Tecnologia de fabricação do ETE Prof. Dr.

Antonio Eufrásio de Açúcar II Toledo
Técnico em Açúcar e Álcool
Aula 1
Professor: Diego Ceccato Módulo IV

Anteriormente estávamos falando de...

Decantação

Evaporação

E agora, de que precisamos conversar ?

Da formação dos planetas ?

Do coelho de Alice?

De microbiologia, talvez?

NÃO!!!! Vamos falar sério Eis a nossa Ementa: Então. vamos ao trabalho .

Vamos relembrar processos gerais .

.

.

.

.

.

.

.

.

na primeira caixa de caldo e gerar maior quantidade caldo clarificado evaporação mais concentrado.Pré-evaporadores Objetivos resultando um Auxiliar na evaporação da água contida no possível de vapor vegetal. .

exclusivamente a aquecer o caldo até 115°C e posteriormente evaporar. Se a temperatura de alimentação for inferior a 115ºC parte da superfície disponível no pré-evaporador será destinada. .Temperatura do caldo clarificado A temperatura do caldo clarificado tem uma relação direta com a superfície necessária neste primeiro efeito. Normalmente a temperatura do caldo clarificado que entra no pré é de aproximadamente de 115°C (após pré-aquecimento) que entrará em ebulição dentro do corpo.

ou. Trocadores a Placas. Balcke Durr Vapor de Escape . Falling film. Reboillers.Tipos de Pré-evaporadores Caixa de Evaporação (modelo Convencional).

Evaporação Objetivos Retirar água presente no caldo para promover a concentração do mesmo e possibilitar o processo de formação do cristal aproveitando os vapores gerados. . Concentra-se o caldo inicialmente a 15º Brix até 70º Brix e obtém-se um produto chamado xarope.

mas também o da temperatura pode provocar precipitações de alguns sais. Entretanto não só o efeito da concentração. principalmente a uma crescente redução de água no caldo em concentração. redução esta que permite aos não-açúcares atingirem. aquelas pertinentes à parte interna dos tubos. . se deve. a condição de supersaturação e precipitarem. nos últimos vasos. com mais intensidade.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Incrustações A formação de incrustações nos evaporadores.

Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Fatores a serem observados Concorrem para a formação de maior ou menor quantidade de incrustações nos evaporadores. que varia de região para região. .

Sistema de colheita de cana. Estado de limpeza da cana. Grau de extração pela moenda. Tipo der solo cultivado. etc.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Fatores a serem observados E depende das seguintes condições: a) Composição do caldo: Variedade de cana. Sistema de lavagem de cana . .

e) Nível de caldo nas calandras dos evaporadores. f) Velocidade de circulação de caldo nos diversos vasos. d) Processos de clarificação.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Fatores a serem observados b) Peneiragem do caldo. do enxofre e dos aditivos da clarificação. . c) Qualidade da cal.

i) Pressão e temperatura do vapor de alimentação. h) Sistema operacional e qualidade de mão-de-obra utilizada na evaporação.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Fatores a serem observados g) Condição de vácuo nos evaporadores. .

Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores O que pode acelerar a incrustação Oscilação na vazão do caldo. . Descontrole da correção do pH na dosagem.

mais dificilmente ocorrerão depósitos de sujeira. Com relação à limpeza. para proporcionar uma boa circulação do caldo. . com a superfície dos tubos lisa. É muito importante que o nível do caldo seja mantido em aproximadamente um terço da altura dos tubos. Já se estiver bem limpa.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Incrustação quanto à operação A presença de uma maior formação de incrustação em determinadas regiões da calandra. é um dos sintomas característicos de má circulação do caldo. deve-se registrar que se a tubulação de uma evaporação não estiver bem limpa mais rapidamente a incrustação se formara.

CIP (Clean In Place) . Limpeza com jato de água sob alta pressão. Limpeza química. efetuada com rasquete ou roseta rotativo.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Métodos de limpeza Limpeza mecânica.

Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Nível do caldo Em todos os corpos deve-se manter aproximadamente 1/3 da altura dos tubos. tendo como objetivo reduzir o efeito da pressão hidrostática no ponto de ebulição do caldo. . aumentando assim a circulação do caldo e conseqüentemente obter uma máxima taxa de evaporação.

concentrando. demasiadamente alto . e contaminação do condensado para as caldeiras. muito baixo Se o nível for Os tubos ficam submersos e a evaporação é prejudicada. Proporciona maior arraste e perda de açúcar.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Nível do caldo O caldo tende a ferver e não consegue chegar à parte superior dos tubos.

Sistema de retirada de condensado com sifão ou sistema automático. molhando-o sem submergi-lo. O funil coletor de caldo situado no interior do tubo central deve ser posicionado a 1/3 da altura dos tubos. Um outro meio pratico é observar através das lunetas. de tal forma o caldo se mantenha jorrando dos tubos sobre toda a superfície do espelho. .Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Recomendações Instalar medidor de nível em todas as caixas de evaporação.

reduzindo significamente o processo de transferência de calor. após a sua condensação é necessária uma continua retirada de incondensáveis. . pois ocupam espaço e impedem a entrada de vapor naquela região.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Retirada de gases incondensáveis Em qualquer equipamento que se utiliza vapor como fonte de calor.

Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Origem da formação dos gases Ar trazido pelo vapor de escape geralmente pouco. liberados pela ebulição nos vapores vegetais. . Gases dissolvidos no caldo.

.Fatores que influenciam na eficiência dos pré e evaporadores Monitoramento Concentração dos gases A quantidade desses gases é muito mais freqüente em corpos aquecidos com vapor vegetal e principalmente nos corpos sob vácuo.