Você está na página 1de 15

Evaporadores Simples

Efeito

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios
Uma solução de coloides orgânicos em água é concentrada de 10 para 50% em sólidos em um evaporador
de simples efeito. O vapor utilizado no aquecimento está disponível a uma pressão manométrica de 1,03
atm a 120,5 °C (λs = 2200 kJ/kg). Uma pressão absoluta de 102 mmHg é mantida na região de vapor da
solução, o que corresponde a uma temperatura de ebulição de 51,7 °C (λ = 2380 kJ/kg). O fluxo de
alimentação da solução é 24950 kg/h. O coeficiente global de transferência de calor pode ser considerado
de 2800 W/(m².°C). A elevação ebulioscópica e o calor de diluição da solução podem ser considerados
insignificantes. Calcule o consumo de vapor, a economia de vapor e a superfície de transferência
requerida se a temperatura da alimentação for:
a) 51,7 °C
b) 21,1 °C
c) 93,3 °C.
O calor de vaporização da solução na alimentação é 3,770 kJ/(kg.°C)

Conceitos
Elevação ebulioscópica insignificante – Não há aumento da Temperatura de ebulição com o aumento da concentração
Calor de diluição insignificante – Permite realizar o balanço de energia pela soma do calor existente na solução (qV) mais
o calor responsável pela evaporação (qV). Aplicável a maioria das soluções diluídas e de concentração moderada (Açucar,
sal, polpa celulose em água) Fórmula: q = qF + qV
Economia de vapor – É uma relação entre quantidade de vapor gerado pelo evaporador (Vapor Secundário - mV) e vapor
injetado no trocador de calor (Vapor Primário - mS)

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
1. Realizar o Balanço Geral de Massa do Evaporador
S
mF = mL + mV (TS , hS) C
(TC , hC )

24950 = mL + mV
L
(T1 , hL , xL)

2. Realizar o Balanço de Massa por Componente – Base


Soluto (Colóides orgânicos)
0 Dados:
F = 24950 kg/h
mF . x F = m L . x L + m V . x V xF = 0,1
xL = 0,5
24950 . 0,1 = mL . 0,5

mL = 4990 kg/h Já possuímos a quantidade


Geração de de Vapor Gerado (V).
mV = 24950 – 4990
Vapor Agora falta quanto de
mV = 19960 kg/h Vapor Injetado (S) no
evaporador.

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
3. Realizar o Balanço Geral de Energia do Evaporador para o
Volume de Controle da Solução - F
S
Para sistemas com calor de diluição negligenciáveis: (TS , hS) C
(TC , hC )
q = qF + qV
Considerando calor específico constante ao longo da L
(T1 , hL , xL)
temperatura:
qF = mF . cPF (TEb – TF)
Conceito:
E também: Ácido Sulfúrico, NaOH, HCl, especialmente
em soluções concentradas, possuem calor
q V = mV . λ V de diluição considerável. Calor adicional é
requerido além do calor latente de
Onde: vaporização.
q = Fluxo de Calor transferido para a solução alimentada
qF = Fluxo de Calor transferido para mudar a temperatura de TF para a Temperatura de Ebulição (T)
TF = Temperatura de alimentação
Teb = Temperatura de Ebulição
qV = Fluxo de Calor transferido responsável por cumprir a evaporação
CP = Calor específico da solução alimentada no evaporador
F
λV = Calor Latente de Vaporização da solução alimentada no evaporador
Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado
Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
3. Realizar o Balanço Geral de Energia do Evaporador para o
Volume de Controle da Solução - F
S
Logo (TS , hS) C
(TC , hC )
q = mV . λV + mF . cP (TEb – TF)
F
L
(T1 , hL , xL)
Quantidade de Energia
necessária para aquecer a
solução de TF até a
temperatura de ebulição TEb .

Quantidade de Energia
necessária para Evaporar a
solução.

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
4. Realizar o Balanço Geral de Energia do Evaporador
Volume de Controle da Linha de Vapor do Trocador – S.
S
qS = mS . (hc- hs) = mS . λS (TS , hS) C
(TC , hC )

Quantidade de Energia
Transferida do Vapor L
(T1 , hL , xL)
sobreaquecido para os tubos
do Trocador (superfície de
aquecimento).
(Saida – Entrada)

Onde:
qS = Fluxo de Calor transferido do Vapor para a superfície de
aquecimento
hc = Entalpia do Condensado
hs = Entalpia do Vapor
λS = Calor Latente de Condensação
Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado
Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
4. Realizar o Balanço Geral de Energia do Evaporador
Volume de Controle da Linha de Vapor do Trocador – S.
S
qS = mS . (hc- hs) = mS . λS (TS , hS) C
(TC , hC )

Quantidade de Energia necessária para condensar o


vapor do trocador, considerando que o vapor entra L
(T1 , hL , xL)
sobreaquecido e sai subresfriado abaixo do ponto de
ebulição. Entretanto, ambos sobreaquecimentos e
subresfriamentos são considerados pequenos e
negligenciáveis.
Essa energia também é a transferida para os tubos do
Trocador de calor.

Onde:
qS = Fluxo de Calor transferido do Vapor para a superfície de
aquecimento
hc = Entalpia do Condensado
hs = Entalpia do Vapor
λS = Calor Latente de Condensação
Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado
Exercícios
5. Igualar os fluxos de Transferência de Calor q e qS

Letra a) TF= 51,7 °C


Desprezando as perdas de calor, o calor
q = qS transferido do vapor para os tubos do
Trocador é igual ao calor transferido dos
tubos para a solução.
Logo
mS . λS = mV . λV + mF . cP (TEb – TF)
F

Rearranjando:

mS = { mV . hV + mF . [cPF (T – TF) ] } / λs

Substituindo:
Agora possuímos a
mS = { 19960 . 2380 + 24950 . [3,770 (51,7 – 51,7) ] } / 2200 quantidade de Vapor
Consumo de
Gerado (V) e o Vapor
mS = 21593,1 kg/h Vapor
Injetado (S) no evaporador.

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
6. Calcular a economia

Economia = mV / mS = 19960 / 21593,1 S


(TS , hS) C
(TC , hC )
Economia = 0,924
7. Calcular a área necessária para Transferência de Calor L
(T1 , hL , xL)
qS = mS . λS = 21593,1 kg/h . 2200 kJ/kg

qS = 47504800 kJ/h  qS = 13195778 W (J/s)


q = U.A. (TS - TEb)

Conversão de Unidade
Rearranjo

A = q / [U. (TS - TEb)]

A = 13195722/ [2800*(120,5-51,7)
Conceitos
A = 68,50
Evaporadores m² são utilizados quando o vapor para alimentar o trocador de calor já está disponível. Quando
simples
vapor é necessário produzir para troca térmica, é preferível o uso de Evaporadores Múltiplos Efeitos

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
8. Repetir de 3-7 para letras b e c

Letra b) TF= 21,1 °C S


C
(TS , hS)
(TC , hC )
mS = { 19960 . 2380 + 24950 . [3,770 (51,7 – 21,1) ] } / 2200
L
mS = 22901,4 kg/h (T1 , hL , xL)

Economia = 19960 / 21901,4


Economia = 0,87
qS = mS . λS = 21901,4 kg/h . 2200 kJ/kg

qS = 50383082 kJ/h  qS = 13995300 W (J/s)


A = 13995300/ [2800*(120,5-51,7)
A = 72,65 m²

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios F
V
(T1 , hV)

(TF , hF , xF)
5. Repetir de 3-7 para letras b e c

Letra c) TF= 93,3 °C S


C
(TS , hS)
(TC , hC )
mS = { 19960 . 2380 + 24950 . [3,770 (51,7 – 93,3) ] } / 2200
L
mS = 19814,5 kg/h (T1 , hL , xL)

Economia = 19960 / 19814,5


Economia = 1,01
qS = mS . λS = 19814,5 kg/h . 2200 kJ/kg

qS = 43591841 kJ/h  qS = 12108845 W (J/s)


A = 13995300/ [2800*(120,5-51,7)
A = 62,86 m²

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios
Resumo
TF (°C) mS Economia qS (MW) A (m²)
Menor que a TEb 21,1 22901,4 0,87 13,99 72,65
Temperatura de Ebulição (TEb) 51,7 21593,1 0,924 13,19 68,49
Maior que a TEb 93,3 19814,5 1,01 12,11 62,86

V
(T1 , hV)
F
(TF , hF , xF)

S
(TS , hS) C
Conceitos (TC , hC )
Quando a temperatura de alimentação é menor que a temperatura de
ebuilição, uma fração da energia disponível pelo vapor é direcionada L
para aquecimento da solução. (T1 , hL , xL)
Quando essas temperaturas são iguais, ocorre a evaporação Flash

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios
Resumo
TF (°C) mS Economia qS (MW) A (m²)
Menor que a TEb 21,1 22901,4 0,87 13,99 72,65
Temperatura de Ebulição (TEb) 51,7 21593,1 0,924 13,19 68,49
Maior que a TEb 93,3 19814,5 1,01 12,11 62,86

Economia de Vapor Injetado (S) V


(T1 , hV)
F
mS = (1,01 – 0,87) . mV (TF , hF , xF)

mS = (1,01 – 0,87) . 19960 S


Vapor Injetado (S) economizado (TS , hS) C
quando a temperatura de (TC , hC )
mS =2794,4 kg/h alimentação aumenta de 21,1 °C
para 93,3 °C
L
(T1 , hL , xL)

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Semi-presencial
Uma solução de coloides orgânicos em água é concentrada de 20 para 70% em sólidos em um evaporador
de simples efeito. O vapor utilizado no aquecimento está disponível a uma pressão manométrica de 1,03
atm a 120,5 °C (λs = 2200 kJ/kg). Uma pressão absoluta de 102 mmHg é mantida na região de vapor da
solução, o que corresponde a uma temperatura de ebulição de 65,0 °C (λ F = 2380 kJ/kg). O fluxo de
alimentação da solução é 22000 kg/h. O coeficiente global de transferência de calor pode ser considerado
de 2500 W/(m².°C). A elevação ebulioscópica e o calor de diluição da solução podem ser considerados
insignificantes. Calcule o consumo de vapor, a economia de vapor e a superfície de transferência
requerida se a temperatura da alimentação for:
a) 65,0 °C
b) 19,0 °C
c) 105,0 °C.
O calor de vaporização da solução na alimentação é 3,400 kJ/(kg.°C)

Exercício para entregar na G1


Seguir os passos do exercício
anterior e checar com as respostas
no próximo slide.

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado


Exercícios
Resposta
TF (°C) mS Economia qS (MW) A (m²)
Menor que a TEb 19,0 18564,0 0,846 11,34 81,76
Temperatura de Ebulição (TEb) 65,0 17000,0 0,924 10,39 74,87
Maior que a TEb 105,0 15640,0 1,00 9,56 68,88

V
(T1 , hV)
F
(TF , hF , xF)

S
(TS , hS) C
(TC , hC )

L
(T1 , hL , xL)

Operações Unitárias – D – Aula 3 Prof. Felipe D. Machado