Você está na página 1de 88

Antonio Jaques de Matos

Arte
Filosófica

2008
Introdução

A presente obra culmina nosso esforço intelectual por estudar,


refletir e construir uma doutrina filosófica inédita, quer se aproxime
de uma verdade definitiva ou não.

Levamos muito à sério a tese nietzschiniana de que o homem


científico é a continuação do homem estético e o homem estético,
perguntamos? É a continuação do homem filosófico!
Assim, uma vez superada a tarefa de filosofar, é hora de interagir no
mundo, ou por meio da arte, ou por meio da ciência, ou por meio de
ambas.

O leitor observará no decorrer da obra que não há textos s[o


imagens. É assim que conhecemos a essência das coisas e que,
infelizmente, aqueles doutores que poluam as universidades e se
denominam amigos da sabedoria, não compreenderam a sétima carta
de Platão: “nenhum símbolo gráfico, nem palavra pode nos mostrar
a essência das coisas”. A essência é pensada, não vista pela retina.

Uma última questão: o título da obra não poderia ser outro. Supor
“Filosofia da arte”, consistiria em um gigantesco engano, pois não se
tira o todo da parte. Não entendo por que Hegel, entre outros,
cometeu tal engano!

Em vez de desejar boa leitura, desejo boa visada!


Alma e corpo, água e óleo
Psicologia
Vida
Alma como vento sutil: só um furacão nos move
Psicanálise: confessionário moderno
O que somos?
Consciência
Deus ou nós
Universo
Com os olhos fechados vi isto! Consciência?
Não é Deus que está morto, mas a Liberdade está morta!
Deus é o que há de mais simples... uma bactéria?
Suicídio
Ser Livre é escolher entre Azul e amarelo, ao mesmo tempo?
Duração externa?

Cavalo alado segundo a teoria Kantiana


Mesma espécie é ter mesmo número de genes?
Um presente para Porto Alegre
O que é um círculo? Uma figura cujos pontos são equidistantes?

Eis o mundo inteligível de Platão


A happy end
Fluxo contínuo do... tempo, não das sensações!
Nova teoria da gravidade
Máquina anti-gravidade
Só infinitos relógios comprovariam esta experiência!
Quando faltar combustível para o sol, joguemos Júpiter na
fornalha

Não há opostos, mas graduações I


Não há opostos, mas graduações II

Pietá iraquiana
Causa Segunda
Por que só usar a química contra microorganismos? E a física?
reforma heterográfica (independência ou morte)
Ser saudável: dever do cidadão
Selo moral
Olho sobre tela

Luna cheia
Escolha amorosa
Primeira vez

Onde estás a metade que falta? Na minha imaginação!


Casamento

Tese de Urologia
Masturbação e crescimento peniano

Geopolítica
Aniversário?

Maioridade penal...
Estudos de loteria:
O que virá depois?
O que virá depois? 2
Homem parmenidiano

Arquitetura
Casa
Filosofar
Não queimem mais ninguém

Fim.