Você está na página 1de 34

OSOS HALETOSHALETOS ORGÂNICOSORGÂNICOS

Ex:

CH 2 Cl 2

CHCl 3

CH 3 I

CF 2 Cl 2

São compostos resultantes da substituição de um ou mais átomos de hidrogênio de um hidrocarboneto por um ou mais átomos de halogênios. Além disso, acreditava-se que substâncias como clorofórmio e haletos aromáticos eram consequência da poluição humana.

OcorrênciaOcorrência naturalnatural dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

• Até a década de 80, poucos compostos halogenados haviam sido obtidos a partir de organismos vivos.

• Atualmente, com o crescente estudo da química de organismos marinhos, as

estruturas de mais de 3.200 compostos halogenados obtidos desta fonte já foram determinadas.

OcorrênciaOcorrência naturalnatural dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

O ambiente marinho é a maior fonte de biótica de compostos halogenados, principalmente pelo ambiente rico em íons cloreto e brometo. Isto explica o “cheiro de mar” exalado de algumas substâncias organo-halogenadas voláteis.

• A alga Asparagopsis taxiformis (“limi kohu”), encontrada no Havaí e muito apreciada pelos “gourmets” pelo seu aroma, fornece vários compostos halogenados:

Br

Br

Br
Br

O

Br

{

CBr 3 CO 2 CH 2 CH 3

CHCl 3

CH 3 Cl

CH 3 Br

CBr 4

CCl 4

}

ImportânciaImportância ee aplicaçõesaplicações dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

• São importantes não apenas como intermediários em síntese orgânica, mas também em diversas aplicações industriais e caseiras.

SolventesSolventes

- São solventes relativamente pouco polares

- Tetracloreto de carbono, clorofórmio, 1,1,1-tricloroetano ReagentesReagentes - Materiais de partida para a síntese
- Tetracloreto de carbono, clorofórmio, 1,1,1-tricloroetano
ReagentesReagentes
- Materiais de partida para a síntese de uma série de compostos
- Reações
de
substituição
nucleofílica,
de
eliminação
e
formação
de
organometálicos, etc

SistemasSistemas dede RefrigeraçãoRefrigeração ee PropelentePropelente emem aerossóisaerossóis

AplicaçõesAplicações dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

PlásticosPlásticos dede usouso domésticodoméstico

PlásticosPlásticos dede usouso domésticodoméstico SangueSangue artificialartificial GásGás

SangueSangue artificialartificial

GásGás lacrimogêniolacrimogênio

artificialartificial GásGás lacrimogêniolacrimogênio Perfluorodecalina (agente hemostático) O C CH 2 Cl

Perfluorodecalina

(agente hemostático)

artificialartificial GásGás lacrimogêniolacrimogênio Perfluorodecalina (agente hemostático) O C CH 2 Cl
O C CH 2 Cl
O
C
CH 2
Cl

AplicaçõesAplicações dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

AtividadeAtividade EcológicaEcológica

• Acredita-se que os organismos vivos utilizem estas substâncias como função de

atração sexual (feromônio), como ação antimicrobiana, repelentes para predadores

e herbívoros, etc.

OH

repelentes para predadores e herbívoros, etc. OH Cl OH Cl Cl Cl 2,6-diclorofenol ( Feromônio do

Cl

OH Cl
OH
Cl

Cl

Cl

2,6-diclorofenol

(Feromônio do inseto Dermacentor Variabilis)

2,4-diclorofenol

(Herbicida – agente laranja)

• O composto clorado Plocameno B, isolado da alga Plocamiun violaceum, possui atividade inseticida contra larvas e mosquitos, semelhante ao DDT.

Cl
Cl
isolado da alga Plocamiun violaceum , possui atividade inseticida contra larvas e mosquitos, semelhante ao DDT.

Cl

Cl

AplicaçõesAplicações dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

PesticidasPesticidas (( DDTDDTss == DDicloroicloro –– DDifenilifenil –– TTricloroetanoricloroetano ))

PesticidasPesticidas (( DDTDDT ss == DD icloroicloro –– DD ifenilifenil –– TT ricloroetanoricloroetano ))

AspectosAspectos EstruturaisEstruturais dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

- A reatividade dos haletos de alquila deve-se ao fato da ligação C-X ser bastante polarizada, com o carbono apresentando uma carga parcial positiva.

com o carbono apresentando uma carga parcial positiva. - Os haletos orgânicos também podem ser vinílicos
com o carbono apresentando uma carga parcial positiva. - Os haletos orgânicos também podem ser vinílicos

-

Os haletos orgânicos também podem ser vinílicos ou arílicos

com o carbono apresentando uma carga parcial positiva. - Os haletos orgânicos também podem ser vinílicos

AlgumasAlgumas propriedadespropriedades físicasfísicas dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

- Os haletos de alquila e arila apresentam baixa solubilidade em água e alta solubilidade em solventes pouco polares.

- Compostos monoclorados e monofluorados possuem densidades menores que 1g.cm -3 , enquanto que os monobromados e monoiodados tem densidade > 1g.cm -3 .

- São normalmente líquidos, e o PE aumenta com a massa atômica do halogênio.

tem densidade > 1g.cm - 3 . - São normalmente líquidos, e o PE aumenta com

REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

- Substituição :

troca de um grupo por outro

- Nucleófilo :

base se Lewis (doador do par de elétrons)

- Substrato : haleto de alquila (R-X)

- Grupo abandonador (retirante): íon halogênio (X - )

do par de elétrons) - Substrato : haleto de alquila (R-X) - Grupo abandonador (retirante): íon
do par de elétrons) - Substrato : haleto de alquila (R-X) - Grupo abandonador (retirante): íon

REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

- A reação de haletos orgânicos com nucleófilos é de grande importância em síntese orgânica, pois permite o preparo de compostos de diversas classes orgânicas.

- Exemplos:

importância em síntese orgânica, pois permite o preparo de compostos de diversas classes orgânicas. - Exemplos:
importância em síntese orgânica, pois permite o preparo de compostos de diversas classes orgânicas. - Exemplos:

REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

SubstratoSubstrato

NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA SubstratoSubstrato NucleófiloNucleófilo -- Ex : R-O - , OH - , etc

NucleófiloNucleófilo

-- Ex :

R-O - , OH - , etc

GruposGrupos retirantesretirantes

-- Fica estável após a separação:

REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

-- Reação geral para SN de um haleto de alquila pelo íon hidróxido

geral para SN de um haleto de alquila pelo íon hidróxido -- Reação geral para SN

-- Reação geral para SN de um haleto de alquila pela água

+ H 2 O
+
H 2 O

REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

Exercícios:

Escrever as reações como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para cada uma:

como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para
como reações iônicas líquidas e indicar os produtos, o substrato, nucleófilo e o grupo retirante para

ReaçõesReações (em(em carbonocarbono saturado)saturado) dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

- Como bases são nucleófilos e nucleófilos são bases, as reações de substituição competem com as reações de eliminação

(a)

substituição competem com as reações de eliminação (a) (b) C X u −−−− C C C

(b)

C

competem com as reações de eliminação (a) (b) C X u −−−− C C C C

X

u −−−−

C

C

C
C C
C

C

C

C

C

(a)

eliminação

E2

(b) C X u −−−− C C C C (a) eliminação E2 (b) H u substitutição

(b) H

X u −−−− C C C C (a) eliminação E2 (b) H u substitutição S 2

u

substitutição

S 2

+

X −−−− X −−−−
X −−−−

MasMas comocomo sabersaber qualqual reaçãoreação éé maismais favorávelfavorável????

Em altas temperaturas, as reações de eliminação são mais favoráveis!

* Eliminação leva a um maior número de produtos

ReaçõesReações (em(em carbonocarbono saturado)saturado) dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

Haletos primários Substituição é favorecida

CH 3 CH 2 O Na + + CH 3 CH 2 Br C 2 H 5 OH

55

o C

3 C H 2 B r C 2 H 5 O H 55 o C (

(−−−−NaBr)

CH 3 CH 2 OCH 2 CH 3 + H 2 C

CH 2

SN2 = 90%

E2 = 10%

Haletos secundários Eliminação é favorecida

CH 3 CHCH 3

Br

C

2 H 5 ONa

é favorecida CH 3 CHCH 3 Br C 2 H 5 ONa C 2 H 5

C 2 H 5 OH, 55 o C

H 2 C

CH

CH 3

+ NaBr

+

C

(79%)

E2 = 79%

2 H

5 OH

Haletos terciários Eliminação é altamente favorecida

H 3 C

CH 3 C
CH 3
C

CH 3

Br

C 2 H 5 ONa

favorecida H 3 C CH 3 C CH 3 Br C 2 H 5 ONa C

C 2 H 5 OH, 55 o C

H 3 C

CH 3

CH 3 Br C 2 H 5 ONa C 2 H 5 OH, 55 o C

C

CH 2

(91%)

E2 = 100%

+ NaBr

+

C

2 H

5 OH

ReaçõesReações (em(em carbonocarbono saturado)saturado) dosdos haletoshaletos orgânicosorgânicos

Substituição x eliminação

CH 3 H 3 CC
CH 3
H 3 CC

CH 3

Cl

CH 3 H 3 CC
CH 3
H 3 CC
CH 3 H 3 CC
CH 3
H 3 CC
eliminação CH 3 H 3 CC CH 3 Cl CH 3 H 3 CC CH 3

OH +

OCH 2 CH 3

CH 3 álcool tert-butílico

CH 3 tert-butil etil ether

80% C 2 H 5 OH

20% H 2 O 25 o C

etil ether 80% C 2 H 5 OH 20% H 2 O 25 o C H

H 2 C

CH 80% C 2 H 5 OH 20% H 2 O 25 o C H 2 C

CH

(83%)

3

3

2-Metilpropeno

(17%)

O 25 o C H 2 C CH CH (83%) 3 3 2-Metilpropeno (17%) SN1 x

SN1

x

E1

A etapa inicial (determinante) é a mesma para ambos os mecanismos (SN1 ou E1).

CH 3 Cl −−−− H 3 CC
CH 3
Cl −−−−
H 3 CC

CH 3

etapa lenta

(SN1 ou E1). CH 3 Cl −−−− H 3 CC CH 3 etapa lenta H CH

H

CH

ou E1). CH 3 Cl −−−− H 3 CC CH 3 etapa lenta H CH 3

3 CC

+

CHou E1). CH 3 Cl −−−− H 3 CC CH 3 etapa lenta H CH 3

3

3

(solvatado)

+

C l −−−− Cl −−−−

(solvatado)

MECANISMOSMECANISMOS DASDAS REAÇÕESREAÇÕES DEDE SUBSTITUIÇÃOSUBSTITUIÇÃO NUCLEOFÍLICANUCLEOFÍLICA

- Dependendo das condições de reação, ela pode seguir o mecanismo SN1 ou SN2.

ReaçõesReações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica bimolecularbimolecular (SN2(SN2))

OcorreOcorre emem apenasapenas umauma etapaetapa

ReaçãoReação dede segundasegunda Ordem:Ordem: ProporcionalProporcional asas duasduas concentraçõeconcentraçõess

asas duasduas concentraçõeconcentraçõess EtapaEtapa determinantedeterminante VelocidadeVelocidade

EtapaEtapa determinantedeterminante

VelocidadeVelocidade dada reaçãoreação == KK 22 [[nn-BuBr-BuBr][OH][OH -- ]]

ReaçõesReações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica bimolecularbimolecular (SN2(SN2))

•• OO estadoestado dede transiçãotransição

nucleofílicanucleofílica bimolecularbimolecular (SN2(SN2)) •• OO estadoestado dede transiçãotransição

MecanismoMecanismo dada reaçãoreação SN2SN2

MecanismoMecanismo dada reaçãoreação SN2SN2 1) O nucleófilo (Nu: - ) ataca por trás o átomo de

1) O nucleófilo (Nu: - ) ataca por trás o átomo de carbono ligado diretamente ao retirante

2) Ocorre a superposição do par de elétrons do Nu: - com o orbital vazio do carbono contendo o grupo retirante

3) A ligação Nu-C é fortalecida e a ligação C-X enfraquece

4) Ocorre a inversão de configuração * e o retirante é “puxado para fora”

EstereoquímicaEstereoquímica dada reaçãoreação SN2SN2

* ataque por trás provoca mudança na configuração : sombrinha vira do avesso!

mudança na configuração : sombrinha vira do avesso! •• ImpedimentoImpedimento estérico:estérico: CH 3

•• ImpedimentoImpedimento estérico:estérico: CH 3 -X (SN2 rápida); R-X (SN2 rápida); R 2 CH 2 -X (SN2 lenta)

ImpedimentoImpedimento estérico:estérico: CH 3 -X (SN2 rápida); R-X (SN2 rápida); R 2 CH 2 -X (SN2

EstereoquímicaEstereoquímica dada reaçãoreação SN2SN2

Reações SN2 sempre ocorrem com inversão de configuração

Br H
Br
H

HO -

sempre ocorrem com inversão de configuração Br H HO - (R)-(-)-2-Bromooctano [ αααα ] D 2

(R)-(-)-2-Bromooctano

[αααα] D 25 = -34,25 o

H OH
H
OH

(S)-(-)-2-Octanol

[αααα] D 25 = +9,90 o

[ α α α α ] D 25 = + 9 , 9 0 o 100100

100100 %% dede purezapureza

enantioméricaenantiomérica

ReaçõesReações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica unimolecularunimolecular (SN1(SN1))

OcorreOcorre emem duasduas etapas:etapas: formaçãoformação dodo intermediáriointermediário ee formformaçãoação dodo produtoproduto

FormaçãoFormação dodo intermediáriointermediário ((carbocátioncarbocátion)) éé aa etapaetapa determinantedeterminante

ReaçãoReação dede primeiraprimeira ordem:ordem: ProporcionalProporcional aa concentraçãoconcentração ddee umum reagentereagente

H 3 C

CH 3

C

CH 3

H

3 C

CH

umum reagentereagente H 3 C CH 3 C CH 3 H 3 C CH C +

C

+

CH

3

3

Br

lenta

H 3 C CH 3 C CH 3 H 3 C CH C + CH 3
H 3 C CH 3 C CH 3 H 3 C CH C + CH 3

- OH

3 C CH 3 C CH 3 H 3 C CH C + CH 3 3
3 C CH 3 C CH 3 H 3 C CH C + CH 3 3

H 2 O

H 3 C

H 3 C

CH

C + CH 3 3 Br lenta - OH H 2 O H 3 C H

C

+

CH

CH 3

C

OH

CH 3

3

3

+

+ Br -

ªª

11 etapaetapa (lenta)(lenta)

EtapaEtapa determinantedeterminante

H 2 O

2ª2ª etapaetapa (rápida)(rápida)

VelocidadeVelocidade dada reaçãoreação == KK 11 [([(CHCH 33 )) 33 -C-C--BrBr]]

ReaçõesReações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica unimolecularunimolecular (SN1(SN1))

•• OO estadoestado dede transiçãotransição

R R C R R R R C R C R R
R
R
C
R
R
R
R
C
R
C
R
R

MecanismoMecanismo dada reaçãoreação SN1SN1

H 3 C

CH 3 C Cl
CH 3
C
Cl

CH 3

lenta

reaçãoreação SN1SN1 H 3 C CH 3 C Cl CH 3 lenta H 3 C CH
reaçãoreação SN1SN1 H 3 C CH 3 C Cl CH 3 lenta H 3 C CH

H 3 C

CH 3 C + + O CH 3 H
CH 3
C +
+ O
CH 3
H

H

H 3 C

CH 3 + C
CH 3
+
C

CH 3

rápida

CH 3 C + + O CH 3 H H H 3 C CH 3 +
CH 3 C + + O CH 3 H H H 3 C CH 3 +

+ Cl -

1)

H 3 C

CH 3 + C O CH 3 H
CH 3
+
C O
CH 3
H

Ajudado por um

solvente polar o cloro sai

e produz um C+

H

2) Uma molécula de água atua como base de Lewis e doa o par de elétrons para

H 3 C

formar um íon terc-butiloxônio

CH 3 CH 3 rápida + + C + H 3 C C O O
CH 3
CH 3
rápida
+
+
C
+
H 3 C
C
O
O
H
O
H
+
H
O
H
CH 3
CH 3
H
H
H

H

3) Uma molécula de água atua como base de B-L e abstrai um próton, formando um

álcool terc-butílico

EstereoquímicaEstereoquímica dada reaçãoreação SN1SN1

Possibilidades :

A B C
A
B
C

X

Nu -

SN1SN1 • Possibilidades : A B C X Nu - A B C Nu + X
A B C
A
B
C

Nu

+ X -

Retenção da configuração

A B A B Nu - X Inversão da configuração Nu + X - C
A
B
A
B
Nu -
X
Inversão da configuração
Nu
+ X -
C
C

2

A B C
A
B
C

X

2 Nu -

Nu - X Inversão da configuração Nu + X - C C 2 A B C
A B C
A
B
C

Nu

+

Nu

B A C
B
A
C

+

2

X -

Racemização

EstereoquímicaEstereoquímica dada reaçãoreação SN1SN1

CH 3 CH 2 CH 2 C Br H 3 C H 3 CCH 2
CH 3 CH 2 CH 2
C
Br
H 3 C
H 3 CCH 2
CH 3 CH 2 CH 2 ataque pela C + frente H 3 C CH
CH 3 CH 2 CH 2
ataque pela
C +
frente
H 3 C
CH 2 CH 3
ataque por
HOH
trás

-Br

C + frente H 3 C CH 2 CH 3 ataque por HOH trás -Br lenta

lenta

CH 2 CH 2 CH 3

C +

H 3 C CH 2 CH 3
H 3 C
CH 2 CH 3

Carbocátion tem estrutura trigonal plana e é aquiral

C

O

+

H

H

HOH

CH 3 CH 2 CH 2

H 3 C H 3 CCH 2

CH 3 CH 2 CH 2 C O H 3 C H 3 CCH 2
CH 3 CH 2 CH 2
C O
H 3 C
H 3 CCH 2

+ H 3 O +

H

2 CH 3 CH 2 CH 2 C O H 3 C H 3 CCH 2

rápida

Enantiômeros

O H 3 C H 3 CCH 2 + H 3 O + H rápida Enantiômeros

rápida

Mistura racêmica

H

O C

H +

H

CH 3 CH 2 CH 2

CH 3 3 CCH 2

CH 3 CH 2 CH 2

CH 3 H 3 CCH 2

O C

H

+ H 3 O +

HOH

Retenção + inversão = racemização

EfeitoEfeito dodo solventesolvente nasnas reaçõesreações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica

EfeitoEfeito dodo solventesolvente nasnas reaçõesreações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica

EfeitoEfeito dodo solventesolvente nasnas reaçõesreações dede substituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica

SolvóliseSolvólise == reações de SN onde o nucleófilo é uma molécula do solvente

águaágua =>=> hidrólisehidrólise

etanoletanol =>=> etanóliseetanólise

é uma molécula do solvente águaágua =>=> hidrólisehidrólise etanoletanol =>=> etanóliseetanólise

FatoresFatores queque afetamafetam asas velocidadesvelocidades dasdas reaçõesreações SN1SN1 EE SN2SN2

Efeito da estrutura do substrato

SN2SN2::

- ordem de reatividade de haletos de alquila:

metila > primário > secundário >> terciário (não reage)

- haletos terciários, p.ex., tem bloqueio estérico de grupos volumosos que

SN1SN1::

dificultam o ataque.

- ordem obedece à estabilidade relativa do carbocátion:

terciário > secundário > primário > metila (não reage)

- praticamente só carbocátion terciário reage

- carbocátions primários e secundários não competem com SN2

Efeito da concentração e da força do nucleófilo

- influencia somente em SN2 (segunda ordem)

- bons nucleófilos são também bases fortes e reagem rápido com substrato:

RO - > HO - >> RCO 2 - > ROH > H 2 O

Efeito do solvente sobre SN2: solventes polares e apróticos

- água e alcoóis (solventes polares próticos) solvatam o íon haleto pela formação de ligação H (desfavorável)

- nucleofilicidade relativa em solventes próticos:

SH - > CN - > I - > OH - > Br - > Cl - > H 2 O

- DMF e DMSO são solventes polares apróticos: dissolvem compostos iônicos e não formam ligações de hidrogênio (favorável)

- ordem de nucleofilicidade relativa em DMSO, por exemplo:

F - > Cl - > Br - >

I -

Efeito do solvente sobre SN1: capacidade de ionização do solvente

- uso de solventes polares e próticos: solvatam cátions e ânions, e elevam a

velocidade de ionização de haletos de alquila (favorável)

- água é o melhor solvente, mas muitos compostos orgânicos não dissolvem

em água, por isso usam-se solventes mistos polares

Mecanismo SN1 x

SN2

Fator

S N 1

S N 2

Substrato

Nucleófilo

Solvente

Grupo

abandonador

3° (necessita a formação de um carbocátion estável)

Base de Lewis fraca, molécula neutra, o nucleófilo pode ser o solvente (solvólise)

Prótico polar (Ex: álcoois, água)

Metil > 1° > 2° (necessita de substratos desbloqueados)

Base de Lewis forte, onde a velocidade depende da concentração do nucleófilo

Aprótico polar (Ex: DMF, DMSO)

I > Br > Cl > F para ambos o S N 1 e S N 2 (Quanto mais fraca a base, depois da partida do grupo, melhor será o grupo abandonador/retirante)

Exercícios

1) Justifique as porcentagens dos produtos formados nas seguintes reações:

a) CH 3 CHBrCH 3

b) CH 3 CHBrCH 3

C 2 H 5 O - Na + / C 2 H 5 OH

3 C 2 H 5 O - Na + / C 2 H 5 OH 55

55 o C

(CH 3 ) 2 CHOC 2 H 5

(21%)

+ CH 3 CH

(79%)

C 2 H 5 OH

CHOC 2 H 5 (21%) + CH 3 CH (79%) C 2 H 5 OH 55

55 o C

(CH 3 ) 2 CHOC 2 H 5

(97%)

+ CH 3 CH

(3%)

CH 2

CH

2

2) Preveja e justifique a ordem de reatividade do iodeto de sódio em acetona (condição que favorece a reação SN2) com os seguintes haletos de alquila :

CH 3

que favorece a reação SN2) com os seguintes haletos de alquila : CH 3 ( I

( I )

Cl

que favorece a reação SN2) com os seguintes haletos de alquila : CH 3 ( I

( II )

Cl

H 3 C

Cl

que favorece a reação SN2) com os seguintes haletos de alquila : CH 3 ( I

( III )

3) Determine o produto principal (majoritário) e escreva o mecanismo completo das reações de SN abaixo, esboçando para cada reação um gráfico detalhado de energia versus coordenada de reação:

a)

b)

c)

d)

e)

Cloropentano

+

CH 3 CH 2 O -

(R)-2-bromobutano

+ - OH

50 o C

H 2 O - (R)-2-bromobutano + - OH 5 0 o C CH 3 CH 2

CH 3 CH 2 OH

25 o C

+ - OH 5 0 o C CH 3 CH 2 OH 2 5 o C

(S)-3-bromo-3metilhexano

25 o C

CH 2 OH 2 5 o C (S)-3-bromo-3metilhexano 25 o C CH 3 OH 3-clorohexano +

CH 3 OH

3-clorohexano

+

CH 3 CO 2

-

50 o C

C CH 3 OH 3-clorohexano + CH 3 CO 2 - 50 o C CH 3

CH 3 CO 2 H

brometo de ter-butila

25 o C

CH 3 OH 3-clorohexano + CH 3 CO 2 - 50 o C CH 3 CO

CH 3 OH