Você está na página 1de 64

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

CURSO DE MEDICINA
PROFESSORA FRANCIELE BASSO F. SILVA
O que é crescimento celular?

O que é diferenciação celular?

 Como podem ocorrer distúrbios celulares


nessas condições (crescimento e
diferenciação)?
 Crescimento: multiplicação celular
Indispensável ao desenvolvimento normal do organismo e
necessário para reposição de células que morrem pelo
processo normal de envelhecimento.

 Diferenciação:
Refere-se a especialização morfológica e funcional das
células.
 Quando ocorre algum distúrbio no
organismo:

• Adaptação para “escapar” das lesões.

• Alterações dos sistemas regulatórios


 Equilíbrio entre proliferação e diferenciação celular:

• comunicação intercelular (como?)


• expressão equilibrada

 Proto-oncogenes - Genes da proliferação celular


 Genes Supressores de tumores – Genes de controle de
qualidade do ciclo celular e indutores de apoptose
 Genes de Reparo ao DNA – Genes indutores de reparo no
genoma alterado
 Do ponto de vista replicativo, as células podem ser
agrupadas em três categorias:

Quais?

 1) Células lábeis: são aquelas que estão


constantemente se renovando, para substituir células.
Ex: células da epiderme e hematopoiética.
 2) Células estáveis: têm baixo índice mitótico, mas
podem proliferar quando estimuladas. Ex: fígado,
pâncreas, fibroblasto, endotélio.
 3) Células permanentes: são células que atingiram o
estágio final de diferenciação e não se dividem após o
nascimento. Ex: neurônios.
 Sinais
externos: fatores de crescimento
 Sinais
de dano: ameaçam a estabilidade do
genoma
 Pontos de restrição ou checagem do ciclo
celular
• Continuidade ou bloqueio
• G1/S OK S e G2
• G2 (G2/M): Duplicação do DNA e espera pela
mitose
Crescimento/proliferação e
diferenciação celular

O QUE É ISSO?
1. Alterações do volume celular:

 Hipertrofia

 Hipotrofia/Atrofia
Nutrição -
anabolismo

Nutrição - catabolismo
2. Alterações da taxa de divisão celular:

 Hiperplasia

 Hipoplasia
3. Alteração da diferenciação celular:

• Metaplasia:
• Transformação de um tecido já diferenciado em
outro diferente (mais resistente ao ambiente
adverso), mas de mesma origem embrionária .
4. Alteração do crescimento e da diferenciação
celular:

• NEOPLASIA - proliferação autônoma com perda


da diferenciação
Vamos
falar de
cada
alteração?
 Aumento quantitativo dos constituintes e das funções
celulares
• tamanho aumentado das células é devido à síntese de mais
componentes estruturais das células.
• Desencadeada por agente que estimulam funções específicas
da célula: estimulação de hormônios e fatores de
crescimento

 Aumento volumétrico das células e dos órgãos


atingidos

 Adaptação a sobrecarga de trabalho:


• Fisiológica: musculatura, útero grávido
• Patológica: miocárdio sob aumento da pressão arterial,
musculatura vesical na obstrução uretral
 Exigências:

-  do fornecimento de O2 e de nutrientes,

- Integridade (organelas e sist. enzimáticos)

- Inervação preservada
 Tecidos e órgãos afetados :
 de volume e de peso
arquitetura básica inalterada
 do fluxo de sangue

 Processo reversível
Para sempre?
O que ocorre se o estímulo persistir ou se houver
aumento de intensidade do estímulo?

a) hiperplasia (se a célula possuir capacidade


reprodutiva)

b) degenerações e morte celular


 Redução quantitativa dos componentes
estruturais e das funções celulares:
• diminuição do volume das células e do órgão
atingido.

 Mecanismo básico: redução do anabolismo


celular.

 Pode ser fisiológica ou patológica.


 Senilidade

 Útero após o parto.

 Glândulas
mamárias e endométrio na
menopausa
Inanição. Ex: deficiência nutricional

Desuso. Ex: músculos esqueléticos

Compressão. Ex: tumores


 Obstrução vascular

 Substâncias
tóxicas que bloqueiam enzimas e
a produção de energia (chumbo)

 Perda de inervação. Ex: paraplégico


 Consiste
no aumento do número de células
de um órgão ou parte dele
• por aumento da proliferação celular mas com
diferenciação normal.

 Sóocorre em órgãos que contém células


lábeis ou estáveis.

 Órgão fica aumentado de volume e peso.


 Adaptação a sobrecarga de trabalho.

 Podeocorrer concomitantemente com a


hipertrofia.
 Exigências:

-  do fornecimento de O2 e de nutrientes,
- Integridade (organelas e sist. enzimáticos)
- Inervação preservada
 Diferença entre hiperplasia e neoplasia

 Controle do crescimento celular


 Reversibilidade
 Agente estimulador

Hiperplasia patológica constitui um solo fértil no


qual a proliferação cancerosa pode surgir
posteriormente.
 Hiperplasiacompensadora:
• aumenta a massa de tecido após lesão ou
ressecção parcial. Ex:
• Fígado (hepatectomia)
• Rim (após nefrectomia)

 Hiperplasiahormonal:
• aumenta a capacidade funcional de um tecido,
quando necessário. Ex:
• Útero na gravidez
• Mama na puberdade e lactação
 Hiperplasia
inflamatória: produção de células
para recuperar a estrutura do tecido. Epitélio e
conjuntivo

 Regeneração hiperplásica dos hepatócitos: cirrose

 Hiperplasia do epitélio escamoso:


HPV
Condiloma acuminado
Verruga vulgar
Papiloma oral
 Diminuição da população celular de um
tecido, órgão ou parte dele.

A região afetada é menor e menos pesada


do que o normal.

 Conserva o padrão arquitetural básico


 Embriogênese: defeito durante a formação do
órgão ou parte dele

Hipoplasia renal
Hipoplasia pulmonar

Hipoplasia do esmalte
 Após o nascimento :

Fisiológica:
 Involução do timo

 Involução das gônadas no climatério


• Patológica
 Hipoplasia dos órgãos linfóides na AIDS em
conseqüência da destruição de linfócitos devido ao
uso de corticoides
 Hipoplasia do esmalte (trauma, flúor, tetraciclina)
 Hipoplasia do maxilar- mordida cruzada
 Hipoplasia da medula óssea provocada por
agentes tóxicos ou infecções (anemia hipoplásica)
 Causas:genética e ambiental (drogas, vírus,
bactérias, radiações, substâncias químicas).
 Mudança de um tipo de tecido adulto (diferenciado) em
outro da mesma linhagem. (epitelial  outro tipo de epitelial,
mas não para um mesenquimal).

 É o resultado de irritações persistentes que acabam levando


ao surgimento de um tecido mais resistente.

 Substituição adaptativa reversível que só ocorre em tecidos


renováveis.

 Etiologia: agressões mecânicas: próteses, calor, alimentos


quentes, inflamações crônicas , agentes químicos : fumo, suco
gástrico
 Metaplasia Escamosa

 Epitélio
simples pseudoestratificado colunar ciliado
EM epitélio estratificado pavimentoso
• fumantes crônicos e broncopneumonias parasitárias,
• das vias genitais (infecções, traumatismos)
Trato respiratório

Epitélio simples
pseudoestratificado
colunar ciliado EM
epitélio
estratificado
pavimentoso
 Metaplasia escamosa do colo uterino

• Substituição do epitélio glandular endocervical por


células de reserva subcolunares, que se
diferenciam em epitélio escamoso (maduro ou
imaturo).
 Metaplasia
escamosa do
colo uterino
 Metaplasia
escamosa do colo
uterino
 Esôfago de Barret

• Substituição do epitélio estratificado pavimentoso


(escamoso) por epitélio colunar especializado com
células caliciformes
• Expresso como metaplasia intestinal.
M
E
T
A
P
L
A
S
I
A
 Epitélio glandular secretor em epitélio escamoso
queratinizado

• Deficiência de vitamina A (xeroftalmia, cegueira)


• Calor (líquidos quentes)
• Irritação química (fumo)
• Agressão mecânica repetida (prótese mal ajustada)