/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt
Vistos, etc. HOMOLOGO, a fim de surtir os seus legais efeitos, a CESSÃO
representativa do crédito integral do presente Precatório, devendo-se, por conseguinte,
promover as alterações necessárias nos sistemas SAJ e de Cálculos, constando,
doravante, a referida cessão e o nome do cessionário na capa dos autos. Intimações
necessárias, inclusive do Ente Devedor. Publique-se. Cumpra-se, COM URGÊNCIA.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0014868-75.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Vinicius Landulpho Magalhães
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Henrique Heine Trindade Carmo (OAB: 10709/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo do Pleno deste Egrégio Tribunal de Justiça,
sendo credor Vinicius Landulpho Magalhães e devedor o Estado da Bahia. Às fls. 131,
o espólio de Vinicius Landulpho Magalhães informou o falecimento do credor e requereu
a juntada da certidão de óbito, termo de nomeação de inventariante, documentos dos
sucessores e escritura pública de inventário e partilha. Por fim, a viúva meeira e os
herdeiros postularam o pagamento do benefício preferencial, em razão das suas idades.
Compulsando os autos, verifica-se que a certidão de óbito do credor não constou dos
documentos juntados às fls. 132/141, como também faltou a certidão de casamento da
viúva Celina Barreto Magalhães. Diante do exposto, INTIME-SE o espólio do credor
para promover a juntada dos documentos referidos acima, para efeito de habilitação dos
herdeiros e análise do pleito preferencial. Após a juntada dos documentos, retornem-me
conclusos, para os devidos fins. Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005673-08.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Antonio Carlos Mira Silva
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Caio Druso de Castro Penalva Vita
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo do Pleno deste Tribunal de Justiça, sendo
credor Antonio Carlos Mira Silva e devedor o Estado da Bahia, inserido no procedimento
de acordo, previsto no Edital nº 11/2016, prorrogado pelo Edital nº 01/2018 - 19º Lugar
do 2º Lote. Com a prorrogação promovida pelo Edital nº 01/2018, o credor e o advogado
Henrique Heine Trindade Carmo requereram as suas adesões (fls. 304/307). Analisando
os autos, verifica-se que a adesão do advogado Henrique Heine Trindade Carmo não
pode ser acolhida, vez que neste precatório foram suprimidos os créditos decorrentes de
honorários, conforme ofício retificador de fls. 302, razão pela qual EXCLUO o advogado
citado deste procedimento de acordo. PROMOVA a Secretaria as devidas anotações na
lista de habilitados deste Certame. Considerando-se apenas a habilitação do credor,
REMETAM-SE os autos ao Setor de Cálculos para os registros necessários, bem assim
atualização do crédito com observância do percentual de 40% de deságio dos aderentes,
abatendo-se a preferência, acaso recebida, montante que deve ser disponibilizado no
Sistema para a ciência. Em seguida, INTIME-SE o Estado da Bahia, para, em 5 dias,
dizer se concorda com o valor a ser pago no mencionado Certame. Com o retorno, voltem
conclusos para as providências cabíveis. Publique-se. Intime(m)-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0002182-51.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Elísio Antônio Alves
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Pedro Milton de Brito (OAB: 2967/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Advogado : Washington Bolivar de Brito (OAB: 156/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Trata-se de precatório em trâmite neste Núcleo, com o benefício da
preferência constitucional deferido em favor do credor, do advogado WASHINGTON
BOLIVAR DE BRITO e da viúva/inventariante do Espólio do advogado PEDRO
MILTON DE BRITO (fls. 124/124 verso), todos pendentes de pagamento. O Ente
Devedor impugnou os cálculos deste Núcleo de Precatórios, apresentando planilha
atualizada até 08/02/2017, reconhecendo como devido o montante de R$ 387.975,09
(trezentos e oitenta e sete mil, novecentos e setenta e cinco reais e nove centavos)- fls.
131/133, ao argumento de que, na hipótese, foram inseridas parcelas nos cálculos, com
data anterior ao ajuizamento do writ. Conforme se verifica, o credor informou que, além
de idoso (fls.115), é portador de doença grave (fls.135), juntando documentos
comprobatórios que indicam "neoplasia maligna", destacando-se o relatório médico de
fls.143. Quanto à impugnação, verifica-se que, no cálculo da execução (fls. 10/12), foram
incluídas parcelas anteriores à data do ajuizamento do Mandado de Segurança originário,
ou seja, computou-se três meses e 9 dias a mais, considerando-se que o writ foi interposto
em 10/05/1995 (fls. 20), e consta nos cálculos parcelas relativas aos meses de fevereiro
a maio com valores integrais. Na petição inicial, constata-se que o pleito foi para
pagamento de diferença salarial, a contar da data da propositura da ação (fls. 20/23), pelo
que deve ser reconhecida a exclusão das parcelas relativas aos meses de fevereiro a abril
de 1995 e 9 dias do mês de maio, porque extrapolam o limite da coisa julgada. Quanto
ao benefício preferencial do credor, é certo que deve ser convertido o seu deferimento,
considerando a sua condição de portador de doença grave, que indica "neoplasia
maligna", conforme atestado no laudo médico de fls. 143. No que pertine ao IR, fixa-se
que sua incidência observará a normativa própria da Receita Federal e a jurisprudência
do STJ sedimentada no sentido de que são cumulativos os pressupostos para o gozo de
isenção prevista no art. 6º , XIV, da Lei nº 7.713, de 22 de dezembro de 1988; um relativo
à natureza jurídica do rendimento (proventos de aposentadoria ou reforma), outro
inerente à condição pessoal do sujeito passivo (ser portador de uma das moléstias
incapacitantes ali arroladas). Neste sentido, AgRg no AREsp 312149/SC, 2ª Turma,
Rela. Ministra Assusete Magalhães, DJe 18/09/2015, AgRg no Resp 1.520.090/DF, Rel.
Ministro Mauro Campbell Marques, 2ª Turma, DJe de 12/05/2015. Já a Contribuição
Previdenciária tem sua aplicação excluída para casos específicos, sendo exemplos
créditos decorrentes de indenização, de verba honorária e restituição de FUNPREV,
atentando-se para o contido no art. 69 da Lei 11.357/2009, acerca da base de cálculo
(servidor ativo - 12%; servidor inativo e pensionista - 12% sobre o que exceder ao teto
máximo de benefício do INSS; servidor inativo portador de doença incapacitante - 12%
sobre o que exceder duas vezes ao teto máximo de benefício do INSS). Analisando-se as
preferências que decorrem dos honorários contratuais, torna-se imperiosa a REVISÃO e
RECONSIDERAÇÃO da DECISÃO de fls. 124/124 verso, no que tange à preferência
ali deferida para o causídico Washington Bolivar de Brito e para a viúva/inventariante
do Espólio do Bel. Pedro Milton de Brito. Revendo anterior posicionamento deste
Núcleo de Precatórios, constata-se que é indevida a concessão de benefício preferencial
a advogado(a) que possui crédito decorrente de honorários contratuais/sucumbenciais
requisitados nos autos do precatório do credor titular. O artigo 100, § 2º, da Constituição
Federal, é taxativo, ao determinar que: "Os débitos de natureza alimentícia cujos titulares,
originários ou por sucessão hereditária, tenham 60 (sessenta) anos de idade, ou sejam
portadores de doença grave, ou pessoas com deficiência, assim definidos em lei, serão
pagos com preferência sobre todos os demais débitos, até o valor equivalente ao triplo
fixado em lei para os fins do disposto no § 3º deste artigo, admitindo o fracionamento
para essa finalidade, sendo que o restante será pago na ordem cronológica de
apresentação do precatório". Da leitura da norma supracitada, depreende-se que o direito
à conhecida "superpreferência" alcança apenas os titulares de créditos originários ou por
sucessão hereditária, hipóteses em que o credor de honorários contratuais/sucumbenciais,
requisitados nos autos do precatório do credor titular, não se enquadra, ressaltando que,
no caso dos honorários contratuais, existe outro gravame, uma vez que estes decorrem
de uma relação particular pactuada entre o titular do crédito e o seu patrono. Portanto, a
norma em questão é taxativa acerca do deferimento do direito à antecipação
constitucional apenas para o titular originário, que, no caso do advogado, somente se
enquadraria na hipótese do dispositivo constitucional citado quando figurasse como
credor autônomo, em precatório individualizado, no tocante aos honorários
sucumbenciais. Acerca do tema, a jurisprudência é uníssona, conforme ementas abaixo
transcritas: "PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE
SEGURANÇA, PRECATÓRIO. PLEITO DE PAGAMENTO IMEDIATO DE
HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO TITULAR
DO CRÉDITO NÃO EXTENSIVO AO ADVOGADO. Os recorrentes pretendem
compelir o Tribunal de origem a efetuar o pagamento da verba honorária, porquanto o
titular do precatório teve o seu crédito fracionado por força do imposto pelo § 2º do art.
100 da Constituição Federal. Não se desconhece a tese sobre a titularidade dos valores
relativos aos honorários advocatícios, decorrentes da sucumbência na demanda, os quais
podem ser executados em nome próprio ou nos mesmos autos da ação em que tenha
autuado o causídico. Precedente: REsp 1102473/RS, Ministra Maria Thereza de Assis
Moura, Corte Especial, Dje 27.08.2012. Contudo, no caso dos autos, a impetrante não
está sendo obstada a executar a verba honorária, mas, "ver pagos os honorários
sucumbenciais inscritos no precatório 49.910 por força da regra constitucional que
autoriza o pagamento, pela ordem crescente de valores" (fl.7, e-STJ). Não foi
demonstrado o direito líquido e certo, pois na realidade o pleito do causídico equivale a
um pedido vinculado em relação ao crédito principal, que é dotado do atributo da
preferência, por cuidar de pessoa idosa, que possui direito personalíssimo, não extensivo
ao seu advogado (STJ - RMS 41018 RS 2013/0037877-0, Relator Ministro Humberto
Martins, julgado em 01/04/2014). "MANDADO DE SEGURANÇA. ATO JUDICIAL
DA CENTRAL DE CONCILIAÇÃO E PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS DO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA. INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PREFERÊNCIA DE
RECEBIMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS EM PRECATÓRIO
EXPEDIDO EM NOME DA PARTE. O ÓRGÃO ESPECIAL TEM
JURISPRUDÊNCIA DE QUE INEXISTE DIREITO LÍQUIDO E CERTO À
PRETENSÃO DE INDIVIDUALIZAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
DA CONDENAÇÃO REPRESENTADA EM PRECATÓRIO CONTRA A FAZENDA
PÚBLICA, JUSTIFICANDO O INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL DO
MANDADO DE SEGURANÇA. OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
SUCUMBENCIAIS POSSUEM NATUREZA ALIMENTAR E DIREITO A
PAGAMENTO PREFERENCIAL, MAS É VEDADO O FRACIONAMENTO OU A
REPARTIÇÃO DO VALOR DA EXECUÇÃO, O QUE DIFERE DE POSTULAR DE
FORMA AUTÔNOMA, EM EXECUÇÃO AUTÔNOMA OU EM LITISCONSORCIO
ATIVO FACULTATIVO, CUJA PROVA NÃO DEMONSTRA. EXECUTANDO OS
HONORÁRIOS JUNTAMENTE COM O CRÉDITO DA PARTE, INEXISTE
DIREITO À PREFERÊNCIA EM FAVOR DO ADVOGADO. MANDADO DE
SEGURANÇA DENEGADO" (MS nº 70069651768/2016- TJRS, Relator
Desembargador Carlos Cini Marchionatti, julgado em 11/12/2017). "PRECATÓRIO.
VERBA ADVOCATÍCIA. NATUREZA PREFERÊNCIA. OS HONORÁRIOS COMO
CONTRAPRESTAÇÃO DO TRABALHO PROFISSIONAL DO ADVOGADO
DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ALIMENTOS, QUANDO SÃO OBJETO DE
PRECATÓRIO EM SEPARADO. AO PRECATÓRIO EXPEDIDO EM FAVOR DO
ADVOGADO, APLICA-SE A PREFERÊNCIA DE QUE TRATA O ART. 100 DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL, SEM PREJUÍZO DA PRIORIDADE DOS CRÉDITOS
DA MESMA ESPÉCIE, OBEDECIDA A ORDEM CRONOLÓGICA DE
APRESENTAÇÃO". (TRF 2ªRegião, Agravo Regimental no Precatório: AGRPRC0
91.02.11890-4, Desembargador Federal Paulo Barata). "MANDADO DE
SEGURANÇA. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. PRECATÓRIO
EXPEDIDO E AGUARDANDO PAGAMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.
EXECUÇÃO EM NOME DO CREDOR PRINCIPAL. AUSÊNCIA DE
LITISCONSORCIO ATIVO FACULTATIVO COM o ADVOGADO. DESTAQUE DA
VERBA HONORÁRIA PARA PAGAMENTO COMO PARCELA PREFERENCIAL.
IMPOSSIBILIDADE. NÃO INCIDÊNCIA DO DISPOSTO NO ART. 100, § 2º DA CF.
AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER TUTELADO NA ESPÉCIE.
ORDEM DENEGADA" (MS nº 70070016555/2016 - TJRS, Relator Nelson Antônio
Monteiro Pacheco). A orientação jurisprudencial supramencionada encontra respaldo em
todos os Tribunais de Justiça do País. A título exemplificativo, seguem transcrições
colhidas nos sites dos Tribunais do Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará: " ()Com isso,
a partir da EC 94/2016, fazem jus ao pagamento prioritário (chamado de
superpreferência) o titular de precatório de natureza alimentar, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: a) como credor originário, a pessoa em nome de quem
foi expedido o precatório, independentemente, de eventual sucessão processual
anteriormente verificada na fase judicial, ou; b) como credor por sucessão hereditária, a
pessoa que, em razão da morte do credor originário, assumir a titularidade do direito
consignado em precatório tanto pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de
escritura pública), com aceitação direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo
administrativo do precatório, como pela via judicial, observada, em qualquer caso, a
legislação pertinente" (TJDFT - http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/precatorios/pedido-
depreferencia - consulta realizada na data de 14/08/2018). "()O Credor o originário é a
pessoa em nome de quem foi expedido o precatório, já o credor por sucessão hereditária
é a pessoa que, em razão da morte do credor originário, assume a titularidade do
precatório por meio de habilitação nos autos do precatório nos termos da legislação
pertinente (TJMG -
http://www.tjmg.jus.br/portaltjmg/processos/precatórios/prioridades-no-pagamento -
consulta realizada na data de 14/08/2018). "O credor que faz jus a esse benefício é o
chamado originário, ou seja, aquele credor que é exequente da decisão judicial
definitiva". (TJCE - https:tjce.jus.br/precatórios/pagamento-prioritário-de-precatorios-
art.100-%C2 - consulta realizada na data de 11/08/2018. Por seu turno, a Câmara
Nacional de Gestores de Precatórios, na Nota Técnica nº 03/2017, já deliberou acerca do
tema: "() Com isso, a partir da vigência da EC 94/2106 assumiu o status de beneficiária
da parcela superpreferencial o titular do precatório, originário ou por sucessão
hereditária, assim compreendido: ? como credor originário, a pessoa em nome de quem
é expedido o precatório, independente de eventual sucessão anteriormente verificada na
fase judicial, ou ? como credor por sucessão hereditária, a pessoa que, em razão da morte
do credor originário, assumir a titularidade do direito consignado em precatório tanto
pela via extrajudicial (mediante partilha por meio de escritura pública), com aceitação
direta, pelo Presidente do tribunal, perante o processo administrativo do precatório, como
pela via judicial, observada, em qualquer caso, a legislação pertinente". Visando
regulamentar as práticas deste Núcleo de Precatórios relativas à matéria em questão, foi
editada e publicada a Portaria nº 07/2018, vedando o deferimento nas hipóteses em que
o advogado não postulou a "superpreferência" em precatório autônomo. Assim, diante
da fundamentação apresentada e seguindo recomendação do CNJ, deve ser reconsiderada
a decisão de fls. 124/124v, afastando a preferência anteriormente deferida referente aos
honorários contratuais. Deste modo, ACOLHO a Impugnação Estatal apresentada, para
suprimir os valores inseridos no cálculo anteriores à data do ajuizamento do writ,
CONVERTO o benefício preferencial ao credor, considerando a sua condição de
portador de doença grave, e RECONSIDERO a decisão de fls. 124/124v, para
INDEFERIR o DIREITO PREFERENCIAL em favor do advogado WASHINGTON
BOLIVAR DE BRITO e da viúva do patrono PEDRO MILTON DE BRITO, mantendo,
todavia, as alterações de titularidade ali deferidas. Por consequência, DECLARO a
PERDA DO OBJETO dos TERMOS DE AJUSTE DE CONDUTA anteriormente
celebrados entre este Núcleo e o Causídico Washington Bolivar de Brito e a viúva do
advogado Pedro Milton de Brito, dada a mudança de entendimento e diante das
fundamentações aqui expostas, e DETERMINO a EXCLUSÃO do sistema de cálculo
das preferências anteriormente deferidas ao beneficiários mencionados no parágrafo
anterior. ALTERE-SE a preferência do credor fazendo constar o deferimento por
DOENÇA no Sistema de Cálculos. DETERMINO que a Contadoria, no momento
oportuno, verifique os valores devidos. INTIMEM-SE as partes para apresentarem
manifestação, no prazo comum de 10 dias. Após, sem objeção, aguarde-se, em escaninho
próprio, o pagamento preferencial. Caso contrário, retornem conclusos, para os devidos
fins. Publique-se. Intime(m)-se. Cumpra-se. Salvador, 11 de outubro de 2018. JOSÉ
REGINALDO COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do NACP - Biênio
2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0002463-07.2017.8.05.0000Precatório
Credor : Maurício Silvestre de Faria
Advogado : Maurício Silvestre de Faria (OAB: 7112/BA)
Devedor : Municipio do Salvador
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo da 3º Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
sendo credora Maurício Silvestre de Faria e devedor o Município de Salvador. O Ente
Devedor apresentou impugnação (fl.134/135), aduzindo que foi expedido ofício
requisitório com valor equivocado de R$ 19.059,82 (dezenove mil, cinquenta e nove
reais e oitenta e dois centavos), referente aos honorários sucumbenciais de 5% (cinco por
cento) sobre o valor da causa (fl. 02), indicando que o valor devido a ser requisitado neste
precatório é de R$ 9.529,91 (nove mil, quinhentos e vinte e nove reais e noventa e um
centavos), correspondente à metade do montante requisitado, sob o argumento de que
foram expedidos dois processos para o pagamento destes honorários - um para o Bel.
Maurício Silvestre de Faria e outro para a Bela. Iva Costa Barreto. Analisando-se os
autos, verifica-se que, no ofício requisitório do presente precatório, ocorreu erro material
quanto ao valor ali encartado, considerando-se que este precatório e o tombado sob o nº
0002462-22.2017.8.05.0000, provenientes do mesmo processo originário, requisitou,
cada um, o montante integral dos honorários sucumbenciais de 5%, que totalizam a
quantia supramencionada de RS 19.059,82(dezenove mil, cinquenta e nove reais e
oitenta e dois centavos), constante da planilha da execução (fl. 60). Desta forma,
considerando que os honorários sucumbenciais são devidos a dois advogados, o Bel.
Maurício Silvestre de Faria (credor deste precatório) e a Bela. Iva Costa Barreto(credora
do precatório nº 0002462-22.2017.8.05.0000), reconhece-se que o montante a ser
requisitado é aquele constante do formulário de requisição (fl. 06), relativo a metade do
valor dos honorários. ACOLHO, portanto, a Impugnação do Município de Salvador, para
reconhecer, como devido neste precatório, o montante de R$ 9.529,91 (nove mil,
quinhentos e vinte e nove reais e noventa e um centavos), correspondente a metade dos
honorários sucumbenciais de 5% (cinco por cento), como valor histórico a ser requisitado
neste precatório. REMETAM-SE os autos à Contadoria para promover a análise e
atualização dos cálculos deste precatório, certificando, se os valores ultrapassam ou não
o teto da RPV deste Município. Após, retornem conclusos para as providências cabíveis.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se. Salvador, 05 de Outubro de 2018. JOSÉ
REGINALDO COSTA RODRIGUES NOGUEIRA Juiz Assessor do NACP - Biênio
2018/2020

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0013741-10.2014.8.05.0000Precatório
Credor : Adenise Rosa Coelho
Advogado : Paulo Cabral Tavares (OAB: 6498/BA)
Devedor : Município de Ubatã
Advogado : Clemilson Lima Ribeiro (OAB: 13101/BA)
Procurador : Marcio Moreira Ferreira (OAB: 18711/BA)
Advogado : Marcone Sodré Macedo (OAB: 15060/BA)
Advogado : Elise Silva Lisboa (OAB: 42954/BA)
Vistos, etc. Trata-se de Precatório oriundo da Vara dos Feitos de Relações de Consumo,
Cíveis e Comerciais de Ubatã, sendo credora Adenise Rosa Coelho e devedor o
MUNICÍPIO citado, incluído em acordo vigente mediante bloqueio do crédito (R$
5.956,30) sobre o FPM - Fundo de Participação dos Municípios - do Município de Ubatã,
quantia suficiente à quitação deste precatório vencido (fls. 59 e verso). Às fls. 69, o viúvo
informou o falecimento da credora e requereu a habilitação dos herdeiros. Às fls. 70, o
espólio de Adenise Rosa Coelho informou os dados bancários do viúvo e requereu o
decote da verba contratual, juntando o contrato de honorários advocatícios, no percentual
de 30% (trinta por cento). Com efeito, a atividade do magistrado gestor do Núcleo de
Precatórios é meramente administrativa, encontrando-se adstrita ao requerimento do
Juízo da execução, carecendo, portanto, de competência para estabelecer destacamento
de honorários, nos moldes da Resolução do CNJ nº 115/2010, abaixo transcrita. Art. 5º,
§ 2º: "se o advogado quiser destacar do montante da condenação o que lhe couber por
força de honorários contratuais, na forma disciplinada pelo art. 22 da Lei n.º 8.960/1994,
deverá juntar aos autos o respectivo contrato antes da apresentação do precatório ao
Tribunal". Registre-se que, em 7 de março de 2018, na 32ª Sessão Virtual, o CNJ, no
julgamento do Procedimento Administrativo nº 0008065-18.2017.2.00.0000, formulado
pela Ordem dos Advogados de Tocantins, julgou parcialmente procedente o pedido,
determinando ao Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins a adequação das Portarias
n° 4653, de 28 de agosto de 2017 e n° 4539, de 23 de agosto de 2017, a fim de que crédito
decorrente de pagamento precatório e de depósito judicial, devido à parte beneficiária do
processo, seja liberado mediante a expedição de alvará eletrônico em nome do advogado
a quem foi confiado poderes especiais para receber e dar quitação. Desta forma,
RECONSIDERO a decisão proferida e INDEFIRO o pedido de destacamento de
honorários contratuais no Precatório em apreço, em que pese decisão anterior praticada
às fls. 76, estes embasados em entendimento da gestão anterior deste Núcleo,
considerando que foi determinado o pagamento apenas à credora Adenise Rosa Coelho,
nos termos do ofício requisitório de fls. 02/05. Analisando os autos, pois, restou
comprovado o vínculo dos sucessores do credor originário, pelo que DEFIRO o pedido
de habilitação dos sucessores elencados às fls. 69/75, devendo a Secretaria fazer as
anotações devidas, constando o Espólio no polo ativo, no Sistema e na capa dos autos.
Verifica-se, também, que este processo se encontra no segundo lugar da fila dos
precatórios conciliados de Ubatã, faltando apenas a juntada de inventário ou seu
substituto extrajudicial, para a realização do pagamento. Diante do exposto,
REMETAM-SE os autos ao Setor de Contas para que o crédito seja colocado em conta
vinculada a este Precatório à disposição deste NACP, de forma que viabilize o pagamento
dos demais precatórios conciliados, pela ordem cronológica. Publique-se. Intime-se.
Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005621-80.2011.8.05.0000Precatório
Credor : Espólio de Antero Pedreira de Jesus
Advogado : Robertto Lemos e Correia (OAB: 7672/BA)
Advogado : Carlos Edmundo Silva de Souza Junior (OAB: 25380/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Cuida-se de precatório inserido no procedimento de acordo, previsto no
Edital nº 11/2016, prorrogado pelo Edital nº 01/2018 - 14º Lugar do 1º Lote, no qual a
herdeira e inventariante Maria das Graças de Jesus Reis requereu a adesão do acordo,
ainda sob a égide do Edital nº 14/2017, juntando escritura pública de inventário negativo
(fls. 164/168). Através da decisão de fls. 169, a então Gestora deste Núcleo determinou
a intimação do outro herdeiro, Lucas Oliveira Matos de Jesus, para manifestar
aquiescência na participação do Certame, e remeteu os autos ao Setor de Cálculos para
atualização dos valores e aplicação do deságio. Às fls. 172/174, o herdeiro Lucas Oliveira
Matos de Jesus Reis demonstrou interesse em participar do certame, ao passo que o Setor
de Cálculos indicou os valores devidos com aplicação do deságio (fls. 181/182). O Setor
de Contas suscitou esclarecimentos acerca do pagamento dos herdeiros, às fls. 182 verso.
Às fls. 183, foi apresentada partilha dos herdeiros, que corresponde a 50% (cinquenta
por cento) para cada. Acolho a partilha particular, já que realizada em observância ao
direito sucessório e também porque declarado na escritura pública que o falecido não
deixou bens a partilhar (fls. 165/166), devendo o Setor de Contas promover o pagamento
aos herdeiros, observada a sua cota parte de 50% (cinquenta por cento para cada um).
Desta forma, considerando que este precatório encontra-se regular e habilitado no
Certame, DETERMINO a REMESSA dos autos para o Setor competente, a fim de
promover o seu pagamento, OBSERVADA A ORDEM CRONOLÓGICA DOS
PRECATÓRIOS. Publique-se. Intime(m)-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005674-90.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Artur Galliza Filho
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Advogado : Helio Veiga Peixoto dos Santos (OAB: 16332/BA)
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 7ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
sendo credor Artur Galliza Filho e devedor o Estado da Bahia, inserido no procedimento
de acordo, previsto pelo Edital nª 11/2016, prorrogado pelo Edital nº 01/2018 - 20º Lugar
do 2º Lote. Com a prorrogação promovida pelo Edital nº 01/2018, o advogado Henrique
Heine Trindade Carmo requereu a sua adesão ao Certame (fls. 329/330). Analisando os
autos, verifica-se que a adesão do advogado Henrique Heine Trindade Carmo não pode
ser acolhida, vez que neste precatório foram suprimidos os créditos decorrentes de
honorários, conforme ofício retificador de fls. 282, razão pela qual EXCLUO o advogado
citado deste procedimento de acordo. PROMOVA a Secretaria as devidas anotações na
lista de habilitados deste Certame. Desta forma, aguarde-se, em escaninho próprio, o
pagamento, observada a ordem cronológica. Publique-se. Intime(m)-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005669-68.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Geraldo Pereira Saldanha
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Henrique Heine Trindade Carmo (OAB: 10709/BA)
Advogado : Julio Cesar de Sá da Rocha (OAB: 11589/BA)
Advogado : Marcus Menezes Barberino Mendes (OAB: 12424/BA)
Advogado : Anisio Pinheiro de Jesus (OAB: 7650/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Caio Druso de Castro Penalva Vita (OAB: 14133/BA)
Advogado : Helio Veiga Peixoto dos Santos (OAB: 16332/BA)
Vistos, etc. Renove-se a intimação para que a parte, através de seu advogado, traga aos
autos documento comprobatório do falecimento da parte credora, com a finalidade do
devido cumprimento do despacho de fls. 288, no prazo de 30 (trinta) dias. Intime-se.
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo do Pleno deste Tribunal de Justiça, sendo
credor Geraldo Pereira Saldanha e devedor o Estado da Bahia, inserido no procedimento
de acordo, previsto no Edital nº 11/2016, prorrogado pelo Edital nº 01/2018 - 18º Lugar
do 2º Lote. Com a prorrogação promovida pelo Edital nº 14/2017, o Espólio do credor
requereu a sua adesão, juntando escritura pública de inventário e autorização dos
herdeiros para participar do procedimento de acordo (fls. 332/346). Após, sob a égide do
Edital nº 01/2018, foi requerida a adesão do advogado Henrique Heine Trindade Carmo
(fls. 348/349). Analisando os autos, verifica-se que a adesão do advogado Henrique
Heine Trindade Carmo não pode ser acolhida, vez que neste precatório foram suprimidos
os créditos decorrentes de honorários, conforme ofício retificador de fls. 264, razão pela
qual EXCLUO o advogado citado deste procedimento de acordo. PROMOVA a
Secretaria as devidas anotações na lista de habilitados deste Certame. INTIME-SE o
advogado do Espólio para juntar partilha particular, no prazo de 5 (cinco) dias,
informando como será promovida a divisão dos valores devidos neste precatório,
considerando-se que no inventário extrajudicial não houve partilha, já que as partes
renunciaram em favor do Monte (fls. 335/342). Após, considerando-se apenas a
habilitação do Espólio credor, REMETAM-SE os autos ao Setor de Cálculos para os
registros necessários, bem assim atualização do crédito com observância do percentual
de 40% de deságio dos aderentes, abatendo-se a preferência, acaso recebida, montante
que deve ser disponibilizado no Sistema para a ciência. Em seguida, INTIME-SE o
Estado da Bahia, para, em 5 dias, dizer se concorda com o valor a ser pago no
mencionado Certame. Com o retorno, voltem conclusos para as providências cabíveis.
Publique-se. Intime(m)-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0001084-94.2018.8.05.0000Precatório
Credor : José Raimundo Farias Ferreira
Advogado : Robertto Lemos e Correia (OAB: 7672/BA)
Devedor : Estado da Bahia
Procurador : Ayrton Bittencourt Lobo Neto
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo da 5ª Vara da Fazenda Pública desta Comarca,
sendo credor José Raimundo Farias Ferreira e devedor o Estado da Bahia, com benefício
preferencial deferido às fls. 102/103, pendente de pagamento. Vieram-me os autos
conclusos para conferência e assinatura dos alvarás expedidos, ocasião em que pude
constatar que houve uma retificação no cálculo deste precatório, conforme certidão
retificadora expedida às fls. 104, memória e planilha de cálculo, disponibilizadas às fls.
105/107. Consoante documentos retromencionados, verifica-se, da análise do quanto
requisitado, a incidência do índice de poupança (TR+0,5%), ao invés somente da TR.
Assim, após promover os devidos ajustes, nos termos supracitados, com aplicação da TR
(de 01/12/11 até 31/08/18), foi apurado, como devido, o valor total de R$ 962.958,30
(novecentos e sessenta e dois mil, novecentos e cinquenta e oito reais e trinta centavos),
sendo utilizados, para efeitos de correção monetária, os indexadores INPC/IBGE, TR e
IPCA-E, tudo com incidência de juros de mora de 0,5% a.m. nos mesmos períodos e
observada a graça constitucional. Diante do exposto, RATIFICO os cálculos
retificadores elaborados por este NACP, já que em consonância com os requisitos legais,
devendo, todavia, ser as partes intimadas, para, querendo, apresentarem manifestação,
no prazo comum de 10 (dez) dias. Havendo manifestação dentro do prazo, voltem-me os
autos conclusos para as providências cabíveis. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
NACP – Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios
PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES MONOCRÁTICAS

0005663-61.2013.8.05.0000Precatório
Credor : Idalice Almeida da Silva
Advogada : Evelin Dias Carvalho de Magalhães (OAB: 18624/BA)
Advogado : Leonardo Pereira de Matos (OAB: 22198/BA)
Advogado : Pedro de Azevedo Souza Filho (OAB: 3231/BA)
Advogado : Henrique Heine Trindade Carmo (OAB: 10709/BA)
Advogado : Julio Cesar de Sá da Rocha (OAB: 11589/BA)
Advogado : Marcus Menezes Barberino Mendes (OAB: 12424/BA)
Advogado : Anisio Pinheiro de Jesus (OAB: 7650/BA)
Advogado : Jose Leite Saraiva Filho (OAB: 8242/DF)
Devedor : Estado da Bahia
Proc. Estado : Ayrton Bittencourt
Vistos, etc. Trata-se de precatório oriundo do Pleno deste Tribunal de Justiça, sendo
credora Idalice Almeida da Silva e devedor o Estado da Bahia, inserido no procedimento
de acordo, previsto no Edital nº 11/2016, prorrogado pelo Edital nº 01/2018 - 17º Lugar
do 2º Lote. Com a prorrogação promovida pelo Edital nº 01/2018, a credora e o advogado
Henrique Heine Trindade Carmo requereram as suas adesões (fls. 312/315). Analisando
os autos, verifica-se que a adesão do advogado Henrique Heine Trindade Carmo não
pode ser acolhida, vez que neste precatório foram suprimidos os créditos decorrentes de
honorários, conforme ofício retificador de fls. 263, razão pela qual EXCLUO o advogado
citado deste procedimento de acordo. PROMOVA a Secretaria as devidas anotações na
lista de habilitados deste Certame. Considerando-se apenas a habilitação da credora,
REMETAM-SE os autos ao Setor de Cálculos para os registros necessários, bem assim
atualização do crédito com observância do percentual de 40% de deságio dos aderentes,
abatendo-se a preferência, acaso recebida, montante que deve ser disponibilizado no
Sistema para a ciência. Em seguida, INTIME-SE o Estado da Bahia, para, em 5 dias,
dizer se concorda com o valor a ser pago no mencionado Certame. Com o retorno, voltem
conclusos para as providências cabíveis. Publique-se. Intime(m)-se.

Salvador, 16 de outubro de 2018


José Reginaldo Costa Rodrigues Nogueira
Juiz Assessor do NACP

Precatório nº : 0001084-94.2018.8.05.0000

Credor: José Raimundo Farias Ferreira

Advogado: Robertto Lemos e Correia - OAB 7672/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1992/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 11 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0013117-05.2007.8.05.0000

Credor: Espólio de Amilcar Olympio Telles de Azevedo


Advogado: Aristoteles Antonio dos Santos Moreira, Herminalvo Emanuel Monteiro
de Lima, Maurício Silvestre de Faria, Rita de Cassia Ferreira Moreira, Sergio Araujo
Azevedo - OAB 9216/BA13695/BA7112/BA11323/BA35811/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica intimado o beneficiário HELIO SERGIO VARJÃO DE AZEVEDO, para


comparecer - munido de documento de identificação - na sede deste Núcleo de
Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do Tribunal de Justiça da Bahia), com o
intuito de recebimento do ALVARÁ de pagamento nº 2021/2018.

Ressalte-se que o seu alvará poderá ser entregue ao seu advogado e sua apresentação
ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à compensação do
montante no devido prazo.

Salvador, 16 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0008052-77.2017.8.05.0000

Credor: Marialva Silva de Faria

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO
Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de
identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1113/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0014915-49.2017.8.05.0000

Credor: Maria Bispo dos Santos

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia


ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1155/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0014942-32.2017.8.05.0000

Credor: Milton Senna de Carvalho

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO
Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de
identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1599/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0022473-09.2016.8.05.0000

Credor: Mauricio Fainstein

Advogado: Pedro de Azevedo Souza Filho, Leonardo Pereira de Matos, Henrique


Heine Trindade Carmo, Evelin Dias Carvalho de Magalhães - OAB
3231/BA22198/BA10709/BA18624/BA

Devedor: Estado da Bahia


ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 993/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0014907-72.2017.8.05.0000

Credor: Marcelo Penna Pedreira de Freitas

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO
Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de
identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1595/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015798-93.2017.8.05.0000

Credor: Manoelita de Campos Vieira

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia


ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1661/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0013450-05.2017.8.05.0000

Credor: Marilza Antônia de Jesus Ribeiro

Advogado: Alessandra Sales Lopes Figueiredo - OAB 12940/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO
Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de
identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1473/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0008976-88.2017.8.05.0000

Credor: Bertolino Rodriges de Souza

Advogado: Anisio Pinheiro de Jesus, Arx da Costa Tourinho, Evelin Dias Carvalho
de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo, Jose Leite Saraiva Filho, Leonardo
Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho, Washington Bolivar de Brito -
OAB 7650/BA3297/BA18624/BA10709/BA8242/DF22198/BA3231/BA156/DF

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO
Ficam os beneficiários abaixo indicados intimados, para comparecerem - munidos de
documento de identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do
Prédio Anexo do Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento dos
respectivos ALVARÁS de pagamento:

BERTOLINO RODRIGUES DE SOUZA (alvará nº 1190/2018)

JOSÉ SARAIVA ADVS ASSOCIADOS (alvará nº 1191/2018)

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015809-25.2017.8.05.0000

Credor: Inah Bieca de Oliveira Costa

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade


Carmo, Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1664/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015488-87.2017.8.05.0000

Credor: Marilene Santos Rodrigues

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade


Carmo, Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1618/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015806-70.2017.8.05.0000

Credor: Cleuza Catarina Magalhães Cerqueira

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade


Carmo, Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1663/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0013883-09.2017.8.05.0000

Credor: Almar Macedo Santos

Advogado: Anisio Pinheiro de Jesus, Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique


Heine Trindade Carmo, Jose Leite Saraiva Filho, Julio Cesar de Sá da Rocha,
Leonardo Pereira de Matos, Marcus Menezes Barberino Mendes, Pedro de Azevedo
Souza Filho, Washington Bolivar de Brito - OAB
7650/BA18624/BA10709/BA8242/DF11589/BA22198/BA12424/BA3231/BA156/D
F

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Ficam os beneficiários abaixo indicados intimados, para comparecerem - munidos de


documento de identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do
Prédio Anexo do Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento dos
respectivos ALVARÁS de pagamento:

ALMAR MACEDO SANTOS (alvará nº 1479/2018)


JOSÉ SARAIVA ADVS ASSOCIADOS (alvará nº 1480/2018)

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015500-04.2017.8.05.0000

Credor: Celia Teixeira dos Santos

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1619/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0016413-83.2017.8.05.0000

Credor: Secundina Maria Andrade Netto

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1674/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0016499-54.2017.8.05.0000

Credor: Ozilda dos Santos

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1693/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015327-77.2017.8.05.0000

Credor: Edy Oliveira Valois Coutinho

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1615/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015515-70.2017.8.05.0000

Credor: Naly Mello Blandy Motta

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1625/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0014484-15.2017.8.05.0000

Credor: Astenio Guimarães Silva

Advogado: Anisio Pinheiro de Jesus, Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique


Heine Trindade Carmo, Jose Leite Saraiva Filho, Julio Cesar de Sá da Rocha,
Leonardo Pereira de Matos, Marcus Menezes Barberino Mendes, Pedro de Azevedo
Souza Filho, Washington Bolivar de Brito - OAB
7650/BA18624/BA10709/BA8242/DF11589/BA22198/BA12424/BA3231/BA156/D
F

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Ficam os beneficiários abaixo indicados intimados, para comparecerem - munidos de


documento de identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do
Prédio Anexo do Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento dos
respectivos ALVARÁS de pagamento:

ASTENIO GUIMARÃES SILVA (alvará nº 1562/2018)

JOSÉ SARAIVA ADVS ASSOCIADOS (alvará nº 1563/2018)

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015542-53.2017.8.05.0000

Credor: Salvador Queiroz Gomes Barbosa

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1634/2018.
Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0010597-23.2017.8.05.0000

Credor: Celia Teixeira dos Santos

Advogado: Anisio Pinheiro de Jesus, Arx da Costa Tourinho, Evelin Dias Carvalho
de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo, Jose Leite Saraiva Filho, Leonardo
Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho, Washington Bolivar de Brito -
OAB 7650/BA3297/BA18624/BA10709/BA8242/DF22198/BA3231/BA156/DF

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Ficam os beneficiários abaixo indicados intimados, para comparecerem - munidos de


documento de identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do
Prédio Anexo do Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento dos
respectivos ALVARÁS de pagamento:

CELIA TEIXEIRA DOS SANTOS (alvará nº 1370/2018)


JOSÉ SARAIVA ADVS ASSOCIADOS (alvará nº 1371/2018)

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.

Salvador, 11 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios

Precatório nº : 0015089-58.2017.8.05.0000

Credor: Aldemiro Silva Fonseca

Advogado: Evelin Dias Carvalho de Magalhães, Henrique Heine Trindade Carmo,


Leonardo Pereira de Matos, Pedro de Azevedo Souza Filho - OAB
18624/BA10709/BA22198/BA3231/BA

Devedor: Estado da Bahia

ATO ORDINATÓRIO

Fica o(a) credor(a) intimado(a), para comparecer - munido(a) de documento de


identificação - na sede deste Núcleo de Precatórios (sala 113, do Prédio Anexo do
Tribunal de Justiça da Bahia), com o intuito de recebimento do ALVARÁ de
pagamento nº 1603/2018.

Ressalte-se que o alvará da parte credora poderá ser entregue ao seu advogado e sua
apresentação ocorrerá em qualquer agência do Banco do Brasil, que procederá à
compensação do montante no devido prazo.
Salvador, 10 de outubro de 2018.

Marks Sena Ferreira- Coordenador-NACP

Núcleo Auxiliar de Conciliação de Precatórios