Unidade II: DOS CRIMES CONTRA A INCOLUMIDADE PÚBLICA • CRIMES DE PERIGO COMUM • • • • • • • • • • • • Art.

250 – Incêndio Modalidade dolosa Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: causar incêndio é produzir, provocar perigo concreto para a vida, incolumidade física ou patrimônio de alguém, em razão da combustão Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo genérico Classificação: crime de perigo comum, podendo ser executado na forma omissiva (art. 13, parágrafo segundo do CP) Consumação e tentativa: consuma-se com a efetiva situação de perigo, sendo admissível a tentativa. Pena reclusão de 3 a 6 anos e multa Ação penal pública incondicionada Exame de corpo de delito (art. 173 - requisitos especiais) e local de crime

depósito de explosivo. estaleiro. embarcação.• Figuras qualificadas: parágrafo primeiro – aumenta a pena do caput em 1/3 – Finalidade de obter vantagem pecuniária em proveito próprio ou alheio (dolo específico) – Casa habitada ou destinada a habitação. poço petrolífero. . estação ferroviária. fábrica ou oficina. prédio público. areonave. lavoura ou floresta • Incêndio • Modalidade culposa – parágrafo segundo • Incêndio resulta de desatenção do agente ao dever de cuidado objetivo • Pena detenção de 6 meses a 2 anos.

251 . 250.Explosão • Modalidade dolosa • Sujeito ativo: qualquer pessoa • Sujeito passivo: coletividade • Tipo objetivo: compreende o uso de engenho de dinamite ou de substância análoga • Objeto jurídico: incolumidade pública • Tipo subjetivo: dolo • Consumação e tentativa: consuma-se com a criação da situação de perigo próximo e imediato • Pena reclusão de 3 a 6 anos e multa.Art. parágrafo primeiro. • Ação penal pública incondicionada • Figura privilegiada – parágrafo primeiro • Trata-se de explosivo que causa dano menos extenso • Pena reclusão de 1 a 4 anos e multa • Figura qualificada – parágrafo segundo • Se ocorre qualquer das hipóteses do art. nos demais casos = detenção de 3 meses a 1 ano. I ou é visada ou atingida qualquer das coisas do inciso II. . do CP • Figura culposa – resulta da desatenção com o dever de cuidado objetivo • Pena: se a explosão é de dinamite ou substância análoga = detenção de 6 meses a 2 anos.

independente da finalidade ou culpa no caso do parágrafo único do art. lacrimogênio.Art. • Pena • Ação penal • Confronto: pode configurar o crime previsto no art. 270 do CPM se for praticado em local sujeito a administração militar. o Estado e a aqueles que sofrem risco à sua vida. 252 do CPB • Classificação: trata-se de crime de perigo concreto. saúde ou patrimônio • Tipo objetivo: • Objeto jurídico: incolumidade pública • Tipo subjetivo: dolo vontade de usar o gás. • . sendo possível a tentativa • Consumação e tentativa: com o uso. Ex: amoníaco. 252 – Uso de gás tóxico ou asfixiante • Sujeito ativo: qualquer pessoa • Sujeito passivo: coletividade. 121. III do CPB) Figura qualificada: lesão corporal de natureza grave ou morte (art. parágrafo segundo. 258 do CP). produção do gás tóxico ou asfixiante (substância em estado gasoso que causa intoxicação do organismo). pode acarretar um homicídio (art.

253 – Fabrico. de perigo abstrato.826/03 – lei de posse de arma). Fornecer e adquirir: entregar ou obter a título gratuito ou oneroso. aquisição. Consumação e tentativa: consuma-se com o fabrico. salvo na tentativa de aquisição irregular da substância. 16. 132 do CPB – ainda que tenha licença de autoridade. Pena detenção de seis meses a dois anos e multa Ação penal é pública incondicionada perante TJE (atividade fiscalizada pela PF) Confronto: pode configurar o crime do art. sendo difícil a tentativa. art.176/91 – crime de uso de gás butano em veículo automotor sem licença de autoridade. 56 da lei 9.• • • • • • • • • • • • Art. posse. Objeto jurídico: incolumidade pública. aquisição ou transporte. químico ou outros. . Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: Fabricar: criar por qualquer processo mecânico. sem licença da autoridade. Derrogação das condutas de fabricar e possuir engenho e substância explosiva. fornecimento. Lei 8. posta em risco por presunção legal Tipo subjetivo: dolo Elemento normativo: sem licença de autoridade Classificação: ação múltipla ou alternativa e subsidiário. (art. art. parágrafo único da lei 10.605/98 (crime ambiental). posse ou transporte de explosivos ou gás tóxico ou asfixiante. 242 ou 244 do ECA (lei 8.069/90).Possuir e transportar: guardar e conduzir/remover de um a outro lugar.

independente da finalidade. a integridade física ou patrimônio de outrem. plurissubsistente (se realiza com vários atos). A tentativa é admissível. 254 – Inundação Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo:coletividade e indivíduos Tipo objetivo: provocar invasão ou alagamento pelas águas de lugar não destinados a contê-la Objeto jurídico: incolumidade pública (danos físicos e patrimoniais) Tipo subjetivo: dolo (o sujeito quer provocar o alagamento do local).• • • • • • • • • • • • • • Art. I CP) Ação penal pública incondicionada . quando já está concretizada a inundação. Classificação: crime de perigo concreto e comum. Inundação culposa Pena detenção de 6 meses a 2 anos Obs: confronto – dano ou usurpação de águas (161. Consumação e tentativa: consuma-se o crime com o perigo à vida. parág. Pena reclusão de 3 a 6 anos e multa Forma qualificada: é qualificada pelo resultado lesão corporal grave ou morte. Primeiro.

sendo inadmissível a tentativa. em prédio próprio ou alheio. – Remover (deslocar) ex: destravar o sistema da hidrelétrica – Destruir (desfazer) ex: perfurar o dique de um rio – Inutilizar (tornar imprestável) ex: enfraquecer uma baragem • Objeto jurídico: a incolumidade pública • Tipo subjetivo: dolo (o sujeito não quer. nem assume o risco de produzir o resultado) • Classificação: crime de perigo concreto • Consumação e tentativa: com a criação do perigo concreto comum. • Ação penal pública incondicionada .• • • • Art. • Pena reclusão de 1 a 3 anos e multa. 255 – Perigo de inundação Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo:a coletividade Tipo objetivo: 3 condutas sobre o obstáculo natural ou obra destinada a impedir inundação (a conduta de colocar obstáculo capaz de inundar o lugar não foi prevista).

Pena detenção de 1 a 4 anos e multa. aumentada de um terço. Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo (o sujeito deve desejar a situação de perigo comum a quantidade indeterminada de pessoas. seja total ou parcial. Ação penal pública incondicionada. independente da finalidade da conduta) Classificação: forma livre. 256 – Desabamento ou desmoronamento Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: causar por qualquer meio desabamento (queda de contrução ou de obra construída pelo homem) ou desmoronamento (refere-se as partes do solo. observado na modalidade culposa simples a possibilidade de transação penal . ação ou omissão Consumação e tentativa: com o perigo criado ou com a queda efetiva da parede ou prédio. 258 CP – Crimo doloso: aumenta-se a pena da metade se resulta lesão corporal grave ou aplica-se em dobro no caso de morte – Crime culposo: aumenta-se da metade em caso de lesão corporal grave ou aplica-se a pena do homicídio culposo. pedreira).• • • • • • • • • • • • • Art. Ex: morro. Modalidade culposa: ex: obra de escavação por vizinho Pena detenção de 6 meses a 1 ano Causa de aumento de pena: art.

257 – Subtração. ocultação ou inutilização de material de salvamento • Sujeito ativo: qualquer pessoa • Sujeito passivo: coletividade e proprietários dos objetos de salvamento ou socorro (extintor. telefone) • Tipo objetivo: tem como pressuposto a manifestação ou continuidade de incêndio.• Art. inundação. corda. maca. escada. mangueira. sendo admissível a tentativa. naufrágio ou outro desastre causado anteriormente por dolo. culpa ou força natural. As condutas incriminadas são: – Subtrair – Inutilizar – ocultar • Objeto jurídico: incolumidade pública • Tipo subjetivo: dolo • Classificação: crime de perigo abstrato (não se exige a demonstração de risco) • Confronto: dano. furto. • Pena reclusão de 2 a 5 anos e multa • Ação penal pública incondicionada . • Consumação e tentativa: com as condutas do tipo.

perigo abstrato (dano potencial) Consumação e tentativa: consuma-se com a efetiva difusão. Obs: Mirabete defende a revogação tácita deste dispositivo pela lei ambiental. Pena detenção de 1 a 6 meses e multa Modalidade culposa: Pena detenção de 1 a 6 meses e multa Ação penal pública incondicionada . Ex: lagarta. sendo admissível a tentativa. 259 – difusão de doença ou praga Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: Estado e dono dos bens atingidos Tipo objetivo: – – – – Difundir (propagar) Doença: patologia Praga: semelhante a epidemia. Confronto: falsificação de documento público (ex: certificado de imunização/ febre aftosa). art. piolho Objeto atingido: plantas. sem valor econômico). ácaro. 61 da lei 9605/98 (crime ambiental – conceito amplo de floresta.• • • • Art. animais em número indeterminado e com valor econômico • • • • • • • • • • Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo Classificação: ação ou omissão.

observada a possibilidade de transação penal na modalidade culposa . sendo a tentativa admissível Pena reclusão de 2 a 5 anos e multa Figura qualificada: desastre ferroviário (parágrafo primeiro) Desastre ferroviário culposo Pena reclusão de 4 a 12 anos e multa Ação penal pública incondicionada. TRANSPORTE E OUTROS SERVIÇOS Art.• • • • • CRIMES CONTRA A SEGURANÇA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. Ex: teleféricos. desarranjo Colocação de obstáculo Transmissão falsa de aviso Qualquer ato que resulte desastre • • • • • • • • • Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo Classificação: conduta múltipla vinculada (somente pode ser praticada pela forma prevista no tipo penal) Consumação e tentativa: consuma-se com o perigo efetivo. 260 – perigo de desastre ferroviário Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade e o Estado Tipo objetivo: impedir ou perturbar o serviço ferroviário (transporte em estrada de ferro binária – com trilhos. metrôs e bondes) – formas: • • • • Destruição.

ao material ferroviário ou carga. Pena reclusão 4 a 12 anos e multa Modalidade culposa: parágrafo segundo (exige grave dano. como resultado da conduta culposa.• • • • • • • • • • • • Desastre ferroviário Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: se da conduta de perigo resulta desastre Objeto jurídico: incolumidade pública (segurança do tráfego ferroviário) Tipo subjetivo: preterdolo (quem quer o desastre e daquele que lhe deu causa. sem querê-lo ou sem assumir conscientemente o risco de sua superveniência) Consumação e tentativa: efetivo desastre (lesão ou perigo de lesão à incolumidade física ou patrimonial coletiva). em virtude da conduta dolosa dos incisos. pois configura o tipo previsto no caput. que por negligência. Confronto: havendo lesão corporal grave ou morte aplica-se o art. Ex: ferroviário. esquece do movimentar os binários) Pena detenção 6 meses a 2 anos Ação penal pública incondicionada . 258 em face do disposto no art. 263 do CP. complexo e extenso as pessoas indeterminadas. sendo inadmissível a tentativa.

submersão ou encalhe de embarcação ou queda e destruição de aeronave. primeiro) Refere-se a naufrágio. fluvial ou aéreo Sujeito ativo: qualquer pessoa. 263 e 258 do CP) . Figura culposa (parág. incluindo o proprietário do transporte Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: o perigo deve versar sobre outro tipo de transporte (não abrange as embarcação lacustre) desde que destinem-se a transporte de pessoas ou coisas. Pena reclusão de 2 a 5 anos Ação penal pública incondicionada Sinistro em transporte marítimo ou fluvial (parág. sendo admissível a tentativa. terceiro) se o sinistro decorre de culpa Pena detenção de 6 meses a 2 anos Obs: se resulta morte ou lesão corporal (art. Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo Classificação: crime de perigo Consumação e tentativa: com o perigo concreto de acidente.• • • • • • • • • • • • • • • • • • Art. Primeiro. segundo) que se aplica ao caput e ao parág. Tipo subjetivo: preterdolo Pena reclusão de 7 a 12 anos Figura qualificada pelo fim de lucro (parág. 261 – atentado contra a segurança de transporte marítimo.

desde que efetuem transporte público – Expor a perigo – Impedir ou dificultar o funcionamento • • • • • • • • • • • • Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo Classificação: crime de perigo concreto Consumação e tentativa: com o perigo concreto de desastre Pena detenção de 1 a 2 anos Ação penal pública incondicionada Desastre (parág. 262 – atentado contra a segurança de outro meio de transporte Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: alcança ônibus. primeiro) Crime preterdoloso Pena reclusão de 2 a 5 anos Modalidade culposa (parág. táxi. 263 – Forma qualificada Casos de lesão corporal ou morte . embarcação lacustre.• • • • Art. segundo) Art.

gás. especialmente a segurança dos serviços de utilidade pública (serviço de água. luz. 265 – atentado contra segurança de serviço de utilidade pública Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: a coletividade Tipo objetivo: atentar Objeto jurídico: incolumidade pública. 264 – Arresmesso de projétil Sujeito ativo: qualquer pessoa Sujeito passivo: coletividade Tipo objetivo: – Arremessar – Veículo em movimento e destinado ao transporte público (terra. limpeza pública) Tipo subjetivo: dolo Classificação: crime de perigo abstrato Pena reclusão de 1 a 5 anos e multa Ação penal pública incondicionada Figura qualificada: dano em razão de furto de material de serviço de utilidade pública .• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • Art. água ou ar) – Projetil apto a causar dano a pessoas ou bens indeterminados Objeto jurídico: incolumidade pública Tipo subjetivo: dolo Classificação: crime de perigo comum Consumação e tentativa: com o arremesso independente de atingir ou não o veículo Pena detenção de 1 a 6 meses Ação penal pública incondicionada Art.

sendo admissível a tentativa. • Confronto: art. radiotelegráfico ou telefônico. • Tipo subjetivo: dolo • Consumação e tentativa: com a efetiva interrupção ou impedimento. art. III (impedir comunicação entre pessoas). especialmente do serviço telegráfico ou gráfico.• Art. 10 lei 9296/96 (escuta telefônica). 151. 266 – interrupção ou perturbação de serviço gráfico ou telefônico • Sujeito ativo: qualquer pessoa • Sujeito passivo: a coletividade • Tipo objetivo: – Interromper ou perturbar – Dificultar ou impedir o restabelecimento do serviço • Objeto jurídico: incolumidade pública. • Pena deetenção de 1 a 3 anos e multa • Ação penal pública incondicionada • Fiura qualificada: crime durante calamidade pública . art. 260. parágrafo primeiro . III (serviço ferroviário).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful