CONTEÚDOS Variação lingüística; Funções da Linguagem; Estrutura das palavras 1.

(Ufsc 2006) Leia as citações a seguir e responda à

questão proposta. "Mas muito lhe será perdoado, à TV, pela sua ajuda aos doentes, aos velhos, aos solitários." (BRAGA, Rubem. "200 crônicas escolhidas". Rio de Janeiro / São Paulo: Editora Record, 2004, p. 486). "Sinhô e Sinhá num mêis ou dois mêis se há de casá!" (LIMA, Jorge de. "Novos Poemas". Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 1997, p. 03). "... eu osvi falá que os bugre ero uns bicho brabo..." (CASCAES, Franklin. "O fantástico na Ilha de Santa Catarina". Florianópolis: Editora da UFSC, 2004, p. 27). "-... morreu segunda que passou de uma anemia nos rim..." (MACHADO, A. de A. "Brás, Bexiga e Barra Funda". São Paulo: Editora Martin Claret, 2004, p. 55). Levando em conta as diferentes formas linguísticas utilizadas pelos autores na composição de suas obras, comente sobre a linguagem usada como recurso na construção dos textos. Para tanto, considere as duas proposições a seguir: a) variação linguística versus erro linguístico; b) funções da linguagem na literatura.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Diz Alfredo Bosi a respeito de Guimarães Rosa: "'Grande Sertão: Veredas' e as novelas de 'Corpo de Baile' incluem e revitalizam recursos da expressão poética: células rítmicas, aliterações, onomatopeias, rimas internas, ousadias mórficas, elipses, cortes e deslocamentos de sintaxe, vocabulário insólito, arcaico ou de todo neológico, associações raras, metáforas, anáforas, metonímias, fusão de estilos, coralidade". (Alfredo Bosi, História Concisa da Literatura Brasileira, p. 430.)
2. (Ufscar 2008) Levando-se em conta a norma

padrão do português do Brasil, a) Como você caracteriza a variação linguística que aparece em "Me deu uma tontura"? b) Como você redigiria essa frase de acordo com a norma padrão?
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Texto 1 Mas, afinal, o que é língua padrão? Já sabemos que as línguas são um conjunto bastante variado de formas linguísticas, cada uma delas com a sua gramática, a sua organização estrutural. Do ponto de vista científico, não há como dizer que uma forma linguística é melhor que outra, a não ser que 1A GENTE se esqueça da ciência e adote o preconceito ou o gosto pessoal como critério. Entretanto, é fato que há uma diferenciação valorativa, que nasce não da diferença desta ou daquela forma em si, mas do significado social que certas formas linguísticas adquirem nas sociedades. Mesmo que nunca tenhamos pensado objetivamente a respeito, 2NÓS sabemos (ou procuramos saber o tempo todo) o que é e o que não é permitido... Nós costumamos "medir nossas palavras", entre outras razões, porque nosso ouvinte vai julgar NÃO SOMENTE o que se diz, MAS TAMBÉM quem diz. E a linguagem é altamente reveladora: ela NÃO transmite SÓ informações neutras; revela também nossa classe social, a região de onde viemos, o nosso ponto de vista, a nossa escolaridade, a nossa intenção... Nesse sentido, a linguagem TAMBÉM é um índice de poder. 3ASSIM, na rede das linguagens de uma dada sociedade, a língua padrão ocupa um espaço privilegiado: ela é o conjunto de formas consideradas como o modo correto, socialmente aceitável, de falar ou escrever. FARACO, Carlos Alberto & TEZZA, Cristóvão.

Eu tinha o medo imediato. E tanta claridade do dia. O arrojo do rio e só aquele estrape*, e o risco extenso d'água, de parte a parte. Alto rio, fechei os olhos. Mas eu tinha até ali agarrado uma esperança. Tinha ouvido dizer que, quando canoa vira, fica boiando, e é bastante a gente se apoiar nela, encostar um dedo que seja, para se ter tenência, a constância de não afundar, e aí ir seguindo, até sobre se sair no seco. Eu disse isso. E o canoeiro me contradisse: - "Esta é das que afundam inteiras. É canoa de peroba. Canoa de peroba e de pau-d'óleo não sobrenadam..." Me deu uma tontura. O ódio que eu quis: ah, tantas canoas no porto, boas canoas boiantes, de faveira ou tamboril, de imburana, vinhático ou cedro, e a gente tinha escolhido aquela... Até fosse crime, fabricar dessas, de madeira burra! (Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas, p. 8889.) * instrumento de tortura

. 30 Texto 2 CUITELINHO* Cheguei na bera do porto onde as onda se espaia. *Cuitelinho . despedi da parentaia. POSSENTI. além de outras informações. 04) o conector ASSIM (ref.metalinguística. Sai um sujeito de casa com a roupa de brim branco muito bem engomada. O poema deve ser como a nódoa no brim: Fazer o leitor satisfeito de si dar o desespero. e) referencial . as palavras destacadas indicam que existem informações neutras.pequeno cuitelo ou beija-flor (Cantiga popular brasileira de Paulo Vanzolin) Texto 3 Domingo à tarde. Poeta sórdido: Aquele em cuja poesia há a marca suja da vida. senta na bera da praia. (Cesgranrio 1994) As funções da linguagem PREDOMINANTES na "Nova Poética" são: a) metalinguística .. 1998. é CORRETO afirmar introduzido por ele serviu para confirmar o que foi dito antes.conativa. 3. 2) foram usados com o mesmo significado referencial. GRAMÁTICA Questão 05 Identifique os elementos mórficos destacados em: a) tal como as das mulheres b) em vários outros países c) ainda está por escrita d) os estudiosos tem dado muito pouca e) nas diversas regiões do mundo f) rápidas biografias de brasileiras notáveis g) os mais reveladores preconceitos h) As mudanças reforçam Questão 06 Aponte a alternativa em que o elemento estrutural em destaque não está corretamente analisado. E os oio se enche d'água que até a vista se atrapaia. (Ufsc 2005) Sobre o Texto 1. Sírvio Santos.referencial. a) andavas – desinência de pessoa b) amarás – sufixo temporal c) menina – desinência de Gênero que: 01) o trecho "a não ser que a gente se esqueça da ciência e adote o preconceito ou o gosto pessoal como critério" pode ser assim parafraseado: "a não ser que a ciência seja esquecida e seja adotado o preconceito ou o gosto pessoal como critério". 1992. dei em terras paraguaia. Eu entrei no Mato Grosso. 08) no trecho "ela NÃO transmite SÓ informações neutras". As garça dá meia volta. enfrentei fortes bataia.Firme? O político responde: . 3) foi usado com valor exemplificativo e complementar. Vai um sujeito. O parágrafo . p..) Manuel Bandeira 4.. MAS TAMBÉM em: "nosso ouvinte vai julgar NÃO SOMENTE o que se diz.fática. 02) os pronomes A GENTE (ref.Prática de texto: língua portuguesa para nossos estudantes. c) poética . E o cuitelinho não gosta que o botão de rosa caia. Um assessor passa por ele e pergunta: . b) conativa . [salpica-lhe o paletó de uma nódoa de lama: É a vida. Sírio. Lá tinha revolução.Não.conativa. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Nova Poética Vou lançar a teoria do poeta sórdido. a outra faia. [e na primeira esquina passa um caminhão. 16) a expressão NÃO SOMENTE. Quando eu vim de minha terra. Esse recurso se caracteriza como variação linguística e pode ser observado tanto na linguagem padrão como na linguagem coloquial. MAS TAMBÉM quem diz" estabelece uma relação de retificação do argumento da primeira afirmação com o argumento da segunda e acrescenta uma nova informação. (. p. Os humores da língua. O coração fica aflito. 34. o político vê um programa de televisão. bate uma. A tua saudade corta como aço de navaia. 1) e NÓS (ref. 4ª ed. Campinas: Mercado de Letras. Petrópolis: Vozes. d) emotiva .

d) carros – radical e) pires – desinência de numero Questão 07 Faça a associação. considerando a função dos elementos estruturais do verbo: (1) -s ( ) indica imperfeito do indicativo (2) -va ( ) caracteriza a segunda pessoa do singular (3) -sse ( ) traduz futuro do subjuntivo (4) -r ( ) indica a primeira pessoa do plural (5) -mos ( )traduz presente do subjuntivo (6) -e ( ) traduz pretérito imperfeito do subjuntivo Questão 08 Identifique o processo formador das seguintes palavras: Injustiça – Brasileiro – Enriquecer – Enriquecimento – Pernalta – Escurecer – guarda-livros – ataque – irrealizável – alcoômetro – deslealdade – Questão 09 “Depois o mundo. a luta que intimada” – No verso destacou-se um exemplo de: a) derivação parassindética ou parassintética b) derivação prefixal c) derivação sufixal d) justapoisção e) derivação regressiva Questão 10 Considere o processo formador das palavras e numere a segunda coluna de acordo com a primeira: (1) derivação prefixal ( ) livreiro (2) derivação sufixal ( ) enfurecer (3) derivação parassindética ( ) desleal (4) derivação regressiva ( ) o abalo (5) composição por justaposição ( ) azul-marinho (6) composição por aglutinação ( ) girassol ( ) planalto ( ) envenenar ( ) realismo .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful