Você está na página 1de 43

CUIDANDO DE PESSOAS COM FERIDAS FECHADAS

Funções da Pele
Proteção;
Sintetizar vitamina D;
Termorregulação;
Percepção;
Exame da Pele:
Coloração e umidade;
Textura e espessura;
Temperatura,
elasticidade;
Mobilidade;
Turgor;
Sensibilidade;
CUIDANDO DE PESSOAS COM FERIDAS
O QUE É FERIDA?

• Toda e qualquer ruptura da


integridade de um tecido ou órgão,
podendo atingir desde a epiderme,
que é a camada mais externa da pele,
até estruturas mais profundas, como
a fáscia, músculos, aponeuroses e
órgãos cavitários.
As feridas podem ser causadas por :
 fatores extrínsecos, como incisão cirúrgica e
lesões acidentais por corte ou trauma,

fatores intrínsecos, como feridas produzidas


por infecção, úlceras crônicas e vasculares,
defeitos metabólicos e neoplasias.
Ferida
•Classificação:

• Estabelece uma linguagem comum para a avaliação da


ferida e sua cicatrização.

• Ajuda a promover avaliações clínicas consistentes.

• Fornece um esquema universal de registro e permite


uma melhor avaliação dos tratamentos.
Ferida
TIPOS:
•Agudas
• São originadas de cirurgias ou traumas e a
reparação ocorre em tempo adequado, sem
complicações.
•Crônicas
• São aquelas que não são reparadas em tempo
esperado e apresentam complicações.
Ferida
•O profissional de saúde deve avaliar:

•A causa da ferida

•Quaisquer condições clínicas subjacentes

•A história da ferida e seu tratamento até


aquela data.
Ferida
•Classificação:

•Causa

•Estado da integridade da pele

•Agente

•Conteúdo microbiano
CLASSIFICAÇÃO DAS LESÕES/FERIDAS

Tipo e descrição Causas Implicações na cicatrização

Estado da integridade da Trauma com objetos afiado Invasão de microrganismo;


pele: ou explosão ( incisão perda de sangue e líquidos,;
Ferida aberta: ruptura da cirúrgica, ferimento a bala) reduz a função de parte do
pele ou membranas corpo)
mucosas.
Parte do corpo recebe um Predispor a hemorragia
Ferida fechada: sem choque com objeto rombo; interna, função reduzida da
ruptura da pele torção, fratura óssea, parte afetada do corpo.
ruptura de víscera.

Causa Incisão cirúrgica Usa se técnica asséptica


Lesão intencional: que minimiza a infecção, as
tratamento bordas geralmente são lisas
e limpas.

Lesão não intencional: Lesão traumática Ocorre sob condições não


ocorre acidentalmente estéreis. As margens da
ferida em geral são
irregulares.
Tipo e descrição Causas Implicações na cicatrização

Gravidade: Resultado de fricção Risco de infecção, não há


Lesão superficial: envolve aplicada na superfície da hemorragias.
apenas a camada pele ( abrasão, queimadura
epidérmica da pele. de 1º grau)

Lesão penetrante: ruptura Instrumento que entra Alto risco de infecção,


da camada epidérmica, profundamente nos tecidos. hemorragias dependendo
derme e tecidos mais do órgão afetado.
profundos ou órgãos.

Lesão pérfuro- Mesmo que a lesão


penetrante/cortante: um penetrante. Alto risco de infecção,
corpo estranho penetra e hemorragias dependendo
sai pelo corpo. do órgão afetado.

Limpeza: Ferida cirúrgica que não Baixo risco de infecção.


Ferida limpa: não contem entra no trato
organismos patogênicos. gastrointestinal, respiratório
ou cavidade orofaríngea.
Tipo e descrição Causas Implicações na cicatrização

Limpeza: Ferida cirúrgica penetrando Risco de infecção maior que


Ferida limpa contaminada: o trato gastrointestinal ou nas feridas limpas.
provocada sob condições respiratório ou a cavidade
assépticas mas envolvendo orofaríngea.
penetração em cavidade do
corpo que abriga
microrganismos.

Ferida contaminada: sob


condições propícias à Feridas abertas,
presença de traumáticas, feridas Tecidos não sadios e
microrganismos. cirúrgicas onde ocorreu apresentando inflamação.
falha nos padrões de Alto risco de infecção.
assepsia.
Ferida infeccionada:
bactérias presentes na Proliferação de
lesão microrganismos. Com sinais de infecção
(inflamação, drenagem
purulenta, separação da
pele)
Tipo e descrição Causas Implicações na cicatrização

Qualidades descritivas: Lesão traumática grave Geralmente causada por


Laceração: ruptura de (faca, maquinário, vidro objeto contaminado, a
tecidos – bordas irregulares. quebrado) profundidade da lesão
determina as complicações.

Escoriação: superficial Dor pela exposição dos


envolvendo esfoladuras ou Resulta por queda, ou por nervos superficiais, risco de
esfregaduras da pele por remoção de cicatriz infecção por superfície
atrito. contaminada.

Contusão: lesão fechada; Grave se houver contusão


causada por um golpe ao Sangramento nos tecidos de órgão interno.
corpo por meio de um subjacentes provocado por Hematoma ou acúmulo de
objeto rombo; contusão ou golpe contra uma parte do sangue.
equimose caracterizadas por corpo.
edema, descoloração e dor
CICATRIZAÇÃO
Cicatrização
• 1a Fase Inflamatória 4 a 6 dias

• 2a Fase Proliferativa 3 a 24 dias

• 3a Fase Remodelação 24 a 1 ano


FISIOLOGIA DA CICATRIZAÇÃO
Fase inflamatória ou Exsudativa
• 48 a 72 hs
• Ativação do sistema de coagulação
• Liberação de mediadores (fator de ativação de
plaquetas, fator de crescimento, serotonina, adrenalina)
• Os capilares se dilatam
• Sinais de inflamação, presença de exsudato.
Fase de Fibroplasia ou proliferativa
• Formação de capilares novos
• Formação de tecido de granulação
• Ocorre a epitelização
• A ferida se apresenta com tecido
vermelho pela presença de novos
capilares
Fase de contração, maturação ou remodelação
• Ocorre a cicatrização pelos fibroblastos
• Os capilares e brotos endoteliais se desaparecem e a
cicatriz se contrai
• Novo tecido é branco rosado
LESÃO POR PRESSÃO

• Áreas localizadas de necrose tissular que tendem a se


desenvolver quando tecidos moles são comprimidos
entre uma proeminência óssea e uma superfície
externa por longo período (BRYANT, 1992).
DEISCÊNCIA

• Significa o rompimento ou abertura, total ou


parcial, de uma ferida que está cicatrizando
por primeira intenção.

• A deiscência completa envolve a evisceração

20
DEISCÊNCIA - CUIDADOS
• Se a ferida cirúrgica começa a se abrir, deve-se identificar a causa potencial e,
se possível, corrigi-la.

• A ferida deve ser cuidadosamente avaliada em busca de indícios de infecção.

• A maioria das feridas é tratado de modo conservador, permitindo que


cicatrizem por granulação e contração (segunda intenção).

21
Tipos de Cicatrização

• Primeira intenção: ocorre quando há perda mínima


de tecido e as bordas são passíveis de ajuste por
sutura. Utilizado curativo apenas para proteção;

• Segunda intenção: ocorre quando há perda


acentuada do tecido e não há possibilidade de
fechamento das bordas. O tempo de cicatrização
será superior.
Tipos de Cicatrização

• Terceira intenção: ocorre quando há


fatores que retardam o processo
cicatricial por primeira intenção e há
necessidade de deixar a lesão aberta
para drenagem ou para debelar uma
infecção.
 Posteriormente ao tratamento a lesão
poderá ser fechada por primeira
intenção.
Tipos de Cicatrização

• Primária (1ª intenção)

• Fechamento primário
retardado (3ª intenção)

• Secundária (2ª intenção)


OS FATORES QUE AFETAM A CICATRIZAÇÃO NORMAL SÃO:

• Idade - quanto mais idoso, menos flexíveis são os tecidos; existe


diminuição progressiva do colágeno.

• Nutrição - está bem estabelecida a relação entre a cicatrização ideal


e um balanço nutricional adequado.

• Estado imunológico - a ausência de leucócitos, pelo retardo da


fagocitose e da lise de restos celulares, prolonga a fase inflamatória e
predispõe à infecção; pela ausência de monócitos a formação de
fibroblastos é deficitária.

• Oxigenação - a anóxia leva à síntese de colágeno pouco estável, com


formação de fibras de menor força mecânica.

• Diabetes - A síntese do colágeno está diminuída na deficiência de


insulina; devido à microangiopatia cutânea, há uma piora na
oxigenação; a infecção das feridas é preocupante nessas pacientes.
OS FATORES QUE AFETAM A CICATRIZAÇÃO NORMAL SÃO:

Drogas - As que influenciam sobremaneira são os esteróides, pois pelo efeito


anti-inflamatório retardam e alteram a cicatrização.

Quimioterapia - Levam à neutropenia, predispondo à infecção; inibem a fase


inflamatória inicial da cicatrização e interferem nas mitoses celulares e na síntese
protêica.

Irradiação - Leva à arterite obliterante local, com consequente hipóxia tecidual;


há diminuição dos fibroblastos com menor produção de colágeno.

Tabagismo - A nicotina é um vasoconstrictor, levando à isquemia tissular, sendo


também responsável por uma diminuição de fibroblastos e macrófagos. O
monóxido de carbono diminui o transporte e o metabolismo do oxigênio.
Clinicamente observa-se cicatrização mais lenta em fumantes.

Hemorragia - O acúmulo de sangue cria espaços mortos que interferem com a


cicatrização.
AO AVALIAR UMA FERIDA - O ENFERMEIRO

1.Avalia o tecido tegumentar (avaliação clinica/anamnese)

2.Identifica o problema Integridade da pele prejudicada

3.Traça o diagnóstico

• Integridade da pele prejudicada evidenciada pela ferida


cirúrgica na região do hipocôndrio direito com 15 pontos
relacionado a intervenção cirúrgica de colecistectomia;
27

• Integridade da pele prejudicada evidenciada pela…


finalidades do tratamento das feridas são:
- evitar a contaminação das feridas limpas;
- reduzir a infecção das lesões contaminadas;
- facilitar a cicatrização
- remover as secreções
- promover a hemostasia
- facilitar a drenagem
- proteger a ferida
- aliviar a dor
CURATIVOS
• É um meio terapêutico que consiste na limpeza e
aplicação de uma cobertura estéril em uma
ferida, quando necessário, com a finalidade de
promover a rápida cicatrização e prevenir a
contaminação ou infecção.

29
Curativo
• O Tipo de curativo a ser realizado varia de acordo com
a natureza, a localização e o tamanho da ferida.
• Em alguns casos é necessária uma compressão, em
outros lavagem exaustiva com solução fisiológica e
outros exigem imobilização com ataduras.
• Nos curativos em orifícios de drenagem de fístulas
entéricas a proteção da pele sã em torno da lesão é o
objetivo principal.
Curativo
• Curativo semi-oclusivo: Este tipo de curativo é
absorvente, e comumente utilizado em feridas
cirúrgicas, drenos, feridas exsudativas, absorvendo o
exsudato e isolando-o da pele adjacente saudável.

Curativo oclusivo: não permite a entrada de ar ou


fluídos, atua como barreira mecânica, impede a perda
de fluídos, promove isolamento térmico, veda a
ferida, a fim de impedir enfisema, e formação de
crosta.
Curativo
• Curativo compressivo: Utilizado para reduzir o fluxo
sanguíneo, promover a estase e ajudar na
aproximação das extremidades da lesão.

Curativos abertos: São realizados em ferimentos que


não há necessidade de serem ocluídos. Feridas
cirúrgicas limpas após 24 horas, cortes pequenos,
suturas, escoriações, etc, são exemplos deste tipo de
curativo.
Cuidando da ferida
O QUE REGISTRAR (ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTO DE
FERIDAS?

• Horário
• Tipo de ferida
• Local da ferida (local anatômico)
• Característica da ferida: fase de cicatrização
descrevendo o que é observado
• Tipo de curativo realizado
• Produtos utilizados na limpeza e no tratamento da
ferida; 35

• Assinatura
RETIRADA DE PONTOS

INDICAÇÃO:
A retirada de pontos é feita geralmente no sétimo dia após a
cirurgia ou nos dias posteriores.

Material necessário:
- Pinça anatômica
- Tesoura
- Bisturi ou gilete
- Gaze
- Produtos para limpeza e tratamento da lesão
- Esparadrapo
- Saco plástico
36
RETIRADA DE PONTOS

Procedimento
Observar as condições da ferida
Observar o tipo de sutura
Limpar a incisão /local dos pontos – com soro
fisiológico ou aplicar anti-séptico
Retirar pontos alternados e se não houver
problemas retirar o restante
Anotar no prontuário: o numero de retiradas de
pontos , a característica da ferida/ incisão cirúrgica.

37
TIPOS DE FIO DE SUTURA
FIOS ABSORVIVEIS
ORIGEM EXEMPLOS

ANIMAL Catgut Simples*


Catgut Cromado*

SINTETICO Dexon®* - Ácido Poliglicólico


Vicryl®* - Ácido Pligalactil
Polivicryl®*

Fio categute
(submucosa do
intestino delgado
de ovinos ou da
camada serosa do
intestino del-gado
de bovinos ) 38
TIPOS DE FIO DE SUTURA
FIOS INABSORVIVEIS
ORIGEM EXEMPLOS
Animal (seda) Cirúrgica®
Isencap®
Anacap®
Sutupak®*
Algodão
Vegetal Linho
Aço Inoxidável: Monicrom®;
Metálica Flexon®
Poliamida (nylon): Mononylon®*
Sintetica Multinylon®
Propileno: Prolene®*
Poliéster: Mersilene®*
Dacron®
Poliéster Impregnado: Ethiflex®
Ethibond®
Perlon: Supramid®

39
TIPOS DE SUTURA

Sutura continua
Sutura interrompida em “ Sutura Interrompida –
X” Donatti

Sutura simples
interrompida Sutura
continua –
de Kurschner
40
TIPOS DE SUTURAS

Sutura de colcheiro ou “ U”
Sutura continua de continua
Lembert - sero-
muscular

Sutura intradérmica
ou subcutânea

41
Bora lá?!!

42
Referências Bibliográficas

GRUPO DE ESTUDOS DE FERIDAS – UNICAMP. Manual


de tratamento de feridas, 1999, 79p.
JARVIS, C. Exame físico e avaliação de saúde. 3. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara-Koogan, 2002.
PORTO, C. C. Exame clínico: bases para a prática médica. 5.
ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2004.
POTTER, P. A.; PERRY, A. G. Fundamentos de enfermagem.
5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2004.