Você está na página 1de 5

Caroline Aparecida Pereira de Souza, Ludmilla Scodeler de Camargo e Neiva dos Santos Souza

Crononutrição & Saúde

Chrononutrition & health

Resumo
A capacidade de adaptação dos seres vivos às características do meio ambiente possibilitou sua evolução e sobrevivência. A presença
de ritmos biológicos nos organismos vivos é fundamental para a adaptação preditiva da fisiologia e do comportamento às características
cíclicas do meio ambiente. Nesse contexto, a crononutrição estuda a relação entre os ritmos biológicos, nutrição e metabolismo e considera,
para a adequada avaliação nutricional, o aspecto temporal da alimentação. É importante apontar que a expressão do comportamento
alimentar está ligada ao relógio biológico, e que abordagens dietéticas devem considerar também o cronotipo do indivíduo para que os
resultados à saúde sejam mais individualizados e efetivos.

Palavras-chave: Crononutrição, cronobiologia, ritmos biológicos, cronotipo.

Abstract
The ability of living beings to adapt to the characteristics of the environment enabled their evolution and survival. The presence of bio-
logical rhythms in living organisms is fundamental for the predictive adaptation of physiology and behavior to the cyclical characteristics
of the environment. In this context, chrononutrition studies the relationship between biological rhythms, nutrition and metabolism, and
considers, for adequate nutritional assessment, the temporal aspect of food. It is important to point out that the expression of eating
behavior is linked to the biological clock, and that dietary approaches must also consider the individual's chronotype so that health
results are more individualized and effective.

Keywords:Chrononutrition, chronobiology, biological rhythms, chronotype.


www.vponline.com.br

7
Caroline Aparecida Pereira de Souza, Ludmilla Scodeler de Camargo e Neiva dos Santos Souza

A
A Crononutrição nada mais é que a junção do metabolismo, estudada pela crononutrição, já está
estudo de duas áreas: a cronobiologia e a nutrição. descrita na literatura, pautando a disponibilidade
Desta forma, esta ciência investiga a relação entre dos alimentos como transmissor de informação
os ritmos biológicos, nutrição e metabolismo1. de tempo para o relógio biológico, sincronizando
Para entendermos esta relação, necessitamos ter alguns relógios periféricos6.
conhecimento de um fator indispensável à nossa Vale ressaltar que os seres humanos são parte
evolução, que é a capacidade dos seres vivos de de uma espécie diurna que se alimenta durante
adaptarem-se às alterações que ocorreram/ocorrem o período de claro (dia) e repousa/jejua durante
no meio ambiente. Dentre os vários fenômenos a noite. A alimentação e o comportamento
biológicos que permitiram que esse processo alimentar são influenciados pelo ritmo biológico
adaptativo ocorresse, estão os ritmos biológicos. do indivíduo. O conflito entre o padrão de
Uma das classificações dos ritmos biológicos alimentação e a alternância de luminosidade do
baseia-se na frequência de ocorrência, a saber: ciclo claro/escuro veio em decorrência do mundo
ritmos infradianos, ultradianos e circadianos. moderno, que possibilitou e estendeu o período
Esse último tem o nome derivado do latim de disponibilidade de alimentos também para o
circa diem, que significa em torno de um dia e período da noite, momento em que o organismo
refere-se aos ritmos que ocorrem a cada 24 horas humano apresenta menor capacidade de resposta
aproximadamente. Os ritmos circadianos estão à ingestão alimentar7,8. Tal cenário não fez parte
normalmente sincronizados ao processo de rotação da evolução da espécie ao longo de milhares
da terra, que nos expõe diariamente à alternância de anos, estando presente a partir do advento
dos ciclos claro/escuro (dia e noite) e às mudanças da energia elétrica e do processo avançado de
de temperatura2,3. urbanização, que trouxeram como resultados, por
Para que esse processo ocorra de modo exemplo, a obtenção de alimentos, seu preparo,
adequado, o nosso organismo conta com um armazenamento e conservação sem a limitação
intricado sistema de temporização formado por do tempo.
um oscilador ou relógio central, conexões neurais Existem também padrões rítmicos de
e humorais, e relógios periféricos localizados sinalização endogenamente gerados e que fazem
em órgãos e tecidos. Um importante mediador parte da constituição do organismo vivo, como a
hormonal desse sistema é a melatonina. Essa adequada temporização de órgãos como o fígado e a
indolamina, que tem sua concentração plasmática liberação de hormônios e secreções orgânicas, que
garantida pela produção pela glândula pineal, é participam dos processos de digestão e absorção de
sintetizada somente durante a noite desde que a nutrientes. A ingesta alimentar, como um marcador
mesma seja escura, sendo esse processo inibido de tempo, pode interferir com a sincronização
Rev Bras Nutr Func; 46(81), 2020. doi: 10.32809/2176-4522.46.81.01

pela presença de luz. Devido a essa característica, desses padrões rítmicos6-8. Assim, é importante
ela atua como um sinalizador do fotoperíodo para que os processos correlacionados à alimentação,
o ambiente interno e, por meio dessa função, digestão e absorção dos nutrientes, que são
a melatonina é capaz de controlar diversos essenciais para um adequado funcionamento do
processos fisiológicos como: sono e vigília, organismo, sejam conduzidos da melhor forma
processos reprodutivo, digestivo e de sinalização possível. Somado a isso, o número crescente dos
insulínica, além de garantir a manutenção do casos de obesidade e doenças cardiometabólicas
balanço energético4,5. Nesse sentido, é importante fez com que a alimentação adequada se tornasse
também considerar o âmbito da frequência o foco de diversas pesquisas.
alimentar, do horário das refeições e, até mesmo, A qualidade e a quantidade do que se é ingerido
do comportamento alimentar, que são aspectos ganhou destaque, porém alguns estudos apontam
nutricionais que também podem influenciar a que a busca por uma alimentação e estilo de vida
homeostase do metabolismo energético6. saudáveis deve levar em conta o horário em que
A relação entre nutrição, ritmos biológicos e as refeições são realizadas ou não realizadas.

8
Crononutrição & Saúde

A metanálise de Chen et al.9 buscou avaliar melatonin onset, que se refere ao momento de início
a associação entre não realizar o café da manhã do aumento na curva plasmática de melatonina)
e o risco cardiovascular, avaliando 7 estudos com o conteúdo dos alimentos ingeridos e com
de coorte, totalizando 221.732 indivíduos. Os a composição corporal. Participaram do estudo
indivíduos que não realizavam essa refeição típica transversal 110 jovens entre 18 e 22 anos que
do período da manhã, em comparação com aqueles registraram toda a ingestão de alimentos durante
que a realizavam regularmente, apresentaram um 7 dias consecutivos em sua rotina diária regular,
risco elevado de doença cardiovascular (risco além de terem aferidas as medidas de composição
relativo de 1,22 - intervalo de confiança de 95% corporal e concentração salivar de melatonina. Os
1,10–1,35) e de todas as causas de mortalidade principais resultados mostraram que os indivíduos
relacionadas (risco relativo de 1,25 - intervalo com alta porcentagem de gordura corporal
de confiança de 95% 1,11–1,40). Os autores consumiram a maior parte das calorias diárias
discutiram possíveis explicações para esse cerca de 1,1h mais perto do início do horário de
achado, como possíveis alterações fisiológicas e liberação noturna de melatonina (que informa o
metabólicas que podem ocorrer nos indivíduos que início da noite biológica para o organismo), do
não realizaram o café da manhã e tiveram risco que indivíduos com baixa porcentagem de gordura
aumentado de doenças cardiovasculares, dentre as corporal. De acordo com a análise de regressão
quais possível hiperatividade do eixo hipotálamo- múltipla, o momento da ingestão de alimentos
hipófise-adrenal, não atrelada ao estresse, que em relação ao horário de início da liberação de
elevaria a concentração de cortisol e a pressão melatonina foi significativamente associado com
arterial; aumento nos níveis de colesterol total e a porcentagem de gordura corporal e índice de
LDL-colesterol (colesterol ligado à lipoproteína massa corporal. O mesmo não foi observado
de baixa densidade); prejuízos à sensibilidade quando considerada a quantidade ou qualidade
à insulina e maior risco de diabetes; e a relação dos alimentos. Dessa forma, os autores concluíram
com preferências alimentares e hábitos de vida que o consumo alimentar próximo ao início da
menos saudáveis, como maior ingestão de bebidas noite circadiana, independentemente de outros
açucaradas, aperitivos e álcool, tabagismo e fatores de risco tradicionais como quantidade
sedentarismo. ou qualidade da ingestão de alimentos e nível de
Alguns indivíduos, como aqueles que pulam atividade, desempenha um papel importante na
o café da manhã ou acordam mais tardiamente, composição corporal.
tendem a arrastar os horários das próximas Indícios como esse fizeram com que a crono-
refeições para mais tarde, avançando no período nutrição ganhasse mais destaque. De acordo com
noturno. os preceitos seguidos pela crononutrição três as-
McHill et al.10 examinaram a associação entre pectos relacionados ao tempo devem ser levados
o momento do consumo alimentar (em relação em conta para adequada avaliação nutricional do
ao horário do relógio e ao DLMO – Dim light indivíduo11:
www.vponline.com.br

9
Caroline Aparecida Pereira de Souza, Ludmilla Scodeler de Camargo e Neiva dos Santos Souza

Estes aspectos são influenciados por ações imposição social, que molda nosso estilo de vida
individuais dependentes do cronotipo (é definido e reflete em nosso contexto alimentar11-13.
como a expressão fenotípica da relação do Há ainda a influência dos padrões de vida
indivíduo com a flutuação rítmica do meio atuais, como a exposição excessiva à luz artificial
ambiente em que ele vive), levando em conta que no período noturno e o hábito de se alimentar
os horários de sono e de atividade influenciam a tardiamente, especialmente na madrugada,
característica temporal do hábito alimentar, que que causam uma desorganização temporal do
são tão importantes quanto os aspectos qualitativos ritmo circadiano de funções biológicas gerando
e quantitativos da alimentação11. impactos negativos à saúde ao intensificar ou
Pesquisas mostram que indivíduos com desencadear processos moleculares envolvidos
cronotipo vespertino, que são aqueles que têm em diferentes doenças crônicas não transmissíveis
preferência por realizar as atividades mais como obesidade, diabetes, resistência à insulina e
tardiamente, têm maior incidência de doenças síndrome metabólica11-13.
cardiometabólicas e sobrepeso devido à propensão É possível concluir que abordagens dietéticas
a manter uma rotina alimentar irregular e uma que considerem os preceitos da crononutrição
ingestão tardia de alimentos. Por outro lado, – que visam garantir a organização dos hábitos
indivíduos com cronotipo matutino, ou seja, que alimentares considerando o relógio biológico –,
apresentam preferência em realizar suas atividades são importantes para a organização temporal de
durante em horários mais cedo do dia, tendem nossa fisiologia e comportamento, auxiliando
a manter maior regularidade em seus hábitos a manutenção de nossas respostas celulares e
alimentares e a apresentarem menor predisposição modulações fisiológicas para a promoção da saúde.
ao risco cardiometabólico e ao desenvolvimento Ainda, quando tais estratégias vão de encontro ao
de obesidade11,12. cronotipo, respeitando a organização biológica
Outros aspectos também devem ser considerados de nosso corpo e suas necessidades e o ciclo de
nessa avaliação como a idade, etnia, moradia, jejum/alimentação, as respostas podem ser mais
estresse, carga de trabalho, trabalho em turno, efetivas quando utilizadas para melhorar a saúde
qualidade e horas de sono e jetlag social. Estes metabólica, reduzindo os riscos de doenças.
fatores podem influenciar a ingestão alimentar e a

Resumo gráfico
Rev Bras Nutr Func; 46(81), 2020. doi: 10.32809/2176-4522.46.81.01

Fonte: Adaptado de: Henry; Kaur e Quek12


10
Crononutrição & Saúde

Referências bibliográficas

1. OIKE, H.; OISHI, K.; KOBORI, M. Nutrients, Clock Genes, and Chrononutrition. Curr Nutr Rep; 3(3):204-212, 2014.
2. CIPOLLA-NETO, J.; CAMPA, A. Ritmos biológicos. AIRES, M.M. Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
17–19, 1999.
3. CIPOLLA NETO, J.; MARQUES, N.; MENNA-BARRETO, L. Introdução ao estudo da cronobiologia. São Paulo:
Ícone, 1988.
4. CIPOLLA-NETO, J.; SKORUPA, A.L., RIBEIRO-BARBOSA, E.R. et al. The role of the retrochiasmatic area in the
control of pineal metabolism. Neuroendocrinology; 69(2), 97–104, 1999.
5. YAMAZAKI, S.; NUMANO, R.; ABE, M. et al. Resetting central and peripheral circadian oscillators in transgenic rats.
Science; 288(5466), 682–685, 2000.
6. JOHNSTON, J.D.; ORDOVÁS, J.M.; SCHEER, F.A. et al. Circadian Rhythms, Metabolism, and Chrononutrition in
Rodents and Humans. Adv Nutr; 7(2):399-406, 2016.
7. NETO, J.C.; AMARAL, F.G.; AFECHE, S.C. et al. Melatonin, energy metabolism, and obesity : a review. J Pineal
Res; 371–381, 2014.
8. OKAMURA, H.; YAMAGUCHI, S.; YAGITA, K. Molecular machinery of the circadian clock in mammals. Cell and
Tissue Research; 309(1): 47–56, 2002.
9. CHEN, H.; ZHANG, B.; GE, Y. et al. Association between skipping breakfast and risk of cardiovascular disease and all
cause mortality: A meta-analysis. Clin Nutr; 2020.
10. MCHILL, A.W.; PHILLIPS, A.J.; CZEISLER, C.A. et al. Later circadian timing of food intake is associated with
increased body fat. Am J Clin Nutr; 106(5):1213-1219, 2017.
11. ALMOOSAWI, S.; VINGELIENE, S.; GACHON, F. et al. Chronotype: Implications for Epidemiologic Studies on
Chrono-Nutrition and Cardiometabolic Health. Adv Nutr; 10(1):30-42, 2019.
12. XIAO, Q.; GARAULET, M.; SCHEER, F.A.J.L. Meal timing and obesity: interactions with macronutrient intake and
chronotype. Int J Obes (Lond); 43(9):1701-1711, 2019.
13. HENRY, C.J.; KAUR, B.; QUEK, R.Y.C. Chrononutrition in the management of diabetes. Nutr Diabetes; 10(1): 6, 2020.

www.vponline.com.br

11