Você está na página 1de 16

PLANO DE AÇÃO SOBRE O TESTE DE SONDAGEM

DO SOMA

FRANCINILDO
ADNA
FABÍOLA
FRANCINARA
INTRODUÇÃO
 A ação da Escola Estadual Milton Lucio da Silva
predomina-se em um trabalho onde a participação e
integração da comunidade escolar com o corpo
técnico- administrativo e pedagógico, aliada a uma
dinâmica ativa e coerente buscando resultados cujas
linhas norteadoras corroborarão para um
desenvolvimento eficaz em todo fazer pedagógico da
instituição, com objetivo de sanar o déficit de
aprendizagem detectado nas turmas de segundo e
terceiro ano através do teste de sondagem do Programa
SOMA.
JUSTIFICATIVA:

 A dinâmica do processo didático e do conhecimento que se


ensina, aprende e (re) constrói na escola, solicita do corpo
técnico- administrativo e pedagógico que incentive e
promova o hábito de estudos, leituras e discussões coletivas
de textos, tanto os que trazem subsídios aos conteúdos
específicos, quanto os que ampliam e aprofundam bases,
encaminhamentos e concepções do ato educativo de
ensinar e aprender, os valores, costumes, crenças, respeito e
etc., que caracteriza a especificidade da escola e do
conhecimento que deve ser garantido. Sendo assim, a
função e/ou a “missão” da escola, requer então uma ampla e
bem apoiada visão dos fundamentos, princípios e conceitos
do processo didático.
 Propiciando o desenvolvimento do currículo da escola,
visando melhor e mais eficiente desempenho do
trabalho didático-pedagógico e, obviamente, a
melhoria da qualidade do processo de ensino-
aprendizagem, tem o presente plano a função de
orientar e avaliar todas as atividades do corpo docente,
dinamizando, facilitando e esclarecendo a atuação da
Escola, junto ao docente e discente.
 Este plano é flexível e poderá acontecer ajustes de
acordo com as necessidades reais da escola e de toda a
clientela nela atendida.
OBJETIVO GERAL

 O trabalho da Escola visa traduzir o novo processo


pedagógico em curso na sociedade globalizada,
considerando os temas transversais, e promover uma
maior participação e interação entre a escola e as
famílias, tendo como foco principal, o melhoramento
no processo de ensino-aprendizagem, sendo assim,
necessárias articulações para construir alternativas que
ponham a educação a serviço do desenvolvimento de
relações verdadeiramente democráticas, oferecendo a
comunidade escolar uma educação com qualidade, no
intuito de formar cidadãos críticos, reflexivos.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Elaborar o plano de ação pedagógica;


 Aumentar a frequência dos pais e família na Escola,
inclusive nas reuniões;
 Promover ações que possam assegurar uma gestão de
qualidade e democrática;
 Promover reuniões com os professores e demais
funcionários da escola;
 Identificar constantemente quais as prioridades das turmas
e professores para prestar-lhes um melhor atendimento;
 Detectar constantemente as deficiências na aprendizagem;
 Promover o aumento do rendimento escolar qualitativa e
quantitativamente.
METODOLOGIA DE TRABALHO DA
ESCOLA

O método da Escola é simples, dinâmico, democrático,


cooperador e de acordo com as necessidades
apresentadas, colaborando com os professores na
procura de meios e fins para melhor aprendizagem e
formando um polinômio indispensável: Escola-aluno-
professor-comunidade, sempre priorizando a Filosofia
Educacional como forma de organização para atingir os
objetivos e procurando obter adesão e colaboração de
todos os elementos, desenvolvendo assim, um
verdadeiro trabalho de equipe.
QUADRO DEMONSTRATIVO DA
REALIDADE DA ESCOLA:
Problema Resultado a Ser Ação Cronograma Responsável
Detectado atingido
Alunos no nível Migrar para os Trabalhar com jogos, Durante os meses Professores das turmas
silábico sem valor próximos níveis de com musicas, com, de outubro, trabalhadas
sonoro e silábico leitura e de escrita fantoche, com novembro e
com valor sonoro dramatização, com dezembro de 2018
teatro, com roda de
leitura, com concurso
de leitura e de escrita
Desinteresse por Melhorar o interesse Despertar o interesse Durante os meses Toda escola
parte do aluno e da das famílias e dos dos alunos e da família de outubro,
família. alunos a participarem nas novembro e
atividades escolares dezembro de 2018
Falta da presença e Esperamos resgatar a Promover reuniões, Durante os meses Comunidade escolar
participação dos pais assiduidade dos pais palestras, com de outubro, em geral
ou responsáveis na ou responsáveis dos profissionais de novembro e
escola e inclusive nasalunos na escola e em diversas áreas, para dezembro de 2018
reuniões da escola reuniões estimular a
participação dos pais
e/ou responsáveis na
vida escolar do filho
Déficit de atenção Atrair a atenção dos Atividades lúdicas e Durante os meses Professores das turmas
por parte dos alunos alunos nas atividades dinamizadas de outubro, trabalhadas
trabalhadas novembro e
dezembro de 2018
NÍVEIS DE ESCRITA
 Pré – silábico;
 Silábico sem valor sonoro
 Silábico com valor sonoro
 Silábico – alfabético
 Alfabético
NÍVEL PRÉ-SILÁBICO
 Reconhecem que as letras desempenham um papel na escrita. Compreendem
que somente com as letras é possível escrever;
 As crianças acreditam que para poder ler não podem haver duas letras iguais,
uma ao lado da outra;
 A vinculação com a pronúncia ainda não é percebida;
 A ordem das letras na palavra não é importante;
 A escrita das palavras não é estável;
 Para que seja possível ler ou escrever uma palavra, torna-se necessária uma
variedade de caracteres gráficos;
 As crianças de modo geral, exigem um mínimo de três letras para ler ou
escrever uma palavra;
 Relaciona a escrita do nome dos objetos com o tamanho dos mesmos, coisas
grandes (nomes grandes), coisas pequenas(nomes pequenos);
 Utiliza letras do próprio nome ou letras e números na mesma palavra;
 Só a criança sabe o que quis escrever;
NÍVEL SILÁBICO SEM VALOR
SONORO
 A criança percebe que é possível representar
graficamente a linguagem oral;
 Conhecimento limitado das letras do alfabeto e de sua
forma gráfica;
 Utiliza-se de letras que podem não representar os
respectivos sons;
 Após escrever uma palavra acrescenta mais letras;
 Ainda nesta fase, pode escrever uma frase utilizando
uma letra para cada palavra;
SILÁBICO COM VALOR SONORO
 Conhecimento da maioria das letras do alfabeto e de
sua forma gráfica.
 Tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras;
 Ainda acontece de escrever uma palavra e acrescentar
mais letras;
 Também é possível que que escrevam uma frase
utilizando uma letra para cada palavra;
NÍVEL SILÁBICO-ALFABÉTICO
 A criança descobre que a sílaba não pode ser considerada como
unidade, mas que ela é composta por elementos menores – as
letras.
 Procura acrescentar letras à escrita da fase anterior (silábica);
 Grafa algumas letras completas e outras incompletas (com uma
só letra por sílaba). Usa as hipóteses dos níveis silábico e silábico-
alfabético ao mesmo tempo;
 Nesta fase a criança inicia a leitura independente de textos,
palavras, dos livrinhos de literatura, entre outros portadores de
textos;
 As crianças tem dificuldades na leitura e escrita de palavras que
são iniciadas por vogais. Como saída, elas podem fazer a inversão
das letras tanto na leitura como na escrita;
NÍVEL ALFABÉTICO
 Compreende que a escrita tem uma função social: a comunicação;
 A criança consegue estabelecer uma vinculação mais coerente entre leitura e
escrita;
 Ela concentra-se na sílaba para escrever;
 Surge a adequação do escrito ao sonoro;
 As unidades linguísticas (palavras, sílabas, letras) são tradas como categorias
estáveis (antes não tinham para a criança nenhuma relação entre si);
 Escreve do jeito que fala (presença da oralidade na escrita);
- Leitura com imagem ou sem imagem;
 Surgem os problemas relativos à ortografia.
 Pode ainda não separar todas as palavras nas frases;
 As crianças atingem a hipótese alfabética quando compreendem que, na
escrita, as letras combinadas representam os sons da fala e que a escrita
obedece regras convencionadas socialmente. Alfabetizaram-se..
CONCLUSÃO:

 O alcance dos objetivos deste plano, a melhoria do processo


ensino-aprendizagem não dependem somente da atuação
do coordenador Pedagógico, mas também, do apoio da
Direção da Escola, da aceitação e esmero dos professores,
do desempenho dos demais funcionários do
estabelecimento, do interesse dos educando, Secretaria
estadual de Educação e ainda, do auxílio dos responsáveis
pelos alunos desta instituição.
 Portanto, precisamos conquistar a confiança de todos como
fruto do bom desempenho de nosso trabalho, para que
possamos trabalhar sob um clima completamente familiar,
proporcionando assim, maior intercâmbio entre escola-
comunidade. Somente assim teremos êxito nesta grande
batalha para atingir os nossos objetivos.
OBRIGADO PELA
ATENÇÃO DE
TODOS