P. 1
A Comunicação Interna como Ferramenta para a Implantação do Sistema de Gestão Ambiental

A Comunicação Interna como Ferramenta para a Implantação do Sistema de Gestão Ambiental

|Views: 411|Likes:
Publicado porDenise Ferreira
A crescente preocupação da sociedade com o meio ambiente leva cada vez mais às empresas a estabelecerem boas práticas e diretrizes de gestão ambiental, seja como forma de receberem reconhecimento social seja para atender às exigências legais. Tendo isto em vista, a ISO 14001:2004 estabelece cinco princípios que devem reger o processo de implantação de um Sistema de Gestão Ambiental: política ambiental, planejamento, operacionalização, verificação e análise pela administração. O objetivo deste trabalho é mostrar como as ferramentas existentes de comunicação interna
de uma empresa podem ser utilizadas como aliadas no processo de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, de acordo com os princípios da ISO 14001:2004.
A crescente preocupação da sociedade com o meio ambiente leva cada vez mais às empresas a estabelecerem boas práticas e diretrizes de gestão ambiental, seja como forma de receberem reconhecimento social seja para atender às exigências legais. Tendo isto em vista, a ISO 14001:2004 estabelece cinco princípios que devem reger o processo de implantação de um Sistema de Gestão Ambiental: política ambiental, planejamento, operacionalização, verificação e análise pela administração. O objetivo deste trabalho é mostrar como as ferramentas existentes de comunicação interna
de uma empresa podem ser utilizadas como aliadas no processo de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, de acordo com os princípios da ISO 14001:2004.

More info:

Published by: Denise Ferreira on May 24, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/26/2014

pdf

text

original

A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO FERRAMENTA PARA A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Denise Maria Moreira Ferreira1 Rafael Lopes

Ferreira2 RESUMO A crescente preocupação da sociedade com o meio ambiente leva cada vez mais às empresas a estabelecerem boas práticas e diretrizes de gestão ambiental, seja como forma de receberem reconhecimento social seja para atender às exigências legais. Tendo isto em vista, a ISO 14001:2004 estabelece cinco princípios que devem reger o processo de implantação de um Sistema de Gestão Ambiental: política ambiental, planejamento, operacionalização, verificação e análise pela administração. O objetivo deste trabalho é mostrar como as ferramentas existentes de comunicação interna de uma empresa podem ser utilizadas como aliadas no processo de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, de acordo com os princípios da ISO 14001:2004. Palavras-chave: Comunicação Interna. Sistema de Gestão Ambiental. ISO 14001:2004. 1. INTRODUÇÃO A preocupação que a sociedade vem demonstrando com a qualidade do ambiente e com a utilização sustentável dos recursos naturais tem-se refletido na elaboração de leis ambientais cada vez mais restritivas e na existência de um mercado em crescente processo de conscientização ecológica, no qual mecanismos como selos verdes e Normas, como a Série ISO 14000, passam a constituir atributos desejáveis junto à sociedade. A implantação sistematizada de processos de Gestão Ambiental, preconizado pela ISO 14000 tem sido uma das respostas das empresas a este conjunto de pressões, como mostram Nicolella, Marques e Skorupa (2004). A ISO 14001 sugere que o Sistema de Gestão Ambiental inclua a definição de uma política ambiental, planejamento, verificação e avaliação – conforme relata Curi (2011). A implantação de um Sistema de Gestão Ambiental vai depender da adesão de todos os níveis gerenciais de uma empresa. Neste contexto, a
Jornalista (Universidade Federal de Santa Catarina), docente de Pós Graduação em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável (FATEC/FACINTER) 2 Gestor Ambiental (Faculdades Integradas Camões / PR), Especialista em Biotecnologia (Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR)), orientador de TCC do Grupo Uninter
1

Comunicação Interna passa a ser uma ferramenta que poderá transformar a força de trabalho em aliada no processo de implantação do Sistema, como garante Clemen (2005). Ao implantar um SGA, a organização passa por diversas transformações em seus processos, e à medida que os colaboradores fazem parte deste processo, terão a possibilidade de fazer parte das mudanças, sugere Vieira (2004).

2. IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL BASEADO NA ISO 14001

De acordo com a NBR ISO 14001 (2004) o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) está orientado sob o modelo de gestão baseado no ciclo do PDCA (PLAN,DO,CHECK,ACT, ou planejar, executar, verificar e agir) visando o processo de melhoria contínua. A partir deste ciclo, a Norma estipula cinco requisitos para que uma organização implante um Sistema de Gestão Ambiental, sendo eles:

2.1)

Política Ambiental: determinada após avaliações iniciais, a política ambiental estabelece as intenções e princípios gerais de uma organização em relação ao seu desempenho ambiental conforme formalmente expresso pela alta administração. De acordo com Martins e Nascimento (1998), é fundamental sua formulação, pois expressa o pensamento, a visão e o comprometimento da empresa com o meio ambiente, e norteará os passos seguintes do SGA. Entre outras características, a política ambiental deve ser apropriada aos atributos da organização, incluir comprometimento com melhoria contínua e prevenção, atender requisitos legais e ser comunicada a todos os trabalhadores, além se estar disponível para o público.

2.2)

Planejamento: o planejamento deve levas em conta os aspectos ambientais, requisitos ambientais e objetivos, metas e programas necessários para a implementação do SGA. Segundo Curi (2011) é neste momento que o gestor traça metas e identifica o que precisa

ser mudado para conservar o meio ambiente. As ações vão depender do perfil da organização, podendo compreender a redução de emissões de CO2, redução no consumo de água, melhor aproveitamento de insumos e matérias primas, economia de energia e recursos naturais, entre outros.

2.3)

Implementação e operacionalização: neste estágio, dá-se a execução do que foi planejado na etapa anterior, tendo sempre como base a política ambiental estabelecida. De acordo com a NBR 14001: 2004, sete passos devem ser cumpridos para garantir a excelência na implementação e operacionalização do SGA, quais sejam: definição de recursos, funções, responsabilidades e autoridades; competência, treinamento e conscientização;

comunicação; documentação; controle de documentos; controle operacional; e preparação e resposta a emergências.

2.4)

Verificação: paralelamente à implementação e operacionalização do SGA, devem ser estabelecidas verificações periódicas para avaliar sua aplicação na prática. São exigidas, pela Norma, as seguintes verificações periódicas: análise do desempenho

ambiental, por meio do “monitoramento e medição”; verificação do atendimento aos requisitos legais; identificação de “não-

conformidades” assim como ações corretivas e preventivas que visem a solucionar as falhas identificadas; controlar e registrar as informações obtidas com as avaliações e por fim desenvolver auditorias internas.

2.5)

Análise pela Administração: A alta administração da organização deve analisar o sistema da gestão ambiental, em intervalos planejados, para assegurar sua continuada adequação, pertinência e eficácia. Análises devem incluir a avaliação de oportunidades de melhoria e a necessidade de alterações no sistema da gestão ambiental, inclusive da política ambiental e dos objetivos e metas ambientais. Os registros das análises pela administração devem

ser mantidos.

Tendo em vista os cinco requisitos estabelecidos pela NBR 14001: 2004, percebe-se que para a efetiva implantação de um sistema de gestão ambiental, uma empresa deve lançar mão de uma série de ferramentas de gestão interna, pois do comprometimento de cada membro da força de trabalho depende o sucesso desta iniciativa. Uma destas ferramentas de gestão é a Comunicação Interna. Uma Comunicação objetiva e transparente permite a capilarização de informações, fazendo com que toda a força de trabalho seja incluída nos processos.

3. A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO

Vivemos a era da informação. Um momento em que conteúdo e formato contribuem para uma população cada vez mais informada. Paralelamente, vemos uma enxurrada de informações vindas de diversas fontes. As ferramentas atuais de comunicação podem ser utilizadas no ambiente interno de uma empresa para aprimorar a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental, desde que respeitados seus formatos e as necessidades da organização. Conforme Amorim (2010), dentro das empresas, muitas informações são trocadas constantemente e a ausência de um modelo sistemático de comunicação interna pode fazer com que o diálogo com seus empregados sofra ruídos, ou seja, mal entendidos, boatos e a conhecida popularmente “rádio peão”. Segundo Matos (2009), cada vez mais, a comunicação interna é destacada como fator fundamental para a busca constante da melhoria da qualidade do trabalho:
Ao englobar a atividade e as políticas de emissão e captação de informações, a comunicação empresarial solidifica a cultura (crenças e valores), a filosofia e as estratégias de ação de uma organização. Ou seja, ela é responsável pela formação da imagem institucional, o que é considerado pelos grandes gurus do marketing como o principal patrimônio de uma empresa, de uma entidade, e até mesmo de um profissional.

Conforme Marchiori (2010), podemos inferir que a comunicação interna está embasada na administração de processos de comunicação que

mantenham as pessoas informadas, por meio de redes formais e informais, mas principalmente mediante os veículos de comunicação que existem e determinam a forma de comunicação, provavelmente com o objetivo de cumprir as funções organizacionais, administrativas, políticas e humanas. Neste contexto, a partir de referenciamento bibliográfico e observação empírica, podemos elencar os principais veículos de comunicação

corporativa, em utilização nos dias atuais (em ordem alfabética):

a) Brindes: podem servir tanto como atrativo quanto recompensa, seja em premiações por bons resultados, lançamentos de ações e campanhas, gerenciamento de clima, prêmios entre outros (Amorim, 2010).

b) Clipping: publicação ou instrumento diário que elenca as notícias publicadas na imprensa que citam o nome da empresa, ou ajudam a contextualizar o mercado, economia, política e demais informações relevantes para a empresa. Para Amorim (2010) este recurso é importante para as áreas estratégicas da empresa, pois é a partir dele que é possível identificar como está sendo o tratamento dado à empresa pela mídia, como estão as ações da concorrência etc.

c) Comunicados eletrônicos (E-mail Marketings): são e-mails em formato padronizado, enviados por um mesmo emissor, e que podem conter mensagens curtas, ou links para conteúdos mais extensos. Por seu formato digital, permite que a periodicidade seja esporádica, diária, semanal ou mensal.

d) Informativo / boletim: oferece a informação imediata, objetiva, sob o formato de notas e notícias curtas. A depender da necessidade da empresa, pode ter periodicidade semanal, mensal e até bimestral, variando assim o volume de informações e o aprofundamento do conteúdo.

e) Informativo digital: pode acompanhar a veiculação do boletim

impresso, barateando sua produção por eliminar o custo de impressão, e possibilitando maior alcance das informações. Sua aplicação, no entanto, está condicionada à quantidade de funcionários com acesso à internet e a e-mails corporativos dentro da empresa.

f) Intranet: a web interna é um ambiente virtual que se utiliza de ferramentas e conceitos web para oferecer serviços e processos ao público interno de uma empresa. Por ter acesso restrito por meio de senhas e bloqueios específicos, a Intranet permite que informações sigilosas sejam publicadas online e repassadas para os diversos níveis hierárquicos da empresa, utilizando-se de permissionamentos. Para Turban (2002), as intranets dispõem de recursos de comunicação e colaboração. Portanto, ainda segundo Turban (2002), as intranets têm poder de mudar estrutura e procedimentos organizacionais e a capacidade de ajudar na reengenharia das corporações.

g) Manuais e cartilhas: a elaboração de manuais, glossários e guias que padronizem os procedimentos internos da área são de grande importância na organização e orientação da equipe em momentos de dúvidas ou ausência de quem detenha a informação (Amorim, 2010).

h) Mural: estrategicamente posicionado em locais de fácil e frequente acesso do público interno, permite a visualização por todos os níveis gerenciais da empresa. A impressão de material pode ser feito dentro da empresa, ou de suas Unidades, desde que sempre produzidos por pelo núcleo de comunicação, uniformizando e otimizando a

disseminação de informações. Conforme Mereu (2006), dada a importância das publicações institucionais dirigidas aos empregados e a grande funcionalidade do mural para a comunicação interna nas organizações, atualmente, torna-se necessário destacar e aprofundarse no que compõe este veículo de enorme aceitação do público e de crescente uso nas empresas nos dias de hoje: o Jornal Mural.

a) Revista: Conforme Mereu (2006) produção de revistas demanda

espaço de tempo maior do que os demais veículos e apresenta mais sofisticação e custo maior. Seu conteúdo é mais amplo, mais aprofundado e diversificado. É mais utilizada para se comunicar com o público externo, mas serve também como instrumento de informação para o público interno.

b) Reuniões, workshops e palestras: eventos presenciais destinados à partilha de resultados, educação e aperfeiçoamento corporativo, conscientização e integração interpessoal. Servem como forma de motivação, engajamento e aprimoramento do público interno.

4. MODELO DE COMUNICAÇÃO INTERNA APLICADA NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

A comunicação interna, de acordo com a ISO 14001:2004, é importante para assegurar a eficaz implementação do sistema da gestão ambiental. Para Nascimento (2008), cabe lembrar que todas as

áreas/funções estão inter-relacionadas e, portanto, quanto maior for a harmonia, a comunicação e a cooperação entre as funções, maiores serão as chances de a organização atingir os objetivos esperados. Moreira (2001) defende que entre as estratégias de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, a empresa deve criar e manter procedimentos para a comunicação interna e externa. Desta forma, devem ser criados canais de comunicação organizacional e técnica entre os vários níveis e funções dentro da organização; a empresa deve receber, documentar e responder a comunicação relevante recebida das partes externas

interessadas nos aspectos ambientais e no sistema de gestão ambiental; manter registros das decisões relativas aos aspectos ambientais importantes e sua comunicação as partes externas envolvidas. A identificação do tipo de divulgação pode ter impacto positivo sobre a imagem da instituição, definindo um publico de maior interesse e desenvolvendo estratégias de comunicação externa. Selecionar canais favoráveis, veículos e forma de comunicação deixando claro a intenção de periodicidade da comunicação. Para Matos (2009), o público interno é o que está mais próximo da

empresa, e seu comportamento no ambiente de trabalho desempenha papel decisivo em sua vida. Desta forma, os veículos de comunicação interna passam a ser um instrumento de estímulo funcional, que serve de porta-voz dos planos e metas da empresa. Como métodos de comunicação interna, a Norma aponta que podem: incluir reuniões regulares de grupos de trabalho, boletins informativos, quadros de aviso e intranet. Dentro deste contexto, o que sugerimos a seguir é um modelo de aplicação das ferramentas de comunicação interna expostas neste artigo como forma de auxiliar no processo de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, a partir dos cinco princípios indicados na ISO 14001:2004: política ambiental; planejamento; implementação e

operacionalização; verificação, análise pela administração.

4.1) Política Ambiental: Uma vez definida a Política Ambiental da empresa, esta deve ser tornada pública, para que assim a força de trabalho tome conhecimento das intensões e diretrizes corporativas. A ISO

14001:2004 recomenda que a política ambiental seja comunicada a todas as pessoas que trabalham para a organização ou que atuem em seu nome, incluindo os prestadores de serviço que trabalhem na instalação da organização.

Desta forma, a empresa pode valer-se de algumas estratégias para garantir a divulgação de sua Política Ambiental a todos os níveis gerenciais:

4.1.1) Reunião: O primeiro passo para atrair a atenção do público interno para o tema é a realização de uma reunião com a presença de toda a força de trabalho. É evidente que esta ação dependerá do número de funcionários da empresa, mas sugere-se que todos participem de pelo menos um evento presencial. A reunião deverá ter a presença da alta direção da empresa, mesmo que a apresentação seja realizada por um membro da área técnica.Sugere-se que a reunião, realizada em forma de palestra, contenha uma apresentação de contextualização histórica e

ambiental da empresa, podendo ou não apresentar as normas ambientais vigentes. A partir de então, sugere-se apresentar a Política Ambiental da empresa e como ela deverá ser aplicada nos processos internos.

4.1.2) Mural: Durante a implantação do Sistema de Gestão Ambiental, a Política Ambiental da empresa pode ser fixada no mural (ou murais) da empresa de forma a continuamente lembrar seus funcionários dos objetivos e diretrizes da empresa.

4.1.3) Workshops: eventos de treinamento com duração curta podem ser utilizados como forma de fixar no funcionário a Política Ambiental da empresa e como esta será aplicada a seu dia a dia. Os workshops podem ser realizados workshops, e serão utilizados para sensibilizar o colaborador e engajá-lo no posicionamento ambiental da empresa. É também o momento de se provocar um alinhamento de valores entre aqueles da empresa e os trazidos pelos funcionários. Sugere-se que os workshops sejam realizados em grupos, aplicando-se uma metodologia para cada área do processo produtivo da empresa, a fim de que o funcionário possa visualizar sua aplicação de acordo com o que realiza em suas funções.

4.1.4) Informativos: sejam impressos ou digitais, os informativos já existentes na empresa poderão abordar, em uma de suas seções, informações sobre a Política Ambiental da Empresa. Caso haja, é fundamental que a Palavra do Diretor aborde a questão, como forma de sensibilizar ainda mais a força de trabalho.

4.1.5)

E-mail Marketing: como forma de atrair a atenção dos

funcionários para a questão ambiental, uma série de e-mails marketings periódicos poderá ser criada, funcionando como ferramenta alerta, informação e engajamento. Sendo semanal, o email marketing poderá percorrer todas as etapas de implantação

do Sistema de Gestão Ambiental. Para isto, as peças terão uma identidade visual própria, mantendo o receptor sempre conectado à Política Ambiental da empresa.

4.2) Planejamento: Conforme a ISO 14001:2004, a empresa deverá, após estabelecer a Política Ambiental, elaborar um plano para que esta seja cumprida. O planejamento deverá abranger os aspectos legais, requisitos ambientais e objetivos, metas e programas a serem seguidos. Como tratam-se estudos extremamente técnicos, neste processo devem ser envolvidos apenas aqueles profissionais designados para a realização do planejamento. Sugere-se que seja formado um comitê multidisciplinar para traçar o planejamento do Sistema de Gestão Ambiental. Sendo assim, a comunicação interna poderá atuar em duas frentes, garantindo que o funcionário mantenha-se informado e interessado no processo de implantação do Sistema de Gestão Ambiental da empresa.

4.2.1)

E-mail

marketing:

canal

desenvolvido

para

divulgar

informações sobre a implantação do SGA, o comunicado eletrônico semanal deverá manter o funcionário informado semanalmente. Podem fazer parte desta comunicação a divulgação das últimas ações do comitê, fotos, dados, curiosidades e próximos passos.

4.2.2) Reunião: exclusivamente para a comunicação dos objetivos, metas e programas a serem adotados pela empresa, pode-se realizar uma reunião, ou reuniões, de modo que toda a força de trabalho receba a informação a sinta-se contribuindo para um objetivo comum. As reuniões serão momentos para que a empresa torne público, para seus colaboradores os atributos do programa de cumprimento da Plítica Ambiental – Conforme a Norma, os programas devem incluir: atribuição de responsabilidade para atingir os objetivos e metas em cada função e nível pertinente da organização; e os meios e o prazo no qual estes devem ser atingidos.

4.3) Implementação e operacionalização: Conforme Nicolella (2004), para que a implantação do SGA seja efetiva, a empresa deve desenvolver os mecanismos de apoio necessários para atender o que está previsto em sua política, e nos seus objetivos e metas ambientais. Conforme a ISO 14001:2004, o princípio da Implementação e operacionalização do Sistema de Gestão Ambiental é dividida em sete etapas, quais sejam:

a) Recursos, funções, responsabilidades e autoridades b) Competência, treinamento e conscientização c) Comunicação d) Documentação e) Controle de documentos f) Controle operacional g) Preparação e resposta a emergências

É neste momento, principalmente, que a força de trabalho deverá ser convocada a atuar em prol de um objetivo comum. Portanto, sugerese que o máximo de ferramentas de comunicação seja utilizado, de modo a engajar, motivar e sensibilizar as equipes.

4.3.1)

E-mail Marketing: segue como marca registrada da

implantação do SGA. Importante destacar que suas informações devem ser atraentes, e sempre conter um fator “novidade”, para que o funcionário tenha interesse em lê-las. Suas edições semanais poderão incluir depoimentos, conquistas e personagens deste processo, de forma a aproximar conteúdo e público. O e-mail marketing terá como principal função a conscientização constante da força de trabalho.

4.3.2) Clipping: disponível a todos na Intranet, terá como principal função despertar o funcionário para a importância de suas ações e a contextualização das atitudes da empresa.

4.3.3) Informativos: seja impressos ou digitais, poderão abortar as conquistas desta etapa da implantação do SGA, com fotos, entrevistas, relatórios e artigos de especialistas. Sugere-se que a periodicidade seja mensal. Os informativos assumirão o papel de fornecer informações sobre as responsabilidades referentes ao SGA, bem como oferecer subsídios para a preparação e resposta a emergências.

4.3.4)

Manuais e cartilhas: publicações impressas didáticas

poderão ser produzidas com o intuito de orientar melhor o funcionário na aquisição das novas práticas ambientais. Distribuídos a todos os membros da força de trabalho, manuais e cartilhas contribuem para esclarecer o papel de cada colaborador no processo de implantação do SGA, servindo como material de apoio em caso de dúvidas. Podese publicar cartilhas específicas para cada área de atuação da empresa, como no caso da documentação e controle de documentos; controle operacional; epreparação e resposta a emergências.

4.3.5) Brindes: a distribuição de brindes poderá ser efetiva como forma de motivar o funcionário neste processo. Podem-se instituir prêmios para equipes ou membros de equipes de destaque, ou mesmo a distribuição de um brinde representativo, que faça referência à Política Ambiental da empresa, a todos os funcionários como forma de mostrar que todos estão em busca de um mesmo objetivo.

4.3.6) Mural: de caráter ágil e simplificado, o mural poderá ser aliado no processo de implantação do SGA da empresa, servindo como veículo para informações rápidas e objetivas. Um jornal mural poderá ser criado, como forma de atrair o funcionário para este veículo, sempre com informações novas e curiosidades. O mural pode consolidar-se como ponto de encontro, e portanto integração entre os funcionários. Prazos, metas e avisos importantes podem ser divulgados no mural da empresa, assim como lembrar a todos sobre

recursos, funções, responsabilidades e autoridades.

4.3.7) Workshops: treinamentos e atualizações da força de trabalho são imprescindíveis para o sucesso da implementação do SGA. O funcionário deverá estar capacitado para assimilar no dia a dia as novas práticas ambientais. A aplicação dos workshops poderá ser temática, de acordo com os interesses e atribuições de cada área da empresa. No entanto, é imprescindível que toda a força de trabalho esteja capacitada quanto à preparação e resposta a emergências.

4.3.8) Revista: semestralmente, pode-se instituir a produção de uma revista, com conteúdo mais aprofundado sobre meio ambiente, sustentabilidade e apresentando balanços do processo de

implantação do SGA.

4.4) Verificação

A ISO 14004:2004 orienta que a empresa deverá estabelecer padrões e rotinas para aferir seu desempenho frente a sua Política Ambiental. Cabe à comissão interna de implantação do SGA definir a periodicidade das medições e o método de análise de seu desempenho. Cabe à Comunicação Interna informar aos colaboradores sobre a periodicidade e o método desta aferição. Em caso de não-conformidade e ações corretivas, não é recomendado expor a área ou o funcionário responsável pelo desvio.

4.4.1) Mural: o Mural e o Jornal Mural poderão ser utilizados para comunicar sobre a periodicidade da verificação, além de manter as equipes informadas acerca das Auditorias Internas e seus resultados.

4.4.2) Reuniões: em caso de não-conformidade identificada durante a verificação ou auditorias internas, reuniões podem ser realizadas somente com as áreas envolvidas na questão para determinar ajustes de conduta, ações corretivas e ações preventivas.

4.5) Análise pela Administração

De acordo com a ISO 14001:2004, a alta administração da empresa deverá, em intervalos planejados, analisar o andamento da gestão ambiental para avaliar necessidades de ajustes e adequações, além de oportunidades de melhoria. Diz a Norma:
As saídas da análise pela administração devem incluir quaisquer decisões e ações relacionadas a possíveis mudanças na política ambiental, nos objetivos, metas e em outros elementos do sistema da gestão ambiental, consistentes com o comprometimento com a melhoria contínua.

Sendo assim, é recomendado que, após a análise e definidas a medidas a serem tomadas em relação ao Sistema de Gestão Ambiental, a Comunicação Interna poderá ser utilizada de modo a manter a força de trabalho informada.

4.5.1) Reuniões: a alta administração, ou seus representantes, deverá reunir-se periodicamente com toda a força de trabalho da empresa a fim de comunicar oficialmente seu parecer e eventuais modificações com relação ao Sistema de Gestão Ambiental. Eventualmente, reuniões pontuais entre equipes e seus gestores diretos poderão ser utilizadas para ratificar a mensagem da alta administração.

5. CONCLUSÃO

Apesar de a Comunicação ser citada na ISO 14001:2004 somente no princípio de Implementação e Operacionalização, é em todas as etapas de implantação do Sistema de Gestão Ambiental que esta ferramenta pode ser utilizada. A Comunicação Interna ajuda a empresa a internalizar a Política Ambiental e a gestão ambiental em seus funcionários, contribuindo para que toda a força de trabalho insira as novas práticas ambientais em seu dia a dia. Adequando formato e conteúdo, cada ferramenta existente atualmente no campo da Comunicação Corporativa pode ser utilizada em determinadas etapas da implantação do SGA. O que este trabalho propõe é um modelo de

Comunicação Interna para que esta seja transformada em aliada no momento da implantação de um Sistema de Gestão Ambiental.

Referências ABNT NBR ISO 14001:2004, Sistemas da gestão ambiental – Requisitos com orientações para uso. ALMEIDA, Lilian Maria de Souza; SOUZA, Luiz Gonzaga Mariano de MELLO, Carlos Henrique Pereira. A comunicação interna como um instrumento de promoção da qualidade: estudo de caso em uma empresa global de comunicação. Gest. Prod. [online]. 2010, vol.17, n.1, pp. 19-34. ISSN 0104-530X. AMORIM, Gabriela Porto. Orgulho de Pertencer - Como a Comunicação Interna da Fiat Automóveis estimula e promove o sentimento de pertencimento entre seus empregados. Belo Horizonte: Uni-BH, 2010. Disponível em http://pt.scribd.com/doc/52360221/9/Ferramentas-dacomunicacao-interna - acesso em 30 de janeiro de 2012. CLEMEN, Paulo. Como implantar uma Área de Comunicação Interna: Nós, as pessoas, fazemos a diferença: guia prático e reflexões. Rio de Janeiro: Mauad, 2005. 82p. CURI, Denise (consult.). Gestão Ambiental/Pearson Education do Brasil. – São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011. MARCHIORI, Marlene. Os desafios da comunicação interna nas organizações/ Conexão – Comunicação e Cultura, UCS, Caxias do Sul, v. 9, n. 17, jan./jun. 2010 MARTINS, G. M.; NASCIMENTO, L. F. TQEM – A introdução da variável ambiental na qualidade total. 1998. Disponível em: http://www.gps.ea.ufrgs.br/ - acesso em 06 de janeiro de 2012. MATOS, Gustavo Gomes de. Comunicação Empresarial sem Complicação: como facilitar a vida na empresa, pela via da cultura e do diálogo. Barueri, SP: Manole, 2009. 151p. MEREU, Cristina Soares. O Jornal Mural Como Ferramenta na Comunicação Interna – Uma análise comparativa entre os jornais murais das empresas Emater- MG e BHTrans. Belo Horizonte – MG, 2006. MOREIRA, M. S. Estratégia e implantação do Sistema de Gestão Ambiental (Modelo Série ISO 14000). Belo Horizonte: Ed. DG, 2001. NICOLELLA, Gilberto.; Sistema de gestão ambiental: aspectos teóricos e análise de um conjunto de empresas da região de Campinas, SP / Gilberto

Nicolella, João Fernandes Marques, Ladislau Araújo Skorupa.-- Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2004. 42p.-- (Embrapa Meio Ambiente. Documentos, 39). NASCIMENTO, Luis Felipe; LEMOS, Angela Denise Cunha; MELO, Maria Celina Abreu de. Gestão Socioambiental Estratégica. Bookman Companhia Ed., 2008. 232p. VIEIRA, Paulo Fonseca. Comunicação Organizacional: gestão de relações públicas. Rio de Janeiro: Mauad, 2004. 71p. TURBAN, Efraim; WETHERBE, James C.; MCLEAN, Ephraim. Tecnologia da Informaçao para Gestao. Bookman Companhia Ed., 2002, 3ª edição. 663p.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->