Você está na página 1de 2

CIEP - 426

ALUNO: Nº:
DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR: DERMEVAL
ANO ESCOLAR: 1º TURMA: DATA: NOTA:

Avaliação de Filosofia
1. A natureza humana pode ser entendida da seguinte forma:
a) Capacidade humana de interação com a natureza.
b) Aspectos gerais que determinam o gênero humano.
c) Intervenções da natureza que interferem na vida social humana.
d) Fatores necessariamente biológicos que permitem estabelecer uma relação entre homens e os outros
animais da natureza.
e) Intervenção humana promovida na natureza.

2. (PITÁGORAS) Leia o texto a seguir que faz parte do artigo “O menino selvagem e as invariantes do humano”,
publicado na revista virtual “P@rtes”, de autoria de José Carlos Rocha e Gilberto da Silva:
Em meados do século dezenove, em Paris, o jovem médico Jean-Jacques Gaspar Itard dá com um
aglomerado de pessoas observando na rua um menino enjaulado a quem chamavam de menino-macaco.
Com autorização judicial, o médico o conduz à residência, onde tratará de educá-lo, tornando-o objeto de
investigações científicas.

Aparentando seis a oito anos de idade, surdo e mudo, com posturas próximas do animalesco, o
menino que fora capturado no mato, onde teria sido abandonado ainda recém-nascido, quase nada
aprenderá. Itard observará meticulosamente o menino durante três anos, período que o teve de
sobrevida em ambiente social. Entre as letras do alfabeto fonético, o menino aprendeu apenas a
pronunciar o “ô”, derivando daí o nome Victor e o sobrenome d’Aveyron, região onde fora
capturado. Durante este período o máximo de imagens que Victor conseguiu reconhecer foi o
desenho de uma garrafa de leite no quadro negro.
Fonte: Disponível em:
http://www.partes.com.br/colunistas/gilbertosilva/meninoselvagem.asp.Acesso: 28/09/2011
Com base na análise do texto, é correto afirmar que

a) a dificuldade do menino em aprender estava diretamente ligada ao processo primário de desenvolvimento


das instituições responsáveis pela socialização.
b) a tentativa de se educar o menino foi mal sucedida pela ausência de técnicas desenvolvidas de aculturação
dos indivíduos.
c) as tentativas de se educar o menino para uma vida social completa foram falhas por se tratarem de métodos
científicos, sendo desconsiderados os métodos sociais.
d) o menino descrito no texto estava fora dos processos culturais e de socialização comuns a todos os
indivíduos quando foi encontrado e capturado.
e) o menino recusou ser educado pelo médico por acreditar ser desnecessário para sua vida a educação nos
padrões vigentes na França naquele período.

3. (PITÁGORAS) Leia o fragmento do texto a seguir.


NATUREZA E CULTURA - DIFERENÇAS ENTRE O HOMEM E O ANIMAL - de Marco Maluf
O fato de o homem ser dotado da criação simbólica o diferencia dos outros animais fazendo com que o ser
humano se torne um ser histórico, um ser que constrói a sua própria história, ao contrário dos outros animais
que não possuem história.
O homem vive num contínuo processo de criação de valores, ou seja, forma ideias sobre o que é o certo ou o que
é o errado, noções ou conceitos como o de justiça, por exemplo. Portanto, o homem é consciente dos seus
próprios atos e, por isso, é responsável por eles.
Os animais vivem em meio à natureza e se misturam com ela, vivem o instante presente. O ser humano, através
do trabalho, transforma a natureza e cria a cultura. A cultura se encontra acumulada nas ciências, nas artes, nas
religiões, etc., que são a grande produção da humanidade. A filosofia é também um produto do conhecimento
humano e fornece as bases da civilização ocidental.
De acordo com o texto percebe-se o que diferencia o ser humano dos outros animais. Com base no texto, podemos
entender que a diversidade cultural
(A) altera os valores das sociedades provocando diversos conflitos entre os indivíduos, afastando-os, assim, da
natureza humana.
(B) atenta contra uma cultura globalizada, impedindo o desenvolvimento da sociedade ao torná-la múltipla.
(C) busca distinguir cada indivíduo, aproximando-os do estado de natureza onde inexistia uma sociedade organizada.
(D) constrói uma barreira entre as diferentes sociedades com sua multiplicidade de signos e valores, dificultando a
relação entre os indivíduos.
(E) contribui para a criação de diferentes signos, símbolos e valores que representam os indivíduos mais intimamente.

4. A recuperação da herança cultural africana deve levar em conta o que é próprio do processo cultural: seu
movimento, pluralidade e complexidade. Não se trata, portanto, do resgate ingênuo do passado nem do seu cultivo
nostálgico, mas de procurar perceber o próprio rosto cultural brasileiro. O que se quer é captar seu movimento para
melhor compreendê-lo historicamente.
(MINAS GERAIS. Cadernos do Arquivo 1: Escravidão em Minas Gerais. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro,
1988.)
Com base no texto, a análise de manifestações culturais de origem africana, como a capoeira ou o candomblé, deve
considerar que elas
a) permanecem como reprodução dos valores e costumes africanos.
b) perderam a relação com o seu passado histórico.
c) derivam da interação entre valores africanos e a experiência histórica brasileira.
d) contribuem para o distanciamento cultural entre negros e brancos no Brasil atual.
e) demonstram a maior complexidade cultural dos africanos em relação aos europeus.

5. Aos símbolos e aos signos que fundamentam a ação humana é dado o nome de cultura. Nesse sentido, podemos
fala r que cultura engloba formas de linguagem, pensamentos, modos de agir, os costumes, as instituições, enfim,
todas as esferas da atividade humana. Ela é o "cimento" que dá unidade a certo grupo de pessoas que dividem as
mesmas ações, costumes e valore s. Deste ponto de vista, portanto, podemos dizer que tudo o que faz parte do mundo
humano é cultura, ou seja, a cultura surge das relações que os seres humanos estabelecem entre si e com o meio em
que vive, em busca deformas de sobre viver. Podemos falar que a cultura tem uma relação tão intrínseca ao homem
que se pode chegar a afirmar que não existe ser humano sem cultura. O homem é produto e produtor da cultura.
Afinal, o que é cultura?
a) Cultura é a formação acadêmica do homem.
b) Cultura é a forma educada d e comportamento do homem em suas relações.
c) É o conjunto de práticas, comportamentos, ações e instituições pelas quais os humanos se relacionam entre si e
com a natureza e dela se distinguem, agindo sobre ela ou a través dela, modificando-a.
d) É a polidez no trato para com as pessoas.
e) É a forma de integração entre iguais.

6. Por que se considera a cultura como possuidora de um carater social?

a) Porque é a partir da cultura das manifestações individuais em público.


b) Porque não há cultura produzida por um individuo isoladamente. Para que haja a produção da cultura, é essencial
o engajamento dos indivíduos no grupo, na coletividade.
c) O caráter social da cultura é manifestados nas medições isoladas do sujeito.
d) Porque toda cultura precisa fazer parte de um projeto social.
e) A cultura é a forma de manifestação de vários grupos isolados entre si.