PLATAFORMA FOCO APRENDIZAGEM – UMA FERRAMENTA A SERVIÇO DA MELHORIA

DA APRENDIZAGEM
FEEDBACK PARA OFICINAS
QUESTÕES
A) A) Os alunos apresentam Grau de Domínio crítico, independente de qual turma, nas
seguintes Habilidades que devem ser priorizadas:

h40; h28; h10; h31; h01; h25; h38; h16; h39; h41 são habilidades para
as quais os alunos de todas as turmas têm baixo aproveitamento e
devem serobjetos de atenção na escola.
Observações:
1) Estes alunos, com estas defasagens, estão hoje, no 1º ano do ensino
médio.
2) Estas habilidades são objetos de ensino e aprendizagem do 9º ano e
das séries anteriores, portanto é resultado de acúmulo de
defasagens no percurso dos alunos.
3) Duas ações são recomendadas: recuperar as habilidades para
aqueles alunos que agora estão no 1º ano e, principalmente, cuidar
dos alunos que estão nas séries/anos anteriores para que, ao
chegarem no 9º ano, não apresentem mais as tais defasagens.
B) B) Este resultado foi obtido a partir do SARESP realizado em 2015. Onde estão
localizados em 2016, os alunos que devem receber atenção sobre as habilidades
indicadas como críticas e prioritárias?
Os alunos que fizeram a prova, estão agora, nos 1º anos do ensino médio,

mas deve ser dedicada atenção com relação à estas habilidades, todos os
alunos da escola que atualmente estão nas séries anteriores ao 1º do E.M
para que não acumulem as mesmas defasagens elementares (etapa 01) até
chegarem no 9º ano)
C) C) Em reunião com os professores da disciplina, que atuam na escola há vários anos, a
equipe gestora obteve evidências em registros, de que todos ensinaram as habilidades
que são indicadas como críticas na escola. Que hipóteses explicariam o fato delas não
terem sido aprendidas pelos alunos?

Ausência de estratégias, práticas de ensino e metodologias atualizadas que
permitam o efetivo desenvolvimento das aprendizagens. “ainda que os
professores estejam abordando os temas conforme a estrutura do currículo
oficial e registrando-os em seus diários”.
Para garantir aprendizagem é necessária uma prática docente (didática)
eficaz.
D) A equipe gestora da E.E Três Coquinhos da Serra do Norte elaborou junto com seus
professores, um quadro que descreve as habilidades mais críticas e com menores índices de
aproveitamento de cada série/ano nas disciplinas de L.P e Matemática. (VEJA ANEXO)
Considerando hipoteticamente que, entre várias causas prováveis para o baixo desempenho,
uma que está dentro da governabilidade da escola seja a metodologia das práticas em sala
de aula, o quê pode ser feito para atualizá-las? Como?
A escola deve se organizar para estudar e refletir sobre a descrição das

habilidades cujo desempenho dos alunos tem sido insuficiente e confrontar

as práticas vigentes que geram tais resultados com as práticas previstas
pelo currículo oficial por meio dos cadernos do professor.
o acompanhamento dos PCs às salas de aulas e seus registros são
fundamentais para esta análise comparativa e para fundamentar tanto as
devolutivas individuais aos professores quanto pautar as ações coletivas de
formação continuada na escola (ATPCs)
E) A equipe gestora da E.E República de Nárnia apresentou os dados (quadro abaixo) do
desempenho de uma turma de 3º ano do E.M no Saresp 2015 aos professores e professoras
da escola. Todos concordaram que algo deveria ser feito para recuperar as defasagens nas
habilidades apontadas pela Plataforma.
Entre as habilidades cujo domínio é mais crítico estão:
H33 - Resolver problemas que envolvam probabilidades simples – Com 42,7% de
Aproveitamento
H07 - Resolver problemas envolvendo equações do 1º grau – Com 38,12% de Aproveitamento
H17 - Identificar a localização de números reais na reta numérica – Com 40,7% de
Aproveitamento
Contudo, uma professora atenta alertou aos colegas que aqueles alunos já não estavam mais
na escola e que, portanto os dados não poderiam ser usados para melhorar os indicadores da
escola, uma vez que não se poderia fazer um plano de recuperação para aqueles alunos.
A Diretora lamentou e concordou com a professora. A equipe se dedicaria então a outros
dados da plataforma para encontrar algo que seja possível fazer e ajudar os alunos que ainda
estão na escola.
COMENTE este caso:
NÃO é o caso de lamentação (a não ser pelos alunos egressos da escola). A equipe

gestora deve encaminhar um estudo detido sobre os dados da plataforma e levantar
as seguintes questões:
1) se o desempenho dos alunos que estavam no 3º ano o ano passado se refere a
habilidades que deveriam ter sido construídas ao longo do percurso escolar destes
alunos e no entanto, apresentam evidências que não foram, a escola não poderia, a
partir destes dados, rever as suas práticas nas séries/anos anteriores?
CONCLUSÃO: ao se considerar o desempenho da escola dentro da série histórica de

desempenho dos alunos, (IDESP, por exemplo) e verificar certa ‘estabilidade’ nos
índices cuja variação flutua em valores próximos e insuficientes (independente do
alcance de metas) significa que algumas habilidades não têm sido desenvolvidas
satisfatoriamente de forma persistente.
a plataforma fornece dados que permitem identificar estas habilidades críticas e, uma
turma avaliada, independente de qual série/ano, pode mostrar quais são elas. o mapa
de habilidades, portanto, indica os pontos frágeis da escola como um todo.
Em outras palavras, garantir o desenvolvimento das habilidades essenciais da etapa
01 prevista pelo currículo desde o 6º ano e em todos os demais garante as condições
para desenvolvimento das habilidades das etapas 02 e 03 dos anos/séries
subsequentes.
Para os casos de defasagens quanto as habilidades essenciais da etapa 01,
independentemente de qual ano/série o aluno se encontra, deve ser objeto de
intervenção/ação de escola.
F) Este ano (2016) os professores da E.E 03 Coquinhos da Serra decidiram fazer uma
avaliação diagnóstica para os alunos dos 8º anos E.F e dos 1º e 2º do E.M, pois a Plataforma
Foco Aprendizagem apresenta APENAS os dados de desempenho dos alunos dos 7º e 9º anos
do E.F e 3º do E.M.

A Professora Coordenadora da escola então argumentou que o diagnóstico da aprendizagem e
das defasagens na escola estava suficientemente exposto na Plataforma e que já é possível
fazer um plano de ação para TODAS as TURMAS de TODOS os anos e séries.
Construa os argumentos que a PC usou, com base nos dados das figuras 09; 10 e 11 (acima)

Quando uma turma apresenta grau de domónio baixo como é o caso dos
exemplos das figuras 09; 10 e 11, isto significa que a habilidade está
fragilizada para todos os alunos da turma e provavelmente, na escola ao
longo do percurso de ensino e aprendizagem.
Senão vejamos: uma turma com 34 alunos cujo grau de domínio é 38% por
exemplo, significa que esta é a probabilidade que qualquer um destes 36
alunos tem de acertar uma questão sobre esta habilidade, na média da
turma. Quando se vê no detalhe a distribuição destes alunos nesta média de
38% e verifica-se que 60; 70 e até mais do que 90% estão abaixo desta
média (ou seja, inferir a 38%, então a defasagem atinge praticamente todos
os alunos desta turma e, IMPORTANTE:
Esta habilidade pode se referir a período anterior ao ano que o aluno está
sendo avaliado e portanto, ao se identificar qual série/ano anterior esta
habilidade deveria ser abordada inicialmente, as turmas desta série/ano
devem ser objeto de atenção afinal, os alunos estão passando por ela sem
domínio satisfatório de habilidades essenciais que refletem na condição de
se dominar as habilidades das etapas posteriores.
G) O 1º ano A da Escola República de Nárnia tem 36 alunos em 2016. A plataforma Foco
Aprendizagem indica que em 2015, estes alunos que estavam no 9º ano da mesma escola
apresentaram os seguintes Aproveitamentos:
H31 - Calcular áreas de polígonos de diferentes tipos, com destaque para os polígonos
regulares. 39,15%
H01 - Reconhecer as diferentes representações de um número racional. 38,98%
H41 - Resolver problema utilizando relações entre diferentes unidades de medida. 41,52%
A equipe de professores e grupo gestor decidiu fazer uma avaliação diagnóstica com estes
alunos do 1º A para identificar quais apresentavam as defasagens apontadas pela plataforma
com base nos dados do SARESP 2015 ou esperar pela realização da AAP.
Foi então que uma das PC, usando as informações abaixo, argumentou contra a necessidade
de se fazer mais uma prova diagnóstica ou esperar a AAP para elaborar um plano de
recuperação. Observe as informações usadas pela PC e construa o hipotético argumento
usado por ela para convencer a escola partir para o plano de ação, dispensando mais uma
desnecessária avaliação diagnóstica.
A escola Três Coquinhos da Serra apresenta os seguintes Mapas das turmas de 9º ano:
A AAP avalia habilidades previstas para os bimestres do ano corrente.

Quando a AAP é aplicada logo no início do ano, refere-se a habilidades do
último bimestre do ano imediatamente anterior.
AAP tem finalidade de orientar o professor da turma, a fazer recuperação
contínua (das habilidades previstas para aquele ano e habilidades da etapa
01 que são essenciais para a sequência do currículo)
Já a plataforma, os dados representam diagnóstico de toda a escola dentro
de uma série histórica, independente das turmas que fizeram o saresp em
2015. Por serem baseados nas avaliações do saresp, os dados são
construídos sob critérios da TRI – teoria da resposta ao item e, portanto,
produzidos dentro de rigor científico com itens pré-testados e calibrados

segundo a escala de proficiência. Representam o histórico de desempenho
das turmas e da escola sempre sob os mesmos critérios.
Quando por exemplo, um 9º ano apresenta seu resultado de desempenho,
as habilidades dos graus baixos e médios apontam para as fragilidades da
escola nas séries anteriores.
São, portanto, dados diferentes dos 'provões' e das AAP, com finalidade
mais abrangente.
Quanto aos “provões” cabem as seguintes questões:
São elaborados com itens calibrados pela escala de proficiência e visam
medir estritamente as habilidades específicas para aquela turma?
São construídas com questões contextualizadas para simular as situações
problema vividas nas experiências das situações de aprendizagens previstas
nos cadernos do professor?
Ao errar uma questão do provão, a escola identifica imediatamente a
habilidade específica que o aluno demonstra não dominar para poder fazer
uma intervenção pontual?
Caso a resposta para uma destas perguntas seja não, a eficácia deste
provão deve ser questionada afinal, está disponibilizado a ferramenta que
“dá o mapa” para a escola traçar seus planos de ação com vistas a melhoria
do grau de domínio de habilidades dos alunos e consequentemente, os seus
índices do IDESP.

Adalberto Ribeiro
Revisão: Selma Carvalho
Abril/2016

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful