Você está na página 1de 40
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS

GUIA DO WORDPRESS

PARA BLOGS CORPORATIVOS

GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS
GUIA DO WORDPRESS PARA BLOGS CORPORATIVOS

ESTE EBOOK É CERTO PRA MIM?

Um dos nossos principais objetivos da Rock Content

é ensinar. Para isso,

produzimos posts, ebooks, whitepapers, webinars, infográficos e uma infinidade de materiais que

são feitos apenas para você. Agora você confere qual

é o grau de conhecimento

necessário para usufruir ao máximo deste conteúdo.

BÁSICO

Se você está começando a trabalhar com Marketing de Conteúdo, Marketing Digital ou Inbound Marketing, este conteúdo é exatamente o que você precisa. Aqui abordaremos alguns assuntos de maneira bem introdutória e da forma mais didática possível. Estes são os principais conteúdos para quem deseja começar a aprender algo novo!

[ ESTE E-BOOK! ]

AVANÇADO

Estes são os materiais mais complexos produzidos pela Rock Content. Para usufruir ao máximo dos conteúdos avançados que produzimos, é essencial que você esteja em dia com o que acontece no mundo digital. Nossos materiais avançados são para profissionais com experiência na área que estão em busca de aprofundar em sua área de conhecimento.

INTERMEDIÁRIO

Nestes materiais o conteúdo é voltado para as pessoas que já estão mais familiarizadas com alguns dos conceitos de Marketing Digital. Este tipo de conteúdo costuma ser um pouco mais aprofundado, e aqui costumamos apresentar algumas soluções para problemas um pouco mais complexos.

GUIA COMPLETO

Nesta categoria se encontram os materiais mais completos da Rock Content. Neles, os assuntos são tratados desde os seus conceitos mais básicos até os detalhes mais avançados e específicos. São indicados para qualquer pessoa que deseja começar, aprofundar ou reciclar o seu conhecimento em um determinado assunto.

Introdução

5

Qual é a diferença entre WordPress.com e WordPress.org?

7

Como criar um blog no WordPress?

9

O que fazer depois que o blog do WordPress estiver no ar?

18

Como produzir conteúdos num blog em WordPress

25

Analise os resultados do seu blog em WordPress

32

Conclusão

37

TEXTO

TEXTO WERIK GONÇALVES Especialista em CRO @ Rock Content werik@rockcontent.com ATUALIZAÇÃO IVAN DE SOUZA Especialista

WERIK GONÇALVES

Especialista em CRO

@ Rock Content

werik@rockcontent.com

ATUALIZAÇÃO

IVAN DE SOUZA

Especialista de Marketing

@ Rock Content

ivan.souza@rockcontent.com

DESIGN

Marketing @ Rock Content ivan.souza@rockcontent.com DESIGN LAÍS BOLINA Analista de Marketing @ Rock Content

LAÍS BOLINA Analista de Marketing

@ Rock Content

lais.bolina@rockcontent.com

RAFAEL RALLO Analista de Marketing & Designer

@ Rock Content

rafael.rallo@rockcontent.com

BRUNO MONTIEL Designer Gráfico @ Rock Content bruno@rockcontent.com

COMPARTILHE ESTE EBOOK! INTRODUÇÃO O WordPress é o CMS mais usado do mundo. Após fazer

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

INTRODUÇÃO

O WordPress é o CMS mais usado do mundo.

Após fazer login na plataforma, o usuário pode criar páginas ou blog posts em poucos cliques, além de contar com plugins e ferramentas que fazem com que o blog corporativo fique entre as primeiras posições de buscadores como o Google.

5

e ferramentas que fazem com que o blog corporativo fique entre as primeiras posições de buscadores
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 6 O WordPress permite a criação de sites e também de blogs,

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 6 O WordPress permite a criação de sites e também de blogs, porém,

6

O WordPress permite a criação de sites e também de blogs, porém, neste artigo focaremos na criação do blog corporativo via WordPress, que é a ferramenta principal da estratégia de Marketing de Conteúdo.

Mesmo sabendo disso, uma dúvida rodeia a cabeça de muitas pessoas:

afinal, como criar um blog no WordPress?

Para responder essa pergunta, escrevo este guia de WordPress com a intenção de ensinar você a criar do zero um blog na plataforma e também fazer com que ele traga resultados para a sua estratégia de Marketing Digital.

Vamos começar?

na plataforma e também fazer com que ele traga resultados para a sua estratégia de Marketing
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 7 QUAL É A DIFERENÇA ENTRE WORDPRESS.COM E WORDPRESS. ORG? Apesar dos

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 7 QUAL É A DIFERENÇA ENTRE WORDPRESS.COM E WORDPRESS. ORG? Apesar dos dois

7

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE WORDPRESS.COM E WORDPRESS. ORG?

Apesar dos dois serem WordPress, existem diferenças que você deve considerar na hora de criar o seu blog. O WordPress.com é uma plataforma de blogs com domínio WordPress.com e hospedagem dentro do próprio WP.

o seu blog. O WordPress.com é uma plataforma de blogs com domínio WordPress.com e hospedagem dentro
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Quem opta por esta plataforma costuma focar mais nos conteúdos e menos

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Quem opta por esta plataforma costuma focar mais nos conteúdos e menos na parte estética e funcional do blog, pois ela não dispõe de muitos plugins e temas customizáveis. Por isso, o WordPress.com é mais voltado para a criação de blogs pessoais ou sem fins de monetização.

Por outro lado, o WordPress.org é uma plataforma flexível que permite uma personalização maior por meio da instalação de plugins, widgets e temas que deixem o blog exatamente como você quer.

8

A principal diferença entre as duas talvez você já deva conhecer. A versão trabalhada no WordPress.org é um compilado de arquivos o qual você hospedará no seu próprio servidor, através do seu FTP. Por isso o nível de customização é alto. Você pode alterar arquivos dos mais simples aos mais elaborados.

Tendo isso em vista, essa é a plataforma mais indicada para blogs corporativos e profissionais.

aos mais elaborados. Tendo isso em vista, essa é a plataforma mais indicada para blogs corporativos
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 9 COMO CRIAR UM BLOG NO WORDPRESS? O primeiríssimo passo para criar

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 9 COMO CRIAR UM BLOG NO WORDPRESS? O primeiríssimo passo para criar um

9

COMO CRIAR UM BLOG NO WORDPRESS?

O primeiríssimo passo para criar um blog é escolher o

tópico a ser discutido.

ESCOLHA DO TÓPICO DO BLOG

É comum que algumas pessoas escolham tópicos

que estejam ligados a assuntos que estejam entre as tendências do momento, mesmo que não as agrade muito.

tópicos que estejam ligados a assuntos que estejam entre as tendências do momento, mesmo que não
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Recomendo que você não siga esse caminho. Se “dieta low carb” está

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Recomendo que você não siga esse caminho.

Se “dieta low carb” está entre os tópicos mais procurados, mas você não se interessar pelo assunto, não crie um blog sobre isso. Por mais que as pessoas estejam comentando sobre criptomoedas, mas esse for um assunto que não chama a sua atenção, não faz sentido criar um blog que fale a respeito.

Escolha uma área que você verdadeiramente ame. Afinal, seu blog será como um filho: você precisa cuidar dele, vê-lo crescer nos meios digitais, todos os dias ele precisará de um pouquinho do seu tempo para alcançar o sucesso.

E no caso de blogs voltados a um negócio, não pode ser diferente. Afinal, se você ama o que faz, seguramente terá o mesmo sentimento em relação ao blog cujos conteúdos falam sobre o seu segmento de atuação.

10

cujos conteúdos falam sobre o seu segmento de atuação. 10 Por exemplo: aqui na Rock Content

Por exemplo: aqui na Rock Content somos apaixonados por Marketing Digital, o que também é o motivo pelo qual o nosso negócio existe, razão pela qual este blog fala justamente sobre o assunto.

o que também é o motivo pelo qual o nosso negócio existe, razão pela qual este
COMPARTILHE ESTE EBOOK! ESCOLHA DO DOMÍNIO O próximo passo é escolher o domínio, isto é,

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

ESCOLHA DO DOMÍNIO

O próximo passo é escolher o domínio, isto é, o endereço virtual do seu blog. Muito embora os domínios .com e .com.br sejam os mais utilizados, existem outros cuja escolha impacta diretamente a identidade do blog, tais como:

# art.br: artes, música, pintura ou folclore;

# com.br: atividades comerciais;

# eco.br: atividades eco-ambientais;

# emp.br: pequenas e micro-empresas;

11

# net.br: atividades comerciais;

# edu.br: instituições de ensino superior;

# blog.br: web logs;

# flog.br: foto logs;

# nom.br: pessoas físicas;

# vlog.br: vídeo logs;

# wiki.br: páginas do tipo “wiki”.

# flog.br: foto logs; # nom.br: pessoas físicas; # vlog.br: vídeo logs; # wiki.br: páginas do
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 12 Por isso, escolha o mais apropriado para o seu blog. Caso

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 12 Por isso, escolha o mais apropriado para o seu blog. Caso você

12

Por isso, escolha o mais apropriado para o seu blog. Caso você já tenha um site feito em WordPress, ele certamente possui um blog por padrão, o qual possivelmente se encontrará nodiretório que fica em nomedoseusite.com/blog.

Caso o seu site não seja feito com o CMS WordPress ou, mesmo sendo, e você queira dar uma identidade diferente ao blog, um bom caminho caminho é criar um subdomínio que poderá ser blog.nomedoseusite.com.

Um subdomínio é como se fosse um site dentro do seu site. Por essa razão, você possui mais liberdade de criar um visual totalmente diferente a partir de um template.

do seu site. Por essa razão, você possui mais liberdade de criar um visual totalmente diferente
COMPARTILHE ESTE EBOOK! ESCOLHA DO SERVIDOR O servidor, também conhecido como host , nada mais

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

ESCOLHA DO SERVIDOR

O servidor, também conhecido como host, nada

mais é do que o espaço virtual onde o seu blog ficará hospedado. Afinal o código, todos os conteúdos e mídias como imagens, vídeos, e afins, precisam ser armazenados em algum local, certo? Por essa razão é preciso contratar um servidor.

Os principais tipos de hospedagem são: compartilhada ou dedicada.

Na hospedagem compartilhada você divide o espaço

em que seu blog é armazenado com outros usuários.

O lado bom disso é o preço ser mais barato, contudo,

caso você tenha muitos acessos, a conexão com o servidor pode cair e seu blog ficará fora do ar por alguns momentos.

13

Por isso, se você tiver muitos visitantes, o melhor é investir um pouco mais e contratar uma hospedagem dedicada, também chamada de VPS. Para que se tenha uma ideia, muitos e-commerces contratam essa solução, pois contam com um volume de visitas muito grandes e precisam que seus negócios estejam sempre no ar.

A maioria das ofertas de servidor do mercado se trata da opção compartilhada. É importante ressaltar que ela

é uma ótima opção para os primeiros momentos da sua

estratégia. O momento de trocar para uma hospedagem

dedicada pode ser quando o seu site estiver excedendo

o número de acessos oferecido no seu servidor.

Agora confira as sete principais empresas que oferecerem serviços de hospedagem que podem atender o seu blog:

servidor. Agora confira as sete principais empresas que oferecerem serviços de hospedagem que podem atender o
COMPARTILHE ESTE EBOOK! HOSTGATOR O Hostgator um provedor mundial de hospedagem que também oferece outros

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

HOSTGATOR

O Hostgator um provedor mundial de

hospedagem que também oferece outros serviços como revenda de hospedagem e e-mail corporativo.

GODADDY

A GoDaddy oferece hospedagem, além de

registros de domínio e serviços de SEO e soluções em Email Marketing.

UOL HOST

Além de hospedagem, a Uol Host conta também com serviços de criação de lojas virtuais e divulgação por Email Marketing, Google Adwords e UOL Anúncios.

HOMEHOST

14

A Homehost é uma das primeiras empresas

a oferecer hospedagem em cPanel no Brasil,

também conta com revenda de hospedagens.

HOSTINGER

Uma das opções mais econômicas em termos de hospedagem, a Hostinger também oferece criação de e-mail corporativo.

HOST1PLUS

Fundada em Londres, a Host1Plus hoje está presente em mais de 8 países oferecendo tanto hospedagens compartilhadas quanto dedicadas.

a Host1Plus hoje está presente em mais de 8 países oferecendo tanto hospedagens compartilhadas quanto dedicadas.
COMPARTILHE ESTE EBOOK! REDEHOST Atuante há 15 anos no mercado brasileiro, a Redehost possui operação

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

REDEHOST

Atuante há 15 anos no mercado brasileiro, a Redehost possui operação totalmente dedicada a cloud computing.

FAÇA O APONTAMENTO DO DOMÍNIO AO SERVIDOR VIA DNS

Agora que você comprou o seu domínio e servidor, surge uma dúvida: como fazer com que os dois se comuniquem caso tenham sido contratados por empresas diferentes?

Muito embora alguns serviços de hospedagem ofereçam a opção para comprar domínio e servidor juntos, como proceder caso, por exemplo, o domínio tenha sido comprado no RegistroBR e a hospedagem no Hostgator?

15

Para isso deve ser feito o apontamento do DNS.

Uma vez que você compra a hospedagem no servidor, eles lhe informam o endereço de slave primário e secundário que você deverá ter em conta para fazer o apontamento.

Ao fazer login no site da empresa pela qual você comprou seu domínio, no campo que pede as informações de DNS, você deve inserir essas informações para que o servidor saiba que o blog será apontado ao endereço do domínio que você comprou.

Em alguns casos, o tempo desse apontamento pode durar até 72 horas, portanto seja paciente. Em caso de dúvida, é recomendável entrar em contato com os suportes, tanto do domínio quanto da hospedagem, a fim de deixar tudo pronto para o próximo passo da criação do seu blog.

tanto do domínio quanto da hospedagem, a fim de deixar tudo pronto para o próximo passo
COMPARTILHE ESTE EBOOK! SUBA O WORDPRESS NO FILE MANAGER Uma vez que o apontamento está

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

SUBA O WORDPRESS NO FILE MANAGER

Uma vez que o apontamento está feito, é chegada a hora de instalar o WordPress no seu blog. O arquivo de instalação se encontra disponível para download no WordPress.org em formato zip. Você deve baixá-lo.

Para subir o arquivo, você precisa fazer login no seu servidor e, dentro do cPanel, procurar o File Manager ou Gerenciador de Arquivos. Lá você encontrará uma pasta chamada “public_HTML”, nela você deve subir o arquivo zipado e extraí-lo.

Agora, ao digitar a URL nomedoseusite.com/wp- admin, é possível ver a tela inicial de configuração do WordPress. Mas, antes de prosseguir, é preciso fazer algo fundamental: criar a base de dados.

16

CRIE A BASE DE DADOS

Como foi dito anteriormente, todos os arquivos do seu blog, desde um texto até mídias, precisam ficar armazenados em algum lugar.

Para isso serve a base de dados do seu servidor. Logo, para concluir a configuração do blog, é preciso ter uma criada dentro da sua hospedagem.

Geralmente, dentro do cPanel, você consegue encontrar o espaço para criação de bases de dados dentro de MySQL e, em poucos cliques, ela pode ser criada.

Tome nota do nome que você der a ela, assim como usuário e senha, pois, na tela de configuração disponível em nomedoseusite.com/wp-admin, eles serão solicitados para concluir a instalação.

tela de configuração disponível em nomedoseusite.com/wp-admin, eles serão solicitados para concluir a instalação.
COMPARTILHE ESTE EBOOK! SE TIVER DIFICULDADES, PROCURE O QUICK INSTALL Para algumas pessoas, subir o

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

SE TIVER DIFICULDADES, PROCURE O QUICK INSTALL

Para algumas pessoas, subir o arquivo do WordPress, criar a base de dados e fazer a instalação manualmente pode parecer difícil. Por essa razão, alguns servidores contam com a opção Quick Install ou Instalação Rápida.

Ele faz com que, em apenas poucos cliques, você consiga instalar o WordPress no seu blog. Por isso, em caso de dificuldade, procure por essa opção dentro do seu cPanel ou contatando a equipe de suporte do servidor.

Caso não seja possível instalá-lo dessa forma simples e rápida, você poderá fazê-lo de forma manual seguindo as orientações que demos até aqui.

Uma vez que o WordPress esteja instalado e configurado com sucesso, é chegada a hora de fazer o primeiro login para dar cara e forma ao blog.

17

instalado e configurado com sucesso, é chegada a hora de fazer o primeiro login para dar
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 18 O QUE FAZER DEPOIS QUE O BLOG DO WORDPRESS ESTIVER NO

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 18 O QUE FAZER DEPOIS QUE O BLOG DO WORDPRESS ESTIVER NO AR?

18

O QUE FAZER

DEPOIS QUE

O BLOG DO

WORDPRESS

ESTIVER NO AR?

Após fazer login no WordPress, o próximo passo é escolher o template que melhor se adeque à identidade do seu blog e ativar as ferramentas para as métricas.

passo é escolher o template que melhor se adeque à identidade do seu blog e ativar
COMPARTILHE ESTE EBOOK! ESCOLHA O TEMPLATE O template nada mais é do que o visual

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

ESCOLHA O TEMPLATE

O template nada mais é do que o visual do seu blog. Para isso, basta ir em “Aparência” dentro do menu esquerdo do painel e, em seguida, em “Temas”.

O WordPress sugere alguns templates gratuitos que você pode escolher e aplicar no seu blog. Contudo, dependendo da ideia prévia que você tiver, a compra de um template pode ser o mais indicado.

Lembrando que é possível personalizar os temas.

Ao ir em “Aparência / Personalizar”, o WordPress lhe mostra as opções para customizar o template como, por exemplo, o título do blog, cores, cabeçalho e rodapés ideais.

Um template gratuito costuma apresentar menos opções, enquanto um pago dá margem maior à personalização, de modo a deixar o blog mais próximo do estilo que você imaginou.

19

CONFIGURE OS WIDGETS E OS MENUS

O visual do seu blog não se restringe somente à personalização do template. Os itens do menu e os que aparecem na sua sidebar também fazem parte e você deve configurá-los. Dentro de “Menus”, ainda em “Aparência”, você pode personalizar o menu, além de montar a estrutura dele.

No menu você pode inserir desde links internos ou externos — que levem a páginas específicas do seu blog ou ao seu site, por exemplo — , além de categorias das suas postagens para que os leitores possam filtrar num clique os artigos que falem sobre determinado assunto. E fique tranquilo que ainda neste post vamos lhe ensinar como criar as categorias.

Os widgets são os itens que você pode inserir na barra lateral, rodapé etc. Esses pontos são partes muito importante do seu blog, pois são neles que os visitantes poderão visualizar itens como:

Esses pontos são partes muito importante do seu blog, pois são neles que os visitantes poderão
COMPARTILHE ESTE EBOOK! # CTA que os levem à outras partes do seu blog (como

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

# CTA que os levem à outras partes do seu blog (como uma landing page para baixar um ebook, por exemplo);

# lista das postagens de maior sucesso para que eles possam conhecer (e você continue gerando tráfego para elas);

# as categorias do seu blog caso você tenha optado por colocá-las na barra lateral ao invés do menu;

# botões de redes sociais para que você possa levá- los a curtir sua fanpage, seguir no Instagram, Twitter ou qualquer outra rede em que você esteja inserido.

Os botões de redes sociais podem facilmente ser inseridos por meio de plugin, tópico sobre o qual falaremos agora.

20

Os botões de redes sociais podem facilmente ser inseridos por meio de plugin, tópico sobre o
COMPARTILHE ESTE EBOOK! INSTALE OS PLUGINS Existe alguma funcionalidade que você queira colocar no seu

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

INSTALE OS PLUGINS

Existe alguma funcionalidade que você queira colocar no seu blog? Certamente poderá encontrá-la por meio de plugins!

Os plugins podem inserir ao seu blog funções essenciais como: botões para redes sociais, formulários de contato, sistema de comentários, entre outros. Aqui destacamos alguns que podem ser de valia:

# Backup WordPress (por Human Made Limited):

este plugin permite que você possa restaurar o seu blog caso o desconfigure.

# Duplicate Page (por mndpsingh287): este é muito útil para que você consiga duplicar uma página ou post que sirva de base para criar outro parecido.

21

# Share Buttons by AddThis (por The AddThis Team): este plugin permite que você insira botões para que os visitantes compartilhem seus artigos nas redes sociais.

# Social Media Flying Icons (por Acurax): e que tal colocar em variadas partes do seu blog botões para que as pessoas acompanhem você nas redes sociais? Este plugin permite fazer isso.

# Disqus Comments (por Disqus): este é o sistema de comentários mais usados por blogs, portanto, é importante que o seu também o tenha.

# WPForms Lite (por WPForms): formulários de contato é algo essencial num blog para a captura de leads, este plugin permite que você os crie facilmente.

de contato é algo essencial num blog para a captura de leads, este plugin permite que
COMPARTILHE ESTE EBOOK! # Yoast SEO (por Team Yoast): para que os seus blog posts

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

# Yoast SEO (por Team Yoast): para que os seus blog posts tenham uma boa indexação no Google, este plugin irá guiar as ações que você precisa fazer.

# Google Analytics (por ShareThis): para que o Google Analytics possa medir as visitas do seu blog, você deve apontar o número da propriedade ao WordPress. Este plugin faz isso.

# Google XML Sitemaps (por Arne Brachhold): e para que você saiba como anda a sua indexação no Google Search Console, é obrigatório ter um sitemap. Este plugin cria um para você.

E já que falamos em Google Analytics e Search Console, vejamos agora como você pode criar as propriedades dentro de cada um.

22

CRIE A PROPRIEDADE NO GOOGLE ANALYTICS

O Google Analytics é uma ferramenta gratuita com

a qual você pode medir as visitas que o seu blog

recebe. Para criar uma conta, basta ter um Gmail ou

até mesmo um e-mail corporativo (como “seunome@ nomedaempresa.com por exemplo) que esteja atribuído ao Gmail.

Uma vez criada a conta no Google Analytics, é preciso criar a propriedade. Para isso, basta ir em ADMIN - o último item do menu que fica na parte esquerda - e clicar em “Criar Propriedade”. Lá você deverá inserir a URL do seu site para o Google Analytics.

Feito isso, é hora de informar o WordPress os dados da sua conta para que o Analytics comece a medir as visitas. Use o plugin do Google Analytics que indicamos alguns parágrafos acima para isso.

Analytics comece a medir as visitas. Use o plugin do Google Analytics que indicamos alguns parágrafos
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 23 E para fazer a prova real de que está tudo funcionando,

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 23 E para fazer a prova real de que está tudo funcionando, acesse

23

E para fazer a prova real de que está tudo funcionando, acesse o seu site / blog cadastrado, dentro do Google Analytics, vá ao item “Home” localizado no menu esquerdo e veja que número indica o medidor de usuários ativos. Caso mostre pelo menos 1, que é você, o processo foi feito com sucesso!

CRIE A PROPRIEDADE NO SEARCH CONSOLE

O Google Search Console é a ferramenta que aponta à quais palavras-chave seu site / blog assim como seus conteúdos estão apontados.

Portanto, é uma ferramenta essencial para a sua estratégia de Marketing de Conteúdo, pois, se você tiver um artigo que está rankeando na quinta posição, por exemplo, poderá atualizar o seu conteúdo e promovê-lo para atingir o primeiro lugar.

Mas, vamos à parte prática: como inserir o seu site ou blog no Search Console.

para atingir o primeiro lugar. Mas, vamos à parte prática: como inserir o seu site ou
COMPARTILHE ESTE EBOOK! A exemplo do Analytics, basta ter um Gmail ou conta relacionada para

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

A exemplo do Analytics, basta ter um Gmail ou conta relacionada para usar esta ferramenta gratuita. Contudo, você também precisará ter um sitemap - que pode ser criado facilmente pelo plugin Google XML Sitemaps que citamos mais acima — e inserir o arquivo google2751a0747f36085b.html no seu site ou blog que o Search Console lhe dispõe para download.

Para fazer essa inserção, faça login no seu host e acesse o gerenciador de arquivos. Dentro de public_HTML faça o upload desse arquivo.

24

Após fazer isso, volte ao Google Search Console e clique em “Verificar” para que ele reconheça o arquivo dentro do seu site ou blog. Pronto, a partir daí você poderá acompanhar às quais palavras-chave seus conteúdos estão ranqueando.

Dica: se você quiser otimizar o processo de indexação das páginas no Google, após criar um conteúdo no seu blog, dentro do menú esquerdo do Search Console, vá em “Rastreamento” e, dentro dele, em “Buscar como o Google”. Você poderá apontar a URL do artigo, clicar em “buscar” e solicitar a indexação daquele conteúdo nos resultados de busca.

apontar a URL do artigo, clicar em “buscar” e solicitar a indexação daquele conteúdo nos resultados
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 25 COMO PRODUZIR CONTEÚDOS NUM BLOG EM WORDPRESS Agora vamos ver como

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 25 COMO PRODUZIR CONTEÚDOS NUM BLOG EM WORDPRESS Agora vamos ver como produzir

25

COMO PRODUZIR CONTEÚDOS NUM BLOG EM WORDPRESS

Agora vamos ver como produzir conteúdos que tragam resultados! Afinal, para isso, não basta escrever um bom texto, é necessário adequar o conteúdo para a web de modo a atrair a sua persona e trazer um número cada vez maior de visitantes. Vamos lá!

o conteúdo para a web de modo a atrair a sua persona e trazer um número
COMPARTILHE ESTE EBOOK! ESCOLHA DE PALAVRA-CHAVE Cada post que você produzir para o seu blog

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

ESCOLHA DE PALAVRA-CHAVE

Cada post que você produzir para o seu blog deve estar apontado para uma palavra-chave, isto é, um termo que as pessoas inserem nos buscadores que as levarão ao seu blog que deverá aparecer dentro dos resultados de pesquisa do Google.

Por isso, a escolha da palavra-chave não deve ser feita na base de “achismo” e sim estrategicamente.

Para saber quais palavras-chave são procuradas pelo seu público dentro do seu segmento, você pode fazer uso de algumas ferramentas, tais como:

26

# Keyword Planner: esta é uma ferramenta gratuita do Google que lhe mostra ideias de palavras utilizadas em buscas a partir de algum termo que você esteja buscando. Por exemplo, ao inserir “marketing”, ele pode lhe mostrar exemplos de palavras-chave como “marketing digital”, “marketing de conteúdo”, etc.

# SEMRush: esta ferramenta é limitada em sua versão gratuita, portanto, vale a pena pagar pela versão

premium para ter acesso à todas as funcionalidades.

O SEMRush também lhe dá ideia de palavras-chave

relacionadas à um termo, além de analisar à quais

o seu domínio está apontado (a exemplo do Search Console) e comparar o ranqueamento do seu blog com a concorrência.

o seu domínio está apontado (a exemplo do Search Console) e comparar o ranqueamento do seu
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Por fim, lembramos que as palavras-chave são classificadas como head tail e

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Por fim, lembramos que as palavras-chave são classificadas como head tail e long tail.

# As palavras head tail têm maior volume de busca como, por exemplo, “marketing”.

# Já as long tail têm um menor volume - como, por exemplo, “marketing digital para pequenas empresas” — porém, são mais certeiras por serem mais específicas.

Portanto, tenha na sua estratégia de conteúdo os dois tipos de palavras-chave para atrair uma maior audiência e também um público específico que esteja mais abaixo do funil de vendas.

27

QUANTIDADE DE PALAVRAS

Em Marketing de Conteúdo, tamanho é documento. Ou seja, a quantidade de palavras que cada artigo terá também faz parte da estratégia. Basicamente, você pode definir quantas palavras um blog post terá baseado nos seguintes conceitos:

CONTEÚDO PEQUENO (ATÉ 300 PALAVRAS)

Sim, existem posts desse tamanho. Geralmente eles são dedicados a notícias, opiniões, clipping e acontecimentos. Leve em conta que o Yoast — um dos mais famosos pluggins de SEO do mundo — recomenda um texto de 300 palavras como mínimo, mas isso não é uma regra.

mais famosos pluggins de SEO do mundo — recomenda um texto de 300 palavras como mínimo,
COMPARTILHE ESTE EBOOK! CONTEÚDO NORMAL (300 A 500 PALAVRAS) Este costuma ser o tipo de

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

CONTEÚDO NORMAL (300 A 500 PALAVRAS)

Este costuma ser o tipo de artigo mais usado por blogs corporativos, razão pela qual, durante muito tempo, foi visto como o tamanho de post ideal.

Porém, tenha em conta que para escrever um artigo completo sobre um assunto — como este guia, por exemplo — você possivelmente precisará de mais palavras.

CONTEÚDO ESTENDIDO (500 A 2000 PALAVRAS)

Artigos mais longos conseguem aprofundar mais o tema abordado, o que gera valor tanto para o público que lê quanto para o Google Bot que vê aquele conteúdo como pertinente para aparecer nos resultados de busca.

28

Por isso, além de produzir conteúdos de 1000, 1500 ou 2000 palavras, uma boa tática é pegar os artigos de 300 a 500 palavras que já existem e estendê-los para ter um melhor ranqueamento.

CONTEÚDOS ÉPICOS (MAIS DE 2000 PALAVRAS)

Neste tipo de post você pode explorar ao máximo um tipo de assunto e, assim, aumentar as chances de ser encontrado a partir da busca pela palavra-chave. E caso você esteja se perguntando se uma pessoa realmente lê um conteúdo desse tamanho, lembre-se da razão que a levou a fazer uma busca no Google.

Quando temos uma dúvida, costumamos consumir toda informação possível até saná-la, certo? O mesmo ocorre com o seu público.

uma dúvida, costumamos consumir toda informação possível até saná-la, certo? O mesmo ocorre com o seu
COMPARTILHE ESTE EBOOK! FAÇA USO DE ESCANEABILIDADE E HEADING TAGS O texto, além de bem

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

FAÇA USO DE ESCANEABILIDADE E HEADING TAGS

O texto, além de bem escrito estrategicamente, também

precisa ser bem estruturado e agradável de ler.

Sabe aqueles artigos que fazem uso de um parágrafo só

— mais conhecidos como “blocos de texto”? Pois então, não faça isso!

A escanealibidade deve estar presente nos seus posts,

isto é, o formato como o seu texto será escrito levando em conta a leitura e experiência do usuário. Para que seu texto fique mais atrativo, escreva parágrafos pequenos, use bullet points, link building e divida-o em intertítulos.

Aliás, os intertítulos devem seguir a hierarquia das heading tags.

29

O título sempre será o H1, já os subtítulos serão H2, os que vierem abaixo serão H3 e assim por diante.

Por exemplo: ao escrevermos um artigo intitulado “Marketing Digital: entenda o conceito e aprenda agora mesmo como fazer”, este é o H1. Dentro dele, o subtítulo “O que é Marketing Digital” é o H2 e, dentro deste, temos “Conceitos de Marketing Digital” em H3.

Dentro do campo para produzir conteúdo no WordPress você pode inserir as heading tags selecionando o campo “Parágrafo” que, caso seu WordPress esteja em português, poderá classificá-las como Cabeçalho 1, Cabeçalho 2, Cabeçalho 3, e assim por diante.

esteja em português, poderá classificá-las como Cabeçalho 1, Cabeçalho 2, Cabeçalho 3, e assim por diante.
COMPARTILHE ESTE EBOOK! FAÇA USO DO YOAST Como dissemos anteriormente, o Yoast é o plugin

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

FAÇA USO DO YOAST

Como dissemos anteriormente, o Yoast é o plugin que ajuda você a deixar o conteúdo apropriado a atender as boas práticas de SEO e, assim, maiores chances de aparecer entre os resultados do Google.

No final do conteúdo, o Yoast se divide em suas partes:

Legibilidade e Palavra-chave.

O símbolo do plugin é um semáforo e você deve seguir as cores para saber o quão bem está a sua adequação para o SEO: verde significa “bom”, laranja significa “pode melhorar” e vermelho quer dizer “ruim”.

Dentro de Legibilidade, o Yoast mostra a análise do conteúdo da página ou blog post, considerando se cada frase tem o número apropriado de palavras, assim como os subtítulos e o tamanho dos parágrafos que não podem ser muito grandes.

30

Dentro de Palavra-chave, você pode definir a palavra- chave principal do conteúdo, definir o Título SEO e a Meta Description. Seguindo os padrões do semáforo, o plugin mostrará se o conteúdo atende o necessário para uma boa indexação, tais como:

# backlinks internos e externos;

# quantidade mínima de palavras (o Yoast sugere 300 palavras);

# inserção da palavra-chave no primeiro parágrafo, título, subtítulos, URL e meta description;

# imagens com alt text preenchidas com a palavra- chave em foco;

# densidade da palavra-chave que não deve ser pouca ou muita;

# não haver outros conteúdos com a mesma palavra- chave, pois, do contrário, você se torna concorrente de si mesmo!

# não haver outros conteúdos com a mesma palavra- chave, pois, do contrário, você se torna
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Não se preocupe caso algum ponto esteja laranja ou vermelho dentro da

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Não se preocupe caso algum ponto esteja laranja ou vermelho dentro da análise do Yoast. O mais importante é que, ao menos, 75% deles esteja classificado como verde.

PUBLIQUE E PROMOVA O CONTEÚDO

Uma vez que você tenha seguido os pontos acima, já pode clicar no botão “Publicar”. Porém, somente isso não basta para que esse conteúdo chegue ao seu público. É preciso promovê-lo, sobretudo se o seu blog tiver pouco tempo de existência.

As redes sociais são os canais online mais propícios para promover o conteúdo. O Facebook, por exemplo, lhe permite criar uma fanpage e nela você pode compartilhar os artigos do blog para que cheguem aos seus fãs. Usando o seu perfil na rede, você também pode participar de grupos ligados ao nicho do seu blog e compartilhar o link dos artigos por lá.

31

O Twitter também permite o compartilhamento dos

conteúdos dentro da rede, assim como o Google Plus.

O Instagram não permite a inserção de links clicáveis

(a não ser pelo Stories, mas há restrições para isso),

contudo, você pode inserir a URL do blog na bio.

Se você tiver orçamento para campanhas pagas, também é recomendável investir no Google Adwords e Facebook Ads para levar um número maior de pessoas dentro do seu público-alvo a conhecer os posts.

A ideia aqui é levar esses visitantes a conhecer o seu

blog e, a partir daí, acompanhar as atualizações. Ou seja, o investimento em tráfego pago também contribui para o crescimento do tráfego orgânico.Se você tem uma lista de e-mail, informe os seus assinantes cada vez que tiver um blog post novo. Como você pôde perceber, o blog funciona como um canal principal e os demais meios - redes sociais, e-mail, link em outros sites e blogs - como canais satélites para trazer cada vez mais resultados para o blog. E por falar nisso

link em outros sites e blogs - como canais satélites para trazer cada vez mais resultados
COMPARTILHE ESTE EBOOK! ANALISE OS RESULTADOS DO SEU BLOG EM WORDPRESS Por fim, analise os

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

ANALISE OS RESULTADOS DO SEU BLOG EM WORDPRESS

Por fim, analise os resultados de todas as ações feitas. Para isso, você deverá fazer uso de duas ferramentas citadas anteriormente: Google Analytics e Search Console.

32

Para isso, você deverá fazer uso de duas ferramentas citadas anteriormente: Google Analytics e Search Console.
COMPARTILHE ESTE EBOOK! COMO ANALISAR RESULTADOS COM O GOOGLE ANALYTICS O Google Analytics é a

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMO ANALISAR RESULTADOS COM O GOOGLE ANALYTICS

O Google Analytics é a ferramenta principal para analisar o desempenho de visitas no seu blog.

Na página principal ele já lhe mostra quantas pessoas estão acessando o seu blog em tempo real, assim como a quantidade de usuários, sessões e a porcentagem da taxa de rejeição que

o blog teve nos últimos 7 dias, embora você possa definir qual período analisar.

E já que falamos de taxa de rejeição, não

se preocupe se ela estiver alta. Segundo a QuickSprout, estas são as taxas aceitáveis de acordo com cada tipo de site:

# Varejo – 20 a 40%

33

# Landing pages simples – 70 a 90%

# Portais (exemplo: MSN, G1) – 10 a 30%

# Sites de serviço/FAQ – 10 a 30%

# Venda de serviços (geração de leads) – 30 a

50%

# Sites de conteúdo – 40 a 60%

# Blogs – 70 a 98%

Portanto, se o seu blog estiver com 70% de rejeição, não se preocupe, pois ele está dentro da média.

– 70 a 98% Portanto, se o seu blog estiver com 70% de rejeição, não se
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Porém, caso ele esteja em 100%, é preocupante, pois significa que o

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Porém, caso ele esteja em 100%, é preocupante, pois significa que o público não está interessado em navegar pelo seu blog. E se estiver em 5%, também é preocupante, pois dificilmente um blog tem uma performance tão boa, o que pode indicar erro na análise do seu GA.

No menu esquerdo do Google Analytics, você pode ver os resultados detalhados de cada categoria, segue abaixo cada uma:

# Tempo Real: aqui você pode ver quantas pessoas estão acessando o blog no momento assim como a localização desses usuários, quais conteúdos estão acessando e origem do tráfego.

# Audiência: neste ponto você tem acesso às informações completas do público que acessou o seu blog até o momento presente, o que é essencial para acompanhar a evolução do tráfego.

34

# Aquisição: aqui você confere quais são as fontes que geram visitas no seu blog. No começo é comum que boa parte dos visitantes venha de redes sociais, mas, uma vez que seus conteúdos atinjam as primeiras posições no Google com o passar do tempo, os índices do tráfego orgânico tendem a aumentar.

# Comportamento: para saber quais são as páginas e posts mais visitados do seu blog, você deve verificar aqui. Inclusive a performance dos backlinks internos pode ser vista dentro de “fluxo de comportamento” que exibe quais artigos levam os visitantes à outras partes do seu blog.

# Conversões: esta parte do GA é customizável, pois você pode escolher quais objetivos quer atingir como, por exemplo, quantidade de visitas, geração de leads, etc.

pois você pode escolher quais objetivos quer atingir como, por exemplo, quantidade de visitas, geração de
COMPARTILHE ESTE EBOOK! COMO ANALISAR RESULTADOS COM O GOOGLE SEARCH CONSOLE O Google Search Console

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMO ANALISAR RESULTADOS COM O GOOGLE SEARCH CONSOLE

O Google Search Console informa como está a indexação de palavras-chave para o seu blog e o ranqueamento, ou seja, as posições nos resultados de busca do Google em que você aparece a partir da inserção dessas palavras.

No menu esquerdo, dentro do primeiro item, “Aspecto da pesquisa”, você pode ver quantos itens estão sendo analisados dentro do seu blog e quantos possuem erros.

Também é possível ver melhorias de HTML que deixarão as páginas mais amigáveis e melhorar a experiência de seus visitantes a partir da inserção de melhores meta descriptions e adequação de títulos.

Caso você não tenha preenchido adequadamente no Yoast, o Search Console lhe mostra.

35

Dentro de “Tráfego de pesquisa” é possível ver a quantidade de cliques, impressões e CTR que o seu blog teve assim como o posicionamento de cada página ou post para as palavras-chave, o que pode lhe dar insumos para atualizar e promover conteúdos a fim de conquistar melhores posições nos resultados do Google.

Neste mesmo item você também pode ver quantos backlinks internos e externos seu blog tem.

Índice do Google” lhe mostra o total de páginas indexadas e como anda essa evolução. Lembre-se que cada página ou post não ranqueia necessariamente para apenas uma palavra-chave, embora seja fundamental que ele esteja ranqueando para a palavra em foco que você apontou no Yoast.

Em “Rastreamento”, como dissemos anteriormente, você pode apontar páginas que você quer que sejam indexadas no Google.

Rastreamento ”, como dissemos anteriormente, você pode apontar páginas que você quer que sejam indexadas no
COMPARTILHE ESTE EBOOK! Porém, você também pode ver quais possuem erros de rastreamento (como erro

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

Porém, você também pode ver quais possuem erros de rastreamento (como erro 404, por exemplo), além de conferir as estatísticas de páginas rastreadas por dia no seu blog.

OUTRAS MANEIRAS PARA ANALISAR RESULTADOS

Embora o Google Analytics e Google Search Console sejam os meios principais de análise de resultados, existem outras ferramentas que você deve levar em conta para ver como o seu blog está performando.

Caso você tenha criado uma conta no Google Adsense a fim de monetizar o seu blog a partir de cliques em anúncios, a home dele lhe mostra a quantidade de cliques obtidos e quanto dinheiro você ganhou até então.

Embora o Google Analytics mostre o quanto você tem de tráfego a partir das redes sociais, é preciso acessá- las para ver como o público tem reagido às publicações que as conduzem ao blog.

36

No Facebook, dentro de “Informações” e “Ferramentas de publicação” da fanpage é possível ver o relatório completo de engajamento do público, o que pode lhe mostrar quais conteúdos têm recebido mais reações e quais não têm agradado tanto.

Essa ferramenta também é conhecida como Facebook Insights.

Caso tenha impulsionado artigos pelo Facebook Ads, dentro do “Gerenciador de Anúncios” você pode conferir o número de visualizações e cliques que as campanhas tiveram e levar em conta as que performam melhor.

Ferramentas de Redes Sociais como o HootSuite também geram relatórios referentes à todas as redes juntas para que você veja na mesma tela o que elas têm gerado para o seu blog.

Ferramentas de automação de marketing também indicam a quantidade de cliques que cada e-mail teve, revelando quais ações levaram mais visitas ao seu blog.

também indicam a quantidade de cliques que cada e-mail teve, revelando quais ações levaram mais visitas
COMPARTILHE ESTE EBOOK! CONCLUSÃO Embora possa parecer um pouco complicado no início, com o tempo

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

CONCLUSÃO

Embora possa parecer um pouco complicado no início, com o tempo você entenderá o quanto um blog corporativo é indispensável para melhorar a sua presença digital.

Afinal ele será um canal 100% seu para gerar valor, comunicar e educar o seu público, não só melhorando o relacionamento dele com

a sua empresa, como também ajudando-o

a caminhar pelo funil de vendas até o momento da compra.

37

dele com a sua empresa, como também ajudando-o a caminhar pelo funil de vendas até o
COMPARTILHE ESTE EBOOK! 38 Por isso, insista, capacite a sua equipe e comece o quanto

COMPARTILHE ESTE EBOOK!

COMPARTILHE ESTE EBOOK! 38 Por isso, insista, capacite a sua equipe e comece o quanto antes

38

Por isso, insista, capacite a sua equipe e comece o quanto antes a gerar conteúdos de valor para a sua persona, que ainda podem ser uma excelente opção para conseguir novos e bons posicionamentos no Google.

E, caso precise de ajuda, é só entrar em contato com a gente. A Rock tem mais de 1500 clientes que foram gerados exatamente através de blogs corporativos e por isso, nós com certeza poderemos te ajudar!

Um abraço e boa sorte!

exatamente através de blogs corporativos e por isso, nós com certeza poderemos te ajudar! Um abraço
A Rock Content é a empresa líder em marketing de conteúdo no mercado brasileiro. Nós

A Rock Content é a empresa líder em marketing de conteúdo no mercado brasileiro. Nós ajudamos marcas a se conectarem com seus clientes através de conteúdo fantástico e blogs corporativos sem monotonia.

Através de nosso serviço de consultoria montamos estratégias de conteúdo para nossos clientes que são executadas pelo nosso time de milhares de escritores freelance qualificados.

Possuímos vários materiais educativos gratuitos e sempre temos algum artigo interessante no blog do Marketing de Conteúdo.