Você está na página 1de 14

A Acção Humana e os

Valores Estéticos
• A Experiência e o Juízo
Estético
• A Criação Artística e a
Obra de Arte
• A Arte – produção e
consumo, comunicação e
conhecimento
• A Apreciação de uma
Obra de Arte – pintura e
música.

1
Avaliação
Dois trabalhos:
1. Sobre uma pintura (apresentação
escrita)
• Pintor Português
• De qualquer época
• Estrutura:
A. Biografia – vida e obra ( 20 linhas)
B. Selecção de uma pintura e interpretação
da mesma (porque escolheu, o que lhe
agrada – o tema, as cores, a conjugação
entre elementos, o que lhe faz lembrar , a
ligação a outras pinturas do mesmo pintor
ou de outro…. ( s/limites de linhas)
2. Sobre uma música ( apresentação oral e
escrita)
• Compositor de todas as nacionalidades
• Anterior ao século XIX
• Estrutura : Biografia (20 linhas)/Obra (20
linhas) e análise crítica.
2
Estética = Teoria sobre a Arte.

Crítica de Arte = que interpreta


as obras individuais
História de Arte = que analisa
e regista a evolução da arte

• Etimologicamente o termo estética significa


sensação remetendo para uma experiência
sensível. O objecto torna-se estético quando é
capaz de despertar ou estimular a nossa
sensibilidade e provocar uma emoção.
• A dimensão sensorial e emocional desta
experiência sobrepõe-se aos elementos cognitivos
e racionais , mas isto não significa que não seja
exigida um certo tipo de compreensão do seu
significado.
• A atitude estética é uma atitude valorativa e
consiste na capacidade , própria de qualquer ser
humano , de reagir de um certo modo perante
determinadas formas , naturais ou artísticas ,
experimentando um sentimento de bem-estar e de
prazer estético

3
A Experiência Estética pode surgir :

Desencadeada
pela própria natureza Ser experimentada
pelo artista
enquanto criador de
uma obra de arte
Ser sentida por todos
Nós sempre
que contemplamos
uma obra de arte

Esta experiência é sempre pessoal e subjectiva.


Quando contemplamos é também , de certa forma,
uma criação, ou melhor, uma recriação do
significado que um determinado objecto artístico
pode ter para nós , pois esse significado resulta do
diálogo entre o espectador/ouvinte/leitor e a obra,
sendo determinado pelas características formais
desta e, simultaneamente, pela sensibilidade,
personalidade, experiência e cultura daquele.

4
A Beleza é uma das categorias estéticas
fundamentais. Definida como a qualidade que
nos faz preferir um determinado objecto e julgá-lo
esteticamente valioso.

• A beleza somos nós que reconhecemos e


sem uma subjectividade não haverá lugar para
tais valorações:
• Há em todos nós um sentimento do que seja
a beleza, embora muitas vezes tenhamos
dificuldade em defini-la objectiva e
rigorosamente:
• Todos sabemos por experiência própria que
esse sentimento se vai alterando ao longo da
nossa vida ao sabor das mudanças de
personalidade, mas também , e principalmente,
por influência das modas e da pressão social:
•O conceito de beleza varia de povo para povo
e de cultura para cultura, não sendo o mesmo
padrão a vigorar por exemplo no mundo
ocidental e nos povos orientais.

5
6
José Malhoa ( 1855-1933)

Clara
1918, óleo sobre tela
244 x 134 cm
Museu do Chiado (D)

7
Manuel Jardim (1883-
1923)

"La Femme à
l’Eventail"
c. 1919, óleo sobre
tela
168 x 90cm
Museu de Machado
de Castro (D)

8
António Dacosta
Amor Jacente
1941, Óleo sobre tela
col. José-Augusto França
r.mg pag 68

9
A criação artística e a obra de arte
O que é próprio e específico da arte ? Que
atributos permitem definir a arte ?

A beleza faz parte das finalidades possíveis da arte,


mas não basta para a definir.
1. Pode ser um modo de expressar sentimentos –
a preocupação do pintor não é reproduzir a
Natureza; é antes expressar na pintura as suas
emoções através do modo como recria e transfigura
os elementos naturais constitutivos da paisagem.
• A imaginação será a faculdade que desempenha
um papel essencial.
1.1. O artista não representa as coisas tal como são
em si mesmas, mas o modo como as vê, como as
imagina, ou como gostaria que fossem. A pintura e
a música são formas de interpretação e
transfiguração.
1.2. A arte assim entendida pode contribuir para
esclarecer e enriquecer a nossa experiência, ao
tornar-nos sensivelmente mais conscientes do que
ela contém.
1.3. Proporciona-nos como forma de criação
imaginativa e fonte de agrado e de prazer
determinado tipo de emoções – emoções estéticas.
10
A arte é fundamentalmente uma
actividade criadora:
1. O Homem sente necessidade de criar para
si próprio um mundo válido e pleno de
significado:
2. Intensifica e projecta em formas mais
permanentes todas as partes mais preciosas
da sua experiência que, de outra forma,
desapareceriam da sua consciência:
3. Reordena, reflecte e representa a sua
experiência
4. Aquilo que viu, sentiu, pensou e imaginou
parece-lhe importante transmiti-lo, por
intermédio de uma linguagem comum de
símbolos e formas ( pintura, escultura, música,
arquitectura, literatura …)
5. Através da arte, o artista comunica
conflitos, as contradições, as carências ou as
conquistas do seu tempo, transformando,
assim, a obra de arte num veículo de crítica e
de denuncia ou de exaltação e propaganda
ideológica.

11
O que faz com que determinado objecto
possa ser considerado uma obra de
arte ?

Para outros, o estatuto da


Para uns por exemplo
obra de arte é conferido
no caso da pintura é
institucionalmente. São
uma certa combinação
os membros do mundo da
de cores e texturas que
arte , os proprietários das
produzem aquilo a que
galerias, os directores de
se chama forma
museus, os editores, os
significante capaz de
produtores, os críticos de
desencadear no
arte e os artistas que
espectador uma emoção
conferem o estatuto de
estética
obra de arte.

O que faz com que uma obra de arte seja


considerada como tal é a sua originalidade
e autenticidade. Esses são dois aspectos
relevantes.

12
A Arte: produção e consumo,
comunicação e conhecimento

A arte é multidimencional e pode ser abordada sob


diferentes perspectivas, todas complementares entre
si e impossíveis de separar:
1.Como produção humana, autêntica e original,
reflexo da personalidade do artista (abordagem
psicológica):
2.Como reflexo da sociedade, traduzindo de certo
modo a identidade cultural de um povo e de uma
cultura (abordagem sociológica):
3.Como expressão de novos modos de ver e de dar
sentido à realidade, esclarecendo e enriquecendo a
nossa experiência na medida em que contribui para a
desocultação e revelação do ser das coisas
(abordagem ontológica):
4.Como produto da actividade humana ao qual se
confere, para além do valor estético, valor
económico e se trata como uma mercadoria numa
sociedade em que o consumo e a industrialização se
estendeu também à cultura e ao mundo da arte:
5.Como uma forma de comunicação ou como uma
linguagem.

13
14