Você está na página 1de 5

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E INICIAÇÃO À PESQUISA

Curso Normal em Nível Médio

3ª série- 2º Bimestre

Eixo temático:
O professor pesquisador da prática na Educação Infantil, anos iniciais do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos

Neste bimestre o foco está na pesquisa de campo. Os alunos iniciarão o trabalho de coleta de dados para análise coletiva em turma, seguindo as etapas
previstas pelo projeto elaborado no bimestre anterior. A iniciação científica possibilita o exercício de problematização, de elaborações de hipóteses e de busca
de respostas necessárias na prática de um professor pesquisador.
• Observar e coletar dados, no campo de estágio, a partir dos instrumentos de pesquisa definidos no projeto coletivo da
turma.
Habilidades e competências a • Utilizar os diferentes instrumentos de registros para a pesquisa.
serem desenvolvidas • Utilizar as múltiplas linguagens como importantes ferramentas na prática pedagógica para ampliação de habilidades
específicas.
• Elaborar e aplicar planos de aula.
Durante a realização do estágio (campo da pesquisa), o aluno deverá:
• Aplicar os instrumentos de coleta de dados elaborados durante a fase do projeto, tais como: questionário, entrevista e
roteiro de observação, entre outros.
Sugestões de atividades
• Se permitido, poderá gravar em áudio as entrevistas, filmar e/ou fotografar o cotidiano escolar, levantar dados
encontrados nas redes sociais sobre o sujeito da pesquisa.
• Elaborar e aplicar os planos de aula a serem desenvolvidos nas respectivas regências.
CRUZ NETO, Otávio. O trabalho de campo como descoberta e criação. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa
social: teoria, método e criatividade. 22ª ed. Petrópolis: Vozes, 2003. Disponível em:
<http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo-2009-2/2SF/Pesquisa_Social.pdf>. Acesso em: 31 jan. 2013.
Descrição: O capítulo do livro descreve o campo da pesquisa, orientando como os instrumentos de coleta devem ser
aplicados e registrados.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. 5ª ed. Campinas: Autores Associados, 2007.
Descrição: Este livro trabalha a conexão entre pesquisa e educação, argumentando que a educação própria da escola e
da universidade é aquela mediada pela reconstrução do conhecimento. Mostra a importância de não separar qualidade
formal da qualidade política, ressaltando a importância profissional do saber pensar e do aprender a aprender.

Livros

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 12ª ed. São Paulo: Cortez, 2006.
Descrição: Esta obra pretende desmistificar a pesquisa e, sobretudo, despertar nos educadores a curiosidade criativa,
reiterando o papel indissociável entre professor e pesquisador.
WEBLIOGRAFIA

RAUSCH, Rita Buzzi; SCHROEDER, Sylvia Loch. A inserção da pesquisa nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Atos de
Pesquisa em Educação - PPGE/ME FURB. ISSN 1809-0354 v. 5, n. 3, p. 315-337, set./dez. 2010. Disponível em:
<http://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/2274/1489>. Acesso em 02/02/2013.
Artigos: Descrição: O artigo analisa a inserção da pesquisa nos processos de ensinar e aprender nas séries iniciais do Ensino
Fundamental, tendo como espaço de pesquisa uma escola em Blumenau-SC.
Endereço eletrônico (URL): http://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/2274/1489

Título: Pedro Demo fala sobre Educação pela Pesquisa. ATTA Mídia e Educação. Disponível em:
<http://revistaescola.abril.com.br/planejamento-e-avaliacao/planejamento/video-pedro-demo-fala-educacao-pela-
Vídeos pesquisa-608197.shtml>. Acesso em 02/02/2013.
Descrição: Pedro Demo aborda questões do princípio educativo da pesquisa.
Tempo de duração: 05min41

Endereço eletrônico: http://www.pedagogiaaopedaletra.com.br/


Trata-se de um site com inúmeras possibilidades de uso para professores e alunos na formação de magistério. Percorre
praticamente todas as áreas do conhecimento específico da formação de professores, traz orientações pedagógicas,
ideias para atividades, enfim um recurso facilitador do trabalho no cotidiano escolar.
Sítios (URLs)
Endereço eletrônico: http://planetaeducacao.com.br
O Planeta Educação é o portal educacional da empresa Vitae Futurekids, que tem como objetivo disseminar o uso
pedagógico e administrativo das novas tecnologias da informação e da comunicação nas escolas públicas brasileiras de
Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio.
Nele o professor tem acesso à legislação educacional, além de uma variedade de artigos em múltiplas áreas do
conhecimento. Há áreas restritas às instituições educacionais conveniadas, porém muito conteúdo é de livre acesso a
qualquer usuário.

Endereço eletrônico (URL): http://www.conteudoseducacionais.com.br/#


Site produzido pela Microsoft dedicado à educação.

INTERDISCIPLINARIDADE

Utilizar os conteúdos abordados nas demais disciplinas para estabelecer relação entre o observado e o registrado no campo de estágio.
As diversas atividades sugeridas podem ser pautadas em habilidades e competências (leitura, uso da língua e produção textual), as quais se inter-relacionam
em todo o Currículo Mínimo de Língua Portuguesa.
Diálogos podem ocorrer com Política Educacional e Organização do Sistema de Ensino e Psicologia da Educação, partindo da ideia de como as diferentes
concepções do desenvolvimento infantil e de aprendizagem direcionam as pesquisas, como também as práticas pedagógicas ao longo da história da
Educação. Os resultados das pesquisas em diversos campos do conhecimento humano, como pode ser visto em História e Filosofia da Educação e Sociologia,
impactam e modificam a forma de pensar e agir de uma sociedade e, por consequência, as práticas educativas também.
Na mesma linha de raciocínio, o avanço da pesquisa leva a novos questionamentos, que paulatinamente chegam à legislação educacional, modificando-a. Por
exemplo, a luta antiga pela valorização da educação infantil só recentemente começou a ser reconhecida em legislação e seu correspondente amparo com
recursos orçamentários.
Além disso, é possível pensar na compreensão que se tem hoje a respeito da aprendizagem como um processo de organização e reorganização de esquemas e
estruturas, uma concepção que direciona as formas de trabalho do professor no cotidiano, além de redirecionar novas pesquisas.
O importante é fazer o aluno refletir que o conhecimento está em produção e é resultado de um processo dinâmico e
não cristalizado; portanto, não há “porto seguro”.
OUTROS

Revista Formação Docente. Disponível em: <http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br/apresentação>. Acesso em 02/02/2013.


Descrição: Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, publicação digital, veiculada semestralmente, é de
responsabilidade editorial do Grupo de Trabalho Formação de Professores (GT08), da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd),
em coedição com a Editora Autêntica. Seu objetivo é ser um canal de divulgação da produção na área específica, em diálogo interdisciplinar com as
contribuições de pesquisas realizadas pelas áreas correlatas que tratam da mesma temática. A revista é dirigida ao público de professores, pesquisadores e
estudantes das áreas de Educação e ciências afins.

SANT’ANNA, Ilza Martins; MENEGOLLA, Maximiliano. Didática: aprender a ensinar, técnicas e reflexões pedagógicas para a
Referências bibliográficas formação de formadores. 7ª ed. São Paulo: Loyola, 2002.
MINAYO, Maria Cecilia de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 30ª ed. Petrópolis: Vozes, 2011.