Você está na página 1de 22

Aula 10 – Pronomes:

relativos, indefinidos e
interrogativos
Professor Guga Valente
Na frase do escritor
brasileiro Monteiro
Lobato, a palavra quem é
usada em quatro orações
e, em cada uma delas, ela
faz uma referência a uma
pessoa ou a qualquer
pessoa. A pessoa que mal
lê, mal ouve, mal fala, mal
vê. Por se tratar de uma
pessoa ou qualquer
pessoa, a palavra quem é
classificada como um
pronome indefinido.
Pronomes indefinidos
Referem-se às 3ªs pessoas do discurso, de modo impreciso ou
indeterminado.
Exs.:
Alguém me chamou aqui?
Não aconteceu nada com ela, apesar do susto.
Algum filho de deus pode esclarecer essa situação?
Enquanto um fala, outros devem fazer silêncio.
VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
Pronomes com valor substantivo
• Pronomes nenhum, algum, todo, outro, muito, pouco, vário, tanto e
quanto e suas respectivas flexões, podem assumir valor substantivo
ou adjetivo
Ex.: Alguns obedeceram às regras sem questionar, outros fizeram
questão do enfrentamento.
• Os pronomes alguém, algo, ninguém, nada, quem, outrem e tudo
sempre exercem valor substantivo.
Ex.: Alguém me disse que você não apareceria.
Pronomes indefinidos
• Certo (e as respectivas flexões), quando
anteposto ao substantivo, terá valor de pronome
indefinido; quando posposto, será classificado
como adjetivo.

Ex.: Certo dia, eu saí com uma garota por um


aplicativo de celular. Depois de meses, descobri
que ele não era a garota certa.
• Qualquer (e suas respectivas flexões) e cada só devem ser
empregados com valor adjetivo. Cada pode anteceder
substantivo, numeral ou compor as locuções pronominais
indefinidas cada um e cada qual.

Ex.: É como diz a Bruna: “cada qual com seu cada qual”
Qualquer pessoa pode se inscrever no ENEM.

Obs.: O pronome qualquer, quando precedido pelo artigo


indefinido um ou uma, assume um valor substantivo de
sentido pejorativo.
Ex.: Ela acabou me largando para ficar com um qualquer.
• Algum terá valor positivo, quando anteposto ao substantivo; quando
posposto, terá valor negativo (mais enfático que o pronome
nenhum).

Ex.: Algum filme deve te fazer pensar.


Filme algum deve te fazer pensar.

• Tudo, normalmente, exerce valor substantivo, entretanto pode


assumir valor adjetivo quando antecede pronomes demonstrativos.

Ex.: Tudo corria bem até aquele momento.


Tudo aquilo que expressava na dança, acabou em galo na cabeça.
• Todo e toda, quando seguidos de artigo, significam inteiro(s) ou
completo(s); quando desacompanhados de artigo, ou de outro
determinante, denotam qualquer ou cada. No plural, todo e toda devem
vir acompanhados de artigo ou de outro determinante.

Ex.: Farei show em todo o final de semana (no final de semana inteiro)
Farei show em todo final de semana (em cada final de semana)
Em todos os finais de semana eu farei show.

• Nada apresenta valor semântico negativo, mas, em frases interrogativas


negativas, assume valor positivo.

Ex.: Nada que e disser vai resolver.


Você não vai reclamar de nada?
Os conjuntos de palavras de significado equivalente a
pronomes indefinidos são chamados de locuções pronominais
indefinidas (cada qual, todo aquele que, seja quem for, tal
qual)

Ex.:
Qualquer um que entrar naquela casa, estará condenado.
Seja quem for, não deixe entrar mais ninguém!
Pronomes relativos
Os pronomes relativos fazem referência a um elemento já
mencionado no texto (termo antecedente), substituindo-o e
projetando-o na oração seguinte, para que se evitem
repetições. Tais pronomes são, pois importantes recursos de
coesão textual.

Ex.: Eu entendo francês. O francês é a língua mais bonita que


eu já vi. Eu entendo francês que é a língua mais bonita que
eu já vi.
Pronomes relativos
Pronomes relativos
• Que é o pronome relativo de emprego mais frequente e pode referir-
se a pessoas ou a objetos.

Ex.: A pessoa que lê melhor, interpreta mais textos.


função anafórica

• Ele pode ter como antecedente os pronomes o(s) e a(s), empregados


como pronomes demonstrativos.
Ex.: Não entendi o que disse
Pronomes relativos
• Quem se refere a pessoas e deve vir antecedido de preposição
quando o antecedente estiver explícito.

Ex.: Esta é a pessoa a quem amo incondicionalmente.

• O qual (e suas flexões) pode referir-se a pessoas ou a objetos e deve


ser empregado depois de preposições de duas ou mais sílabas ou
para substituir o pronome que, quando empregado abusivamente.

Ex.: Esta é a música sobre a qual lhe falei ontem.


Pronomes relativos
O pronome relativo cujo (e suas flexões) indica posse e concorda em gênero e número com
o objeto possuído; logo, terá valor adjetivo. Não se emprega artigo depois de cujo (e
variações).

Ex.: Ontem fui à casa cuja dona está pondo à venda.

O pronome relativo onde indica lugar, apenas lugar, nada mais que lugar e apresenta
significado equivalente a lugar em que ou no qual. Pode aparecer combinado com as
preposições a (aonde) e de (donde).

Ex.: Onde deixei meu celular?


Eu sou adulto, vou aonde eu quiser.
A letra donde eu tirei esse trecho é do Cranberries.
Pronomes relativos
Os pronomes relativos podem vir precedidos de preposição, de acordo
coma regência dos verbos da oração.
Ex.: A praia onde passei o carnaval é maravilhosa (passar em algum
lugar/ na praia)

A praia aonde irei em julho já não é tão boa (ir a algum lugar/ à praia)

A praia donde vim agora estava com o mar ressaqueado. (vir de algum
lugar/ da praia)
Pronomes relativos
O pronome
relativo quanto
(e flexões) faz
O homem
referência
pessoas ou a
a prudente
objetos e pode
ser antecedido
não diz
pelos pronomes tudo
indefinidos
tudo, todo(s), quanto
toda(s) e tanto.
pensa, mas
pensa tudo
Pronomes interrogativos
O pronome interrogativo é empregado com valor substantivo ou adjetivo, em
frases interrogativas, diretas ou indiretas, e, ainda, em frases exclamativas.
Ex.:
Quem fez isso?
Gostaria que me dissesse quem fez isso.
Que susto!
Pronomes interrogativos
• Para efeito de ênfase, o pronome interrogativo que pode aparecer antecedido por o.
Ex.: O que está acontecendo nesta sala?
• O pronome qual(is) denota seleção ou preferência e, geralmente é empregado com valor
adjetivo.
Ex.: De quais livros você precisa?
• Quanto (e variações) refere-se a pessoas ou a objetos e pode exercer valor substantivo
ou adjetivo.
Ex.: Quantos já chegaram?
Quantos apartamentos há neste andar?
• Os pronomes interrogativos podem ser reforçados pela expressão é que ou, ainda,
simplesmente pelo que, ocorrências muito frequentes na linguagem coloquial.
Ex.: Que que você faz aqui a uma hora dessas?
Quem é que trouxe essa notícia triste?