P. 1
A psicologia é a ciência que estuda o comportamento e os processos mentais dos indivíduos

A psicologia é a ciência que estuda o comportamento e os processos mentais dos indivíduos

|Views: 1.107|Likes:
Publicado porRicardoCardoso

More info:

Published by: RicardoCardoso on Nov 10, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/24/2013

pdf

text

original

A psicologia é a ciência que estuda o comportamento e os processos mentais dos indivíduos (psiquismo), cabe agora definir tais termos

[3]:
y

y y

y

Dizer que a psicologia é uma ciência significa que ela é regida pelas mesmas leis do método científico as quais regem as outras ciências: ela busca um conhecimento objetivo, baseado em fatos empíricos. Pelo seu objeto de estudo a psicologia desempenha o papel de elo entre as ciências sociais, como a sociologia e a antropologia, as ciências naturais, como a biologia, e áreas científicas mais recentes como as ciências cognitivas e as ciências da saúde. Comportamento é a atividade observável dos organismos na sua busca de adaptação ao meio em que vivem. Dizer que o indivíduo é a unidade básica de estudo da psicologia significa dizer que, mesmo ao estudar grupos, o indivíduo permanece o centro de atenção - ao contrário, por exemplo, da sociologia, que estuda a sociedade como um conjunto. Os processos mentais são a maneira como a mente humana funciona - pensar, planejar, tirar conclusões, fantasiar e sonhar. O comportamento humano não pode ser compreendido sem que se compreendam esses processos mentais, já que eles são a sua base.

Como toda a ciência, o fim da psicologia é a descrição, a explicação, a previsão e o controle do desenvolvimento do seu objeto de estudo. Como os processos mentais não podem ser observados mas apenas inferidos, torna-se o comportamento o alvo principal dessa descrição, explicação e previsão (mesmo as novas técnicas visuais da neurociência que permitem visualizar o funcionamento do cérebro não permitem a visualização dos processos mentais, mas somente de seus correlatos fisiológicos, ou seja, daquilo que acontece no organismo enquanto os processos mentai se desenrolam). s Descrever o comportamento de um indivíduo significa, em primeiro lugar, o desenvolvimento de métodos de observação e análise que sejam o mais possível objetivos e em seguida a utilização desses métodos para o levantamento de dados confiáveis. A observação e a análise do comportamento podem ocorrer em diferentes níveis - desde complexos padrões de comportamento, como a personalidade, até a simples reação de uma pessoa a um sinal sonoro ou visual. A introspecção é uma forma especial de observação (ver mais abaixo o estruturalismo). A partir daquilo que foi observado o psicólogo procura explicar, esclarecer o comportamento. A psicologia parte do princípio de que o comportamento se origina de uma série de fatores distintos: variáveis orgânicas (disposição genética, metabolismo, etc.), disposicionais (temperamento, inteligência, motivação, etc.) e situacionais (influências do meios ambiente, da cultura, dos grupos de que a pessoa faz parte, etc.). As previsões em psicologia procuram expressar, com base nas explicações disponíveis, a probabilidade com que um determinado tipo de comportamento ocorrerá ou não. Com base na capacidade dessas explicações de prever o comportamento futuro se determina a também a sua validade. Controlar o comportamento significa aqui a capacidade de influenciá-lo, com base no conhecimento adquirido. Essa é parte mais prática da psicologia, que se expressa, entre outras áreas, na psicoterapia[3].

funciona. Em outras palavras.afinal a psicologia do senso comum contém um conhecimento sobre o ser humano que permite às pessoas que se compreendam mutuamente. a pessoa não precisa calcular a velocidade média.e esta. o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano. Psicologia do senso comum ou do quotidiano (Alltagspsychologie) (muitas vezes também chamada de psicologia ingênua ou naive) "é um sistema de convicções culturamente transmitidas a respeito do comportamento e das experiências pessoais humanas e suas causas"[1]. quando instalada. o que é natural e fácil de entender. sem no entanto conhecer o princípio ativo (substância química responsável pela cura) das folhas e seu efeito nas doenças hepáticas. Essas teorias e convicções estão profundamente arraigadas no ser humano e servem de base para as decisões que as pessoas tomam no dia-a-dia. a pessoa simplesmente olha e decide se dar para ficar ou atravessar. o que. sem usar uma calculadora. a distância. Quando alguém reclama de dores no fígado. além . e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes. é o conjunto de teorias que cada pessoa tem a respeito de como o ser humano funciona. menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que. No entanto a relação entre as duas não é sempre pacífica. passa de geração para geração. quando Freud afirmou pela primeira vez que crianças têm sexualidade. o que elas pensam que sejam verdades. sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas. ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. esta pessoa pode fazer um chá de boldo que já era usada pelos avós de nossos avós. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal. No entanto. como por exemplo uma pessoa que vai atravessar uma pista. quando atravessamos uma rua nós estimamos. mas desenvolvê-la e sistematizá-la . Existem pessoas que confundem senso comum com crenças. a opinião comum a respeito era ver as crianças como seres assexuados .Senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências actuais que continuam sendo efetuadas. de maneira geral. Senso comum é aquilo que a gente aprende em nosso dia a dia e que não precisamos nos aprofundar para obtermos resultados. hoje uma idéia já difundida e confirmada. muitas descobertas da psicologia científica contradizem a psicologia do senso comum . No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações. Ao mesmo tempo. Alguns autores. o que é bem diferente. a distância e a velocidade dos carros que vem em nossa direção. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada.por exemplo. ela olha para os dois lado. Estes exemplos indicam um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum e se baseia na tentativa e erro. A psicologia científica se desenvolve sobre o pano de fundo da psicologia do senso comum e deve tê-la sempre em conta. como Harold Kelley (1992)[2] defendem que a tarefa da psicologia científica não é refutar a psicologia do senso comum.

. 1960[3]. Estudar a relação entre os indíviduos e as tarefas (motivação. Por isso outros autores (Peters. Há uma ou várias formas de aprendizagem? . a distinção entre psicologia pura e psicologia aplicada está longe de ser rígida. No que respeita à actividade dos psicólogos. costuma distinguir-se psicologia pura (investigação pura) e psicologia aplicada. moral e emocional? . É importante notar que. social. cré com cré") coexiste com a idéia de que "os opostos se atraem". propõe muitas vezes idéias contraditórias . Funções e objectivos Analisar a estrutura e compreender o funcionamento das organizações. Assim. a psicologia pura dedica-se à investigação básica procura aumentar e melhorar a nossa compreensão do comportamento e dos processos psicológicos básicos. dos grupos e indivíduos que as constituem. cuja orientação é essencialmente teórica (investigação pura). Quais as causas do esquecimento? . Melhorar a eficiência e o bem-estar no trabalho intervindo ao nível da qualidade das relações interpessoais e dos conflitos ligados à organização do trabalho. Cosmides & Tooby. 2003[5] ). grau de satisfação). Como aumentar a produtividade no local de trabalho? . A tensão entre as duas permeia assim toda a atividade da psicologia científica. Os psicólogos cujo objectivo essencial e primordial é resolver problemas práticos procuram responder a questões como estas: Como deve a instituição escolar lidar com um aluno que frequentemente perturba o normal funcionamento das aulas? . exigindo do pesquisador uma redobrada atenção. cada uma sendo escolhida conforme a situação. como se vê no próprio exemplo da teoria de Freud. pois a influência daquela acaba por dificultar ou até mesmo impedir esta de desenvolver novas ideias e conceitos (Rudolph. a psicologia do senso comum está sempre em mudança e é constantemente alimentada por ideias e conceitos da psicologia científica. etc. Segundo esta distinção. Em que medida muda a nossa personalidade ao longo da vida? .por exemplo a idéia de que pessoas devam se relacionar com seus semelhantes ("lé com lé. Nesta ordem de ideias. Por outro lado. Por que razão são certas pessoas introvertidas e outras extrovertidas? . de modo a assegurar que omaterial educativo é apropriado (foi o que aconteceu com o programa Rua Sésamo ). os psicólogos que se dedicam à investigação pura procuram responder a questões como estas: Há diversos tipos de memória? . apesar de ser cómoda. Como se dá o nosso desenvolvimento cognitivo. 1994 [4]) vêem na psicologia do senso comum um do grandes obstáculos da psicologia científica. podem desenvolver uma estreita colaboração com produtores de programas televisivos para crianças. Como se pode reduzir o impacto psicológico de acontecimentos dramáticos na vida de uma pessoa? . psicólogos do desenvolvimento. A psicologia aplicada é uma actividade desenvolvida por psicólogos cuja investigação está essencialmente orientada para a resolução de problemas práticos.disso.

. pode colaborar com os agentes educativos na identificação e prevenção de dificuldades de aprendizagem escolar de algumas crianças (as crianças problema ) aconselhando pais. neuroses). pessoal e social dos indivíduos em idade escolar). a entrevistas e técnicas psicométricas). o psicólogo educacional recorre frequentemente a acções de formação psicopedagógicas para professores. Intervir. Dar consultadoria de direcção nas tomadas de decisão e nas negociações laborais. professores e alunos a lidaremcom o problema. por exemplo. numa perspectiva educacional. assim como à comunicação interpessoal e à observação clínica. adopção de novas tecnologias). Avaliar e desenvolver programas. Participar em funções de reestruturação (criação de novos postos de trabalho. A sua acção incide na área da saúde mental em geral utilizando métodos qualitativos e intervindo ao nível da prevenção (tal como qualquer psicólogo em qualquer área de trabalho). conflitos familiares. O psicólogo educacional não avalia o rendimento dos alunos quem os classifica é o professor ou resolve dificuldades de aprendizagem. dificuldades na vida conjugal.Desenvolvimento de programas de formação contínua dos trabalhadores adaptando-os às transformações tecnológicas e laborais (recorrendo. Pode na sua prática recorrer o psicólogo clínico a técnicas psicométricas. Realizar orientação escolar e vocacional. Apoiar os processos de ensino-aprendizagem centrado-se na promoção do sucesso e educativo (apoio ao desenvolvimento cognitivo. Empenhado na prevenção dos problemas de aprendizagem escolar. Analisar os processos de liderança e detecção de focos de conflito e de tensão. o psicólogo clínico também efectua aconselhamento psicológico individual (ajudar as pessoas na escolha da profissão ou do curso a seguir). na adaptação a novas situaçõ es. Promover o sucesso e o desenvolvimento das instituições educativas. Contudo. Trata-se de uma função de orientação na tomada de decisões. delinquência juvenil. O seu objectivo essencial é o diagnóstico e tratamento de problemas emocionais e comportamentais (toxicomania. em problemas emocionais e comportamentais desviantes. Além do diagnóstico e tratamento de perturbações de natureza psicológica. materiais e métodos do processo de ensino-aprendizagem.

Ambos procuram diagnosticar e tratar pessoas com problemas psicológicos. escolas. de tipo psicológico. o psicólogo clínico. . a partir de histórico de vivências passadas. são vários os fatores que influenciam a atenção e que se encontram agrupados em duas categorias: a dos fatores externos (próprios do meio ambiente) e a dos fatores internos (próprios do nosso organismo). hospitais e outras instituições públicas ou privadas).O processo de percepção tem início com a atenção que não é mais do que um processo de observação seletiva. prestamos muito mais atenção às coisas absurdas e bizarras do que ao que é normal (por exemplo. pode fazer terapia medicamentosa. mas não têm a mesma formação nem utilizam os mesmos meios terapêuticos. Deste modo. a percepção envolve também os processos mentais. porque é médico. ou seja. tal como acontece com os sinais de trânsito pintados em cores vivas e contrastantes). Por isso o psicólogo clínico distingue-se do psiquiatra. O psicólogo clínico em Psicologia. Em psicologia. que as sirenes das ambulâncias possuem um som insistente e alto). das observações por nós efetuadas. a memória e outros aspectos que podem influenciar na interpretação dos dados percebidos. Este processo faz com que nós percebamos alguns elementos em desfavor de outros. e a incongruência. Consiste na aquisição. o movimento que constitui um elemento principal no despertar da atenção (por exemplo. O psicólogo clínico pode. não. O psiquiatra é formado em medicina. interpretação. tornar-se psicanalista. em princípio. Campo de intervenção Podemos encontrar o psicólogo organizacional a trabalhar em qualquer organização ou instituição (empresas. o contraste (a atenção será muito mais despertada quanto mais contraste existir entre os estímulos. é por isso. Tem para isso de especializar-se no método inventado por Freud. na praia num dia verão prestamos mais atenção a uma pessoa que apanhe sol usando um cachecol do que a uma pessoa usando um traje de banho normal). neurociência e ciências cognitivas. percepção é a função cerebral que atribui significado a estímulos sensoriais. seleção e organização das informações obtidas pelos sentidos. ou seja. as crianças e os gatos reagem mais facilmente a brinquedos que se movem do que estando parados). Fatores externos Os fatores externos mais importantes da atenção são a intensidade (pois a nossa atenção é particularmente despertada por estímulos que se apresentam com grande intensidade e. envolvendo estímulos elétricos evocados pelos estímulos nos órgãos dos sentidos. funcionamento e qualidade. Do ponto de vista psicológico ou cognitivo. A percepção pode ser estudada do ponto de vista estritamente biológico ou fisiológico. mas não farmacológico ou cirúrgico.O psicólogo clínico recorre a processos terapêuticos. Está presente no mundo das relações interpessoais ligadas à produção de bens e prestação de serviços analisando a sua estrutura. tal como o psiquiatra. O psiquiatra. Através da percepção um indivíduo organiza e interpreta as suas impressões sensoriais para atribuir significado ao seu meio.

e o fenómeno social que explica que a nossa natureza social faz com que pessoas de contextos sociais diferentes não prestem igual atenção aos mesmos objetos (por exemplo. a força do hábito faz com que prestemos mais atenção ao que já conhecemos e entendemos. os livros e os filmes a que se dá mais importância em Portugal não despertam a mesma atenção no Japão).Fatores internos Os fatores internos que mais influenciam a atenção são a motivação (prestamos muito mais atenção a tudo que nos motiva e nos dá prazer do que às coisas que não nos interessam). . por outras palavras. a experiência anterior ou.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->