CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO – UNICEUMA CURSO: DIREITO DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO II PERÍODO: 5º / TURNO: NOTURNO PROFESSORA: ESP.

BRUNA FEITOSA S. DE ARAÚJO

ARTIGO CIENTÍFICO
TEMA: ESTABILIDADE TÍTULO: A estabilidade especial prevista em normas estatais e suas implicações no ordenamento jurídico brasileiro OBJETIVO DA METODOLOGIA: Proporcionar a análise da base teórica para o enfrentamento das questões atinentes a análise da estabilidade especial prevista em normas estatais e suas implicações no ordenamento jurídico pátrio, proporcionado assim o aperfeiçoamento da reflexão jurídica acerca da temática, conduzindo e fomentando à compreensão crítica do estudo. ANÁLISES ENVOLVIDAS: • Estabilidade especial prevista em normas estatais • Efeitos da dispensa do estável • Hipóteses de inaplicabilidade da estabilidade especial • Relação de estabilidade especial com o aviso prévio DATA DA ENTREGA DO ARTIGO CIENTÍFICO: No dia da 1ª avaliação da disciplina INSTRUÇÕES: Não serão aceitos artigos científicos entregues em data posterior REFERÊNCIAS: As referências para a elaboração do artigo são as mesmas disponibilizadas no plano de ensino da disciplina e as sugeridas de forma complementar abaixo: BARROS, Alice Monteiro de. Curso de direito do trabalho. 7. ed. São Paulo: LTr, 2011. CARDOSO, Jair Aparecido. A estabilidade no direito do trabalho. 1. ed. São Paulo: LTr, 2008. DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 10. ed. São Paulo: LTr, 2011. NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Iniciação ao direito do trabalho. 36. ed. São Paulo, LTr, 2011.

Normalmente. que apresentam informações. Renato. análises pormenorizadas e discussões de maneira organizada) CONCLUSÃO (os parágrafos de conclusão normalmente resumem os pontos principais da pesquisa. que divide a introdução da conclusão. a conclusão também possui algumas indicações de quais são as implicações e conseqüências da temática abordada). Essa parte consiste de muitos parágrafos. Direito do trabalho.SARAIVA. ligados cuidadosamente com a introdução e a conclusão. São Paulo: Método. ed. 2011. REGRAS PARA A CONSTRUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS • ESTRUTURA DO ARTIGO  Elementos pré-textuais TÍTULO AUTOR SUMÁRIO RESUMO (100 a 250 palavras)  Elementos textuais INTRODUÇÃO (os parágrafos de introdução estabelecem o que vai ser discutido e dão um contexto ao assunto) DESENVOLVIMENTO (a parte mais longa da pesquisa é normalmente chamada de desenvolvimento. 4.  Elementos pós-textuais REFERÊNCIAS APÊNDICE (facultativo) ANEXO (facultativo) • REFERENCIAL TEÓRICO É o item em que o autor do trabalho busca a utilização de idéias e conceitos de outros autores da área para melhor fundamentar seus .

não havendo necessidade de indicação da página. Texto baseado na obra do autor consultado.argumentos. p. inúmeros cientistas não têm recebido treinamento neste sentido. Ou Discorrendo acerca da elaboração das etapas de pesquisa Castro (1978. p.: Barras (1979) ressalta que.: Citação curta “se essa confiança pode ser medida e estabelecida é injustificável a omissão do teste. mantendo a boa comunicação a fim de que o leitor perceba a relação entre o título e o conteúdo enfocado. consistindo em interpretação do texto (idéias) desse autor.19) assinalam que: um bom título é aquele redigido com o menor número possível de palavras e que descreve adequadamente o conteúdo do artigo ou do trabalho de pesquisa ou qualquer tipo de publicação científica. Ex. As citações podem ser diretas (textuais) ou indiretas (comentadas) na forma curta (até 3 linhas) ou longa (com mais de 3 linhas e se apresentam na seguinte estrutura): 1. Deste modo.104). Ex. p.: Citação longa Separado do texto e inicia-se a 4 cm da margem esquerda digitadas com fonte tamanho 10. apesar da importância da arte de escrever para a ciência.” (CASTRO. pelo autor pesquisador ou estudante. Miranda e Gusmão (1997. Ou . é necessário informar toda e qualquer idéia ou fragmento do texto (transcrito ou comentado). 2. Ex.104) afirma que “se essa confiança pode ser medida e estabelecida é injustificável a omissão do teste”. A relação harmônica entre o título e o texto demonstra a coerência sobre o estudo desenvolvido. Citações Diretas – quando o autor do artigo científico transcreve literalmente as palavras do autor consultado. Citações Indiretas – quando o autor do trabalho comenta ou parafraseia as idéias do autor consultado. 1978. Indica-se apenas a data.

8): [. Citação de Citação – todo texto que já está citado numa segunda fonte Exemplo: fazer a citação de Ford que foi citado Maximiano . O homem não se define pelo que é. mas pelo que deseja ser”. Ex. o nome do autor consultado.. 1963. p. portanto. Ex.. sobretudo dar sentido ao que somos e ao que nos acontece. diante dos outros e diante do mundo em que vivemos. também tem a ver com as palavras o modo como nos colocamos diante de nós mesmos. a data da obra consultada e a página de onde foi retirada a citação. inúmeros cientistas não têm recebido treinamento neste sentido (BARRAS. mas é. apesar da importância da arte de escrever para a ciência. 1977. também tem a ver com as palavras o modo como nos colocamos diante de nós mesmos. 160) “o homem é precisamente o que ainda não é. mas é. como nos tem sido ensinado algumas vezes. portanto. apud SALVADOR. E isto. sobretudo dar sentido ao que somos e ao que nos acontece. Ou [. E o modo como agimos em relação a tudo isso (LARROSA 1991. 160).] pensar não é somente raciocinar ou calcular ou argumentar.Indica-se o autor da citação. mas pelo que deseja ser" (ORTEGA Y GASSET. 32 apud SCHOPENHAUER. p. diante dos outros e diante do mundo em que vivemos. 2003. 2003. seguido da data da obra original e acrescenta-se a expressão latina "apud". 160. 3. E. O homem não se define pelo que é. p. 8). o sentido ou o sem-sentido é algo que tem a ver com nossas palavras. 1979). 32 apud SCHOPENHAUER..Ressalta que.. p.] pensar não é somente raciocinar ou calcular ou argumentar. Ou Conforme afirma Ortega y Gasset (1963. 1977. E. p. E isto. apud SALVADOR. E o modo como agimos em relação a tudo isso. o sentido ou o sem-sentido é algo que tem a ver com nossas palavras. p.: citação de citação (curta) Acerca do crescimento do indivíduo sua percepção no contexto sócio-histórico. como nos tem sido ensinado algumas vezes. p. . citação de citação (longa) Na opinião de Larrosa (1991. pode-se afirma que "o homem é precisamente o que ainda não é.

os interesses.² ______________ (ao final da página) ¹ REY. estão implicados outros aspectos. quais sejam o conhecimento de mundo. 8. set. seguido pelo ano e pela página.] facilita-se a leitura. . 1999. Ex.• AS CITAÇÕES SÃO FEITAS UTILIZANDO-SE O PADRÃO DOS SISTEMAS DE CHAMADA DA SEGUINTE FORMA: Sistema de chamada numérico – indica-se a citação com um número após o autor ou a citação notificando ao leitor no rodapé. o artigo pode conter as palavras usadas por outros. v. p. ² ROTTAVA. obedecendo-se a NBR 10520/2002 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) 1. 2005. definido como o uso de idéias ou escritas de outros como se fossem suas. 2. São Paulo: Atlas. Assim.2.. Normalização. n. desde que elas sejam devidamente identificadas. texto e leitor.. São Paulo. Paulo. Linguagem & Ensino. deve ser claramente entendido e levado em consideração por quem está escrevendo. propósitos e expectativas dos leitores e escritores enquanto interagem com os textos na construção de sentidos. “[.: Segundo Rey. faz-se economia de espaço e de trabalho tipográfico. Sistema de chamada autor data ou alfabético – é aquele indicado com o nome ou sobrenome.  Exemplo de plágio: Um programa que tenta transmitir conhecimento não processado pelo professor está destinado a dar errado. • LEMBRETE: CUIDADO COM O PLÁGIO! Plágio. A perspectiva dialógica na construção dos sentidos. 2.”¹ Ou Acerca da leitura Rottava afirma que: Além do contexto de sala de aula e do processo complexo e sofisticado que é a interação escritor. O artigo científico necessariamente contém grande parte de suas informações e idéias do trabalho de outros escritores. Lúcia.

 Títulos sem indicativo numérico: RESUMO. p.UNICEUMA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO II PROF. ANEXO  Espacejamento: na digitação do texto. ESP.5. CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO . 1980.  A tinta deve ser de cor preta. e tamanho 10 para citações longas e paginação. 65). • MODELO BÁSICO DA ESTRUTURA DE ARTIGO CIENTÍFICO Na página subseqüente. o espacejamento deve ser de acordo com os seguintes padrões: Texto: espaço 1.  Fonte tamanho 12 para todo texto. . Citações longas: espaço simples. BRUNA FEITOSA S. REFERÊNCIAS.  O título do artigo ficará em tamanho 14.0 cm a partir da margem esquerda.  Letra Times New Roman ou Arial.  Laudas: Mínimo: 08 laudas / Máximo: 10 laudas (excluídas as laudas referentes a capa e a folha de rosto). SUMÁRIO.  Margem de citação longa: 4. DE ARAÚJO. • DISPOSIÇÃO GRÁFICA / FORMATAÇÃO DO ARTIGO  Papel formato A-4. APÊNDICE.  Margem de parágrafo: 2. Exemplo de não caracterização de plágio: “um programa que tenta transmitir conhecimento não processado pelo professor está destinado a dar errado” (COPPERMAN.5 cm a partir da margem esquerda. podendo as ilustrações (se houverem) serem coloridas.

A ESTABILIDADE ESPECIAL PREVISTA EM NORMAS ESTATAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO ALUNO: JOÃO MARCOS FIGUEIREDO PENHA São Luís 2011 JOÃO MARCOS FIGUEIREDO PENHA .

Amauri Mascaro Nascimento.7@hotmail. Bruna Feitosa S. E-mail: jm. ³ NASCIMENTO. São Luís 2011 A ESTABILIDADE ESPECIAL PREVISTA EM NORMAS ESTATAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO João Marcos Figueiredo Penha1 1 ¹ Graduando do Curso de Direito do Centro Universitário do Maranhão – UNICEUMA (5º Período/ Turno: Noturno). Curso de Direito do Trabalho. Gustavo Felipe Barbosa. Esp. de Araújo.A ESTABILIDADE ESPECIAL PREVISTA EM NORMAS ESTATAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO Artigo científico apresentado pelo graduando João Marcos Figueiredo Penha ao Curso de Direito do Centro Universitário do Maranhão – UNICEUMA. à Disciplina “Direito do Trabalho II”.com ² GARCIA. ministrada pela Prof. . Iniciação ao direito do trabalho.

portanto. exercendo tal função. 1. o direito do empregador. Processo de eleição dos membros da Cipa 5.² Na lição de Amauri Mascaro Nascimento: Estabilidade é o direito de não ser despedido. segurança. arbitrária. O membro-diretor das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPA) goza dessa prerrogativa. garantia essa protegida constitucionalmente. de stabilire (fazer firme). saúde e segurança no ambiente de trabalho. Estabilidade do Representante da Cipa 4. portanto. Garantia de Emprego.. É a garantia de ficar no emprego. Referências. Funda-se.. RESUMO A garantia no emprego é assegurada ao empregado quem detém determinada qualidade. INTRODUÇÃO Como preleciona Gustavo Felipe Barbosa Garcia “O Direito do Trabalho tem como um de seus princípios essenciais a continuidade da relação de emprego [. perdendo-o unicamente se houver uma causa que justifique a dispensa indicada por lei. ³ 2. Num sentido genérico tem significado de solidez. Palavras-chave: Estabilidade. Destinase a impedir a dispensa imotivada. Conclusão 8. representando o direito de permanecer no emprego”. ¹ . CIPA. Estabilidade 3. Não se pode dizer que exista uma estabilidade absoluta.] Desse modo. passa sofrer a restrição com a estabilidade.SUMÁRIO 1. Aviso prévio e Estabilidade 7. ESTABILIDADE Segundo o professor Sérgio Pinto Martins. tatis. no princípio da causalidade da dispensa. Introdução 2. buscando a qualidade. firmeza. de dispensar o trabalhador. tendo. o motivo de força maior ou outras causas previstas em lei podem determinar o fim do contrato de trabalho. estabilidade vem do latim stabilitas. abusiva. Efeitos da dispensa do representante da Cipa 6. Direito. uma garantia que não irá ser despedido sem justa causa. pois a justa causa.

a. Amauri Mascaro Nascimento. já na garantia de emprego. Assim. ou cessação das atividades da empresa. . naquela o vínculo de emprego só pode cessar por falta grave do empregado ou extinção da atividade da empresa. Direito do Trabalho. Este só poderá despedir o empregado havendo justa causa. ficando vedada a dispensa sem justa causa ou arbitrária. II. força maior que determine a extinção da empresa.Gustavo Felipe Barbosa ensina: Pode-se conceituar a genuína estabilidade como o direito do empregado de permanecer no emprego. Gustavo Felipe Barbosa. restringindo o direito do empregador de dispensá-lo sem justa causa ou de forma arbitrária. é aquela que protege o empregado contra dispensas arbitrárias ou sem justa causa. ² GARCIA. o contrato de trabalho pode terminar por dispensa justificada (ou seja. ³ NASCIMENTO. segundo Amauri Mascaro Nascimento. dispensa não-arbitrária). ESTABILIDADE DO REPRESENTANTE DA CIPA O ADCT da Constituição Federal em seu art. Sérgio Pinto. técnico ou disciplinar. financeiro. só se autorizando a cessação contratual em caso de falta grave. dispõe: Fica vedada à dispensa arbitrária ou sem justa causa: a) do empregado eleito para cargo de direção de comissões internas de prevenção de acidentes. Curso de Direito do Trabalho. enquanto persistir uma situação em que se encontra e que veda a rescisão do contrato de trabalho por ato do empregador. 3. nesta última modalidade. o que pode ocorrer por motivo econômico. Diferencia-se estabilidade de garantia de emprego. ² Estabilidade especial. apenas a despedida arbitrária é vedada. força maior. ________________________ ¹ MARTINS. desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato. Curso de Direito do Trabalho. 10.

4. econômico ou financeiro.Segundo Sérgio Pinto Martins: A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes integra os órgãos de Segurança e Medicina do Trabalho nas empresas. a estabilidade do presidente da CIPA foi elevada em nível constitucional.Os titulares da representação dos empregados nas CIPAs não poderão sofrer despedida arbitrária. segundo Sergio Pinto Martins. 165 . Os representantes dos empregadores. Como vimos acima na Constituição Federal em seu ADCT art. PROCESSO DE ELEIÇÃO DOS MEMBROS DA CIPA Como ensina Gustavo Felipe Barbosa: Cada CIPA será composta de representantes da empresa e dos empregados. nos estabelecimentos ou locais de obra nelas especificadas. ¹ O art. De acordo com art. O objetivo da garantia de emprego do cipeiro . entendendo-se como tal a que não se fundar em motivo disciplinar técnico. 10.214/1978 do Ministério do Trabalho. Sérgio Pinto. serão por eles designados (§ 1º do art. aprovada pela portaria 3. . é que o empregador não venha a prejudicar ou dispensar o trabalhador pelo fato de que este está cuidando de interesses de prevenção de acidentes na empresa. ________________________ ¹ MARTINS. titulares e suplentes. 164). é obrigatória a constituição de CIPA. desagradando ao patrão. Direito do Trabalho. 165 da CLT dispõe claramente sobre a estabilidade dos membros que compõe a CIPA: Art. de conformidade com instruções expedidas pelo Ministério do Trabalho. O tema é regulado pela NR (Norma Regulamentadora) nº5. a. II. 163 da CLT.

serão eleitos em escrutínio secreto.Já os representantes dos empregados. em verdade. porque não se faz distinção quanto a este aspecto no § 2º do art. exclusivamente os empregados interessados (§ 2º do art. Sérgio Pinto. Curso de Direito do Trabalho. Explica Sergio Pinto Martins: O processo de eleição do titular e do suplente da CIPA. O mandato dos membros eleitos da CIPA terá duração de 1 (um) ano. 164). EFEITOS DA DISPENSA DO REPRESENTANTE DA CIPA O Professor Sérgio Pinto Martins ensina que: Ocorrendo a dispensa do trabalhador que era detentor da estabilidade provisória. o Presidente da CIPA e os empregados elegerão. 164 da CLT. durante seu mandato. O empregador designará. independentemente de filiação sindical. A Constituição só faz referência à necessidade de a pessoa ter sido eleita para o cargo de direção. . Direito do Trabalho. entendendo-se como tal a que não se fundar em motivo técnico. irá exercer o cargo de direção. anualmente. o Vice-Presidente (§5º do art. e não no que diz respeito à questão de ser o empregado titular ou suplente da CIPA. 5. disciplinar. permitida um reeleição(§3º). ² ________________________ ¹ GARCIA. é o mesmo. na hipótese de propositura de ação trabalhista pelo obreiro. dentre os seus representantes. ² MARTINS. o empregador. titulares e suplentes. dentre eles. 164). Gustavo Felipe Barbosa. tenha participado de menos da metade do número de reuniões da CIPA” (§4º). Quando o suplente for chamado. Essa limitação a apenas uma reeleição “não se aplicará ao membro suplente que. deverá comprovar que a despedida não foi arbitrária. do qual participem.

Sérgio Pinto. nem há onde reintegrar o empregado. sob pena de ser condenado a reintegrar o empregado ao trabalho (§ único do art. 6. pleiteando reintegração ou indenização referente ao período de estabilidade provisória. mas garantia das atividades dos membros da CIPA. que somente tem razão de ser quando em atividades da empresa. . ² GARCIA.¹ Afirma também Gustavo Felipe Barbosa que. Curso de Direito do Trabalho. ou for incompatível a reintegração (art. Direito do Trabalho. Se por acaso a estabilidade já houver findado. II. sendo impossível a reintegração. aplicado por analogia). não se verifica a despedida arbitrária. É indevida a indenização do período de garantia de emprego (S. Com a extinção do local de trabalho. do TST).econômico ou financeiro. não existe dispensa arbitrária. a determinação legal converte-se de obrigação de fazer em obrigação de pagar: indenização das verbas correspondentes ao período estabilitário. AVISO PRÉVIO E ESTABILIDADE Ensina o ilustre professor Sérgio Pinto Martins: Dado o aviso prévio e sobrevindo durante esse lapso de tempo a garantia de emprego. havendo discordância do empregado quanto à dispensa. Gustavo Felipe Barbosa. 165 da CLT).496 da CLT. Extinto o estabelecimento. hipótese em que caberá ao empregador o ônus de provar a existência dos motivos para a dispensa. tem o empregado direito a tal garantia. ² ________________________ ¹ MARTINS. A estabilidade provisória do cipeiro não constitui vantagem pessoal. 339. caberá a este ajuizar respectiva ação.

visto que está acobertado por aquele direito. A Súmula 348 do TST estabelece que “é invalida a concessão do aviso prévio na fluência da garantia de emprego.9º da CLT) Terminado o tempo da estabilidade é que o trabalhador terá 30 dias para procurar novo emprego. o aviso prévio provoca a ruptura da relação de emprego dentro de 30 dias. Enquanto a estabilidade assegura a permanência do empregado. Sérgio Pinto.Na verdade. sob pena de lesão de direito (art. 7. Quando da garantia de emprego. ante a incompatibilidade dos dois institutos”. CONCLUSÃO O membro-diretor da CIPA goza da garantia de emprego. não violando seu direito de usufruir da garantia de emprego até seu término. o aviso prévio dado ao empregado visa a que ele tenha tempo para procurar o outro emprego. que está prevista constitucionalmente. Direito do Trabalho. . porque é necessária a fruição integral do prazo de estabilidade. buscando uma melhoria na realização dos trabalhos. buscando o cumprimento das normas relativas à segurança do trabalho. Não poderá a empresa conceder o aviso prévio ao membro-diretor da CIPA. não tem o empregado qualquer interesse de procurar outro serviço.¹ ________________________ ¹ MARTINS. o legislador visou assegurar a esses empregados o livre trabalho dentro da empresa. eis que no último dia da garantia de emprego o contrato ainda está em vigor e o empregador somente poderá dar o aviso no dia seguinte.

O objetivo de tal garantia visa que o empregador não venha a prejudicar ou dispensar o trabalhador pelo fato de que este está cuidando de interesses de prevenção de acidentes na empresa 8. 2011. REFERÊNCIAS MARTINS. . 5ª Ed. GARCIA. Sérgio Pinto. 27ª Ed. 2011. Gustavo Felipe Barbosa. Direito do Trabalho. Curso de Direito do Trabalho.

Iniciação ao direito do Trabalho.2011. . Amauri Mascaro Nascimento.NASCIMENTO. Curso de Direito do Trabalho. 6ª Ed. 26ª Ed. 2011. NASCIMENTO. Amauri Mascaro Nascimento.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful