Você está na página 1de 7
DISCIPLINA: Avaliação Proficiência_Pedagogia QUESTÃO 1 Para estudar a história, a historiografia opera com uma
DISCIPLINA: Avaliação Proficiência_Pedagogia QUESTÃO 1 Para estudar a história, a historiografia opera com uma

DISCIPLINA: Avaliação Proficiência_Pedagogia

QUESTÃO 1

Para estudar a história, a historiografia opera com uma

divisão no tempo, feita com base em marcos que sinalizam rupturas significativas com um modo anterior de vida. Esses marcos podem ser de cunho político, econômico, cultural, educacional, entre outros. Enfim, o tempo pode ser recordado sob perspectivas diferentes. O campo da educação, em virtude das influências vindas da história política e econômica, tem tradicionalmente feito seu recorte temporal por esses vieses. Entretanto, na atualidade, há a tendência de se buscar referências no campo específico da educação, encontrar, no campo educacional, marcos que sinalizam uma mudança e ou ruptura com a educação que vinha se desenvolvendo anteriormente É importante levar em conta que os marcos cronológicos servem para orientar o que se considera como mais expressivo, os contornos mais explícitos de algo que poderia se apresentar de forma mais tímida em um momento anterior ou permanecer de forma menos expressiva em um momento posterior. Isso significa que os marcos não podem ser considerados de forma “dura” e “exata”, mas sempre flexíveis.

Sobre os fundamentos históricos da educação, considerando os contextos econômico e político da

sociedade, para uma percepção crítica das relações entre

a educação e esses contextos no Brasil, analise as afirmativas a seguir.

I. A educação no período colonial esteve a cargo, não de forma exclusiva, mas hegemônica, dos padres e irmãos da Companhia de Jesus, durante os anos de 1549 a 1759, ou

seja,

desde o ano da chegada dos primeiros jesuítas no

Brasil

até sua expulsão pelo Marquês de Pombal. Durante

esse

tempo, os cristãos, portugueses ou não, os índios e

os negros tiveram em sua educação a marca dos jesuítas.

II. A educação brasileira na segunda metade do século

XVIII na colônia brasileira, no campo do ensino, apenas

foram estabelecidas as reformas relativas aos estudos menores. Os filhos das famílias abastadas teriam de completar a instrução de nível superior em Portugal, onde receberiam as influências da mentalidade predominante, reproduzindo os ideais da monarquia e da Igreja. III. O século XIX almejava alcançar com a campanha pela universalização da escola primária e a consequente organização dos sistemas nacionais de ensino.

IV. A Primeira República é assinalada, também, pela propagação do pensamento renovador da educação. Desde a segunda metade do século XIX, mais especificamente 1870, as finalidades educativas do ensino primário foram renovadas e se revelavam por meio de diferentes correntes pedagógicas. Os novos propósitos traçados para a (e pela) escola primária alteravam significativamente sua função. Transformando-se a escola do instruir em escola do educar, repensava-se com profundidade a formação dada ao aluno.

É correto o que se afirma em

a) II, III e IV, apenas.

b) I, III e IV, apenas.

c) I, II e III, apenas.

d) I, II e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

QUESTÃO 2

Nas últimas décadas, a dinâmica social impõe à escola brasileira, o imperativo de incorporar à sua cultura a diversidade. Dentro desse contexto, a reflexão sobre a diversidade cultural na educação escolar brasileira é um imperativo, a partir da Declaração Mundial sobre Educação para Todos, a qual atribui à educação a responsabilidade em desenvolver e respeitar toda a herança cultural de determinada população. Assim, em nosso país o que podemos denominar de fenômeno da diversidade passa a adquirir dimensões sem precedentes a partir do final do século XX e início do século XXI. A diversidade religiosa é um desses aspectos da diversidade cultural aportados pelos documentos oficiais e educacionais do Brasil, a qual deve ser trabalhada na educação.

do Brasil, a qual deve ser trabalhada na educação. Disponível em: <https://bit.ly/2RwnTCe>. Acesso em:

Disponível em: <https://bit.ly/2RwnTCe>. Acesso em: 04 fev. 2019.

Com base no direito à diversidade religiosa a fim de diminuir os vários tipos de violência, de intolerância e de discriminação, repensando a escola como um espaço de reafirmação dos direitos avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.

I, Constitui trabalho fundamental em nosso país, formar cidadãos multiculturalistas e superar a discriminação, o

I, Constitui trabalho fundamental em nosso país, formar

cidadãos multiculturalistas e superar a discriminação, o preconceito, a exclusão e perseguição das religiões minoritárias presentes em nossa sociedade. PORQUE

II. O Estado Brasileiro se tornou laico, e a laicidade, ao

condizer com a liberdade de expressão, de consciência e de culto, não pode conviver com um Estado portador de uma confissão, devendo respeitar todos os cultos.

A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta.

a) As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a

II não justifica a I.

b) As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II justifica a I.

c) asserção I é uma proposição verdadeira e a II, falsa.

d) asserção I é uma proposição falsa e a II, verdadeira.

e) As asserções I e II são proposições falsas.

A

A

QUESTÃO 3

Somente a turma de surdos e o uso da língua de sinais não dão conta da atual proposta de educação bilíngue de surdos, visto que para a efetivação da mesma não basta colocar os surdos no mesmo espaço físico. Faz-se

necessário distinguir, assim como Fernandes (2003, p. 54),

a diferença entre uma perspectiva bilíngue de “[

incluir a língua de sinais brasileira como agente redentor do processo educacional do surdo” e outra que “englobe a totalidade do indivíduo em seu meio psicossociocultural”, ou seja, que considere o “bilinguismo na educação como um todo nunca dissociado de um projeto educacional”. FERNANDES, E. Linguagem e surdez. Porto Alegre:

Artmed, 2003.

] apenas

Sobre os fundamentos históricos e conceituais da educação de surdos devemos considerar:

I. Uma educação bilíngue não pressupõe, necessariamente, uma profunda mudança em

organizações, conceitos, diretrizes, metodologias, posturas

e

concepções educacionais.

II.

Para que a educação de surdos tenha sucesso, é

importante que haja todo um projeto educacional

fundamentado na diferença linguística e cultural desses

alunos.

III. É importante que se considere a heterogeneidade das

pessoas com surdez e as diferenças entre os surdos, no

sentido cultural do termo, e as pessoas com deficiência

auditiva.

IV. Cada grupo exigirá uma estruturação própria no seu

processo educacional.

É correto o que se afirma em

a) II, III e IV, apenas.

b) III e IV, apenas.

I,

c) II e III, apenas.

I,

d) II e IV, apenas.

e)

I,

I, II, III e IV.

QUESTÃO 4

Leia o trecho a seguir.

estamos nos mobilizando em favor da escola pública

e, portanto, remetendo-nos à formação dos alunos desta escola. Ocorre, pois, que o conceito de gestão aqui defendido extrapola o âmbito da organização de poder, para ser compreendido como condição de organização do espaço público de ensino, no compromisso coletivo de formação e humanização dos sujeitos. Assim, gestão democrática da educação compreende a noção de cidadania como capacidade conquistada por todos os indivíduos, de se apropriarem dos bens socialmente criados, de atualizarem todas as potencialidades de realização humana abertas pela vida social em cada

"[

]

contexto histórico determinado [ Disponível

<http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/s

em_pedagogica/fev_2009/papel_pedagogo_gestao_seed.

pdf>. Acesso em: 30 jan. 2019.

]".

em:

A partir desse contexto, analise as afirmativas a seguir.

I. O pedagogo, enquanto gestor de escolas, tem como responsabilidades apenas a gestão financeira da instituição e a organização dos poderes.

II. Enquanto gestor, o pedagogo também tem a função de

organização escolar para além da hierarquia de poderes,

de forma a tornar uma escola democrática e igualitária pra

todos.

III. A gestão escolar é a tarefa mais complicada para o pedagogo, que entre as suas funções puramente administrativas, tem também a missão de organizar o espaço escolar de forma democrática e aberta aos diversos contextos sociais e culturais que podem surgir.

É

correto o que se afirma em

a)

I,

apenas

b)

II, apenas

c)

III, apenas

d)

I e III, apenas

e)

II

e III, apenas

QUESTÃO 5

A prática avaliativa tem que centrar-se no diagnóstico e não na classificação. A função classificatória é analisar o desempenho do aluno através de notas obtidas, geralmente registrada através de números. Ela retira da prática da avaliação tudo o que é construtivo. Por sua vez,

a diagnóstica constitui-se num processo de avançar no desenvolvimento e no crescimento da autonomia do educando, sendo capaz de descobrir seu nível de

aprendizagem, adquirindo consciência das suas limitações

e necessidades a serem avançadas. Ela tem que ter como

finalidade fornecer informações sobre o processo pedagógico que permitam aos docentes definir sobre as interferências e as mudanças necessárias na face do projeto educativo. Esse que precisa ser definido coletivamente para que possa garantir a aprendizagem do aluno de forma democrática. É essencial perceber o aluno como ser social e político que possui a capacidade de pensar criticamente sobre seus atos e dotado de experiências, sujeito de seu próprio desenvolvimento.

Uma avaliação que busca a transformação social deve ter como objetivo o avanço e o

Uma avaliação que busca a transformação social deve ter como objetivo o avanço e o crescimento do seu educando e não estagnar o conhecimento através de práticas disciplinadoras. Por isso, pode-se afirmar que a avaliação consiste em

a) verificar se o aluno é bom em determinada disciplina.

b) saber se o cronograma escolar estava nas provas de forma adequada.

c) nortear os professores na busca de questões mais difíceis para as provas.

d) mais um dos instrumentos de verificação do aprendizado fora da sala de aula.

e) verificar o que e quanto o aluno aprendeu e se os objetivos propostos foram atingidos.

QUESTÃO 6

Acredita-se que a função principal da escola é a construção do conhecimento. Nessa medida, pode-se ter uma hipótese de como o sujeito aprende. Estas hipóteses, com o passar do tempo, criaram teorias. Atualmente há um conglomerado de teorias que tentam explicar quando/quanto/como aluno aprende, a fim de que o professor consiga formular uma hipótese do que está acontecendo quando o aluno não aprende. Se o papel do

professor é ensinar e o do aluno é aprender, a psicologia da aprendizagem tenta contribuir como uma ponte, para que este processo, que se chama de ato pedagógico, tenha êxito. Nos processos de ensino-aprendizagem não seria adequado o professor dizer que ensinou para os alunos, se os alunos não aprenderam. Só há ensino se há aprendizagem. E a aprendizagem demanda o ensino.

Disponível

em:

<http://www.educacao.pr.gov.br/modules/noticias/article.ph p?storyid=5753>. Acesso em 28 jan. 2019. Sobre a Psicologia na Educação, analise as afirmativas a seguir.

I. A psicologia da aprendizagem, a partir de estratégias, instrumentos e recursos, auxilia o professor. II. A psicologia da aprendizagem sistematiza o conhecimento do ser, que é o aluno, diante do professor. III. A psicologia da aprendizagem ajuda o professor a manejar o próprio ato, fazendo a figura de mediadora. IV. Para ser mediador, o professor precisa ser um psicólogo e conhecer a fundo a psicologia da aprendizagem. V. A psicologia da aprendizagem possibilita conhecimento entre professor e aluno, ajudando na aprendizagem.

É correto o que se afirma em

a) I, II, III e V, apenas.

b) II, III e IV, apenas.

c) I, III e IV, apenas.

d) I, III e V, apenas.

e) I, II, III, IV e V.

QUESTÃO 7

Para Libâneo (1994), a didática trata dos objetivos, condições e meios de realização do processo de ensino, ligando meios pedagógico-didáticos a objetivos sócio-

políticos. Não há técnica pedagógica sem uma concepção

de homem e de sociedade, sem uma competência técnica

para realizá-la educacionalmente, portanto, o ensino deve

ser planejado e ter propósitos claros sobre suas finalidades, preparando os alunos para viverem em sociedade. É papel do professor planejar a aula, selecionar, organizar os conteúdos de ensino, programar

atividades, criar condições favoráveis de estudo dentro da sala de aula, estimular a curiosidade e criatividade dos alunos, ou seja, o professor dirige as atividades de aprendizagem dos alunos a fim de que estes se tornem sujeitos ativos da própria aprendizagem. Entretanto, é necessário que haja uma interação mútua entre docentes

e discentes, pois não há ensino se os alunos não

desenvolverem suas capacidades e habilidades mentais. LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

Sobre a didática na prática educativa, analise as afirmativas a seguir.

I. Baseia-se no conjunto de atividades do professor e dos alunos, sob a direção do professor. II. Faz parte do planejamento de ensino e adéqua o conteúdo ás necessidades reais dos alunos. III. Coordena os processos na prática, como o planejamento, o ensino-aprendizagem e a avaliação. IV. Ensina a lidar com a subjetividade do aluno, sua linguagem, suas percepções e sua aprendizagem.

V. É necessária para a efetiva aquisição de conhecimentos

e desenvolvimento das habilidades dos alunos.

É correto o que se afirma em

a) II, apenas.

b) III, apenas.

c) I, II, III, IV e V.

d) III, IV e V, apenas.

e) I, II, III e IV, apenas.

QUESTÃO 8

Definir método e metodologias de ensino implica considerações teóricas amplas e complexas. Daí o termo

conceitualizações não tratar de conceitos e definições de forma isolada, mas de significar a construção de um conjunto de conceitos. Desta forma, o conteúdo de método

é entendido como abstração categorial que se define em

função da situação concreta e objetiva segundo a qual os métodos científicos sucedem-se historicamente. Justamente se trata de esclarecer que a ideia geral não pode deixar de conter a essência dos casos particulares, assim como estes não seriam reconhecidos como tais, apesar de sua variedade, se não encontrassem a significação que os define num conceito universal que os envolve, os unifica e se realiza concretamente na especificidade distintiva de cada qual.

Então não se trata apenas de reconhecer a multiplicidade dos métodos, mas de conciliar a

Então não se trata apenas de reconhecer a multiplicidade dos métodos, mas de conciliar a unidade e a multiplicidade na conceitualização do método. Em continuação à ideia do autor supracitado, o método é uno no sentido em que todas as modalidades que reconhecemos se unificam pela posse de uma essência comum, de caráter dialético, que as torna a todas entendida como "método", sendo por isto chamadas por tal termo. Mas, ao mesmo tempo, essa essência uma não existe num mundo à parte, não tem realidade fora da multiplicidade dos métodos objetivamente reais e efetivamente praticados pela pesquisa científica. Considerando tais aspectos é que podemos apresentar uma classificação dos métodos de conhecimento em dois grandes grupos: o método filosófico e os métodos especiais das ciências. WACHOWICZ, Lilian A. O Método dialético em Didática. Curitiba, 1988,p.14. Tese (Professor Titular)- DMTE- Setor de Educação- Universidade Federal do Paraná.

Sobre o processo de pesquisa como uma das ferramentas de produção do conhecimento, analise as afirmativas a seguir.

I. A metodologia constitui a doutrina do método, a sua teoria. Ela discute os vários tipos particulares de métodos, organiza-os num sistema, que orienta num todo teórico o trabalho de investigação da realidade. A metodologia explica um conjunto de métodos, donde também decorre a técnica. II. A metodologia de ensino pode ser entendida, então, como a aplicação dos princípios gerais de uma ciência, traduzidos nos seus métodos de investigação nas situações de ensino. Concretiza-se pela aplicação dos métodos de ensino em seus pressupostos teóricos. III. Há métodos adequados para a apropriação do saber em cada área, sendo esse o campo da metodologia do ensino, ambas, referem-se ao objeto a ser investigado ou ensinado. IV. a cada ramo específico do conhecimento corresponde uma metodologia de ensino. O conhecimento do real, o método filosófico como lógica do conhecimento, é que vai determinar tanto a construção da ciência como a apropriação deste saber científico. Para o ensino, isso significa que a metodologia científica e metodologia de ensino têm correspondência em função do próprio método de investigação do objeto do conhecimento.

É correto o que se afirma em

a) II, III e IV, apenas.

b) I, III e IV, apenas.

c) I, II e III, apenas.

d) I, II e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

QUESTÃO 9

O

ensino da leitura e da escrita sofreu mudanças diversas

ao

longo da história, nas três últimas décadas variados

aspectos têm influenciado e transformado bastante as

formas segundo as quais esse ensino tem sido concebido

e posto em prática. Fatores como os avanços teóricos na

área, mudanças nas práticas sociais de comunicação e o desenvolvimento de novas tecnologias têm forjado novas propostas pedagógicas e a produção de novos materiais

didáticos relacionados à alfabetização inicial e ao ensino

de

línguas em geral.

No

contexto brasileiro, vivemos desde o início da década

de 1980 um amplo debate sobre esses temas. Pesquisadores com formação em distintos campos - psicologia, linguística, pedagogia etc. - têm procurado

redefinir a leitura e a escrita, bem como seu ensino e sua aprendizagem. Apesar das radicais mudanças teóricas produzidas, estudos recentes demonstram a manutenção

de práticas didáticas tradicionais nas formas de alfabetizar,

tanto crianças como adultos.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um

documento oficial que, em nível federal, apresenta proposições para o ensino e aprendizagem na educação básica. Esse documento traz habilidades e competências para as etapas da educação infantil e do ensino fundamental. Considerando a proposta deste texto, trataremos – especificamente – de dois eixos fundantes para a aprendizagem no componente curricular de Língua Portuguesa e, mais precisamente, nos anos finais do ensino fundamental. Nosso objetivo, no entanto, não é minimizar o caráter de disputa (ideológica, pessoal, coletiva etc.) que documentos dessa natureza possuem,

mas apresentar algumas discussões que nos ajudem a refletir acerca do papel da BNCC, principalmente no que diz respeito às atividades de leitura e escrita e suas implicações para o ensino e aprendizagem de língua materna.

A

concepção que sustenta a proposição de competências

e

habilidades para a disciplina de Língua Portuguesa, na

questão da língua(gem), privilegia a abordagem enunciativo-discursiva, a qual prevê as interações entre

língua(gem) e sujeito como constituintes para consolidação

de trocas (sociais) que se dão por meio da ação humana:

assume-se aqui a perspectiva enunciativo-discursiva de linguagem, já assumida em outros documentos, como os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN).

ALBUQUERQUE, E.B.C; FERREIRA, A.T.B.F. & MORAIS, A.G. As práticas cotidianas de alfabetização: o que fazem

as professoras? Anais da 28ª. Reunião Anual da ANPED.

Disponível

em:

<www.anped.org.br/28/textos/gt10/gt101128int.rtf>. Acesso em: 11 fev. 2019.

Ler e produzir textos, no âmbito de uma perspectiva enunciativo-discursiva e da BNCC, são

a) atividades que transcendem as modalidades cristalizadas da língua (oral e escrita). O que os

a) atividades que transcendem as modalidades cristalizadas da língua (oral e escrita). O que os permite dizer que a multimodalidade é um princípio que orienta as práticas de linguagem e, consequentemente, de leitura e produção de textos na BNCC, uma vez que imagens (estáticas e em movimentos), o som e outros recursos da linguagem são considerados essenciais para a compreensão de textos/gêneros que circulam na sociedade.

b) necessidades ausentes no trabalho com textos/gêneros que, de fato, circulem socialmente e que – de alguma forma – sejam relevantes para uma aprendizagem situada no tempo e no espaço, isto é, que seja significativa para os estudantes e que faça sentido.

c) fatores que ressaltam que o ensino de língua, na escola, ainda traz em seu bojo uma visão tradicional e artificial em relação às atividades que são propostas.

d) indícios ao professor de uma prática em que proponham situações em que o aluno possa exercitar as práticas sociais de compreensão e produção de textos (orais e escritos) assim como a de análise/reflexão dessa língua em situações significativas de uso, ainda que artificialmente, na Escola.

e) evidências da relação do ensino da língua padronizada, em seus recursos coesivos, escolha do léxico adequado, características gráfico-espaciais (ortografia, paragrafação, uso do travessão, pontuação).

QUESTÃO 10

No ano de 2001, é promulgado, pela Lei nº. 10.172, 2001,

o Plano Nacional de Educação (PNE), elaborado com a

participação da sociedade, de associações e entidades de educadores e que, embora com criticas, foi concebido num processo de discussão democrática. O PNE desde a introdução anuncia a importância dos sistemas de avaliação em todos os níveis de ensino. A proposta é uma avaliação definida como prioridade associada ao desenvolvimento de sistemas de informação e de avaliação em todos os níveis e modalidades de ensino, de

forma a aperfeiçoar os processos de coleta e difusão dos dados e de aprimoramento da gestão e melhoria do

ensino.

Disponível

em:

<http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v19n73/03.pdf>. Acesso em 28 jan. 2018.

Em relação às políticas públicas para avaliações em larga escala, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.

I. O PNE, em suas diretrizes, metas e objetivos indica

processos extensivos de avaliação em todos os níveis e delineia formas de operacionalizá-los,

PORQUE

II.

Os dados das avaliações em larga escala, rearticulados

e

alçados para um nível mais operativo, favorecem ações

mais pragmáticas e interventivas nos sistemas de ensino.

A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta.

a) As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a

II não justifica a I.

b) As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II justifica a I.

c) asserção I é uma proposição verdadeira e a II, falsa.

d) asserção I é uma proposição falsa e a II, verdadeira.

e) As asserções I e II são proposições falsas.

A

A

QUESTÃO 11

O ser humano tem intenções, interesses e carrega uma vivência cultural distinta. Os alunos, nesse mesmo contexto, possuem habilidades e diferentes desafios no decorrer do processo de ensino e aprendizagem. Importante salientar que com a inserção das tecnologias da informação e comunicação (TICs) na educação, as práticas educativas tiveram de ser revistas, para atender ao novo perfil discente, oportunizando novos conhecimentos e competências. O docente vive sujeito as influências do meio, para atender as expectativas e

exigências do novo perfil profissional, devendo este atentar para sua qualificação.

Disponível

em:

<http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistat riangulo/article/view/1724/1608>. Acesso em 28 jan. 2018.

Considerando as informações apresentadas sobre a

realidade docente contemporânea, analise as afirmativas a

seguir.

I. Existem muitos desafios que envolvem o profissional docente devido à complexidade de suas atribuições.

II. O papel fundamental do docente é interagir com a

realidade através do conhecimento na formação de seus

alunos.

O docente deve ter a capacidade de fazer a mediação

do conhecimento histórico elaborado e relevante para formação do corpo discente.

IV. Um dos objetivos maiores da docência é formar alunos

com consciência crítica, que saibam utilizar o que aprenderam e que se tornem cidadãos conscientes.

V. A intervenção do professor deve levar em consideração

a heterogeneidade dos alunos, a fim de que a mediação

não desmotive à aquisição do conhecimento.

É correto o que se afirma em

III.

a) e IV, apenas.

b)

c) e V, apenas.

III

I, II, III, IV e V.

IV

d) II, III e IV, apenas.

I,

e) III, IV e V, apenas.

I,

QUESTÃO 12 as teorias mais importantes referentes à relação entre desenvolvimento e aprendizagem na criança,

QUESTÃO 12

as teorias mais

importantes referentes à relação entre desenvolvimento e aprendizagem na criança, podem agrupar-se esquematicamente em três categorias fundamentais”. A primeira pressupõe a independência entre os processos de desenvolvimento e de aprendizagem (enfocada

principalmente por Piaget); a segunda categoria afirma que aprendizagem é desenvolvimento (proposta, entre outros, por William James); e a terceira é uma teoria dualista, segundo o autor, pois pressupõe que o processo de desenvolvimento é independente do de aprendizagem e ao mesmo tempo afirma que, em determinadas formas de comportamento, os dois processos são coincidentes (tendo Koffka como um de seus representantes, conforme Vygotsky, 1977). O autor oferece outra perspectiva para a compreensão da relação entre aprendizagem e desenvolvimento. Compartilha daquilo que denomina de fato incontroverso presente nas outras teorias acima,

afirmando que “[

nível de desenvolvimento e a capacidade potencial de aprendizagem” (Vygotsky, 1977, p. 42). Considera tanto aquilo que uma criança é capaz de realizar sozinha quanto o que é capaz de fazer com a ajuda de outras pessoas como elementos importantes para a compreensão de seu desenvolvimento e para o planejamento de situações novas de ensino. Assim, o autor propõe, a partir do conceito de Zona de Desenvolvimento Próximal, uma nova maneira de conceber o desenvolvimento e a aprendizagem, além de estabelecer relações diferentes daquelas possíveis para as teorias anteriormente citadas. Vygotsky, L. S. (1977). Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. Em A. R. Luria, L. S. Vygotsky, & A. N. Leontiev. Psicologia e pedagogia I: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento (pp. 31- 50).

existe uma relação entre determinado

Segundo Vygotsky (1977, p. 31), “[

]

]

Considerando seu conhecimento sobre a Zona de Desenvolvimento Proximal, analise as afirmativas a seguir.

QUESTÃO 13

A prática pedagógica constitui-se em parte essencial da

Educação Infantil e abrange um conjunto de ações articuladas, assumidas intencionalmente pelo(a) professor(a), com base em concepções de sociedade, de educação, de criança, de aprendizagem e desenvolvimento. Nesse sentido, ela está sempre situada em um contexto específico e é indissociável do Projeto Político Pedagógico, das condições materiais e conceituais que demarcam os processos do campo de trabalho do professor, da organização do trabalho da creche ou da pré-escola, das relações destas com a comunidade e a sociedade, extrapolando a dimensão da atuação direta com as crianças e das atividades didáticas. Estudiosos e pesquisadores da Educação Infantil têm utilizado a categoria de mediação pedagógica como constituinte da práxis dos professores de Educação Infantil. Diante das exigências e da especificidade do trabalho pedagógico na Educação Infantil, a rotina e seus elementos constitutivos aparecem como algo desejável quando não utilizadas apenas na função de controle e regulação. Aponta-se para práticas pedagógicas que favoreçam a: imaginação, criatividade, alegria, afetividade, reconstrução de modos de viver o que está proposto, compreensão dos conflitos. Assume-se o brincar como uma das atividades principais da infância até os cinco anos, fundamental para o processo de aprendizagem e desenvolvimento, na formação social e cultural infantil. Consideram-se os seguintes aspectos e atividades na prática pedagógica a fim de primar, por experiências concretas, expressões e relações multifacetadas: as múltiplas linguagens, a corporeidade e o movimento, atividades artísticas (artes visuais, música, artes cênicas, literatura) e que envolvam várias áreas de conhecimento (matemática, ciências naturais e sociais), a imaginação e criação.

Considerando as informações apresentadas, avalie as

afirmativas sobre as práticas pedagógicas na Educação

Infantil.

I. Para Vygotsky, a aprendizagem conduz ao

I. A brincadeira é imprescindível para o desenvolvimento e

desenvolvimento mental.

a

formação social e cultural infantil.

II. A aprendizagem, para Vygotsky, ativa todo um grupo de

II.

As atividades artísticas são práticas pedagógicas

processos de desenvolvimento.

estimulantes da imaginação e criação na infância.

III. Segundo Vygotsky, a aprendizagem se dá a partir

III.

A rotina em sala de aula, exercitada nas ações

de uma correta organização da compreensão da criança.

docentes, é algo desejável nas salas de Educação Infantil.

IV. A aprendizagem é um momento necessário e universal

IV.

Resolução de conflitos pelo conhecimento e aceitação

que desenvolve características humanas e históricas,

do outro são boas práticas pedagógicas na Educação

segundo Vygotsky.

Infantil.

É correto o que se afirma em

a) I e IV, apenas.

b) I, II, III e IV.

c) I, II e IV, apenas.

d) I, III e IV, apenas.

e) II, III e IV, apenas.

V. As práticas que favorecem a imaginação, a criatividade

e a afetividade pouco influenciam o aprendizado na Educação Infantil.

É correto o que se afirma em

a) I e III, apenas.

b) I, II, III, IV e V.

c) III, IV e V, apenas.

d) I, II, III e IV, apenas.

e) I, III, IV e V, apenas.

QUESTÃO 14 Os temas transversais dos novos parâmetros curriculares incluem Ética, Meio ambiente, Saúde, Pluralidade

QUESTÃO 14

Os temas transversais dos novos parâmetros curriculares incluem Ética, Meio ambiente, Saúde, Pluralidade cultural e Orientação Sexual. Eles expressam conceitos e valores fundamentais à democracia e à cidadania e correspondem

a questões importantes e urgentes para a sociedade

brasileira de hoje, presentes sob várias formas na vida cotidiana. São amplos o bastante para traduzir preocupações de todo País, são questões em debate na sociedade através dos quais, o dissenso, o confronto de opiniões se coloca. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais:

apresentação dos temas transversais, ética. Brasília, DF:

MEC/SEF, 1997.

Os temas estão voltados para a compreensão e para a construção da realidade social e dos direitos e responsabilidades relacionados com a vida pessoal e coletiva e com a afirmação do princípio da participação política assim

a) devem ser trabalhados, de forma transversal, nas áreas e/ou disciplinas já existentes, visto que correspondem a questões importantes, urgentes e presentes sob várias formas na vida cotidiana.

b) pertencem a uma disciplina específica, devendo fazer parte do conteúdo curricular desta.

c) são pertinentes para o aprendizado de uma área específica, contribuindo para a formação integral dos alunos.

d) configuram uma proposta flexível, a ser concretizada nas decisões regionais e locais sobre currículos e programas de transformação da realidade educacional empreendidos pelas autoridades governamentais, pelas escolas e pelos professores.

e) constituem referenciais para a renovação e reelaboração da proposta curricular, reforçam a importância de que cada escola formule seu projeto educacional, compartilhado por toda equipe, para que a melhoria da qualidade da educação resulte da co- responsabilidade entre todos os educadores.

QUESTÃO 15

O lúdico, enquanto metodologia alternativa, permite por

meio dos jogos e das brincadeiras, que os alunos tenham igual oportunidade de aprendizado. Entende-se que ao

brincar, a criança experimenta o poder de explorar o mundo dos objetos, das pessoas, da natureza e da cultura, para compreendê-lo e expressá-lo por meio de variadas linguagens. Mas é no plano da imaginação que o brincar se destaca pela mobilização dos significados. Enfim, sua importância se relaciona com a cultura da infância, que coloca a brincadeira como ferramenta para a criança se expressar, aprender e se desenvolver.

A brincadeira, o jogo ou o próprio brinquedo tornam-se

instrumentos e recursos pedagógicos que contribuem para

a melhoria do processo de aprendizagem dos alunos,

sejam eles das classes regulares ou salas de recursos. Disponível em: <https://bit.ly/2Ur8EYX>. Acesso em: 30 jan.

2019.

A partir desse contexto, assinale a alternativa que aponta benefícios da aprendizagem lúdica.

a)

A

prática dos jogos e das brincadeiras amplia os

conhecimentos da criança sobre si, sobre os outros e sobre o mundo que a cerca.

b)

Com a ludicidade em sala de aula as crianças

desenvolvem linguagem específica dos livros didáticos.

c)

A

ludicidade prepara o professor para os métodos

pedagógicos que deverá utilizar na sala de aula.

d)

Ao explorar e manipular cadernos, lápis, borracha, as crianças descobrem e agem com as regras.

e)

O

lúdico em sala de aula somente ensina a criança a

assumir o papel de líder de outras crianças.