Você está na página 1de 152

Acerto: 1,0 / 1,0

1a Questão (Ref.:201603382952)
O estudo da ética é uma preocupação filosófica desde a Antiguidade Clássica, passando por
mudanças significativas em sua construção de conhecimento e durante a história. Assinale um
dos principais representantes da chamada Ética Cristã:

Kant.
Aristóteles.
São Tomás de Aquino.
Sócrates.
Hegel.

2a Questão (Ref.:201603352553) Acerto: 1,0 / 1,0

Para Kant, o critério para julgar se uma ação é boa deve ser a/o:

Prazer
Moral social
Juízo de valor
Senciência
Motivação

3a Questão (Ref.:201605298561) Acerto: 1,0 / 1,0

As bases filosóficas da Bioética criaram um código ético para normatizar os estudos e


experiências relacionados a seres humanos, fortalecendo também a ideia de que a ciência não
pode ser mais importante que o homem. O momento histórico em que isso ocorreu foi:

Após a crise econômica mundial de 1929.


Após o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945.
Após a queda do Muro de Berlin, em 1989.
Após o advento da Gripe Espanhola, em 1918.
Após a conquista do espaço por Iuri Gagarin, em 1961.

4a Questão (Ref.:201602435509) Acerto: 1,0 / 1,0

As bases da Bioética começaram a ser mais bem definidas após a Segunda Guerra Mundial, em
função das práticas nazistas e das experiências com seres humanos. A partir daí há um
fortalecimento da idéia de que:

Em nome da ciência justificam-se os meios e os fins para o progresso.


A ciência é feita pelo homem e pode desconsiderá-lo enquanto indivíduo.
As formas de progresso justificam agressões ao homem.
A ciência não pode ser mais importante que o homem.
O progresso depende de experiências independente dos efeitos para o homem.

Gabarito Coment.
5a Questão (Ref.:201602618036) Acerto: 1,0 / 1,0

Ter o cuidado de alertar todos os envolvidos em uma pesquisa de seus riscos e os benefícios
esperados é uma prática que visa:

Apenas rotina pois, os verdadeiros riscos conhecidos são ocultados para manter a ética
da pesquisa.
Não ter custos com os voluntários. Agindo desta forma eles é que são responsáveis pelo
financiamento da pesquisa.
Eliminar as possibilidades de futuras solicitações de patentes dos medicamentos.
Acelerar o processo de tabulação primária onde apenas os nomes dos envolvidos são
citados.
Seguir as normas básicas da Bioética e orientações dos Comitês de Ética

Gabarito Coment.

6a Questão (Ref.:201605296955) Acerto: 1,0 / 1,0

No cenário das pesquisas biomédicas, e em termos de procedimentos eticamente necessários,


há um preceito que se destaca. Ele implica em que, mediante a ausência de certeza científica da
inexistência de riscos de danos, devem ser tomadas todas as medidas necessárias na prevenção
de efeitos indesejáveis. Assim, a análise de riscos referentes a atividades científicas e
tecnológicas que envolvam a possibilidade de danos às pessoas deve ser realizada, mesmo
quando a existência de riscos não é ainda conhecida. A este preceito, damos o nome de:

Princípio Protetor.
Princípio da Precaução.
Princípio do Duplo Efeito.
Princípio Moral.
Princípio Cristão.

7a Questão (Ref.:201605290292) Acerto: 0,0 / 1,0

Com relação a chamada manifestação compulsória é possível afirmar que:

Defende o conceito de que todo cidadão deve fazer informalmente a opção entre ser
um doador e a abordagem de mercado defende a possibilidade de incentivos
financeiros à família do doador como forma de estimular as doações voluntárias.
Afirma que todo cidadão tem o dever de ser doador e estimular as doações
voluntárias.
Defende o conceito de que todo cidadão deve fazer formalmente a opção entre ser
ou não um doador e a abordagem de mercado defende a possibilidade de incentivos
financeiros à família do doador como forma de estimular as doações voluntárias.
Afirma que todo cidadão tem o direito de ser doador informal e estimular as doações
voluntárias.
Defende o conceito de que todo cidadão deve fazer formalmente a opção em ser um
doador e defende a possibilidade de incentivos financeiros à família do doador como
forma de estimular as doações voluntárias
8a Questão (Ref.:201605290287) Acerto: 1,0 / 1,0

Com relação à doação de órgãos de cadáver no Brasil, podemos afirmar que:

Todo e qualquer cadáver é doador de órgãos

Fundamenta-se no chamado permissão presumida.


É sempre uma decisão de responsabilidade da família
Só é possível quando o doador expressa por escrito sua vontade ou informalmente
Não é possível a doação de órgãos de cadáver no Brasil

9a Questão (Ref.:201603036951) Acerto: 1,0 / 1,0

Uma mulher de 25 anos foi estuprada. De acordo com a legislação brasileira, ela:

Não tem direito a fazer o aborto, pois sua vida não está em risco.
Tem o direito de fazer o aborto somente se o bebê for anencéfalo.
Não tem o direito de fazer o aborto, pois já tem mais de 18 anos.
Não tem o direito de fazer o aborto, pois o bebê não é anencéfalo.
Tem o direito de fazer o aborto, pois foi estuprada.

10a Questão (Ref.:201603041667) Acerto: 1,0 / 1,0

A Igreja Católica possui um extenso documento intitulado ¿Instrução sobre o respeito à vida
humana em suas origens e a dignidade da procriação em resposta a determinadas questões da
atualidade¿. Neste documento (Donum Vitae) datado de 1987, está descrito:

Fica formalmente estabelecido, pela ciência, que o início da vida humana se dá no


momento do nascimento.
Fica formalmente estabelecido, pela ciência, que o início da vida humana se dá no
momento em que ocorre a fecundação.
Fica formalmente estabelecido que, pela perspectiva da Igreja, o início da vida humana
se dá no momento em que ocorre a fecundação.
Fica formalmente estabelecido que, pela perspectiva da Igreja, o início da vida humana
se dá no momento do nascimento.
Considera como lícita a fertilização que auxiliam os casais a procriarem desde que estas
respeitem a preservação do ato procriativo.

Gabarito Coment.
Acerto: 1,0 / 1,0
1a Questão (Ref.:201602972950)
A virtude ética é uma teoria que se foca mais no caráter do que nas ações e que está mais
interessada na questão de saber quais as ações que estão corretas e quais as que estão erradas
e a Ética da Virtude pensa assim sobre as diversas formas de trabalhar a referida questão. A
Ética da Virtude pensa assim sobre o género de pessoa que deveremos ser, que ações
deveremos tomar, quais as qualidades que tornam a vida boa e quais os vícios e qualidades
negativas que devemos evitar. A respeito dos conceitos de ética, moral e virtude, é correto
afirmar:

Compete à moral chegar, por meio de investigações científicas, à explicação de


determinadas realidades sociais, ou seja, ela investiga o sentido que o homem dá a
suas ações para ser verdadeiramente feliz.
A moral é influenciada por vários fatores como, sociais e históricos; todavia, não há
diferença entre os conceitos morais de um grupo para outro
A vida ética realiza-se no modo de viver daqueles indíviduos que não mantêm relações
interpessoais.
Virtude que significa uma qualidade própria da natureza humana; significa, de modo
geral, praticar o bem usando a liberdade com responsabilidade constantemente.
Etimologicamente, a palavra moral deriva do grego mos e significa comportamento,
modo de ser, caráter.

Gabarito Coment.

2a Questão (Ref.:201605292389) Acerto: 1,0 / 1,0

A ética contemporânea é profundamente influenciada:

Pelo empirismo e sistema econômico


Pela globalização e conservadorismo
Pela globalização e sistema econômico
Pelo conservadorismo e sistema econômico
Pelo empirismo e conservadorismo

3a Questão (Ref.:201602400008) Acerto: 1,0 / 1,0

A bioética se sustenta em alguns conceitos básicos como o princípio do duplo efeito. Uma
situação frequente é a ocorrência de uma determinada ação que acarreta em dois efeitos, um
bom e outro mau. O primeiro resultado é legítimo e aquele que queremos atingir, o segundo é
mau e não esperamos, mas é inseparável do primeiro. A questão antagônica que surge é:
Devemos procurar o bem e tolerar o mal? Para lidar com estes dilemas, o princípio do duplo
efeito foi formulado. Ele nos permite realizar a ação boa que tem consequências más, desde que
as seguintes condições sejam respeitadas: A ação, em si mesma não deve ser má. Isto
simplesmente reafirma o princípio moral fundamental que nunca devemos fazer o mal. Este é o
princípio moral tradicional: O fim não justifica os meios. O fim, o objetivo é bom, mas os meios
para obtê-lo são errados. O efeito mau não é desejado, mas simplesmente permitido ou
tolerado. O que isto significa é que nossa intenção primeira é atingir o efeito bom. Deve existir
uma razão proporcional para:
sempre avaliar de forma positiva a natureza da ação, mesmo que ela seja totalmente
negativa.
não avaliar a natureza da ação.
não executar a ação, pois traz apenas conseqüências positivas.
executar a ação, apesar das consequências que ela traz.
executar a ação, pois traz apenas conseqüências negativas.

4a Questão (Ref.:201603026573) Acerto: 1,0 / 1,0

A criação de um código ético para normatizar os estudos e experiências relacionados a seres


humanos está na base filosófica da:

Ética materialista
Moral vigente
Guerra
Bioética
Inquisição

Gabarito Coment.

5a Questão (Ref.:201602435529) Acerto: 1,0 / 1,0

A _______________________________é considerada o mais atual e importante documento


mundial sobre a ética em pesquisas na área da saúde e tem servido como base para quase que
a totalidade de todos os procedimentos regulatórios sobre pesquisa biomédica.

Assembléia de Saúde
Avaliação de Nuremberg
Determinação de Caracas
Declaração de Helsinque
Conferência de Burner

Gabarito Coment.

6a Questão (Ref.:201602618031) Acerto: 1,0 / 1,0

Uma pesquisa sobre qualidade de vida colocou no reservatório de água de uma cidade uma
grande quantidade de Testosterona (hormônio masculino), sem que ninguém soubesse, afim de
observar os resultados no nível de estresse da população. Pela bioética os pesquisadores
erraram em:

Usarem uma grande quantidade. Isto pode gerar riscos aos fetos em gestação.
A Bioética não versa sobre pesquisas em reservatórios de água.
Usarem Testosterona. Na verdade deveriam usar adrenalina que surte efeito mais
rápido.
Não dimensionarem a vazão da água e a perda hormonal pela evaporação.
Não participar aos envolvidos dos riscos do experimento dando a opção deles
participarem ou não como voluntários.

7a Questão (Ref.:201602435537) Acerto: 1,0 / 1,0

No que tange ao tema de tranplantes de órgãos e tecidos, o princípio através do qual se


preserva o direito do indivíduo em decidir qual a informação que quer manter em anonimato,
denomina-se:

Princípio da divisão
Princípio da arguição
Princípio da confidencialidade
Princípio de Castel
Princípio da bondade

8a Questão (Ref.:201605297471) Acerto: 1,0 / 1,0

A doação de órgãos realizada através da vontade expressa do doador quando em vida é


denominada:

Compulsória.
Religiosa.
Sentimento Humanitário.
Voluntária.
Involuntária.

9a Questão (Ref.:201605322621) Acerto: 0,0 / 1,0

Quando se fala no avanço das tecnologias voltadas para o bem estar do homem que precisa
fazer uso da mesma para estabelecer sua saúde, deve-se pensar quais procedimentos abordam,
não apenas questões éticas individuais, relativas aos direitos da pessoa, mas também ao modo
como pretendem se beneficiar com o uso dessas tecnologias. Assinale a alternativa que
apresenta um outro problema relativo ao uso dessas tecnologias:

Iniciam discussões sobre aborto


Incitam às questões relativas à saúde coletiva
Iniciam discussões sobre comercialização sobre esses equipamentos.

Iniciam demandas de doenças que surgem a partir de outros países.


Abrem espaço para o avanço da tecnologia para diversas áreas e não somente a
saúde.

10a Questão (Ref.:201605298977) Acerto: 1,0 / 1,0

O debate ético sobre a interrupção da gravidez por procedimentos clínicos, o aborto, envolve
questões morais e sociais, direito da mulher sobre o seu corpo, conceito de início da vida, entre
outros aspectos. Porém, existe uma forte percepção sobre a realidade de que as restrições
legais não conseguem impedir esses procedimentos. Portanto, temos como uma grave
consequência de tais restrições:
Uma crise ética na sociedade, que não consegue estabelecer um consenso em
torno da questão do aborto.
Um problema de saúde pública, com muitas mulheres morrendo em procedimentos
sem acompanhamento clínico adequado.
O custo em manter tanta fiscalização e a multiplicação de processos legais, que
encarece nosso sistema legal.
Um custo político elevado, pois nossos governantes muitas vezes evitam debater
questões controversas como essa.
Um problema técnico no meio da saúde pública, que se mostra incapaz de definir
quando de fato a vida se inicia na gestação.

1a Questão (Ref.:201605298506) Acerto: 1,0 / 1,0

As discussões sobre a respeito do conceito de bem supremo, ou os debates sobre se o bem é


individual ou coletivo, se segue do particular para o geral ou vice-versa, tem encontrado certo
consenso no sentido de que o bem só é possível quando compartilhado ao nível social. Assim, o
ético se faz a partir do todo social e não a partir da ação individual.

Segundo o texto, podemos esperar que:

Os conflitos de interesse entre sociedade e indivíduo devam ser resolvidos pelos


governos.
A Ciência se apresente como meio de adequação das relações sociais.
Instituições privadas se organizem com maior eficiência que instituições públicas.
A sociedade deva fomentar as oportunidades para o pleno desenvolvimento de seus
cidadãos.
Indivíduos mais qualificados devam estabelecer os padrões éticos para a coletividade.

2a Questão (Ref.:201605296451) Acerto: 1,0 / 1,0

O enredo do filme O Nome da Rosa, baseado no livro do mesmo nome de Umberto Eco, se
desenvolve na última semana de 1327, em um monastério da Itália medieval. Neste cenário,
Umberto Eco criou uma novela de detetives que permite ao leitor dar um passeio pelos
costumes da época, pelo seu lado mais escuro e cruel, constituindo-se numa crônica da vida
religiosa no século XIV. O filme pode ser entendido, por conta disto, como uma alegoria de
Umberto Eco, que tem a ver com o pensamento dominante da época, dominado pela igreja. A
informação restrita a alguns poucos representava dominação e poder. Neste período, os
pensadores cristãos conceberam uma nova ética que encontra em Deus os princípios da moral.
Pode-se, então, concluir que o filme retrata a ética:

Grega.
Moderna.
Cristã Medieval.
Contemporânea.
Iluminista.

3a Questão (Ref.:201605296612) Acerto: 0,0 / 1,0

Divulgar melhor a Declaração Universal sobre a Bioética adotada pela Unesco em 2005 foi uma
das maiores preocupações manifestadas pelo Comitê Internacional de Bioética reunido entre os
dias 26 e 27 de outubro, em Paris. Durante dois dias, representantes dos 36 países que
compõem o Comitê discutiram os relatórios elaborados por grupos de trabalho em torno de três
temas: a vulnerabilidade humana e integridade pessoal, a clonagem humana e governança
internacional e as implicações éticas da prática da chamada medicina tradicional. No encontro, o
Brasil encaminhou proposta para criação de comitês regionais de Bioética para melhor difundir
os princípios da Declaração da Unesco. Tudo isto é um exemplo, em Bioética, de um
procedimento:

Moral.
Normativo.
Descritivo.
Humano.
Protetor.

4a Questão (Ref.:201603347435) Acerto: 1,0 / 1,0

(SRH/Prefeitura de Curitiba/ Concurso: 2003/Cargo: Médico Clínico Geral) Os princípios básicos


da Bioética NÃO incluem:

Beneficência.
Justiça.
Autonomia.
Religião.
Não maleficência.

5a Questão (Ref.:201602522835) Acerto: 1,0 / 1,0

Ricardo é um pesquisador e está desenvolvendo uma pesquisa com grupo de controle e grupo
experimental. Ele acredita que sua pesquisa, por não ser na área de medicina, não envolve
riscos. Podemos afirmar, então, que:

Ricardo está equivocado, pois segundo a Resolução 196/93, toda pesquisa envolvendo
seres humanos não envolve riscos.
Ricardo está equivocado, pois segundo a Resolução 196/96, toda pesquisa envolvendo
seres humanos envolve riscos.
Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/92, toda pesquisa envolvendo
seres humanos não envolve riscos.
Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/96, toda pesquisa envolvendo
seres humanos não envolve riscos.
Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/93, toda pesquisa envolvendo
seres humanos está isenta de riscos.

6a Questão (Ref.:201605298595) Acerto: 1,0 / 1,0

Objetivando eliminar futuros episódios como aqueles praticados pelos nazistas no período da 2ª
Guerra Mundial, o Código de Nuremberg surgiu como um importante marco na história da ética
das pesquisas médicas. Assinale a opção que apresenta uma das medidas desse código.

Toda pesquisa deveria exigir a realização de experimentos anteriores em animais.


O uso do genoma humano para tratamentos deve seguir rigorosos procedimentos
éticos.
Somente profissionais com doutorado podem elaborar projetos de pesquisa médica.
Os códigos de bioética de cada país devem ser submetidos a comissão da ONU.
As pesquisas médicas devem ser precedidas por pesquisas físicas e químicas.

7a Questão (Ref.:201605297452) Acerto: 1,0 / 1,0

O transplante de órgãos e tecidos implica uma sequência de eventos que, desde a doação até a
efetivação do transplante:

leva em conta, exclusivamente, a necessidade do receptor.


leva em conta, exclusivamente, a vontade do doador.
considera que nosso corpo pode funcionar sem alguns órgãos, não nos cabendo,
enquanto potenciais doadores, negar a doação.
abarca alguns direitos fundamentais pertinentes ao doador e ao receptor.
não leva em consideração nossa relação com nosso próprio corpo.

8a Questão (Ref.:201602400078) Acerto: 1,0 / 1,0

Bruno foi fazer um transplante de medula óssea e fez todos os exames pré-operatórios, só que
um médico recém-formado esqueceu de verificar a compatibilidade do órgão do doador com a
do órgão do receptor. Como o recém-formado era responsável pela verificação, nenhum outro
médico que fez a cirurgia verificou também. Bruno faleceu três horas depois. A questão dos
transplantes frequentemente tangencia questões éticas relativas à experimentação no corpo
humano, às decisões políticas relacionadas com a saúde, e, em sentido mais amplo provocam
debates sobre estes direitos fundamentais. Estes debates estão associados:

à câmara de Deputados e as leis relacionadas a transplantes e procedimentos médicos.


ao poder público e como há comandos para demandar os transplantes de órgãos.
a aspectos que vão desde a origem dos órgãos e tecidos, até a forma de obtenção e ao
tipo de procedimento realizado para o transplante.
ao médicos recém-formados e a os responsáveis pela formação acadêmica deles.
ao dinheiro e a forma como as pessoas negociam os transplantes e seus
procedimentos.

Gabarito Coment.

9a Questão (Ref.:201602962374) Acerto: 1,0 / 1,0

Maria é mãe de Francisca. Ela engravidou de sua filha através da doação de gametas. Agora ,
dez anos após o nascimento da menina, Maria quer que o pai biológico a reconheça como filha.
De acordo com a Resolução 1957/10:

Maria deve entrar em contato com a clínica onde fez a técnica de reprodução assistida
para solicitar que mesma seja intermediadora do processo.
Isso é possível desde que Maria solicite um exame de DNA.
A clínica de reprodução assistida não tem qualquer responsabilidade sobre sigilo ou
documentos de doadores de gametas.
Maria tem livre acesso aos registros do pai biológico de Francisca, podendo, até
mesmo, solicitar pensão.
Isso não é possível porque a doação de gametas deve preservar o anonimato.
Gabarito Coment.

10a Questão (Ref.:201602576843) Acerto: 1,0 / 1,0

A reprodução assistida ficou muito famosa a partir do nascimento do primeiro bebê de proveta.
Este evento está relacionado a seguinte técnica de reprodução humana:

fertilização múltipla
reprodução inócua
fertilização integrada
fertilização in vitro
reprodução eficaz

Gabarito Coment.

1a Questão

Acerca da relação entre ética e moral, assinale a opção correta.

Durante as Idades Média e Moderna, a ética era considerada uma ciência, portanto, era ensinada
como disciplina escolar. Na Idade Contemporânea, a ética assumiu uma nova conotação,
desvinculando-se da ciência e da filosofia e sendo vinculada às práticas sociais.
O conhecimento do dever está desvinculado da noção de ética, pois este é consequência da percepção,
pelo sujeito, de que ele é um ser racional e, portanto, está obrigado a obedecer ao imperativo
categórico: a necessidade de se respeitar todos os seres racionais na qualidade de fins em si mesmos.
O entendimento ético discorre filosoficamente, em épocas diferentes e por vários pensadores, dando
conceitos e formas de alusão ao termo ética.
A simples existência da moral significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia
moral, isto é, uma reflexão que discute, problematiza e interpreta o significado dos valores morais.
A ética não tem por objetivo procurar o fundamento do valor que norteia o comportamento, tendo em
vista a historicidade presente nos valores.

2a Questão

Ironicamente, no entanto, a ética cristã de igualdade é lançada no momento histórico em que os homens
conhecem as maiores desigualdades, sendo estas:

a divisão entre escravos e homens livres


a divisão entre escravos e Reis
a divisão entre homens livres e Reis
a divisão entre padres e Reis
a divisão entre homens livres e padres

Explicação:

Ou ainda entre servos e senhores feudais em uma divisão de classe.


3a Questão

As discussões sobre a respeito do conceito de bem supremo, ou os debates sobre se o bem é individual ou
coletivo, se segue do particular para o geral ou vice-versa, tem encontrado certo consenso no sentido de que
o bem só é possível quando compartilhado ao nível social. Assim, o ético se faz a partir do todo social e não a
partir da ação individual.

Segundo o texto, podemos esperar que:

A Ciência se apresente como meio de adequação das relações sociais.


A sociedade deva fomentar as oportunidades para o pleno desenvolvimento de seus cidadãos.
Os conflitos de interesse entre sociedade e indivíduo devam ser resolvidos pelos governos.
Indivíduos mais qualificados devam estabelecer os padrões éticos para a coletividade.
Instituições privadas se organizem com maior eficiência que instituições públicas.

Explicação:

O texto do enunciado trata da via social para que os cidadãos alcancem padrões éticos no exercício do bem.
Portanto, é a construção coletiva que cria as referências para o pacto do indivíduo com a sociedade a que
pertence. A resposta do gabarito explora justamente esse entendimento, de que a coletividade deve investir
em seus cidadãos.

4a Questão

A noção de que o bem só é possível quando compartilhado ao nível social, que o ético se faz a partir do todo
social e não a partir da ação individual, faz parte das discussões da:

Legislação vigente
Moral acidental
Ética contemporânea
Ética moralista
Ética individual

5a Questão

Sobre a ética cristã, analise os itens I, II e III e assinale a alternativa correta. I) As virtudes podem ser
classificadas em cardeais(a prudência, a temperança, a justiça e a fortaleza) e teologais (a fé, a esperança e
a caridade). II) As obras de Santo Agostinho e São Tomás de Aquino são consideradas fundamentais para a
formulação conceitual da ética cristã. III) De acordo com a concepção ética cristã, a lei divina não pode ser
considerada injusta.

Todos estão corretos.


Nenhum está correto.
Apenas II e III estão corretos.
Apenas I e II estão corretos.
Apenas I e III estão corretos.
6a Questão

Um homem decidiu se tornar peregrino e não se prender à família, trabalho ou bens materiais. Ele rejeita a
busca pela felicidade. Essa rejeição a felicidade denomina-se:

Tatonomia
Eudemonia
Heleominia
Geomonia
Egemonia

Explicação:

Considerando, ainda, que o homem é um peregrino que se prepara para uma vida futura ultraterrena,
rejeitaram a busca da felicidade (eudemonia)

7a Questão

Diversos autores, nos mais variados campos do conhecimento, têm ressaltado a importância de estabelecer-
se uma relação ética com os recursos sociais, humanos e naturais que reponha:

uma hierarquia de valores de consumo e de lucro como parâmetros do desenvolvimento.


uma hierarquia de valores morais e filosóficos como parâmetros do desenvolvimento.
uma hierarquia de valores econômicos e políticos como parâmetros do desenvolvimento.
uma hierarquia da fisiologia sobre a filosofia como parâmetros do desenvolvimento.
uma hierarquia da família sobre a escola como parâmetros do desenvolvimento.

Explicação:

Diversos autores, nos mais variados campos do conhecimento, têm ressaltado a importância de estabelecer-
se uma relação ética com os recursos sociais, humanos e naturais que reponha uma hierarquia de valores
morais e filosóficos como parâmetros do desenvolvimento. Consideram que tais parâmetros vem sendo
esfacelados por um mercado mundial que achata sistemas particulares de valor, e que coloca num mesmo
plano de equivalência os bens materiais, os bens culturais, as áreas naturais.

8a Questão

A transformação do Cristianismo em religião oficial, no séc. IV, trouxe um novo sentido para a ética na
ocasião:

as pesoas não possuíam balizadores que regulassem as suas atuações;


Deus era o grande princípio para a vida moral;
nada se temia em relação ao livre arbítrio;
a religião era algo completamente desconsiderado à época em se tratando de atitudes.
a liberdade era o grande marco para as condutas;
Explicação:

O Cristianismo serviu como um grande balkizador para os hábitos nessa época e por isso influenciou bastane
os costumes.

1a Questão

¿Tais coisas dependem das circunstâncias particulares e quem decide é a percepção. Fica bem claro, pois,
que em todas as coisas o meio termo é digno de ser louvado, mas que às vezes devemos inclinar-nos para o
excesso e outras vezes para a deficiência. Efetivamente, essa é a maneira mais fácil de atingir o meio termo
e o que é certo¿. Essa afirmativa de Aristóteles remete a sua concepção de ética:

Ética do Imperativo Categórico


Ética Pragmática
Ética Mediana
Ética Do Dever
Ética Racionalista

2a Questão

É ou não ético roubar um remédio cujo preço é inacessível, a fim de salvar alguém, que, sem ele, morreria?
Seria um erro pensar que, desde sempre, os homens têm as mesmas respostas para questões desse tipo.
Com o passar do tempo, as sociedades mudam e também mudam os homens que as compõem. Na Grécia
Antiga, por exemplo, a existência de escravos era perfeitamente legítima: as pessoas não eram consideradas
iguais entre si, e o fato de umas não terem liberdade era considerado normal. Hoje em dia, ainda que nem
sempre respeitados, os Direitos Humanos impedem que alguém ouse defender, explicitamente, a escravidão
como algo legítimo. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Fundamental. Ética. Brasília, 2012.
Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2012 (adaptado). Com relação a ética e cidadania, avalie as afirmações
seguintes. I. Toda pessoa tem direito ao respeito de seus semelhantes, a uma vida digna, a oportunidades de
realizar seus projetos, mesmo que esteja cumprindo pena de privação de liberdade, por ter cometido delito
criminal, com trâmite transitado e julgado. II. Sem o estabelecimento de regras de conduta, não se constrói
uma sociedade democrática, pluralista por definição, e não se conta com referenciais para se instaurar a
cidadania como valor. III. Segundo o princípio da dignidade humana, que é contrário ao preconceito, toda e
qualquer pessoa é digna e merecedora de respeito, não importando, portanto, sexo, idade, cultura, raça,
religião, classe social, grau de instrução e orientação sexual. É correto o que se afirma em:

Apenas as alternativas II e III estão corretas.


Apenas III está correta.
Apenas I está correta.
Apenas as alternativas I e II estão corretas.
Todas as alternativas estão corretas.

3a Questão

A vontade é verdadeiramente moral quando é regida por imperativos categóricos - referem-se a ações
objetivamente necessárias, em que suas realizações estejam subordinadas tanto a fins quanto condições. A
moralidade kantiana, neste sentido, diz respeito:

em pensar somente no lucro.


em agir de acordo com seus próprios interesses.
ao fundamento da maldade dos atos, averiguando em que consiste o mal.
em se adaptar ao sistema capitalista vigente na sociedade atual.
ao fundamento da bondade dos atos, averiguando em que consiste o bom.

Explicação:

A moralidade em Kant é regida pelo domínio da bondade. Desta maneira, o Homem moral seria regido por
este preceito.

4a Questão

A Ética antiga foi desenvolvida, sobretudo, por Platão e Aristóteles. Sobre ela, julgue os itens abaixo. 1. A
ética de Platão está intimamente relacionada com a teoria dualista dos dois mundos: sensível e
suprassensível. 2. Na perspectiva platônica, ser feliz é o mesmo que ser virtuoso, estando o vício ligado à
ignorância. 3. O bem moral para Platão consistia em agir de forma equilibrada e sob a orientação da razão. 4.
Aristóteles concebia a virtude como o equilíbrio racional, que depende da prática persistente de bons hábitos,
já que, para ele, a boa conduta é aprendida. 5. Aristóteles defende que a alma, tendo participado da
realidade suprassensível, trás consigo, de forma inata, o conhecimento do Bem. É CORRETO o que se lê em:

1, 2 e 4.
1, 3 e 5.
2, 3, 4 e 5.
1 e 3.
3 e 4.

5a Questão

Maura é uma estudiosa de Filosofia. Ela acredita na busca pela felicidade, na investigação das características
do bem e da perfeição humana. Maura se afina com o modelo de ética proposto por:

Heráclito
Platão
Demócrito
Sofistas
Aristóteles

Explicação:

Aristóteles tornou a ética uma disciplina autônoma no domínio da filosofia moral. Para ele, o campo ético
deveria investigar as características do bem, da perfeição e da felicidade que são atribuídas ao homem, com
o fim de ajustá-los à orientação prática da conduta humana. Ele considerava que toda ação humana está
orientada para a realização de algum bem, ao qual estão unidos o prazer e a felicidade.

6a Questão

O século XVIII é marcado pelo movimento intelectual denominado de Iluminismo, Exalta-se a capacidade que
tem o homem de conhecer e agir por uma luz própria da razão. São criticadas posições éticas que conduzem
à heteronomia, debatendo-se, antes, a liberdade da vontade em relação ao determinismo da natureza, ou do
vínculo entre leis morais e naturais. A este respeito, podemos afirmar que para Immanuel Kant, a consciência
é entendida como:
cognoscente ou moral suscitada em um homem ativo, criador e legislador.
cognoscente ou religiosa suscitada em um homem que acredita em Deus sobretudo.
cognoscente ou moral suscitada em um homem passivo.
cognoscente ou amoral suscitada em um homem restrito e amoral.
cognoscente ou política suscitada em um homem político.

Explicação:

A criatividade e a proatividade são marcas do Homem que se percebe no chamado período Iluminista.

7a Questão

A vontade é verdadeiramente moral quando é regida por imperativos categóricos - Referem-se a ações
objetivamente necessárias, em que suas realizações estejam subordinadas tanto a fins quanto condições. A
moralidade kantiana, neste sentido, diz respeito:

Ao fundamento da maldade dos atos, averiguando em que consiste o mal.


Em pensar somente no lucro.
Ao fundamento da bondade dos atos, averiguando em que consiste o bom.
Em agir de acordo com seus próprios interesses.
Em se adaptar ao sistema capitalista vigente na sociedade atual.

Explicação: Segundo a Moralidade Kantina baseia-se num princípio formalista: o que interessa na moralidade
de um ato é o respieto a própria lei moral, e não aos interesses, fins ou consguencias do próprio ato. Uma
bondade, guiada pela razão age em função de imperatívo categórico (dever).

8a Questão

O termo que tem como significado: "dar a luz" (parto) intelectual, da procura da verdade no interior do
homem, denomina-se:

artemia
veracidade
maiêutica
menmonia
sistema

Explicação:

A reflexão ética autônoma no mundo grego aparece apenas com Sócrates que, combatendo os sofistas,
acreditou na estabilidade das leis, dos princípios verdadeiros e universais das normas, conferindo a elas um
valor intrínseco. A partir dele, o termo ética se afasta tanto do sentido originário de morada quanto de
equilíbrio das paixões, tal como Heráclito e Demócrito respectivamente entendiam. Este avanço foi possível
sob a elaboração de um método, denominado maiêutica, que levasse os diversos cidadãos a uma vida
virtuosa.

1. Quando as bases filosóficas da bioética começaram a ser mais bem definidas?


Antes da Segunda Guerra Mundial

Antes da Primeira Guerra Mundial

Na época da Santa Inquisição pela Igreja Católica

Entre a Primeira e a segunda Guerra Mundial

Após a Segunda Guerra Mundial

Explicação:

As bases filosóficas da Bioética começaram a ser mais bem definidas após a Segunda Guerra Mundial,
quando o mundo ocidental, chocado com as práticas nazistas executadas pretensamente em nome da
ciência, cria um código ético para normatizar os estudos e experiências relacionados a seres humanos.

2. Quais foram os princípios éticos, considerados básicos, que passaram a nortear a


pesquisa biomédica com seres humanos? Assinale abaixo a alternativa correta:

Princípio da beneficência; Princípio da justiça; Princípio da solidariedade.

Princípio do respeito às pessoas ou da autonomia; Princípio da solidariedade; Princípio do direito


a vida.

Princípio da solidariedade; Princípio da justiça; Princípio do respeito humano.

Princípio da beneficência; Princípio da solidariedade; Princípio da justiça.

Princípio do respeito às pessoas ou da autonomia; Princípio da beneficência; Princípio da justiça.

Explicação: Os princípios éticos, considerados básicos, que passaram a nortear a pesquisa biomédica com
seres humano foram: O PRINCÍPIO DO RESPEITO ÀS PESSOAS OU DA AUTONOMIA: : que exige que
aceitemos que as pessoas sejam autônomas, tanto nas suas escolhas como em seus atos, ou seja,
liberdade para que as pessoas se autogovernem. O princípio da autonomia define que o médico respeite a
vontade do paciente ou do seu responsável, assim como seus valores morais e crenças. O PRINCÍPIO DA
BENEFICÊNCIA: que dá o direito ao paciente de que sejam atendidos os interesses importantes e
legítimos de cada indivíduos e que, na medida do possível, sejam evitados danos. Na Bioética, esse
princípio é também conhecido como o princípio do bem-estar e interesses do paciente por intermédio da
ciência médica e de seus representantes. O PRINCÍPIO DA JUSTIÇA: que exige equidade no que se refere
ao exercício da medicina ou qualquer área da saúde, na distribuição de bens e benefícios. Uma pessoa
considerada injustiçada quando lhe é negado um bem ao qual tem direito e que, portanto, Ihe é devido.

3. A globalização gerou a disseminação rápida das informações via email, internet,


chats, celulares, TV a cabo e digital. A Globalização tem tido diversos efeitos
sobre os sistemas de organização das sociedades, seja ao nível econômico, seja
ao nível ideológico e cultural. Dentre estes efeitos, destaca-se o aprofundamento
de uma ética industrial na qual o desenvolvimento econômico se sobrepõe ao
desenvolvimento:

político
social

fisiológico

escolar

econômico

Explicação:

O desenvolvimento social vem sido contido pela Internet, haja vista a condição de estreitamento das
relações que as telas proporcionam.

Gabarito Coment.

4. A bioética, da maneira como ela se apresenta hoje, trata-se de uma prática


racional muito específica que põe em movimento, ao mesmo tempo, um saber,
uma experiência e uma competência normativa, em um contexto particular do
agir que é definido pelo prefixo "bio". Poderíamos caracteriza-la melhor dizendo
que é uma instância de juízo, mas precisando que se trata de um juízo prático,
que atua em circunstâncias concretas e ao qual se atribui uma finalidade prática
através de várias formas de institucionalização. Marque a opção correta sobrea
pesquisa em bioética.

Na Resolução nº 1 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) que regulamentava o credenciamento


de centros de pesquisa e recomendava a criação de comitês de ética nas instituições de saúde
(CEP's). Estes comitês multidisciplinares têm com função analisar as pesquisas em seres
humanos nas diversas áreas de conhecimento, bem como fomentar a discussão sobre Bioética.
A bioética tem uma tríplice função, reconhecida acadêmica e socialmente: descritiva, consistente
em descrever e não analisar os conflitos com a vida; normativa com relação a tais conflitos, no
duplo sentido de proscrever os comportamentos que podem ser considerados aprováveis e de
prescrever aqueles considerados corretos.
A bioética é o conjunto de conceitos, argumentos e normas que não valorizam e justificam
eticamente os atos humanos que não podem ter efeitos irreversíveis sobre os fenômenos vitais.
Quando pensamos em proteção e/ou prevenção de riscos em pesquisas com seres humanos, em
geral, consideramos prioritariamente os sujeitos da pesquisa e os pesquisadores não são
expostos a riscos e não precisam de proteção.
O primeiro documento brasileiro a tratar das questões éticas sobre pesquisas em seres humanos
foi elaborado em 2011.

Explicação: Um novo domínio da reflexão e da prática, que toma como seu objetivo específico as questões
humanas na sua dimensão ética, tal como se formulam no âmbito da prática clínica ou da investigação
científica, e como método próprio a aplicação de sistemas éticos já estabelecidos ou de teorias a
estruturar".

5. A ovelha Dolly, foi o primeiro clone de um animal feito pelo homem. Na época
este assunto gerou polêmicas em torno se era ético ou não clonar animais, pois
futramente poderiam ser clonados seres humanos. Para solucionar questões
éticas práticas, decorrentes de conflitos e controvérsias da interação humana e
de suas práticas médicas ou científicas, a bioética se fundamenta em uma tríplice
atuação: (1) descritiva, voltada para a descrição e análise destes conflitos; (2)
normativa, com relação a tais conflitos, no duplo sentido de proscrever os
comportamentos que podem ser considerados reprováveis e de prescrever
aqueles considerados corretos; e (3) protetora, no sentido de amparar, na
medida do possível, todos os envolvidos em alguma disputa de interesses e
valores, priorizando, quando isso for necessário:

os mais fracos

os mais econômicos

os mais fortes

os mais ricos

os mais poderosos

Explicação:

A bioética fala sempre em defesa de humanos, priorizando, sempre, os percebidos em condições mais
frágeis.

Gabarito Coment.

6. "Este princípio se origina do sistema psicológico da Gestalt que sustenta que o


"todo é maior do que a soma de suas partes". Assim, as partes do corpo não
podem ser compreendidas de modo dissociado da unidade física". A partir dos
conceitos básicos de bioética qual princípio tal definição está relacionada:

Princípio da justiça

Princípio da totalidade

Princípio do duplo efeito

Princípio dos meios ordinários e extraordinários de tratamento

Princípio da santidade da vida humana

Explicação:

Este princípio se origina do sistema psicológico da Gestalt que sustenta que ¿o todo é mais do que a soma
de suas partes¿. Assim, as partes do corpo não podem ser compreendidas de modo dissociado da unidade
física. Em outras palavras, isso significa dizer que não podemos dispor das partes de nosso corpo sem
analisarmos o que isso irá promover em termos da preservação de nossa saúde geral. A amputação de
um órgão ou parte do corpo, por exemplo, precisa ser justificada em função de um dano permanente que
não possa ser alterado e que implique em prejuízos para a saúde geral do corpo. Ou, em situações de
doação a terceiros, o quanto esta remoção irá ou não afetar as condições de saúde geral do doador (em
termos de proporcionalidade ao bem produzido ao outro).

Gabarito Coment.
7. M., 30 anos, apresenta, no momento, câncer de ovário. Sua família a apóia para
a quimioterapia, apesar de todos os efeitos colaterais causados pela intervenção
quimioterápica, como enjôos, queda de cabelo e fraqueza. O princípio da bioética
que correlaciona-se com o caso proposto denomina-se:

Princípio da tripla decisão

Princípio do duplo efeito

Princípio da decisão médica

Princípio do fenômeno trivial

Princípio da consciência de doença

Explicação:

A quimioterapia, apesar de necessária, na doença em questão traz efeitos indesejáveis - o que se encaixa
no princípio de duplo efeito. No entanto, ela não pode deixar de ser feito

Gabarito Coment.

8. A Bioética é uma disciplina que surge para tratar conflitos oriundos:

entre os doentes e suas famílias.

de dúvidas sobre os diagnósticos;

da interação entre os profissionais de saúde;

da necessidade de prover bons salários para os profissonais de saúde;

da interação humana e práticas médicas;

Explicação:

A bioética surge da necessidade de melhorar a interação dos profissionais de saúde com os doentes, no
que tange às práticas médicas.

1. A ovelha Dolly, foi o primeiro clone de um animal feito pelo homem. Na época este assunto gerou
polêmicas em torno se era ético ou não clonar animais, pois futramente poderiam ser clonados seres
humanos. Para solucionar questões éticas práticas, decorrentes de conflitos e controvérsias da
interação humana e de suas práticas médicas ou científicas, a bioética se fundamenta em uma tríplice
atuação: (1) descritiva, voltada para a descrição e análise destes conflitos; (2) normativa, com
relação a tais conflitos, no duplo sentido de proscrever os comportamentos que podem ser
considerados reprováveis e de prescrever aqueles considerados corretos; e (3) protetora, no sentido
de amparar, na medida do possível, todos os envolvidos em alguma disputa de interesses e valores,
priorizando, quando isso for necessário:

os mais fracos
os mais poderosos

os mais ricos

os mais fortes

os mais econômicos

Explicação:

A bioética fala sempre em defesa de humanos, priorizando, sempre, os percebidos em condições mais
frágeis.

Gabarito Coment.

2. Um conceito que NÃO se aplica à bioética seria:

Trata-se da vida e do ambiente cada vez mais dominados pela ciência, pela biotecnologia e
explorados pelas políticas consumistas.

A bioética é o cuidado das forças de vida em seu ambiente.

A bioética inclui apenas preocupações morais com os seres humanos.

A bioética cuida da vida. Sendo a ética da vida, cuida especialmente da vida fragilizada

A Bioética é um capítulo da ética. Trata-se de pensar eticamente os novos problemas humanos


dos últimos cinquenta anos a luz das teorias éticas de hoje com apoio na experiência ética da
história

Explicação:

A Bioética diz respeito ao padrão ético associado diretamente a ações voltadas para a área da saúde e da
preservação da vida tendo em vista os avanços científicos, que influenciam nos processos éticos. É a
Bioética que se preocupa com a normatização de procedimentos que envolvem recursos de saúde e
critérios de distribuição e aplicação destes recursos. Vale lembrar que a Bioética é o estudo das
dimensões morais – incluindo visão moral, decisões, conduta e políticas – das ciências da vida e atenção à
saúde, utilizando uma variedade de metodologias éticas, em um cenário interdisciplinar.

Gabarito Coment.

3. M., 30 anos, apresenta, no momento, câncer de ovário. Sua família a apóia para
a quimioterapia, apesar de todos os efeitos colaterais causados pela intervenção
quimioterápica, como enjôos, queda de cabelo e fraqueza. O princípio da bioética
que correlaciona-se com o caso proposto denomina-se:

Princípio do duplo efeito

Princípio da decisão médica


Princípio da consciência de doença

Princípio da tripla decisão

Princípio do fenômeno trivial

Explicação:

A quimioterapia, apesar de necessária, na doença em questão traz efeitos indesejáveis - o que se encaixa
no princípio de duplo efeito. No entanto, ela não pode deixar de ser feito

Gabarito Coment.

4. Oficialmente o rimeiro registro da palavra "Bioética" deu-se em 1971, no livro


"Bioética: ponte para o futuro", cuja autoria é de:

Sigmund Freud;

Van R. Potter;

Daniel Golleman;

Oswaldo Cruz.

Charles Darwin;

Explicação:

A autoria do livro que lança o termo bioética é de Van R. Potter.

5. Em Bioética, os procedimentos voltados para a descrição e análise dos conflitos


produzidos pela interação entre o ser humano e as práticas científicas são
categorizados como:

Morais.

Humanos.

Descritivos.

Normativos.

Protetores.

Explicação:
A Bioética atua de modo a solucionar questões práticas decorrentes de intervenções médicas e científicas
sobre o ser humano. Esta atuação se divide em três tipos distintos de procedimentos: Normativos,
Descritivos e Protetores. O Descritivo é voltado para a descrição e análise dos conflitos produzidos pela
interação entre o ser humano e as práticas científicas.

6. Em Bioética, os procedimentos que atuam de modo a proteger os envolvidos em


algum tipo de disputa de interesses e valores, priorizando a defesa da parte mais
fraca são categorizados como:

Normativos.

Descritivos.

Morais.

Protetores.

Humanos.

Explicação:

A Bioética atua de modo a solucionar questões práticas decorrentes de intervenções médicas e científicas
sobre o ser humano. Esta atuação se divide em três tipos distintos de procedimentos: Normativos,
Descritivos e Protetores. O Protetor atua de modo a proteger os envolvidos em algum tipo de disputa de
interesses e valores, priorizando a defesa da parte mais fraca.

7. Assinale a alternativa correta em relação aos princípios da Bioética.

Beneficência, não-maleficência, autonomia e justiça

Autonomia e injustiça

Beneficência, não-maleficência, autonomia e injustiça

Não-maleficência, autonomia e injustiça

Benevolência, injustiça e autonomia

Explicação:

São quatro os princípios básicos da Bioética: Beneficência (fazer o bem, com foco no benefício do
paciente); Não-Maleficência (evitar o mal e não infligir dano intencional); Autonomia (as pessoas têm
liberdade de decisão sobre a sua vida) e Justiça (cada um deve receber o que lhe é merecido por direito
ou por ação de seus atos).
8. As bases filosóficas da bioética começaram após a Segunda Guerra Mundial,
quando o mundo ocidental, chocado com as práticas nazistas executadas
pretensamente em nome da ciência, cria um código ético para normatizar os
estudos e experiências relacionadas a seres humanos. Deste episódio, fortalece-
se também a idéia que a ciência (ou qualquer outra forma de progresso) não
pode ser mais importante que o homem. Assim, tecnologias e desenvolvimento
técnico devem ser controlados para:

acompanhar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter, nos indivíduos,
no mundo e na sociedade.
roubar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter, nos indivíduos, no
mundo e na sociedade.
atrasar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter, nos indivíduos, no
mundo e na sociedade.
separar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter, nos indivíduos, no
mundo e na sociedade.
paralisar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter, nos indivíduos, no
mundo e na sociedade.

Explicação:

A Bioética pode ser compreendida como ¿o estudo sistemático de caráter multidisciplinar, da conduta
humana na área das ciências da vida e da saúde, na medida em que esta conduta é examinada à luz dos
valores e princípios morais

Gabarito Coment.

1. A bioética foi uma disciplina que ganhou força a partir da observação de práticas Nazistas, em
específico:

após a Segunda Guerra Mundial;

no período da Revolução Francesa;

após a Primeira Guerra Mundial;

após a queda do Muro de Berlim;

após a grande epidemia de Gripe Espanhola.

Explicação:

A bioética surge a partir dos abusos cometidos com os judeus, especificamente após a Segunda Guerra
Mundial.

2. Ana é uma menina de quinze anos que engravidou quando "ficou" com um
menino em uma boate. Como Ana não tem dinheiro para sustentar a criança e
nunca mais viu o menino, ela quer fazer um aborto. Relacionando a situação de
Ana com a teoria de John Finnis tem-se que a ética não pode ser feita através de
cálculos de maximização do prazer como o que era proposto pelos utilitaristas.
Fazer isso seria colocar em uma equação matemática incerta probabilidades
impossíveis de serem calculadas por pertencerem a variáveis passíveis de
transformação em um futuro muitas vezes mais próximo do que se imagina a
princípio. O que não pode ser moral e racional, ao menos a priori, e se aceito, no
mínimo merece fundamentações mais firmes e convincentes. Isto é significativo
de que:

o aborto e a eutanásia devem ser resolvidas de acordo com a vontade da igreja católica.

tomar como base a minimização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, pode servir
como base irracional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.
tomar como base a maximização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, não pode
servir como base racional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.
tomar como base a maximização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, deve servir
como base racional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.

o aborto e a eutanásia devem ser resolvidas de acordo com a vontade da pessoa ou da família.

Explicação:

A base da ética em nossa cultura são preceitos morais e não qualidade de vida. Em nosso caso aborto e
eutanásia não são permitidos, salvo condições específicas que requerem aprovação legal para serem
levadas adiante.

Gabarito Coment.

3. As bases filosóficas da Bioética criaram um código ético para normatizar os


estudos e experiências relacionados a seres humanos, fortalecendo também a
ideia de que a ciência não pode ser mais importante que o homem. O momento
histórico em que isso ocorreu foi:

Após a conquista do espaço por Iuri Gagarin, em 1961.

Após a crise econômica mundial de 1929.

Após o advento da Gripe Espanhola, em 1918.

Após o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Após a queda do Muro de Berlin, em 1989.

Explicação:

Após a guerra na Europa o mundo se deu conta das terríveis experiências realizadas com prisioneiros em
campos de concentração, e muitas dessas experiências se davam em torno de questões da saúde.
Pessoas eram utilizadas como cobaias e a ausência de direitos e dignidade impuseram a criação de um
código de ética para trabalhos de pesquisa nesse campo.

4. Através da ética industrial, a vida humana passa a ser concebida como


objetivando a máxima da qualidade. Isso faz com que o debate ético caminhe no
sentido do quanto pode ser feito para que as pessoas:
Se dediquem aos estudos

Tenham mais dinheiro

Avaliem seus resultados de trabalho

Possam ter menos prazer

Possam viver mais e melhor

Explicação:

A ética industrial, decorrente da disseminação de valores capitalistas e da incessante busca por mais
desenvolvimento tecnológico, estabeleceu nas sociedades ocidentais uma ideologia chamada de teoria
utilitarista, através da qual a vida humana passa a ser concebida como objetivando a maximização da
qualidade. Com isso, o debate ético sobre a sacralidade da vida humana começa a perder sentido em
detrimento do quanto pode ser feito para que as pessoas, em geral, vivam mais e melhor.

Gabarito Coment.

5. Patrícia vem sentindo fortes dores de cabeça e tonturas. Não consegue mais
dirigir e precisa da ajuda do marido para se locomover. Ela foi ao médico e este
lhe solicitou um exame de ressonância magnética e uma tomografia
computadorizada, mas patrícia não possui plano de saúde. Então recorreu ao
serviço público de saúde. Como ela mora no interior, sua cidade só tem um
hospital e este não possui aparelhos que façam tais exames. Ela foi para a capital
com eu marido. Chegando ao hospital da cidade, recebeu a notícia que não
poderia fazer os exames porque os aparelhos estavam quebrados. Como estes
exames são muito caros nas clínicas particulares, Patrícia não pode fazer os
exames. O tempo está passando e ela se sente cada vez pior. Dentro das
definições éticas, os remédios, tratamentos e operações que não podem ser
obtidos sem gasto excessivo, dor ou inconveniente ou que, se usados, não
ofereceriam uma razoável esperança em beneficiar alguém são representativos
dos:

meios extraordinários

meios publicitários

meios de comunicação de massa

meios ordinários

meios políticos

Explicação:

Um procedimento padrão no tratamento de alguma enfermidade se traduz pela aplicação de


medicamentos ou processos terapêuticos já amplamente testados, de acesso disponível e que possuem
eficácia comprovada na produção de resultados. A este tipo de procedimento, chamamos de meios
ordinários, ou seja, comuns. Existem, no entanto, situações em que estes procedimentos não logram
êxito, por serem, dentre outros aspectos, inacessíveis ou muito caros. Nestes casos, é preciso lançar mão
dos meios extraordinários. Só se justifica a aplicação de um meio extraordinário se os meios ordinários já
tiverem sido tentados.
6. John Finnis e outros estudiosos da ética e bioética argumentam que a qualidade
de vida não pode se impor eticamente a aspectos morais e a valores mais amplos
do que o prazer. Isso significa que:

Ética e moral são diametralmente opostas em relação à vida humana.

As pessoas devem buscar o prazer a qualquer preço.

A qualidade de vida não deve ser considerada pela bioética.

Os aspectos morais não se correlacionam a valores.

O prazer não pode se sobrepor aos valores éticos.

Explicação:

A questão da maximização do prazer (ou da qualidade de vida) não pode se impor (como uma equação
matemática) eticamente a aspectos morais e a valores mais amplos do que o prazer, uma vez que o bem
estar da coletividade não pode ser desprezado.

Gabarito Coment.

7. A Resolução nº 1.956/2010, publicada no dia 25 de outubro no Diário Oficial da


União, que determinou que médicos não poderão indicar para seus pacientes
marcas de órteses, próteses ou materiais implantáveis, é um exemplo, em
Bioética, de um procedimento:

Normativo.

Moral.

Protetor.

Humano.

Descritivo.

Explicação:

A Bioética atua de modo a solucionar questões práticas decorrentes de intervenções médicas e científicas
sobre o ser humano. Esta atuação se divide em três tipos distintos de procedimentos: Normativos,
Descritivos e Protetores. O Normativo é direcionado para a prescrição de procedimentos médicos e
científicos corretos e pela proibição de procedimentos reprováveis eticamente.
8. A Bioética é uma disciplina que surge para tratar conflitos oriundos:

de dúvidas sobre os diagnósticos;

da necessidade de prover bons salários para os profissonais de saúde;

da interação entre os profissionais de saúde;

entre os doentes e suas famílias.

da interação humana e práticas médicas;

Explicação:

A bioética surge da necessidade de melhorar a interação dos profissionais de saúde com os doentes, no
que tange às práticas médicas.

Em Bioética, os procedimentos que atuam de modo a proteger os envolvidos em algum tipo de disputa de
interesses e valores, priorizando a defesa da parte mais fraca são categorizados como:

Descritivos.

Humanos.

Normativos.

Protetores.

Morais.

Explicação:

A Bioética atua de modo a solucionar questões práticas decorrentes de intervenções médicas e científicas
sobre o ser humano. Esta atuação se divide em três tipos distintos de procedimentos: Normativos,
Descritivos e Protetores. O Protetor atua de modo a proteger os envolvidos em algum tipo de disputa de
interesses e valores, priorizando a defesa da parte mais fraca.

2. Um conceito que NÃO se aplica à bioética seria:

A bioética é o cuidado das forças de vida em seu ambiente.

A Bioética é um capítulo da ética. Trata-se de pensar eticamente os novos problemas humanos


dos últimos cinquenta anos a luz das teorias éticas de hoje com apoio na experiência ética da
história
Trata-se da vida e do ambiente cada vez mais dominados pela ciência, pela biotecnologia e
explorados pelas políticas consumistas.

A bioética inclui apenas preocupações morais com os seres humanos.


A bioética cuida da vida. Sendo a ética da vida, cuida especialmente da vida fragilizada

Explicação:

A Bioética diz respeito ao padrão ético associado diretamente a ações voltadas para a área da saúde e da
preservação da vida tendo em vista os avanços científicos, que influenciam nos processos éticos. É a
Bioética que se preocupa com a normatização de procedimentos que envolvem recursos de saúde e
critérios de distribuição e aplicação destes recursos. Vale lembrar que a Bioética é o estudo das
dimensões morais – incluindo visão moral, decisões, conduta e políticas – das ciências da vida e atenção à
saúde, utilizando uma variedade de metodologias éticas, em um cenário interdisciplinar.

Gabarito Coment.

3. O termo "Bioética", foi utilizado pela primeira vez em 1971, no livro "Bioética:
Ponte para o Futuro", do biólogo e oncologista americano Van R. Potter.
Elaborado como um neologismo construído a partir das palavras gregas bios
(vida) + ethos (relativo à ética) é normalmente compreendido como um campo
disciplinar compromissado com o conflito moral na área da saúde e da doença
dos seres humanos e dos animais não-humanos. Seu principal objetivo é deslocar
a discussão acerca dos novos problemas impostos pelo desenvolvimento
tecnológico, de um viés mais tecnicista para:

um caminho mais pautado pelo tecnicismo, continuando com a fusão entre os fatos explicáveis
pela ciência e os valores éticos.

um caminho mais econômico.

um caminho mais pautado pelo humanismo, superando a dicotomia entre os fatos explicáveis
pela ciência e os valores éticos.

um caminho mais político;

um caminho menos pautado pelo humanismo, estacionando a dicotomia entre os fatos


explicáveis pela ciência e os valores éticos.

Explicação:

A bioética leva a um camnho mais pautado para o Humanismo. Ela surgiu para regular principalmente
fatores pesquisados em humanos e animais não humanos, nos experimentos de laboratório. Antes dela as
questões ética eram geralmente descuidadas,

Gabarito Coment.

4. As ideias de que a ciência, ou qualquer outra forma de progresso, não pode ser
mais importante que o homem, e que tecnologias e desenvolvimento técnico
devem ser controlados para acompanhar a consciência da humanidade sobre os
efeitos que eles podem ter nos indivíduos, no mundo e na sociedade, são o
fundamento do campo do(a):

Direito Humanitário.

Bioética.
Filosofia.

Economia Capitalista.

Filosofia Cristã.

Explicação:

Oficialmente, o registro inicial do termo Bioética deu-se em 1971, no livro Bioética: Ponte para o Futuro,
do biólogo e oncologista americano Van R. Potter. Em sua origem, o termo é a conjugação das palavras
gregas bios (vida) + ethos (relativo à ética) e sua concepção compreende o campo disciplinar
compromissado com o conflito moral na área da saúde e da doença dos seres humanos e dos animais não
humanos. O objetivo primordial da Bioética é discutir as questões relativas à vida e a saúde,
principalmente as que surgiram a partir de inovações tecnológicas posteriores aos debates éticos
tradicionais, sob um enfoque humanista e assim, evitar que estes debates se restrinjam a aspectos
puramente tecnicistas, esquecendo-se de que tratamos de aspectos delicados e extremamente
complexos.

5. Através da ética industrial, a vida humana passa a ser concebida como


objetivando a máxima da qualidade. Isso faz com que o debate ético caminhe no
sentido do quanto pode ser feito para que as pessoas:

Avaliem seus resultados de trabalho

Se dediquem aos estudos

Tenham mais dinheiro

Possam ter menos prazer

Possam viver mais e melhor

Explicação:

A ética industrial, decorrente da disseminação de valores capitalistas e da incessante busca por mais
desenvolvimento tecnológico, estabeleceu nas sociedades ocidentais uma ideologia chamada de teoria
utilitarista, através da qual a vida humana passa a ser concebida como objetivando a maximização da
qualidade. Com isso, o debate ético sobre a sacralidade da vida humana começa a perder sentido em
detrimento do quanto pode ser feito para que as pessoas, em geral, vivam mais e melhor.

Gabarito Coment.

6. A Bioética é uma disciplina que surge para tratar conflitos oriundos:

de dúvidas sobre os diagnósticos;

da interação humana e práticas médicas;

da necessidade de prover bons salários para os profissonais de saúde;


da interação entre os profissionais de saúde;

entre os doentes e suas famílias.

Explicação:

A bioética surge da necessidade de melhorar a interação dos profissionais de saúde com os doentes, no
que tange às práticas médicas.

7. A Resolução nº 1.956/2010, publicada no dia 25 de outubro no Diário Oficial da


União, que determinou que médicos não poderão indicar para seus pacientes
marcas de órteses, próteses ou materiais implantáveis, é um exemplo, em
Bioética, de um procedimento:

Normativo.

Humano.

Moral.

Protetor.

Descritivo.

Explicação:

A Bioética atua de modo a solucionar questões práticas decorrentes de intervenções médicas e científicas
sobre o ser humano. Esta atuação se divide em três tipos distintos de procedimentos: Normativos,
Descritivos e Protetores. O Normativo é direcionado para a prescrição de procedimentos médicos e
científicos corretos e pela proibição de procedimentos reprováveis eticamente.

8. Patrícia vem sentindo fortes dores de cabeça e tonturas. Não consegue mais
dirigir e precisa da ajuda do marido para se locomover. Ela foi ao médico e este
lhe solicitou um exame de ressonância magnética e uma tomografia
computadorizada, mas patrícia não possui plano de saúde. Então recorreu ao
serviço público de saúde. Como ela mora no interior, sua cidade só tem um
hospital e este não possui aparelhos que façam tais exames. Ela foi para a capital
com eu marido. Chegando ao hospital da cidade, recebeu a notícia que não
poderia fazer os exames porque os aparelhos estavam quebrados. Como estes
exames são muito caros nas clínicas particulares, Patrícia não pode fazer os
exames. O tempo está passando e ela se sente cada vez pior. Dentro das
definições éticas, os remédios, tratamentos e operações que não podem ser
obtidos sem gasto excessivo, dor ou inconveniente ou que, se usados, não
ofereceriam uma razoável esperança em beneficiar alguém são representativos
dos:

meios políticos

meios publicitários
meios de comunicação de massa

meios ordinários

meios extraordinários

1. No XIII Seminários Avançados em Doenças Tropicais e Controle de Vetores, no Instituto Nacional de


Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), pesquisadores debateram sobre o uso de nanotecnologia na área
da biomedicina. Durante o evento, foi apresentado o pedido de patente de uma pesquisa do Inpa para
o controle de doenças tropicais. A pesquisadora Iryna Grafova, da Universidade de Helsink da
Finlândia, e parceira nos estudos do Inpa, abordou em palestra o uso das nanopartículas no
tratamento das doenças tropicais que ainda matam milhares de pessoas no mundo, anualmente.
Segundo a pesquisadora, a utilização das nanopartículas para o tratamento de doenças tropicais
apresenta vantagens sobre medicamentos que hoje são usados. Afirma que os medicamentos hoje
utilizados têm eficiência limitada, apresentam severos efeitos colaterais e, por serem antigos, o
parasita já está habituado e formou resistência quanto a droga. De acordo com as conclusões de
Grafova, a eficiência do medicamento testado é 30 vezes mais elevada e confirma 100% da
mortalidade de parasitas em relação ao medicamento antiparasita, Glucantime, usado em
medicamentos tradicionais, de acordo com pesquisa já realizada em experimentos in vitro.
(http://www.brasil.gov.br/editoria/meio-ambiente/2013/11/)

Neste caso narrado, mesmo que consideremos a possibilidade de eventuais riscos na concessão da
patente do medicamento, podemos considerar estes riscos aceitáveis porque a pesquisa:

demonstra que o benefício esperado tem importância e seu benefício é maior que o de outra
alternativa já conhecida.

não demonstra finalidade relevante para os humanos.

não oferece significativa possibilidade de prevenção ou alívio do problema que afeta o sujeito.

não garante poder oferecer elevada possibilidade de entendimento, prevenção ou alívio do


problema que afeta o sujeito.
demonstra que o benefício esperado não é relevante e seu benefício é igual ao da outra
alternativa já conhecida.

Explicação:

A Resolução 196/96, em sua parte V ¿ RISCOS E BENEFÍCIOS, considera-se que toda pesquisa
envolvendo seres humanos envolve risco. Complementa ainda, definindo que os danos podem ser
imediatos ou tardios e individuais ou coletivos. Dessa forma, estabelece o entendimento de risco como a
possibilidade de dano (previsto ou não) ao sujeito da pesquisa ou, indiretamente, à coletividade como
consequência da mesma. Em maior ou menor grau, estes riscos só se tornam aceitáveis quando a
finalidade da pesquisa o justificar pelos seguintes critérios básicos: 1-se a pesquisa oferecer elevada
possibilidade de entendimento, prevenção ou alívio do problema que afeta o sujeito;2-se o benefício
esperado for de grande importância ou se o benefício for igual ou maior que o de outra alternativa já
conhecida.

2. Em consequência dos abusos criminosos promovidos por experimentações


nazistas no decorrer da segunda grande guerra e do subsequente julgamento de
Nuremberg, foi elaborado em 1947, o Código de Nuremberg. Objetivando
eliminar futuros episódios semelhantes aos praticados pelos nazistas, o código de
Nuremberg surge como um importante marco na história da ética envolvida em
pesquisas médicas. Em síntese, ele determinava que deveria haver
consentimento prévio e voluntário de todos os sujeitos envolvidos em pesquisas e
para garantir que não haveria indução à participação, os sujeitos deveriam
receber informações sobre riscos, objetivos e procedimentos experimentais.
Determinava também que:

toda pesquisa deveria apresentar a possibilidade de resultados não alcançáveis por outros
procedimentos não invasivos e exigia a realização de experimentos anteriores em animais.
toda pesquisa deveria apresentar somente a possibilidade de resultados alcançáveis por outros
procedimentos não invasivos e refutava a realização de experimentos anteriores em animais.
toda pesquisa deveria apresentar a impossibilidade de resultados não alcançáveis por outros
procedimentos não invasivos e exigia a realização de experimentos sempre posteriores em
animais.

a realização de toda pesquisa com experimentos em animais deveriam ser feitas com leões.

nenhuma pesquisa deveria apresentar a possibilidade de resultados não alcançáveis por outros
procedimentos não invasivos e não exigia a realização de experimentos anteriores em animais.

Explicação:

O Código de Nuremberg é constituído por dez tópicos, dos quais o primeiro é o que melhor contempla
seus preceitos, e um deles é:

3) O experimento deve ser baseado em resultados de experimentação em animais e no conhecimento da


evolução da doença ou outros problemas em estudo; dessa maneira, os resultados já conhecidos
justificam a condição do experimento.

Fonte:ANDRADE ML; SILVA OS; DUARTE MR et al. Código de Nuremberg e


Declaração de Helsinki: transformações e atualidades. Disponível
online: http://www.efdeportes.com/efd183/codigo-de-nuremberg-e-declaracao-de-
helsinki.htm

Gabarito Coment.

3. Ao assistir um documentário sobre a Segunda Guerra Mundial na televisão, Maria


ficou impressionada com os horrores praticados pelo nazismo em nome da
ciência. O documentário falava também a respeito do Código de Nuremberg, que
dentre outras coisas, determinava que:

Toda pesquisa deveria apresentar a possibilidade de resultados não alcançáveis por outros
procedimentos não invasivos.
Os sujeitos não deveriam receber informações sobre riscos, objetivos e procedimentos
experimentais.

Toda pesquisa deveria ser feita exclusivamente em seres humanos.

Toda pesquisa deve garantir que haverá indução à participação dos sujeitos.

Toda pesquisa deve ser desenvolvida sem o consentimento prévio de todos os sujeitos nelas
envolvidos.

Gabarito Coment.

4. O evento constituído por um tribunal militar internacional que efetuou os


julgamentos dos primeiros criminosos de guerra, incluindo médicos, ocorrido
entre 1945 e 1946, na Alemanha, denomina-se:

Linguagem de Hitler
Determinação Jurídica

Avaliação de Casos

Evento de Guerra

Julgamento de Nuremberg

Explicação:

A partir desse julgamento foram crados vários balizadores para que não houvessem mais abusos nas
pesquisas envolvendo seres humanos.

5. No cenário das pesquisas biomédicas, e em termos de procedimentos eticamente


necessários, há um preceito que se destaca. Ele implica em que, mediante a
ausência de certeza científica da inexistência de riscos de danos, devem ser
tomadas todas as medidas necessárias na prevenção de efeitos indesejáveis.
Assim, a análise de riscos referentes a atividades científicas e tecnológicas que
envolvam a possibilidade de danos às pessoas deve ser realizada, mesmo quando
a existência de riscos não é ainda conhecida. A este preceito, damos o nome de:

Princípio da Precaução.

Princípio do Duplo Efeito.

Princípio Cristão.

Princípio Protetor.

Princípio Moral.

Explicação:

Nem sempre estamos cientes de todos os riscos envolvidos em um procedimento. Em 1994, no livro
Éticas da Pesquisa Científica, a Dr.ª Kristin Sharder-Frechette ressalta que não se pode considerar como
inexistente um risco desconhecido, ou seja, do qual não temos ainda as possíveis dimensões de sua
ocorrência. Por isso, procedimentos de análise prévia e prevenção de riscos são tão importantes em
pesquisas científicas. A Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, ou
simplesmente Rio 92, ocorreu na Cidade do Rio de Janeiro, no ano de 1992 e, dentre outros aspectos
voltados para o desenvolvimento sustentável, estabeleceu um documento chamado Agenda 21, no qual
foi formalmente retomado o antigo preceito grego conhecido como Princípio da Precaução. Seu sentido
original, reporta-se ao cuidado necessário para que seja possível antecipar danos à saúde ou à segurança
das pessoas. Retomado como um princípio do direito ambiental, este conceito, no entanto, aplica-se a
qualquer forma de análise de riscos referentes a atividades científicas e tecnológicas que envolvam a
possibilidade de danos às pessoas. Segundo este conceito, mediante a ausência de certeza científica da
inexistência de riscos de danos, devem ser tomadas todas as medidas necessárias na prevenção de
efeitos indesejáveis.

6. A partir de pesquisas ocorridas com seres humanos na Segunda Guerra Mundial,


as pesquisas biomédicas passam a ser regulamentadas. Uma das questões
determinadas a partir do Código de Nuremberg é:

A certeza de que os sujeitos envolvidos em pesquisas não podem receber informações sobre
riscos, objetivos e procedimentos experimentais.
As pesquisas com seres humanos podem ser feita livremente sem realização de experimentos
anteriores em animais.

O consentimento prévio e voluntário de todos os sujeitos envolvidos em pesquisas.

A garantia de indução de participação de pessoas em pesquisas por parte de médicos e


profissionais de saúde.

A determinação de que toda pesquisa deve ser invasiva sem se preocupar com os resultados.

7. O Código de Nuremberg é um marco na história da ética envolvida em pesquisas


médicas. Ele é um exemplo de:

Como agir corretamente com os voluntários nas pesquisas dando todas as informações possíveis
para que eles possam optar por participar ou não.
Como fazer pesquisas sem uma metodologia delineada. Desta forma o cientista por agira com
maior liberdade em prol da saúde pública.
Ética na saúde pública com diretrizes básicas que os gestores devem seguir quando diante de
conflito nas equipes multi e interdisciplinares.
Como proceder em julgamentos de guerra. O Código busca facilitar novas pesquisas permitindo
uma série de liberdades aos voluntários médicos.
Como ampliar as penalidades legais dos voluntários nas pesquisas quando estes procuram
resultados rápidos com uso de drogas medicinais.

Explicação:

Apesar do conhecimento das crueldades que aconteciam nos campos de concentração e do Código de
Nuremberg, continuaram ainda a realização de pesquisas com seres humanos que feriam os princípios
éticos fundamentais. Foi criada então, em 1964 na Finlândia, a Declaração de Helsinki, que é dividida em:
princípios básicos, pesquisa médica combinada com cuidados profissionais e pesquisa biomédica não-
terapêutica envolvendo seres humanos (MELO; LIMA, 2004).

Gabarito Coment.

8. De acordo com a Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, o termo de


consentimento livre e esclarecido deverá ser elaborado pelo:

Médico responsável

Financiador responsável

Administrador responsável

Pesquisador responsável

Comitê de Ética em Pesquisa


1. Em uma aula de bioética, o professor falou sobre o Julgamento de Nuremberg. Ana, aluna da classe,
não entendeu muito bem e questionou sobre o assunto. O professor explicou que o Julgamento dizia
respeito a um(a):

Comitê de Justiça para organizar os papéis distribuídos na Guerra sobre a ética e a bioética

Comissão de Direitos Humanos para avaliar os tratados escritos no pós guerra.

Comitê de Contas para avaliar os gastos com a Segunda Guerra Mundial.

Tribunal militar internacional que efetuou os julgamentos dos primeiros criminosos de guerra
nazistas.

Tribunal de Avaliação Psicológica para avaliar psicologicamente os tenentes de Guerra.

Gabarito Coment.

2. A Declaração de Helsinque é considerada o mais atual e importante


documento mundial sobre a ética em pesquisas na área da saúde e tem
servido como base para quase que a totalidade de todos os
procedimentos regulatórios sobre pesquisa biomédica. Este documento
foi dividido em três partes principais. Nos PRINCÍPIOS BÁSICOS, a
declaração:

dispensa os aspectos morais envolvidos nos procedimentos e experimentos


científicos e na necessária proporcionalidade entre os riscos envolvidos e os
benefícios advindos destas pesquisas.
procura seguir os princípios gerais da Bioética, ressaltando os aspectos morais
envolvidos nos procedimentos e experimentos científicos e na necessária
proporcionalidade entre os riscos envolvidos e os benefícios advindos destas
pesquisas.
não responsabiliza pesquisadores na referência a saúde dos sujeitos envolvidos na
pesquisa ao longo da mesma.
aborda a possibilidade da aplicação de meios extraordinários de tratamento
(pesquisas experimentais), desde que previamente consentidos e que a pesquisa
traga perspectiva de reversão da patologia do próprio paciente.
obriga o médico pesquisador a se responsabilizar pela saúde do paciente no qual os
procedimentos experimentais são efetuados e considera que, apesar do necessário
consentimento explicito, consciente e plenamente justificado do paciente, a
responsabilidade sobre danos ou consequências é sempre do médico pesquisador.

Explicação:

A Declaração de Helsinque é considerada o mais atual e importante documento mundial sobre a ética em
pesquisas na área da saúde e tem servido como base para quase que a totalidade de todos os
procedimentos regulatórios sobre pesquisa biomédica. Este documento foi dividido em três partes
principais. Nos princípios básicos, a declaração procura seguir os princípios gerais da Bioética,
ressaltando os aspectos morais envolvidos nos procedimentos e experimentos científicos e na necessária
proporcionalidade entre os riscos envolvidos e os benefícios advindos destas pesquisas.
3. Uma pesquisa sobre qualidade de vida colocou no reservatório de água de uma
cidade uma grande quantidade de Testosterona (hormônio masculino), sem que
ninguém soubesse, afim de observar os resultados no nível de estresse da
população. Pela bioética os pesquisadores erraram em:

Usarem uma grande quantidade. Isto pode gerar riscos aos fetos em gestação.

Não participar aos envolvidos dos riscos do experimento dando a opção deles participarem ou
não como voluntários.

Não dimensionarem a vazão da água e a perda hormonal pela evaporação.

Usarem Testosterona. Na verdade deveriam usar adrenalina que surte efeito mais rápido.

A Bioética não versa sobre pesquisas em reservatórios de água.

Explicação:

Não observaram a RESOLUÇÃO Nº 466, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012, considerando o respeito pela


dignidade humana e pela especial proteção devida aos participantes das pesquisas científicas envolvendo
seres humanos.

4. Em uma pesquisa sobre a qualidade do sono em médicos intensivistas, os


participantes são abordados em seu local de trabalho por um membro da equipe
de pesquisa, onde são apresentados os objetivos da pesquisa e o termo de
consentimento livre e esclarecido para que a entrevista possa ser agendada.
Sobre o termo de consentimento, assinale a alternativa correta:

Foi previsto pelo Código de Nuremberg para atestar a apresentação dos riscos, objetivos e
procedimentos experimentais.
O seu papel consiste em ressaltar que não se pode considerar como inexistente um risco
desconhecido.

Deve ser apresentada ao participante ao final da pesquisa de campo, após sua participação.

Tem como objetivo informar todas as informações da pesquisa, inclusive as hipóteses a serem
investigadas.
A aplicação do termo tem caráter facultativo, cabendo ao pesquisador o discernimento acerca
da sua utilização.

Gabarito Coment.

5. A Resolução 196/196 do Conselho nacional de Saúde foi criada com o intuito de:

Moralizar os efeitos colaterais de medicamentos


Investigar e punir distorções em ciência

Avaliar riscos de pesquisas com animais

Normatizar pesquisas com seres humanos

Oferecer diretrizes de gestão hospitalar

Explicação:

Este foi mais um recurso criado para regulamentar a pesquisa com seres humanos.

Gabarito Coment.

6. No histórico do controle de pesquisas envolvendo seres humanos, um dos pontos


ressaltados pela Declaração de Helsinque é:

A determinação de que toda pesquisa deve ser invasiva sem se preocupar com os resultados.

A garantia de que os riscos devem ser sempre maiores que os benefícios nas pesquisas com
seres humanos.
A não responsabilização do profissional de saúde pelos riscos envolvidos na pesquisa e suas
consequências.

A proporcionalidade entre os riscos e benefícios das pesquisas com seres humanos.

A participação involuntária de sujeitos humanos em pesquisas biomédicas.

Gabarito Coment.

7. A Bioética está focada em eventos de natureza:

Comercial, onde a exploração de menores se torna viral causando a revolta internacional contra
as ONGs no Brasil.
Que vise a preservação da floresta amazônica fora do território nacional. A Amazônia
internacional é de domínio público e precisa ser preservada em seu ambiente natural.
Lúdica, prevendo uma melhor qualidade de vida para funcionários em regime de 40 horas
semanais.
Onde existe um cuidado especifico com problemas de pele oriundos da demasiada exposição ao
sol nos períodos de verão em praias no Brasil.
Onde os seres humanos estejam envolvidos em pesquisas, procedimentos clínicos ou situações
em que os profissionais de saúde eventualmente possam colocar em risco a saúde de seus
pacientes.

Explicação:

A Bioética pode ser compreendida como ¿o estudo sistemático de caráter multidisciplinar, da conduta
humana na área das ciências da vida e da saúde,
na medida em que esta conduta é examinada à luz dos valores e princípios morais.
Gabarito Coment.

8. Bruno está participando de um experimento e deu seu consentimento explícito


para o bom andamento da pesquisa. Contudo ele desistiu de sua participação e
decidiu cancelar o consentimento. Segundo a Declaração de Helsinque:

O sujeito, objeto da pesquisa, não pode cancelar seu consentimento em hipótese alguma.

O sujeito, objeto da pesquisa, pode cancelar seu consentimento somente até o início da
pesquisa.
O sujeito, objeto da pesquisa, pode cancelar seu consentimento somente até três dias antes do
início da pesquisa.

O sujeito, objeto da pesquisa, pode cancelar seu consentimento a qualquer momento.

O sujeito, objeto da pesquisa, pode cancelar seu consentimento somente até uma semana
antes do início da pesquisa.

Ricardo é um pesquisador e está desenvolvendo uma pesquisa com grupo de controle e grupo
experimental. Ele acredita que sua pesquisa, por não ser na área de medicina, não envolve riscos.
Podemos afirmar, então, que:

Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/96, toda pesquisa envolvendo seres
humanos não envolve riscos.
Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/93, toda pesquisa envolvendo seres
humanos está isenta de riscos.
Ricardo está equivocado, pois segundo a Resolução 196/96, toda pesquisa envolvendo seres
humanos envolve riscos.
Ricardo está equivocado, pois segundo a Resolução 196/93, toda pesquisa envolvendo seres
humanos não envolve riscos.
Ricardo está correto, pois segundo a Resolução 196/92, toda pesquisa envolvendo seres
humanos não envolve riscos.

Explicação:

Toda pesquisa, mesmo quando não invasiva, oferece riscos, pelo fato de trabalhar com condições
variáveis que podem afetar ainda que de maneira psicológica os seus participantes.

2. Ricardo está desenvolvendo uma pesquisa que utilizará um medicamento


experimental em seres humanos, para tal ele vai utilizar uma amostra de mil
pessoas. Para que sua pesquisa seja desenvolvida, Ricardo precisa
primeiramente:

Conseguir patrocínio financeiro de uma indústria farmacêutica.

Ter formação em bioética ou contratar um estatístico para aplicação dos medicamentos.

Submeter sua pesquisa a um Comitê de Ética (CEP)


Ter formação superior em nível de PHD, grau filosófico, cursado no exterior.

Contratar mil pessoas que serão submetidas ao tratamento experimental.

Explicação:

O Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) é um colegiado interdisciplinar e independente, com ¿munus


público¿, que deve existir nas instituições que realizam pesquisas envolvendo seres humanos no Brasil,
criado para defender os interesses dos sujeitos em sua integridade e dignidade e para contribuir no
desenvolvimento da pesquisa dentro dos padrões éticos (Normas e Diretrizes Regulamentadoras da
Pesquisa Envolvendo Seres Humanos ¿ Resolução CNS 196/96, II.4), revegada pela RESOLUÇÃO Nº 466,
DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012.

Gabarito Coment.

3. A resolução 196/96 do CNS integra ao ordenamento jurídico brasileiro os


princípios bioéticos internacionalmente consagrados: as pesquisas envolvendo
seres humanos devem atender às exigências éticas e científicas fundamentais. Os
princípios bioéticos são:

Justiça, autonomia, não maleficência e direitos sociais.

Justiça, direitos sociais, igualdade e não maleficência

Autonomia, Justiça, não maleficência e não beneficência.

Não maleficência, direitos sociais, igualdade e justiça

Beneficência, autonomia, não maleficência e justiça

Explicação:

Os quatro princípios básicos (ou Pilares) da Bioética são: BENEFICÊNCIA (fazer o bem, com foco no
benefício do paciente); NÃO-MALEFICÊNCIA: evitar o mal; propõe a obrigação de não infligir dano
intencional; AUTONOMIA: as pessoas têm liberdade de decisão sobre a sua vida; autonomia é a
capacidade de autodeterminação de uma pessoa, ou seja, o quanto ele pode gerenciar sua própria
vontade, livre da influência de outras pessoas; duas condições são fundamentais: a liberdade e a
informação. A pessoa deve ser livre para decidir e deve ter as informações necessárias para
isto; JUSTIÇA: cada um deve receber o que lhe é merecido por direito ou por ação de seus atos; casos
semelhantes devem ser tratados de modo semelhante e casos diferentes de modo diferenciado

4. A resolução 196/96 que define um conjunto de normas e diretrizes responsáveis


pela regulamentação dos aspectos éticos em pesquisas com seres humanos. Esta
Resolução incorpora, sob a ótica do indivíduo e das coletividades, os quatro
referenciais básicos da Bioética: autonomia, não maleficência, beneficência e
justiça, entre outros, e visa assegurar os direitos e deveres que dizem respeito à
comunidade científica, aos sujeitos da pesquisa e ao Estado. No que se refere as
seus termos e resoluções é incorreto afirmar:

Sujeito da pesquisa: é o pesquisado, de caráter voluntário, sendo vedada qualquer forma de


remuneração
Desconsiderar o consentimento livre e esclarecido do sujeito da pesquisa e/ou seu
representante legal
Respeitar valores culturais, sociais, morais, religiosos, éticos e hábitos e costumes em pesquisa
com comunidades
Pesquisa em seres humanos: pesquisa que individual ou coletivamente, direta ou
indiretamente, parcial ou totalmente, envolva o ser humano
Risco da pesquisa: possibilidade de dano físico, psíquico, moral, intelectual, social, cultural ou
espiritual do ser humano na pesquisa ou dela decorrente

5. Qual o primeiro documento que surge como um importante marco na história da


ética envolvida em pesquisas médicas, ou seja, determinava que deveria haver
consentimento prévio e voluntário de todos os sujeitos envolvidos em pesquisas e
para garantir que não haveria indução à participação, os sujeitos deveriam
receber informações sobre riscos, objetivos e procedimentos experimentais?

Resolução 196/96

Conselho Nacional de Saúde

Código de Nuremberg

Declaração de Helsinque

Resolução 01/88

Explicação:

Em consequência dos abusos criminosos promovidos por experimentações nazistas no decorrer da


Segunda Grande Guerra surgiu a Bioética, uma nova concepção ética voltada de modo mais direto aos
aspectos associados à saúde e às pesquisas científicas que envolvessem seres humanos. Objetivando
eliminar futuros episódios semelhantes aos praticados pelos nazistas, o Código de Nuremberg surge
como um importante marco na história da ética envolvida em pesquisas médicas. Em síntese, ele
determinava que deveria haver consentimento prévio e voluntário de todos os sujeitos envolvidos em
pesquisas e, para garantir que não haveria indução à participação, os sujeitos deveriam receber
informações sobre riscos, objetivos e procedimentos experimentais. Determinava também que toda
pesquisa deveria apresentar a possibilidade de resultados não alcançáveis por outros procedimentos não
invasivos e exigia a realização de experimentos anteriores em animais.Esta foi a primeira legislação
moderna que visou o controle sobre atuações científicas de risco em seres humanos.

6. O documento, considerado o mais importante do ponto de vista mundial, sobre a


ética em pesquisas na área da saúde e que tem servido como base para a quase
totalidade dos procedimentos regulatórios sobre pesquisa biomédica, é a(o):

Declaração de Helsinque.

Agenda 21 da Rio 92.

Código de Nuremberg.

Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde.

Resolução nº 1 do Conselho Nacional de Saúde.


Explicação:

Quase vinte anos depois do Código de Nuremberg, foi criado, pela Associação Médica Mundial, um novo e
mais elaborado documento, conhecido pelo nome de Declaração de Helsinque. A Declaração passou no
decorrer dos anos por diversas alterações e revisões, tendo sido a última, até o momento, efetuada em
2008, na 59ª Assembleia Médica Mundial, realizada em Seul na Coreia do Sul. A Declaração de Helsinque
é considerada o mais atual e importante documento mundial sobre a ética em pesquisas na área da
saúde e tem servido como base para quase que a totalidade de todos os procedimentos regulatórios
sobre pesquisa biomédica.

7. Em pesquisas com seres humanos não se pode considerar como inexistente um


risco desconhecido, ou seja, do qual não temos ainda as possíveis dimensões de
sua ocorrência. Por isso, se fazem necessários procedimentos de análise prévia e
prevenção de riscos para que não haja prejuízos à vida humana. Essa avaliação
de risco relaciona-se com o Princípio da:

Justiça

Acessibilidade

Precaução

Totalidade

Equidade

8. Considerando-se que toda pesquisa envolvendo seres humanos envolve risco, o


RISCO, na Resolução 196/96, é entendido como:

a possibilidade de que o benefício esperado gere benefício igual ou maior que o de outra
alternativa já conhecida.

a possibilidade de dano previsto ao sujeito da pesquisa.

a possibilidade de dano, previsto ou não, ao pesquisador.

a possibilidade de a pesquisa ser realizada, apesar de não oferecer possibilidade de


entendimento, prevenção ou alívio do problema que afeta o sujeito.
a possibilidade de dano, previsto ou não, ao sujeito da pesquisa ou, indiretamente, à
coletividade como consequência da mesma.

Explicação:

A Resolução 196/96 determina, em sua parte V ¿ RISCOS E BENEFÍCIOS, que considera-se que toda
pesquisa envolvendo seres humanos envolve risco. Complementa ainda, definindo que os danos podem
ser imediatos ou tardios e individuais ou coletivos. Dessa forma, estabelece o entendimento de risco
como a possibilidade de dano, previsto ou não, ao sujeito da pesquisa ou, indiretamente, à coletividade
como consequência da mesma.
Bruno foi fazer um transplante de medula óssea e fez todos os exames pré-operatórios, só que um médico
recém-formado esqueceu de verificar a compatibilidade do órgão do doador com a do órgão do receptor.
Como o recém-formado era responsável pela verificação, nenhum outro médico que fez a cirurgia verificou
também. Bruno faleceu três horas depois. A questão dos transplantes frequentemente tangencia questões
éticas relativas à experimentação no corpo humano, às decisões políticas relacionadas com a saúde, e, em
sentido mais amplo provocam debates sobre estes direitos fundamentais. Estes debates estão associados:

à câmara de Deputados e as leis relacionadas a transplantes e procedimentos médicos.

ao médicos recém-formados e a os responsáveis pela formação acadêmica deles.

ao dinheiro e a forma como as pessoas negociam os transplantes e seus procedimentos.

ao poder público e como há comandos para demandar os transplantes de órgãos.

a aspectos que vão desde a origem dos órgãos e tecidos, até a forma de obtenção e ao tipo de
procedimento realizado para o transplante.

Explicação:

A principal pesquisa para o transplante de órgãos a outrem é exatamente saber se o órgão a ser doado é
compatível com o organismo de quem irá recê-lo. Exames clínicos são essenciais para que haja êxito
nesse tipo de procedimento e não deve fugir do foco dos médicos.

Gabarito Coment.

2. De modo geral, podemos resumir os aspectos vinculados à questão da doação de


órgãos a um conjunto de princípios éticos gerais, nos quais se vinculam,
intrinsecamente, as questões dos transplantes. A estes princípios éticos gerais
agregam-se princípios do Biodireito, próprios para as situações de transplantes.
Dentre estes, o que determina que a seleção dos receptores só pode ser feita
mediante critérios médicos é nomeado como:

Princípio da Confidencialidade.

Princípio da Gratuidade.

Princípio da Solidariedade.

Princípio da Autonomia.

Princípio da Não Discriminação.

Explicação:

De modo geral, podemos resumir os aspectos vinculados à questão da doação de órgãos a um conjunto
de princípios éticos gerais, nos quais se vinculam intrinsecamente as questões dos transplantes. A estes
princípios éticos gerais, somam-se ainda aspectos específicos que se traduzem em princípios do biodireito
próprios para as situações de transplantes. Dentre estes, o Princípio da Não Discriminação determina que
a seleção dos receptores só pode ser feita mediante critérios médicos. O Ministério da Saúde, através do
Sistema Nacional de Transplantes, estabeleceu na Portaria n.º 3.407 de 5 de agosto de 1998 o chamado
sistema de lista única. Este sistema informatizado integra toda rede de saúde nacional e segue critérios
de distribuição específicos para cada tipo de órgão ou tecido, alocando cada receptor em função de sua
posição na lista de espera pelos critérios próprios do órgão ou tecido ao qual se candidatou.

3. Maria, uma esposa e mãe exemplar, se vê numa situação que necessita de


esclarecimentos. Sua filha Mariana, de 14 anos está esperando por um
transplante de pulmão a dois anos e pela contagem, ela é a 188ª da fila. O
estado de Mariana está cada vez pior e por mais que sua mãe Maria já tivesse
mobilizado todos os parentes e amigos, ninguém se demostrou compativel,
apenas Maria, sua mãe tem 99,5% de compatibilidade. Marque a alternativa
correta.

Maria poderá, se quiser e se for permitido pelos exames, doar um pulmão para a sua filha, pois
o pulmão, juntamente com o rim, fígado e medula óssea são órgãos que podem ser doados em
vida.

Maria não poderá doar pois o pulmão só poderá ser doado em morte.

No Brasil não é autorizado esse tipo de transplante, sem nenhuma exceção.

Nenhum órgão pode ser doado a parentesco de primeiro grau, como filho. Esse tipo de
transplante só pode ser doado a parentes de no mínimo terceiro grau.

Maria por ser mãe, só poderá doar, se necessário seu rim e coração.

4. Decretada a morte encefálica de um indigente sem familiares e ninguém que se


responsabilize por ele e diante da possibilidade de seus órgãos serem utilizados
para transplantes, analise as afirmativas abaixo e marque a resposta correta:

Todos os órgãos serão enviados para a Lista Nacional de Transplantes.

Somente córneas são aproveitadas nestes casos.

Só órgãos que tenham histórico médico, neste hospital, podem ser aproveitados.

Se ele não deixou nada por escrito e não há herdeiros os órgãos podem leiloados pela tesouraria
do hospital.

Como se trata de um indigente a legislação não permite a utilização de seus órgãos.

Explicação:

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) é responsável pelo controle e monitoramento do processo


doação de órgãos e tecidos e transplantes realizados no país, com o objetivo de desenvolver o processo
de captação e distribuição de tecidos, órgãos e partes retiradas do corpo humano para fins terapêuticos.

Gabarito Coment.
5. Uma importante questão ética envolvida na doação de órgão por cadáveres foi,
por muito tempo, o critério de caracterização de morte. O Conselho Federal de
Medicina, através da Resolução CFM 1480/97, alterou o critério de morte
cardiorrespiratória para a morte encefálica, possibilitando grande avanço na
viabilidade e efetividade das doações. Assim, neste tipo de doação por cadáver, a
questão, hoje, resume-se praticamente à forma de obtenção (de):

oriunda de assassinato para obtenção de órgãos

oriunda de tráfico de órgãos

Doação voluntária, consentimento presumido, manifestação compulsória ou abordagem de


mercado.
Doação involuntária, não consentimento presumido, não manifestação compulsória ou falta de
abordagem de mercado.

apenas oriunda de acidentes de trânsito

Explicação:

Com a alteração do critério de morte cardiorrespiratória para a morte encefálica, possibilitou grande
avanço na viabilidade e efetividade das doações. Na doação por cadáver, a questão, hoje, resume-se à
forma de obtenção através de doação voluntária, consentimento presumido, manifestação
compulsória ou abordagem de mercado.

6. Maria decidiu doar um rim para seu filho, que é seu parente de primeiro grau. Ela
já fez todos os exames e não há nada que impeça a doação. Ela está exercendo o
seu direito à liberdade de consciência e ao poder de dispor do próprio corpo, que
consistem nos:

Direitos de tecidos

Direitos honorários

Direitos cidadãos

Direitos fundamentais

Direitos fitoterápicos

Explicação:

Dispor de um órgão do próprio corpo, quando não é atestado risco para a saúde do doador faz menção ao
que chamamos de direito fundamental do cidadão.

Gabarito Coment.

7. Um homem de 46 anos acabou de passar por uma delicada cirurgia de


transplante de córneas. Ele se sente bem fisicamente, mas psiquicamente sente-
se culpado, pois a irmã do doador, apesar dele ter deixado sua vontade de ser
doador de órgãos por escrito em cartório e de toda a família também decidir por
isso, não se conforma e tem aborrecido o recém operado diariamente e quer as
córneas do irmão de volta. Correlacionando o caso com os elementos críticos no
conceito de dignidade da vida humana, ressalta-se a:

Intangibilidade corporal

Direito ao tecido de terceiros

Desintegração física

Fantasia de cura

Determinação judicial

Explicação:

O princípio da intangibilidade corporal, que reflete a pertença do corpo à identidade pessoal, e como
tal, merecedor da dignidade e da indisponibilidade inerente à pessoa humana. Desta forma, qualquer
intervenção na integridade corporal é simultaneamente uma intervenção na integridade pessoal.

8. A confirmação da morte é uma questão bioética importante no alotransplante de


doador cadáver, pois possibilita a viabilidade e efetividade das doações. O
reconhecimento da morte hoje se baseia:

Pela falência cardiorrespiratória.

Através de um diagnóstico médico integral.

Com a interrupção da respiração.

Na morte encefálica.

Com a interrupção da circulação sanguínea.

Explicação:

O Conselho Federal de Medicina alterou o critério de morte que anteriormente estava vinculado à falência
cardiorrespiratória para a morte encefálica, possibilitando com isso, grande avanço na viabilidade e
efetividade das doações.

O princípio da não discriminação implica no sistema de lista única dos receptores. Este sistema
informatizado integra toda rede de saúde nacional e segue critérios de distribuição específicos para cada
tipo de órgão ou tecido. Esse princípio determina que:

A seleção dos receptores só pode ser feita mediante critérios médicos.

Os órgãos ou tecidos não podem ser vendidos, mas apenas doados.

A necessidade de consentimento do doador para a coleta de seus tecidos ou órgãos.


O ato de doar implica em sacrificar sua individualidade em detrimento do bem da
comunidade.

O direito do doador em se manter em anonimato.

Explicação:

O princípio da não discriminação determina que a seleção dos receptores só pode ser feita mediante
critérios médicos. O Sistema Nacional de Transplantes estabeleceu o chamado sistema de lista única. Este
sistema informatizado integra toda rede de saúde nacional e segue critérios de distribuição específicos
para cada tipo de órgão ou tecido, alocando cada receptor em função de sua posição na lista de espera
pelos critérios próprios do órgão ou tecido ao qual se candidatou.

2. Maria quer doar um rima para sua irmã, mas seu estado de saúde é muito frágil
e o médico não quer liberar. Maria está muito chateada com a situação. Nesse
caso,de acordo com a legislação de transplantes, podemos afirmar que:

O médico está correto, pois não se pode promover uma doação se a mesma produzir no doador
algum tipo de dano ou prejuízo a sua saúde geral.

Maria pode vender o órgão para sua irmã, pois a legislação brasileira permite isso.

Maria pode doar o órgão para sua irmã independente da liberação do médico por vias
clandestinas.
Maria pode procurar um outro médico particular e que não faça parte da rede do SUS para
realizar a cirurgia de transplante.
O médico está errado, pois se deve promover a doação independente se a mesma produzir no
doador algum tipo de dano ou prejuízo a sua saúde geral.

Explicação:

Um transplante só é reaçlizado, tanto para o caso do doador, quanto para o receptor se ambos estiverem
em boas condições para doare receber o órgão. Quando se atesta riscos, espera-se que as saúdes
estejam mais equilibradas para minimizar os riscos.

Gabarito Coment.

3. Necessitando de um transplante de fígado Sr. José colocou um anúncio no Jornal


oferecendo R$ 10.000,00 para quem se oferecesse como doador. Esta prática é:

Ilegal. Sem saber a origem do órgão o cidadão pode receber órgão de animais.

Legal, desde que o caso seja de estrema urgência.

Ilegal visto que o Diário Oficial do estado deveria ser utilizado pois é o único veículo autorizado
para este tipo de anúncio.

Legal, desde que os valores estejam dentro de uma tabela estipulada pelo SUS.

Ilegal porque existe uma legislação própria que versa sobre transplantes no Brasil. Venda de
órgãos é considerado crime.
Explicação:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.434, DE 4 DE FEVEREIRO DE 1997.

Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de
transplante e tratamento e dá outras providências.

4. A respeito da doação de órgãos, hoje, no Brasil, a legislação vigente afirma que a


doação após a morte é feita a partir de:

Registro de doador em RG

Determinação da justiça

Consentimento familiar

Critério de doação involuntária

Registro de doador em CNH

5. Com relação à doação de órgãos de cadáver no Brasil, podemos


afirmar que:

Fundamenta-se no chamado permissão presumida.

É sempre uma decisão de responsabilidade da família

Não é possível a doação de órgãos de cadáver no Brasil


Só é possível quando o doador expressa por escrito sua vontade ou
informalmente
Todo e qualquer cadáver é doador de órgãos

Explicação:
Se faz necessário respeitar a posição da família

6. O princípio que associa de modo absoluto o corpo à identidade pessoal, e assim,


estende ao corpo do indivíduo os princípios de dignidade e indisponibilidade
inerentes à pessoa humana, denomina-se:

Princípio da tangenciabilidade emocional

Princípio de vulnerabilidade

Princípio da intangibilidade corporal

Principio do duplo efeito

Princípio da solidariedade

Explicação:

O princípio de intangilblidade corporal faz menção a pertença do corpo a uma identidade única, cabendo a
mesma autorizar a retirada de órgãos ou à família, no caso de morte cerebral.

Gabarito Coment.

7. A respeito do alotransplante intervivo, é correto afirmar, EXCETO:

É permitida a doação quando se tratar de órgãos duplos.

A doação pode ocorrer mesmo que implique em grave comprometimento das funções vitais do
doador.

Implica na utilização de órgãos e tecidos específicos.

Deve respeitar ao preceito ético da não maleficência do doador.

É permitida a doação de partes de órgãos, tecidos ou partes do corpo cuja retirada não
prejudique o organismo do doador.

8. Alguns órgãos e tecidos não podem ser doados em vida, como é o caso do
coração. Nesses casos, é necessário confirmar que o doador

Apresentou um acidente vascular encefálico.

Apresentou um infarto.
Quando o paciente está em coma.

Apresentou parada cardíaca.

Apresentou morte encefálica.

Os xenotransplantes, por enquanto, são apenas uma possibilidade teórica. Muitos estudos vêm sendo
realizados no sentido de transplantar órgãos e tecidos entre espécies distintas. Os defensores desta técnica
ressaltam os argumentos de que esta possibilidade diminuiria muito o tempo de espera por órgãos e muitas
vidas poderiam ser salvas. A principal delas se refere às rejeições e à possibilidade de transmissão de vírus
não humanos para os receptores. Isso significa que:

Os xenotransplantes são aprovados no Brasil apenas para pessoas com câncer.

Os xenotransplantes já são aprovados no Brasil.

Os xenotransplantes são aprovados no Brasil apenas para casos muito graves.

Os xenotransplantes são aprovados no Brasil apenas para pessoas com mais de 35 anos.

Os xenotransplantes ainda não são aprovados no Brasil.

Explicação:

Os xenotransplantes "habitam" um universo de pesquisa e não têm data prevista para sua aprovação.
Ainda há que se pesquisar muito sobre os mesmos.

Gabarito Coment.

2. Clara é médica e atua no setor de Cuidados Paliativos de um Hospital Geral.


Sempre muito interessada nos assuntos de Bioética, e sensibilizada pelos casos
que acompanha no hospital, Clara procura informar-se sobre as possibilidades de
doação de órgãos, e se ela poderia registrar o seu desejo de transplante caso
viesse a falecer por morte encefálica. Sobre este tema, assinale a alternativa
incorreta:

Até 1997, no Brasil, os órgãos só poderiam ser utilizados se houvesse a autorização expressa do
doador em vida.
Atualmente, considera-se que todo cidadão é um doador em potencial a menos que tenha
expressado vontade contrária.
Caso não haja manifestação explicita de negativa de doação, as equipes de saúde podem
proceder a retirada dos órgãos.
A equipe de saúde, centrada na figura do médico, possui autoridade legitimada para autorizar o
transplante de órgãos.
No critério do consentimento familiar, o cônjuge ou parente na linha sucessória assume a
responsabilidade pela autorização da doação.

Explicação:

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) é responsável pelo controle e monitoramento do processo


doação de órgãos e tecidos e transplantes realizados no país, com o objetivo de desenvolver o processo
de captação e distribuição de tecidos, órgãos e partes retiradas do corpo humano para fins terapêuticos.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte
LEI Nº 9.434, DE 4 DE FEVEREIRO DE 1997.Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo
humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências.

Gabarito Coment.

3. A principal característica dos chamados DIREITOS FUNDAMENTAIS, que os


diferenciam de todos os demais direitos da pessoa é que:

São direitos que estão assegurados por legislações democráticas, tais como votar, ter liberdade
religiosa, expressar-se, etc...
São direitos originais do ser humano, sempre existiram, desde os tempos bíblicos e sempre
existirão independentes de qualquer fator sociocultural.
São os direitos utilizados para fundamentar as leis e constituições democráticas de diversas
culturas e sociedades.
São considerados como cláusulas inatingíveis por diversas constituições democráticas pelo
mundo, ou seja, não podem ser alterados por legislações.

São direitos que só podem ser anulados em caso da própria pessoa autorizar.

Explicação:

No Brasil, a Constituição Federal de 1988 determina os direitos fundamentais de todos os cidadãos do


país, sejam eles natos ou naturalizados.

Gabarito Coment.

4. As formas de obtenção de órgão são comumente distribuídas pelas seguintes


modalidades:

Doação voluntária; Consentimento presumido; Manifestação compulsória ou abordagem de


mercado.

Doação voluntária; Consentimento presumido.

Doação voluntária. Manifestação compulsória ou abordagem de mercado.

Doação presumido;Manifestação compulsória ou abordagem de mercado e consentimento


voluntário

Consentimento presumido; Manifestação compulsória ou abordagem de mercado


Explicação:

As formas de obtenção de órgão são comumente distribuídas pelas seguintes modalidades:Doação


voluntária; Consentimento presumido; Manifestação compulsória ou abordagem de mercado

5. O conceito de xenotransplante se aplica a transplantes entre:

Partes diferentes do corpo.

Pessoas de gênero diferente.

Órgãos em fase diferente de desenvolvimento.

Pessoas de países diferentes.

Seres de espécies diferentes.

Explicação:

Os xenotransplantes são o transplante de órgãos entre espécies diferentes. Um dos maiores entraves
técnicos para os xenotransplantes é a infecção por vírus estranhos ao organismo humano e o imenso
risco de rejeição por parte do receptor.

6. Os rins são órgãos que podem ser doados por doadores vivos ou falecidos.
Analise as alternativas a seguir a respeito da doação de rim e marque a incorreta

Para doação de rins, é necessário compatibilidade sanguínea.

Doadores vivos necessitam de autorização judicial para doar os rins.

Um doador vivo pode vender o rim a um receptor, caso seja de sua vontade.

Em doadores vivos, analisam-se os riscos da realização de uma cirurgia para retirar e doar o rim

Os rins são retirados de doadores mortos após confirmação de morte encefálica.

Explicação:

No Brasil, é proibida a comercialização de órgãos.


7. Na origem dos órgãos destinados a transplantes. Existem basicamente três
fontes de órgãos e tecidos utilizáveis. Este material pode ser coletado de:

I-Animais: Neste caso chamamos de xenotransplantes.

II-Seres humanos vivos: São os chamados alotransplantes intervivos.

III-Seres humanos mortos: Que chamamos de alotransplantes de doador


cadáver.

Marque a alternativa correta.

Apenas as alternativas- II e III

Apenas as alternativas- I-III

Apenas as alternativas- I e II

Todas as alternativas estão corretas

Somente a alternativa- III

Explicação:

Na origem dos órgãos destinados a transplantes as três fontes básicas de órgãos e tecidos utilizáveis são
xenotransplantes, alotransplantes e alotransplantes intervivos

8. O princípio que considera que o ato de doar órgãos inclui-se na possibilidade que
os individuos têm de sacrificar sua individualidade em detrimento do bem da
comunidade, desde que estas não impliquem comprometimento da vida pessoal,
denomina-se:

Princípio da funcionalidade

Princípio de reação

Princípio da solidariedade

Princípio de efeito

Princípio da causalidade

Com relação à doação de órgãos de cadáver no Brasil, é correto afirmar que:

só é possível quando o doador expressa por escrito sua vontade

É sempre uma decisão de responsabilidade da família

fundamenta-se no chamado consentimento presumido


não é possível a doação de órgãos de cadáver no Brasil

todo e qualquer cadáver é doador de órgãos

Explicação:

Ainda que o doente deixe autorização prévia, muitas vezes a família "esquece" por não lidar bem com a
questão da retirada de órgãos do cadáver. Ao contrário disso, se o doente não deixa autorização e a
família decide doar é permissiva a retirada de órgãos.

Gabarito Coment.

2. Marta e Mônica são gêmeas. Marta tem problemas renais e precisa de um


transplante urgente. Sua irmã quer ser doadora, mas como ambas tem a mesma
genética e Mônica também apresenta problemas renais, embora mais leves do
que sua Irma, o médico não liberou o processo de doação, mesmo elas sendo
compatíveis. A decisão do médico está pautado no Princípio:

Da totalidade

Do doador

Da terminologia

Da dissociação

Da remoção

Explicação:

O princípio da totalidade, acredita que sendo o corpo um todo, cada parte do mesmo deve ser avaliada de
acordo com o todo.

3. Entre os motivos para utilização de porcos e não macacos em alguns


transplantes, encontra-se:

o risco de extinção dos gorilas, que possuem orgãos de tamanho semelhante aos humanos.

a possibilidade de criação de porcos em cativeiro.

Em termos genéticos estamos mais próximos aos porcos do que aos macacos, apesar de nossa
maior semlelhança física com estes últimos.
o fato de porcos não terem a mesma consciência que os macacos quanto à morte e aos danos
causados em seu corpo.

alguns orgãos humanos somente são compatíveis com o organismo do porco.


Explicação:

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) é responsável pelo controle e monitoramento do processo


doação de órgãos e tecidos e transplantes realizados no país, com o objetivo de desenvolver o processo
de captação e distribuição de tecidos, órgãos e partes retiradas do corpo humano para fins terapêuticos.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte
LEI Nº 9.434, DE 4 DE FEVEREIRO DE 1997.Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo
humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências.

Gabarito Coment.

4. A doação de órgãos realizada através da vontade expressa do doador quando em


vida é denominada:

Sentimento Humanitário.

Religiosa.

Involuntária.

Compulsória.

Voluntária.

Explicação:

As formas de obtenção de órgão são comumente distribuídas pelas seguintes modalidades: Doação
voluntária; Consentimento presumido e Manifestação compulsória. A doação voluntária é aquela realizada
através da vontade expressa do doador quando em vida. Até 1997, no Brasil, os órgãos só poderiam ser
utilizados se a pessoa tivesse assim procedido. A partir daquele ano, a legislação brasileira substituiu a
doação voluntária pelo consentimento presumido.

5. O tipo de transplante que ocorre entre pessoas geneticamente diferentes é


chamado:

Alotransplante

Auto-transplante

Xenotransplante

Isotransplante

Eutransplante
6. Os direitos fundamentais são aqueles relacionados à dignidade e aos direitos
essenciais da pessoa. Uma de suas características é:

Obrigação de doação de órgãos e tecidos em vida

Direito à liberdade de consciência

Obrigação de dispor do próprio corpo

Direito a agredir o outro

Obrigatoriedade de eutanásia ativa

7. A doação de órgãos realizada através da vontade expressa do doador quando em


vida é denominada:

Compulsória.

por Consentimento Presumido.

Voluntária.

Religiosa.

Involuntária.

Explicação:

As formas de obtenção de órgão são comumente distribuídas pelas seguintes modalidades: Doação
voluntária; Consentimento presumido e Manifestação compulsória. A doação voluntária é aquela realizada
através da vontade expressa do doador quando em vida. Até 1997, no Brasil, os órgãos só poderiam ser
utilizados se a pessoa tivesse assim procedido. A partir daquele ano, a legislação brasileira substituiu a
doação voluntária pelo consentimento presumido. Por esta últimsa, presume-se que todo cidadão é um
doador em potencial, a menos que tenha expressado vontade contrária. Assim, se não há manifestação
explícita da negativa de doação, as equipes de saúde podem proceder à retirada dos órgãos.

8. Há distinções entre os órgãos que podem ser doados, determinadas em função


do tipo de morte do doador. No caso de doadores cuja morte foi constatada por
parada cardiorrespiratória podem ser doados para transplante:

apenas a pele.

apenas a córnea.

apenas os ossos.

apenas tecidos.

coração e pulmões.
O princípio que afirma que qualquer coleta de tecidos ou órgãos tem de passar pelo consentimento do
doador, denomina-se:

Princípio da verdade

Princípio da autonomia

Princípio da confiabilidade

Princípio do entorpecimento

Princípio da percepção

Explicação:

O princípio de autonomia faz menção exatamente ao fato de se retirar órgãos e/ou tecidos somente com a
autorização do doador.

Gabarito Coment.

2. Os direitos que estão associados ao direito à vida, à formação dos direitos de


personalidade, à integridade física e ao direito ao corpo, em particular, à
liberdade de consciência e ao poder de dispor do próprio corpo, denominam-se:

Direitos integrais

Direitos exclusivos

Direitos filiados

Direitos estratégicos

Direitos fundamentais

Explicação:

Desde a doação de um órgão, até que este seja transplantado, estão vinculados alguns direitos
fundamentais pertinentes ao doador e ao receptor, como o direito à vida, a formação dos direitos de
personalidade, a integridade física e o direito ao próprio corpo, a liberdade de consciência e o poder de
disposição do próprio corpo.

Gabarito Coment.
3. Na referência aos transplante de órgãos e tecidos, em 1998, através de medida
provisória, e em 2001 promulgada pela Lei 10.211/2001, a legislação brasileira
substituiu o critério do Consentimento Presumido pelo critério:

Estatístico.

do Consentimento Familiar.

Médico.

Compulsório.

do Sentimento Humanitário.

Explicação:

Em 1998, através de medida provisória e em 2001 promulgada pela Lei 10.211/2001(que alterou alguns
dos dispositivos da Lei dos transplantes original de 1997), a legislação brasileira (houve ainda a Lei
11.633 de 2007 que incluiu um artigo na lei original sobre o direito a informação sobre os benefícios da
doação de placenta e sangue do cordão umbilical) substitui o critério do Consentimento Presumido pelo do
Consentimento Familiar, onde o cônjuge ou parente na linha sucessória assume a responsabilidade pela
autorização da doação.

4. O transplante de órgãos e tecidos implica uma sequência de eventos que, desde


a doação até a efetivação do transplante:

abarca alguns direitos fundamentais pertinentes ao doador e ao receptor.

considera que nosso corpo pode funcionar sem alguns órgãos, não nos cabendo, enquanto
potenciais doadores, negar a doação.

leva em conta, exclusivamente, a vontade do doador.

não leva em consideração nossa relação com nosso próprio corpo.

leva em conta, exclusivamente, a necessidade do receptor.

Explicação:

O transplante de órgãos e tecidos implica uma sequência de eventos que, desde a doação até a efetivação
do transplante, abarca alguns direitos fundamentais pertinentes ao doador e ao receptor. Neste aspecto, a
questão ética mais premente se refere ao questionamento da prevalência e manutenção da
voluntariedade e da espontaneidade no ato de doar ou se considerar o princípio pelo qual o bem-comum
está acima da vontade individual. No bojo desta questão reside o questionamento acerca do fato de
sermos ou não donos de nosso corpo. Entende-se que as partes do corpo não podem ser dissociadas na
noção integral de pessoa, por pertencerem ao conjunto da nossa identidade; não são coisas e muito
menos podem ser utilizadas independentes da vontade.
5. No que tange ao tema de tranplantes de órgãos e tecidos, o princípio através do
qual se preserva o direito do indivíduo em decidir qual a informação que quer
manter em anonimato, denomina-se:

Princípio da bondade

Princípio da divisão

Princípio da confidencialidade

Princípio da arguição

Princípio de Castel

Explicação:

Quem doa um órgão tem o direito de manter sua doação em sigilo. Este só conhecerá o receptor se não
fizer a opção pelo caráter confidencial de doação.

6. "Associa de modo absoluto o corpo à identidade pessoal, e assim, estende ao


corpo (e às suas partes) os mesmos princípios da dignidade e indisponibilidade
por terceiros que regem os direitos da pessoa". A partir dos princípios éticos
gerais que fundamentam a doação de órgãos, qual princípio tal definição está
relacionada?

Princípio da intangibilidade corporal

Princípio da autonomia

Princípio da totalidade

Princípio da gratuidade

Princípio da solidariedade

Explicação:

O princípio da intangibilidade corporal, que reflete a pertença do corpo à identidade pessoal, e como tal,
merecedor da dignidade e da indisponibilidade inerente à pessoa humana.

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

7. A respeito dos direitos fundamentais pertinentes ao doador e receptor de órgãos,


leia as afirmativas a seguir e marque a resposta correta: I ¿ Os direitos
fundamentais estão relacionados à dignidade e aos direitos essenciais da pessoa
II ¿ Os direitos fundamentais são considerados como cláusulas atingíveis por
diversas constituições democráticas pelo mundo, ou seja, podem ser alterados
por legislações em prejuízo do ser humano. III ¿ Os direitos fundamentais estão
associados ao direito à vida, à formação dos direitos de personalidade, à
integridade física e ao direito ao corpo, em particular, à liberdade de consciência
e ao poder de dispor do próprio corpo. Está correto apenas o que se afirma em:

I e II

II e III

I e III

II

III

8. A legislação brasileira sobre a doação de órgãos após a morte de uma pessoa,


adota como critério:

A assepsemia

A parada cardíaca

Morte por AIDS

A morte encefálica

Morte por câncer

"No Brasil, as mulheres pobres, jovens e nordestinas são mais vulneráveis aos abortos inseguros. No ano
passado [2006], a média diária foi de 686 internações no Sistema Único de Saúde (SUS) para tratamento
de complicações pós-aborto. O estudo diz que a população pobre é principal vítima porque não tem acesso a
clínicas particulares nem remédios abortivos de menor risco do que práticas medievais como a introdução
de agulhas de tricô que perfuram o útero, atingindo muitas vezes a bexiga ou o intestino da gestante."
(WEBER, O Globo, 2007). A situação apresentada estabelece uma crítica a atual posição do Brasil no que diz
respeito ao aborto. Sabe-se que atualmente o aborto é legalizado em algumas situações específicas. São
elas:

estupro, gravidez indesejada e paralisia infantil

estupro, má formação congênita e gravidez indesejada

risco de vida materno, estupro e anencefalia

anencefalia, gravidez indesejada e solicitação do pai

risco materno, solicitação do pai e síndrome de Down

Explicação:

Existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais (estupro e risco
de vida materno) e propostas que flexibilizam estas condições estendendo-as à existência de anomalias
fetais que implicam na possibilidade de doenças congênitas graves e irreversíveis (anencefalia, por
exemplo).
Gabarito Coment.

2. José foi a uma um banco de espermas para doação. Ele tem uma fantasia de que
terá muitos filhos espalhados pelo o país e um dia irá conhecer todos, mas isso
não é possível porque:

Existe uma resolução que institui que a doação deve preservar o anonimato entre receptores e
doadores.
José apresentará dificuldades em saber a idade e endereço dos filhos, mesmo com acesso ao
banco.

A lei prevê que os filhos de doadores de sêmen não devem ter acesso aos pais.

Existe uma normativa que afirma que as mulheres receptoras podem ter acesso aos doadores,
mas sem evidenciá-los aos filhos.
José provavelmente não saberá quantas mulheres foram fecundadas, mesmo podendo ter
acesso a elas.

Explicação:

A doação de esperma para bancos é regulada por anonimato. Nem as receptoras conhecerão o pai, nem
os doadores conhecerão os filhos.

3. O debate ético sobre a interrupção da gravidez por procedimentos clínicos, o


aborto, envolve questões morais e sociais, direito da mulher sobre o seu corpo,
conceito de início da vida, entre outros aspectos. Porém, existe uma forte
percepção sobre a realidade de que as restrições legais não conseguem impedir
esses procedimentos. Portanto, temos como uma grave consequência de tais
restrições:

Um problema de saúde pública, com muitas mulheres morrendo em procedimentos sem


acompanhamento clínico adequado.
Uma crise ética na sociedade, que não consegue estabelecer um consenso em torno da
questão do aborto.
O custo em manter tanta fiscalização e a multiplicação de processos legais, que encarece
nosso sistema legal.
Um problema técnico no meio da saúde pública, que se mostra incapaz de definir quando de
fato a vida se inicia na gestação.
Um custo político elevado, pois nossos governantes muitas vezes evitam debater questões
controversas como essa.

Explicação:

Um grande número de mulheres recorre todos os dias a abortos em locais impróprios e profundamente
arriscados do ponto de vista da preservação de sua própria integridade. Isso ocorre em função dos
impedimentos legais em recorrer ao sistema oficial de saúde.
4. As questões éticas envolvidas nos procedimentos ligados à reprodução humana
abarcam uma série de aspectos, mas seu conceito básico é:

O objetivo da reprodução é escolha de material genético para fins de beleza.

O objetivo da reprodução é a destruição de gametas.

O objetivo da reprodução é o aborto.

O objetivo da reprodução é a barriga de aluguel.

O objetivo da reprodução é a geração da vida.

Explicação:

O bjtivo-fim no caso da transplantação de gametas é a geração de vida. Somente nisso os médicos que
atuam nas técnicas de reprodução assistida pensam.

Gabarito Coment.

5. Recentemente foi divulgado que nasceu uma criança através do método de


reprodução assistida cujo pai já havia falecido. Sua mãe entrou na justiça para
ter uma liberação a fim de utilizar os embriões fecundos antes do referido pai
falecer. Isso se deu porque:

O pai não havia deixado autorização prévia específica para o uso do material biológico
criopreservado.

O pai não possuía material biológico preservado e foi necessária uma exumação do corpo.

A lei permite utilização de materiais criopreservados post mortem independente de autorização


do falecido.

A mãe se negou a fazer inseminação durante o período em que seu marido estava vivo.

A família do falecido pai se negou à autorizar a fecundação sem a vontade do mesmo


evidenciada.

Explicação:

Na ausência de autorização para a utilização de embriões fecundos, precisa existir o pedido e o


consentimento legal para que os mesmos possam ser utilizados.

Gabarito Coment.

6. A tecnologia pode ser muito benéfica ou maléfica para o ser humano,


dependendo da forma como o homem a utiliza. Novas tecnologias têm
beneficiado a saúde em diversos aspectos. O mesmo equipamento de raio x que
possibilita uma investigação de doenças, também emite radiação. Não podemos
confundir a tecnologia em si, com:
O uso que se fará dela

O momento de execução da máquina

A manutenção da máquina.

O tipo de tecnologia fabricada

A máquina a ser desenvolvida

Explicação:

O fato é que novas tecnologias implicam em novas ferramentas que podem alterar hábitos, eliminar ou
transformar comportamentos, inaugurar novas possibilidades e uma série infindável de ações que se
transformam em função delas.

Gabarito Coment.

7. As novas tecnologias vieram para contribuir à saúde humana, porém alguns


danos também foram provocados com o seu avanço. Quais são os problemas
encontrados com o uso de novas tecnologias em busca da saúde humana?

Implicações éticas quanto ao seu uso

Ensinar aos familiares do paciente como fazer uso da mesma.

Ensinar os pacientes sobre como fazer uso das mesmas

Achar mão de obra capaz para manuseá-la

Dificuldade de acompanhar as mudanças tecnológicas e fazer uso da mais recente.

Explicação:

Os frequentes avanços tecnológicos na área da saúde se, por um lado, têm propiciado imensos benefícios
para a sociedade, por outro lado, têm também feito surgir novos problemas e questões éticas a serem
discutidas e consideradas. Novas questões que surgem a partir de novas possibilidades de intervenção do
homem sobre os fatos.

8. Os frequentes avanços tecnológicos na área da saúde se, por um lado, têm


propiciado imensos benefícios para a sociedade, por outro lado, têm também
feito surgir novos problemas e questões éticas a serem discutidas e consideradas.
Isso implica que:

As novas tecnologias devem ser avaliadas em função do seu custo/benefício e nunca em função
da ética ou de seu valor para a humanidade.
O uso que se faz das novas tecnologias é sempre maléfico e por isso elas não devem ser
utilizadas.
Toda tecnologia tem apenas um lado: um positivo, pois nenhum avanço científico ou pesquisa
apresenta riscos para a humanidade.
É preciso ter o cuidado para que os avanços tecnológicos não firam os direitos humanos
fundamentais.
O que importa nos avanços tecnológicos são os investimentos financeiros e o retorno do capital
investido para as grandes empresas: o impacto nos seres humanos não é considerado.

Leia a reportagem a seguir: "Cientistas das Universidades de Kyoto, no Japão, e Winsconsin, nos Estados
Unidos, conseguiram recentemente obter iPS (sigla em inglês para 'célula-tronco pluripotente induzida').
(...) Induzí-las a um estado pluripotente (significa que elas passaram a ter o potencial de desenvolver-se
em qualquer tipo de célula do corpo humano). Como este procedimento não carrega o peso moral envolvido
na pesquisa com células embrionárias e tem custo reduzido, acredita-se que muitos laboratórios irão
começar a trabalhar neste campo" (Jornal do Brasil, 02/12/2007). O desenvolvimento de novas tecnologias
traz novas questões a serem pensadas. Assinale a alternativa incorreta:

O mesmo instrumento pode servir a objetivos radicalmente distintos, portanto deve-se


considerar a diferença existente entre a tecnologia em si e o uso que se fará dela.
As novas tecnologias impactam negativamente a forma de vida da população, pois seus efeitos
adversos são desconhecidos.
A cada nova tecnologia implementada, novos debates éticos se colocam para responder aos seus
impactos.
Certas tecnologias impactam a esfera macro da sociedade, envolvendo princípios de justiça e
alocação de recursos na área de saúde.
A implantação de novas tecnologias pode afetar diretamente o modo de vida da população, seu
comportamento e hábitos.

Explicação:

Os conceitos morais dessas ações precisam estar fundamentados no Regulamenta os incisos II, IV e V do
§ 1o do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização
de atividades que envolvam organismos geneticamente modificados ¿ OGM e seus derivados, cria o
Conselho Nacional de Biossegurança ¿ CNBS, reestrutura a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança ¿
CTNBio, dispõe sobre a Política Nacional de Biossegurança ¿ PNB, revoga a Lei no 8.974, de 5 de janeiro
de 1995, e a Medida Provisória no 2.191-9, de 23 de agosto de 2001, e os arts. 5o, 6o, 7o, 8o, 9o, 10 e 16
da Lei no 10.814, de 15 de dezembro de 2003, e dá outras providências.

Gabarito Coment.

2. Muitas são as propostas para que um apanhado de tecnologias possa trazer


novas possibilidades a vida humana com saúde, porém, muitas também trazem
danos a condição de vida do homem. Devemos focar nos benefícios que a
tecnologia pode trazer e não_____ Qual alternativa que melhor preenche a
lacuna?

Com o material que ela utilizará

Com o uso que se fará dela.

Com o paciente que fará uso dela

Com a instituição que fará uso dela.

Com os resultados que ela pode proporcionar ao paciente


Explicação:

O fato é que novas tecnologias implicam em novas ferramentas que podem alterar hábitos, eliminar ou
transformar comportamentos, inaugurar novas possibilidades e uma série infindável de ações que se
transformam em função delas.

3. Levando em conta os aspectos referidos à Reprodução Assistida, a atual


Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM 2168 de 21/09/2017)
considera, dentre outros pontos:

que a infertilidade humana é um problema menor na vida das mulheres.que a infertilidade


humana é um problema menor na vida das mulheres.
a infertilidade humana como um problema de saúde, com repercussões médicas e
psicológicas, sendo legítimo o anseio em superá-la.
a infertilidade humana como um problema de saúde, mas sem repercussões médicas e
psicológicas, não sendo legítimo o anseio em superá-la.
que a infertilidade humana é determinada pela Natureza e pela Lei de Deus, não reconhecendo
legítimas as práticas médicas ou os anseios em superá-la.

que as mulheres precisam desejar ter filhos com menos idade.

Explicação:

A atual Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM 2168 de 21/09/2017) considera, dentre outros
pontos, a infertilidade humana como um problema de saúde, com repercussões médicas e
psicológicas, sendo legítimo o anseio em superá-la. Considera, também, que as mulheres, por conta das
transformações sociais, estão postergando a maternidade, o que diminui a possibilidade de engravidarem
naturalmente. Em função disto, entende como legítimo lançar mão do conhecimento científico para
superar vários casos de problemas de reprodução humana.

4. Em 2008 o Vaticano publicou um documento sobre aspectos da bioética e


reprodução humana. Neste documento, a Igreja Católica considera as tecnologias
de fertilização que auxiliam os casais na procriação como sendo:

Lícitas na medida em que preservarem o ato sexual procriativo entre casais oficialmente
instituídos e moralmente ilícitas quando efetuado por pessoas sem o vínculo matrimonial
estabelecido.
Lícitas desde que estas respeitem a preservação do ato procriativo em si e considera
moralmente ilícitas as tecnologias que dissociam a procriação do ato sexual como a criogenia ou
a fecundação ¿in vitro¿.
Ilícitas ética e moralmente, preservando o entendimento do documento Donum Vitae editado em
1987.
Lícitas desde que não haja o contato sexual como a fecundação ¿in vitro¿ e moralmente ilícitas
quando estas tecnologias implicam em atos sexuais desvinculados do matrimônio.
Lícitas desde que se utilizem de tecnologias de inseminação artificial sem que seja necessário o
contato sexual entre as partes.

Explicação:
LEI Nº 11.105, DE 24 DE MARÇO DE 2005.

Regulamenta os incisos II, IV e V do § 1o do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas de


segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam organismos geneticamente
modificados ¿ OGM e seus derivados, cria o Conselho Nacional de Biossegurança ¿ CNBS, reestrutura a
Comissão Técnica Nacional de Biossegurança ¿ CTNBio, dispõe sobre a Política Nacional de Biossegurança
¿ PNB, revoga a Lei no 8.974, de 5 de janeiro de 1995, e a Medida Provisória no 2.191-9, de 23 de agosto
de 2001, e os arts. 5o, 6o, 7o, 8o, 9o, 10 e 16 da Lei no 10.814, de 15 de dezembro de 2003, e dá outras
providências.

Gabarito Coment.

5. As novas tecnologias têm sido aplicadas em relação às alternativas de


manipulação genética, no desenvolvimento de técnicas de transplantes e também
nos aspectos relacionados à fertilização e reprodução humana. Elas estão
diretamente relacionadas à:

Intervenção Animal

Saúde Bovina

Saúde Coletiva

Doença Mental

Aquecimento Global

Explicação:

As tecnologias desenvolvidas para a saúde e fertilização são sempre planejadas para o benefício coletivo.

6. Um casal decidiu manter material criopreservado para posterior reprodução


assistida, no entanto, o marido faleceu sem deixar autorização prévia para
utilização do material e a esposa está querendo utilizá-lo para engravidar e
manter a memória do marido consigo. De acordo com a legislação vigente:

O importante para a legislação é que a esposa mantenha seu estado de saúde psicológica,
portanto a lei permite que o material seja utilizado sem prévia autorização.
Não é permitido preservar embriões em criogenia, portanto, o casal está agindo contra a lei e a
esposa, mesmo que tivesse uma autorização prévia do marido, jamais poderia utilizar o material
criopreservado.
É preciso autorização prévia específica do (a) falecido (a) para o uso do material biológico
criopreservado.
A esposa pode utilizar o material criopreservado sem problemas, pois a legislação não é
específica quanto a isto.
É importante que a esposa esteja de posse do material criopreservado, com total acesso e
condições para realizar os procedimentos necessários, independente de autorização para
utilização do mesmo.
Explicação:

Ainda nos casos de material genético congelado, onde existe uma união legal, a mulher só pode fazer uso
do materialse existir autorização prévia do marido para uso do material.

Gabarito Coment.

7. Quando se fala no avanço das tecnologias voltadas para o bem estar do homem
que precisa fazer uso da mesma para estabelecer sua saúde, deve-se pensar
quais procedimentos abordam, não apenas questões éticas individuais, relativas
aos direitos da pessoa, mas também ao modo como pretendem se beneficiar com
o uso dessas tecnologias. Assinale a alternativa que apresenta um outro
problema relativo ao uso dessas tecnologias:

Abrem espaço para o avanço da tecnologia para diversas áreas e não somente a saúde.

Iniciam demandas de doenças que surgem a partir de outros países.

Incitam às questões relativas à saúde coletiva

Iniciam discussões sobre aborto

Iniciam discussões sobre comercialização sobre esses equipamentos.

Explicação:

Estes procedimentos levantam não apenas questões éticas individuais, relativas aos direitos
da pessoa e ao modo como pretendem se beneficiar destas tecnologias, mas também nos
incitam às questões relativas à saúde coletiva, na medida em que, em geral, estas
tecnologias vêm associadas a novos instrumentos de diagnóstico e tratamento e, por isso,
implicam em princípios de justiça e alocação de recursos na área de saúde que,
normalmente são escassos e caros.

8. Muitas tecnologias tem sido desenvolvidas a favor da vida humana, apesar da


polêmica em relação aos seus possíveis malefícios. Pensando nas prerrogativas
que a tecnologia podem trazer, assinale a alternativa que apresenta um desses
benefícios:

Facilidade para execução do aborto.

Facilidade para os médicos procederem como a sua necessidade

Facilidade para que os próprios pacientes escolham o melhor procedimento frente a sua doença.

Maior disponibilidade de verbas para o tratamento

Técnicas de transplantes e também nos aspectos relacionados à fertilização e reprodução


humana.

Explicação:
Assim tem sido em relação às alternativas de manipulação genética, no desenvolvimento de
técnicas de transplantes e também nos aspectos relacionados à fertilização e reprodução
humana.

Um assunto polêmico tem causado discordância de opiniões em grupo de pessoas que debatem sobre o
aborto legalizado para os casos de microcefalia no Brasil. Um Juiz, que já autorizou diversos abortos em
casos similares ao quadro que a microcefalia causa aos bebês, defende que a questão deve ser analisada
específica e detalhadamente (https://br.blastingnews.com/ciencia-saude/2016/01/). Este fato testemunha
que:

não é possível conseguir na justiça o direito ao aborto, no caso de doenças como anencefalia e
outras doenças raras em que há a previsão de morte do bebê.
não existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais,
uma vez que o aborto é autorizado por Lei.

o código penal brasileiro não elimina o aborto como crime em nenhuma circunstância.

não existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais e
nem propostas que flexibilizam estas condições
existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais e
propostas que flexibilizam estas condições, estendendo-as à existência de anomalias fetais que
implicam na possibilidade de doenças congênitas graves e irreversíveis.

Explicação:

Os debates éticos a respeito do aborto estão longe de ser encerrados e tanto na esfera jurídica quanto
filosófica dificilmente encontraremos consenso em um aspecto que depende tão diretamente de valores
morais, religiosos e culturais. Contudo, existem condições previstas na legislação brasileira para a
autorização de abortos legais (estupro e risco de vida materno) e propostas que flexibilizam estas
condições estendendo-as à existência de anomalias fetais que implicam na possibilidade de doenças
congênitas graves e irreversíveis (anencefalia, por exemplo). O código penal brasileiro, em seu artigo
128, desqualifica o aborto como crime em caso de gestação proveniente de estupro.

2. Um casal homoafetivo feminino decidiu que um bebê seria muito bem vindo à
família, e para isso optou por reprodução assistida através de doação de sêmen.
No Brasil, a legislação:

Autoriza que mulheres com problemas para engravidar se utilizem de técnicas de reprodução
assistida, o que não é o caso do casal em questão.
Autoriza apenas a adoção para casais homoafetivos femininos e masculinos, excluindo qualquer
tipo de técnica de reprodução assistida, mesmo que para mulheres independentes.
Autoriza adoção apenas para casais homoafetivos masculinos e exclui a possibilidade de
reprodução assistida para casais homoafetivos femininos, oque impede o casal em questão de
ampliar a família.
Autoriza que mulheres utilizem sêmen doado para gestação independente da existência de
vínculo familiar formal.

Autoriza somente famílias com união formal a se utilizarem de técnicas de reprodução assistida.

Explicação:
Realizar reprodução assistida com material congelado de pessoas desconhecidas é permitido legalmente.
No caso dos casais homoafetivos a legislação os protegem com a utilização de espermas ou óvulos,
dependendo do caso especificamente.

Gabarito Coment.

3. As novas tecnologias vieram para contribuir à saúde humana, porém alguns


danos também foram provocados com o seu avanço. Quais são os problemas
encontrados com o uso de novas tecnologias em busca da saúde humana?

Ensinar os pacientes sobre como fazer uso das mesmas

Ensinar aos familiares do paciente como fazer uso da mesma.

Implicações éticas quanto ao seu uso

Dificuldade de acompanhar as mudanças tecnológicas e fazer uso da mais recente.

Achar mão de obra capaz para manuseá-la

Explicação:

Os frequentes avanços tecnológicos na área da saúde se, por um lado, têm propiciado imensos benefícios
para a sociedade, por outro lado, têm também feito surgir novos problemas e questões éticas a serem
discutidas e consideradas. Novas questões que surgem a partir de novas possibilidades de intervenção do
homem sobre os fatos.

4. Uma menina de 15 anos engravidou e sua vida corre risco. De acordo com a
legislação brasileira a referida menina:

Não tem o direito de fazer o aborto, pois já tem 15 anos.

Não tem o direito de fazer o aborto, pois não foi estuprada.

Tem direito a fazer o aborto, pois sua vida está em risco.

Não tem o direito de fazer o aborto, pois o bebê não é anencéfalo.

Tem o direito de fazer o aborto somente se tiver sido estuprada.

Explicação:

Existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais (estupro e risco
de vida materno). Naturalmente que todas estas motivações ou condições, independente de aspectos
legais, são profundamente conflitantes em termos éticos, pois implicam no direito a impedir o
desenvolvimento da vida em função de critérios nem sempre absolutos.

Gabarito Coment.

5. Leis relativas à interrupção da gravidez variam bastante de país para país, da


proibição absoluta à despenalização em alguns casos e à permissão em todas as
circunstâncias. Segundo dados da ONU, em dois terços de 195 países analisados,
a interrupção da gravidez só é permitida quando a saúde física ou psíquica da
mulher está ameaçada. Na metade desses países, a intervenção é permitida
quando a gravidez é resultado de estupro ou incesto, ou se é comprovado que o
feto possui alguma malformação que pode colocar sua vida em risco. Somente
um terço desses países leva em consideração a situação econômica ou social da
mãe para permitir um aborto. (https://noticias.uol.com.br/ultimas-
noticias/deutschewelle/2017/11/18/). No BRASIL, o aborto:

não é regulamentado por nenhuma lei.

a lei do aborto leva em consideração a situação econômica e social da mãe.

só é permitido quando há risco de morte para a gestante, quando a gravidez resulta de estupro
ou quando o feto é anencéfalo.

o aborto não é permitido em nenhuma circunstância.

o aborto só é permitido em caso de estupro.

Explicação:

Existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais (estupro e risco
de vida materno) e propostas que flexibilizam estas condições estendendo-as à existência de anomalias
fetais que implicam na possibilidade de doenças congênitas graves e irreversíveis (anencefalia, por
exemplo). O código penal brasileiro, em seu artigo 128, desqualifica o aborto como crime em caso de
gestação proveniente de estupro.

6. Recentemente foi divulgado que nasceu uma criança através do método de


reprodução assistida cujo pai já havia falecido. Sua mãe entrou na justiça para
ter uma liberação a fim de utilizar os embriões fecundos antes do referido pai
falecer. Isso se deu porque:

A família do falecido pai se negou à autorizar a fecundação sem a vontade do mesmo


evidenciada.
O pai não havia deixado autorização prévia específica para o uso do material biológico
criopreservado.

O pai não possuía material biológico preservado e foi necessária uma exumação do corpo.

A mãe se negou a fazer inseminação durante o período em que seu marido estava vivo.

A lei permite utilização de materiais criopreservados post mortem independente de autorização


do falecido.
Explicação:

Na ausência de autorização para a utilização de embriões fecundos, precisa existir o pedido e o


consentimento legal para que os mesmos possam ser utilizados.

Gabarito Coment.

7. No Brasil a interrupção gestacional é um procedimento clínico considerado crime.


Esta interrupção denomina-se:

Ortotanásia

Prevenção

Gravidez

Aborto

Distanásia

Explicação:

Naturalmente que todas estas motivações ou condições, independente de aspectos legais, são
profundamente conflitantes em termos éticos, pois implicam no direito a impedir o desenvolvimento da
vida em função de critérios nem sempre absolutos.

8. "No Brasil, as mulheres pobres, jovens e nordestinas são mais vulneráveis aos
abortos inseguros. No ano passado [2006], a média diária foi de 686 internações
no Sistema Único de Saúde (SUS) para tratamento de complicações pós-aborto.
O estudo diz que a população pobre é principal vítima porque não tem acesso a
clínicas particulares nem remédios abortivos de menor risco do que práticas
medievais como a introdução de agulhas de tricô que perfuram o útero, atingindo
muitas vezes a bexiga ou o intestino da gestante." (WEBER, O Globo, 2007).
A situação apresentada estabelece uma crítica a atual posição do Brasil no que
diz respeito ao aborto. Sabe-se que atualmente o aborto é legalizado em algumas
situações específicas. São elas:

anencefalia, gravidez indesejada e solicitação do pai

risco materno, solicitação do pai e síndrome de Down

estupro, má formação congênita e gravidez indesejada

estupro, gravidez indesejada e paralisia infantil

risco de vida materno, estupro e anencefalia


O debate ético sobre a interrupção da gravidez por procedimentos clínicos, o aborto, envolve questões
morais e sociais, direito da mulher sobre o seu corpo, conceito de início da vida, entre outros aspectos.
Porém, existe uma forte percepção sobre a realidade de que as restrições legais não conseguem impedir
esses procedimentos. Portanto, temos como uma grave consequência de tais restrições:

Um problema técnico no meio da saúde pública, que se mostra incapaz de definir quando de
fato a vida se inicia na gestação.
O custo em manter tanta fiscalização e a multiplicação de processos legais, que encarece
nosso sistema legal.
Um custo político elevado, pois nossos governantes muitas vezes evitam debater questões
controversas como essa.
Um problema de saúde pública, com muitas mulheres morrendo em procedimentos sem
acompanhamento clínico adequado.
Uma crise ética na sociedade, que não consegue estabelecer um consenso em torno da
questão do aborto.

Explicação:

Um grande número de mulheres recorre todos os dias a abortos em locais impróprios e profundamente
arriscados do ponto de vista da preservação de sua própria integridade. Isso ocorre em função dos
impedimentos legais em recorrer ao sistema oficial de saúde.

2. Sabe-se que, na década de 80, os abortos clandestinos no Brasil podem ter


chegado a 4 milhões por ano. Uma série de fatores se combinou para reduzir
esse número. Entende-se que, os mais efetivos para a redução deste número
foram:

a distribuição de camisinhas no Carnaval e de pílulas anticoncepcionais nas unidades do SUS.

a criminalização do aborto e as pesadas leis aplicadas.

o avanço da religiosidade no povo brasileiro e a sacralidade atribuída à vida humana.

a ampliação do instinto materno e o desejo de um filho por parte das mulheres.

o aperfeiçoamento dos métodos anticoncepcionais e a disseminação no país de políticas de


planejamento familiar.

Explicação:

Na década de 80, os abortos clandestinos podem ter chegado a 4 milhões por ano. Uma série de fatores
se combinou para reduzir esse número. Os mais efetivos foram o aperfeiçoamento dos métodos
anticoncepcionais e a disseminação no país de políticas de planejamento familiar.

3. Os frequentes avanços tecnológicos na área da saúde se, por um lado, têm


propiciado imensos benefícios para a sociedade, por outro lado, têm também
feito surgir novos problemas e questões éticas a serem discutidas e consideradas.
Isso implica que:
As novas tecnologias devem ser avaliadas em função do seu custo/benefício e nunca em função
da ética ou de seu valor para a humanidade.
O que importa nos avanços tecnológicos são os investimentos financeiros e o retorno do capital
investido para as grandes empresas: o impacto nos seres humanos não é considerado.
Toda tecnologia tem apenas um lado: um positivo, pois nenhum avanço científico ou pesquisa
apresenta riscos para a humanidade.
O uso que se faz das novas tecnologias é sempre maléfico e por isso elas não devem ser
utilizadas.
É preciso ter o cuidado para que os avanços tecnológicos não firam os direitos humanos
fundamentais.

Explicação:

A tecnologia tem sido muito produtiva para os avanços no tratamento de doenças, bem como a própria
reprodução assistida. Contudo não há uso da tecnologia sem o cuidado com a ética.

Gabarito Coment.

4. Ana está grávida, mas o bebê é anencéfalo. De acordo com a legislação


brasileira:

Ana é obrigada a doar os órgãos da criança.

Ana só pode fazer o aborto após o sétimo mês de gestação.

Ana pode fazer o aborto em qualquer clínica clandestina sem ônus para o Governo.

Ana tem respaldo legal para o aborto exclusivamente em caso de estupro.

Ana tem o direito de fazer o aborto.

Explicação:

Existem condições previstas na legislação brasileira para a autorização de abortos legais (estupro e risco
de vida materno) e propostas que flexibilizam estas condições estendendo-as à existência de anomalias
fetais que implicam na possibilidade de doenças congênitas graves e irreversíveis (anencefalia, por
exemplo).

Gabarito Coment.

5. As questões éticas envolvidas nos procedimentos ligados à reprodução humana


abarcam uma série de aspectos, mas seu conceito básico é:

O objetivo da reprodução é a barriga de aluguel.

O objetivo da reprodução é a destruição de gametas.

O objetivo da reprodução é a geração da vida.


O objetivo da reprodução é escolha de material genético para fins de beleza.

O objetivo da reprodução é o aborto.

Explicação:

O bjtivo-fim no caso da transplantação de gametas é a geração de vida. Somente nisso os médicos que
atuam nas técnicas de reprodução assistida pensam.

Gabarito Coment.

6. Pela Legislação Brasileira, a idade máxima das mulheres candidatas à


Reprodução Assistida, em princípio, é de:

45 anos.

60 anos.

50 anos.

30 anos.

70 anos.

Explicação:

Pela Legislação Brasileira, a idade máxima das mulheres candidatas à Reprodução Assistida, em princípio,
é de 50 anos, podendo haver exceções, desde que baseadas em critérios científicos e fundamentadas pelo
médico responsável, havendo a necessidade de esclarecer, à candidata, os riscos envolvidos no processo.

7. Em 2008 o Vaticano publicou um documento sobre aspectos da bioética e


reprodução humana. Neste documento, a Igreja Católica considera as tecnologias
de fertilização que auxiliam os casais na procriação como sendo:

Lícitas desde que não haja o contato sexual como a fecundação ¿in vitro¿ e moralmente ilícitas
quando estas tecnologias implicam em atos sexuais desvinculados do matrimônio.
Lícitas na medida em que preservarem o ato sexual procriativo entre casais oficialmente
instituídos e moralmente ilícitas quando efetuado por pessoas sem o vínculo matrimonial
estabelecido.
Ilícitas ética e moralmente, preservando o entendimento do documento Donum Vitae editado em
1987.
Lícitas desde que se utilizem de tecnologias de inseminação artificial sem que seja necessário o
contato sexual entre as partes.
Lícitas desde que estas respeitem a preservação do ato procriativo em si e considera
moralmente ilícitas as tecnologias que dissociam a procriação do ato sexual como a criogenia ou
a fecundação ¿in vitro¿.
Explicação:

LEI Nº 11.105, DE 24 DE MARÇO DE 2005.

Regulamenta os incisos II, IV e V do § 1o do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas de


segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam organismos geneticamente
modificados ¿ OGM e seus derivados, cria o Conselho Nacional de Biossegurança ¿ CNBS, reestrutura a
Comissão Técnica Nacional de Biossegurança ¿ CTNBio, dispõe sobre a Política Nacional de Biossegurança
¿ PNB, revoga a Lei no 8.974, de 5 de janeiro de 1995, e a Medida Provisória no 2.191-9, de 23 de agosto
de 2001, e os arts. 5o, 6o, 7o, 8o, 9o, 10 e 16 da Lei no 10.814, de 15 de dezembro de 2003, e dá outras
providências.

Gabarito Coment.

8. A tecnologia pode ser muito benéfica ou maléfica para o ser humano,


dependendo da forma como o homem a utiliza. Novas tecnologias têm
beneficiado a saúde em diversos aspectos. O mesmo equipamento de raio x que
possibilita uma investigação de doenças, também emite radiação. Não podemos
confundir a tecnologia em si, com:

O momento de execução da máquina

O uso que se fará dela

A manutenção da máquina.

O tipo de tecnologia fabricada

A máquina a ser desenvolvida

Quando se fala no avanço das tecnologias voltadas para o bem estar do homem que precisa fazer uso da
mesma para estabelecer sua saúde, deve-se pensar quais procedimentos abordam, não apenas questões
éticas individuais, relativas aos direitos da pessoa, mas também ao modo como pretendem se beneficiar
com o uso dessas tecnologias. Assinale a alternativa que apresenta um outro problema relativo ao uso
dessas tecnologias:

Iniciam discussões sobre aborto

Incitam às questões relativas à saúde coletiva

Iniciam demandas de doenças que surgem a partir de outros países.

Abrem espaço para o avanço da tecnologia para diversas áreas e não somente a saúde.

Iniciam discussões sobre comercialização sobre esses equipamentos.

Explicação:

Estes procedimentos levantam não apenas questões éticas individuais, relativas aos direitos
da pessoa e ao modo como pretendem se beneficiar destas tecnologias, mas também nos
incitam às questões relativas à saúde coletiva, na medida em que, em geral, estas
tecnologias vêm associadas a novos instrumentos de diagnóstico e tratamento e, por isso,
implicam em princípios de justiça e alocação de recursos na área de saúde que,
normalmente são escassos e caros.

2. Paula sofre com o fato de estar tentando engravidar há três anos sem sucesso.
Então, resolveu recorrer à doação de gametas para engravidar. A questão da
doação de gametas, por exemplo, é indicada para casos de casais inférteis ou no
caso de que um dos membros possua doença genética transmissível para os
descendentes. A Resolução CFM 1358/92 institui que, além de gratuita, a doação
deve preservar o anonimato entre receptores e doadores. O argumento principal
é de que:

este procedimento evitaria problemas futuros relativos às situações emocionais e legais com
repercussões no desenvolvimento psicológico da criança.

com este procedimento o pai poderia solicitar pensão alimentícia.

a mãe não precisa de um pai para criar seu filho.

hoje as mulheres são independentes e têm condições de arcar com todas as despesas de um
filho.

O pai pode e deve saber para quem doou o seu gameta.

Explicação:

Um casal que opta pela recepção de gametas, por questões impeditivas de gestação por vias normais
deve estar ciente de que os doadores se mantém anônimos. Isto facilita ao não surgimento de conflitos
futuros para as crianças advindas deste tipo de reprodução.

3. Uma mulher de 25 anos foi estuprada. De acordo com a legislação brasileira, ela:

Tem o direito de fazer o aborto, pois foi estuprada.

Não tem o direito de fazer o aborto, pois já tem mais de 18 anos.

Não tem o direito de fazer o aborto, pois o bebê não é anencéfalo.

Não tem direito a fazer o aborto, pois sua vida não está em risco.

Tem o direito de fazer o aborto somente se o bebê for anencéfalo.

Explicação:

Naturalmente que todas estas motivações ou condições, independente de aspectos legais, são
profundamente conflitantes em termos éticos, pois implicam no direito a impedir o desenvolvimento da
vida em função de critérios nem sempre absolutos.
4. Levando em conta os aspectos referidos à Reprodução Assistida, a atual
Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM 2168 de 21/09/2017)
considera, dentre outros pontos:

que a infertilidade humana é determinada pela Natureza e pela Lei de Deus, não reconhecendo
legítimas as práticas médicas ou os anseios em superá-la.
que a infertilidade humana é um problema menor na vida das mulheres.que a infertilidade
humana é um problema menor na vida das mulheres.

que as mulheres precisam desejar ter filhos com menos idade.

a infertilidade humana como um problema de saúde, com repercussões médicas e


psicológicas, sendo legítimo o anseio em superá-la.
a infertilidade humana como um problema de saúde, mas sem repercussões médicas e
psicológicas, não sendo legítimo o anseio em superá-la.

Explicação:

A atual Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM 2168 de 21/09/2017) considera, dentre outros
pontos, a infertilidade humana como um problema de saúde, com repercussões médicas e
psicológicas, sendo legítimo o anseio em superá-la. Considera, também, que as mulheres, por conta das
transformações sociais, estão postergando a maternidade, o que diminui a possibilidade de engravidarem
naturalmente. Em função disto, entende como legítimo lançar mão do conhecimento científico para
superar vários casos de problemas de reprodução humana.

5. Muitas são as propostas para que um apanhado de tecnologias possa trazer


novas possibilidades a vida humana com saúde, porém, muitas também trazem
danos a condição de vida do homem. Devemos focar nos benefícios que a
tecnologia pode trazer e não_____ Qual alternativa que melhor preenche a
lacuna?

Com o paciente que fará uso dela

Com a instituição que fará uso dela.

Com o material que ela utilizará

Com os resultados que ela pode proporcionar ao paciente

Com o uso que se fará dela.

Explicação:

O fato é que novas tecnologias implicam em novas ferramentas que podem alterar hábitos, eliminar ou
transformar comportamentos, inaugurar novas possibilidades e uma série infindável de ações que se
transformam em função delas.
6. Leia a reportagem a seguir: "Cientistas das Universidades de Kyoto, no Japão, e
Winsconsin, nos Estados Unidos, conseguiram recentemente obter iPS (sigla em
inglês para 'célula-tronco pluripotente induzida'). (...) Induzí-las a um estado
pluripotente (significa que elas passaram a ter o potencial de desenvolver-se em
qualquer tipo de célula do corpo humano). Como este procedimento não carrega
o peso moral envolvido na pesquisa com células embrionárias e tem custo
reduzido, acredita-se que muitos laboratórios irão começar a trabalhar neste
campo" (Jornal do Brasil, 02/12/2007). O desenvolvimento de novas tecnologias
traz novas questões a serem pensadas. Assinale a alternativa incorreta:

O mesmo instrumento pode servir a objetivos radicalmente distintos, portanto deve-se


considerar a diferença existente entre a tecnologia em si e o uso que se fará dela.
Certas tecnologias impactam a esfera macro da sociedade, envolvendo princípios de justiça e
alocação de recursos na área de saúde.
A implantação de novas tecnologias pode afetar diretamente o modo de vida da população, seu
comportamento e hábitos.
As novas tecnologias impactam negativamente a forma de vida da população, pois seus efeitos
adversos são desconhecidos.
A cada nova tecnologia implementada, novos debates éticos se colocam para responder aos seus
impactos.

Explicação:

Os conceitos morais dessas ações precisam estar fundamentados no Regulamenta os incisos II, IV e V do
§ 1o do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização
de atividades que envolvam organismos geneticamente modificados ¿ OGM e seus derivados, cria o
Conselho Nacional de Biossegurança ¿ CNBS, reestrutura a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança ¿
CTNBio, dispõe sobre a Política Nacional de Biossegurança ¿ PNB, revoga a Lei no 8.974, de 5 de janeiro
de 1995, e a Medida Provisória no 2.191-9, de 23 de agosto de 2001, e os arts. 5o, 6o, 7o, 8o, 9o, 10 e 16
da Lei no 10.814, de 15 de dezembro de 2003, e dá outras providências.

Gabarito Coment.

7. O conjunto de técnicas para o tratamento da infertilidade conjugal que envolvem


a manipulação em laboratório de, pelo menos, um dos gametas, espermatozóides
ou óvulos, recebe o nome de:

Bebê de Proveta.

Aborto Espontâneo.

Reprodução Assistida.

Gestação de Substituição.

Infertilidade.

Explicação:

O conjunto de técnicas para o tratamento da infertilidade conjugal, que envolvem a manipulação em


laboratório de, pelo menos, um dos gametas, espermatozoides ou óvulos, recebe o nome de Reprodução
Assistida.
8. No que diz respeito ao Aborto o Brasil autoriza legalmente o mesmo em casos
de: I ¿ Estupro II ¿ Risco de vida materno III ¿ Qualquer gravidez indesejada
Está correto apenas o que se afirma em:

I, II e III

I e III

II e III

I e II

III

Francisco era um senhor de 86 anos, que sofria de um Câncer nos ossos, em função de Metástases
produzidas por um Câncer de Próstata. Mesmo com tratamento radioterápico, a doença alastrou-se para os
ossos, resultando em dores insuportáveis pelo corpo. Era medicado para o controle da dor, cada vez com
mais intensidade. Ao fazer uso de Morfina, começou a apresentar um quadro de alucinações e suas funções
cardíacas foram se deteriorando, vindo a falecer cinco anos após o diagnóstico da metástase nos ossos.
Refletindo sobre este caso, pode-se pensar que, neste caso, em que não havia a mais remota possibilidade
de reversão do quadro, sabemos que o que a Ética determina é:

a utilização de obstinados procedimentos médicos para tentar a reversão do quadro.

a internação hospitalar compulsória do paciente e afastamento do convívio familiar.

a evitação de medicação para a dor, como a morfina, que produz inevitável efeito colateral.

a priorização da sanidade mental do doente.

a priorização do alívio do sofrimento.

Explicação:

A atuação médica está fundamentada em dois pilares: a preservação da vida e o alívio do sofrimento. De
modo geral, em condições normais, esses princípios se completam. No entanto, em determinadas
situações específicas podem se tornar antagônicos e um deles precisará prevalecer sobre o outro.
Naturalmente que, enquanto houver a mais remota possibilidade de reversão do quadro de morte
inevitável deve-se sustentar a manutenção da vida, mas, em caso contrário, o que a ética determina é a
priorização do segundo pilar: o alívio do sofrimento.

2. Estudamos em nosso conteúdo que naturalmente enquanto houver a mais


remota possibilidade de reversão do quadro de morte inevitável, deve-se
sustentar a manutenção da vida, mas, em caso contrário, o que a ética
determina é a priorização do segundo pilar que seria?

Morte lenta

O alívio do sofrimento

Morte em casa

Morte rápida
Morte assistida

Explicação:

A palavra eutanásia tem origem grega e representa, literalmente, boa morte. É comumente
entendida como a prática pela qual o médico abrevia a vida de um paciente incurável.

3. Ramón Sampedro ficou tetraplégico quando tinha apenas 26 anos, permanecendo


neste estado durante 29 anos. Solicitou, em 1993, a autorização para recorrer a
pratica da eutanásia, no entanto não lhe foi concedida. Contra a justiça
espanhola, Ramón planeou a sua morte com o auxílio dos seus amigos. Em 1998
foi encontrado morto NA Galiza. Ele gravou um vídeo com os seus últimos
minutos de vida. Nesta fita fica evidenciado que os amigos colaboraram
colocando o copo com uma palhinha ao alcance da sua boca, porém fica
igualmente documentado que foi ele quem fez a ação de colocar a palha na boca
e sugar o conteúdo do copo. . Analisando este caso, como podemos classificar
esse tipo de eutanásia?

Eutanásia não-voluntária

Eutanásia involuntária

Eutanásia de duplo efeito

Ortotanásia

Suicídio assistido

Explicação:

Chamamos suicídio o ato que uma pessoa pratica em prol de finalizar a sua própria vida. Neste caso o
paciente não conseguiria atuar sozinho em função da tetraplegia e fez o que chamamos de suicídio
assistido. Ele precisa deixar gravado para que fique expressamente declarado o seu desejo de por fim a
sua vida.

4. A preservação da vida e o alívio do sofrimento são os dois princípios básicos da


medicina que se completam, no entanto, em determinadas situações específicas
podem se tornar antagônicos, e um deles prevalece sobre o outro.

Nesse sentido, uma valorização extrema do segundo princípio, em detrimento do


primeiro, poderia levar a uma prática de:

Distanásia.

Eutanásia ativa.

Eutanásia passiva.

Eutanásia de duplo efeito.


Ortotanásia.

Explicação:

A eutanásia ativa, uma prática proibida no Brasil e na maioria dos países, é uma intervenção médica que
provoca deliberadamente a morte de um paciente em doença incurável, como forma de interromper seu
sofrimento. A aplicação de uma injeção letal é um exemplo.

5. Maria tem uma doença terminal e não aguenta mais tanto sofrimento, mas
acredita que é correto pala sua religião e fé que não deve fazer nada para
antecipar sua morte. Maria pediu para o médico auxiliar no que for preciso para
que ela consiga passar por essa fase com o mínimo de dor possível. Seu médico
irá administrar medicamentos para dor, para que a doença siga sua evolução
normalmente mas de forma humanizada. Neste sentido, o médico estará
realizando: Assine a alternativa CORRETA.

Distanásia

Distanásia de duplo efeito

Ortotanásia

Eutanásia

Eutanásia involuntária

Explicação:

A ortonásia é o que os médicos consideram "morte natural". Quando se diagnostica uma doença em
estado incurável, administram-se remédios para a dor, mas nenhum outro procedimento de
prolongamento deste estado é tomado. Muitas vezes a coisa é feita desta maneira a pedido do próprio
paciente ou da família.

6. Para entendermos melhor todas as implicações, éticas, políticas, sociais, morais e


religiosas envolvidas, precisamos considerar alguns aspectos básicos. A atuação
médica está fundamentada em dois pilares:

A preservação da vida e a preservação da vontade divina

A preservação da vontade divina e alívio do sofrimento

A preservação da vida e alívio do sofrimento

Alivio do sofrimento e resolução da equipe médica

Resolução da equipe médica e preservação da vida


Explicação:

De modo geral, em condições normais, esses princípios se completam, no entanto, em determinadas


situações específicas podem se tornar antagônicos, um deles precisará prevalecer sobre o outro.

7. O ato de prorrogar a vida através de meios artificiais e, muitas vezes,


desproporcionais à condição de recuperação do doente, denomina-se:

biotransplante

eutanásia

bioética

postanásia

distanásia

Explicação:

Distanásia é o ato de usar meios que prolonguem a vida de um doente incurável. Muitas vezes a família
não se opõe a isso pela dificuldade de desligamento do familiar enfermo.

Gabarito Coment.

8. Lucas é um paciente com câncer terminal que decidiu não aderir mais a nenhum
tipo de tratamento. A recusa de Lucas em aceitar tratamentos está relacionada
com:

A Aderência a novos tratamentos

O Princípio da Relatividade

O Princípio da Autonomia

O Princípio da Facilidade

A Construção de Preservação da Vida

O ato de prorrogar a vida através de meios artificiais e, muitas vezes, desproporcionais à condição de
recuperação do doente, denomina-se:

postanásia

bioética
distanásia

biotransplante

eutanásia

Explicação:

Distanásia é o ato de usar meios que prolonguem a vida de um doente incurável. Muitas vezes a família
não se opõe a isso pela dificuldade de desligamento do familiar enfermo.

Gabarito Coment.

2. A manutenção artificial da vida possui implicações que vão desde os aspectos


psicológicos conflitivos de familiares até a discussão política da utilização de
recursos de saúde em pacientes incuráveis. Se, nesses casos, considerarmos que
a preservação da vida é o valor maior podemos incorrer na chamada?

Ética procedente

Distanásia

Ética excludente

Eutanásia pós- jurídica

Distanásia parcial

Explicação:

A Distanásia é o ato de prolongar o dia da morte de uma pessoa, prolongando, com isto, a dor e o
sofrimento. Assim, a Distanásia é considerada uma má prática médica, pois promove uma morte lenta,
através de tratamentos considerados fúteis e sem benefícios para a pessoa em fase terminal de vida.

3. Ao ato de prorrogar a vida através de meios artificiais e, muitas vezes,


desproporcionais à condição de recuperação do doente, dá-se o nome de:

Autonomia.

Distanásia.

Eutanásia.

Ortotanásia.

Suicídio Assistido.
Explicação:

Ao ato de prorrogar a vida através de meios artificiais e, muitas vezes, desproporcionais à condição de
recuperação do doente, dá-se o nome de Distanásia. Com a Distanásia busca-se adiar a morte, com mais
dias de vida, mas, também, com mais sofrimento. É um procedimento que implica em morte lenta.

4. Do ponto de vista legal, no Brasil, o Conselho Federal de Medicina, através do


Código de Ética Médica (2009) em seu Artigo 41, explicita de modo claro:

o direito de atender a um pedido de suicídio assistido por parte do paciente.

a proibição de oferecer, ao paciente, os cuidados paliativos disponíveis.

a proibição de abreviar a vida do paciente, ainda que a pedido deste ou de seu representante
legal.
a necessidade de estender obstinadamente a vida do paciente, lançando mão de terapêuticas
pouco eficazes.

o direito de atender o pedido de eutanásia do paciente.

Explicação:

Do ponto de vista legal, é importante frisar que, no Brasil, o Conselho Federal de Medicina através do
Código de Ética Médica (2009) em seu Artigo 41 explicita de modo claro a proibição de abreviar a vida do
paciente, ainda que a pedido deste ou de seu representante legal. Em Parágrafo único, acrescenta: nos
casos de doença incurável e terminal, deve o médico oferecer todos os cuidados paliativos disponíveis,
sem empreender ações diagnósticas ou terapêuticas inúteis ou obstinadas, levando sempre em
consideração a vontade expressa do paciente ou, na sua impossibilidade, a de seu representante legal.

5. O processo de prolongamento da vida independente do sofrimento gerado,


denomina-se

distanásia

eutanásia

entubamento

respirador

correntanásia

Explicação:

A eutanásia significa exatamente o encurtamento dos pocessos dolorosos em casos terminais. A


distanásia não oferece nehuma ferramenta para encurtamento deste processo.
Gabarito Coment.

6. Estudamos em nosso conteúdo que naturalmente enquanto houver a mais


remota possibilidade de reversão do quadro de morte inevitável, deve-se
sustentar a manutenção da vida, mas, em caso contrário, o que a ética
determina é a priorização do segundo pilar que seria?

Morte rápida

Morte em casa

O alívio do sofrimento

Morte lenta

Morte assistida

Explicação:

A palavra eutanásia tem origem grega e representa, literalmente, boa morte. É comumente
entendida como a prática pela qual o médico abrevia a vida de um paciente incurável.

7. Lucas é um paciente com câncer terminal que decidiu não aderir mais a nenhum
tipo de tratamento. A recusa de Lucas em aceitar tratamentos está relacionada
com:

O Princípio da Relatividade

O Princípio da Autonomia

O Princípio da Facilidade

A Construção de Preservação da Vida

A Aderência a novos tratamentos

Explicação:

Antigamente a vontade do médico acerca de um tratamento ou de um procedimento a ser realizado era


única e indiscutível, em nada se considerando o pensamento do paciente acerca do que lhe seria oferecido
e realizado diante da situação de saúde por ele vivenciada. Com o passar dos anos, os avanços
tecnológicos e as relações humanas havidas na área da saúde acabaram por impactar em um dos pilares
da medicina atual, onde hoje vigora o princípio da autonomia da vontade do paciente, dentro de um
campo chamado por sua vez de bioética.

Gabarito Coment.
8. Para entendermos melhor todas as implicações, éticas, políticas, sociais, morais e
religiosas envolvidas, precisamos considerar alguns aspectos básicos. A atuação
médica está fundamentada em dois pilares:

Alivio do sofrimento e resolução da equipe médica

A preservação da vida e alívio do sofrimento

A preservação da vida e a preservação da vontade divina

Resolução da equipe médica e preservação da vida

A preservação da vontade divina e alívio do sofrimento

Explicação:

De modo geral, em condições normais, esses princípios se completam, no entanto, em determinadas


situações específicas podem se tornar antagônicos, um deles precisará prevalecer sobre o outro.

Um médico, tentando salvar a vida do paciente, utilizou um medicamento que tem fortes efeitos colaterais e
o paciente, após uma súbita melhora, acabou falecendo. Este é um caso de:

Eutanásia ativa

Ortotanásia

Eutanásia de duplo efeito

Distanásia

Eutanásia voluntária

Explicação:

Muitas vezes, para tratar um paciente existem escolhas que os médicos precisam fazer que podem trazer
danos colaterais ou, até mesmo, irreversíveis (como o caso aqui descrito). Chamamos eutanásia de duplo
efeito por ocasionar uma segunda resposta que não era exatamente a pretendida. Mas os médicos sabem,
nesses casos, das consequências que um tratamento "pesado" pode trazer. O interesante é conversar
com a família a respeito disso.

Gabarito Coment.

2. Ricardo é médico e para ele a atuação médica está fundamentada em dois


pilares:

Os ganhos financeiros e a construção de saúde.

A eutanásia e a criação de medicamentos.

A preservação da vida e o alívio do sofrimento.


A eutanásia e a distanásia.

A criação de sintomas e a dificuldade do sofrimento.

Explicação:

Trata-se da busca da utiidade, benefício, risco e dispêndio. Entretanto, algumas vezes, o princípio de não
prejudicar, serve de pretexto para ações equivocadas diante de certas ocorrências diárias.

3. Sobre a eutanásia, marque a alternativa INCORRETA:

Eutanásia passiva pode se definir pela não instalação de um procedimento terapêutico.

A beneficência, autonomia e justiça não são princípios éticos ligados à eutanásia.

Distanásia é um antônimo de eutanásia.

A atuação médica está fundamentada na preservação da vida do ser humano.

Eutanásia ativa se define como o ato de provocar deliberadamente a morte sem sofrimento.

Explicação:

A beneficência, autonomia e justiça não são realmente princípios ligados à eutanásia. A eutanásia é uma
prática bastante objetiva e atende a demanda de alguns doentes e/ou familiares. Isso não está ligado a
valores éticos ou morais. Não devemos julgar.

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

4. A palavra eutanásia é comumente entendida como a prática pela qual:

O médico oferece cuidados intensivos para um paciente.

O médico prolonga a vida de um paciente incurável.

O médico cria medicamentos para a cura de doenças.

O médico abrevia a vida de um paciente incurável.

O médico oferece medicamentos para dificultar a morte do paciente.

Explicação:

De outra forma, a eutanásia seria uma forma de interferência no desenrolar natural da vida com a morte
serena para acabar com o intenso sofrimento. Entretanto, para a medicina a eutanásia consiste em
minorar os sofrimentos de uma pessoa doente, de prognóstico fatal ou em estado de coma irreversível,
sem possibilidade de sobrevivência, apressando-lhe a morte ou proporcionando-lhe os meios para
consegui-la (NETO, 2003, p.2).

5. A americana Terri Schiavo, 41, que vivia em estado vegetativo havia 15 anos,
morreu nesta quinta-feira no hospital Pinellas Park (Flórida) após longa batalha
judicial entre seu marido, Michael Schiavo, e sua família. O tubo que alimentava
Terri foi retirado no último dia 18. Ela era mantida viva artificialmente, e recebia
alimentação por meio de um tubo inserido em seu estômago. A informação da
morte foi divulgada pelo porta-voz dos pais de Terri, o frei católico Paul
O'Donnell, e por George Felos, advogado de Michael Schiavo, marido da paciente
e seu guardião legal. Fonte:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u82109.shtml Analisando o caso
acima, ocorrido em 2005, em qual dos tipos de eutanásia podemos caracterizar o
que ocorreu:

Ortotanásia

Eutanásia de Duplo Efeito

Eutanásia Ativa

Eutanásia Passiva

Distanásia

Explicação:

Neste caso a paciente era mantida em estado vegetativo, pois não respondia a estímulos e não
demonstrava, há muitos anos consciência a respeito dosfamiliares e do seu próprio estado. Retirou-se o
tubo de alimentação, admitindo-se que a vida seria extinta, o que caracteriza a eutanásia ativa.

Gabarito Coment.

6. Em abril de 2010 o Conselho Federal de Medicina (CFM) aprovou uma nova


versão do Código de Ética Médica. No Capítulo I - Princípios Fundamentais, lê-se,
no item XII:
"Nas situações clínicas irreversíveis e terminais, o médico evitará a realização de
procedimentos diagnósticos e terapêuticos desnecessários e propiciará aos
pacientes sob sua atenção todos os cuidados paliativos apropriados".
A disposição acima refere-se ao processo conhecido por:

ortotanásia

obstinação terapêutica

distanásia

suicídio assistido

mistanásia
Explicação:

A ortonásia pode ser chamada, ainda, de eutanásia passiva. Isso pressupõe que o paciente está num
estado de doença incurável e que não há mais a utilização de ferramentas e/ou tratamentos que
prolonguem a vida em estado tão precário. Neste período são administrados analgésicos na medida em
que o paciente precisa para suportar dores.

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

7. Uma médica brasileira decidiu por conta própria aplicar injeções, em pacientes
internados na UTI do hospital em que atua, contendo um coquetel de
medicamentos que acarretam em parada cardiorrespiratória. Nenhum paciente
da UTI estava em coma ou inconsciente. Diante do exposto, é correto afirmar
que:

Ela praticou eutanásia que se caracteriza por: ativa e involuntária.

Ela praticou eutanásia que se caracteriza por: duplo efeito e voluntária.

Ela praticou eutanásia que se caracteriza por: ativa e voluntária.

Ela praticou eutanásia que se caracteriza por: duplo efeito e involuntária.

Ela praticou eutanásia que se caracteriza por: passiva e voluntária.

Explicação:

A eutanásia consiste na ação (eutanásia ativa) ou omissão (eutanásia passiva) de um terceiro (que pode
ou não ser profissional de saúde) , realizada à pedido do paciente com o objetivo de abreviar a vida do
paciente com uma doença terminal e/ou incurável. Significa dizer que há três requisitos para a
eutanásia: ação ou omissão, pedido expresso do paciente, diagnóstico de terminalidade e/ou
incurabilidade.

Gabarito Coment.

8. A consciência de que a morte é um evento natural e indubitável para os seres


vivos, não diminui seu impacto sobre nós e sempre representa uma situação de
extrema dificuldade para os profissionais de saúde que lidam com pacientes em
condições terminais. Uma série de questões éticas e morais afloram no contexto
da terminalidade da vida, associadas a aspectos tão distintos quanto os direitos
do paciente em relação à verdade sobre suas reais condições, os objetivos da
atuação médica ou aos paradoxos entre a consciência e a legalidade. Dentre
estas questões, talvez a mais angustiante seja:

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente sadio, a morrer.

a escola excluir a pessoa porque esta possui uma doença terminal.

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente que não sofre de modo irreversível, a
morrer.

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente que sofre de modo irreversível, a morrer.
a família ter o poder de matar o seu membro caso deseje.

Explicação:

A morte é um fenômeno sujeito a multiplas interpretações, diferenciadas entre sociedades, culturas e


momentos históricos. Pode ser entendida como parte integrante da vida humana ou como circunstância
hedionda que, inevitável e definitivamente, extingue essa mesma existência.

A palavra eutanásia tem origem grega e representa, literalmente:

morte ruim

morte com prazer

morte fácil

felicidade de morte

boa morte

Explicação:

Entende-se por boa morte a contenção dos limites de dor, num processo terminal de doença, e a oferta
máxima de conforto enquanto isto é possível.

2. É útil saber que o termo "eutanásia" significa literalmente "morte boa" ou "morte
feliz". É verdade que os casos reais envolvem dor e angústia. Mas o significado
literal do termo capta um importante aspecto da eutanásia: a morte que dela
resulta é para benefício do paciente. Podemos então dizer que a eutanásia
consiste em produzir ou acelerar intencionalmente a morte de alguém para seu
benefício. Parece haver uma diferença entre produzir e acelerar. Produzir, neste
caso, implica matar; acelerar implica deixar morrer. Marque a opção correta
sobre a Eutanásia passiva:

Assim, o fato de alguém desejar encerrar com sua dor, antecipando sua morte intermitente ,
causal ou o desejo de um ente querido em por fim ao sofrimento de alguém sem chances de
recuperação não deve ser ouvido.
Da mesma forma, o princípio de Responsabilidade Social e Equidade, na medida em que a
utilização de recursos de saúde, como sabemos muitas vezes escassos e caros, em pacientes
sem chances de recuperação por um longo período, devem ser desconsiderados.
Em uma condição de tratamento normal e possibilidade de recuperação plena, evidentemente, o
princípio prioritário é o da beneficência e o tratamento, mesmo que implique em algum
sofrimento, objetivando a preservação da vida.
Assim, a autonomia em recusar tratamentos, por exemplo, também precisa ser avaliada dentro
desta perspectiva hierarquizada das condições de recuperação. Da mesma forma, o princípio da
Justiça, na medida em que a utilização de recursos de saúde, como sabemos muitas vezes
escassos e caros, em pacientes sem chances de recuperação por um longo período, implica
aspectos sociais e econômicos que, apesar de delicados, também precisam ser considerados.
Esta tem sido uma das questões da bioética, do biodireito e do Direito criminal mais complexas e
discutidas, na medida em que, se a proteção da vida é um princípio básico do Estado, não são
direitos básicos da pessoa o respeito à autonomia e à vontade próprias

Explicação: A definição dada tem a vantagem de mostrar que o problema ético da eutanásia não se
esgota numa pergunta. A sua formulação é a seguinte: será permissível que as pessoas, especialmente
aquelas que se encontram numa fase terminal da vida e em sofrimento agudo, determinem o fim das
suas vidas? Se sim, é permissível que solicitem medidas ativas que as matem? Ou é antes permissível
que apenas solicitem que as deixem morrer, pedindo aos médicos que se abstenham de as tratar?

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

3. De acordo com Corrêa, nos dias atuais a evolução em curso na área dos
conhecimentos médicos e biológicos, acena para a humanidade com a
possibilidade cada vez maior de cura de doenças crônicas e degenerativas e, em
consequência o prolongamento da vida, aumentando as esperanças de, se não de
vencer a morte, situá-la num horizonte cada vez mais longínquo. Em relação a
isso, marque a alternativa INCORRETA:

O termo eutanásia é utilizado para designar o ato de provocar, deliberadamente, a morte de


uma pessoa.
Ortotanásia se refere à utilização de meios corretos para tratar de uma pessoa que está
morrendo.
Para os defensores dos ¿cuidados paliativos¿, a conduta a ser adotada e seguida diante de um
paciente em fase terminal é aliviar as dores e dar conforto.
A prática do ¿máximo de esforço terapêutico¿, se configura toda vez que, confirmada a
irreversibilidade do processo de morte iminente, o corpo clínico passa a efetuar tentativas de
reanimação do paciente.

O termo distanásia é empregado para falar de uma morte sem sofrimento.

Explicação:

Em cuidados paliativos, a atenção se amplia aos horizonte da dor e do conforto.

4. Em 1913, em Nova York, uma senhora sofria há anos de enfermidade dolorosa,


incurável. Um dia , suplicou ao marido que lhe desse a morte. Nos dias
seguintes, entre os desesperos de seus sofrimentos, insistia, implorando que a
matassem. Por fim, com grande pena, o marido cedeu, dando-lhe uma forte dose
de morfina. Os juízes absolveram-no (Extraído e adaptado de
eutanasia.blogspot.com/2008/05/). Este caso exemplifica a (o):

Eutanásia Involuntária.

Eutanásia Passiva.

Eutanásia Ativa.

Distanásia.

Suicídio Assistido.
Explicação:

Na Eutanásia Ativa é produzida uma ação que objetiva, por fins misericordiosos, provocar
deliberadamente a morte sem sofrimento. Apenas três países no mundo (Uruguai, Holanda e Bélgica),
atualmente, admitem a prática legal da eutanásia ativa, sem a anuência da Igreja.

5. Maria tem uma doença terminal e não aguenta mais tanto sofrimento, mas
acredita que é correto pala sua religião e fé que não deve fazer nada para
antecipar sua morte. Maria pediu para o médico auxiliar no que for preciso para
que ela consiga passar por essa fase com o mínimo de dor possível. Seu médico
irá administrar medicamentos para dor, para que a doença siga sua evolução
normalmente mas de forma humanizada. Neste sentido, o médico estará
realizando: Assine a alternativa CORRETA.

Distanásia de duplo efeito

Ortotanásia

Eutanásia involuntária

Distanásia

Eutanásia

Explicação:

A ortonásia é o que os médicos consideram "morte natural". Quando se diagnostica uma doença em
estado incurável, administram-se remédios para a dor, mas nenhum outro procedimento de
prolongamento deste estado é tomado. Muitas vezes a coisa é feita desta maneira a pedido do próprio
paciente ou da família.

6. Francisco era um senhor de 86 anos, que sofria de um Câncer nos ossos, em


função de Metástases produzidas por um Câncer de Próstata. Mesmo com
tratamento radioterápico, a doença alastrou-se para os ossos, resultando em
dores insuportáveis pelo corpo. Era medicado para o controle da dor, cada vez
com mais intensidade. Ao fazer uso de Morfina, começou a apresentar um quadro
de alucinações e suas funções cardíacas foram se deteriorando, vindo a falecer
cinco anos após o diagnóstico da metástase nos ossos. Refletindo sobre este
caso, pode-se pensar que, neste caso, em que não havia a mais remota
possibilidade de reversão do quadro, sabemos que o que a Ética determina é:
a priorização da sanidade mental do doente.

a internação hospitalar compulsória do paciente e afastamento do convívio familiar.

a utilização de obstinados procedimentos médicos para tentar a reversão do quadro.

a priorização do alívio do sofrimento.

a evitação de medicação para a dor, como a morfina, que produz inevitável efeito colateral.

Explicação:

A atuação médica está fundamentada em dois pilares: a preservação da vida e o alívio do sofrimento. De
modo geral, em condições normais, esses princípios se completam. No entanto, em determinadas
situações específicas podem se tornar antagônicos e um deles precisará prevalecer sobre o outro.
Naturalmente que, enquanto houver a mais remota possibilidade de reversão do quadro de morte
inevitável deve-se sustentar a manutenção da vida, mas, em caso contrário, o que a ética determina é a
priorização do segundo pilar: o alívio do sofrimento.

7. Outro tipo de classificação da eutanásia, diz respeito ao consentimento ou não do


paciente ou de seus responsáveis legais para o ato. Este tipo de classificação está
diretamente associado à questão do estabelecimento de responsabilidades sobre
o ato. Indique quais seriam essa classificação.

Eutanásia de duplo efeito e eutanásia não voluntária

Eutanásia não voluntária e Eutanásia involuntária

Eutanásia involuntária e eutanásia não voluntária

Eutanásia voluntária e Eutanásia involuntária

Eutanásia voluntária e eutanásia não voluntária

Explicação:

Chama-se eutanásia voluntária, quando a morte provocada ocorre em atendimento a uma vontade
explícita do paciente. A eutanásia voluntária é muito assemelhada ao conceito chamado de suicídio
assistido. A distinção está no fato de que na eutanásia a ação é sempre realizada por outra pessoa,
enquanto que no suicídio assistido a própria pessoa (mesmo que com auxílio de terceiros) executa a ação
que a leva ao óbito.

Chama-se eutanásia involuntária, quando é provocada sem o consentimento do paciente quando este se
encontra consciente e em condições de escolher e eutanásia não voluntária, quando é provocada sem que
o paciente tenha manifestado seu desejo pelo fato de se encontrar sem condições de se expressar,
normalmente em condições de coma ou no caso de recém-nascidos.

8. Uma mulher está com câncer terminal e decidiu não continuar mais com nenhum
tipo de tratamento, suspendendo-os e deixando a doença seguir o seu curso. O
tipo de eutanásia envolvido neste caso é:

Eutanásia incongruente

Eutanásia ativa

Distanásia

Eutanásia de duplo efeito

Eutanásia passiva

Explicação:

Deixar que a doença siga o seu curso, não administrando medicações para o prolongamento da vida, é o
que chamamos de eutanásia passiva. Não há atuações para acelerara a morte e também não há atuações
para prolongar a vida.

Gabarito Coment.

A consciência de que a morte é um evento natural e indubitável para os seres vivos, não diminui seu
impacto sobre nós e sempre representa uma situação de extrema dificuldade para os profissionais de saúde
que lidam com pacientes em condições terminais. Uma série de questões éticas e morais afloram no
contexto da terminalidade da vida, associadas a aspectos tão distintos quanto os direitos do paciente em
relação à verdade sobre suas reais condições, os objetivos da atuação médica ou aos paradoxos entre a
consciência e a legalidade. Dentre estas questões, talvez a mais angustiante seja:

a escola excluir a pessoa porque esta possui uma doença terminal.

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente que sofre de modo irreversível, a morrer.

a família ter o poder de matar o seu membro caso deseje.

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente sadio, a morrer.

a de se pode, ou deve, o médico ajudar um paciente que não sofre de modo irreversível, a
morrer.

Explicação:

A morte é um fenômeno sujeito a multiplas interpretações, diferenciadas entre sociedades, culturas e


momentos históricos. Pode ser entendida como parte integrante da vida humana ou como circunstância
hedionda que, inevitável e definitivamente, extingue essa mesma existência.

2. A preservação da vida e o alívio do sofrimento são os dois princípios básicos da


medicina que se completam, no entanto, em determinadas situações específicas
podem se tornar antagônicos, e um deles prevalece sobre o outro.

Nesse sentido, uma valorização extrema do primeiro princípio, em detrimento do


segundo, levaria a uma prática de:

Distanásia.
Ortotanásia.

Eutanásia de duplo efeito.

Eutanásia ativa.

Eutanásia passiva.

Explicação:

A distanásia é a prática não recomendada de estender a vida de um paciente em estado terminal de


forma indefinida, utilizando de todos os recursos capazes de atrasar a sua morte.

3. Ricardo é médico e para ele a atuação médica está fundamentada em dois


pilares:

Os ganhos financeiros e a construção de saúde.

A eutanásia e a criação de medicamentos.

A criação de sintomas e a dificuldade do sofrimento.

A eutanásia e a distanásia.

A preservação da vida e o alívio do sofrimento.

Explicação:

Trata-se da busca da utiidade, benefício, risco e dispêndio. Entretanto, algumas vezes, o princípio de não
prejudicar, serve de pretexto para ações equivocadas diante de certas ocorrências diárias.

4. Um médico, tentando salvar a vida do paciente, utilizou um medicamento que


tem fortes efeitos colaterais e o paciente, após uma súbita melhora, acabou
falecendo. Este é um caso de:

Eutanásia de duplo efeito

Eutanásia voluntária

Eutanásia ativa

Ortotanásia

Distanásia

Explicação:
Muitas vezes, para tratar um paciente existem escolhas que os médicos precisam fazer que podem trazer
danos colaterais ou, até mesmo, irreversíveis (como o caso aqui descrito). Chamamos eutanásia de duplo
efeito por ocasionar uma segunda resposta que não era exatamente a pretendida. Mas os médicos sabem,
nesses casos, das consequências que um tratamento "pesado" pode trazer. O interesante é conversar
com a família a respeito disso.

Gabarito Coment.

5. Ramón Sampedro ficou tetraplégico quando tinha apenas 26 anos, permanecendo


neste estado durante 29 anos. Solicitou, em 1993, a autorização para recorrer a
pratica da eutanásia, no entanto não lhe foi concedida. Contra a justiça
espanhola, Ramón planeou a sua morte com o auxílio dos seus amigos. Em 1998
foi encontrado morto NA Galiza. Ele gravou um vídeo com os seus últimos
minutos de vida. Nesta fita fica evidenciado que os amigos colaboraram
colocando o copo com uma palhinha ao alcance da sua boca, porém fica
igualmente documentado que foi ele quem fez a ação de colocar a palha na boca
e sugar o conteúdo do copo. . Analisando este caso, como podemos classificar
esse tipo de eutanásia?

Eutanásia não-voluntária

Eutanásia de duplo efeito

Suicídio assistido

Ortotanásia

Eutanásia involuntária

Explicação:

Chamamos suicídio o ato que uma pessoa pratica em prol de finalizar a sua própria vida. Neste caso o
paciente não conseguiria atuar sozinho em função da tetraplegia e fez o que chamamos de suicídio
assistido. Ele precisa deixar gravado para que fique expressamente declarado o seu desejo de por fim a
sua vida.

6. É útil saber que o termo "eutanásia" significa literalmente "morte boa" ou "morte
feliz". É verdade que os casos reais envolvem dor e angústia. Mas o significado
literal do termo capta um importante aspecto da eutanásia: a morte que dela
resulta é para benefício do paciente. Podemos então dizer que a eutanásia
consiste em produzir ou acelerar intencionalmente a morte de alguém para seu
benefício. Parece haver uma diferença entre produzir e acelerar. Produzir, neste
caso, implica matar; acelerar implica deixar morrer. Marque a opção correta
sobre a Eutanásia passiva:

Esta tem sido uma das questões da bioética, do biodireito e do Direito criminal mais complexas e
discutidas, na medida em que, se a proteção da vida é um princípio básico do Estado, não são
direitos básicos da pessoa o respeito à autonomia e à vontade próprias
Da mesma forma, o princípio de Responsabilidade Social e Equidade, na medida em que a
utilização de recursos de saúde, como sabemos muitas vezes escassos e caros, em pacientes
sem chances de recuperação por um longo período, devem ser desconsiderados.
Assim, a autonomia em recusar tratamentos, por exemplo, também precisa ser avaliada dentro
desta perspectiva hierarquizada das condições de recuperação. Da mesma forma, o princípio da
Justiça, na medida em que a utilização de recursos de saúde, como sabemos muitas vezes
escassos e caros, em pacientes sem chances de recuperação por um longo período, implica
aspectos sociais e econômicos que, apesar de delicados, também precisam ser considerados.
Assim, o fato de alguém desejar encerrar com sua dor, antecipando sua morte intermitente ,
causal ou o desejo de um ente querido em por fim ao sofrimento de alguém sem chances de
recuperação não deve ser ouvido.
Em uma condição de tratamento normal e possibilidade de recuperação plena, evidentemente, o
princípio prioritário é o da beneficência e o tratamento, mesmo que implique em algum
sofrimento, objetivando a preservação da vida.

Explicação: A definição dada tem a vantagem de mostrar que o problema ético da eutanásia não se
esgota numa pergunta. A sua formulação é a seguinte: será permissível que as pessoas, especialmente
aquelas que se encontram numa fase terminal da vida e em sofrimento agudo, determinem o fim das
suas vidas? Se sim, é permissível que solicitem medidas ativas que as matem? Ou é antes permissível
que apenas solicitem que as deixem morrer, pedindo aos médicos que se abstenham de as tratar?

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

7. De acordo com Corrêa, nos dias atuais a evolução em curso na área dos
conhecimentos médicos e biológicos, acena para a humanidade com a
possibilidade cada vez maior de cura de doenças crônicas e degenerativas e, em
consequência o prolongamento da vida, aumentando as esperanças de, se não de
vencer a morte, situá-la num horizonte cada vez mais longínquo. Em relação a
isso, marque a alternativa INCORRETA:

A prática do ¿máximo de esforço terapêutico¿, se configura toda vez que, confirmada a


irreversibilidade do processo de morte iminente, o corpo clínico passa a efetuar tentativas de
reanimação do paciente.
O termo eutanásia é utilizado para designar o ato de provocar, deliberadamente, a morte de
uma pessoa.
Ortotanásia se refere à utilização de meios corretos para tratar de uma pessoa que está
morrendo.

O termo distanásia é empregado para falar de uma morte sem sofrimento.

Para os defensores dos ¿cuidados paliativos¿, a conduta a ser adotada e seguida diante de um
paciente em fase terminal é aliviar as dores e dar conforto.

Explicação:

Em cuidados paliativos, a atenção se amplia aos horizonte da dor e do conforto.

8. Maria tem uma doença terminal e não aguenta mais tanto sofrimento, mas
acredita que é correto pala sua religião e fé que não deve fazer nada para
antecipar sua morte. Maria pediu para o médico auxiliar no que for preciso para
que ela consiga passar por essa fase com o mínimo de dor possível. Seu médico
irá administrar medicamentos para dor, para que a doença siga sua evolução
normalmente mas de forma humanizada. Neste sentido, o médico estará
realizando: Assine a alternativa CORRETA.

Ortotanásia

Eutanásia
Distanásia

Distanásia de duplo efeito

Eutanásia involuntária

Na falta da certeza sobre os riscos envolvidos em uma ação, são necessárias medidas preventivas de
contenção eficazes. Assim, nenhuma medida preventiva em situações epidêmicas pode ser descartada sem
que esteja comprovado que seja dispensável.

Esta orientação está associada ao princípio da:

Articulação propositiva.

Parcimônia.

Ação sanitária.

Gestão responsável.

Precaução.

Explicação:

O princípio da precaução alerta para a necessidade de cautela e prevenção contra os piores cenários na
evolução da epidemia, não permitindo descartar nenhuma estratégia na contenção daquela doença.

2. Geraldo é secretário de saúde de um município muito rico e acredita que um


importante aspecto ético a ser considerado no caso de epidemias ou pandemias é
o da alocação de recursos de saúde, que sempre se tornam escassos em relação
à demanda nestas condições. Ele sabe que as instalações sanitárias,
equipamentos, medicamentos, recursos humanos especializados, precisam ter
seus critérios de distribuição e priorização claramente definidos. Dessa forma
torna-se indispensável:

a preferência dos critérios coletivos em detrimento dos individuais

a conjugação dos critérios políticos e capitalistas.

a preferência dos critérios individuais em detrimento dos coletivos

a conjugação entre critérios individuais e coletivos

a preferências os critérios políticos em detrimento dos econômicos

Explicação:

Para explicar a escolha da resposta, usaremos como exemplo o manejo de doenças transmissíveis no
âmbito da proteção da saúde pública, incluindo, entre outras medidas, a determinação referente à
quarentena de indivíduos (critério individual) com suspeita de agravos, no intuito de conter uma epidemia
(critério coletivo).

Gabarito Coment.

3. Letícia vive em uma cidade que está com epidemia de dengue. Ela foi ao médico
e este imediatamente notificou o caso às autoridades sanitárias. Ele fez isso
porque a comunicação compulsória das informações de pacientes acometidos
pela doença às autoridades sanitárias não caracteriza uma quebra de
privacidade, pois seu objetivo exclusivo é:

o controle epidemiológico

expor a paciente

a fofoca

manter a amizade com o secretário de saúde

o descontrole epidemiológico

Explicação:

As doenças que estão dentro do hall das epidemias orecisam ser notificadas em seus números para que
haja um controle epidemiológico.

Gabarito Coment.

4. Em relação ao princípio da precaução, leia as afirmativas a seguir e marque a


resposta correta. I ¿ Trata essencialmente da relação entre o risco existente em
uma ação e as medidas necessárias para prevenir os efeitos negativos advindos
desta ação. II ¿ Na ausência de absoluta certeza científica sobre os riscos ou
danos envolvidos em uma ação, é necessário que tomemos medidas eficazes
preventivas de evitação de todas as possibilidades possíveis de danos. III ¿ Toda
e qualquer medida preventiva em situações epidêmicas deve ser descartada sem
que esteja absolutamente comprovada a ausência de sua necessidade. Está
correto apenas o que se afirma em:

I, II e III

III

I e III

II e III

I e II

Gabarito Coment.
5. Em condições de epidemias, o direito à liberdade de ir e vir pode ser suprimido e
a pessoa pode ser colocada de quarentena para:

Que seu direito individual seja maior do que o coletivo.

A epidemia se alastre mais rapidamente.

Que o direito financeiro seja efetivado.

Que outras pessoas não sejam contaminadas.

A doença seja incentivada.

Explicação:

Medidas de quarentena humana atualmente são aplicadas em caso de suspeita de surtos epidêmicos de
doenças previamente cadastradas pelas autoridades sanitárias no país.

6. Um dos primeiros e mais imediatos efeitos sociais em situações epidêmicas é o


pânico que acomete a população em geral. O desconhecimento sempre nos faz
superdimensionar os riscos de uma situação. O profissional de saúde nestas
situações precisa compreender a ansiedade coletiva e contribuir para a
restauração da calma e da ordem pública. A principal maneira de alcançar isso é:

Acelerar os processos de pesquisa científica.

Divulgar as informações de forma clara.

Oferecer cursos para orientação de saúde pública.

Envolver cidadãos comuns no tratamento da doença.

Acalmar as pessoas.

Explicação:

A melhor forma de lidar com essas situações e tranquilizar as pessoas é promover o esclarecimento das
dúvidas mais frequentes e divulgar informações claras, objetivas e em linguagem acessível ao público
leigo.

7. A Declaração universal dos Direitos Humanos, que foi adotada pela Assembléia
Geral das Nações Unidas (1948), manifesta logo no seu início que as pessoas são
livres. O princípio da bioética correlacionado à assertiva supramencionada é:

Autonomia

Não maleficência
Beneficência

Justiça

Humanização

Explicação: De acordo com o princípio da autonomia as pessoas tem liberdade de decisão sobre sua vida.
A autonomia é a capacidade de autodeterminação de uma pessoa, ou seja, o quanto ela pode gerenciar
sua própria vontade, livre da influência de outras pessoas.

8. No que diz respeito aos princípios éticos em epidemias, analise a afirmativa a


seguir: ¿Quando houver perigo de dano grave ou irreversível, a falta de certeza
científica absoluta não deverá ser utilizada como razão para se adiar a adoção de
medidas eficazes em função dos custos para impedir a degradação do meio
ambiente¿ (ECO 92 ¿ Princípio 15). Esta afirmativa corresponde ao Princípio de:

Individualização

Intangibilidade corporal

Solidariedade

Autonomia

Precaução

Em um hospital foi diagnosticada morte cerebral de um paciente e a família decidiu pela doação de órgãos
para transplantes. Alguns pacientes da fila nacional de transplantes foram beneficiados: um paciente
recebeu um rim, outro paciente as córneas, outro o fígado, outro o coração. No que diz respeito a alocação
de recursos em saúde, é correto afirmar que um órgão a ser implantado em um paciente é um recurso
indivisível e heterogêneo, por que:

Cada órgão atenderá até cinco pacientes, mas nem todos os pacientes podem se beneficiar do
mesmo órgão.
Cada órgão atenderá até quatro pacientes, mas nem todos os pacientes podem se beneficiar do
mesmo órgão.

Todos os órgãos atenderão a todos os pacientes, que serão diretamente beneficiados.

Cada órgão atenderá apenas até três pacientes, mas todos os pacientes podem se beneficiar do
mesmo órgão.
Cada órgão atenderá a apenas um paciente e nem todos os pacientes podem se beneficiar do
mesmo órgão.

Gabarito Coment.

2. A partir das últimas décadas do século XX, a saúde e a doença têm se tornado
temas prolíficos entre os cientistas sociais. O diálogo entre as ciências humanas e
sociais e as ciências biomédicas ampliou o foco sobre o assunto, permitindo que o
processo saúde/enfermidade fosse estudado, não só como um problema em si,
mas também como ferramenta para discutir as intricadas relações sociais e de
poder, as concepções culturais, os valores sociais e as práticas institucionais de
uma determinada sociedade. Alguns estudos realizados dentro desta temática
partem do princípio que as implicações das causas morbígenas sobre a vida
ultrapassam o biológico e que a doença não pode ser examinada fora da
estrutura social na qual está inserida. Considerando-se este pressuposto acima,
Marque a opção correta.

As relações entre o Estado, o conhecimento médico, as não políticas de saúde pública, as


exigências do sistema econômico, as percepções e representações das doenças e as respostas
das pessoas comuns, não são pontos de discussão recorrentes nas abordagens historiográficas
que tomam as epidemias como objeto de análise e reflexão.
A crença de que se estava lidando com mais um surto de uma doença benigna, familiar, talvez
possa ter interferido na resposta inicial deu à epidemia, contribuindo para que esta fosse
ignorada, o que foi muito positivo para a sociedade.
A doença é evento biológico imediato, com um repertório de práticas e construções verbais
específicas, que refletem a história institucional e intelectual da Engenharia Sanitária.
Os indivíduos e grupos sociais, em tempos históricos e espaços geográficos diferentes,
produziram seus próprios modos de definir a etiologia, a transmissão, a terapia apropriada e os
significados de uma doença. Estas definições refletem não só a mudança do conhecimento e das
tecnologias médicas, mas também influências mais amplas tais como convicções religiosas,
obrigações de gênero, de nacionalidade, de etnias e de classe
As crises epidêmicas provocadas por doenças contagiosas como a varíola, a febre amarela, a
AIDS, a peste bubônica, a gripe e a cólera, não passaram a ser objeto da história social da
saúde e da medicina e da história sociocultural da doença.

Explicação: Em aspectos que seriam relacionados exclusivamente às atividades humanas, em situações


que poderiam ter sido evitadas ou mesmo abrandadas, estão incluídas as grandes epidemias, os
desequilíbrios no meio ambiente causados pelos desastres ecológicos e suas conseqüências, os quais
serão abordados e também analisados sob o prisma do comportamento ético no enfrentamento destes
terríveis acontecimentos. A importância dos valores éticos, bioéticos e quais seriam as soluções possíveis
para o controle das variadas situações de conflito.

Gabarito Coment.

3. Um paciente deu entrada no hospital com dengue hemorrágica e necessitou ser


internado na UTI, pois seu estado era grave. Levando em consideração a
alocação de recursos em situações epidêmicas, é correto afirmar que esta é uma
situação em que os leitos hospitalares são recursos indivisíveis homogêneos, por
que:

O leito poderá ser usufruído por apenas 10 pessoas do grupo de pacientes, conforme legislação
vigente.

Somente os pacientes que entrarem com recurso no juizado especial terão direito ao leito.

Apenas um paciente pode usufruir do mesmo recurso que todos necessitam por igual.

O mesmo leito pode ser usufruído por até 5 pessoas.

Todos os pacientes que necessitam de internação irão usufruir do mesmo leito ao mesmo tempo.

Explicação:

Assim, pode-se dizer que a prestação de serviços à população pelo Estado tem o objetivo de promover o
bem estar social da coletividade, o que inclui acesso a serviços como saúde, educação, segurança,
moradia, dentre outros. Entretanto, cada situação deve ser analisada de acordo com a sua complexidade.
Gabarito Coment. Gabarito Coment. Gabarito Coment.

4. Em situações excepcionais, como em uma epidemia, alguns direitos individuais


podem ser suplantados por direitos coletivos. O direito individual que tende a ser
mais atingido em uma situação dessas é:

Liberdade de expressão.

Direito à privacidade.

Direito à não discriminação.

Liberdade de locomoção.

Direito a tratamento digno.

Explicação:

Neste tipo de situação a ética impõe a consciência de que toda a sociedade é corresponsável. Em função
disto, alguns direitos pessoais, como a liberdade de ir e vir, por exemplo, podem ser suprimidos se a
pessoa doente precisar ser posta em regime de quarentena ou isolamento para não contaminar outras
pessoas.

5. Em situações epidêmicas uma questão a ser avaliada é a alocação de recursos.


Alguns itens precisam ter seus critérios de distribuição e priorização claramente
definidos. Analise os itens a seguir e marque a resposta correta de acordo com a
sequência de V (verdadeiro) ou F (falso) Instalações sanitárias não fazem parte
desses critérios. Equipamentos fazem parte desses critérios. Medicamentos fazem
parte desses critérios. Recursos humanos especializados não fazem parte desses
critérios.

F, V, V, V

F, V, V, F

V, F, F, F

V, F, F, V

V, V, F, V

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

6. Um grupo de pacientes será submetido a um tratamento experimental para


câncer de próstata. No tratamento, o mesmo medicamento será administrado por
um mês em toda a população de estudo, composta por 150 homens, de 50 a 72
anos. Segundo a classificação de tipologia dos recursos, assinale a alternativa
correta:

Este medicamento é um recurso homogêneo e fundamental

Este medicamento é um recurso homogêneo e divisível

Este medicamento é um recurso divisível e indivisível

Este medicamento é um recurso heterogêneo e divisível

Este medicamento é um recurso homogêneo e indivisível

Gabarito Coment. Gabarito Coment. Gabarito Coment.

7. Maurício está internado para fazer uma cirurgia há oito dias e até agora a cirurgia
não foi realizada por falta de sangue. Sua família fez uma campanha de doação
de sangue. O sangue pode ser dividido em seus múltiplos componentes
atendendo a inúmeros pacientes com necessidades específicas. No âmbito da
alocação de recursos da ética o sangue é:

um recurso divisível heterogêneo

um recurso indivisível

um recurso farto

um recurso escasso

um recurso divisível homogêneo

Explicação:

O angue é divisível exatamente por conter substâncias distintas :hemácias, plaquetas,etc. AS doações
podemser separadas emseus componentes para atender as necessidades específicas de cada doente.

Gabarito Coment.

8. Existem casos excepcionais, onde os direitos individuais podem ser suplantados


pelos direitos coletivos. São os casos de epidemias ou pandemias, que significam,
respectivamente:

Uma doença não transmissível que ataca simultaneamente um grande número de pessoas em
uma determinada localidade. Uma epidemia de grandes proporções, podendo ocorrer em vários
países ao mesmo tempo
Doença de causa local, sem risco de se espalhar para outras localidades. Doença de causa local
que pode facilmente se espalhar para outras localidades.
Uma doença infecciosa e transmissível que ataca simultaneamente um grande número de
pessoas por todo o mundo. Uma epidemia localizada.
Uma doença infecciosa e transmissível que ataca simultaneamente um grande número de
pessoas em uma determinada localidade. Uma epidemia que atinge grandes proporções,
podendo se espalhar por vários países.
Epidemia e pandemia são sinônimos, e referem-se à uma doença infecciosa que ataca
simultaneamente um grande número de pessoas.

No dia 23 de abril de 2018 teve início, no Brasil, a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a
Influenza, o vírus da gripe. Até o dia 1º de junho, deveriam ter sido imunizados idosos a partir de 60 anos,
crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada,
povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e
funcionários do sistema prisional. Levando em conta os parâmetros e procedimentos de alocação de
recursos na área da saúde, pode-se pensar que estes grupos de pessoas foram escolhidos para receber
inicialmente a vacina por conta do critério de priorização conceituado como:

Merecimento.

Efetividade.

Necessidade.

Urgência.

Benefício provável.

Explicação:

A Efetividade é um critério orientado para o futuro e prega que os recursos escassos devem ser alocados
para aqueles pacientes que possam fazer o melhor uso para si (efetividade local) ou para os outros,
especialmente a sociedade, como, por exemplo, a priorização a agentes de saúde e demais profissionais
de serviços essenciais (efetividade global). São beneficiados, de certo modo, os mais vulneráveis, que se
beneficiarão, efetivamente, do recurso aplicado.

2. Os direitos individuais incluem a vida, a privacidade, a liberdade e a não-


discriminação, entre outros. Todos estes direitos devem ser preservados.
Contudo, em situações excepcionais como de uma epidemia (doença disseminada
em larga escala local) ou pandemia (doença disseminada em escala mundial),
estes direitos individuais podem ser suplantados pelos:

Direitos individuais

Direitos pessoais

Direitos raciais

Direitos coletivos

Direitos financeiros

Gabarito Coment.
3. Em uma situação em que se afigure uma provável epidemia, por conta da
elevação dos índices percentuais de incidência da doença em algumas
localidades, as medidas preventivas, como, por exemplo, a adoção de
programas de vacinação:

são ineficazes e em nada mudam a proliferação da doença.

não devem ser descartadas sem que esteja absolutamente comprovada a ausência de sua
necessidade.

devem ser descartadas.

dependem da certeza científica absoluta sobre os riscos ou danos para a população.

devem aguardar que o percentual de adoecimento da população aumente significativamente.

Explicação:

Considerando-se a aplicação do Princípio da Precaução na área da saúde, entende-se que quando houver
perigo de dano grave ou irreversível à população, a falta de certeza científica absoluta não deverá ser
utilizada como razão para se adiar a adoção de medidas eficazes em função dos custos para impedir o
adoecimento. Assim, mesmo na ausência de absoluta certeza científica sobre os riscos ou danos
envolvidos em uma ação, é necessário que tomemos medidas eficazes preventivas de evitação de todas
as possibilidades possíveis de danos. Desta forma, nenhuma medida preventiva em situações epidêmicas
pode ser descartada sem que esteja absolutamente comprovada a ausência de sua necessidade.

4. Reportagem: Globo (G1) em 01/12/2014 ¿ ¿O mundo finalmente alcançou ¿o


começo do fim¿ (...) de Aids, que já infectou e matou milhões de pessoas nos
últimos 30 anos, de acordo com uma grande campanha de um grupo de combate
ao HIV¿. De acordo com a reportagem, estamos diante de uma situação?

Endêmica Sazonal

Nenhuma das respostas anteriores

Pandêmica Sazonal

Endêmica

Pandêmica

Gabarito Coment.

5. Em 1992, ocorreu na cidade do Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas


para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, que ficou conhecida pelo nome de
ECO 92. Nesta conferencia, foi formulado um importante documento,
denominado de Agenda 21, no qual em seu anexo, consta o PRINCÍPIO 15, que
determina que os Estados devam aplicar amplamente o critério de precaução
conforme suas capacidades. Este critério ou, princípio da precaução, se define
por:

Na ausência de absoluta certeza científica sobre os riscos ou danos envolvidos em uma ação, é
necessário que tomemos medidas eficazes preventivas de evitação de todas as possibilidades
possíveis de danos.
Possibilitar que pesquisas ou procedimentos sejam descontinuados caso os resultados parciais
não estejam no direcionamento que se espera para eles.
Quando não houver comprovação científica de riscos envolvidos a pesquisa não está obrigada a
encerrar seus procedimentos em andamento.
Exigir que todo pesquisador tome as medidas preventivas necessárias para que efeitos colaterais
ou danosos não se tornem epidêmicos.
Na perspectiva de ocorrer risco ou dano em pesquisas os procedimentos só podem ser
continuados caso os sujeitos envolvidos e expostos a estes riscos assinem um documento de
responsabilização pelo que venha a ocorrer.

Gabarito Coment.

6. Um dos primeiros e mais imediatos efeitos sociais em situações epidêmicas é o


pânico que acomete a população em geral. Este fenômeno pode ser explicado,
em função:

da percepção, pela população, de que as autoridades de saúde estão exagerando nos cuidados.

da tendência humana em valorizar situações pouco comuns e rotineiras.

do tom de gravidade e seriedade empregado pelos órgãos oficiais na divulgação do público-alvo


do calendário das campanhas de vacinação.

das campanhas informativas e calendários de vacinação veiculados pela mídia.

do desconhecimento, que nos faz superdimensionar os riscos de uma situação.

Explicação:

Um dos primeiros e mais imediatos efeitos sociais em situações epidêmicas é o pânico que acomete a
população em geral. O desconhecimento sempre nos faz superdimensionar os riscos de uma situação.
Este é um mecanismo de defesa psicológico normal, e o profissional de saúde, principal agente de
informação nestas situações, precisa compreender esta ansiedade coletiva e atuar de modo a contribuir
para a restauração da calma e da ordem pública.

7. Leia o texto abaixo e responda: Sob o prisma da ética colocamos em evidência a


necessidade da atuação dos meios governamentais e não governamentais,
relacionados à área de saúde a fomentar políticas de contínua educação
operacional a guisa da redução dos riscos de desastres naturais e catástrofes.
Outras áreas técnicas devem estar em alerta, tanto preventivas como
operacionais. O preparo do profissional é inquestionável e a educação continuada
deve fazer parte de currículos de graduação e pós-graduação. Os preceitos dos
códigos de éticas profissionais devem ser postos em evidência. Não olvidar a
legislação e o princípio constitucional da dignidade humana, pilar fundamental do
Estado Democrático e de Direito. A exegese da positivação jurídica em referência
à Bioética necessita ser intensa, constante e atualizada. Marque com a opção
correta sobre a Ética e as Epidemias.

A Bioética não é de fundamental importância no enfrentamento das catástrofes e epidemias,


seja no campo da macrobioética
Se buscará um adequado ponto de equilíbrio na resolução dos conflitos éticos da pesquisa
biomédica com os interesses para os profissionais de saúde.
As pesquisas científicas não devem ser estimuladas no combate às doenças infecto-contagiosas,
com absoluto controle ético evitando a maximização de interesses privados e públicos
Ações de entidades públicas e privadas devem objetivar maiores investimentos em
biotecnologia, seja no campo da genética ou em nanociência, com o escopo principal de combate
às grandes epidemias
Muito embora se tenha conseguido índices de redução da transmissibilidade da AIDS, epidemia
de maior impacto da era contemporânea, ainda persistem problemas éticos nos estudos afins, o
que deve ser desconsiderado e desvalorizado.

Explicação: Para que possamos discorrer sobre a ética no enfrentamento de grandes epidemias e
catástrofes necessitamos recordar as diversas situações que ameaçaram a preservação da raça sobre o
planeta. A história da humanidade sempre se notabilizou pela capacidade inventiva da inteligência
humana, superando todas as dificuldades e promovendo avanços técnicos e científicos

Gabarito Coment.

8. Um político declara: A regra em situações epidêmicas é a de que a manutenção


dos direitos individuais fica sempre condicionada à preservação dos direitos
coletivos. Vivemos hoje uma epidemia de violência. Há crime em toda parte e ele
é contagioso. Isso tem implicado limites nos direitos individuais de pessoas de
certos grupos. O parágrafo reflete:

A ideia de que a pobreza é contagiosa.

Uma visão simplista da criminalidade e o incentivo ao toque de recolher.

A colocação em pauta da questão da violação de direitos fundamentais de certos grupos.

A manifestação de preconceito, pois não se pode dizer que o crime é contagioso.

Um erro técnico, pois a violência não pode ser considerada epidêmica.

Em situações epidêmicas e geradoras de pânico, cabe aos profissionais de saúde:

compreender como natural esta ansiedade coletiva e atuar de modo a contribuir para a
restauração da calma e da ordem pública.
se preocupar, apenas, em montar um satisfatório calendário de atuação nos Postos de Saúde
para dar conta da demanda da população.

minimizar a ansiedade vinculada ao pânico, entendendo-a como histeria coletiva.

deixar que as autoridades governamentais orientem a população.

não se envolver com a questão, pois a orientação que pode dar a uns e a outros em nada
contribuirá para diminuir a ansiedade da população.

Explicação:

Um dos primeiros e mais imediatos efeitos sociais em situações epidêmicas é o pânico que acomete a
população em geral. O desconhecimento sempre nos faz superdimensionar os riscos de uma situação.
Este é um mecanismo de defesa psicológico normal e o profissional de saúde, principal agente de
informação nestas situações, precisa compreender esta ansiedade coletiva e atuar de modo a contribuir
para a restauração da calma e da ordem pública
2. Em Desafios Éticos são abordados assuntos genéricos, relaciona-dos com a vida,
a relação entre os homens e a inter-relação entre diferentes ciências, além de
uma parte especifica, ligada à saúde. Marque a opção correta sobre: O processo
de tomada de decisão envolvido na alocação de recursos escasso é complexo,
envolvendo aspetos referentes ao.

Ao recurso e ao idealismo

Ao critério e ao profissionalismo

Ao recurso e ao critério

Ao recurso e ao profissionalismo

Ao critério e ao trabalho

Explicação: O maior desafio ético é descobrir que a outra pessoa merece todo o respeito tal qual nós
merecemos. Quando olhamos para outro ser humano e deixamos de respeitá-lo em suas idéias,
necessidades, prazeres, deixamos de ser éticos, o ser humano deve ser visto em suas diferenças
exatamente como um ser equilibrado, tanto em seus defeitos como em suas virtudes.
Independentemente de sua cultura ou experiência de vida. quando buscamos ser éticos, pesamos melhor
nossas atitudes, palavras e até mesmo nossa expressão corporal que fala mais do que qualquer palavra

Gabarito Coment. Gabarito Coment.

3. Em situações epidêmicas, sabemos que a manutenção dos direitos individuais:

é prioritária e não pode ser transgredida.

é idêntica à aplicada em situações de normalidade.

fica sempre condicionada à preservação dos direitos coletivos.

é uma consequência natural dos acontecimentos.

jamais deverá ser suplantada pelos direitos coletivos.

Explicação:

Os direitos individuais incluem a vida, a privacidade, a liberdade e a não-discriminação, entre outros.


Todos estes direitos devem ser preservados. Contudo, em situações excepcionais como de uma epidemia
(doença disseminada em larga escala local) ou pandemia (doença disseminada em escala mundial), estes
direitos individuais podem ser suplantados pelos direitos coletivos. Assim, a regra básica em situações
epidêmicas, é a de que a manutenção dos direitos individuais fica sempre condicionada à preservação dos
direitos coletivos.
4. Letícia vive em uma cidade que está com epidemia de dengue. Ela foi ao médico
e este imediatamente notificou o caso às autoridades sanitárias. Ele fez