Soluções simples aplicadas à conservação das hortaliças - verdurão eficiente

Um comerciante que compre produtos de qualidade e a bons preços de fontes confiáveis, poderá perder dinheiro se não estiver atento para as causas de depreciação de seus produtos e as perdas. Para esclarecer e soltar a imaginação dos comerciantes para soluções simples comecemos analisando as variáveis físicas que governam a economicidade e a conservação durante a comercialização das hortaliças: 1) Aumente a eficiência do uso de energia no seu estabelecimento; 2) A temperatura deve ser a menor possível para cada produto. A vida de prateleira das hortaliças aumenta 20 a 30% para cada grau de redução na temperatura; 3) Mantenha a umidade relativa elevada. 4) Reduza ao máximo os danos mecânicos infringidos as frutas e hortaliças. Reclame seus direitos. Somente receba produtos livres de amassamentos, impactos cortes, esfoladuras e outras injúrias mecânicas. Simplesmente não receba cargas com produtos hortícolas visivelmente mal tratados. Parece que o problema é fácil, são só quatro variáveis para aumentar os ganhos em 5%, 10% ou quem sabe até muito mais. Com vontade, mesmo sem dinheiro, é possível melhorar em cada um dos itens mencionados. Começando pelo item 1, elimine do supermercado as fontes e entradas de calor. Para isto as paredes externas e internas devem ser de cores claras. Empregue lâmpadas de luz fria em quantidade não excessiva. Elimine do interior do estabelecimento todos os tipos de motores, os compressores e condensadores dos sistemas (parte quente) e os reatores de lâmpadas. Tipicamente estas fontes de calor devem ficar ao lado ou sobre o teto do estabelecimento. Não use unidades refrigeradoras que liberem o calor removido, do produto, diretamente no interior de seu estabelecimento. Condensadores e compressores precisam ficar do lado de fora. Ainda sobre o uso da energia, é bom ter em mente os seguintes cuidados: 1) reduza a entrada de ar externo nos horários mais quentes; 2) Não deixe a luz direta do sol entrar através de vidraças (efeito estufa); 3) pintar de branco o telhado pode reduzir a temperatura interna em mais de 3 graus durante as horas mais quentes do dia; 4) Uma arborização adequada também pode melhorar o ambiente do estabelecimento, tanto sob o ponto de vista de temperatura, quanto de umidade do ar, além de compor uma paisagem, que pode comercialmente ser atrativa. Tendo tido cuidado com os aspectos já mencionados, certamente haverá economia de gastos com energia e um ambiente mais agradável para seus clientes e funcionários trabalharem com mais conforto. Em adição a isto ficará mais barato para conseguir as condições ideais de temperatura e umidade relativa para os seus produtos perecíveis. Neste ponto deve-se lembrar que há uma gradação de necessidades de frio para os diferentes produtos. Por esta razão, com os compressores e condensadores no lado de fora, torna-se medida de bom senso agrupar câmaras e prateleiras para fazer com que o frio perdido por um balcão frigorífico minore a necessidade de frio de produtos mantidos em outras câmaras ou prateleiras ao seu redor. Com bom planejamento o mercado pode ter ambientes com temperaturas e umidades relativas apropriadas para os diferentes produtos comercializados, a baixo custo. Sobre a gradação das necessidades de frio durante a comercialização, há produtos sensíveis a resfriamento como o pepino e a batata-doce que devem ser armazenados em temperaturas entre 12 e 15 oC. Há produtos intermediariamente sensíveis como a melancia e o melão, que devem ser armazenados entre 7 e 10oC. Num outro extremo, há um grande grupo de produtos que não são sensíveis ao resfriamento, os mais beneficiados pelo frio, que podem ser armazenados em temperaturas superiores ao ponto de congelamento de cada uma destas hortaliças. São produtos deste tipo a alface, o brocolos, a couve, o repolho, a beterraba, a cenoura, o alho e a cebola. Depois da temperatura, o segundo item de maior importância é a umidade relativa do ar. O mercado nunca poderá ter o ar muito seco, pois este deve ser um local agradável para os clientes e apropriado para a conservação dos produtos hortícolas. Em regiões sujeitas a períodos extremamente secos, é recomendável o emprego de umidificação do ar com emprego de nebulizadores com bicos de alta pressão, que não só aumentam a umidade relativa no estabelecimento, como também contribuem para a redução da temperatura. Sob o ponto de vista de umidade relativa, os produtos apresentam requerimentos muito diferenciados. As flores, folhosas e as raízes precisam dos ambientes mais úmidos e poderão inclusive ter nebulizações periódicas. Em seguida também requerem ambientes úmidos os frutos como a berinjela, o chuchu, o jiló, o

pepino, o pimentão e o morango. Outros produtos como o coco, o melão e o tomate são menos sensíveis a desidratação, mas mesmo assim devem ficar sob umidade relativa do ar superior a 90%. O alho, a batata e a cebola devem ser armazenados sob umidade relativa menor, entre 70 e 90%. O último tópico físico considerado refere-se as injúrias mecânicas. É comum que mais de 10% das hortaliças sejam descartadas durante a comercialização porque apresentaram amassamentos, rachaduras e quebras de pedúnculos e pecíolos, dentre outros danos severos. Em adição a isto, as frutas e as hortaliças que sofreram danos mecânicos severos tem o aroma e o sabor prejudicados. Sob o ponto de vista puro de reduzir perdas qualitativas e quantitativas os seguintes aspectos mínimos são essenciais para se oferecer produtos com níveis aceitáveis de injúrias mecânicas: 1) manuseie as embalagens e os produtos com cuidado, nunca aplique impactos, nunca jogue o produto, trabalhe com rapidez e delicadeza; 2) sempre que possível exija boas embalagens que dêem proteção aos produtos; 3) não receba produtos excessivamente danificados por transporte inadequado ou desleixo dos transportadores, coloque este tipo de clausula nos contratos de compra; 4) planeje bem os seus balcões e prateleiras; 5) nunca faça pilhas excessivamente altas de produtos sensíveis ao amassamento como o tomate, a manga e a maçã; 6) instrua bem seus funcionários sobre os procedimentos de trabalho.

Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-Colheita

Abóbora e Moranga
Quando os frutos de abóbora e de moranga quando colhidos ainda verdes eles possuem um tecido dermal fotossintético tenro e permeável ao vapor de água e a outros gases. Em cerca de um mês o fruto se desenvolve a morfologia das células epidermais se modifica, as paredes celulares ficam mais espessas, ocorre a deposição de cera e o desenvolvimento dos tricomas das nervuras típicas de cada cultivar (Sutherland & Hallett, 1993). O processo de maturação pode envolver a degradação de clorofila e mudança de coloração dependente de cultivar. Com a maturação, estes frutos acumulam mais matéria seca, principalmente amido, ficam mais firmes e com casca protetora forte, o que lhes confere boa resistência a injúrias mecânicas e a desidratação. No fruto maduro as semente estão desenvolvidos e a cavidade do fruto enche-se de ar, o que torna o fruto menos denso do que água. A cavidade de ar no interior do fruto comunica-se com as lenticelas e estômatos, as aberturas na casca do fruto, através de volumes gasosos intercelulares da polpa (?4% v/v) através dos quais permeia o oxigênio e outros gases (Calbo & Nery, 1994). A imersão da abóbora em água a 50oC por até 12 minutos altera a disposição das placas de cera na epiderme e em conseqüência diminui a transpiração (Arvayo et al., 1994 ). Os ferimentos quebram proteção dermal temporariamente, até que o fruto venha a cicatriza-la. Segundo Hawthorne & Sutherland (1991) a moranga e a abóbora respondem rapidamente através do vazamento de seiva que seca e endurece. Em seguida, sob esta camada rica em enzimas inibidoras de protease (Sharrock & Parkes, 1990) ocorre a formação de camadas de células planares de periderme. Nos frutos que já atingiram o tamanho máximo é comum uma resposta menos eficaz, na qual a área ferida fica revestida por uma massa de células, denominada calo, que eventualmente racha, e neste caso deixa o fruto mais susceptível ao desenvolvimento de podridões. Os ferimentos na casca induzem da atividade de peroxidade e a síntese de etileno nos tecidos a até 0,5mm de distância do ferimento. Sob as reações iniciais defesa ocorre a síntese de lignina, de fitoalexinas e a formação da periderme protetora (Hyodo et al., 1991). Com estas diferenças Hawthorne (1990) explicaram porque os frutos colhidos duas a 4 semanas após o atingimento do tamanho máximo são mais susceptíveis a podridões do que frutos mais novos. No Brasil tem se utilizado uma grande variedade de tipos de abóboras, de morangas e de híbridos interespecíficos, que diferem no formato, tamanho, cor da casca, cor da polpa, firmeza, teor de amido, teor de matéria seca e capacidade de armazenamento e sabor. Com toda esta variabilidade não é surpreendente que haja um grande número de pratos doces e salgados nos quais se utilizam as abóboras e morangas como rica fonte de retinol, pró-vitamina A e carbohidrados. A região na qual há uma maior variabilidade entre as cultivares comercializadas é na região Nordeste onde o consumo dessas hortaliças é mais arraigado (Luengo & Lopes, 1995). Sejam frutos verdes de tamanho adequado para o mercado a que se destina, sejam frutos frutos maduros, a colheita deve ser feita pelo corte do pedúnculo com faca afiada e higienizada, deixando 2 a 5cm de

pedúnculo. A higienização da faca deve ser feita imergindo-a periodicamente em uma solução de hipoclorito, preparada misturando-se 1 litro de água sanitária em 4 litros de água. A remoção completa do pedúnculo (quebra) torna o fruto mais susceptível a podridões (Hawthorne, 1989). A colheita de frutos verdes usualmente é iniciada dois meses após a germinação, enquanto a de frutos maduros tipicamente ocorre de 4 a 5 meses após a germinação. Faltam informações adequadas sobre o ponto de colheita que assegure a melhor qualidade organoléptica para os frutos maduros das diferentes cultivares de abóbora e moranga no Brasil. Tipicamente, estes frutos tem sido colhidos quando a casca fica firme, no entanto. Durante a maturação no campo o teor de matéria seca no fruto aumenta até atingir um máximo e depois começa a diminuir, enquanto o teor de sacarose e outros tende a ficar estabilizado ou mesmo durante o armazenamento (Harvey et al., 1997). Estes autores relataram que a firmeza da casca medida com penetrômetro e o número de graus dia após a ântese são as melhores formas de determinar o ponto de colheita para estes frutos, no entanto, os valores destes parâmetros para a colheita das cultivares de abóbora e moranga cultivadas no Brasil ainda não foi desenvolvido. O manuseio dos frutos verdes deve ser feito com maior cuidado e em ambientes de umidade relativa elevada para se evitar as esfoladuras e o murchamento. A abóbora verde, substitui a abobrinha italiana a chamda abobrinha de moita (Cucurbita pepo). As abobrinhas têm sido acondicionadas em caixas de madeira forradas com papel para reduzir as esfoladuras e diminuir a perda de água. Nos supermercados a acomodação de alguns frutos envoltos por uma camada de PVC transparente sobre uma bandeja de isopor, o emprego de filmes plásticos aderidos aos frutos individuais e a aspersão de água sobre frutos nos balcões têm sido os métodos mais comuns empregados para aumentar a vida útil das abobrinhas na comercialização. O armazenamento prolongado (2 a 5 meses) de acordo com a cultivar pode ser efetuado em ambientes com 60 a 80% de umidade relativa e sob temperaturas ligeiramente superiores a 12 °C (12 a 14 oC). Abóbora e moranga maduras possuem vida útil longa e alguns genótipos podem ser armazenados por mais de 3 meses mesmo em ambientes com temperatura ao redor de 20°C (Luengo & Lopes, 1995). Só frutos maduros, sadios, sem ferimentos e com pedúnculo bem aderido podem ser armazenados. Sob temperaturas superiores a 12°C e em umidade relativa superior a 95% ocorre a cicatrização de ferimentos superficiais. Apesar disto, o emprego prolongado de umidade relativa elevada para a cura não é recomendável (Hawthorne, 1989). A abóbora e a moranga são sensíveis a injúria de resfriamento e por isto devem ser armazenadas em temperaturas inferiores a 10°C. Em estudos para a exportação de morangas Wright & Grant (1999) observaram que pré-tratamentos dos frutos por armazenamento em temperaturas de 5 e 10 oC causou aumento das podridões causadas por Penicillium e Botrytis cinerea durante o transporte marítimo por 14 dias, entre 12 e 14 oC. O desenvolvimento dos sintomas de injúria de resfriamento, que envolve perda de semipermeabilidade das membranas celulares, ocorre de maneira acelerada depois queproduto é retornado para a temperaturas de ambiente, próximas a 20oC, (Lee & Yang, 1996). O sabor da abóbora e da moranga é beneficiado pela prevalência de temperaturas elevadas na fase final de maturação dos frutos. Bycroft et al. (1999) observaram que a exposição da moranga a uma temperatura de armazenamento de 33oC por uma semana causou um aumento de aproximadamente 250% no teor de sacarose deste fruto, que foi em seguida armazenado por 7 semanas a 12oC. Este aumento de sacarose foi percebido como aumento de doçura pelos membros do painel de avaliação sensorial. A abóbora e a moranga também têm sido comercializadas na forma minimamente processada. No caso da abóbora, a agregação de valor pode chegar até 8 vezes em relação ao preço do mesmo produto in natura. Quando minimamente processada, a abóbora é oferecida ao consumidor cortada em cubos dispostos em bandejas de isopor recobertas com filmes de PVC.

Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita
REFERÊNCIAS ARVAYO, O.; GARZA, O.S.; YAHIA, E.M. Postharvest response of winter squash to hot-water treatment, temperature, and length of storage. HortTechnology, v. 4, n. 3, p. 253-255, 1994. BYCROFT, B.L.; CORRIGAN, V.K.; IRVING, D.E. Heat treatments increase sweetness and flesh colour of buttercup squash. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science, v. 27, n. 4, p. 265-271, 1999. CALBO, A.G.; NERY, A.A. Methods to measure gaseous volume in plants. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal, v. 6, n. 2, p. 153-162, 1994. HAWTHORNE, B.T. Effects of cultural practices on the incidence of storage rots in Cucurbita spp. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science, v. 17, n. 1, p. 49-54, 1989. HAWTHORNE, B.T. Age of fruit at harvest influences incidence of fungal storage rots on fruit of Cucurbita maxima D. hybrid 'Delica'. New-Zealand-Journal of Crop and Horticultural Science, v.18, n. 2-3, p. 141-145, 1990. HAWTHORNE, B.T.; SUTHERLAND, P.W. Wound repair processes in fruit of the Cucurbita maxima hybrid 'Delica' and the role of scar tissue in the development of fungal rots on stored fruit. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science, v. 19, n. 1, p. 53-60, 1991. LEE, K.A.; YANG, Y.J. Effects of low temperature and CA on quality changes and physiological characteristics of chilling injury during storage of squash (Cucurbita moschata). Journal of the Korean Society for Horticultural Science, v. 39, n. 4, p. 402-407, 1998.

R. A maioria das alfaces tem constituição física frágil e são sensíveis a ferimentos e à desidratação. 4. A velocidade de deterioração da alface aumenta rapidamente com a temperatura acima de 0°C. Bartz. Horticultura Brasileira. 27. A alface pode ser lavada com água de boa qualidade sanitária. P. próximo a 7. Com isto. 1995. que se forma após o início do pendoamento.W. Felizmente começa a ficar mais popular no Brasil o emprego de caixas plásticas retornáveis. v. sob água corrente.F. caixas de papelão e refrigeração causou um grande aumento da vida útil. a alface passou a ser transportada com sucesso em trens e caminhões através de distâncias superiores a 2000 km.0. A presença de impurezas sólidas e matéria orgânica na água causam uma rápida exaustão do cloro ativo. GRANT.F. 1993. porém do ponto de vista de pós-colheita a alface sofreria menos injúrias mecânicas e se conservaria melhor se não sofresse a lavação. neste caso. Na redução de injúrias mecânicas também pode contribuir o aumento do consumo de cultivares repolhudas.LUENGO.. Na maioria das cidades brasileiras ainda falta tratamento de esgotos e isto tem feito com que o uso da água dos rios para a lavação de hortaliças seja causa da transmissão de bactérias e vermes patogênicos. 1999. v. A colheita da alface é feita com uma faca. a lavagem da alface é feita em sistemas fechados. Effects of pre-shipping storage conditions on buttercup squash quality rots. A lavação pode ser feita com água fria 0 a 2 oC. SUTHERLAND. livre de impurezas sólidas e preferencialmente em chuveiros. p. As duas formas mais comuns de pré-resfriamento são o hidro-resfriamento e o resfriamento a vácuo. K. O pré-resfriamento a vácuo deve ser efetuada em alface nua ou envolvida por um filme plástico suficientemente perfurado.G. propicia um aumento de mais de um dia na vida útil da alface. Alternativamente caixas de dimensões adequadas de laminado de madeira ou papelão poderiam ser empregadas para reduzir a perda de água. O pré-resfriamento da alface até 1 oC pode ser feito já na operação de lavagem ou então com o produto já acondicionado. 1. enquanto ainda não se percebe sabor amargo. p. reduzindo-se a pressão até 4. WRIGHT. cuticle. S. haveria o benefício do pré resfriamento que será oportunamente considerado. n. Há. No Brasil a alface tem sido comercializada em engradados e em caixas K similares aquelas que eram utilizadas nos EUA até o final da década de 40. selecionada e embalada sem lavar. v. 1986).L. pois esta entra em senescência rapidamente. que deve periodicamente ser enxaguada em água e desinfestada em uma solução de água sanitária 5 gramas de hipoclorito de sódio (ou cálcio) por litro. SHARROCK. A alta relação superfície/volume da alface e a necessidade de emprego de embalagens que resistam água livre para o hidro-resfriamento fazem com que o préresfriamento a vácuo seja o processo mais econômico.. a disposição concentrica das folhas reduz dificulta a perda de água e a ocorrência de danos mecânicos. Estima-se que as perdas causadas pelo descarte das folhas quebradas e feridas represente mais de 20% da massa de alface colhida no Brasil. cultivares roxas e cutivares tipo romana. p. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science. v. . em caixas de papelão. PARKES. J. n. A alface apresenta grande diversidade e. A vida útil da alface a 3°C é apenas 50% da vida útil a 0°C. Para reduzir a perda de água no pré-resfriamento a vácuo as cabeças de alface normalmente são pulverizadas com água antes do fechamento das caixas.6mm Hg a pressão de vapor da água a 0 oC . cultivares de folha solta lisa e crespa. Redução maior da pressão pode causar a formação superficial de gelo (Pasqualone. n. a cabeça não deve ficar excessivamente firme. os amassamentos e as quebras de folhas. diretamente no campo. No armazenamento. D. Nos Estados Unidos. Durante o pré-resfriamento a vácuo a alface perde 1 a 2% de sua água. Esta conservação melhor tem justificado que a alface em algumas regiões seja colhida.J. na verdade.) A alface deve ser colhida com um desenvolvimento vegetativo mínimo. As folhas externas doentes ou muito machucadas devem ser removidas na toalete preliminar. Physiological changes during development and storage of fruit of buttercup squash in relation to their susceptibility to rot. o eqüivale a 1 litro de água sanitária em 4 litros de água..C. A remoção imediata do calor de campo. 4. A concentração de cloro ativo e o pH. Anatomy of fruit of buttercup squash (Cucurbita maxima D. então.A. 67-72. Nestas cultivares. 337-343. 1995. P. com emprego de pré-resfriamento. tonéis e caixas de água. a temperatura nunca pode ficar menor que -0. Quando manuseadas com cuidado e sob umidade relativa elevada. no entanto. Na alface repolhuda. I. 1990. R. 1. 35-37. dentre outras. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science. 21. devem ser confirmados varias vezes ao dia com o emprego de "kit" para análise de água. p. HALLETT. Comportamento pós-colheita de frutos de abóbora e moranga. Se a disponibilidade de água de boa qualidade for pouca. 185-196. n. uma demanda dos consumidores por folhosas superficialmente limpas. o emprego destas cultivares de alface mais resistentes. LOPES. sua vida útil fica limitada pela rápida senescência. Na lavação remove-se o látex da base do caule e as impurezas superficiais da folha. que causam problemas de saúde pública (Silva et al. 1999). New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science.. and epidermis. Assim. 18. há cultivares repolhudas lisas e crespas. onde se deve empregar cloro ativo (100mg/litro de hipoclorito de sódio ou cálcio) na sanitização.5 oC pois neste caso ocorre o congelamento e a deterioração do produto. Laboratório de Pós-colheita Alface (Lactuca sativa L..) surface. 13. juntamente com o uso de técnicas como o pré-resfriamento.

As cultivares de alho tipicamente tem cor branca ou roxa. O defeitos mais graves do alho são o chochamento. visto que as raízes produzem hormônios denominados citocininas que atrasam o amarelecimento e a senescência das folhas. rachaduras e os danos de pragas (Brasil. Cultivares comuns apresentam mais de 20 dentes por bulbo. Brasília. J. No armazenamento as perdas por chochamento podem também ter outras causas. a brotação e o apodrecimento. Washing fresh fruits and vegetables: lessons from treatment of tomatoes and potatoes with water. deve-se suspender a irrigação 2 a 3 semanas antes da colheita.. 1996) O alho deve ser colhido quando cerca de 2/3 de sua folhas já começam a amarelecer e ou secar. PASQUALONE. Rivista di Frutticoltura e di Ortofloricoltura.A. MESSIAS. O armazenamento prolongado deve ser feito após a toalete dos bulbos apropriadamente curados.853-864. 1995. São Paulo. Adicionalmente. roxas que produz dentes grandes apresenta perfilhamento. v. J. ou outros tipos de contentores plásticos. O alho é um produto reconhecido pelo seu valor medicinal e usado principalmente como tempero. as raízes não são cortadas na colheita. S.B. 1996). esta cultivar é bem aceita por comerciantes e consumidores. n. Outros defeitos que podem ter importância variável são os ferimentos. 1994.. 19. diretamente na casa-de-vegetação (estufa). S. alface hidropônica não precisa sofrer o processo de lavação e é embalada dentro de sacolas. p. Neste tipo de armazenamento a perda de água e chochamento são as principais causas de perdas pós-colheita (Finger & Puiatti. p. A cultivar Peruano. Para colher os bulbos mais secos. L. 1999. n. C. Alho (Allium sativum) O alho é uma hortaliça de bulbo muito protegida contra a água formada por bulbilhos (dentes) um número variável de dentes protegidos individualmente por uma túnica e protegidos coletivamente por uma túnica de folhas secas. 1986. que requer os melhores cuidados já descritos com o ajuste de temperatura e o manuseio cuidadoso para evitar danos às folhas. 2. de A. solto ou em réstias (Figura 3) ou sem a rama em caixa e sacos. Prove sperimentali di prerefrigerazione sotto vuoto di alcuni prodotti ortofrutticoli. Horticultura Brasileira. O corte das ramas ainda verdes expõem tecidos vivos e feridos a ação de patógenos. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. A alface exposta com as folhas para cima perde água mais rapidamente.. v. MARZOCHI.18. M.. 1986) A principal vantagem da armazenagem do alho é permitir a venda do produto por melhor preço em períodos de entressafra. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BARTZ. MARQUES. visto que estas deficiência minerais tornam os bulbos mais susceptíveis ao chochamento por desidratação. 28..L. Este é um fator importante para aumentar a durabilidade desta alface. p. Dairy. No transporte e na comercialização a alface não deve ser colocada próxima de frutos climatéricos e outras fontes de etileno.. O alho pode ser armazenado com a rama. SP). O corte das ramas deve ser feito deixando-se um pescoço de pelo menos 2cm. o corte muito rente da rama causa aumento de deterioração no armazenamento. que podem ser cultivados no Brasil. o chochamento com amarelecimento interno e nas escamas dos bulbilhos é usualmente causado por nematóides como o (Ditylenchus dipsaci). Não se prestam para o armazenamento prolongado os bulbos que sofreram deficiência de cálcio ou boro durante o cultivo. v. 48.preferencialmente. NEVES FILHO. Como este é um produto muito sensível ao murchamento deve-se ter o cuidado adicional de colocar as cabeças com a parte cotada para cima e nebulizar freqüentemente de maneira a não deixa-lo perder o frescor. Atualmente já há vários alhos nobres.232-238. 1998. 237-241. SILVA. Food and Environmental Sanitation.B.A. CEAGESP (São Paulo. Como este defeito não chega a causar sérios prejuízos à conservação. Classificação de alface. CAMILLO-COURA. e produz os chamados bulbo sorriso nos quais a túnica não envolve os bubilhos.. no sistema denominado hidropônico. O alho pode ser conservado por 4 a 6 meses em armazéns não refrigerados.. v. Analise econômica preliminar de uma unidade de resfriamento a vácuo de alface. P. 3. Após a colheita as ramas só devem ser cortadas após estarem amareladas e secas (cura). Por exemplo. Bulbos colhidos ainda imaturos deterioram rapidamente e a colheita muito tardia também causa aumento de perdas. que causam apodrecimento. 2000. 45-50. CORTEZ. A principal substância pungente que compõem o sabor característico do alho é o dialil dissusfeto que compõem aproximadamente 70% dos compostos voláteis deste produto (Wu et al. No caso da alface produzida em meio líquido. J. L. porque este gás causa o desenvolvimento de manchas escuras a partir das nervuras. Estudo da contaminação por enteroparasitas em hortaliças comercializadas nos supermercados da cidade do Rio de Janeiro.N. Estas cultivares de alho nobre possuem menos de 20 dentes ou bulbilhos e formam um bulbo com diâmetro da ordem de 6cm. n. a comercialização da alface deve ser efetuada em gôndolas refrigeradas. uma das cultivares. pode ou não ocorrer tombamento dependendo da cultivar. L. outros tipos de chochamento podem envolver a ação de ácaros e . da. A. 12. Os bulbos com rama seca soltos ou em réstias servem para o armazenamento de curta duração feito na propriedade agrícola.3. A embalagem da alface hidropônica deve conter um rótulo de período de validade. n.C. p. A alface hidropônica é um produto com maior valor agregado. de A. CARDOSO. Luengo et al.

1952. 1981. porém causam excessiva desidratação e deterioração do alho. Assim os bulbilhos armazenados em baixa temperatura brotam rapidamente quando voltam para temperaturas próximas a 20 oC.. Maxie et al.0 oC (Bottcher & Gunther. BRASIL Ministério da Agricultura. v.199-203. 1994). 40. J.O.W. Temperaturas entre 5 e 15 °C são ótimas para a quebra da dormência e tem efeito de vernalização (Mann. 1971. 637-640. 166-168. como os ácaros que causam chochamento dos bulbilhos.A. 1. Potential applications of ionizing radiation in postharvest handling of fresh fruits and vegetables. 1994. V.P. Institution California University. O alho é uma das poucas hortaliças que deve ser armazenada sob umidade relativa do ar baixa (70 a 85%). A brotação do alho pode ser controlada como o uso de uma dose ao redor de 100 Gy de irradiação gama de fontes de Césio (137Ce) ou de Cobalto (60Co) (Kader. II. porém inibem o desenvolvimento da brotação dos bulbilhos. v. Pesquisa Agropecuária Brasileira. GUNTHER. 581-584. 21. Comissão Técnica de Normas e Padrões.2.A. Anatomy of the garlic bulb and factors affecting bulb developement. Normas de identidade.. 1986. que não deva ser utilizado pelos agricultores. 1996). BOTTCHER. Kader. I. Horticultura Brasileira. Umidade relativa inferior a 70% causa excessiva perda de água e umidade maior que 85% pode favorecer o apodrecimento dos bulbos mesmo que não ocorra condensação de água na superfície deste produto.. Food Technology. Chochamento do alho "Amarante" durante o armazenamento em função da época de colheita. n. Em termos de se Temperaturas próximas a 0 oC também causam quebra da dormência e vernalização.L. 6.. L. p. H. F. EL-OKSH. Apesar de numerosos estudos terem evidenciado que frutas e hortaliças irradiadas com fontes que não causem radiação induzida serem seguras. n. n. P. 1996. p. S. Santos et al. A remoção das folhas protetoras dos bulbilhos causa a quebra da dormência. I.. TIAN. 7. Por esta razão o alho deve ser armazenado em temperaturas ao redor de zero graus. estas temperaturas mais baixas de armazenamento envolvem o risco de perda do produto por congelamento se não houver controle acurado de temperatura na câmara fria ou se o alho armazenado não estiver bem curado. Temperaturas acima de 3oC devem ser consideradas altas e prejudiciais.. FINGER. n. PUIATTI. Recentemente tem se tornado popular a comercialização dos bulbilhos descasdos dentro de embalagens plásticas. p.0 (Bertolini & Tian. 5. Aussere Qualitatsmerkmale.de fungos. Journal of The America Society of Horticultural Sciences. Efeito do expurgo sobre a preservação do alho armazenado. no entanto. MENEZES SOBRINHO.0 e 0.] Nahrung.. Há recomendações de armazenamento de alho entre -1. v. Por esta razão este produto minimamente processado deve ser armazenado em temperatura entre -1. p. O armazenamento refrigerado do alho facilita o controle de pragas.). 1972). A. 1986. External quality. COSENZA.A..S. WALLY. Brasília.M..A. J. Low-temperature biology and pathogenicity of Penicillium hirsutum on garlic in storage. 1-2. Qualitatsveranderungen wahrend der langfristigen Lagerung von Knoblauch (Allium sativum L. MENEZES-SOBRINHO. 96. G. M. de F. n.. 1986. CA 95616. USA. R.M. S. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BERTOLINI. GONTIJO. 8. F. v. p. 117-121. REGINA.195- . KADER. Por esta razão a brotação é um dos grandes problemas do armazenamento prolongado de cultivares de alho com período de dormência curto. Alternativamente a brotação pode ser inibida com 2000mg/L de hidrazida maleica aplicada como pulverização folhar cerca de duas semanas antes da colheita (El-Oksh et al. J. aumento da transpiração e perda da firmeza e da qualidade do bulbilho para consumo. e em alguns países que tinham suspendido o uso deste produto. Neste processo as reservas dos bulbilhos são consumidas num processo que envolve aumento da respiração. 1996. v. p. 1994. Após a superação da dormência se houver condições apropriadas de temperatura e umidade suficiente ocorre a brotação e a formação de raízes. A. Davis. MANN. n. 1981. SILVA.0 e -2.0 e a -4. 1. Charchar (2001)... A hidrazida maleica após controvérsias sobre possíveis efeitos cancerígenos voltou a ser liberada pelo ministério da agricultura no Brasil. 8. KADER. n.). 83-89. qualidade e embalagem para classificação e comercialização do alho. 1971). Hilgardia. Durante o armazanamento alho ocorre uma superação da dormência que é governada por possivelmente pelo balanço de promotores e inibidores de crescimento. p. Na verdade há até recomendações de armazenamento do alho a -3. 18p. 38.. No armazenamento em temperatura ambiente no Brasil (>20oC) o controle de pragas de armazenamento é feito com o uso de fumigação como fosfina e brometo de metila (Cosenza et al. [Quality changes during long term storage of garlic (Allium sativum L. 12. Brasília. v.0 oC. Comparative effects of gamma irradiation and maleic hydrazide on storage of garlic. 1985).L. LUENGO. Silva. EL-KHOLLY. Mitt. n. 1986). Do ponto de vista de controle de brotação a hidrazida maleica é comprovadamente eficiente e pode ser inclusive ser utilizada para a desvitazação do alho importado. Temperaturas acima de 28 oC inibem a brotação. Postharvest Biology and Technology. Assim o alho minimamente processado é um produto muito mais perecível que murcha e deteriora com mais facilidade. Pesquisa Agropecuária Brasileira.P. 2. 1971. 61-69.A. n. Efeito da época da toalete sobre a "cura" e o armazenamento de bulbos de alho.16. v. estes produtos irradiados ainda não este liberados para consumo no Brasil.K. p. 31.I.. Y. quando cerca de 40% das plantas apresentaram o tombamento.

SOMMER. SILVA da.O.L. tem se considerado o investimento necessário para esta aplicação muito elevado para que tenha uso prático (Maxie et al. A lavação e o hidroresfriamento podem ser um processo único. L.. Fosfina e Malathion na preservação do alho armazenado.. V.A. A colheita pode ser feita a mão ou com uma ferramenta chamada colhedor de aspargo (Camargo.C.) no Ceara. 1970. 103-118. HortScience. n. E.W.S. dióica.J. n. Aspargo fresco (Asparagus officinalis L. No hidroresfiamento o tempo de meio resfriamento é de 1.M. ALVARENGA. F. n. A. principalmente em países de clima temperado. L.Características fisiológicas. S.5h e a temperatura deve ser reduzida até cerca de 1. HENZ. YANG. 1971. Área irrigada.H. SILVA. P. Estudos sobre o alho (Allium sativum. Brasília: EMBRAPA CNPH. p. J.12. 1971). PEREIRA. seja para atender o mercado interno.B.R. CALBO. A. 1988-1989. 2. H.5 min e com ar forçado é de 1. 1999).M. 1952. cada ano a colheita ocorre durante períodos de 20 a 60 dias.G. 1990). 70. Revista Ceres.R.202-204.0oC. KIMURA.G. O aspargo produz por cerca de dez anos. p. 1985. p.. 20. DALPASQUALE. 75p. C. v. Modificações na composição química e atividade antibacteriana de duas cultivares de alho ( Allium sativum..0. 1991.. Classificação e beneficiamento de hortaliças. J.. SILVA. A inibição do crescimento do aspargo é possível com o uso doses de 50 a 100 Gy radiação gama.) O aspargo é uma planta perene. v. Por seu crescimento e resposta geotrópica e fototrópica o aspargo costuma ficar torto se for transportado e comercializados na posição horizontal. Efeito do choque frio sobre algumas características agronômicas do alho Chonã. no entanto. 1996. L. Effects of irradiation on the volatile compounds of garlic (Allium sativum L). Revista Brasileira de Armazenamento. Este tratamento térmico. W.M. SHIMOYA.. Pesquisa Agropecuária Brasileira.J.J. WU.. 92.) durante seu ciclo evolutivo. 6.A.6 °C) e próximas a 0 °C sob umidade relativa elevada (>98%) e ser rapidamente comercializado e consumido.. cultivar Lavinia. G. A. p. antes que o ápice comece a se abrir e formar as folhas. 169. Tese mestrado.R. A colheita do aspargo deve ser feita pela manhã. Emprego de Brometo de Metila. Quando os turiões começam a ficar finos a colheita precisa ser paralisada.. Esta concentração e pH devem ser ajustados varias vezes por dia com o emprego de um "kit" para análise de água. Sob estas condições o aspargo tem uma vida útil da ordem de dez dias.L. Lavras: ESAL. por consumidores de alto poder aquisitivo.251. da S. seja para exportação. MAXIE. 48-53. produção e produtividade das principais hortaliças no Brasil . PEREIRA. O aspargo pode perder mais de 2% de sua massa de água por transpiração durante um dia sob umidade . utilizando secador com ar forcado.F. 9.. O aspargo é sensível a injúria de impacto e os turiões com ápice ferido apodrecem mais após a lavação (Lallu et al.F. Dada a sua perecibilidade tem sido mais comum a sua comercialização como produto processado. n. Journal of the Science of Food and Agriculture. há demanda de aspargo fresco. Na lavação deve ser utilizado hipoclorito de sódio 100mg/litro em pH ao redor de 7. Informe Agropecuário.1985/1986. J. 62p. para que não ocorra a exaustão das reservas do rizoma e do sistema radicular. 1972. H. Estes turiões em crescimento ativo possuem alta taxa de respiração e sensibilidade geotrópica. p.) durante o armazenamento pós-colheita em condições ambientais. Deve ser mantido em temperaturas acima do ponto de congelamento (-0. Na casa de embalagem deve ser pré-resfriado por hidroresfriamento ou com ar forçado no máximo até 4 horas após a colheita. W. Os turiões devem ser lisos e eretos.. de C..1051-1059. M. v. Turiões tortos. Sabe-se também que o tratamento dos turiões a 47. 3.5oC por 5 minutos inibe a resposta geotrópica (Paull & Chen. 1989. M.L. v. v. VERDE. O aspargo é um produto muito perecível. Cura artificial de bulbos de alho (Allium Sativum L. transferidos para uma embalagem de campo e depois transportados para a casa de embalagem. MAROUELLI. MITCHELL. 1958). que produz ápices caulinares tenros.. 1993. v.S. frágil e extremamente sensível à desidratação.. n. A solução prática que se tem utilizado para diminuir os problemas associados ao crescimento dos turiões é utilizar refrigeração para diminuir a velocidade do processo e coloca-los em pé no transporte e na comercialização para que não venham a ficar tortos. p. MOREIRA. PENONI. que podem começar a ser colhidos a partir do segundo ano após o plantio da mudas ou da semeadura..5oC dentro de embalagem plástica a vida útil do aspargo pode ser aumentada para 30 dias. 1-2.S. A temperatura é muito importante e neste sentido Itoh et al.. 13-14. LIMA. II.A. deve ser rapidamente seguido de resfriamento. 4. o que pode causar a morte da planta. v.P.L. Os turiões são colhidos com 18 a 25 cm de comprimento. 506-508. Durante a colheita os turiões são colocados em uma cesta presa à cintura. J. no entanto. n.. Revista de Olericultura. (1994) evidenciaram que reduzindo a temperatura de armazenamento para -0. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables. O aspargo precisa ser manuseado com cuidado. Os turiões precisam ser colhidos no ponto. SANTOS. OLIVEIRA. N. Em países tropicais com técnicas agronômicas apropriadas o aspargo pode ser produzido durante o ano inteiro (Nichols. Anatomia do bulbo de alho (Allium sativum L. Contudo. 2000). J.). 13-16. C. 15. 17. A colheita do aspargo consiste no corte dos turiões que se formam à custa das reservas acumuladas nas durante a fase de vegetação. LIU. 41-43.A.A. muito finos ou sem a ponta são considerados defeituosos.

530 p. A batata requer um período de cura para que o tecido dermal (casca) fique bem aderida ao tubérculo. v. p.A. D. n. HortScience. 1.relativa de 60% e temperatura de 20oC (Feher & Sass. SOMMER. Estas propriedades conferem a batata uma certa proteção à perda de água e uma alta susceptibilidade a injúrias de impacto e abrasões. a colheita tem sido feita com colheita manual. 1999. 368. 16. A colheita com enxada causou níveis mais altos de ferimentos que os demais sistemas. P. E. A maior perda de água tolerável é da ordem de 8. E. 190-194. antes dar sinais de senescência. formato e profundidade dos brotos (Bittencourt et al. porém diminui a lignificação das fibras. v. Batata (Solanum tuberosum) A batata é um tubérculo bem protegido por tecido dermal (casca) com pouco volume gasoso intercelular (0. p. 1995. Durante armazenamento mais prolongado ocorre o desenvolvimento indesejável de fibras. p. Acta Horticulturae. 513-520. DOGRAS. 1990). Isto é feito para evitar infeções de doenças tardias nos tubérculos.. New Zealand Journal of Crop and Horticultural Science. Neste período de espera a casca adere mais firmemente... p. N. v...J. v. "An AVI Book". GERASOPOULOS.I. n. E.5 a 1. VLACHONASIOS. SASS. No Brasil tem sido produzidas comercialmente diversas cultivares que diferenciam-se entre si por características com cor da casca. CHEN. 1995).. Instituto Agronômico de Campinas) FEHER. 1992. 2000. E. 3. pode ocorrer um escurecimento dos 3cm apicais causado pela síntese de antocianinas.E. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables. Para a colheita da batata-semente a parte aérea é destruída com um herbicida de contato ou ceifadeira. n. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS CAMARGO. Sob umidade baixa. 6. H. Effects of cooling treatments and physical damage on tip rot and postharvest quality of asparagus spears. 27-36. New York. PAULL. YEARSLEY. OLYMPIOS. 1991).W. cor da polpa. 1958.).F.. 1994. FEHER. Durante a cura ocorre a cicatrização dos ferimentos de colheita e manuseio. 1994a. v. Para obter produção máxima e evitar a formação de tubérculos excessivamente grandes é costumeiro o uso de maiores densidades de plantio. NICHOLS. Journal of the Japanese Society of Agricultural Machinery. Este endurecimento das fibras é acelerado quando os turiões sofrem injúrias mecânicas ou quando eles são expostos ao etileno ou a temperaturas mais elevadas.J.). 20p. 37-41. S. 1994b. ITOH. Weber. L. P. O endurecimento das fibras no centro do turião durante o manuseio e a comercialização do caule é causado pela lignificação das paredes celulares. 149-153. 195-198.). A exposição dos turiões a luz causa esverdecimento e fototropismo. 1991. p. 28. Postharvest physiology of perishable plant products. Na colheita com arrancador a regulagem é crítica para minimizar a ocorrência de ferimentos. As cultivares com maior dominância apical. Os tubérculos muito grandes são muito sujeitos a rachaduras e possuem menor valor comercial.0% (Kays. 1994a). Preservation of green asparagus.). 1. A 20 oC a cura ocorre em cerca de 4 dias a 20 oC sob umidade relativa elevada (>95%). (ed. . Quality evolution of asparagus (Asparagus officinalis L. 292. Storage losses in fresh asparagus (Asparagus officinalis L.0% v/v) e alta firmeza (Calbo & Nery.. Se a batata for colhida precocemente antes de completar a formação dos tubérculos ocorre uma perda de produtividade. enquanto o aspargo branco é mais susceptível ao endurecimento (Feher & Sass. v. LI.G. PASSAM. Elgar. Conforme a temperatura diminui o tempo para ocorrer a cura aumenta e a 13 oC a cura demora cerca de 12 dias (Kim et al.J. Postharvest Biology and Technology. Para diminuir os danos mecânicos a colheita deve ser feita com arracadeira bem regulada. L. dependendo da cultivar. HIMOTO. Campinas. (ed.) as affected by storage. a colheita manual e a colheita com cultivador. que forma um menor número de tubérculos por planta há necessidade do uso de plantio mais adensado. A batata para consumo é colhida com as ramas já senescentes e prostradas (Amaral. C. 51-56. Acta Horticulturae.202-204. 1994b).. 368. SIOMOS. v. v. Alternativamente. R. não ocorre a formação da periderme protetora. N.. 56. Studies on preservation of vegetables (Part 1). Quality changes during handling and transportation of white asparagus shipped by refrigerated trucks from Greece to Germany.. C. 1971. N.T. que também é aumentado se a temperatura de armazenamento for elevada (Siomos et al. Conforme Silva (1994) as formas de colheita que causam menos ferimentos são pela ordem a colheita com arrancadeira. Asparagus production in the tropics.. 1994.H. (Japonês) KAYS. p.. n. 1985). LALLU. Instruções para a cultura do aspargo. M. (Boletim no 107. 379. A... SASS. C. p.C. Adicionalmente. SFAKIOTAKIS. o que reduz as esfoladuras na colheita.S. H.. K. 1955). de S. O aspargo verde tende a ter mais sólidos solúveis. C. Acta Horticulturae. 1993). Heat treatment prevents postharvest geotropic curvature of asparagus spears (Asparagus officinalis L. p. F. Acta Horticulturae. A colheita é geralmente feita uma semana após a remoção da parte aérea. MITCHELL. 3. A embalagem do aspargo em filme plástico ou aspersão freqüente com pequenas quantidades de água podem ser utilizados para manter o frescor e a turgidez. J. MAXIE.

0. 2000. a aplicação de oxicloreto de cobre.6°C) e ao redor de 0 oC são preferíveis. Para o processamento após o armazenamento em temperaturas baixas é usual fazer-se um tratamento de recondicionamento por 2 a 4 semanas entre 20 e 25oC. então. O armazenamento da batata-semente em galpões com luz difusa que causa o esverdeamento do tubérculo e evita o estiolamento excessivo dos brotos é uma forma alternativa de armazenamento. 1999a. Nos lavadores os tubérculos sofrem danos mecânicos adicionais e ficam sujeitos a infiltração de água contaminada por patógenos nos volumes intercelulares (Bartz. Para a batata-consumo. 1987. Muito embora prolonguem a vida útil destes tubérculos. deve-se renovar freqüentemente a água do lavador e/ou tratá-la com cloro. 2000). durante as quais os níveis de açúcares redures diminui (Hill et al. causada por bactérias do gênero Erwinia. que atuam principalmente sobre bactérias como as Erwinia sp. A escovação é tecnicamente mais recomendável para evitar perdas por deterioração (Henz.. Durante a lavação patógenos presentes na água podem ser arrastados por gradiente de pressão para o interior dos volumes gasosos intercelulares (Bartz. quando falta apropriado equilíbrio térmico na carga. 1991). Durante o armazenamento da batata a umidade relativa deve ser superior a 90%. Para o transporte e o posterior armazenamento da batata o emprego de embalagens bem dimensionadas é um aspecto crítico. 1999a. A explicação da superação da dormência tem sido suportada pela teoria do balanço de substâncias promotoras e inibidoras do crescimento. ou a aplicação de antibióticos como a kasugamicina (Kasumin) e a oxitetraciclina. ). 1998. Nos países que armazenam a batata por vários meses a lavagem só é feita após o armazenamento. no entanto. como a podridão mole. no entanto. 1996). No caso particular do armazenamento de batata-semente temperaturas superiores ao ponto de congelamento (-0. visto que na batata esverdeada é comum o acúmulo da substância tóxica denominada solanina (Friedman & McDonald. Nakagawa et al.. é mais popular. Temperaturas baixas atrasam a formação e o desenvolvimento dos brotos. O processo de lavação da batata é usualmente seguida de secagem com ar forçado. o que é governado pelo padrão de circulação do ar na câmara fria. Após a colheita ocorre a síntese de hormônios estimuladores de crescimento como as citocininas e giberelinas e a diminuição da concentração do hormônios inibidores como o ABA (Coleman. 1998. estas temperaturas causam o acúmulo de açúcares redutores que se caramelizam na fritura.. Para evitar o apodrecimento da batata-semente também pode-se empregar a nebulização dos tubérculos com thiabendazol. Silva et al. Para batata-semente o acúmulo de sacarose não é problema e a temperatura de armazenamento pode ser mantida entre 0 e 4 °C. facilmente encontrados nestas casas especializadas.A aplicação de . através de ferimentos (Calbo & Nery.b. 1984). Kim et al. Este procedimento aumenta a resistência dos tubérculos a doenças e melhora a conservação da batata-semente. Deste tipo observação da prática sugere-se que nos lavadores comerciais pode estar ocorrendo secagem ineficiente dos tubérculos ou o acúmulo microrganismos causadores de deterioração como a bactéria Erwinia carotovora (Bartz. 1984.A batata para consumo usualmente é lavada ou escovada antes da comercialização. que caramelizam sob a ação do calor durante a fritura e deixam a batata frita escura (Coelho. 1993). temperaturas menores que esta aumentam a concentração de açúcares redutores. No entanto. A concentração de cloro e o pH devem ser medidas várias vezes por dia com "kit" de análise de água de piscinas e outros reservatórios. Para a batata-semente as atuais caixas de madeira laminada aparentemente são satisfatórias. porque torna os tubérculos mais limpos e atraentes. durante o manuseio sem refrigeração em Minas Gerais. No entanto. Durante o armazenamento da batata-semente a superação da dormência ocorre progressivamente de maneira tanto mais rápida quanto mais alta a temperatura na faixa de 0 a 25oC. 1993b. Em temperaturas ao redor de 33 oC ocorre também um aumento na concentração de açúcares redutores que se caramelizam durante a fritura (Nakagawa et al. Este efeito é depende da cultivar. Harvey et al. da classificação do produto por tamanho de acordo com as normas do Ministério da Agricultura e da embalagem (Henz.. pelas deteriorações iniciadas nos tubérculos esfolados e batidos dentro desta embalagem pesada. o acondicionamento em sacas de 60kg tem causado enormes prejuízos. Quando o período de dormência da cultivar é longo. 2000).b). A batata para consumo. São tratamentos eficazes de quebra de dormência: 1. Suttle & Banowetz. Bartz & Kelman. deve-se evitar a ocorrência de condensação superficial de água causada pela supersaturação do ar.. no entanto. A lavagem. Calbo & Nery. quando se quer atrasar ao máximo a brotação. 1999. 1992). Em temperaturas maiores que 28oC o tempo para a superação da dormência também aumenta progressivamente (Furtado et al. pode haver necessidade de acelerar o processo de superação da dormência com a aplicação de reguladores de crescimento exógenos antes do plantio. 1997). 1981).A aplicação de ácido giberélico 10mg/litro (Pogi & Brinholi. O período de dormência dependa da cultivar e da temperatura na estação de crescimento (Susnoschi... reduzem a perda de água e aumentam a vida útil dos tubérculos. 2. Uma das deteriorações mais comuns resultantes da lavagem é a podridão-mole. Furtado et al. que não oferece adequada proteção ao produto e que é penosamente movimentada pelos trabalhadores nos processos manuais de carga e descarga. onde sob condições propícias causam doenças. No entanto. Cultivares como a Bintje acumulam pouca sacarose e produzem batata frita clara e de boa crocância. 1993a). A temperatura ótima para o armazenamento de batata para consumo é 10 °C (Finger & Fontes. 1995).. Para reduzir a deterioração. o uso de temperaturas maiores de 28 oC para inibir a brotação não tem praticabilidade porque nestas temperaturas a transpiração e a ocorrência de podridões aumenta muito. nunca deverá ser exposta a luz. cerca de 100mg/L na forma de hipoclorito em pH próximo a 7. Segundo Finger & Fontes (1999) o período de conservação da batata que é tipicamente de 30 a 40 dias diminui para 7 a 15 dias com o uso da lavação. 1995). 1995). visto que não tem havido relatos de problemas. 1984. conforme eles são consumidos pela aumentada respiração e outros processos (Williams & Cobb. 1999).

R. n. G. 1999b. Critical Reviews in Plant Sciences. 1998. 161-167. COLEMAN. Manejo pós-colheita da batata. 1984) e por esta razão após a brotação a batata torna-se um produto mais perecível (Calbo. MCDONALD. A.) foi aplicado de uma a quatro vezes durante um período de 4 meses de armazenamento da cultivar Desiree a 10oC. n.G. 12. G. A. 1997. que preferencialmente devem estar firmes e não muito alongados.11... In: REIFSCHNEIDER. MAROUELLI.. Dormancy release in potato tubers: A review. CAMERON.153-162. n. BARTZ.bissulfureto de carbono 30ml/m3 (Pogi & Brinholi. para evitar que os agricultores possam planta-las. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal. L. Maxie et al.a.C. KELMAN.M. 2. J. v. v. 396p. 1999a) e de tiabendazol e o imazalil (Carnegie et al.A. Livraria Sá da Costa. v. 64. v.D.A. v. F. F. 63-65. W.A. 46p. Instruções Técnica do CNPHortaliças 8. Alternativamente a brotação pode ser inibida com 2000mg/L de hidrazida maleica aplicada como pulverização folhar cerca de duas semanas antes da colheita (Luengo et al.426-432. 1971). MIZUBUTI.184-188. Situação da batata beneficiada no Distrito Federal em 1990 e 1991. Lisboa.. F.J.. Washing fresh fruits and vegetables: lessons from treatment of tomatoes and potatoes with water. 127-136. U. Alterações químicas e qualidade de fritura de duas cultivares de batata (Solanum tuberosum L. LINDSAY. Box 652 New Ziona 74106.M. M. A. 76. Biology. NEVISON.O. 3.B.A. BITTENCOURT.) armazenadas em atmosfera modificada em temperatura ambiente e sob refrigeração. safety.).. Suppression of bacterial soft rot in potato tubers by application of kasugamycin. Fração de água infiltrada durante a lavação de segmentos de raízes de batata-doce e considerações sobre seus perigos. W. 19. 1998) para controlar doenças causadas por fungos.J. v.H. 1995) 3. REIFSCHNEIDER.105111.R..G. COELHO.31. Informe Agropecuário. Methods to measure gaseous volume in plants..F..) armazenados a diferentes temperaturas. Produção de batata.de. p.M. Modificações fisiológicas e bioquímicas em tubérculos de batata (Solanum tuberosum. P. COLEMAN. p.. p. A batata brotada perde água mais facilmente. 1999a.J. que deve ser aplicado como medida quarentenária. p.. 57-68. de ÁVILA. p. A. Americam Potato Journal.. E. 20 p. v. Para o armazenamento prolongado de cultivares com pequeno período de dormência o controle da pode ser feito com o uso de uma dose ao redor de 15 Gy de irradiação gama de fontes de Césio (137Ce) ou de Cobalto (60Co) (Kader. J. aparentemente. Neste estudo o HPP 10% (i. The effect of treating seed potato tubers with benzimidazole. Fisiologia pós-colheita de semente [batata-semente]. A. J. Vicosa: UFV. p. Brasília: Linha Gráfica.. 1984.J. Annals of Applied Biology. P. Para proteger a batata-semente pode-se utilizar defensivos como o Kazumin (kasugamicina) para o controlar a bactéria Erwinia carotovora (Bartz. Relação entre processos de limpeza e a conservação pós-colheita de batata.S. 1983).R. CALBO. p. GIORDANO. J. 16. (2000). 133. (Hydrogen Peroxide Plus) to inhibit potato sprouting during storage. LOPES. and plant physiology. 1987. Food and Environmental Sanitation.. Using H.H. Horticultura Brasileira.P.A. da SILVA. 1994. A. 495-507. p. 1983. Inoculation of potato tubers with Erwinia carotovora during simulated commercial washing and flumming practices. FRIEDMAN. 1993a. v..H. C. Horticultura . 2000. J. 1996). trata-se de um produto não tóxico que merece maiores estudos. American Journal of Potato Research. um inibidor de brotação antigo um pouco menos efetivo que a hidrazida maleica Afek et al. A. 1984.de B. M. CALBO..A. p. 61. 1983. Revista Ceres.A. BARTZ. NERY.A aplicação de 200 ml do vapor de brometano por metro cúbico da câmara de armazenamento tem sido utilizado para quebrar a dormência de batata sem causar toxicidade ao tubérculo (Coleman. Cultivo da Batata (Solanum tuberosum L. AMARAL. M.P. W. Dairy. p. Modificações nos teores de carboidratos em tubérculos de batata (Solanum tuberosum. S. Neste sentido em Israel lançou-se o produto HPP [(hydrogem peroxide plus). n. FURUMOTO. Lavras: UFLA. FURTADO.. 1997. 1986. v. n. 6. coord..20. A. p.. n. A. analysis. American Potato Journal. 3.46-49.) armazenadas a diferentes temperaturas. n. American Potato Journal. p. O. CALBO. N. 1987. A conservação da batata. G. 1.L.. FURTADO. M. HENZ.P.T. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS AFEK. v.P. p. FEDALTO. E. I. A.F. Ó HPP.178. 145p. n. 60. H.PUBLICATION YEAR: 1998.C. SHARP. CARNEGIE.853-864. Mesmo uma única aplicação de água oxigenada atomizada já reduziu pela metade a freqüência de brotação da batata neste período.L. FONTES. 1999. Israel)] um tipo de água oxigenada quimicamente estabilizada que aplicada em nebulização tem inibido a brotação tanto quanto o CIPC. HENZ.R. 1. D. American Journal of Potato Research. NURIEL. Brasília: EMBRAPA CNPH. A batata semente é plantada com brotos.1. FINGER. L. 1987). n.A. v.197. A hidrazida maleica é um produto muito efetivo para o controle de brotação. 4p. 1955. J.A. (G.. OLIVA. ORENSTEIN. 55-132. 1985. v.G. An evaluation of bromoethane for breaking tuber dormancy in Solanum tuberosum L..B. MAGALHÃES. BARTZ. imidazole and phenylpyrrole fungicides on the control of rot and skin blemish diseases. Potato glycoalkaloids: chemistry. 77.. 343-363.. visto que os brotos tem condutividade hidraulica muito maior do que a periderme do tubérculo (Furtado et al. Atualmente há uma busca por produtos menos agressivos à saúde e ao meio ambiente.

Brasileira, v. 11, n. 1, p. 75, 1993b. HILL, L.M.; REIMHOL, R.; SCHRODER, R.; NIELSEN, T.H.; STITT, M. The onset of sucrose accumulation in cold-stored potato tubers is caused by an increased rate of sucrose synthesis and coincides with low levels of hexose-phosphates, an activation of sucrose phosphate synthase and the appearance of a new form of amylase. Plant, Cell and Environment, v.19, n. 11, p. 1223-1237, 1996. KIM, H.O.; LEE, S.K.; SALTVEIT, M.E. Effects of curing and storage conditions on processing quality in potatoes. Acta Horticulturae, v. 343, p. 73-76, 1993. LUENGO, R.F.A.; MELO, P.E.; FURUMOTO, O.; BUSO, J.A. Efeito de hidrazida maleica na dormência de tubérculos remanescentes de batata "Achat". Horticultura Brasileira, Brasília, v.14, n.1, p.95. 1996. MAXIE, E.C.; SOMMER, N.F.; MITCHELL, F.G. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables. HortScience, v. 6, n. 3, p.202-204, 1971. NAKAGAWA, H.; KURIHARA, D.; CHIBA, Y; SATO, T.; OGURA, N. Effects of storage temperature of potato tubers on sprouting, respiration rate, sugar content, and polyphenol oxidase activity. Nippon Nogeikagaku Kaishi, v. 69,: n. 3, p. 325-330, 1995. POGI, M.C.; BRINHOLI, O. Efeitos da maturidade, do peso da batata-semente e da quebra da dormência sobre a cultivar de batata (Solanum tuberosum L.) Itarare (IAC 5986). Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.30, n. 11, p.1305-1311, 1995. SILVA, J.L.O.; CALBO, A.G.; HENZ, G.P. Classificação e beneficiamento de hortaliças. Informe Agropecuário, v. 15, n. 169, p. 48-53, 1991. SILVA, J.L.O. Perdas quantitativas de batata por danos mecânicos de colheita. Horticultura Brasileira, v.12, n.1, p.103, 1994. SUSNOSCH, M. Seed potato quality as influenced by high temperatures during the growth period. 2. Sprouting pattern in several cultivars in response to storage temperature. Potato Reserch, v. 24, p.381-388, 1981. SUTTLE, J.C.; BANOWETZ, G.M. Changes in cis-zeatin and cis-zeatin riboside levels and biological activity during potato tuber dormancy. Physiologia Plantarum, v. 109, n. 1, p.68-74, 2000. WEBER, J. Intercellular spaces enhance potato tuber elasticity. Potato Research, v. 33, n. 3, p. 335-340, 1990. WILLIAMS, R.O.; COBB, A.H. The relationship between storage temperature, respiration, reducing sugar content and reconditioning regime in stored potato tubers. Aspects of Applied Biology, v. 33, p. 213-220, 1992.

Batata-doce (Ipomea batatas)
A batata-doce é uma raiz firme com tecido dermal resistente e suberizado que perde água com menos facilidade do que outras raízes sem periderme. Apesar disto, é uma hortaliça bastante perecível (Rees et al., 1997), porque falta-lhe dormência, e produtos eficientes para controlar-lhe a brotação. A batata-doce só deve ser consumida após cozimento ou fritura, por que é rica em esporamina, um fator antinutricional que inibe a tripsina e constitui 60 a 80% das proteínas solúveis, desta raiz tripsina (Yeh, 1997). Trata-se de uma hortaliça rica em pró-vitamina A e sabe-se que suas cultivares rochas são particularmente ricas em antocianinas e antocianidinas, que tem ações antioxidativa (Furuta et al., 1995) e antimutagênica (Yoshimoto et al., 1999) . A batata-doce deve ser colhida quando atinge o tamanho ideal para a comercialização (Miranda et al., 1984). A colheita de raízes ainda imaturas e pequenas para aproveitar preços favoráveis compromete a produção total. A colheita tardia, por outro lado, está associada ao ataque de pragas as raízes ficam muito grandes e a qualidade piora. Por vezes as raízes ficam mais fibrosas e até descoloridas. Raízes de boa qualidade comercial devem estar livres de rachaduras de crescimento, danos de inseto, ferimentos e abrasões causadas pelo manuseio rude. Devem estar com a película externa limpa, com a cor típica da cultivar e sem manchas de látex. Há uma grande diversidade genética (Miranda et al., 1984) entre os clones de batata-doce que podem ter casca e polpa de cores como branca, alaranjada, rosa, amarela, verde e rocha. Quanto ao formato as raízes são usualmente fusiformes como nas cultivares Brazlândia Rocha e Princesa mais raramente se encontram cultivares globulares como a Coquinho. Para os consumidores brasileiros, a batata-doce cozida deve usualmente dar a sensação de seco na palactação, enquanto que para os consumidores norte americanos a impressão de umidade é a preferida. Para a maioria dos usos culinários as raízes mais doces são preferidas. A doçura de uma cultivar é de controle bioquímico complexo e ainda não esta completamente compreendida. Sabe-se, no entanto que o acúmulo de açúcares como a sacarose a frutose e a glicose nestas raízes envolve a ação enzimas como alfa e beta amilase, invertase ácida, sacarose sintetase além de reações de hidrólise não enzimática, que em alguns genótipos causa o aumento da concentração de açúcares solúveis durante o cozimento (Morrison et al., 1993). A colheita mecânica da batata-doce pode ser feita com arrancadeiras similares às utilizadas para a batata, ou manual. A colheita tem causado tantos ferimentos, que é difícil encontrar raízes sem ao menos algumas escoriações no comércio. Estas injúrias mecânicas, maiores quando a colheita é feita com cultivadores e enxadas, é uma das causas da alta incidência de deterioração deste produto. Para reduzir a deterioração, os ferimentos de colheita precisam ser cicatrizados num processo denominado

cura. A cura da batata-doce é obtida armazenando-se as raízes por 4 a 7 dias sob umidade relativa alta (>90%) em temperatura de 15 a 20 °C. Sob umidade relativa baixa as células subdermais morrem e a cicatrização não ocorre. A cicatrização é um processo dependente da produção de etileno induzido pelo ferimento. Na cicatrização ocorre uma multiplicação paradermal das células do cambio, que forma um tecido protetor constituído de várias camadas de células achatadas, lignificadas, suberizadas e sem espaços intercelulares. Este tecido cobre a área ferida, protegendo-a da perda de água e do ataque de microrganismos (St-Amand & Randle, 1989 e 1991). A batata-doce pode ser escovada ou lavada após a colheita. A lavação tem sido demandada pelos consumidores, que preferem batatas limpas e sem manchas. A lavação é uma atividade que precisa ser efetuada com higiene, visto que pode haver infiltração de microorganismos patogênicos às plantas e ao próprio homem (Bartz, 1999 a e b; Calbo, 1997; Calbo & Nery, 2000). Para isto, a água dos lavadores deve ser trocada com freqüência e a adição de cloro ativo (100 a 150 mg/litro) é recomendável. Após a lavação as raízes devem sofrer secagem superficial, preferencialmente com ar forçado. Na secagem com auxílio de ar aquecido deve-se cuidar para evitar queimaduras, que ocorrem quando os tecidos ficam aquecidos a temperaturas maiores que 38 °C por mais de 3 horas. Boyette & Stikeleather (1992) nas condições particulares do Norte da Carolina observou que fazendo a cura após seleção e lavação havia uma redução das perdas por deterioração e uma melhoria da qualidade das raízes oferecida no mercado. As cultivares de batata-doce plantadas no Brasil ainda não possuem dormência e a brotação se inicia logo que as raízes são expostas a umidade. Observou-se na Embrapa Hortaliças, que existem clones de batatadoce com alguma dormência que podem ser armazenados em temperatura ambiente (ao redor de 22 ºC) sob umidade elevada de embalagens plásticas perfuradas por mais de dois meses sem brotação (Luengo & Castro, 1996). Sob temperaturas de 13 a 15 °C a batata doce tem sido armazenada por 1 a 3 meses em umidade relativa alta (>90%), sem condensação de água. Nestas temperaturas, as raízes manterão melhor a aparência de frescor se forem conservadas em vermiculita, pó-de-serra, solo seco ou areia fina (Karuri et al., 1994). No armazenamento prolongado a brotação e o apodrecimento de raízes são as maiores causas de perdas. Já há descrição de genótipos de batata-doce com alguma dormência (Luengo & Castro, 1996), contudo ainda não ha cultivares lançadas com alta capacidade de armazenamento fundamentadas nesta característica. A exposição das raízes de batata-doce por tempo suficientemente a temperaturas inferiores a 10oC pode causar sintomas injúria de resfriamento. Estes sintomas são determinados por alterações bioquímicas e fisiológicas como: o aumento na hidrólise do amido, aumento na degradação da sacarose, diminuição da semi-permeabilidade das membranas, aumento na susceptibilidade a patógenos como a Alternaria spp e a supressão da capacidade de cicatrização (Huang et al., 1999; Lieberman et al., 1958). Temperaturas superiores a temperatura ótima, por outro lado, diminuem a vida útil da batata-doce porque aumentam a transpiração, a respiração e a incidência de podridões causadas por Rhizopus sp e Fusarium sp. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BARTZ, J.A. Suppression of bacterial soft rot in potato tubers by application of kasugamycin. American Journal of Potato Research, v. 76, n. 3, p. 127-136, 1999a. BARTZ, J.A. Washing fresh fruits and vegetables: lessons from treatment of tomatoes and potatoes with water. Dairy, Food and Environmental Sanitation, v. 19, n. 12, p.853-864, 1999b. BOYETTE, M.D.; STIKELEATHER, L.F. Prospects for washing and grading sweet potatoes before curing and storage. American Society of Agricultural Engineers, 1992, No. 92-6011, 11 p. CALBO, A.G. Fração de água infiltrada durante a lavação de segmentos de raízes de batata-doce e considerações sobre seus perigos. Brasília: EMBRAPA CNPH, 1997. 4p. CALBO, A.G. Influência da desidratação na recuperação da firmeza e na brotação em cenoura. Bragantia, v. 59, n. 1, p. 7-10, 2000. CALBO, A.G.; NERY, A.A. Compression induced intercellular shaping for some geometric cellular lattices. Brazilian Archives of Biology an Technology. v. 41, n. 1, 2001 (in press) CALBO, A.G.; NERY, A.A.; HERRMANN, P.S.P.de Intercellular deformation in compressed organs. Annals of Botany, v.76, p365-370, 1995. FURUTA, S.; NISHIBA. Y.; SUDA, I. Antioxidative activity of sweetpotato containing anthocyan pigment. Sweetpotato Research Front, 1995, No. 1, 3. HUANG, Y.H.; PICHA, D.H.; KILILI., A.W.; JOHNSON, C.E. Changes in invertase activities and reducing sugar content in sweetpotato stored at different temperatures. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v . 47, n. 12, p. 4927-4931, 1999. KARURI, E.G.; OJIJO, N.K.O.; SASS, P. Storage studies on sweet potato roots: experiences with KSP20 cultivar. Acta Horticulturae, v. 368, p. 441-452, 1994. LIEBERMAN, M.; CRAFT, C.C.; AUDIA, W.Y.; WILCOX, M.S. Biochemical studies of chilling injury in sweet potatoes. Plant Physiology, v.33, p.307-311, 1958. LUENGO, R.F.A.; CASTRO, P.C.R. Selecao de genotipos de Ipomoea batatas (L.) Lam. com brotacao tardia. Horticultura Brasileira, v.14, n.1, p.94, maio 1996. MIRANDA de; J.E.C.; FRANÇA, F.H.; CARRIJO, O.A.; SOUZA, A.F.; AGUILAR, J.A.E. Cutivo da batatadoce (Ipomoea batatas (L.) Lam). Instruções técnicas do CNPHortaliças 7. 1984. 8p.

MORRISON,T.A.; PRESSEY, R.; KAYS, S.J. Changes in alpha- and beta-amylase during storage of sweetpotato lines with varying starch hydrolysis potential. Journal of the American Society for Horticultural Science, v. 118, n. 2, p. 236-242, 1993. REES, D.; KAPINGA, R.; RWIZA, E.; MOHAMMED, R.; VAN-OIRSCHOT, Q.; CAREY, E WESTBY, A.; vanOIRSCHOT, Q. The potential for extending the shelf-life of sweetpotato in East Africa through cultivar. Tropical Agriculture, v. 75, n. 1-2, p. 208-211, 1998. ST-AMAND, P.C.; RANDLE, W.M. Ethylene production and wound healing in sweet potato roots. HortScience, v.24, n. 5, p.805-807, 1989. ST-AMAND, P.C.; RANDLE, W.M. Ethylene production as a possible indicator of wound healing in roots of several sweet potato cultivars. Euphytica, v. 53, n. 2, p. 97-102, 1991. YEH, K.W.; CHEN, J.C.; LIN, M.I.; CHEN, Y.M.; LIN, C.Y. Functional activity of sporamin from sweet potato (Ipomoea batatas Lam.): a tuber storage protein with trypsin inhibitory activity. Plant Molecular Biology, v. 33, n. 3, p. 565-570, 1997. YOSHIMOTO, M.; OKUNO, S.; KUMAGAI, T.; YOSHINAGA, M.; YAMAKAWA, O. Distribution of antimutagenic components in colored sweet potatoes. Japan Agricultural Research Quarterly, v. 33, n. 3, p. 143-148, 1999.

Berinjela (Solanum melongena L.)
É um fruto grande, colhido botanicamente imaturo com as sementes ainda tenras. A berinjela possui quase 50% de seu volume preenchido por ar entre as células. Por esta razão este é um fruto macio, pouco sensível a batidas, porém susceptível ao empilhamento excessivo. Como outros frutos imaturos também é muito sensível a desidratação. No Brasil consomem-se cultivares de berinjela de cor roxa-azulada, quase negras, cujos frutos são colhidos ainda imaturos, com sementes tenras, quando atingem cerca de 150mm de comprimento (Silva et al., 1991). A colheita é feita cortando-se o pedúnculo 30 a 50 mm acima de sua inserção no fruto. A maior parte da perda de água no fruto da berinjela ocorre pelo cálice (Dias-Peres, 1998b), no entanto, não se deve remove-lo, visto que isto reduz a sua vida. Usualmente a colheita inicia-se 100 a 120 dias após a emergência da plântula no campo. Para obter alta produtividade deve-se fazer colheitas freqüentes, à semelhança do que é feito com o chuchu, o pepino e o pimentão. Santos & Henz (1993) evidenciaram que a colheita nas horas mais frias (madrugada) aumenta a vida útil deste fruto para o transporte e a distribuição. A berinjela usualmente tem sido acondicionada em caixas K. Estas caixas algumas vezes são forradas com papel para evitar ferimentos e reduzir a transpiração. Sob temperatura ótima (10 a 13°C) e umidade relativa alta (>95%) a berinjela pode ser armazenada por duas ou três semanas (Henz & Silva, 1995; Santos & Henz, 1993). Kluge et al. (1999) observou uma grande diferença de capacidade de armazenamento entre as cultivares plantadas no Brasil e dentre os genótipos testados por este autor o que apresentou maior capacidade de armazenamento refrigerado foi a Super F-100. De uma maneira geral o armazenamento prolongado da berinjela é limitado pela senescência dos cálice (Temkin-Gorodeiski et al., 1993) Diversos tipos de embalagens plásticas com e sem bandeja de isopor tem sido utilizadas, para reduzir a transpiração e o enrugamento dos frutos (Henz & Silva, 1995). O uso de embalagens plásticas, no entanto, facilita o desenvolvimento de podridões no cálice (Dias-Peres, 1998a). Para reduzir este tipo de apodrecimento causado pela condensação superficial de água em embalagens plásticas, pode-se empregar o embalamento individual dos frutos ( Ben-yehoshua, 1985, Risse, 1989), usar embalagens com bandeja de isopor e perfurações ou colocar toalhas de papel no interior da embalagem plástica (Fallik et al., 1994). A embalagem individualizada dos frutos é mais cara porém os benefícios para a apresentação e a conservação do fruto pode ser vantajosa em alguns mercados. Temperaturas menores que 10°C causam a formação de áreas deprimidas na casca, descoloração da polpa, escurecimento das sementes e aumento da susceptibilidade do fruto ao ataque de patógenos fracos. A berinjela também muito sensível ao etileno, que causa amarelecimento do cálice e senescência precoce. Deve-se, por isto, manter a berinjela longe de fontes de etileno como alguns tipos de frutos climatéricos e motores de combustão. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BEN-YEHOSHUA, S. Individual seal-packing of fruit and vegetables in plastic film - A new postharvest technique. HortScience, v. 20, n. 1, p. 32-33, 1985. FALLIK, E.; TEMKIN-GORODEISKI, N.; GRINBERG, S.; ROSENBERGER, I.; SHAPIRO, B.; APELBAUM, A. Bulk packaging for the maintenance of eggplant quality in storage. Journal of Horticultural Science, v. 69, n. 1, p. 131-135, 1994. KLUGE, R.A.; ANTONINI, A.C.C.; ROBLES, W.G.R.; TESSARIOLI-NETO, J.; JACOMINO, A.P.;

SHAPIRO. papelão parafinado é superior ao uso do pré-resfriamento com ar forçado sob o ponto de vista de manter o produto túrgido e de atrasar a senescência e a abertura dos floretes (Gillies & Toivonen. A. Conservação de frutos de berinjela cv.6°C (Kays.P. Neste estudo observou-se também a redução da deterioração. Avaliação de cultivares de berinjela em armazenamento refrigerado. 157-162. A umidade relativa elevada nas gôndolas de comercialização pode ser mantida com o uso de nebulização com água. SILVA. 1989. que causam escurecimento.. O término da vida útil ocorre devido ao amarelecimento das sépalas.5ºC e 3 a 4 semanas a 0ºC. Acta Horticulturae. p. N. Para aquele brócolos que já foi pré-resfriado. 1045-1050. 1991). 56.. n. são menos compactas e possivelmente são menos susceptíveis ao amarelecimento do que as cultivares de cabeça única.P. 4 Supl.A. 5. de F. Por isto. Toivonen & Sweeney (1998) comprovaram que há diferenças entre genótipos de brócolos para a resistência ao amarelecimento. p. p. envolve o risco do desenvolvimento de aroma desagradável. v. 48-53. Individual film wrapping of Florida fresh fruit and vegetables. 1999). Colhem-se os botões. O emprego de pré-resfriamento para eliminar rapidamente o calor de campo estende a vida útil do brócolos. ou pelo desenvolvimento de odores desagradáveis. 68. ROSENBERGER. italica) O brocoli ou brócolos é uma inflorescência imatura que amarelece em cerca de dois dias a 25oC e que perde a firmeza. RISSE. n. O pré-resfriamento com gelo picado. p. aplicado sob pressão no interior de caixas de laminado de madeira. C.. Postharvest treatments to control eggplant deterioration during storage. A aplicação de gelo picado ao brócolos também pode ocorrer durante a colheita e a embalagem. 263-270. murchamento.1995).P. 1999.. G. O tratamento térmico do brócolos com água quente (47oC) por 7 minutos é uma forma de atrasar o amarelecimento.50m por 0. v. 1996). HENZ. Segundo Barth et al. O brócolos sofre congelamento se a temperatura de armazenamento reduzir-se a valores inferiores a –0. CALBO. TEMKIN-GORODEISKI.50m..G. com os botões desenvolvidos mas bem fechados. Estes efeitos benéficos de atmosfera controlada são indicativos de que a senescência do brócolos é mediada pela ação do etileno. SILVA. J. v. em função do acelerado metabolismo das gemas em crescimento. As caixas de brócolos com gelo picado podem ser transportadas em caminhões sem refrigeração. Este tratamento. Classificação e beneficiamento de hortaliças. 1993.. Quando não se usa refrigeração para o brócolos a vida útil é limitada pelo amarelecimento.L. Ciça através de refrigeração e embalagem. 30. As cultivares brasileiras são do tipo ramoso como são Ramoso Santana e o Ramoso Brasília. Tian et al. v. Com este tratamento o brócolos se mantém viçoso por mais de uma semana. As cultivares do tipo ramoso tem flores maiores. n. Informe Agropecuário. Este é um estágio muito transitório no ciclo da planta. 3 semanas a 2. Para minorar este problema estas embalagens são freqüentemente forradas com papel para reduzir ferimentos nas folhas e diminuir sua desidratação. a vida útil máxima do brócoli é de 2 a 3 dias a 20ºC.. 2. enrijecimento dos talos.A. A. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Scientia Agricola. 1993. Conservação pós-colheita da berinjela 'Ciça' em função do horário de colheita. Journal of Horticultural Science. que torna-se rapidamente inapropriada para consumo. diretamente no campo. dos. que fica menos tempo exposto ao calor após a colheita. a conservação do brócolos deve ser feita sob temperatura ao redor 0 °C e sob umidade relativa elevada. 1997). Durante a senescência ocorre a abertura de flores. 1991. A taxa respiratória do brócoli é extremamente elevada. Tian et al. No Brasil o brócolos tem sido transportado e comercializado ainda com algumas folhas protetoras em engradados de ripa com altura de 400 mm e base quadrada de 0. abertura dos botões. 563-565. J. G. O brócolos é beneficiado pelo emprego de atmosferas com cerca de 10% de dióxido de carbono ou níveis de oxigênio da ordem de 1%. aroma e sabor pouco acentuados e pouco fibrosa. E. GRINBERG. (1994) demonstraram que a aplicação do gás propileno induz a um aumento da produção de etileno. a cabeça de brócoli deve estar com coloração verde acentuada. Brócolos (Brassica oleracea var. (1999) observaram que estes tratamentos térmicos causam a inativação de oxidases como a peroxidase e a lipoxigenase..O. Na colheita. Nestes engradados mantidos sob a temperatura ambiente os danos mecânicos e a perda de água costumam ser muito elevados. v. G. n. Fundamentado na maior atividade da superoxido dismutase e da peroxidase na cultivar com maior resistência ao amarelecimento. R. S. no entanto.. p. principalmente nos tecidos segmentados ou minimamente processados. por até 7 dias durante o armazenamento a 20oC (Forney. Pesquisa Agropecuária Brasileira. n. A principais vantagens deste sistema de campo é a economia de investimentos com a construção de uma central para seleção e embalagem e a melhor qualidade final do produto. 1995. 1995. 689-693. 15.SCARPARE-FILHO. SANTOS. B. HENZ. FALLIK. 5. HENZ. Martens et al. 169. que formam uma cabeça mais ou menos compacta dependendo da cultivar. transportado ou armazenado sob refrigeração a deterioração é a maior causa da redução da vida de prateleira (Pogson & Morris. I. (1990) com o uso desta nebulização auxilia na manutenção do frescor e reduz a degradação da vitamina C. 28. estes autores propuseram que a ação antioxidante destas enzimas seja a causa do atraso no amarelecimento da cultivar mais resitente. Assim. v. aumento da respiração e aceleração do . 258. L. a turgescência e o valor comercial quando a redução de massa causada pela transpiração for maior que 5% da massa inicial (Finger et al..

KLEIN. P. TOIVONEN. 34. FERGUSON. Foradling av blomkal. M. OBENLAND. PERRY.. n. S.. v.1191. Journal of the American Society for Horticultural Science. FORNEY. WILLS. OLSSON. a comercialização de brócolos congelado e minimamente processado vem ocupando fatias crescentes do mercado desta hortaliça. Journal of Horticultural Science. Effect of 1-methylcyclopropene on the storage life of broccoli.H. Journal of Agricultural and Food Chemistry. 1. white cabbage and Chinese cabbage. n. n. p..B..amarelecimento. K. Sob o ponto de vista de saúde. B.R.de Optimizing the mild heat treatment experiments on broccoli stems using numerical ASAE-CSAE-SCGR Annual International Meeting. F. R..M. p. 1061-1065.. S.S. 121. 70. S.L. 9. 1. n. n. A. 657-663. 29-33. 30.. 17-27. n. 1.. 1995. A ação de agentes como o 1-methylcyclopropene (MCP) (Ku et al. 1054-1057. ou processado por congelamento. v. R. 122. p.E. 1995.. 1999) e norbadieno que inibem a ação do etileno também tem sido relatada como formas de atrasar o amarelecimento do brócolos. Cooling method influences the postharvest quality of broccoli. No armazenamento em atmosferas controladas ou modificadas se houver uma redução excessiva na concentração de oxigênio. 33. 1994. 2. G. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BARTH. MOSQUIM..M. A. v. 1999. L. 119. n. TIAN. 553-558. L. YAMASHITA.. LILL. p. Ontario. n. v. Segundo Rodrigues & Rosa (1999) estes glucosinolatos são degradados se o brócolos não for conservado sob refrigeração a menos de 4 °C. 2000). 1995.J. Consequences of cool storage of broccoli on physiological and biochemical changes and subsequent senescence at 20°C. 1999). 20-24. 1994 e 1995). 30. Journal of the American Society for Horticultural Science. ASAE Paper No.. p.. HortScience.H. M. TIAN. Differences in chlorophyll loss at 13°C for two broccoli (Brassica oleracea L. p. a couve-flor e o repolho produzem um odor muito forte causado pela liberação do metanoetiol e do dimetil sulfeto (Dan et al. NAGATA.. v. 1991. 1994. 1999.H.E.A. POGSON. p. Para os melhoristas tem havido o interesse de aumentar o nível de indolglucosinolatos que tem sido considerados bons para a qualidade e diminuir a quantidade de sinigrina e progitrina. O brócolos mantido em condições inadequadas de ventilação sob temperaturas da ordem de 40oC. n.. Se a hipoxia não causou estresse irreversível a liberação destes odores é inibida após a exposição ao oxigênio por quinze minutos. dois glucosinolatos considerados indesejáveis (Leijon & Olsson. 4. Heat-induced alteration of methanethiol emission from anaerobic broccoli florets. SCHMIDT. PUIATTI M. v. p.V. MARTENS. D.M. M.313-315. Horticultura Brasileira. C.. v. n 2. DAN.. A role for ethylene in the yellowing of broccoli after harvest. WOOLF.. Pela conveniência. 1990. o brócolos é conhecido por ser uma fonte rica de vitaminas e sais minerais ( LUENGO ) e em adição isto ele é rico em glucosinolatos. [Breeding of cauliflower. Misting effects on ascorbic acid retention in broccoli during cabinet display. AUNG. 1565-1569.V. B. 1999.M. ENDRES. Fitormônios e senescência pós-colheita do brócolos. Journal of the American Society for Horticultural Science.J.. p. 46. LEIJON. 2..A. 1187-1188. 17.. p. MOSQUIM. 109. I. n. Postharvest physiology of perishable plant products. 996154. 1999). Toronto.. 530 p. Hot-water dips extend the shelf life of fresh broccoli. TOIVONEN. Physiological changes during postharvest senescence of broccoli. L.F. KAYS. SWEENEY.. então.) cultivars associated with antioxidant enzyme activities. 55. p. N.K. KU. 1999.J. Journal of Horticultural Science. M. Journal of Food Science.. P. v. v. 1999.E.A. "An AVI Book". v. 6.. R. n. RIJ.. C. OBENLAND. M. p.B..P.. New York. sob hipoxia. Canada. n.M. Um deles é precursor do "isothiocyanate sulphoraphane" uma substância anti-cancerígena. 5.L. 310-313. 2. também produz estes odores (Obenland et al. 127-132. 1996. RIJ. Pesquisa Agropecuária Brasileira. FINGER.S. BELIE. D. DOWNS. I. v. AUNG. MORRIS. BOWEN. v. v.. 18-21 July. 1999. L. n. 17. Changes in color and chlorophyll fluorescence of broccoli florets following hot water treatment. GILLIES. V. FINGER. HortScience. F. o brócolos a couve. 276-281. KING. K.B. P. p. Mechanism of off-flavor production in Brassica vegetables under anaerobic conditions. 4. 69.] Sveriges Utsadesforenings Tidskrift. 109-114. S. Sob este tipo de resultado eles inferiram que o brócolos teria um comportamento de tecido climatérico. P. p. Fale conosco . ENDRES.. SCHEERLINCK. 1999. J. de. Postharvest Biology and Technology. J. 4. N.R.C. 2.G. Para este processamento cultivares de cabeça única como 'Legacy' são as preferidas (Calbo & Moretti.. S. Baerdemaeker. 1997. vitkal och kineskal. R. 16 pp. Timing and control of methanethiol emission from broccoli florets induced by atmospheric modification.L.H. Japan Agricultural Research Quarterly. M. 1998. v.

Sob temperaturas próximas a 0 oC a brotação fica paralisada. 1993. preferencialmente aquecido. As cultivares com maior teor de matéria seca também são aquelas dentre as quais se deve selecionar os genótipos para uso industrial (cebola desidrata). Miedema & Kamminga. A brotação é um dos principais problemas de conservação após a colheita. ou preferencialmente. Walder et al. no entanto. Entre 5 e 15 °C o frio acelera a brotação e por isto estas temperaturas devem ser evitadas durante o armazenamento (Abdala & Mann. elas também causam substancial aumento da desidratação e deterioração dos bulbos. . Saturnino.. Uma razão possível para esta constatação são a busca por genótipos precoces e a correlação negativa entre produtividade em t/ha e o teor de matéria seca do bulbo. Durante o armazenamento. 1986. No Brasil. para que no momento do corte as ramas do pescoço estejam secas. A secagem das ramas nas regiões produtoras sujeitas a chuvas. de acordo com a cultivar. estas correlações não tem sido suficientemente aplicadas nos programas de melhoramento. Satodiya & Singh. 1981). colhidas com apropriada maturidade hortícola e adequadamente curadas podem ser armazenadas por 2 a 5 meses mesmo a 25°C sob umidade relativa entre 60 e 80% (Thompson et al. em secadores (Werner & Seben. rocha e vermelha.8°C) e ao redor de 0°C sob umidade relativa ao redor de 70%. como se pode verificar pelo baixo teor de matéria seca da maioria das cultivares de cebola lançadas nos últimos anos. Após o início da brotação a respiração e a transpiração aumentam e a firmeza do bulbo diminui conforme as reservas das escamas vão sendo exauridas. Maxie et al. principalmente podridão do coleto.. 1997). 1963. 1999).. 1980). A cebola deve ser armazenada em temperaturas superiores ao ponto de congelamento (-0. 1972. O emprego de sacas pequenas de ráfia. As cultivares com alto teor de matéria seca aquelas que se conservam melhor (Thompson et al. a seleção de cultivares com alta porcentagem de matéria seca não diminui o índice de colheita ou o acúmulo de massa por unidade de tempo que são calculadas com base na matéria seca (Causton & Venus. 1994). Pancadas.. o armazenamento da cebola por curtos períodos pode se feito.. a brotação pode ser inibida com pulverização da folhagem da cebola 2000mg/L de hidrazida maleica cerca de duas semanas antes da colheita (Kumar et al. A superação da dormência e o desenvolvimento de brotos é por isto uma importante causa de perdas.. A colheita precoce causa perda de produção e baixa capacidade de armazenamento. vernalização e facilita a brotação. A colheita da cebola deve ser feita quando 40 a 70% das folhas estiverem amarelecidas ou secas. Goburdhun. A irrigação deve ser suspensa 2 a 3 semanas antes da colheita. Na propriedade agrícola. deve ser feita com ar forçado. As características mais freqüentemente fundamentais para uma boa capacidade de armazenagem são o elevado teor de matéria seca. boa dormência. Também não podem ser armazenados os bulbos que tenham sofrido deficiência de cálcio ou boro durante o cultivo. principalmente para cultivares com período curto de dormência. A vida de útil da cebola armazenada depende muito da cultivar. amassamentos e esfoladuras causam a superação da dormência. Calbo et al. Cebola com a rama cortada após um processo cuidadoso de cura poderá seguir para o armazenamento prolongado. Nas regiões secas do Brasil é comum se empregar a chamada cura a campo na qual a secagem das ramas é feita deixando-se a cebola colhida por cerca de 3 dias no campo. 1980). 2000. 1971. O armazenamento refrigerado da cebola mesmo em temperaturas próximas a 0 oC induz quebra da dormência. quando o bulbo volta a ser exposto a temperaturas próximas a 20 oC. Sob um ponto de vista de fisiologia da produção. Alternativamente.. 1980). amarelada. A brotação da cebola que pode ser controlada como o uso de 60 a 80 Gy de irradiação gama de fontes como Césio (137Ce) ou Cobalto (60Co) (Iglesias & Salcines. Apesar de bem conhecidas. há uma gradativa perda de dormência e quando o balanço hormonal fica favorável o bulbo começa a brotar e a emitir raízes (Pak et al. 1977. cultivares do grupo Baia Periforme com maior teor de matéria seca (7 a 12%) conservamse melhor que cultivares derivadas de Granex e Texas Grano com teor de matéria seca entre (4 e 6%) (Garcia et al. Kader. Plantas de pescoço grosso que permanecem eretas e bulbos com pequenas infeções visíveis deterioram rápido e devem ser comercializados imediatamente. Agic et al. Por esta razão em ensaios de armazenamento realizados em temperaturas ao redor de 27oC as cebolas das cultivares Baia Periforme e Amarela Chata das Canárias se conservaram melhor em réstias do que em sacas a granel (Calbo et al. 1992 e 1994). folhas protetoras bem formadas e pescoço fino ou apertado (Thompson et al.Cebola (Allium cepa) A cebola é um bulbo de folhas concêntricas que apresenta boa proteção contra a desidratação. 1972). 1997. Há uma diversidade na aparência das cultivares de cebola que podem ter formato de achatado até alongado de cor branca. O corte de tecidos vivos do pescoço permite a penetração de patógenos que causam o apodrecimento. durante a colheita.... tendo-se o cuidado de cobrir os bulbos com as folhas para que a ocorrência de manchas esbranquiçadas de queimadura solar não cause perdas elevadas. embalagens de papelão ou madeira laminada tem permitido substanciais reduções nas perdas causadas por estes tipos de injúria mecânica. Depois as folhas precisam ser secas (cura). aumentam a respiração e facilita a deterioração.. A colheita tardia quando quase todas as folhas já estão secas e as vezes até amarronzadas causa aumento de infeções tardias e o aumento da incidência de bulbos com escamas transparentes (Bottcher. Cultivares de cebola com alto teor de matéria seca. Muito embora temperaturas maiores que 28 °C inibam a brotação. o que é acompanhado de uma porcentagem usualmente maior de "estalo" (tombamento). 1972). a granel com rama ou em réstias. Miedema. 1995. 2000. 1997).

Cura e armazenamento de cebola. P. II. P. DOMARCO. F.K. Nas gôndolas as temperaturas nunca deverão exceder 3oC.5. I. 3. 1. 6. 41-42.. p. Bulb development in the onion (Allium cepa L. p. 1986. I. CAUSTON..H. Horticultura Brasileira.M.565-570. p.G. JEVTIC. Influence of harvest date on the postharvest responses of allium-vegetable species. KUMAR. L. após controvérsias sobre possíveis efeitos cancerígenos voltou a ser liberada pelo ministério da agricultura no Brasil. 1980. Food Technology. K. A.K.. v.18. Avaliação da qualidade da cebola irradiada na Argentina e armazenada no Brasil... 35. The effects of temperature and cultivar on sprouting and rooting.G. THOMPSON. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS AGIC.M. n.G.C. 1.. VAUGHAN. 28. M. YOKOMIZO. 14.. L.K. MUKESH. Numerosos estudos terem evidenciado que frutas e hortaliças irradiadas com fontes que não causem radiação induzida são seguras. 1980. 69. Effect of MH and curing on storage of kharif onion (Allium cepa L. SATURNINO. p. 32. n. 52-54. Lazic. 6. 2000. & VENUS.. 1977. 1994. PAK. Potential applications of ionizing radiation in postharvest handling of fresh fruits and vegetables.T. [Einfluss des Erntezeitpunktes auf das Nachernteverhalten von Allium-Gemusearten] Gartenbauwissenschaft.0 oC. 1-2. . 69.I. v. n. n. P.W. MITCHELL. v. MIEDEMA P. London. BOTTCHER... v. J. v. p.. 2000. SPOTO. n. G. 1972. Efeito do acondici-onamento sobre o comportamento fisiológico e conservação de duas cultivares de cebola (Allium cepa L. R. Onion Newsletter for the Tropics.146-149. Do ponto de vista de controle de brotação a hidrazida maleica é referência de eficiência. n. 565-569. v. Importance of dormancy and sink strength in sprouting of onions (Allium cepa) during storage.. van-der. SEBEN.L. p. BLUMER. curing and storage practices on development of neck rot in onion. Journal of Horticultural Science.. ARAUJO.1.. v. Revista de Olericultura. p. C. quando cera de 40% das plantas já estiverem tombadas.E.85-112. Influence of growing. 311. Dynamics of losses during bulb storage from semi-acrid onion cultivars. A cebola minimamente processada desidrata e deteriora com muita facilidade e por isto deve ser armazenada em temperatura entre -1.37. 49-50. SHIROSE. Neste tipo de pulverização também tem havido relatos de efeitos menos intensos do Ethrel a 200mg/litro. CHAUBEY. Adicionalmente há um grande resistência à liberação de produtos irradiados. MIEDEMA. IGLESIAS. MARTINOVSKI. p. 462. T. v.W. J. A cebola picada ou fatiada é um produto de conveniência que esta sendo oferecido minimamente processado em embalagens plásticas. Conservação pós-colheita da cebola 'São Paulo'. BOER. CORDEIRO. 307 p. 11. (Goburdhun.) no vale do São Francisco.W. H. S. CHATTOPADHYAY.1995). A.A. 1981. Conservacion de cebollas por irradiacion. R. 1993. n. Principales resultados obtenidos en los ultimos 10 anos. Hilgardia.74. 29-39. 1.. v. SALCINES. Acta Horticulturae. BLEINROTH. 54-60.V.. R. Pesquisa Agropecuária Brasileira.deT.M. Revue Agricole et Sucrierede l'Ile Maurice. MEDINA. E. Este processo de vernalização é indispensável para o florescimento de plantas bianuais como o alho e a cebola..64: n. GJORGJIEVSKA.C.). M. e em alguns países suspenderam temporariamente o uso deste produto. Florianópolis : EMATER-SC / ACARESC.8. No entanto. p. CALBO. MANDAL. DAS. Y. Comportamento das variedades de cebola de maior comercialização no Brasil quanto ao armazenamento. p. p. G. 62. The effects of temperature on sprouting of onion bulbs. M.0 e 0. p. J.H. A. SANTOS. Bulb dormancy in onion. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables. The biometry o plant growth. BOOTH. Alimentaria. 1963. p.220-226. HortScience. R. A hidrazida maleica. M. E. D. Informe Agropecuário. v..) and the effects of storage temperature on bulb rest.M. D. por outro lado. Journal of Horticultural Science.H.J. WALDER. R. R.C.L. H. GUALBERTO. v. Bulb dormancy in onion.27-53. D. v. 40. 87. v. 1995. Environment and Ecology. v.F. E.H. B. GOBURDHUN.K. F.. p.R. Van der Plas.. 6. & MANN. 117-121. 1... J. p. Onion storage in the tropics. A. De BOER. PROCTOR. I. v.A.D. 1997.M.). n. CURZIO.A. 1994. KAMMINGA.. CROCI. A. 4.41-45. Physiologia Plantarum. 94.. (ed.. n. Phytopathology. A.202-204.. n. L. 2.. 1995). p. n.86-99. 65-70. O.A. v. PLAS. L. p.A. os irradiadores de alimentos são equipamentos muito caros e que requerem um dimensionamento logístico cuidadoso para ser economicamente viável.. 1997.K. MAXIE.M.de F. v. 19-34.. KADER. WERNER. n. 1995. The role of cytokinins in high-temperature imposed sprout inhibition. Armazenamento de cebola. v. p. 1992. Tropical Science.C. 50.K. SOMMER.de. 1960. Edward Arnold. C. 1999. p. A. p. 5. 277-283. Coletânea do Instituto de Tecnologia de Alimentos. 1971.D. ABDALA. G. E. N. Para a indução de florescimento necessária produção de sementes os bulbos de cebola precisam ser vernalizados preferencialmente entre temperaturas entre 5 e 10 oC por um período mínimo que depende das exigências de frio de cada cultivar. v. A. C.F. MIEDEMA. Effect of maleic hydrazide on onion storage potential. S. GARCIA. 6.C.

e maços de cenoura com folha são comercializados em alguns mercados. O emprego de cloro (100mg/litro) também auxilia na sanitização. A ocorrência de podridão mole. A elevada firmeza. a resistência ao transporte e a capacidade de armazenamento das raízes de cenoura. O simples uso de água fria na lavação aumenta a vida útil da cenoura e permite melhor conservação e transporte mesmo na falta de refrigeração. As raízes de cenoura absorvem a água pulverizada e se rehidratam (Shibairo et al. O emprego de temperaturas de armazenamento inferiores a 0 °C requerem câmaras com excelente uniformidade e controle térmico. Após a lavação e secagem a cenoura é classificada (Silva et al. aumenta a produtividade. 1998). A cenoura deve ser colhida quando atinge o desenvolvimento típico da cultivar.5% v/v) (Calbo et al. Alguns produtores da região de São Gotardo só estão enviando cenouras em embalagens de plástico ou nas antigas caixas K somente sob encomenda. Por ser uma raiz tuberosa com periderme muito permeável ao vapor de água cenoura é sensível ao murchamento e as diferenças de perda de água entre cultivares depende da relação superfície volume de cada uma delas (Shibairo et al. 1991. No mercado varejista. Na comercialização em gôndolas a cenoura pode ser pulverizada freqüentemente com água. A colheita tardia. Este resfriamento pode ser feito diretamente. no entanto. a pulverizações freqüentes de água e o uso de embalagens plásticas perfuradas são empregadas para manter a hidratação. Suojala et al. A cenoura deve ser armazenada em temperaturas superiores ao ponto de congelamento (-1. mais fibrosas e com um aumentado número de raízes com rachaduras longitudinais de crescimento. A quebra deixa uma área ferida maior que o corte com faca afiada. outras com menor teor de matéria seca como Brasília e Alvorada tem ciclo mais curto e são colhidas com 85 a 100dias. o que reduz a desidratação e auxilia na manutenção da firmeza.5%.4 °C) tipicamente ao redor de 0 °C sob umidade relativa elevada (>95%). O manuseio das raízes de cenoura deve ser feito sob umidade relativa do ar acima de 90%.. causada por Erwinia carotovora. mais descoloridas.. ou cortada bem rente a raiz. O emprego de espalhante na água tem facilitado seu escorrimento e a secagem das raízes. visto que a desidratação torna as raízes de cenoura flácidas e sem valor comercial. as folhas usualmente são removidas para reduzir a área transpirante. da deterioração e prejuízo para a qualidade da cenoura.. Algumas cultivares com maior qualidade e maior teor de matéria seca e melhor capacidade de armazenamento como Kuronan são mais tardias e a colheita deve ser feita com 95 a 120 dias. Nestas condições a cenoura pode ser conservada firme e com boa aparência por cerca de 3 meses. Antes da comercialização a cenoura costuma ser lavada. 71p. Lana & Vieira. 1997). Fale conosco Cenoura (Daucus carota) É uma raiz cônica ou cilíndrica muito firme. Casas especializadas em piscinas comercializam este "kit". Matéria orgânica na água causa uma rápida exaustão do cloro ativo. 1999). e o fato de ser uma raiz alongada tornam as raízes bem hidratadas susceptíveis à rachadura transversal de impacto (McGarry. por outro lado. que pode ser removida do solo com poucos ferimentos. com máquina de refrigeração. a baixa percentagem de volumes gasosos intercelulares. rachaduras e outros ferimentos que causam aumento da respiração. Lana & Vieira (2000) apresentam uma diversidade de tipos de lavadouros para cenoura empregados no Brasil com suas vantagens e problemas específicos. 1995). visto que eles tem causado esfoladuras. mais fibrosas. A colheita da cenoura de cultivos maiores tem sido feita com arrancadeiras e em áreas menores com arranquio manual. Mempel. A lavação com lavadores menos agressivos é uma necessidade atual (Bohec et al.. O pré-resfriamento da cenoura feito diretamente com o uso de água fria durante a lavação começa a ser utilizado no Brasil. 1998). e uma menor capacidade de armazenamento (Suojola. mais endurecidas. a parte área é usualmente quebrada. 1999. Em adição um tratamento mais específico para esta podridão é o uso do antibiótico kasugamicina (Kasumin). acarretando redução de produtividade. há necessidade de higienizar periodicamente a faca imergindo-a.. o atraso na colheita principalmente de cultivares nacionais é perigoso visto que as raízes podem ficar muito grandes. A concentração de cloro ativo e o pH próximo a 7.1993. Após o arranquio. Para o corte. As folhas da cenoura podem ser consumidas. ou indiretamente pela adição de gelo picado à água de lavação. Raízes colhidas precocemente são pequenas. preparado diluindo-se 1 litro de água sanitária diluída em 4 litros de água. Se todo o manuseio da .0 devem ser confirmados várias vezes ao dia com o emprego de "kit" para análise de água. 1992. 2000) e embalada. que costuma ocorrer com maior freqüência e intensidade na época das chuvas. No entanto. periodicamente em um frasco com hipoclorito de sódio a 0. com pouco volume intercelular (?1. Na colheita. Esta lavagem deve ser feita com água limpa e trocada com freqüência. Produtores estão comercializando a cenoura em caixas de papelão o que diminui substancialmente os danos mecânicos impostos às raízes. quando bem hidratada. é agravada pela falta de secagem das raízes após a lavação. 1995).

. K. 484-492. G. TOIVONEN. 4. Journal of Horticultural Science and Biotechnology. quando os frutos atingem 100 a 300 g..I. 1.).. P. 2. p. 71. HOFTUN. 1. Informe Agropecuário.. T. por estas razões é uma hortaliça muito sensível a esfoladuras e injúrias mecânicas de impacto. 2000. J Mise au point de laveurs doux pour carottes de sable. 1996). A. J.M. n. p.. P. LE-BOHEC. S. Seljasen et al.K.). LETEINTURIER. 402-404.A. Durante o armazenamento a cenoura não deve ser exposta a concentrações de etileno superiores a 0.5 microlitros de etileno por litro de ar. 16 p. n. n. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERENCES BOHEC. 1997. 1998. 1-12. CANTWELL. 1999). Neste estádio os frutos são muito sensíveis a injúrias mecânicas e . H. a comercialização da cenoura pré-embalada em sacos plásticos é uma forma preferível de manter a qualidade. Journal of the American Society for Horticultural Science. M.to consumer?] Gemuse Munchen.. Replacement of postharvest moisture loss by recharging and its effect on subsequent moisture loss during short-term storage of carrots. CALBO. YANG. Este processo denominado vernalização é indispensável para o florescimento e a produção de sementes em plantas bianuais ou anuais de inverno como são a cenoura o alho e a cebola. 75. 34. UPADHYAYA. EVERS. 400. Embrapa Hortaliças). Agri-Food Quality II: quality management of fruits and vegetables . 1-2. diminuir a perda de água por transpiração (Lingaiah & Reddy. 1994. [Development of gentle washers for carrots grown in sand. F (ed. Factors influencing ethylene-induced isocoumarin formation and increased respiration in carrots. p. CALBO.M. 1999. TIILIKKALA. v. 1998. Postharvest moisture loss characteristics of carrot (Daucus carota L.) cultivars during short-term Scientia Horticulturae. 1997.V. S. M. Fale conosco Chuchu (Sechium eduli) O chuchu é um fruto consumido imaturo e tenro. Effect of ethylene on sensory quality of carrots. v. p. n. MEMPEL.. R.S.B. R.T. LAFUENTE. H.) storage roots.. v. 4. 193-196. 157-163.V. A. REDDY. Effect of maturity and prepackaging on shelflife and quality of carrot (var.F. v. A..I. 22-25 April. SELJASEN. 74.LE.. LINGAIAH. T. n. 7..from field to table. HERRMANN. quando exposta as mesmas concentrações de etileno (Lafuente et al. p. As raízes fatiadas ou submetidas a danos mecânicos produziram mais isocumarina quando expostas ao etileno.K. UPADHYAYA. 537-542. P..). p. (Circular Técnica 21. Fisiologia e manuseio pós-colheita de cenoura. Embrapa Hortaliças. (ed.. Brasília.A. com baixo volume gasoso que possui tecido dermal fragil. n.de Intercellular deformation in compressed organs. BENGTSSON. v. 15. 1996. 354. Turku.. Journal of the American Society for Horticultural Science. 365-370.. deve-se evitar o armazenamento próximo a fontes de etileno como frutos amadurecidos e a motores de combustão.. n.M. Cilindros de raiz minimamente processadas ("Baby carrot") sem a periderme. SILVA. 1998. 1999. 10. G. então. Para a indução de florescimento necessária produção de sementes as raízes de cenoura com as folhas cortadas são armazenadas em temperaturas entre 0 e 5 oC por um período mínimo que depende das exigências de frio de cada cultivar.L. Early Nantes and Zino) under ambient condition. G. n. 123. M. Finland. 48-53. TOIVONEN. H Qualitat von der Ernte. Cellular basis of tissue toughness in carrot (Daucus carota L. 102-106.cenoura for feito sob refrigeração. J. pois este gás causa a formação de substâncias fenólicas de sabor amargo como a isocumarina (Lafuente et al. v. 169. (ed.bis zum Verbraucher? [Washed carrots . v.G. 1996. p.. Annals of Botany. M. 235-240. 141-145. GALVEZ. não produziram o sabor amargo. AHVENAINEN. LANA.. A. HAGG. S. Annals of Botany. HENZ. v. (ed. Por esta razão... v. J. O ponto de colheita ocorre cerca de 15 dias após a abertura das flores. 121. Trata-se de um fruto de alta densidade. 1991. p..P. VIEIRA. NERY. VILLENEUVE. SHIBAIRO.). 1995. Usualmente o chuchu é colhido antes de atingir o tamanho máximo enquanto ainda se apresenta tenro e com a semente interna imatura. J. M.B. 1995. A.M. Karnataka Journal of Agricultural Sciences. Classificação e beneficiamento de hortaliças. p. 3. M. n.] Acta Horticulturae. Effect of harvest time on the storage performance of carrot.G. diferentemente. McGARRY.A. p. v.O. LOPEZ. SHIBAIRO..76.quality from harvest. 1997) e diminuir o manuseio do produto pelos consumidores. SUOJALA.

G. No entanto. 343-350. 1991). com pré resfriamento. 530 p. onde pode receber periódicas pulverizações com água. H. Em ambientes adequados. v. 5. n. n.J. Quality of cauliflower as influenced by film wrapping during shipment. Postharvest physiology of perishable plant products. Field protection of cauliflower curds to preserve whiteness and improve postharvest quality. C. 69. Durante o transporte estas condições podem ser obtidas mantendo-se as cabeças protegidas pelas folhas. com 10 a 30 cm de diâmetro. A manutenção da cor branca da couve-flor é muito importante e durante a fase de transporte. 1998. "An AVI Book". Ela deve ser colhida quando a cabeça alcançar o desenvolvimento típico da cultivar. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita Couve (Brassica oleracea var. J. p. que fica então sujeito ao apodrecimento.J. 4. é causado pelo manejo inadequado da temperatura e a utilização de cultivares inapropriadas. para a manutenção do frescor. 1989). 1998).A. como é freqüentemente empregado nos supermercados. 337-341.R. que são delicadamente acomodados em bandejas envoltas por filmes plásticos. 1999.por isto devem ser manuseados com cuidado. Para isto. a rápida remoção do calor de campo. Fale conosco . Antes que ela perca sua compacidade e comece a se dividir ou que ocorra a abertura das flores. RAGHAVAN. que causam muitas esfoladuras no frágil tecido dermal destes frutos. 1989. Uma forma comum de reduzir a transpiração é o envolvimento em filme plástico (Artes & Martinez.V. Acta Horticulturae. que resulta do concrescimento de ramos e primórdios florais. F. RATTI.S. Journal of Agricultural Engineering Research.S. New York. A prática de forrar a caixa com papel jornal é uma forma de reduzir os ferimentos e a desidratação. branca e túrgida muito sujeita a senescência e a desidratação. v. que preferencialmente deve ser feito sob refrigeração. A cabeça é cortada em pequenos floretes. S. caixas plásticas ou caixas de papelão parafinadas é conveniente para o pré-resfriamento e transporte desta hortaliça. MARTINEZ. J. elas devem ser mantidas no escuro sob umidade elevada. Sob temperatura e umidade relativa elevadas. 1999. aumenta a vida útil da couve-flor em mais de um dia.... Durante a comercialização no varejo a couve-flor deve ser mantida em balcões refrigerados. Modelling modified atmosphere storage of fresh cauliflower using diffusion channels. KAYS. próximas a 0 °C (Kays.R. Após a colheita a couve-flor deve ser mantida com algumas folhas para a proteção da cabeça durante o transporte. 1991. 330-334. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS ARTES. formação de áreas deprimidas e há um aumento da susceptibilidade ao apodrecimento. Esfoladuras. A couve-flor comercializada na forma minimamente processada vem apresentando crescimento considerável em diversos supermercados. Assim como para a couve e o brócolos o uso de tratamentos em água quente pode ser utilizado para diminuir este escurecimento da couve-flor causados por oxidases. Como em outros produtos altamente perecíveis. que podem inclusive serem presas com elásticos (Forbes & Chapman. European Food Research and Technology. Esta inflorescência desenvolve-se sobre um pedúnculo muito curto no meio das folhas.. K. os ferimentos do chuchu podem cicatrizar. CHAPMAN. p. p. a vida útil desta hortaliça chega a duas semanas. RABIE. A exposição prolongada à luz provoca o amarelecimento da cabeça.8). O chuchu tem sido comercializado em caixas K. O manuseio da couve-flor deve ser feito sob umidade relativa alta (>95%) em temperaturas superiores ao ponto de congelamento (-0. Ratti et al. v. A vida útil do chuchu é máxima quando armazenado a @ 12 oC sob umidade relativa elevada (>95%). acephala) A couve-flor é uma inflorescência imatura. A aplicação de gelo moído em caixas de laminado de madeira. formando um disco abaulado de cor branca ou creme. 209. é comum permanecerem manchas escuras. que se formam sobre os numerosos pendões florais. O escurecimento freqüentemente observado no produto minimamente processado.. FORBES. Quando o chuchu é conservado em ambiente com temperatura inferior a 12 oC ocorre escurecimento. 247. pancadas e amassamentos depreciam o fruto.

A ervilha enlata fresca. uma exposição rápida da semente a água quente que faz uma inativação térmica desta e outras enzimas (Dornenburg & Davies. A couve-flor comercializada na forma minimamente processada vem apresentando crescimento considerável em diversos supermercados. como é freqüentemente empregado nos supermercados. A ervilha fresca é altamente perecível e deve ser resfriada para 0 °C logo após a colheita. próximas a 0 oC. com perda do sabor adocicado. Na ervilha fresca a transformação de açúcares solúveis em amido. a rápida remoção do calor de campo com pré resfriamento aumenta a vida útil em mais de um dia. Na ervilha colhida fresca para processamento a atividade desta enzima precisa ser inibida em poucas hora com o uso do processo de branqueamento..) A vida útil da ervilha fresca é no máximo 3 a 4 dias. se não houver uma boa circulação do ar frio. Como em outros produtos altamente perecíveis. Durante a comercialização no varejo a couve-flor deve ser mantida em balcões refrigerados onde pode receber periódicas pulverizações com água para a manutenção do frescor e turgescência. As sementes na época da colheita estão em franco crescimento. Se passar do ponto a cabeça perde a compacidade e começa a abertura de flores.. A respiração da ervilha fresca é alta e chega a causar significativo aumento da temperatura do produto armazenado. A couve-flor deve ser mantida com algumas folhas para a proteção da cabeça durante o transporte. é mais valorizada que a ervilha rehidratada. branca e túrgida muito sujeita a senescência e a desidratação. HICKS. Por isto a ervilha tem sido freqüentemente comercializada na forma de produto congelado ou de enlatado. O manuseio da couve-flor deve sempre ser feito sob umidade relativa alta (>95%) em temperaturas superiores ao ponto de congelamento (-0. que preferencialmente deve ser feito sob refrigeração. Mesmo assim a peroxidação dos lipídeos juntamente com a degradação da clorofila tem um papel importante na senescência pós-colheita da ervilha (Furuta et al. Sugar Daddy esta imatura enquanto as sementes não enchem a vagem. As lipoxigenases são liberadas nas sementes quando elas sofrem ferimentos. J. botrytis) É uma inflorescência imatura.R. A aplicação de gelo moído em caixas de laminado de madeira. A cabeça é cortada em pequenos floretes. Adonai Gimenez Calbo e Celso Luiz Moretti / Laboratório de Pós-colheita Ervilha (Pisum sativum L. que são delicadamente acomodados em bandejas envoltas por filmes plásticos. Nos balcões frigoríficos o uso de nebulizações freqüentes com água prolongam o frescor. caixas plásticas ou caixas de papelão parafinadas é muito conveniente para o pré-resfriamento e transporte desta hortaliça. Uma forma comum de reduzir a transpiração é o envolvimento em filme plástico. M. madura quando as sementes enchem a vagem sem deforma-la e passada quando as sementes já muito grandes deformam a vagem. ocorre rapidamente. que constitui-se na forma mais comum de venda no Brasil. Effect of maturity on carbohydrate changes in sugar snap pea pods . A couve-flor deve ser colhida quando a cabeça alcançar o desenvolvimento típico da cultivar. a vida útil desta hortaliça chega a duas semanas. As baixas temperaturas no armazenamento atrasam a inconveniente conversão de sacarose em amido. Basterrechea & Hicks (1991) considera que a ervilha verde em vagem Pisum sativum var. 1995). porém atrasar a colheita prejudica a qualidade dos grãos e das vagens que ficam mais duras e com menor teor de açúcares solúveis. A ervilha dever ser mantida em temperaturas superiores ao seu ponto de congelamento (-0.8). Em ervilha como em varias outras leguminosas as lipoxigenases catalisam a oxidação de ácidos graxos poliinsaturados que causam sabor desgradável. que ocorrem na colheita. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BASTERRECHEA. Para a ervilha consumida sem processamento estas enzimas só são inibidas por tratamentos térmicos na cozinha. macrocarpon cv. As injúrias mecânicas nas sementes usualmente são tão graves porque as sementes continuam nas vagens verdes. Em ambientes favoráveis. de melhor qualidade. 1999).Couve-flor (Brassica oleracea var. O transporte deve ser rápido e a comercialização feita sempre em balcões refrigerados.6 °C) e próximas a 0 °C sob umidade relativa do ar elevada (>95%). antes do congelamento ou outra forma de processamento. O manejo inadequado de temperatura e a utilização de cultivares inapropriadas estão relacionados com o escurecimento frequentemente observado neste produto minimamente processado.

Inhame (Colocasia esculenta L. S. A mecanização da colheita do inhame é simples. 1995.. n. p. Durante o armazenamento. Food Reviews International. Bioscience.. 66). do produto in natura. ela deve ficar longe de frutos climatéricos. vegetables and florist. The commercial storage of fruits. Postharvest physiology of perishable plant products. Sabe-se que durante a maturação o teor de amido aumenta e o teor de sólidos solúveis reduz. Face a alta perecibilidade. 435-453. 1 Vegetables and Melons.J. NISHIBA. H. No balcão. FURUTA. 1991. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS HARDENBURG. Y. Scientia Horticulturae. Handling. WATADA. and nursery stocks.E. As folhas também são muito sensíveis à injúria de resfriamento e se conservam melhor dentro de embalagens plásticas sob alta umidade relativa (>95%) a temperatura de 10oC.L. DAVIES. A new method for judging deterioration of stored garden peas. v. an index of lipid peroxidation.. Biotechnology and Biochemistry. A. SUDA.E. 1999). No processo de senescência o feijão-de-vagem amarelece. O armazenamento a 3oC causa injúrias de resfriamento e amarronzamento (Sankat et al.) Há cultivares de feijão-de-vagem de crescimento indeterninado apropriadas para cultivo com tutoramento.1-8.Y. . motores de combustão e de outras fontes de etileno. 1-2. v. 530 p. o congelamento do feijão-de-vagem está se tornando mais popular. O ponto colheita ideal é quando as vagens atingem o máximo de desenvolvimento.) O inhame é uma raiz tropical sensível a desidratação e ao resfriamento e rica em substâncias corticóides. KAYS. p. Na colheita as vagens fibrosas com grãos salientes precisam ser eliminadas. p.during storage. A colheita deve ser bem planejada e os implementos bem regulados para reduzir a incidência de ferimentos. As diferentes cultivares desta hortaliça são todas altamente nutritivas. Fale conosco Feijão-de-Vagem (Phaseolus vulgaris L. A cura deve ser feita uma semana em ambiente úmido entre 15 e 25 °C. a umidade relativa deve ser sempre mantida elevada (>95%). após o cultivo do tomate tutorado e cultivares de ciclo mais curto de crescimento determinado apropriadas para cultivo rasteiro. RYALL. A necessidade de colheitas repetidas deste fruto pouco massivo encarece em muito a produção. I.J. É através dos ferimentos que a maioria dos patógenos pós-colheita penetram. DORNENBURG. 1994) O inhame possui boa capacidade de armazenamento e pode ser conservado por 4 a 6 meses em armazéns ventilados sob temperaturas ao redor de 20°C. 15. 1986.. 1991.130p. A cura apropriada aumenta a resistência a doenças e reduz a transpiração. W. 2ed. O feijão-de-vagem possui ponto de congelamento de –0. Para conseguir um rápido resfriamento do feijão-de-vagem após a colheita pode-se empregar hidroresfriamento ou resfriamento a vácuo. A temperatura ótima de armazenamento está ao redor de 14°C a umidade relativa deve ser maior que 90%. Nesta condição estas folhas duram cerca de 10 dias. As folhas do inhame podem ser preparadas de maneira similar às folhas do espinafre.WANG. até um valor mínimo. Agriculture Handbook. 587 p. A exposição desta hortaliça ao etileno acelera estes tipos de sintomas de senescência e por isto. antes de se tornarem fibrosas. Washington:USDA. v. Connecticut. 1. pode ser feita com arrancadeira. "An AVI Book". n. n. 4. AVI Publishing. fica fibroso e endurecido. New York.(USDA.7°C. A. The relationship between lipid oxidation and antioxidant content in postharvest vegetables. Nos armazenamentos prolongados a brotação costuma . frágeis. sensíveis a desidratação e entram rapidamente em senescência. S.. 59. porém por sua sensibilidade à injúria de resfriamento deve ser mantido sob temperaturas entre 3 e 6°C. transportation and storage of fruits and vegetables v.. o que permite a cicatrização dos ferimentos de colheita com a formação de uma periderme com deposição de lignina e compostos fenólicos (Uritani. estão ainda tenras e as suas pontas túrgidas podem ser vergadas e quebradas sem maior esforço. 1979. C. o feijão-devagem se beneficia do emprego de embalagens plásticas perfuradas ou do uso de pulverizações freqüentes com água. C. Em geral a colheita ocorre duas a três semanas após a fecundação. O ponto de colheita do inhame ainda precisa ser estudado. 48. cultivador ou mesmo com a enxada. 1999. LIPTON. R. 111-112. No ponto de colheita as vagens com 15 a 20cm de comprimento.

v. As cultivares de jiló disponíveis tem sabor amargo ou extremamente amargo. 1979. 1991. SASS. 1 Vegetables and Melons. n. n. KAYS. 66). ou por motores a explosão acelera o amadurecimento e deve ser evitada. 121-130. Adicionalmente.A. Acta Horticulturae. p. R. 119. V.E. no entanto. O jiló é usualmente colhido verde com cerca de 20 a 30 g. O jiló é usualmente colhido verde com cerca de 20 a 30 g. The commercial storage of fruits. A colheita do jiló inicia-se 90 a 100 dias após a emergência. Postharvest physiology of perishable plant products. são produtivas (40 t/ha) e o formato pode ser redondo ('Verde Redondo'). A exposição do jiló ao etileno liberado por outros frutos como a maçã e o maracujá. F. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS FILGUEIRA. 587 p. Handling. LIPTON.E. Sob temperaturas menores que 10 °C ocorre escurecimento das sementes e a formação de áreas deprimidas na casca. Postharvest physiology of perishable plant products. Connecticut. 530 p.J..130p. 1986. camada mais espessa de cera poderia ser empregada para aumentar a vida útil do fruto pelo atraso no amadurecimento. que possui grande volume gasoso intercelular (? 50%) e praticamente não foi estudado sob o ponto de vista de pós-colheita. Agronômica Cêres. AVI Publishing. 1994. New York. Sabe-se.L. Devido ao seu grande volume gasoso intercelular o jiló é pouco sensível a injúria mecânica de impacto e é sensível a injúria de compressão (amassamento). v. C. A colheita do jiló inicia-se 90 a 100 dias após a emergência.J. RICKARD. no entanto.. 40.J. 1972). Botanical Bulletin of Academia Sinica. prolongando-se por mais de três meses (Filgueira. Sabe-se. fisiologia e fisiopatologia. HARDENBURG. A.L..(USDA. Washington:USDA. W. O amadurecimento do fruto é indesejável e em temperaturas próximas a 20°C ocorre em poucos dias. 177-183. I. 587 p. 1979. O amadurecimento do fruto é indesejável e em temperaturas próximas a 20°C ocorre em poucos dias. 530 p. Mandioca de Mesa (Manihot utilissima) É um fruto tropical colhido ainda imaturo.WANG.E. 1999. Study on the factors affecting storage of edible aroids. p. 451 p. W. vegetables and florist. Frutos já amadurecidos com cor vermelha e sementes endurecidas são imprestáveis para consumo. S. 1 Vegetables and Melons. que seus frutos se assemelham aos da berinjela em sua anatomia. Manual de Olericultura. A semelhança com a berinjela sugere que a conservação do jiló deve ser feita em temperaturas de 10 e 13 °C sob umidade relativa do ar elevada (>95%). transportation and storage of fruits and vegetables v. 1991. Handling. 1972. oblongo (`Morro Grande`) ou alongado ('Comprido Cachoeira´). P. 1. 2ed. A. Agriculture Handbook. MAHARAJ. são produtivas (40 t/ha) e o formato pode ser redondo ('Verde Redondo'). "An AVI Book". Connecticut. Storage of dasheen leaves. J.. O jiló é um fruto sensível a injúria de resfriamento. p. 733-741. S. C. New York. que possui grande volume gasoso intercelular (? 50%) e praticamente não foi estudado sob o ponto de vista de pós-colheita.. LIPTON. RYALL. and nursery stocks. Sob temperaturas menores que 10 °C ocorre escurecimento das sementes e a formação de áreas deprimidas na casca. SANKAT. O jiló é muito sensível à desidratação que pode ser reduzida com emprego de sacos plástico perfurados e o uso de cera.ser a maior causa de perda de qualidade (Agbor-Egbe & Rickart. . RYALL. prolongando-se por mais de três meses (Filgueira. URITANI. 1991) Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS AGBOR-EGBE. T. 3. São Paulo. KAYS. A colheita é feita cortando-se o pedúnculo com faca ou tesoura. 1991. 1972). oblongo (`Morro Grande`) ou alongado ('Comprido Cachoeira´). "An AVI Book".J. Annals of Applied Biology. Biochemistry on postharvest metabolism and deterioration of some tropical tuberous crops. As cultivares de jiló disponíveis tem sabor amargo ou extremamente amargo.. WATADA.Y. O jiló é um fruto sensível a injúria de resfriamento. A semelhança com a berinjela . 2ed. Frutos já amadurecidos com cor vermelha e sementes endurecidas são imprestáveis para consumo.368.K. A colheita é feita cortando-se o pedúnculo com faca ou tesoura.R. que seus frutos se assemelham aos da berinjela em sua anatomia. Jiló (Solanum gilo Raddi) É um fruto tropical colhido ainda imaturo. A. fisiologia e fisiopatologia. v. transportation and storage of fruits and vegetables v. AVI Publishing. Devido ao seu grande volume gasoso intercelular o jiló é pouco sensível a injúria mecânica de impacto e é sensível a injúria de compressão (amassamento).

. A mandioquinha-salsa deve ser produzida em solos soltos de coloração clara. que é transportada úmida em caixas de madeira tipo K. S. entram em anaerobiose e a liberação excessiva de dióxido produzido por fermentação alcóolica estufa a embalagem que fica cheia como uma bola. e a falta de refrigeração são as principais causas de perdas desta hortaliça.0 devem ser confirmados varias vezes ao dia com o emprego de quite para análise de água. Se o preço estiver desfavorável a colheita pode ser atrasada algumas semanas. LIPTON.WANG. São Paulo. WATADA. Esta lavagem deve ser feita com água limpa e trocada com freqüência. AVI Publishing. O jiló é muito sensível à desidratação que pode ser reduzida com emprego de sacos plástico perfurados e o uso de cera.. transportation and storage of fruits and vegetables v. 66). A exposição do jiló ao etileno liberado por outros frutos como a maçã e o maracujá. 1997). camada mais espessa de cera poderia ser empregada para aumentar a vida útil do fruto pelo atraso no amadurecimento. KAYS. and nursery stocks. Raízes com diâmetro maior que 4 cm tem menor valor comercial. para evitar ataques de podridão mole (Erwinia spp. O uso de refrigeração em temperatura próxima a 0 oC todas as fases do preparo. em solos mais compactados há necessidade de uma afrouxamento do solo que pode ser feito enchadão (Santos. para diminuir ao mínimo as esfoladuras. O resfriamento das raízes aumenta melhora a conservação. Connecticut. 587 p.R.J. O resfriamento da água até cerca de 1oC pode ser feito equipamento refrigeração com a serpentina do evaporador imersa em água. 1986. The commercial storage of fruits. Alternativamente.A. 1995) A colheita da mandioquinha-salsa costuma ser feita quando a raiz atinge um diâmetro de 3 a 4 cm.E. 1979.L. para que apresente boa aparência e maior vida útil na comercialização. "An AVI Book".(USDA. 2ed. a água do lavador pode ser resfriada com o uso de uso de gelo. Os lavadores para mandioquinha-salsa precisam ser tão ou mais suaves do que aqueles utilizados para cenoura (Lana & Vieira. Mandioquinha-salsa ou batata-baroa (Arracacia xanthorrhiza) As raízes da mandioquinha-salsa ou batata-baroa são sujeitas a cortes e esfoladuras no arranquio e são sensíveis a abrasões e a batidas no manuseio. C. RYALL. A. R. 451 p. A lavação da mandioquinha-salsa é uma operação opcional para a apresentação de produto com boa aparência para o consumidor. Todos os cuidados para diminuírem estes ferimentos resultam em melhoria da qualidade do produto e diminuição de perdas por deterioração. vegetables and florist. O emprego de cloro (100mg/litro) auxilia na sanitização. Agriculture Handbook. HARDENBURG. Também é importante a seleção de cultivares menos propensas ao desenvolvimento de infeções pós-colheita (Giordano et al. o emprego de cloro e a completa secagem da superfície das raízes. O produto contido em um embalagem estufada deve estar com sabor alterado e deve ser descartado para evitar risco à saúde dos consumidores. Manual de Olericultura. "embalagem a vácuo". 2000).sugere que a conservação do jiló deve ser feita em temperaturas de 10 e 13 °C sob umidade relativa do ar elevada (>95%). Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS FILGUEIRA. Durante a lavação da mandioquinha pode-se fazer o pré-resfriamento com o uso de água fria com já esta sendo feito para a cenoura. Washington:USDA. Recomenda-se a renovação freqüente da água nos lavadores. transporte e comercialização da mandioquinhasalsa minimamente processada é até mais importante que para esta hortaliça inteira. 1991. New York. ou por motores a explosão acelera o amadurecimento e deve ser evitada. Em cultivos maiores o afrouxamento do solo para colheita pode ser feito com arrancadeiras. A concentração de cloro ativo e o pH póximo a 7. Handling. W. No armazenamento refrigerado o uso de embalagem plástica auxilia na manutenção da aparência e da firmeza das raízes (Avelar-Filho. 1972. No sistema atual de manuseio pós-colheita a mandioquinha-salsa tem tido uma vida útil de apenas 3 a 6 dias. Em solos soltos a mandioquinha pode ser arrancada dos solo com as mãos. Adicionalmente. A.Y.. Sob temperatura maior que a máxima recomendada (5 oC) a mandioquinha-salsa colocada em embalagens seladas. .). 530 p. Postharvest physiology of perishable plant products. 1997). Agronômica Cêres.J..E. F. No Brasil a falta de secagem da mandioquinha-salsa. A mandioquinha-salsa trata-se de um produto muito valorizado para a comercialização em fatias minimamente processadas.130p. Alguns lavadores simples especificamente utilizados para pequenos produtores de mandioquinha-salsa descritos por Santos (1997) fazem uso de cilindro rotativo com proteção interna de borracha e sistemas que a limpeza das raízes é feita com oscilação em lavador específico ou até mesmo dentro de sacos de ráfia. Nesta condição a mandioquinha-salsa pode ser armazenada por cerca de um mês. ainda que a folhagem da planta não tenha amarelecido. cujo valor é varias vezes maior que o do produto inteiro. Por ser um produto extremamente perecível a mandioquinha-salsa se beneficia do emprego de armazenamento refrigerado em temperatura próxima a 0 oC sob umidade relativa elevada (>95%) sem condensação superficial de água. 1 Vegetables and Melons.

2000. Connecticut. Fisiologia e manuseio pós-colheita de cenoura. Embrapa Hortaliças. J. A. J. 190. The commercial storage of fruits. 2ed. LANA. MOITA.E. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS HARDENBURG. A melancia deve ser manuseada com cuidado para evitar pancadas. 53-54. que a protege da perda de água. WATADA.. SANTOS. Avaliação de clones de mandioquinhasalsa no Distrito Federal provenientes de sementes botânicas. p. 19 n.. 1 Vegetables and Melons. Ao destacar o fruto o pedúnculo deve ser cortado com uma faca afiada a cerca de 50mm da base. 190. Nunca se deve quebrar o pedúnculo porque isto torna o fruto muito mais susceptível a podridões causadas por fungos. Brasília.Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS AVELAR FILHO. p. p. transportation and storage of fruits and vegetables v. Durante o transporte o caminhão deve ser forrado com papel. 530 p. 2. 1991. G.. 1997. C. v. F. LIPTON. Informe Agropecuário. Handling. a melancia é sensível a batidas. Melão Amarelo (Cucumis melo) Há um grande número de cultivares de melão que pertencem a duas variedades botânicas o Cucumis melo L. "An AVI Book".E. Por isto. 587 p. inodorus e que tem grande variabilidade de forma. AVI Publishing.A. classificação e embalagem da mandioquinha-salsa. A fisiologia e o comportamento pós-colheita de algumas das principais cultivares de cada uma destas variedades botânicas serão consideradas em conjunto. 19 n. Para evitar amassamentos não se deve empilhar mais de cinco camadas de frutos. R. apesar de possuir uma casca resistente. A temperatura ótima para o armazenamento da melancia esta entre 10 e 12 oC.F.Y.V. L. Informe Agropecuário. As células da polpa da melancia são grandes e se rompem com facilidade no impacto. RYALL. var reticulatus. A.de Manejo pós-colheita a mandioquinha-salsa. 1997. Fale conosco Melancia (Citrullus lanatus) A maioria das cultivares possuem frutos muito grandes que atingem massa superior a 5kg. A melancia deve ser colhida quando a casca em contato com o solo mudar da cor verde esbranquiçado para amarelo. Horticultura Brasileira. Postharvest physiology of perishable plant products. O vazamento do conteúdo celular prejudica as células vizinhas e facilita o apodrecimento. a melancia pode durar 1 a 3 semanas. vegetables and florist.(USDA.J. para evitar esfoladuras e a transmissão de doenças de um fruto para outro. var. A qualidade da melancia depende do teor de sólidos solúveis (principalmente açúcares). quando comparado com o carregamento tradicional. Sugere-se que os frutos alongados sejam colocados com o comprimento no sentido transversal ao da carroçaria. n.W.M.P.. Agriculture Handbook. Embrapa Hortaliças).F. M. tamanho cor de casca. and nursery stocks. New York. 66). HENZ. cor polpa e firmeza dentre outras características distintivas. VIEIRA. . Boas cultivares. W. que causam a deterioração. 1979. e o Cucumis melo L. A conservação da melancia em temperaturas inferiores a 10oC não aumenta muito a vida útil e compromete o sabor. 16 p. DE B. Washington:USDA.. 188-191. KAYS. 1995. F. A. 1986. v.L.. 13. GIORDANO. SANTOS. S. v. com frutos alinhados no sentido do comprimento da carroçaria. 53-54. os melões aromáticos. WANG. Este direcionamento dos frutos pode reduzir as injúrias mecânicas em até 70%.130p. dos Colheita. temperaturas elevadas e colheita no ponto certo são as condições necessárias para a obtenção de frutos doces e saborosos.. Em temperaturas ao redor de 200C.J. (Circular Técnica 21.

Melões do Grupo Inodorus Há uma diversidade de formatos e aparências externas das cascas dos melões deste grupo. v. NG. CHITARRA. 1995. p. Golden Beauty Casaba. n. 5. var reticulatus estão começando a ficar populares no Brasil. Dentre as cultivares de melão amarelo pode-se citar o Eldorado 300 e o Agroflora 646. As cultivares deste grupo suportam a o transporte e a comercialização por 10 dias ou mais mesmo em temperaturas ao redor de 25oC. No Brasil os primeiros melões deste grupo a se popularizarem foram provenientes da cultivar Amarelo Valenciano. 10).. A temperatura de armazenamento não teve efeito significante sobre a aparência externa da cultivar Honeydew e Golden Casaba Beauty. R. v.F.. Melão. BRUTON. Porém de uma maneira geral eles possuem casca firme e polpa usualmente branca.. 211-219. v. 12 e 15oC por 3 semanas seguidas por 3 dias a 20oC. Juan Canary e Paceco após o armazenamento a 7. A curta vida útil dos melões do grupo Reticulatus é a principal causa pela qual . Um indicativo evidente de que o melão foi submetido a impactos e vibrações exageradas na colheita e no transporte é a ocorrência da separação entre as sementes e a polpa. Honey Loupe. T. produtividade e de resistência a doenças.B.. v. visto que a casca não amarelece. melo var.. Estes são os melões aromáticos mais saborosos. (Frutas do Brasil.A.E. C. Segundo Gonçalves et al. v. O teor de sólidos solúveis não variou significativamente durante o armazenamento nas diferentes temperaturas. V.E. ALVES.. M. GONCALVES. p. 1990. 1996. Horticultura Brasileira. 1995.I. Ethylene production in ripening fruits of Cucumis melo var. 1995) observou-se uma capacidade de armazenamento similar.J. uma cultivar tardia com alto teor de matéria seca. de Caracterização pós-colheita do melão amarelo 'Agroflora 646'... Atualmente. vibração e amassamento causam a rápida deterioração do fruto.Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia. boa resistência mecânica e ótima capacidade de armazenamento. J. 2000. v. HortScience. Os melões do grupo tipicamente são pré-resfriados com ar forçado até temperaturas de 10 a 15oC e depois são armazenados em temperaturas ao redor de 10oC. Miccolis & Saltveit (1995) comparam cultivares de melão do grupo Inodorus Amarelo. n. Sob temperaturas inferiores a 5oC o sabor é prejudicado.B.. SALTVEIT. H. pós-colheita. F. and their hybrids. Inodorus Group) cultivars. J. Tecnologia pós-colheita e produção de melão no Estado do Rio Grande do Norte..E. porém no melão Amarelo e as demais cultivares houve sintomas de resfriamento ou manchas de senescência durante os 3 dias de armazenamento a 20oC. As principais dificuldades para a cultivar Pele de Sapo ainda são a aceitação popular e a dificuldade da determinação do ponto de colheita. Influence of storage period and temperature on the postharvest characteristics of six melon (Cucumis melo L. O armazenamento por período maior causa excessivos sintomas de senescência. SOUZA. MENEZES. Os melões deste grupo de uma maneira geral são mais precoces. 1. 11. COLLINS. Para o melão amarelo 'Agroflora 646' (Menezes et al. Vida útil pós-colheita de melão 'Piel de Sapo' armazenado em condição ambiente. M. 4 semanas.. alto teor de sólidos (>13%) solúveis. J. ALVES.. cantalupensis. Horticultura Brasileira. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS ALVES. 31-32. Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza. MENEZES. das C.B. n. WANG. B. CE). 1998. Os melões assim como a melancia são frutos muito sujeitos a pancadas e devem ser manuseados com cuidado e transportado em embalagens apropriadas. Wang & Ng (1998) fizeram estudos de cruzamentos em melões do grupo Inodorus e melões do grupo Reticulatus e observaram que o amadurecimento e a ocorrência do pico climatérico eram mais lentas nos frutos do grupo Inodorus que tem maior capacidade de armazenamento. Estes frutos são sensíveis ao resfriamento.. M. R. 21. Estresses de impacto. p. A menor capacidade de armazenamento. 1409-1412. Melões do Grupo Reticulatus Os melões rendilhados da variedade botânica o Cucumis melo L. A umidade relativa durante o armazenamento de ser ao redor de 90%. A.14. p. 12.K. CARVALHO. 43 p. Organoleptic evaluation of shrink-wrapped muskmelon. MICCOLIS. da C. (1996) o melão pele de sapo pode ser armazenado por até quatro semanas a 25ºC. p. A casca espessa e firme destas cultivares confere uma razoável resistência a compressão e à perda de água. 3. Os frutos de melão do grupo Inodorus nunca devem ser colhidos com menos de 10% de sólidos solúveis e cultivares como o Pele de sapo devem ser colhidos com mais de 11%. P. Hoje em dia há diversas cultivares derivadas disponíveis com diferenças de qualidade. Honeydew. CHITARRA. tem menor teor de matéria seca e menor capacidade de armazenamento. Postharvest Biology and Technology. entre outras razões é causada pela casca mais frágil e mais permeável ao vapor de água. n. Ao contrário do que ocorre em frutos como a banana o teor de sólidos solúveis do melão diminui ao invés de aumentar após a colheita. MENEZES. 2.B. . 49-52. J. v. p. Horticultura Brasileira. inodorus. PERKINS-VEAZIE. Report Cucurbit Genetics Cooperative. 13. 1994. começa a se popularizar no mercado interno o Melão Pele de Sapo ou melão verde espanhol.E. B.. R. 188-190. A taxa de respiração diminui durante o armazenamento de todas as cultivares. 2.D. 150-153. 25.

F.B.C. J. 25. Aharoni et al. v. v. n. Horticultura Brasileira.. A. II. MENEZES. HUYSAMER.B. M.D. AHARONI.F. Caracterização do melão tipo Galia durante a maturação.B. NERI. BICALHO.. p. 1996. COPEL.. The control of postharvest decay in Galia melons using preparations other than imazalil. 64-68. R..H. Qualidade do melão tipo Galia durante o armazenamento refrigerado.I. CHITARRA. 1997..B.O. CE). 1996. S. 309-313.E. v. DODD. n. Y. BICALHO.. Sob condições ótimas a vida útil deste melões pode atingir pouco mais de duas semanas. 35. 2000). onde o pedúnculo se fixa ao fruto. 16. Horticultura Brasileira. U. e Rhizopus stolonifer. impactos e outras injúrias mecânicas. Antes do armazenamento estes frutos devem ser préresfriados. CHITARRA. CHITARRA. G. Postharvest Biology and Technology. 1990. v.Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia. 2.B.. pós-colheita.O. 12. U.M. No Brasil há necessidade de validação desta tecnologia. A. 1990). tendo em vista a maior perecibilidade destes melões. Melão. No Brasil as cultivares mais comuns deste grupo são o Contaloupe um melão aromatico de origem americana com polpa amarela e casca verde (para amarelo) rendilhada. aos amassamentos. 2000. preferencialmente com ar forçado até temperaturas de 4 a 6oC. 79-84.. 2. Para diminuir as perdas causadas por alternaria na exportação de frutos de melão Gália tem-se empregado cera com imazalil (2g/L) (Aharoni & Copel. Em todas as cultivares testadas por estes autores. 1998a. A.. BICALHO.B. no entanto. v.. Em suma o transporte e a comercialização dos melões do grupo Reticulatus devem ser efetuados rapidamente. 1995. E. No melão Gália a mudança da cor do fruto de verde para amarelo também é um auxiliar importante como ponto de colheita. Neri & Brigati (1996) observaram que a cor da casca pode ser um bom índice de amadurecimento em algumas cultivares. 1995). p. 17. 6. I. J. TURLEY. M. physical and sensory comparisons of shrink-wrapped and nonwrapped netted muskmelon fruits during storage. p.. 45-48. Gli indici qualitativi per la raccolta del melone. GRINBERG. J. p. (Frutas do Brasil.. n. M. Alternativamente. n. D. Alves (2000) também especifica a forma de medição e o valor de firmeza recomendados para várias cultivares de melão para exportação. v. p. 1.E. p. Nunca estes frutos podem ser colhidos com brix menor que 9. COPEL. que elimina dificuldades com resíduos de imazalil que em alguns países não pode ultrapassar de 0. 10. Chemical.. 43 p. 3. Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza. 1998b. p. FALLIK.. n. 2.. 17-21. Colture Protette. 3. Modificações dos componentes de parede celular do melão tipo Galia durante o armazenamento sob refrigeração. O Contaloupe é o tipo de melão mais consumidos no mundo. (1997) demostram que cera impregnada de bicarbonato a 2% aplicada em experimentos semi-cormerciais de exportação de melão Gália por 14 dias a 3 oC seguidos de 4 dias a 20oC manteve a qualidade comercial do produto pela sua ação fungistática contra Alternaria alternata. Sodium bicarbonate reduces postharvest decay development on melons. 1996). v.. I. Fale conosco Milho-verde (Zea mays L. Fusarium spp. 16. v. Uma segunda cultivar que começa a ficar popular entre nós e o melão Gália originário de Israel e comercializado na Comunidade Européia. F.5mg/kg. AHARONI. ... até mesmo entre regiões no Brasil. em outras a medida destrutiva da cor da polpa é um bom indicador de amadurecimento. KLEIN. CHITARRA. 159-164. BRIGATI. CHITARRA. Este fruto se beneficia do embalamento individual com filme de PVC ou com o uso de polietileno de alta densidade 12?m pelo sistema "sealpackaging" (Lester & Turley. O melão Contaloupe deve ser colhido com Brix de pelo menos 10 e o Gália com o Brix de pelo menos 12. Fruit maturity studies in 'Galia 5' and 'Doral' melons. Os melões deste grupo são mais sujeitos a desidratação. MENEZES.F.. Journal of the Rio Grande Valley Horticultural Society. Ciência e Tecnologia de Alimentos.. Gil.) . LESTER. 43. n. A. n. CHITARRA. o brix sempre foi um bom indicador de ponto de colheita. Y. Quanto mais doces mais valorizados são estes frutos.O. fica rachada em todo o seu perímetro (Alves. 201-206. J. Journal of the Southern African Society for Horticultural Sciences. M. 2000) O ponto de colheita do melão Contaloupe e do Gália é quando a região de abscisão. S. 10). Mais recentemente. MOELICH. REFERÊNCIAS ALVES. U. The effect of harvest maturity on the postharvest quality after simulated shipping. MENEZES.eles ainda sejam pouco exportados. Os melões do grupo Reticulatos de uma maneira geral devem ser armazenados em temperatura ao redor de 5 oC sob umidade relativa elevada (>90%). Nesta cultivar a cor do fruto muda de verde para amarelo durante o amadurecimento e a polpa é de cor branca a branco esverdeado (Alves. n. 1997. A.. 123-127. R. para o melão Gália a colheita pode ser feita quando pelo menos 50% da superfície do fruto já atingiu a coloração amarela (Moelich et al. Tropical Science.

É importante que as cultivares de morango não acumulem acetaldeido quando submetidas a 20% de dióxido de carbono. Para mercados próximos os frutos costumam ser colhidos com 2/3 da superfície vermelha. Neste caso as paletas com as caixa de morango são recobertas com um filme plástico . a utilização de uma mistura de gelo. face ao uso cultivares firmes. o milho deve ser transportado e comercializado rapidamente sempre sob refrigeração. No milho-verde comum a 21 oC o teor de sacarose pode ser reduzido em mais de 30 % por dia. sujeita a desidratação e a deterioração.6oC). O sucesso na comercialização do morango depende do emprego de frio. conhecida como "slurry". enquanto que para o mercados distantes a colheita é normalmente realizada de frutos com metade da superfície vermelha. O morango deve ser colhido e acomodado cuidadosamente em caixinhas de plástico rígido sem cantoneiras. O pré-resfriamento com ar forçado tem sido o único processo comercialmente eficaz para o morango. (1990) relata que cultivares americanas de milho superdoce conservam-se bem a 5oC por até nove dias. Brecht et al.0. 'Doce Cristal'. A umidade relativa do ar no armazenamento das espigas sem as folhas é mais importante. Estas cultivares de polinização aberta e são apropriados tanto para a indústria quanto para pequenos produtores. 1999) Durante a colheita recomenda-se que pequenos volumes de caixas de morango sejam periodicamente levados para as câmaras de pré-resfriamento. Sem refrigeração o milho-verde precisa ser comercializado muito rapidamente e um único dia (Marcos et al. A forma mais usual de pré-resfriamento do milho é com água fria. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita Morango (Fragaria hibridus) É uma infrutescência com receptáculo carnoso. Em seguida ao resfriamento todo o transporte e armazenamento deve ser efetuado em temperatura próxima a 0 oC.. Nunes et al. garantindo que o produto atinja seu destino final com melhor qualidade. No Brasil há varias cultivares de milho-doce como 'Doce-de-Ouro' . refrigeração. A venda do milho-verde dentro de embalagens plástica só deverá ser efetuada em ambiente refrigerado. tornaram-se mais escuros. 1997). em países desenvolvidos tem sido uma história de sucesso. de pré-resfriamento. Kerby et al. Para reduzir as perdas de sacarose o milho-verde deve ser armazenados em temperaturas um pouco acima do ponto de congelamento (. CO2 e embalagens adequadas. 1997. (1995) relata que no campo a 30oC um atraso de 6 horas na aplicação do pré-resfriamento causa perda de firmeza nos frutos de 14 a 22%.1%). Para conseguir-se este objetivo o milho sem palha é freqüentemente comercializado em embalagens plásticas.'Superdoce' . saboroso.A qualidade da espiga decresce muito antes que se possa notar sinais de perda de turgidez e amarelecimento das folhas protetoras (Ryall & Lipton (1971). 1992. A aplicação de dióxido de carbono para paralisar o desenvolvimento de Botrytis cinerea é outra tecnologia recomendável. visto que o tratamento este gás é uma forma tradicional de controlar o apodrecimento (Watkins et al.. ainda no campo. Para isto. A forma mais usual de embalar o milho-verde tem sido envolvendo o envolvimento do produto colocado sobre uma bandeja de isopor com um filme de PVC. porque diminui a desidratação e a deterioração... As cultivares de milho "superdoce" são as que tende a converter mais lentamente a sacarose em amido durante o armazenamento e por isto mantém um pouco mais a sua qualidade no armazenamento (Son et al. é prática comum para o pré-resfriamento do milho.. 1991) O milho-verde é altamente perecível. Tem havido um intenso esforço para obter cultivares de morango com boa capacidade de armazenamento e que ao mesmo tempo mantenha a cor. ao redor de 0oC. quando as espigas apresentam cabelos de cor castanha clara. e neste caso deve ser superior a 95%. Os colhedores devem usar luvas macias e unhas aparadas para evitar ferimentos nos frutos. 'Doce Mel' e 'Lili'. O milho-verde precisa ser pré-resfriado logo após a colheita. e perde rapidamente o sabor adocicado em razão da transformação da sacarose em amido nos grãos. Com o uso de refrigeração o milho-verde comum pode ficar um a três dois dias em balcões refrigerados sob umidade elevada. O milho-verde é usualmente colhido com os grãos no estádio leitoso. As espigas recobertas de folhas têm boa proteção contra a perda de água.. 20 a 25 dias após a emissão dos estiletes (cabelos). 1999). 1999). que espigas nas quais todos os grãos já atingiram o tamanho máximo. frágil. para manter o frescor e a turgescência dos grãos. Adicionalmente este tipo de cultivar tende a ser preferido nos testes sensoriais (Geeson et al. Este produto não pode ficar fora de refrigeração nem por pequenos intervalos de tempo. Depois do pré-resfriamento. Apesar do morango ser frágil e perecível. Espigas com grãos imaturos na ponta tendem a possuir melhor qualidade. o aroma e o sabor exigidos pelos consumidores (IAC. que é altamente permeável ao dióxido de carbono e ao oxigêncio. Esta mistura é injetada nas embalagens antes do transporte. água e sal (NaCl a 0. da rapidez do transporte e do emprego de balcões refrigerados. a sua distribuição e comercialização. Tendo em vista a vida útil muito curta do milho-verde sem refrigeração a usual falta de cuidados na cadeia produtiva Ryall & Lipton (1971) considera que se não houver progresso no uso do pré-resfriamento e refrigeração a comercialização do milho-verde in natura deverá praticamente desaparecer. Verma et al.

C. v. P. LIETEN...A. 1996. S. Acta Horticulturae. Foliar application of calcium chloride delays postharvest ripening of strawberry.K. 1995. F. ZHANG. Strawberry texture and pectin content as affected by electron beam irradiation.. (ed. KADER. NUNES. K. Fale conosco .M. J. J.C....C. No transporte em caminhões refrigerados as paletas devem ser localizadas no centro da carroçaria (Kader.A. v. HALLETT. 2000. MITCHELL. v. 1971. VERMA. MORAIS. 4. MAXIE. Nas gôndolas de comercialização o morango deve preferencialmente ser exposto sob refrigeração em embalagens que lhe de boa proteção mecânica. WATKINS. van der (ed. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables.J. 79.. 6. Transporte a longas distâncias sem refrigeração só tem sido possível em aviões. n.202-204. WATKINS. Symphony a new strawberry cultivar. A. (1994) evidenciaram que este tratamento comercial do morango com dióxido de carbono não prejudica o aroma. 6.M.B.. SARGENT.M. 1999). Agronômico. n.espesso e recebem a injeção de dióxido de carbono suficiente para criar uma atmosfera com 15a 20% do gás. p. MISHRA. a temperatura dos frutos nestas laterais pode subir até 10 oC. Harker et al. 1999. SCHEER. 439.C. n. A. 1033-1036. F.G.M. L. 6. 61. 68.. WILLEMOT..). H. 1999. Para prevenir o tombamento das cargas.B.A. J.T. 1990.....J. L. SCALON. Scalon. M. 1994. 1996). n. 844-846. N. No Brasil as caixinhas plásticas transparentes e perfuradas utilizadas para o morango podem ser consideradas boas. 1992.. McNICOL...N.). 5. 119. PANT.. v. ARUL. 1992. M. n. 1-2.A. Physical and chemical quality characteristics of strawberries after storage are reduced by a short delay to cooling. A. Controlling temperature and water loss to maintain ascorbic acid levels in strawberries during postharvest handling. 1992). Postharvest technology of horticultural crops. H.A. 971-975. Advances in Horticulture and Forestry. 5.K. Journal of Food Science. K. Recentemente tem havido reiterados relatos de que a pulverização das plantas de morango com soluções de CaCl2 (cloreto de cálcio. M.A. Journal of Food Science. A. E. n. REITMEIER. 44. R. YU. 2. 156-159. F.. colocam-se blocos de apoio nas laterais. ZHOU. n. 17-28. n. J.E. C... 886-890. v. BRECHT. S.K. HortScience. 139-146. Comparison of variability parameters between strawberry genotypes in Bhowali conditions.F.. Nunes et al. IAC Novo morango tem fruto mais firme. 251-252. p. SOMMER. A suspensão dos caminhões para o transporte refrigerado deve ser preferencialmente ter suspensão a ar.H. 296p. 20g/litro) 10 kg/ha cerca de uma semana antes da colheita aumenta resistência do fruto a esta podridão além de torna-lo mais firme (Cheour et al.Z. Revista Brasileira de Fruticultura. Oakland: University of California. K.K. C. v. Postharvest Biology and Technology. O uso de irradiação para o controle desta podridão não viável porque as doses necessárias para obter este efeito técnico causam perda de firmeza (Maxie et al. BRECHT. SARGENT. Journal of the American Society for Horticultural Science. 1999.. 55-61. n. NOCK. KE. C. C. Yu et al. Cultivar variation in response of strawberry fruit to high carbon dioxide treatments. v. CHAREST. I. tanto na temperatura de 1 oC quanto na temperatura de 10 oC. Quanto as paletas são acomodadas próximas às paredes. de P.M. J. Nos EUA alguns transportadores aplicam dióxido de carbono somente em cargas presumidamente propensas ao ataque de Botrytis cinerea. 6. S. (1998) evidenciou que no morango sem embalagem havia uma redução cinco vezes maior do teor de vitamina C do que nos frutos mantidos dentro de embalagens plásticas. 63. J.E. 1990. J.N. S. p. 789-792. p. J. N.C. (2000) relata que este tratamento com CO2 também aumenta a firmeza dos frutas.Q. Y. GOSSELIN. MORAIS. p. ELGAR.. 1998... JACKSON. D.W. 1-3. P.J.. 1971. v. 6. p. Num estudo de 58 componentes voláteis do morango Ke et al.B. MANZANO-MENDEZ. Mode of oxygen and carbon dioxide action on strawberry ester biosynthesis.R. p.. LOVE. v. 115. DESJARDINS. Physical and mechanical changes in strawberry fruit after high carbon dioxide treatments. Efeitos da aplicação de cloreto de cálcio em morango. A. p.. 3.ed. p. Postharvest Biology and Technology. F. MAKHLOUF. NUNES. Journal of the American Society for Horticultural Science. Journal of the Science of Food and Agriculture. v. visto a suspensão com molas aumenta muito a incidência de injúrias mecânicas.F. p. e que reduza também a desidratação. deixando espaços com ar nas laterais e sobre a carga. 19. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS CHEOUR. porém os demorados procedimentos de embarque e desembarque costumam causar prejuízos a qualidade dos frutos. 1997..B. KADER. p. 21: 2.... KERBY. HARKER. MALONEY. v. DIJKSTRA.

.. 44. (1995) relata que no campo a 30oC um atraso de 6 horas na aplicação do pré-resfriamento causa perda de firmeza nos frutos de 14 a 22%.Pepino (Cucumis sativus) É uma infrutescência com receptáculo carnoso. face ao uso cultivares firmes. p. 1992. Postharvest Biology and Technology. Apesar do morango ser frágil e perecível. n. 789-792. da rapidez do transporte e do emprego de balcões refrigerados. Tem havido um intenso esforço para obter cultivares de morango com boa capacidade de armazenamento e que ao mesmo tempo mantenha a cor.. Kerby et al. F. KADER. p. J. visto a suspensão com molas aumenta muito a incidência de injúrias mecânicas. 1996). 5. DESJARDINS. Agronômico.. 296p. Yu et al. Physical and mechanical changes in strawberry fruit after high carbon dioxide treatments. O pré-resfriamento com ar forçado tem sido o único processo comercialmente eficaz para o morango. n. 1992. Quanto as paletas são acomodadas próximas às paredes.ed.R. O sucesso na comercialização do morango depende do emprego de frio. Em seguida ao resfriamento todo o transporte e armazenamento deve ser efetuado em temperatura próxima a 0 oC. KADER. Foliar application of calcium chloride delays postharvest ripening of strawberry. 5.. É importante que as cultivares de morango não acumulem acetaldeido quando submetidas a 20% de dióxido de carbono. (2000) relata que este tratamento com CO2 também aumenta a firmeza dos frutas. frágil. 971-975.. A. 2000. tanto na temperatura de 1 oC quanto na temperatura de 10 oC. 1994. ARUL. KE. Nas gôndolas de comercialização o morango deve preferencialmente ser exposto sob refrigeração em embalagens que lhe de boa proteção mecânica. Transporte a longas distâncias sem refrigeração só tem sido possível em aviões. A suspensão dos caminhões para o transporte refrigerado deve ser preferencialmente ter suspensão a ar. 115. ELGAR. L. I. n. porque diminui a desidratação e a deterioração. 1997. No Brasil as caixinhas plásticas transparentes e perfuradas utilizadas para o morango podem ser consideradas boas. CO2 e embalagens adequadas. WILLEMOT. IAC Novo morango tem fruto mais firme. 1999) Durante a colheita recomenda-se que pequenos volumes de caixas de morango sejam periodicamente levados para as câmaras de pré-resfriamento. F. HALLETT. Postharvest technology of horticultural crops.C. porém os demorados procedimentos de embarque e desembarque costumam causar prejuízos a qualidade dos frutos. J.. n.. WATKINS. A. 139-146. (1998) evidenciou que no morango sem embalagem havia uma redução cinco vezes maior do teor de vitamina C do que nos frutos mantidos dentro de embalagens plásticas. sujeita a desidratação e a deterioração. Journal of the American Society for Horticultural Science.. CHAREST. C. Scalon. v. Journal of the American Society for Horticultural Science. refrigeração. P. 20g/litro) 10 kg/ha cerca de uma semana antes da colheita aumenta resistência do fruto a esta podridão além de torna-lo mais firme (Cheour et al. 1-3. A. A aplicação de dióxido de carbono para paralisar o desenvolvimento de Botrytis cinerea é outra tecnologia recomendável.J. HARKER. Neste caso as paletas com as caixa de morango são recobertas com um filme plástico espesso e recebem a injeção de dióxido de carbono suficiente para criar uma atmosfera com 15a 20% do gás. ainda no campo. Mode of oxygen and carbon dioxide action on strawberry ester biosynthesis.J.M. ZHOU. e que reduza também a desidratação. a sua distribuição e comercialização. MAKHLOUF... 1992. GOSSELIN. p. o aroma e o sabor exigidos pelos consumidores (IAC. deixando espaços com ar nas laterais e sobre a carga.. (1994) evidenciaram que este tratamento comercial do morango com dióxido de carbono não prejudica o aroma... a temperatura dos frutos nestas laterais pode subir até 10 oC. 68. Nos EUA alguns transportadores aplicam dióxido de carbono somente em cargas presumidamente propensas ao ataque de Botrytis cinerea. JACKSON. v. 1999). C. O uso de irradiação para o controle desta podridão não viável porque as doses necessárias para obter este efeito técnico causam perda de firmeza (Maxie et al. Oakland: University of California.B. 2. Nunes et al. em países desenvolvidos tem sido uma história de sucesso. 1990. 1999). p. 1992).A. Verma et al.. No transporte em caminhões refrigerados as paletas devem ser localizadas no centro da carroçaria (Kader.. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS CHEOUR.A. v. 119. H. Y. v. Os colhedores devem usar luvas macias e unhas aparadas para evitar ferimentos nos frutos. Recentemente tem havido reiterados relatos de que a pulverização das plantas de morango com soluções de CaCl2 (cloreto de cálcio. 1971. 19. O morango deve ser colhido e acomodado cuidadosamente em caixinhas de plástico rígido sem cantoneiras. .. Harker et al. P. Para mercados próximos os frutos costumam ser colhidos com 2/3 da superfície vermelha. saboroso. Nunes et al. D. Num estudo de 58 componentes voláteis do morango Ke et al. visto que o tratamento este gás é uma forma tradicional de controlar o apodrecimento (Watkins et al. enquanto que para o mercados distantes a colheita é normalmente realizada de frutos com metade da superfície vermelha. 1990.. Para prevenir o tombamento das cargas. de pré-resfriamento. colocam-se blocos de apoio nas laterais. tornaram-se mais escuros.

M. DIJKSTRA. 1999. n. SARGENT. S. Cultivares de rabanete mais tardia podem acumular até duas vezes mais isotiocianato. A. J. 79. I. Postharvest physiology of perishable plant products. p. VERMA.. M.N.E. CAPECKA. MANZANO-MENDEZ. Comparison of variability parameters between strawberry genotypes in Bhowali conditions. Strawberry texture and pectin content as affected by electron beam irradiation.. MORAIS.Q. LOVE. NUNES. K. 61. p. Turgidez e cor vermelha brilhante são as características de qualidade visual mais observadas. MORAIS.. Acta Horticulturae. F. S. R.M. Infeasibility of irradiating fresh fruits and vegetables.C. L... LEE.A. 1995. n. freqüentemente consumidas no Brasil. 1033-1036.A.N. 6. B. J. 6. Neste caso a perda total de água após a colheita não deve exceder 5%. J.. MISHRA. v.. O rabanete deve ser colhido ainda pequeno com menos de 30mm de diâmetro. 6. Symphony a new strawberry cultivar.KERBY. NUNES. WATKINS. MALONEY. n. C. BRECHT. A substância 4-metiltio-3-butenil isotiocianato é o princípio pungente que dá o gosto característico desta hortaliça (Lee et al.M. Journal of Food Science. SCALON. 63.K. 55-61. KOPECKA.C. 47-59. I. J. p...C. MAXIE. v. Z.. N.G. Biological value.H.L. N. v. MORETTI. 1996). n. 21: 2. S. URL.).. HortScience.M. O rabanete também pode ser comercializado na forma de produto mimamente processado na forma de fatias finas embaladas em sacos plásticos com vácuo parcial (Calbo & Moretti. v. 1997. McNICOL. antes de ficar duro e esponjoso.H.7oC) ao redor de 0oC sob umidade relativa elevada (>95%). Turgidez e cor vermelha brilhante são as características de qualidade visual mais observadas.C. (ed.202-204. v. 1999. n. H. GAWEDA. S.. 1971. 1991). v. 1991. F. Revista Brasileira de Fruticultura. 886-890. 6. n. SARGENT. 349-356. p. 17-28. O rabanete conserva-se melhor em temperatura um pouco acima do ponto de congelamento (-0. J.. n. 6.W. J.A. C. A substância 4-metiltio-3-butenil isotiocianato é o princípio pungente que dá o gosto característico desta hortaliça (Lee et al. Se o rabanete for vendido em maços as folhas devem apresentar-se túrgidas.A. New York. C.. NOCK.. E. Journal of the Science of Food and Agriculture.B.J. A. 530 p. J. Effect of cultivars and cultural conditions on the pungent principle contents in radish roots. Postharvest Biology and Technology. Effect of some environmental conditions on quality of the radish Raphanus sativus L. v. firme e sujeito a desidratação.M. O rabanete deve ser colhido ainda pequeno com menos de 30mm de diâmetro. p. 439.. 3. 4. capitata) É um órgão parte raiz parte caule. 1996. 1-2. ZHANG. M. YU. PANT.. de P.M.K. Cultivar variation in response of strawberry fruit to high carbon dioxide treatments. Efeitos da aplicação de cloreto de cálcio em morango. tem maior teor de matéria seca e maior capacidade de armazenamento (Gaweda et al. p. 1999. YOO. 1996).E.J. Horticulturae. Advances in Horticulture and Forestry... Fale conosco Rabanete (Raphanus sativus) É um órgão parte raiz parte caule. firme e sujeito a desidratação.G. 3. p. van der (ed.B. A. E. SOMMER. 1. 37. v. K. 156-159. 2000 KAYS. Journal of Food Science. torna-o mais sujeito a desidratação. Physical and chemical quality characteristics of strawberries after storage are reduced by a short delay to cooling.. O emprego de embalagens plásticas e a pulverização de água no balcão são práticas comuns para aumentar a vida útil durante a comercialização.). O rabanete vendido com as folhas...Z.F. Journal of the Korean Society for Horticultural Science. v.B. 1996. 844-846. .F.O. Repolho (Brassica oleracea var. SCHEER.T. p. 1998.. 3. 2000). K. MIN. S.. 1991. BRECHT. LIETEN. p.K. "An AVI Book". MITCHELL. M. 251-252.K. REITMEIER. antes de ficar duro e esponjoso.. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS CALBO. Controlling temperature and water loss to maintain ascorbic acid levels in strawberries during postharvest handling..

I. Postharvest physiology of perishable plant products. 2000 KAYS. 349-356. freqüentemente consumidas no Brasil. n. Effect of some environmental conditions on quality of the radish Raphanus sativus L.. que contém internamente uma cavidade locular com quantidades variáveis de ar. 2000). J. Neste caso a vantagem é a melhor qualidade organoléptica. 1991. diminui a firmeza e causa degradação da vitamina e dos carotenóides (Moretti. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS CALBO. n.M. E.7oC) ao redor de 0oC sob umidade relativa elevada (>95%).. Z. 3.G. 3. 1991. Para colher os frutos com maior delicadeza e rapidez pode-se utilizar de acessórios de colheita como a sacola basculante toda rígida.. Journal of the Korean Society for Horticultural Science. LEE. Durante a colheita não devem ser jogados. Biological value.O.O rabanete conserva-se melhor em temperatura um pouco acima do ponto de congelamento (-0. v. I. p. Horticulturae. A. URL. Effect of cultivars and cultural conditions on the pungent principle contents in radish roots.. torna-o mais sujeito a desidratação. Moretti et al. tem maior teor de matéria seca e maior capacidade de armazenamento (Gaweda et al. KOPECKA. O rabanete vendido com as folhas. Para mercados mais próximos os frutos podem ser colhidos meio maduros ou até amadurecidos.H. . 1.L.J.. GAWEDA.. Tomate (Lycopersicon esculentum) É um fruto macio protegido por uma cutícula quase impermeável a gases e a água. 1988). Cultivares de rabanete mais tardia podem acumular até duas vezes mais isotiocianato. S. O rabanete também pode ser comercializado na forma de produto mimamente processado na forma de fatias finas embaladas em sacos plásticos com vácuo parcial (Calbo & Moretti. MORETTI. O emprego de embalagens plásticas e a pulverização de água no balcão são práticas comuns para aumentar a vida útil durante a comercialização.. M. Se o rabanete for vendido em maços as folhas devem apresentar-se túrgidas. MIN. a impactos e vibrações. 1993. CAPECKA. Quanto mais amadurecidos menos transporte e manuseio suportam estes frutos. "An AVI Book". 47-59. 2000. v. Para o transporte a longas distâncias os frutos devem ser colhidos no estádio verde-maduro (completamente verdes) ou com uma pequena fração de sua superfície com cor amarelo tanino. visto que isto causa ferimentos internos e piora o aroma. 1996. Neste caso a perda total de água após a colheita não deve exceder 5%. YOO. C. 37. que pode ser feita com sucata de canos de PVC (Silva & Calbo. 1991). B. O tomate é sensível ao empilhamento. 530 p. p. New York. Figura 5).

Sobre estas caixas de madeira as caixas plásticas tipo Embrapa tem a vantagem de serem retornáveis. o que dificulta o processo de reciclagem. sabe-se que o composto gasoso MCP (1-metilciclopropano) atrasa o amadurecimento do fruto por vários dias (Blankenship & Sisler. 2) Nas caixas a compressão dos frutos verdes. Estes não são tão adaptados ao nosso clima como as variedades do grupo Santa Cruz. Henz et al. 4) Os frutos amadurecidos deterioram com maior facilidade e acabam causando perdas totais em caixas. Porém tem-se atribuído a eles uma maior capacidade de conservação e maior resistência ao transporte.. Estas embalagens menores. porém ainda não empregada comercialmente é a aplicação de uma fina camada. poderiam também serem feitas de materiais recicláveis como papelão e laminados de madeira. 3) Os frutos amadurecidos produzem o gás etileno que acelera o amadurecimento e facilita a deterioração dos frutos verdes e. ).. 2000). Sisler et al. O emprego de selantes comestíveis na inserção do pedúnculo de frutos verdes permite substancial atraso no amadurecimento. sem prejudicar a aparência.. o valor nutritivo e o sabor. O MCP ainda não esta liberado para o uso no Brasil. Nas antigas caixas K o tomate fica sujeito a compressões de até 1kgf/fruto em 6 áreas de contato (Pereira & Calbo. Recentemente começaram a se utilizar caixas plásticas auto-expositiva de dimensões menores. de gordura de cacau ou de coco ou de óleos hidrogenados na inserção do pedúnculo dos frutos (Calbo. Para o transporte a longas distâncias tem sido comum o emprego dos chamados longa vida. Presentemente. 2000). 1996).FIGURA 5: Sacola de colheita basculante desenvolvida na Embrapa-Hortaliças montada em PVC. reduzindo em até 80% a entrada de oxigênio e atrasa o amadurecimento do fruto de tomate em mais de 4 dias. 1999). para quatro camadas de frutos. Esta força causa deformações e durante o transporte facilita a deterioração dos frutos. mais firmes. se a dosagem não for excessiva o fruto volta a madurecer normalmente. Na colheita ou na posterior seleção a separação dos frutos de acordo com o amadurecimento é importante pelas seguintes razões: 1) O tomate colhido maduro ou meio maduro possui melhor qualidade. porém resiste pouco ao transporte e às injúrias de compressão. sofrem abscisão de flores e frutos sob temperatura elevada e possuem qualidade organoléptica inferior. Uma alternativa melhor. Isto fica agravado pela ocorrência vibrações e impactos durante os processos de embalamento e de transporte. inicialmente hibridos F1 do mutante de amadurecimento rin (Vecchia & Koch. Os laminados de madeira tem a vantagem de suportar chuva sem a necessidade de impregnação com parafina. . 1993. 2000). com a qual pode-se eliminar os manuseios repetidos dos frutos e assim diminuir muito as perdas por danos mecânicos (LUENGO. causam deformações nos frutos vermelhos. Uma fina camada fina (invisível) na inserção do pedúnculo causa um efeito espetacular. Este tratamento atrasa o amadurecimento em pelo menos 4 dias a 20 oC e teria a vantagem de permitir a entrega de frutos melhor qualidade em mercados distantes das áreas de produção. O efeito da aplicação do selante é diminuir a concentração endógena de oxigênio e aumentar a concentração de dióxido de carbono o que causa um atraso no amadurecimento (Yang et al.

p.S. In: da SILVA. HORINO. Brasília. MORETTI. K. (Resumo) HAMAUZU. p.. XX Congresso Brasileiro de Olericultura. P.. 1992. Efeitos da queda dos frutos sobre a deterioração do tomate. Brasília. locule and placental tissues of tomatoes with internal bruising. . Chemical composition and physical properties of pericarp. Horticultura Brasileira. P. CALBO.O.O.L.E. 1980. 1993. n. 3-4. J.A temperatura ótima de armazenamento do tomate depende do índice de amadurecimento. CALBO. v. S. SILVA. v. 18. Acima de 28oC a síntese de licopeno ou pelo fato da conversão do licopeno para beta-caroteno ficar muito acelerada (Hamauzu et al.G. frutos meio maduros podem ser armazenados ao redor de 10oC e frutos completamente amadurecidos podem ser armazenados em temperaturas ao redor de 8 oC. A. LURIE.. 1980. v.. p. J. and 3.S. 549-555. v.C. Adonai Gimenez Calbo / Laboratório de Pós-colheita REFERÊNCIAS BLANKENSHIP. S. 1998. Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia / Embrapa Hortaliças. Journal of the American Society for Horticultural Science. p.35. v. SISLER. Effects of sealing of stem scar on ripening rate and internal ethylene. Frutos verdes devem ser armazenados em temperaturas ao redor de 13 oC..G. SHEWFELT. Acta Horticulturae. Y. Plant Growth Regulation. geralmente acima de 28oC faz com que os frutos não desenvolvam a cor vermelha típica como ficou demonstrado nos ensaios de Calbo et al. Fisiologia e manejo pós-colheita. 55-61. MICHALCZUK. 1. MARTINS.. 399-404. A. Tomate para processamento industrial.. Lurie & Sabehat (1997) em Israel fizeram estudos que evidenciaram que mesmo para tomate verdemaduro. (Resumo). Horticultura Brasileira. A. p. C. Journal of the Japanese Society for Horticultural Science. 1980). O efeito da temperatura na maturação e respiração do tomate cultivar Yokota. MARTINS. Postharvest Biology and Technology. 1988)..A. 215-216.G.L. CALBO. XX Congresso Brasileiro de Olericultura. (Resumo) CALBO. A. e desenvolvem apenas uma pálida coloração avermelhada. SABEHAT. Colheita sem aperto. 1993.. Comparison of cyclopropene.G.C. 4. n. E.C. Prestorage temperature manipulations to reduce chilling injury in tomatoes.. Elastic stresses and plastic deformations in 'Santa Clara' tomato fruits caused by package dependent compression. E. 1999. E. v. p. VECCHIA. 1990. p.V.. simulada em laboratório.. 1996. Y. A. MARTINS.. MORETTI.G.G. oxygen and carbon dioxide concentrations of tomato fruits. 1980). E. E.. Ação do etileno e do ethrel sobre o desenvolvimento do climatério e o amadurecimento do tomate cultivar Yokota. A. & CALBO. C.. KOCH. Y.. p. 2. PUSCHMANN. n 1. p. R. GIORDANO. 2000.D.L. 12.S. 169-174. CALBO. v.. Este estudo valioso para o transporte a longas distâncias.. um resfriamento lento ou um tratamento preliminar com temperatura elevada (38oC por 24 horas) são suficiente para que o armazenamento do tomate possa ser efetuado a 2oC sem o desenvolvimento de injúria de resfriamento. J. A. 123. PEREIRA. E. N. J. M.1.. C. A. v. 58. 67.B. 4. UEDA.R. Effect of postharvest storage temperature on the conversion of 14C-mevalonic acid to carotenes in tomato fruit. Os frutos assim refrigerados amadureceram normalmente. CALBO. Brasília. p. 485. D. n. CALBO.J.G. Comparação entre métodos de colheita de tomate.A. 18. p. SEREK. R. Comportamento fisiológico do tomate 'Yokota` armazenado em baixa pressão.L. Acta Horticulturae. SARGENT. n. v. Y. 1. Y. n.L. 57-62.. 2000. Frutos de tomate verde armazenados a temperaturas ao redor de 5oC usualmente ficam manchados. 2429-2436.L. Horticultura Brasileira. como foram desenvolvidos. (Resumo) SILVA. SISLER. n. L. 19-20. O armazenamento de frutos vermelhos a 0 oC aumenta a vida útil e melhora conservação da vitamina C. foi feito com o híbrido Daniela heterozigoto para o gene rin. S. A. 11. 67. Resultados similares são reportados por Hankim et al. 9. HUBER.. Na região Norte a prevalência de temperaturas muito elevadas... 2000. 8. DUPILLE. n. quando retornados para a temperatura de 20oC. HORINO. M.G.136-143. (1995) para a cultivar Vibelco na Finlândia. p. XX Congresso Brasileiro de Olericultura. O amadurecimento pode ser acelerado e uniformizado com a aplicação de 100microlitro/L do gás etileno em câmaras de amadurecimento. A. 343. 1998. 3.T. A. SILVA. A temperatura ótima de amadurecimento do tomate fica entre 18 e 23oC (Calbo et al. Globo Rural. Physiology of vaccuum induced tomato fruit cracking. 656-660. de B.. porém causa algum prejuízo ao sabor. v. 1997. Tomates longa vida: O que são. (Resumo) CALBO..G. YANG.. CHACHIN.M.O.S.. p. (1980) em uma cultivar do grupo Santa Cruz. n. HORINO. v. 1. 90. 1990. v.. Uma sacola de PVC fácil de fazer .3dimethylcyclopropene as ethylene antagonists in plants.. Use of diazocyclopentadiene to block ethylene action in fruits and flowers. CALBO. 1980. 1-methylcyclopropene.. L. NASCIMENTO JUNIOR. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Alternativamente pode se obter este efeito com a aplicação de ethrel 1000 a 3000 mg/L (Calbo et al.X. Brasília. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal..

ponha as hortaliças no frasco para cozinhar a vapor. Os produtos cozidos no vapor retêm melhor os sais minerais. Para cozinhar no vapor coloque uma lâmina de 1 a 3 centímetros de água no fundo da panela. E abaixe o fogo logo que começar a escapar pressão pela válvula.Fale conosco Aproveite os sais e vitaminas hidrossolúveis das hortaliças economizando gás Cozinhar hortaliças. com vantagens alimentares. pois além das virtudes já descritas. feche a panela de pressão. Panela de pressão é um equipamento que toda dona de casa possui e para cozinhar a vapor a única coisa adicional necessária é o frasco metálico perfurado com pés ilustrado na figura ao lado. . Cozinhe apenas o tempo mínimo para que elas fiquem tenras. economiza gás e economiza tempo. porém ainda firmes. frutas e outros alimentos no vapor permite o preparo de diversos pratos. Cozinhar no vapor em panela de pressão é melhor ainda. as vitaminas hidrossolúveis e a cor.

cozidos. ou seja. do chuchu e do pepino. não amadurecerão totalmente e são de menor qualidade quando comparados aos frutos totalmente maduros. pudins e doces. COMO COMPRAR Existem vários formatos. alho. envolvida com saco plástico. por até uma semana. curau. Manuseie os frutos com cuidado. seque-as em um pano limpo ou papel absorvente. em condição ambiente. Os melhores preços para compra ocorrem de maio a setembro. Para congelar. Também fornece vitaminas do complexo B. cebola. Acondicione em saco de plástico.A abóbora é um fruto rico em vitamina A. DICAS Cozinhe a abóbora em pedaços grandes com casca e depois aproveite a casca cozida fazendo farofa ou misturando-a ao arroz ou carne moída. tempere com sal e leve ao forno quente por cerca de 40 minutos. Para descongelar deixe aabóbora na parte de baixo da geladeira de um dia para o outro ou em condição ambiente por algumas horas. corte a abóbora em cubos ou fatias. a mesma da melancia. mesmo que não sejam aparentes. Apesar de parecerem resistentes ao manuseio. retire o ar com uma bombinha de vácuo e leve ao congelador. tamanhos e cores de frutos. picada em pedaços pequenos e embalada. dê preferência à abóbora seca (de frutos grandes). As abóboras mais facilmente encontradas são a abóbora seca (frutos grandes de até 15kg). muito ricas em nutrientes. pães. A abóbora pode ser vendida na forma minimamente processada. Assegure-se que esse produto esteja refrigerado no mercado e em casa. As sementes podem ser torradas e consumidas como aperitivo. era parte da base da alimentação das civilização Asteca. Inca e Maia. refogados. Para fazer doces em pasta. canela e gengibre. Tem poucas calorias e é de fácil digestão. sendo além de saborosas. e deve ser conservada em geladeira. Lave bem as sementes. sopas. pimenta. como a moranga. O descongelamento também pode ser feito direto ao fogo. Para pudins e curau os três tipos podem ser utilizados. Receitas . Pertence à família Cucurbitácea. Para pratos salgados. o tipo Baianinha (frutos pequenos de pescoço e casca rajada) e a abóbora japonesa ou Kabotiá (fruto com gomos. A abóbora também pode ser congelada na forma de purê. durante o preparo do prato ou em microondas. em calda ou cristalizado. bolos. COMO CONSUMIR A abóbora é uma hortaliça muito versátil. purê. podendo ser consumida em diferentes formas como saladas. Os frutos devem apresentar-se com a casca sem brilho. Originária da América. a abóbora japonesa é a mais indicada por ter a polpa mais enxuta. em local fresco e seco. açúcar. Mexa de vez em quando para que fiquem torradas por igual.Abóbora Madura Fácil de conservar A abóbora é uma cultura muito difundida no Brasil. Quando mantido fora da geladeira. Mantenha os frutos com cabinho. Temperos que combinam com a abóbora: sal. especialmente ferro. do melão. os frutos apodrecem mais rapidamente a partir dos pontos onde foram machucados. Casca com brilho indica que estes foram colhidos muito novos. todos com a casa bem grossa e dura. já descascada. noz moscada. ele se estraga rapidamente. cálcio e fósforo. mas de casca verde-escura). COMO CONSERVAR Os frutos podem ser mantidos por cerca de três meses após a colheita. Faça o pré-cozimento em água fervente por 3 minutos ou em microondas por 4 minutos. A abóbora seca comprada picada em pedaços grandes e com casca tem menor durabilidade que a abóbora inteira. pois assim se conservarão por mais tempo. Prefira frutos sem machucados e ferimentos e sem sinais de mofo ou podridão.

coloque numa panela e leve ao fogo médio para cozinhar. em temperatura média.Pudim de abóbora Ingredientes: * 01 lata de leite condensado * a mesma medida de leite * 01 xícara de (chá) de abóbora cozida * 02 colheres rasas de (sopa) de amido de milho * 03 gemas * 03 claras batidas em neve Modo de fazer Reserve a clara. coloque a mistura nesta forma. bata no liqüidificador os demais ingredientes. Aproveite as cascas em sopas. Por último. despeje numa travessa e polvilhe com canela. o açúcar. Em seguida. em seguida acrescente a abobora amassada e a água e mexa bem. misturando levemente. juntamente com o leite. Sirva quente ou frio. o alho. A massa ficará bem homogênea e grossa. Deixe cozinhar até ficar bem macia Após o cozimento. e bata no liquidificador a polpa. pique em pedaços grandes e leve para cozinhar com casca. Rendimento: 10 porções Tempo de preparo e cozimento: 35 minutos Sugestão: pode utilizar leite condensado no lugar do açúcar. Depois de cozido. o sal e a pimenta. misture bem e desligue o fogo. Coloque a massa em uma vasilha e junte as claras. picada em pedacinhos * 01 dente de alho amassado * 01 xícara (chá) de requeijão cremoso * 03 xícaras (chá) de abóbora cozida e amassada * 250 g de macarrão tipo parafuso cozido al dente * 01 xícara de chá de água * 01 xícara de (chá) de cheiro verde picado * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * sal e pimenta-do-reino a gosto Modo de fazer: Coloque na panela o óleo e refogue a cebola. tire as sementes. Sirva quente Rendimento: 05 porções Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos Sugestão: o requeijão pode ser substituído por creme de leite Curau de abóbora Ingredientes * 05 xícaras (chá) de abóbora japonesa * 01 litro de leite fervido e frio * 05 colheres (sopa) de amido de milho * 12 colheres (sopa) de açúcar * 1/2 colher (café) de sal * canela em pó para polvilhar Modo de fazer: Lave bem a casca da abóbora. farofas e bolinhos. junte o cheiro verde. Rendimento: 10 porções Tempo de preparo e cozimento: 45 minutos Sugestão: o pudim pode ser enriquecido com duas colheres de coco ralado Macarrão ao molho de abóbora Ingredientes: * 01 colher (sopa) de óleo * 01 cebola média. mexa com uma colher de pau. Numa travessa coloque o macarrão e jogue por cima o molho. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ . misture bem e deixe ferver até formar um creme homogêneo. Caramelize a forma com açúcar. até formar uma mistura homogênea. Junte o requeijão. separe a polpa da casca. Asse em banho-maria. ou cozinhe em forma própria para pudim. o amido de milho e o sal.

gov. e compre-os por último evitando que sejam amassados pelos demais produtos no fundo do carrinho.embrapa. assim como a melancia. sem partes escuras ou amolecidas. o fruto se desenvolve até formar a abóbora madura. escolha-os com cuidado. Preste atenção no prazo de validade e não compre se houver formação de líquido amarelado no fundo da embalagem. As abobrinhas devem ter no máximo 20 cm de cumprimento.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. que não deve ser confundido com o fruto verde amarelecendo por estar velho. pode-se encontrar fruto de cor amarela forte e uniforme. COMO COMPRAR Os melhores preços de abobrinha italiana são encontrados de julho a dezembro e de abobrinha menina de setembro a janeiro. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. com o fruto alongado sem pescoço. F. que tem o fruto com pescoço e a tipo italiana. pertencente à família Cucurbitaceae. o melão. Dois tipos de abobrinha são mais comuns no mercado brasileiro: a abobrinha tipo menina. sem apertá-los ou danificá-los com as unhas. do Peru até sul dos EUA. até verde médio com faixas de cor verde mais escuro. Quando menores são mais tenras e saborosas. rico em niacina. As cores vão do verde bem claro. o que indica que o produto está começando a se deteriorar. com a casca de cor brilhante. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Nehil Hamilton / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Quando já picada e embalada em filme de plástico deve obrigatoriamente estar em expositor refrigerado.br Abobrinha Em dose dupla A abobrinha é um fruto colhido ainda verde.br Email: sac@cnph. além de ser fonte de vitaminas do complexo B.embrapa. É um fruto de fácil digestão. Originou-se no continente americano.* Autores: * * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A.br Emater DF Email: geral@emater. quase branco. Por isto. Em alguns mercados. Possui poucas calorias. apodrecendo rapidamente nas partes machucadas. Os frutos são muito sensíveis e se machucam com facilidade. Quando deixado na planta. Escolha os frutos firmes.df. o pepino e a moranga.cnph. .

os frutos devem ser mantidos em local fresco e sombreado. Em seguida. a abobrinha e a casca de limão e mexa bem.5 x 15. não se esqueça de secá-los com papel toalha ou com um pano limpo. Não há necessidade de cozinhar a abobrinha em excesso pois ela fica mais saborosa e mais nutritiva quando mais consistente. misture o trigo. Pequenos ferimentos na casca. COMO CONSUMIR Não há necessidade de descascar os frutos para utilizá-los. gergelim. Quando a abobrinha está bem nova e pequena. Asse por uma hora em forno pré-aquecido em temperatura média (175º C). podem ser conservadas por no máximo 5 dias. Coloque para assar em forma para bolo inglês (21. maionese ou requeijão cremoso. DICAS Prefira comprar frutos com o cabinho. Também pode ser usada como recheio de pratos assados tais como bolo. cebola. Quando em condição natural. ficando murcha. pizza e pastelões. o açúcar. recomenda-se perfurá-la com um garfo. de tamanho médio cortada em fatias no sentido do comprimento 200 g de carne de boi moída 100g de lombo de porco moído 100g de lingüiça calabresa cortada em pedacinhos ou desmanchada 1 xícara (chá) de tomate bem maduro. cebolinha verde. pois eles se conservarão por mais tempo. Coloque os frutos sem lavá-los dentro de saquinhos de plástico. pimenta. ovos cozidos ou qualquer tipo de carne. vinagre. conforme a receita. coloque os pedaços congelados em sacos ou vasilhas de plástico rígido e retorne-os ao congelador. com suflê. Os frutos são consumidos com as sementes quando estas estão bem pequenas e macias. Se houver formação de gotículas de água dentro da embalagem. pois a abobrinha se estraga rapidamente. Abobrinha à Bolonhesa Ingredientes 2 abobrinhas tipo italiana ou menina. Após assado deixe esfriar na fôrma. Em outra vasilha. seque-os e corte-os em rodelas ou cubos. antes de desenformar e servir. pode ser servida crua e ralada em salada ou com patês à base de ricota. untada e polvilhada com farinha de trigo. na gaveta inferior da geladeira. Se preferir lavá-los antes de guardar. Tempo de preparo e cozimento: 1h30min Rendimento: 2 bolos Sugestão: o amendoim pode ser substituído por castanha ou nozes. pois a própria água da abobrinha é suficiente para cozinhá-la. bata os ovos. Também não é preciso acrescentar água a não ser em sopas e caldos. queijo. azeite. sendo que na época seca do ano este tempo pode ser ainda menor. frita à milanesa. lave bem os frutos. limão.COMO CONSERVAR Prefira comprar somente a quantidade necessária para consumir logo. cozida em saladas frias. coloque-a em água fervente ou descongele durante o preparo do prato. sem apodrecimento. Remova a parte ferida com faca e utilize o restante.5 cm). Na geladeira. Receitas Bolo de Abobrinha Ingredientes: 3 xícaras (chá) de farinha de trigo 2 xícaras (chá) de açúcar mascavo 1 xícara (chá) de amendoim torrado e triturado 2/3 xícara (chá) de óleo de cozinha 2 xícaras (chá) de abobrinha tipo italiana ou menina ralada 1 1/2 colher (sopa) de fermento em pó 2 colheres rasas (chá) de casca de limão 4 ovos Modo de fazer: Numa tigela grande. não comprometem sua utilização. Os seguintes temperos combinam com a abobrinha: alho. sem pele e sem semente cortado em pedacinhos ou 1 lata de molho de tomate 1/4 xícara (chá) de manjericão picado 4colheres (sopa) de manteiga . Para congelar. Despeje esta mistura sobre a primeira e mexa até ficar uma massa homogênea. o amendoim e o fermento. junte o óleo. Coloque os pedaços sobre uma bandeja ou vasilha aberta e leve-os ao congelador até que endureçam. por até 2 dias. Incremente o sabor do macarrão acrescentado pequenos pedaços de abobrinha cozida ao molho. com a casca sem brilho ou apodrecendo. A abobrinha pode ser consumida refogada no óleo ou azeite. manjericão. Para descongelar. recheada com outras hortaliças.

Forre essa fôrma com as fatias de abobrinha. de forma que tampe todo o fundo. escorra e reserve. Acrescente os tomates ou o molho de tomate. Salpique o orégano eo queijo ralado e regue com azeite. após colocar todo o leite continue mexendo até o creme ferver e engrossar. cubra com queijo parmesão e leve ao forno pré-aquecido em temperatura moderada (180º) por 10 minutos. Unte uma forma refratária e alterne: uma camada de abobrinhas. até terminar os ingredientes. cozida em água e sal e escorrida numa peneira 2 tomates bem maduros. cortado em rodelas 1/4 de cebola pequena cortada em rodelas 2colheres (sopa) de azeitona 2 colheres (sopa) de queijo ralado 1 colher (chá) de orégano Azeite para regar Modo de fazer Unte uma fôrma de pizza de tamanho médio (26 cm de diâmetro). junte o vinho tinto e deixe evaporar. abaixe o fogo e deixe cozinhar até o molho ficar grosso. Cubra com as fatias de mussarela. até ficarem macias. acrescente sal e pimenta e por último junte o leite devagar e mexa sem parar. sem sementes.5 colheres (sopa) de farinha de trigo 2 1/2 xícaras (chá) de leite fervido 1/2 xícara de parmesão ralado 1 cebola 1/2 xícara (chá) de vinho tinto seco 4 colheres (sopa) de azeite Sal e pimenta do reino à gosto Modo de fazer Numa panela. uma de creme. Pizza de Abobrinha Ingredientes 1 abobrinha cortada em fatias no sentido do comprimento. Aumente o fogo e na mesma panela. acrescente mais 2 colheres de azeite e frite as carnes e a lingüiça. Tempo de preparo e cozimento: 25 minutos Rendimento: 4 porções grandes Sugestão: pode acrescentar presunto ou lingüiça calabreza cortada fininha Os melhores meses para compra (*)italiana (**) menina JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ** ** * Autores: ** ** * * ** * ** * . triturados no liqüidificador ou processador ou molho de tomate 200 g de queijo mussarela ou prato 2 ovos cozidos e cortados em rodelas 1/2 pimentão vermelho. Faça um creme com leite e farinha: numa panela. mas consistentes. retire e reserve. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo: 1 hora Sugestão: Se quiser pode servir sem levar ao forno. Cozinhe as fatias de abobrinha em água e sal. de pimentão. outra de carne. sem sementes. frite a cebola em 2 colheres (sopa) de azeite em fogo baixo por 5minutos. leve ao forno pré-aquecido em temperatura média/alta (200ºC). o manjericão e tempere com sal e pimenta. as rodelas de ovos. Depois que as carnes estiverem fritas. de cebola e as azeitonas. Por cima espalhe o tomate triturado ou molho de tomate. derreta a manteiga e adicione a farinha misturando bem. até que o queijo derreta.

sem áreas amareladas ou pontos escurecidos.      Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. verifique a data de validade e compre somente o produto refrigerado.br Emater DF Email: geral@emater. Antes de comprar.df.gov. o repolho e o brócoli. com os talos imersos em uma vasilha com água. A presença de flores e pequenos frutos verdes não prejudica a qualidade do agrião para consumo. pois as folhas se rasgam com facilidade e os talos escurecem e apodrecem rapidamente quando danificados. chamado agrião d’água. não será tratado nesta cartilha. Escolha maços com folhas frescas. principalmente por gregos e romanos. Escolha os maços com cuidado. higienizado e embalado em filmes ou vasilhas de plástico.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. . COMO COMPRAR Os melhores preços do agrião ocorrem de julho a novembro. de cor verde escura.cnph. que apreciavam banquetes ricos em especiarias e saladas picantes. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Os talos inteiros. por isso compre somente o necessário para consumo imediato. existe outro tipo de agrião.embrapa. Descarte aqueles que apresentarem líquido amarelado no fundo da embalagem ou com as folhas sem brilho ou com bordas escuras. se embalado em saco plástico para alimento ou vasilha tampada. O agrião é mais rico em ferro que a couve e o espinafre e os talos são ricos em iodo.br Email: sac@cnph. lavados e secos com pano limpo ou papel absorvente. Em condição ambiente. Como esse tipo é raro no mercado brasileiro. Em geladeira. COMO CONSERVAR O agrião é uma hortaliça de pequena durabilidade. e vem sendo utilizado há vários séculos na Europa. O agrião pode ser encontrado já lavado. assim como a couve. Além deste. acompanhado ou não de outras hortaliças folhosas. Os talos devem estar firmes e quebradiços. pode ser mantido por no máximo um dia. rica em vitamina C e em sais minerais. pode ser conservado por até 3 dias.embrapa. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. se colocado em local fresco. F.br Agrião Amargo que dá gosto O agrião é originário do sudeste da Ásia. O agrião de terra seca é uma hortaliça tipo folha. É uma brássica. duram por mais tempo que as folhas.

maças fatiadas bem finas ou cubinhos de queijos finos. sozinho ou misturado com outras hortaliças como alface. rabadas. As folhas temperadas com limão. refogado com temperos e ovos batidos. sal e azeite são um excelente acompanhamento para churrascos de todos os tipos de carne. Também pode ser usado para incrementar sanduíches. * Temperos utilizados com agrião: cebola. Tempo de preparo: 10 minutos Rendimento: 5 sanduíches Sugestão: utilize queijo tipo minas no lugar da ricotaSuco de Agrião com Abacaxi Ingredientes: * 1/2 maço de agrião * 1 abacaxi * 1 litro de água gelada * açúcar a gosto Modo de fazer: * Bata todos os ingredientes no liqüidificador. * Passe esta pasta em uma fatia de pão e cubra-a com outra e sirva. sopas e purês. lave-as com bastante cuidado em água corrente. a cebola e a maionese. pimenta. nozes. azeite. rúcula e chicória e em sucos com diversas frutas. acrescente o molho e misture. Experimente! Antes de consumir as folhas cruas. Coloque as folhas verdes e talos finos em solução de água sanitária por 30 minutos (1 colher de água sanitária para 1 litro de água filtrada) ou use produtos próprios para higienização de saladas. o limão. panquecas. as cenouras.COMO CONSUMIR O agrião pode ser usado cru em saladas. molhos. * Coe e sirva gelado. o sal. cebolinha verde. como recheio de suflês e bolinhos. as passas. alho. * Numa vasilha. Os talos podem ser usados em sopas. DICAS * Faça saladas sofisticadas acrescentando agrião. limão. misture o cheiro-verde e reserve. pães. em seguida. misturados ao arroz. removendo os talos grossos e as folhas amareladas ou escuras. Salada enriquecida com Agrião Ingredientes: * 1/2 xícara de agrião picado para o molho da salada * 1/2 maço agrião lavado e com as folhas inteiras separadas para compor a salada * 1 colher (sopa) de suco de limão * 1 xícara (chá) de maionese * 1 colher (chá) de sal * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * 1 batata grande cozida e cortada em cubinhos * 1/2 xícara de maçã cortada em cubinhos * 2 cenouras médias cortadas em cubinhos * 1 xícara (chá) de vagem cozida cortada fininha * 1/4 xícara (chá) de cebola picada * 2 colheres (sopa) de passas Modo de fazer: * Bata rapidamente no liqüidificador o agrião picado. . Enxague as folhas com água filtrada. * O xarope de agrião com mel é muito usado na medicina popular e na indústria farmacêutica para curar a tosse. * Junte os demais ingredientes em uma vasilha e misture até formar uma pasta homogênea. Receitas Receita de Sanduíche Ingredientes: * 10 fatias de pão de fôrma * 2 xícaras (chá) de ricota amassada * 2 xícaras (chá) de agrião picado * 3 colheres (sopa) de suco de limão * 1 colher (chá) de sal * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * 2 colheres (sopa) de maionese * 1 colher (sopa) de creme de leite * 2 colheres (sopa) de passas sem sementes Modo de fazer: * Reserve as fatias de pão. Tempo de preparo: 10 minutos Rendimento: 1 litro Sugestão: substitua o abacaxi por frutas como laranja e maracujá. a vagem e a maçã. disponíveis nos supermercados. rocambole. misture as batatas. salsa.

Quando já picada.gov. A alface tipo americana possui as folhas mais crocantes e forma cabeça. Nesta condição.df. retirando-se as folhas de acordo com a necessidade de consumo. Tempo de preparo: 30 minutos Rendimento: 6 porções Sugestão: substitua metade da quantidade de maionese por iogurte natural. principalmente nas bordas. ou seja. deve ser mantida na embalagem original ou em vasilha de plástico tampada. Evite comprar este produto quando as folhas estiverem murchas. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. selecionando-a com cuidado. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng.embrapa. A alface também pode ser comercializada já picada e embalada. Em respeito aos outros consumidores. assim durará por mais tempo. * Sirva gelado. Ao escolher a alface. Também existem alfaces com folhas roxas ou folhas bem recortadas. F. A alface não tolera congelamento. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. amarelecidas. pelo seu aspecto. o almeirão e a chicória ou escarola. em local bem fresco. Fora da geladeira deve ser mantida com a parte de baixo dentro de uma vasilha com água ou dentro de saco de plástico aberto. com pontos escuros e mela. Juntamente com o tomate. acrescente a mistura com o molho. deve-se evitar amassá-la ou quebrar as folhas.br Email: sac@cnph. a alface pode ser mantida por três a quatro dias.br Emater DF Email: geral@emater. deve ser mantida em saco de plástico ou em uma vasilha de plástico tampada. É conhecida desde 500 anos antes de Cristo.embrapa. é chamada alface hidropônica. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Vieira / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. A alface cultivada em solução nutritiva. firmes. é a hortaliça preferida para as saladas devido ao seu sabor agradável e refrescante e facilidade de preparo. As folhas da alface devem apresentar aspecto de produto fresco. principalmente de cálcio e de vitaminas. por até 1 dia. Quando conservada em geladeira.* Forre uma tigela com as folhas de agrião. por dois a três dias. como a alcachofra. COMO COMPRAR A alface pode ter a folha lisa ou crespa. a alface pertence à família Asteracea. A alface de hidroponia deve ser conservada com as raízes. sem áreas escuras.br Alface Rainha das saladas A alface constitui uma importante fonte de sais minerais. É fundamental que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a adequada conservação. com ou sem formação de cabeça.cnph. Quaisquer das alfaces citadas acima podem ser cultivadas no solo ou em solução nutritiva (mistura de água e nutrientes). deve-se evitar pegar em todas as unidades expostas na banca. . COMO CONSERVAR A alface é uma das hortaliças que se estraga mais rapidamente. Originária da Europa e da Ásia. especialmente a vitamina A. devem ser brilhantes.

* 1 xícara (café) de vinagre. porque assim as sobras de alface poderão ser guardadas separadamente. Em seguida. a água sanitária ou vinagre não retiram os resíduos de agrotóxicos ou de pesticidas. Trouxinha de alface Ingredientes: * 04 folhas de alface grande. simplesmente para murchar a folha levemente. * Sal e orégano a gosto. leve ao fogo e deixe derreter.COMO CONSUMIR Deve-se lavar as folhas uma por uma em água corrente. e indicada para o preparo de sanduíches por ser mais resistente ao calor do hambúrguer ou do bife. sal. * As folhas externas da alface. Receitas Molho para salada de alface (Cortesia de: Leonardo de Brito Giordano) Ingredientes: * 4 dentes de alho amassados. e depois deixá-las de molho em solução de água sanitária (1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água filtrada) por 30 minutos. as folhas devem ser enxaguadas com água filtrada. Cuidado para não deixar a alface por muito tempo. ou ervilha) * 01 colher (sopa) de azeitonas picadas * 02 colheres de margarina Modo de fazer: Misture o arroz. servindo para outros pratos. mas eliminam microorganismos que podem estar nas folhas e causar doenças. DICAS * A alface roxa é muito saborosa e é consumida da mesma maneira que a alface verde. * Suco de 1 limão. pois murchará demais. . tire a frigideira do fogo. Coloque a margarina numa frigideira. junte as pontas da folha e prenda com palito de dente. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo e cozimento: 15 minutos Sugestão: o iogurte pode ser substituído por requeijão cremoso. Ao contrário do que muitos pensam. Sanduíche de alface Ingredientes * ½ pé de alface lavado e picada * ½ copo de iogurte natural * ½ xícara de queijo minas cortado em cubinhos finos * 01 tomate pequeno. passe uma por uma as folhas de alface na margarina. Modo de fazer: Misturar todos os ingredientes e servir. a carne moída e as azeitonas e reserve. * 1 colher (sopa) de azeite de oliva. Abra cada folha de alface e coloque o recheio. orégano e pimenta a gosto * 08 fatias de pão integral Modo de fazer: Misture todos os ingredientes e recheie as fatias de pão. * A alface deve ser servida separada do molho da salada. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: sirva acompanhado de arroz. * 1 colher (sopa) de mostarda em pasta. (aquelas de cor verde mais escura) são mais ricas em vitamina A . A alface americana é mais crocante. sem semente cortado em cubinhos * 01 colher de sopa de cebolinha verde picada * Limão. lavadas * 01 xícara (chá) de arroz cozido * 01 xícara (chá) de carne moída temperada e refogada * 01 xícara (chá) de milho cozido ( ou palmito.

dente-de-leão e serralha. As folhas devem estar verdes. O almeirão é uma Asteraceae. Compre o almeirão na forma minimamente . originária da Europa Mediterrânea. Folhas com início de amarelecimento são velhas e não têm boa qualidade. é uma hortaliça do tipo folha. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Nehil Hamilton / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.gov. firmes. Deixe para comprar o almeirão por último. conhecido em alguns locais como chicória amarga.embrapa.cnph. assim evita-se que as folhas sejam danificadas no fundo do carrinho pelas outras compras. alface.br Almeirão Arroz e feijão de cara nova O almeirão. muito apreciado por ter sabor menos amargo. Agrônomo — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A.br Emater DF Email: geral@emater. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Maria José L. além de ser boa fonte de fósforo e ferro. sem sinais de murchamento e sem pontos escuros. de sabor amargo. COMO COMPRAR Escolha os maços com cuidado. Em algumas regiões do Brasil.df. C e do complexo B. Fornece vitaminas A. F.br Email: sac@cnph. cresce naturalmente uma variedade chamada de almeirão do mato.embrapa.Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * * *       Mário Felipe de Melo — Eng. sem amassá-los e sem rasgar as folhas. a mesma família da chicória.

misture e sirva a seguir. Verifique o prazo de validade e coloque-o em geladeira logo ao chegar em casa com as compras. Lave e escorra bem a água das folhas e acondicione em saco de plástico próprio para alimentos ou em vasilha de plástico tampada. * Acrescente o feijão. O almeirão pode ser mantido por até três dias na geladeira. arroz. frite o bacon. Rendimento: 4 porções Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos Sugestão: caso não goste do arroz escorrido. Bolinhos de Almeirão com Batata Ingredientes: . Por isto. As folhas podem ser consumidas cruas em saladas. Os melhores preços são alcançados de julho a outubro. e em lugar fresco. refogue o almeirão e reserve. tortas e sanduíches. Em condição ambiente. Neste caso. misture e sirva quente. * Junte o refogado ao arroz. Rendimentos: 6 porções Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: Use farinha de milho em substituição a farinha de mandioca. como a maioria das hortaliças de folha. alho e pimenta a gosto. No lugar da água sanitária. siga as instruções do fabricante contidas na embalagem do produto. lentilha e como recheio de bolinhos. vendidos nos supermercados na forma de pastilhas. As folhas inteiras ou rasgadas são refogadas em óleo de cozinha ou azeite. DICAS * O almeirão é um ótimo acompanhamento para carne assada. cozinhe o arroz com sal em água fervente. * Acrescente o cheiro-verde. deixe-as de molho por 20 minutos em 1 litro de água filtrada misturada à uma colher (sopa) de água sanitária. cheiro-verde. tendo o cuidado de não deixar esta mistura seca. misture e deixe por 2 minutos em fogo baixo. * Frite a cebola e o alho no azeite. vinagre. * Temperos que combinam. picado e embalado) somente se o produto estiver sob refrigeração. Neste caso. raro no mercado das cidades grandes. lingüiça e aves. lave-as antes em água corrente. é menos amargo que o almeirão verde e pode ser consumido cru em saladas ou refogado. junte o almeirão e refogue. pimenta.processada (ou seja. limão. Refogado de Almeirão com Feijão Ingredientes: * 1/2 maço de almeirão * 3 xícaras (chá) de feijão cozido * 1 cebola média picada * 2 dentes de alho amassados * 1/2 xícara (chá) de cheiro-verde * 1/2 xícara (chá) de bacon picado * 1 xícara (chá) de farinha de mandioca * 1 colher (sopa) de óleo * sal e pimenta a gosto Modo de fazer: * Coloque o óleo em uma panela. cebola. compre somente o necessário para consumo imediato. estraga-se rapidamente. o espinafre e a chicória. já lavado. em seguida enxagüe em água filtrada. e temperadas com sal. * Acrescente a sardinha e o sal. Também pode ser preparado com feijão. soja. * junte o almeirão ao feijão. * Em outra panela. mexa bem e tempere com sal e pimenta. COMO CONSERVAR O almeirão. COMO CONSUMIR O almeirão pode substituir hortaliças como a couve. Receitas Almeirão com Arroz Ingredientes: * 1/2 maço de almeirão cortado fininho * 1 1/2 xícara (chá) de arroz cru * 1 cebola m media picada * 4 colheres (sopa) de azeite * 1 lata de sardinha escorrida e desfiada * 2 dentes de alho socado ou picado * sal a gosto Modo de fazer: * Numa panela. grão-de-bico. picadas bem fininhas e temperadas a gosto. e tenha sempre o produto fresco para consumo. misture bem e adicione aos poucos a farinha. mesmo assim a durabilidade será menor que um dia. escorra e reserve. alho. no preparo de pratos quentes ou em saladas. também pode-se usar produtos específicos para higienização de hortaliças. azeite. junte o alho e a cebola e deixe dourar. murchando e amarelecendo depois de colhido. as folhas devem ser mantidas com a parte de baixo numa vasilha com água. refogue-o ou use sobras de arroz do dia anterior. * O almeirão roxo.

* Acrescente o almeirão. deixe esfriar.embrapa.br Email: sac@cnph. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. mexa bem e deixe refogar. * Passe as bolinhas do novo batido e em seguida na farinha de rosca. * Retire a panela do fogo. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. o sal e a pimenta.br Emater DF Email: geral@emater. * Sirva quente. o cheiro-verde. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. frite a cebola e o alho.cnph.embrapa.* 700g de batatas cozidas e espremidas ou amassadas * 1/2 maço de almeirão picado * 1 colher (sopa) de azeite * 3 dentes de alho amassados ou picados * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde picado * 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo * 1/2 xícara (chá) de cebola picada * 1/2 colher(café)de pimenta vermelha moída * 2 ovos ligeiramente batidos * 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado * sal a gosto * 2 xícaras (chá) de farinha de rosca * óleo para fritar Modo de fazer: * Coloque o azeite numa panela. * Frite as bolinhas em óleo quente até dourar.br Batata . * Pegue pequenas porções com uma colher e faça bolinhas. junte a farinha de trigo e a batata e misture bem.gov. retire do fogo e coloque sobre papel absorvente.df. Rendimento: 25 bolinhos de tamanho médio Tempo de preparo e cozimento: 1 hora e 20 minutos Sugestão: no lugar da batata pode-se usar arroz ou macarrão bem cozido. F. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.

As maneiras básicas de preparo da batata são a batata cozida. A forma de preparo mais popular. A batata escurece rapidamente depois de descascada e picada. Ou então. pão. mergulhe-as em água para facilitar a retirada da casca. É uma hortaliça do tipo tubérculo. É a terceira fonte de alimento para a humanidade sendo superada apenas pelo arroz e trigo. e se destaca como fonte de vitamina C entre os alimentos básicos. e deixe ao fogo somente pelo tempo necessário para que fiquem macios. em função da perda de nutrientes e do excesso de gordura associado a este prato. berinjela. faça furos na casca com um garfo. A parte verde pode conter a substância solanina que é tóxica. conhecida no Brasil como batata inglesa é na verdade originária da região dos Andes. purê. polvilhe com farinha de rosca e frite como croquetes. Faça pequenas bolinhas com as sobras do purê de batata. passe manteiga ou azeite na casca e asse por cerca de 1 hora. lave as batatas. entretanto pequenos defeitos na casca não comprometem a qualidade da polpa e o valor nutritivo da batata. É fonte importante de fósforo. A maioria dos consumidores prefere batatas de casca lisa. a batata-frita.Alimento para a humanidade A batata. quando mantida em local fresco. acondicione os pedaços em filme de plástico e congele. Em regiões do Rio Grande do Sul e Santa Catarina também se consome batata de casca rosada e polpa creme. em forno à gás ou elétrico. assada e frita. A batata pode ser congelada cozida ou crua. Época de melhores preços de setembro a fevereiro. Escorra a água. envolva-o em filme de plástico e congele-as. Adicione batatas-cruas cortadas a sopas ou ensopados que tenham ficado salgados demais. lave. como acompanhamento de qualquer tipo de carne. Mergulhe os pedaços em água fervente por cinco minutos e resfrie-os em seguida colocando-os em uma vasilha com água e gelo. onde vem sendo cultivada a cerca de 7000 anos. seque bem e frite em óleo quente até que estejam douradas e macias. lave bem os tubérculos. Descasque-as ainda quentes. se estiverem frias. a mesma do tomate. a mesma quantidade de batatas fritas tem 274 calorias. COMO CONSERVAR A batata se conserva relativamente bem fora da geladeira por até 2 semanas. Para cozinhar. ave ou peixe ou substituindo o arroz e o macarrão. No primeiro caso. Procure diversificar o uso da batata preparando-a também como salada. coloque-os em uma panela com água fervente e sal. descasque-as e pique-as em cubos. sopa. sem defeitos e de ótimo aspecto externo. sendo eliminados quando a batata é descascada. A casca da batata é comestível e quando o cozimento é feito com casca a perda de nutrientes é menor. vitaminas do grupo B. As batatas vão absorver o excesso de sal durante o cozimento. Para reduzir o tempo necessário para assá-las deve se fazer um pré-cozimento por 5 minutos em água fervente antes de levar ao forno. jiló e pimentão. Enquanto uma porção de batatas cozidas tem 75 calorias. Para fritar corte a batata no formato desejado. Compre somente a quantidade necessária para o consumo de 1 a 2 semanas. Receitas Rocambole de batata inglesa Ingredientes: Massa: *1 1/2 xícara (chá) de leite . lave bem as batatas em água corrente antes de cozinhá-las. A batata só foi introduzida Na Europa no século 16. Para assar as batatas inteiras e com casca. não é a mais saudável. tempere-as quando ainda estiverem quentes. É importante deixar os tubérculos ao abrigo da luz para evitar o esverdeamento. Entretanto. A batata é pobre em gordura e rica em carboidratos. COMO COMPRAR A batata pode ser encontrada em uma grande diversidade de cores de casca e polpa. Neste caso. bolo salgado e cozido. Evite comprar tubérculos brotados porque estes têm menor durabilidade e menor qualidade nutritiva. a casca fica retida no utensílio. COMO CONSUMIR A batata é uma hortaliça muito versátil que pode ser utilizada em uma infinidade de pratos. cozinhe as batatas. de modo a ter sempre produto fresco em casa. pertencente à família Solanaceae. enquanto a polpa passa com facilidade. Evite armazenar a batata em geladeira pois esta quando mantida sob temperatura muito baixa fica com o sabor adocicado e escurece ao ser fritada. amasse-as como um purê. a preferência é por tubérculos de casca e polpa amarelas. no Brasil. arejado e escuro. na América. Para evitar o escurecimento deixe-a dentro de água até o preparo do prato. Se desejar que o sabor das batatas usadas em saladas fique mais acentuado. DICAS Não é preciso descascar as batatas antes de passá-las pelo espremedor.

cortada em cubos e cozida no ponto macio e consistente *1 xícara (chá) de ervilha *1 xícara (chá) de milho verde *1/4 xícara (chá) de pimentão vermelho *1/2 xícara (chá) de cebola ralada *1/2 xícara (chá) de cheiro-verde picado *1/2 xícara (chá) de maionese *1/2 xícara (chá) de iogurte natural *2 colheres (sopa) de vinagre ou limão *1 colher (sopa) de mostarda *1 colher (sopa) de sal *1 colher (chá) de pimenta do reino Modo de fazer: Misture todos os ingredientes. Sirva de preferência quente.. Salpique o queijo ralado e um pouco de orégano sobre o rocambole e leve ao forno para derreter o queijo. espalhe o recheio sobre a massa e com o auxílio do pano úmido enrole o rocambole. deixe a massa esfriar um pouco. cortada em pedacinhos e cozida em água e sal *1 cebola pequena ralada *1/2 pimentão vermelho picadinho *2 dentes de alho amassados *100g de presunto picado *1/2 xícara (chá) de requeijão cremoso *1 colher (sopa) de salsa fresca picada *sal e pimenta do reino moída na hora a gosto Modo de fazer: Recheio: Misture todos os ingredientes. com exceção do queijo e do orégano e bata até obter uma mistura homogênea e mole. Polvilhe com o queijo e leve para assar em forno preaquecido em temperatura média-alta (220ºC) por 20 minutos ou até a massa ficar dourada. retire com cuidado do tabuleiro. Coloque a massa numa forma retangular untada e polvilhada com farinha de trigo. misture todos os ingredientes e deixe levantar fervura mexendo sempre.*1/2 xícara (chá) de batata cozida e espremida *1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo *3 ovos *1/2 xícara (chá) de azeite ou óleo *1/2 xícara (chá) de cebolinha verde *1/2 xícara (chá) de cebola picada *sal e pimenta à gosto *orégano Recheio: *200g de batata descascada. tampe com filme plástico e leve a geladeira até a hora de servir. salpique um pouco de orégano e leve para assar em forno pré-aquecido em temperatura alta (220º C). Rendimento: 10 porções Tempo de preparo e cozimento: 40 minutos Sugestão: o requeijão pode ser substituído por creme de leite sem soro ou mussarela picada. Após assada. Retire do fogo e coloque a mistura numa forma refratária bem untada. . Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Rendimento: 6 porções Sugestão: acrescente ovos de codorna cozidos e sirva com carne assada Batata ralada ao forno Ingredientes: *1/2 kg de batatas descascadas e raladas no ralo grosso *1 1/3 xícara (chá) de leite *1 dente de alho amassado *1 cebola média ralada *1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado *sal e pimenta-do-reino a gosto Modo de fazer: Numa panela. Massa: Coloque todos os ingredientes no liquidificador. descascada. Salada fria de Batata *500g de batata. coloque numa travessa. coloque sobre um pano úmido.

br Emater DF geral@emater.embrapa. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos. amarela. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Sugestão: a metade do leite pode ser substituída por creme de leite. pães e doces. A polpa pode ser branca. F. C e algumas do complexo B. rico em carboidratos. amido.cnph. rosada. Na indústria. originária da América Tropical.br Email: sac@cnph.df. As raízes e ramas também são utilizadas na alimentação animal.gov. ou seja.Deixe descansar por 10 minutos antes de servir. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. creme. Também fornece quantidades razoáveis de vitamina A. COMO COMPRAR Dependendo da cultivar. a batata-doce é matéria prima para fabricação de álcool.br Batata-Doce Doce energia A batata-doce é um alimento de alto valor energético. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. a batata-doce pode ter a pele branca. . avermelhada ou roxa.embrapa. A batata-doce é uma raiz da família Convolvulácea. Rendimento: 4 porções.

Neste caso. a noz-moscada. amarela. * 2 ovos. noz-moscada. Após fritar. Receitas Croquete de batata-doce (Fonte: Vida e Saúde. assadas ou fritas. Rendimento: 40 unidades Tempo de preparo e cozimento: 50 minutos . A batata-doce pode ser cozida também com casca. * Farinha de rosca para empanar. um ovo. A batata-doce pode ser congelada. Caso se pretenda descascar as batatas antes do cozimento. pois as raízes têm uma liga que gruda nas mãos. deve-se cozinhar as raízes até que fiquem macias. empanados ou em sopas. cheiro alterado e polpa escura. não é aconselhável colocar as raízes em saco de plástico pois a brotação será acelerada e a durabilidade reduzida. deve-se lavar as raízes antes. descascá-las e amassá-las formando um purê. * 1 colher (chá) de noz-moscada. Obs: A massa é mole. roxa ou branca com manchas roxas. COMO CONSERVAR As raízes podem ser conservadas por um longo. e permanecem duras após o cozimento. amarela ou roxa são mais ricas em vitamina A do que as raízes de polpa branca. * Farinha de trigo para empanar. mel. Raízes de polpa creme. ou até que estejam macias ao enfiar um garfo ou faca. * Para assar batatas-doces em forno doméstico. escurecem rapidamente. a qualidade do produto não é alterada e a parte atacada é eliminada no descascamento. pois duram menos e perdem o valor nutritivo. l Frite os croquetes em óleo quente. Os danos por inseto ou broca podem ser superficiais. * 1 xícara (chá) de cheiro verde picado. coloque-os sobre papel absorvente. deve-se evitar raízes com início de brotação. fresco e bem ventilado. Sob temperatura baixa. DICAS * A batata-doce aceita como tempero: canela. em água corrente. sempre na parte mais baixa e em sacos de plástico para evitar ressecamento. Uma mesma variedade pode ter a pele e a polpa de cores diferentes. Seu sabor lembra o espinafre. Deve-se acondicionar o purê em vasilha de plástico rígido e levar ao congelador. o cheiro verde. * Sal e pimenta a gosto. Para isso. melado e açúcar mascavo. rosada. cravo-da-índia. Em seguida. a batata-doce só deve ser mantida em geladeira por curtos períodos de tempo. desde que o local seja seco. sal e pimenta a gosto e misture bem. as raízes ficam escurecidas. pães e bolos. coloque-as sem descascar em forno com temperatura alta por 1 hora. COMO CONSUMIR As raízes podem ser consumidas diretamente cozidas. com cheiro e sabor alterados. a broca causa sabor amargo característico. onde pode ser conservado por até 6 meses. l Junte a batata-doce. Neste caso. l Enrole os croquetes e passe-os em farinha de trigo. * Óleo para fritar. As folhas ou brotos podem ser consumidos refogados. ou na forma de doces. período de tempo em condição natural. Modo de fazer: l Aqueça o azeite e refogue o cheiro verde. deve-se realizar este procedimento debaixo da água. setembro de 1977) Ingredientes: * 1 Kg de batata-doce cozida e bem amassada. Quando os danos são internos. passe-os em ovo batido e depois em farinha de rosca. Neste caso. Pode-se acrescentar 1 colher (chá) de margarina para cada 1/2 kg de purê.creme. Ao comprar batata-doce. Além disso. depois de cortadas. * 1 colher (sopa) de azeite de oliva. Por isso.

br Email: sac@cnph. em seguida faça uma camada de mussarela e por último acrescente o restante da massa de batata.df.gov. junte as gemas e misture bem. Modo de fazer: l Ligue o forno em temperatura moderada. * 1/2 xícara (chá) de açúcar mascavo.Sugestão: pode-se acrescentar carne moída. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Ronaldo de Oliveira / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. l Leve para assar em forno preaquecido em temperatura média por 30 minutos. l Despeje essa calda sobre as batatas e leve-as ao forno. Batata-doce glaçada (Fonte: Emater-DF) Ingredientes * 6 batatas-doces médias. l Numa panela. o melado e a manteiga e deixe cozinhar por cinco minutos. por 20 minutos ou até que estejam bem glaçadas (com aparência lustrosa). por último acrescente as claras e misture levemente. cozidas. Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos Sugestões: Ideal para o café da manhã (servir com a calda). mistureo açúcar. Batata-doce ao forno Ingredientes: * 1 kg de batata-doce cozida e amassada. * 1/2 xícara (chá) de manteiga ou margarina. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Tempo de preparo e cozimento: 40 minutos Sugestões: Pode misturar na massa de batata carne moída ou frango.embrapa. Modo de fazer: l Tempere a batata amassada com sal e pimenta a gosto. * queijo ralado para polvilhar. * 3 claras em neve. Polvilhe com queijo ralado.br Berinjela . * 200 g de mussarela cortada em fatias.cnph. Rendimento: oito porções. mexendo continuamente. Agrônomo — Emater-DF Maria José L.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. F. molhando-as freqüentemente com a calda. * sal e pimenta a gosto. descascadas e cortadas em rodelas.embrapa.br Emater DF Email: geral@emater. l Coloque numa forma refratária a metade da massa de batata. Rendimento: 06 porções. l Arrume as batatas em recipiente refratário. * 1/2 xícara (chá) de melado. frango e/ou queijo. * 3 gemas.

Em seguida. quase preta. escorra e enxugue-a com papel absorvente. retire os cabos e corte-os com ou sem casca de acordo com a receita. Depois de descascadas e picadas as berinjelas escurecem rapidamente. ou se for usar para fritura. Pode ser mantida assim no congelador por até 8 meses. Frutos escolhidos muito novos murcham rapidamente e quando colhidos após o ponto ideal ficam sem brilho e com sabor amargo. alho. Lave bem os frutos em água corrente. mergulhe a berinjela em água com cubos de gelo por 8 minutos. sem manchas ou áreas amassadas. Coloque-a em água fervente por 2-4 minutos. Se houver formação de gotículas de água dentro do saco plástico. do tomate e da batata. escolha os frutos entre 180 e 250g. ferro e fósforo Apesar de pouco consumida no Brasil. a partir de quando começam a murchar. * A berinjela é um bom acompanhante de cereais e pratos gordurosos. tirando todo o ar com uma bombinha de vácuo. tendo sido cultivado na Ásia desde a Antigüidade. ou no vapor por 3 minutos ou ainda no forno de microondas por 4 minutos. a durabilidade dos frutos é limitada a dois dias. retire os cubos formados e coloque dentro de sacos plásticos. Para cozinhá-las no vapor salpique sal antes. COMO CONSERVAR Em condição ambiente. são delicados e se amassam com facilidade. cebola. Pode ser consumida frita à milanesa. por isto após esta operação devem ser preparadas imediatamente ou deixadas em vasilha com água. Conserve os frutos com o cabinho (pedúnculo) até o consumo. Os de berinjela japonesa são mais compridos e mais finos. ferro e fósforo e pequenas quantidades de vitamina A e B5. cebolinha verde. pimenta. fure o plástico com um garfo. descongele em temperatura ambiente. sálvia. Pertence ao mesmo grupo do pimentão. devido ao desenvolvimento das sementes. Para a berinjela comum. podem ser mantidos por até duas semanas. a berinjela é uma das hortaliças mais apreciadas no mundo inteiro. Os frutos devem ter a casca brilhante. Depois. A berinjela pode ser congelada da seguinte maneira: lave e corte-a em fatias ou cubos de 1 cm. do jiló. Descongele em água fervente com sal. com molho branco. COMO COMPRAR Os frutos podem ter casca de cor vinho-escura. Retire a água. ao forno. DICAS * Os seguintes temperos podem ser usados: orégano. dentro de saco plástico. sem apertá-los e sem jogá-los sobre a banca. Contém cálcio. Na geladeira. salsa. com 17 a 20 cm de comprimento.Fonte de cálcio. Coloque-a numa vasilha aberta e leve-a ao congelador. em salada e em omeletes. com cor uniforme e lisa. branca ou rajada. A berinjela é um fruto originário da China e da Índia. sal e azeite de oliva. COMO CONSUMIR A berinjela é uma hortaliça muito versátil. por isto devem ser escolhidos com cuidado. ensopada. Receitas Salada de Berinjela Ingredientes: . recheada.

não descasque e retire a parte do cabo. * Corte a polpa e junte a sardinha. * Tampe e leve ao fogo para amaciar a berinjela. o alho. deixe esfriar. retire a polpa com a ajuda de uma colher. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * *  Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças . Rendimento: 6 porções. Pasta de Berinjela Ingredientes: * 02 berinjelas médias. coloque as berinjelas e leve ao fogo pré-aquecido em temperatura média pro 10 minutos. em seguida junte o pimentão e a berinjela e misture. formando um purê. Berinjela Recheada Ingredientes: * 2 berinjelas grandes * 1 lata de sardinha desfiada * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde picada * 1/4 xícara (chá) de azeitona picada * 1/2 xícara (chá) de farinha de rosca * Queijo ralado (a gosto) * Azeite (a gosto) * 1 dente de alho picadinho * 1/2 xícara de cebola picada Modo de fazer: * Lave a berinjela. retire do fogo.* 2 berinjelas descascadas e cortadas em cubinhos * 1 tomate grande. o sal e a pimenta a gosto. Rendimento: 2 1/2 xícaras de chá. a azeitona. descascadas. biscoitos salgados e torradas. * Acrescente o limão. retire e coloque em uma saladeira. deixe uma borda perto da casca e reserve. faça o recheio e leve ao forno por 1 hora que é o tempo de cozimento no forno. retire a polpa dela crua. O sabor fica melhor com mais pimenta. Amasse a polpa com garfo. o cheiro verde. Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: é ideal para servir com pães. * Quando a berinjela estiver macia e ‘‘al dente’’. frite a cebola até dourá-la. acrescente o cheiro verde e misture tudo. Sugestão: sirva fria. corte. a cebola. Retire do fogo. corte a no sentido do comprimento. o sal e a pimenta e refogue bem. Tempo de preparo e cozimento: 25 minutos. * Acrescente todos os outros ingredientes e misture bem. * Coloque a berinjela na água com a polpa voltada para baixo e deixe ferver por 2 minutos. * Salpique o queijo e regue com azeite. mexendo de vez em quando. escorra e reserve * Frite a cebola e o alho no azeite. * Unte uma forma. a farinha de rosca. Rendimentos: 10 porções Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: * Substituir a sardinha por frango ou atum * Pode dispensar o cozimento da berinjela. * Depois de cozida. cortadas em cubinhos * 1/2 xícara (chá) de cebola picada * 02 colheres (sopa) de suco de limão * 2 dentes de alho amassados * 3 colheres (sopa) de azeite * 1/4 de pimentão picado bem miúdo * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * sal e pimenta à gosto Modo de fazer * Ferva a berinjela até cozinhá-la bem. picado em pedaços pequenos * 1/2 xícara de chá de azeitona * 1/2 xícara de chá de cebola picada * 2 colheres (sopa) de azeite * 1/2 colher (sopa) de açúcar * 1 colher (chá) de orégano * 1 colher (sopa) de vinagre * 1/2 colher (sopa) de molho inglês * 1/4 xícara (chá) de água * sal e pimenta a gosto Modo de fazer: * Coloque o azeite em uma panela média. * Por último. Misture bem e recheie a casca de berinjela.

em sopas. a beterraba forrageira.br Email: sac@cnph. em sucos e no preparo de bolos e suflês. COMO COMPRAR Embora produza melhor em épocas de clima ameno. A beterraba também pode ser comercializada já picada ou ralada.df.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. Em seguida. coloque em saco de plástico. COMO CONSUMIR A raiz deve ser prefencialmente consumida crua e ralada. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Raízes muito grandes podem ter sido colhidas tardiamente e apresentarem-se fibrosas. pertencente à família Quenopodiácea. Deve-se evitar cozinhá-la em excesso para evitar perda de nutrientes. coloque-as em vasilha com água e gelo até que esfriem completamente. até que se descongele. se mantida em local fresco e sombreado.     Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. COMO CONSERVAR Quando em condição natural. Para usar a beterraba congelada deixe-a na parte inferior da geladeira. Neste caso não é preciso descascá-la mas somente raspá-la com uma faca. embalada em saco de plástico perfurado. Entretando.br Emater DF Email: geral@emater.Quando guardadas já descascadas. F. Descasque-as e corte-as em fatias ou cubos.embrapa. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. Em geladeira. originária da Europa.gov. usada para produção de açúcar. É fundamental que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação.A beterraba ralada não deve ser congelada. sem rachaduras. assim como a acelga e o espinafre verdadeiro.br Beterraba Rica em ferro A Beterraba é uma raiz tuberosa. A beterraba é rica em açúcares. raladas ou picadas. As raízes de maior valor comercial têm 200-300g e diâmetro entre 8 e 10 cm. No congelador pode ser mantida por até 8 meses. pois perde cor e sabor. retire o ar com uma bombinha de vácuo e feche o saco. a beterraba se conserva por até uma semana. Os preços mais baixos ocorrem de agosto a novembro. embalada em sacos de plástico ou bandejas recobertas por filmes de plástico. Existem três tipos de beterraba: a beterraba açucareira. Também pode ser consumida cozida. na forma de salada. com cor vermelho intenso. sem sintomas de murcha.cnph. pode ser mantida por até 15 dias. As raízes devem ser firmes. sem sinais de brotação e com o mínimo de cortiça (tecido escuro) no ombro. a beterraba é cultivada durante todo o ano. pois quando mantido em condição ambiente deteriora-se rapidamente. Cozinhe-as inteiras até que fiquem macias.embrapa. dentro de saco ou vasilha de plástico. Para congelamento escolha raízes pequenas. desde que estejam firmes e tenras. raízes de tamanho fora desta faixa podem ser boas para consumo. sendo a mais conhecida no Brasil. Destaca-se como uma das hortaliças mais ricas em ferro. sua durabilidade será reduzida a três ou quatro dias devendo obrigatoriamente serem conservadas em geladeira. As folhas podem ser consumidas refogadas ou em omeletes e bolinhos. tanto na raiz quanto nas folhas. . usada para alimentação animal e aquela cujas raízes são consumidas como hortaliça.

* Temperos que combinam com a beterraba: noz-moscada. tamanho médio. laranja. corte em pedaços. junte a água e bata no liqüidificador. com casca e com 5 cm do talo. Receitas Bolo de Beterraba Ingredientes * 4 claras de ovo batidas em neve * 4 gemas de ovo * 4 colheres (sopa) de margarina * 1 1/2 xícara de açúcar * 2 xícaras de farinha de trigo * 1 xícara de maisena * 1 colher (sopa) de fermento em pó * 1 beterraba grande * 1 xícara (chá) de água Modo de fazer Descasque a beterraba. Bata as gemas. Cenoura. alho. tomate e limão Patê de Beterraba Ingredientes * 2 beterrabas cozidas e descascadas * 2 colheres (sopa) de suco de limão * 1 colher (café) de noz moscada * 1 xícara (chá) de cheiro verde picado * 1 dente de alho * 1/2 copo de requeijão cremoso * Sal e pimenta do reino a gosto Modo de faze Bata todos os singredientes no liqüidificador. cozinhe-as inteiras. e acrescente à mistura anterior batendo sempre. Cubra com filme de plástico e conserve em geladeira. a maisena e o fermento peneirados juntos e misture bem. limão. acrescente as claras batidas em neve e mexa lentamente. Acrescente a farinha. a cenoura e a beterraba e o açúcar e bata tudo no liqüidificador Coe e sirva gelado Tempo de preparo: 10 minutos Rendimento: 05 copos — 200 ml Sugestão: pode usar junto com a beterraba. a margarina e o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Rendimento: Na forma redonda. Rendimento: 2 xícaras de chá . Laranja Ingredientes * 01 dúzia de laranjas * 02 beterrabas grandes * 02 cenouras grandes * Açúcar e gelo a gosto Modo de fazer Descascar a cenoura e a beterraba e pique em cubinhos Extraia o suco de laranja Junte o suco. * A presença de anéis internos claros (brancos) indica que a planta foi cultivada em condições de temperatura alta. coloque em tigelas pequenas ou xícaras. cravo da índia. Sugestão: o bolo pode ser coberto com glacê ou chocolate. Suco de Beterraba. acrescentando 2 colheres (sopa) de vinagre na água. Bata as claras em neve. Despeje numa assadeira untada e polvilhada com farinha de trigo. salsa e cebola. Acrescente o suco de beterraba e mexa. Por último. Leve ao forno médio pré-aquecido para assar. com buraco no meio rende 10 fatias grandes Tempo de preparo e cozimento: 50 minutos.DICAS * Para manter as beterrabas vermelhas.

com granulação fina e sem sinais de murcha.br Email: sac@cnph.Tempo de preparo: 20 minutos. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. o repolho. com os botões totalmente fechados. Seu teor de vitamina A é elevado quando comparado ao repolho e a couve-flor. que incluem os talos e as folhas. a couve-flor. COMO COMPRAR Há dois tipos de brócoli no mercado: o ramoso mais tradicional e o formador de cabeça única O de cabeça única pode apresentar botões com coloração superior arroxeada. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. além dos botões florais. como a couve-flor. Também é fonte de fósforo.cálcio e fibras. firmes. compactas.br Emater DF Email: geral@emater. Sugestão: O requeijão pode ser substituído por iogurte natural. . Possui considerável teor de vitamina C. F. sendo recomendável em regimes de emagrecimento. a mostarda. assim como a couve-comum.df. Os teores de cálcio são próximos ao do espinagre. pertencente à família Brassicácea. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Wanderlei Pozzembom / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. torradas e biscoitos salgados. o rabanete e o agrião. mas inferior ao da couve-comum.cnph.embrapa.embrapa. talos firmes e folhas com aspecto de produto fresco. O brócoli é uma hortaliça com poucas calorias.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. ferro. As inflorescências do brócoli tipo ramoso devem ter coloração verde-escura. Ele deve apresentar cabeças de cor verde escura. e é comercializado em unidades. Já o brócoli tipo ramoso é comercializado em maços. ou semi preparado.gov.br Brócoli Pouca caloria. muita vitamina O brócoli é uma hortaliça de inflorescência. Sirva com pães. originária da região do Mediterrâneo. semipreparado ( limpo e picado sem folhas e talos) ou congelado. com a vantagem de serem mais digestíveis no caso do brócoli. Botões já abertos em flor com coloração amarela ou branca indicam que o produto está passado e portanto terá durabilidade muito curta.

Quando frio. amarelecendo e murchando rapidamente. COMO CONSUMIR O brócoli pode ser consumido cru em salada quando muito tenro. pelo menor tempo possível. salpique o recheio e cubra com o restante da massa. O cozimento em excesso leva à perda de nutrientes e prejudica a textura. Em seguida. Em condição ambiente. em seguida. COMO CONSERVAR O brócoli é uma das hortaliças de menor durabilidade. * * Para uniformizar o cozimento do talo e dos botões florais deve-se fazer um corte em forma de cruz na base do talo. DICAS * Apesar da inflorescência ser a parte mais nutritiva as folhas e talos também podem ser consumidas. ovos. Em geladeira doméstica. sal. O descongelamento é rápido e feito durante o processo de cozimento e preparo do prato. e levado ao freezer. suflês. brocoli. Montagem *Unte um tabuleiro de 30 x 40 cm e polvilhe com a farinha. deve-se escolher os maços e as cabeças com cuidado para não danificar os que serão adquiridos por outros consumidores. sopa. mergulhá-los em água fervente por 2 minutos e depois colocá-los imediatamente em uma vasilha com água e cubos de gelo. ou cozido em salada. deve ser comercializado e consumido no dia da compra. dentro de saco de plástico perfurado. Para garantir a qualidade do produto congelado deve se proceder da seguinte maneira: após descartar as folhas e talos muito grossos ou duros. *Leve para assar em forno pré-aquecido em temperatura alta por 25 minutos ou até o bolo ficar dourado. Recheio *Doure a cebola no azeite. O cozimento deve ser feito em vapor ou em panela tampada com pouca água. até que se esfrie. óleo. colocado em saco de plástico do qual deve se retirar todo o ar com uma bombinha de vácuo. bolos e refogados. O brócoli é uma hortaliça sensível ao manuseio. acrescente o brocoli. Receitas Bolo Salgado de Brocoli Ingredientes: Massa *2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo *1/2 xícara (chá) de amido de milho *2 xícaras (chá) de leite *1 xícara (chá) de azeite *1 xícara (chá) de brocoli *3 ovos *1 colher (sopa) de fermento em pó *1 colher (sopa) de sal *2 colheres (sopa) de queijo ralado *1 dente de alho *3 grãos de pimenta do reino Recheio *1/2 cabeça de cebola média *1/2 maço de brocoli. junte a farinha de trigo. portanto. o amido de milho. pode ser mantido por até 4 dias. O brócoli de cabeça única é o tipo mais indicado para congelamento. desmembrar os floretes e deixá-los de molho em água e limão por meia hora. sem pontos escuros e sem mela.O produto semipreparado deve obrigatoriamente estar refrigerado pois se deteriora rapidamente. o queijo e o fermento e bata até a massa ficar bem misturada e mole. o brócoli deve ser bem seco. lavado e picado *2 colheres de azeite *sal a gosto Modo de fazer: Massa Coloque no liquidificador: leite. Em seguida. Talharim com Brócoli (Cortesia: Maria José Ferreira de Matos) Ingredientes: *4 colheres (sopa) de azeite *2 dentes de alho picados *8 tomates bem maduros cortados em cubos *1 maço de brócoli cozido e picado *1/2 xícara (chá) de cheiro verde *1/2 xícara (chá) de cebola picada *sal e pimenta a gosto . pimenta e alho e bata bem. fechados. Observe se os botões estão verdes. Coloque 3/4 de massa no tabuleiro. o sal e refogue bem. Rendimento: 15 porções Tempo de preparo e cozimento: 40 minutos Sugestão: pode acrescentar carne no recheio.

até formar um molho. escorra-o À parte.br Emater DF Email: geral@emater. Acrescente o brócoli e misture bem. Sugestão: o queijo ralado pode ser substituído por mussarela.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. Sugestão: pode-se trocar o tomate pela mistura de 1/2 lata de creme de leite e 1/2 copo de requeijão cremoso.cnph. junte os tomates e deixe refogar bem. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. Junte o molho ao macarrão escorrido. a pimenta e o sal. Tempo total de preparo e cozimento: 15 minutos quando se usa microondas e 25 minutos quando se usa forno comum. polvilhe com queijo ralado. Adicione o cheiro verde. escorra. frite o alho e a cebola no azeite. pique e coloque-o em uma vasilha própria para ir ao forno e reserve. Asse em forno moderado por cerca de 15 minutos no forno comum ou 3 minutos no microondas.Modo de fazer: Cozinhe o talharim em água fervente com sal e óleo.gov. Tempo de preparo e cozimento: 25 minutos. Se desejar. com exceção do queijo ralado. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * * *       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.embrapa. Em seguida.br Email: sac@cnph. Espalhe sobre o brócoli. Sirva a seguir: Rendimento: 6 porções.br Cará . Misture a farinha de rosca com a margarina derretida e junte aos ingredientes restantes. outubro de 1996) Ingredientes: *1/2 maço de brócoli *2 ovos batidos *2 colheres (sopa) de margarina *1/4 xícara de farinha de rosca *2 colheres (sopa) de queijo ralado *sal a gosto Modo de fazer Cozinhe ligeiramente o brócoli (cerca de 2 minutos). Receita de Brócoli ao forno (Fonte: Vida e Saúde.embrapa.df. Rendimento: 2 porções. polvilhe com queijo ralado. F. depois de cozido.

e o cará aéreo. pimenta. cebola. desligue o fogo. Apesar de serem mais resistentes ao manuseio do que a maioria das hortaliças. *Em seguida. acrescente uma colher de sopa de manteiga para cada 1/2 kg de purê. As maiores ofertas e os menores preços ocorrem de abril a outubro. Evite comprar carás murchos ou brotados. amasse-o como um purê. o sal e a pimenta. escuros e arejados. panquecas e tortas. DICAS * O cará pode ser consumido cozido. sem partes mofadas ou amolecidas. * Temperos que combinam com cará: alho. descascados e cortados em tamanhos grandes *1/2 cebola ralada *2 colheres (sopa) de óleo *1/2 xícara (chá) de cheiro verde picado *1 dente de alho amassado *sal e pimenta à gosto *queijo ralado Modo de fazer *Frite o alho em óleo quente. com manteiga de garrafa no café da manhã. mas dificilmente encontrado no mercado das grandes cidades. *Leve novamente ao fogo. acondicione em vasilha de plástico e leve ao congelador. Apesar de não se conhecer com certeza. após a retirada da casca. Mexa bem. COMO COMPRAR O cará pode ter tamanhos e formatos diferentes. pois as áreas danificadas apodrecem mais rapidamente. Pequenas lesões na casca podem ser retiradas durante o descascamento sem prejudicar a qualidade interna. cujos valores já eram loucados pelo Padre Anchieta em seus escritos. acrescente a cebola e deixe refogar bem. Pode substituir a batata em vários pratos como sopas. os rizomas têm o sabor alterado e a brotação acelerada. orégano e pimenta a gosto Receitas Receita de Creme de cará (Cortesia de Francisca Duarte da Costa) Ingredientes: *2 carás grandes. bata os carás no liquidificador juntamente com o caldo do cozimento. sal. acredita-se que seja originário do oeste da África. folhas de louro. junte o cheiro verde ao creme e misture bem. limão. É um alimento energético. purês e refogados. *Sirva quente Rendimento: 4 porções. *Deixe o creme ferver bem. cubra com água e deixe cozinhar até que o cará fique bem macio. Quando mantidos por muito tempo na geladeira. algumas vezes confundido com o inhame. pirão. desde que mantidos em locais frescos. O cará foi introduzido no Brasil pelos escravos. Para congelar o cará.Cará parece inhame mas não é O cará é uma hortaliça tipo rizoma. açafrão. bolo. caldos. diretamente ao fogo durante o preparo do prato ou no forno de microondas. atingindo de 500g a 3 Kg. sal. COMO CONSERVAR O cará se conserva bem por mais de 15 dias sem necessidade de refrigeração. Se quiser. caso o creme esteja muito grosso. e também destaca-se com fonte de vitaminas do complexo B. Podem ser cultivados o cará subterrâneo. secos. creme. COMO CONSUMIR O cará é consumido sempre na forma cozida. biscoito. Junte os carás. comum em algumas regiões do interior do Brasil. Escolha aqueles firmes. os carás devem ser escolhidos com cuidado. . Também pode ser usado na forma de pão. O descongelamento pode ser feito à temperatura ambiente. Pertence à família Diocoreacea. cozinhe-o. acrescente mais água. por último polvilhe com queijo ralado.

Tempo de preparo e cozimento: 1:20h Sugestão: sirva com chá de capim limão. Bolo de Cará (Fonte: Emater0DF) Ingredientes: *2 xícaras (chá) de açúcar. Modo de fazer: *Faça um creme misturando o açúcar. *3 claras em neve. a pimenta e o açafrão. *Ao final do cozimento. com buraco no meio). o sal. as gemas e a margarina. *1 colher (sopa) de fermento em pó. *1/2 colher (chá) de sal. de cará descascado e cortado em cubinhos *2 colheres (sopa) azeite *1 cebola media picada *2 dentes de alho amassado *1 colher (chá) de açafrão *Sal e pimenta a gosto *150 g. *2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada. Rendimento: 5 porções Tempo de preparo e cozimento: 50 minutos Sugestão: As sobras deste cozido podem ser aproveitadas para fazer bolinhos. *Junte a carne moída e refogue mexendo sempre. *Acrescente por último as claras em neve e misture com cuidado. *1 xícara (chá) de leite. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * * * * *      Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. acrescente a água. o leite e mexa bem até obter uma mistura uniforme.Tempo de preparo e cozimento: 45 minutos Sugestão: caso queira. basta acrescentar pedacinhos de pão ou farinha de trigo até o ponto de enrolar os bolinhos. *Após refogar a carne moída. Agrônomo — Emater-DF . corte o bolo na forma desejada. até que o cará fique macio. tampe e deixe cozinhar. *Depois de assado. *Acrescente o cará. o fermento.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. mexa bem para não queimar. *açúcar cristalizado. *Adicione o cará e misture bem. desenforme. *1 xícara (chá) de cará cozido e amassado. *3 gemas. o sal. *3 colheres (sopa) de margarina. salpique com cebolinha verde e sirva. polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva frio Rendimento: 14 fatias grossas (forma redonda. Cará ao Molho ingredientes: *250 g. enriqueça o caldo com frango desfiado ou carne moída. de carne moída *3 xícaras (chá) de água *1/2 xícara 9(chá) de cebolinha verde Modo de fazer: *Numa panela doure a cebola e o alho. até o secar a baba do cará. e fritá-los. *Adicione a farinha peneirada. *Coloque em uma assadeira untada e leve ao forno.

COMO CONSERVAR A cebola conserva-se por tempo prolongado. sendo muito apreciado na Grécia. conservam-se por maior período. ocorrem de agosto a fevereiro. * Para não lacrimejar quando estiver picando cebola. Entre bulbos de mesmo tamanho escolha os mais pesados.cnph. A cebola assada com casca.br Emater DF Email: geral@emater. os bulbos são amarelos. Entretanto.embrapa. durante o preparo do prato. ou frita à milanesa. escuro e bem ventilado. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. ou diretamente ao fogo. no espeto. Prefira bulbos firmes. fresco. com feridas. Mantenha os bulbos em local seco. A cebola congelada somente é adequada para uso em pratos cozidos ou assados.br Cebola Realça o sabor dos alimentos A cebola é a hortaliça condimentar mais difundida no mundo. realçando o sabor dos alimentos. COMO COMPRAR As maiores ofertas. tendo sido cultivado na Índia e China desde tempos remotos. este deve ficar bem aderido à cebola picada. brancos ou roxos. As cebolas roxas em geral se conservam por maior tempo do que as cebolas brancas e amarelas. A cebola apresenta formatos variados. A vasilha a ser usada deve ter o tamanho certo para a quantidade a ser conservada. achatada ou em forma de pêra. transformando-a em pasta e adicionando sal e alho para aumentar a sua durabilidade. ou seja menos picante. acondicione-as em recipiente de plástico rígido ou em saco de plástico do qual se retira a maior quantidade possível de ar. enquanto as cebolas mais picantes. sem necessidade de refrigeração. folhas de louro. a cebolinha e o alho porró. noz moscada. Evite bulbos brotados. As cebolas de sabor mais suave. pique-a ou corte-a em rodelas. azeite. áreas amolecidas e mofo. coloque um pedaço de pão na ponta da faca. apresenta propriedades terapêuticas comprovadas. provavelmente originário da Ásia Central. limão.br Email: sac@cnph. sem apertá-los ou jogá-los na banca de exposição. Apesar de sua pequena importância nutricional como fonte de vitaminas e sais minerais. com casca seca e pescoço seco e cicatrizado. É uma Aliácea. envolvida por filme plástico ou em vasilha de plástico tampada. Para congelar a cebola. pães. COMO CONSUMIR A cebola é usada principalmente como condimento. quando se utilizar filme de plástico. Quando as porções estiverem congeladas. Maria José L. sal. Esta pasta pode ser mantida em condição ambiente por até 25 dias. e portanto os menores preços. DICAS * Temperos que combinam com a cebola: vinagre. Roma e Egito antigos.df. . assim como o alho. coloque as porções sobre uma travessa ou vasilha aberta e leve ao congelador. 3 a 5 semanas. diminuição do nível de glicose no sangue e proteção contra a arteriosclerose. A cebola picada ou ralada deve ser mantida em geladeira. Escolha os bulbos com cuidado. É um bulbo. patês. coloque-a em água fervente com sal. por até um dia. F. também pode ser utilizada crua em saladas e entradas e no preparo de sopas. podendo ser redonda. como a proteção contra algumas infecções do aparelho digestivo. Nesta condição a cebola pode ser conservada por até 6 meses. * Para tirar o cheiro de cebola das mãos. pimenta.gov. esfregue-as com suco de limão e enxague com água. cravo da índia. é um excelente acompanhamento para churrasco. biscoitos. Outra maneira de conservar a cebola consiste em triturá-la. cominho.embrapa. apresentam menor durabilidade. Para descongelar. Deve-se manter 1 parte de alho para 3 partes de cebola para 10 partes de sal. Quanto à cor.

Pastéis de cebola Ingredientes: Recheio *250g de cebola cortada em cubinhos *1 colher (sopa) de manteiga sem sal *1/2 lata de creme de leite com soro *1 pacote de sopa de cebola *50g de queijo prato ralado *sal. Rendimento: 6 porções. coloque sobre papel absorvente e sirva em seguida. banhe as cebolas e em seguida passe na farinha de rosca. deixe por 5 minutos. Frite em margarina quente até que fiquem douradas. Sugestão: Se quiser pode assar ao invés de fritar e só untar um tabuleiro e levar ao forno. a pimenta do reino e a farinha de trigo e passe as cebolas nesta mistura. Tempere com vinagre ou limão. óregano. lave com água fria. Rendimento: 4 porções Tempero de preparo e cozimento: 15 minutos Sugestão: servir acompanhado de carne assada. Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos. pimenta e cheiro verde a gosto .Receitas Salada de cebola Ingredientes: *2 cebolas cortadas em rodelas *Vinagre ou suco de limão *Sal e azeite à gosto Modo de fazer: Coloque a cebola em água fervente de modo a cobrí-la totalmente com a água. Misture o leite com o ovo batido. sal e azeite. Cebola à milanesa Ingredientes: *3 cebolas grandes cortadas em rodelas grossas e separadas formando anéis *Margarida para fritar *1/2 xícara (chá) de farinha de trigo *1/2 xícara (chá) de farinha de rosca *1 ovo batido *1/4 xícara (chá) de leite *sal e pimenta do reino a gosto Modo de fazer Misture o sal. Escorra a água quente.

cnph.embrapa. Pincele os pastéis com a gema de ovo. Leve para assar por 15 minutos Rendimentos: 50 pasteizinhos. os temperos.br Emater DF Email: geral@emater. misture bem e leve novamente ao fogo até cozinhar e desprender da panela. 2 a 3 pitadas de orégano e espalhe sobre os pastéis antes de assá-los.Massa *300 g de farinha de trigo *120 g de manteiga *1/2 xícara de chá de leite frio *2 colheres rasas (sopa) de creme de leite *1/3 xícara (chá) de parmesão ralado *1 ovo batido *1 colher (sopa) de fermento em pó *1 colher (café) de sal *1 clara (para passar na borda do pastel) *1 gema batida com 1 fio de óleo Modo de fazer: Recheio Refogue a cebola na manteiga até dourar. Massa Misture todos os ingredientes e amasse até obter uma massa lisa e homogênea. Retire do fogo. coloque o recheio e passe a clara na borda da ma massa.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng.br Cenoura . F. Abra a massa com um rolo. junte o queijo prato ralado e misture.br Email: sac@cnph. Deixe descansar na geladeira por 20 minutos.gov. Tempo de preparo e cozimento: 60 minutos Sugestões: misture uma xícara de chá de queijo parmesão ralado. Retire do fogo. Junte o creme de leite. Feche os pastéis e aperte as bordas com o dedo ou garfo para não abrir enquanto estiver assando. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Moura / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. a sopa de cebola. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * * * Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A.df. corte a massa para pastéis.embrapa.

Se forem lavadas antes de colocadas na geladeira. Ao cozinhá-la. as raízes devem ser mantidas em local fresco e sombreado. devem ser enxugadas com um pano seco e limpo ou com papel absorvente. coloque-as numa vasilha com água e gelo até que esfriem completamente. Seque-as bem com papel absorvente e acondicione em saco plástico. doce ou suco. existem cenouras adaptadas ao clima quente. * As cenouras se conservarão por mais tempo se mantidas sem as folhas. basta raspar a superfície com uma faca. se picadas. purê. limão e tangerina) porque o ácido cítrico. destrói a vitamina A. ou por 2 minutos se picadas. ou por 4 minutos. Ao preparar a cenoura. aqueça-as no forno de microondas por 5 minutos. o descongelamento pode ser rápido. a salsa. creme. Apesar da oferta ser praticamente constante durante o ano. se inteiras. pão. raladas ou picadas.Uma das campeãs de vitamina A A cenoura é uma hortaliça de elevado valor nutritivo. COMO COMPRAR Embora produza melhor em áreas de clima ameno. direto ao fogo. A cenoura pode ser mantida no congelador por até 12 meses. É uma raiz originária da Europa e da Ásia. Ou então. Também fornece cálcio. embalada em sacos de plástico ou bandejas recobertas por filme plástico. utilize apenas o tempo necessário para deixá-la macia mas crocante. com comprimento e diâmetro variando respectivamente entre 15 a 20 cm e 3 a 4 cm. somente torna a cenoura mais amarga. Quando a cenoura congelada for utilizada na forma crua. mergulhe as cenouras em água fervente por 5 minutos. na forma de bolo. Receitas . pois quando mantido em condição ambiente. DICAS * As áreas verdes na parte superior da cenoura se formam devido a exposição das raízes ao sol durante o cultivo. A substância que dá a cor verde não é tóxica. COMO CONSERVAR A cenoura pode ser conservada por até 15 dias se mantida em geladeira. sódio e potássio. dentro de saco ou vasilha de plástico. pertencente à família Apiacea. os preços mais baixos ocorrem de julho a outubro. Quando em condição natural. o aipo ou salsão. devendo obrigatoriamente serem conservadas em geladeira. se inteiras. suflê. não é preciso descascá-las.retirando todo o ar com uma bombinha de vácuo. Se houver formação de gotículas de água dentro da embalagem recomenda-se perfurá-la com um garfo. dentro de saco plástico próprio para alimentos. sendo provavelmente uma das melhores fontes de vitamina A. É fundamental que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação. Evite fazer suco de cenoura com frutas cítricas (laranja. assim como o coentro. As raízes devem ser firmes e com cor laranja intensa. Quando for utilizada cozida. sua durabilidade será bem menor. Raízes maiores têm menor qualidade pois são mais fibrosas e menos saborosas. o funcho e a mandioquinha salsa. COMO CONSUMIR Pode ser consumida em saladas (crua ou cozida). A cenoura pode ser comercializada já picada ou ralada. Quando guardadas já descascadas. assim se conservam o sabor e os nutrientes. sem pigmentação verde ou roxa na parte superior (ombro). deve-se fazer o descongelamento lento na parte de baixo da geladeira. Para congelar. presente em boa quanitdade nessas frutas. Em seguida. murcha rapidamente e pode entrar em processo de fermentação.

Rendimento: 100 unidades Tempo de preparo: 60 minutos. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * Autores:      Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. em seguida. Rendimento: 10 copos de 200 mil Tempo de preparo: 10 minutos. desligue o fogo. deixe ferver. passe no coco ralado e coloque em forminhas de papel. Tempo de Preparo: 15 minutos Rendimento: 02 porções Sugestão: pode acrescentar queijo de minas. Descasque a cenoura e pique-a em cubinhos l Coloque a polpa (com sementes) do maracujá no liquidificador com a cenoura picada e o açúcar. Creme de Cenoura Ingredientes n 01 xícara de chá de cenoura cozida (amassada) n 1/2 xícara de chá de creme de leite sem soro n 02 xícaras de caldo de carne n 01 colher de chá de margarina n 1/4 xícara de chá de cheiro verde n 01 colher de café de noz-moscada n 01 dente de alho amassado Modo de fazer l Leve ao fogo todos os ingredientes. deixando ferver por 2 minutos. menos o creme de leite e o cheiro verde. coloque o coco ralado e as nozes moídas. deixe esfriar e leve à geladeira para firmar de um dia para o outro. acrescente o creme de leite. cortado em cubos. l Ao ferver. l Despeje em um prato untado com margarina sem sal. Agrônomo — Emater-DF . Sugestão: o doce de cenoura pode ser feito com leite condensado e amendoim.Bombom de Cenoura. Acrescente a água aos poucos l Liquidifique. l Mexa com uma colher de pau até soltar do fundo da panela. Nozes e Coco (Fonte: Vida e Saúde. l Retire da geladeira e faça bolinhas. março de 1997) Ingredientes: n 500 g de açúcar mascavo n 500 g de cenoura ralada crua n 2 xícaras de água. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. n 100 g de coco ralado n 100 g de nozes moídas n 50 g de coco para passar os docinhos Modo de fazer: l Leve ao fogo o açúcar com a água e a cenoura ralada. misture bem e salpique com o cheiro verde picado. coe e sirva gelado. Suco de Cenoura com Maracujá Ingrediente: n 3 cenouras médias n 4 maracujás médios n 2 litros de agua n açúcar e gelo a gosto Modo de fazer.

Após cozinhá-la. Também pode ser consumida refogada. azeite de oliva. servindo para outros pratos. pimenta.br Email: sac@cnph. sendo excelente para usar em dietas de emagrecimento. como a alface. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Wanderlei Pozzembom / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. por respeito aos outros consumidores.br Chicória Por que não chicória? A chicória.gov. Em seguida. em local bem fresco. C e D e de sais minerais. salsa. Ao contrário do que muitos pensam. As folhas devem estar com aspecto de produto fresco. As folhas externas são de cor verde mais escuro do que as folhas internas. firmes. congelada.df. retirando-se as folhas à medida que estas forem sendo consumidas por até 3 dias. Em geladeira. não é preciso apertá-la entre os dedos. Para escolher a chicória. deve-se apertar bem as folhas para escorrer a água. COMO CONSERVAR A chicória perde qualidade rapidamente depois de colhida. complexo B. Maria José L.embrapa. Entretanto. A chicória constitui uma importante fonte de vitamina A. orégano.br Emater DF Email: geral@emater. Depois de picada a chicória deve ser mantida em saco de plástico ou em vasilha de plástico tampada.cnph. COMO CONSUMIR Na forma de saladas a chicória crua substitui a alface. porém o produto colhido é de melhor qualidade e os preços são menores de julho a outubro. brilhantes. A chicória não deve ser congelada crua. Receitas . amassá-la ou quebrar as suas folhas. Deve-se lavar as folhas uma por uma em água corrente. Deve-se selecioná-la com cuidado. em omeletes. é originária da Índia e pertence à família Asteracea. cebolinha. para evitar seu cozimento excessivo. pegar em todas as unidades que estão à venda. Fora da geladeira pode ser mantida por 1 dia com a parte de baixo dentro de uma vasilha com água ou dentro de saco de plástico aberto. F. deve ser mantida em saco de plástico fechado ou em uma vasilha de plástico tampada. é fundamental lavar e higienizar as folhas antes de consumi-la para eliminar microorganismos que possam estar nas folhas e causar doenças sérias. DICAS * A chicória deve ser servida separada do molho da salada. porque assim o que sobrar pode ser guardado. É de baixo valor calórico. a solução de água sanitária ou com vinagre não retira os resíduos de agrotóxicos ou de pesticidas. alho. sopas e tortas. * Os temperos indicados para a chicória são: alho. alcachofra. Depois. e depois deixá-las de molho em água filtrada com água sanitária (1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água) por 30 minutos. a chicória deve ser colocada dentro de um saco de plástico.embrapa. A chicória pode ter a folha lisa ou crespa. pelo seu aspecto. e o almeirão. pode ser congelada cozida. COMO COMPRAR A chicória é produzida durante todo o ano. do qual se retira o ar com uma bombinha de vácuo e em seguida. evitando. ou seja. sem áreas escuras e sem folhas murchas. também conhecida como escarola. vinagre e limão. as folhas devem ser enxaguadas com água filtrada. Quando a chicória for consumida crua. Deve-se preferencialmente adicionar a chicória quando o prato estiver quase pronto.

Sugestão: o tomate batido pode ser substituído por extrato ou molho de tomate. Polvilhe com orégano. lembrando de colocar primeiro os líquidos. e em seguida distribua as folhas refogadas de chicória. a cebola ralada. * 1 dente de alho. l Pique os tomates. * 1/2 cebola ralada. * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde. l Espalhe o tomate batido sobre a massa de pizza. Modo de fazer l Reserve um pouco de chicória picada para a decoração do prato. l Separe as fatias de pão. * 4 tomates inteiros e lavados.* (*) Obs: Este item é para ser utilizado caso a massa do bolinho fique mole. Decore a travessa com um pouco de chicória picada ao redor do pão. Bolinho de Chicória e Arroz Ingredientes * 01 xícara de arroz cozido * 1/2 pé de chicória cortado * 01 ovo * 1/4 xícara de leite ou água * 01 colher (chá) de casca de limão ralado * sal e pimenta a gosto * 01 dente de alho * 01 xícara (chá) de migalhas de pão fresco/ ou 04 fatias de pão de forma picadas. liqüidifique-os e passe numa peneira. * 1 colher (chá) de orégano. l Cubra todo o pão com requeijão e salpique a chicória sobre a parte de cima do pão. Sugestão: o requeijão pode ser substituído por maionese. * 1 xícara (chá) de milho verde. o sal e a pimenta. Tempo de preparo: 25 minutos Rendimento: 20 bolinhos Sugestão: pode trocar o limão por queijo ralado e temperar à gosto. Rendimento: 8 porções. refogue apenas o suficiente para que as folhas murchem. até terminar com uma fatia de pão. até obter uma massa bem misturada. l Leve ao forno quente. * 1 massa de pizza semi-pronta com cerca de 28 cm de diâmetro. Rendimento: 6 porções. l Pegue um pouco de massa com uma colher de (sopa) e coloque para fritar numa panela com óleo quente. o suco de limão. Sanduíche de Chicória Ingredientes: * 2 pés de chicória devidamente higienizados e picados. Modo de fazer: l Aqueça o azeite. Tempo de preparo: 20 minutos. doure o alho e acrescente a chicória e sal a gosto. junte as migalhas de pão fresco ou pedaços de pão de forma. pre-aquecido e asse por cerca de 20 minutos. l Depois de fritos coloque sobre um prato coberto com papel absorvente. até formar uma mistura homogênea. * Sal a gosto. fatiado no sentido do comprimento. * 1 colher (sopa) de suco de limão. * 1 copo de requeijão cremoso. o cheiro verde. o milho verde. * 1 pão de forma sem casca. Acrescente aos poucos o requeijão cremoso. Modo de preparar l Bata no liqüidificador os 10 primeiros ingredientes. * 7 fatias finas de queijo minas ou mussarela. * 1 tomate cortado em rodelas finas. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * Autores: * * *   Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças . Tempo de preparo: 30 minutos. * 1/2 dente de alho amassado. * Sal e pimenta (opcional) a gosto. * 2 colheres (chá) de azeite ou óleo.Pizza de Chicória Ingredientes: * 1 pé de chicória lavada e picada. o alho. coloque numa travessa e vá alternando uma fatia de pão e o recheio. coloque o restante da chicória. l Por cima disponha as fatias de queijo e tomate. Se a massa ficar muito mole. l Numa vasilha.

fácil digestibilidade. na gaveta inferior da geladeira. C e sais minerais como cálcio.df. sem espinhos. O produto já descascado e picado conserva-se por até 3 dias após seu preparo. Devem ser cozidos e podem ser servidos na forma de refogados. bolo. o melão e a melancia. DICAS * Também podem ser consumidas as folhas. ou seja. Já era conhecido na antiguidade pelos astecas e tinha grande destaque entre as demais hortaliças cultivadas na época. Os brotos refogados são ricos em vitaminas B. brotos e raízes da planta. fósforo e ferro. 6 a 8 dias. já descascado. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Moura / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Para consumo como refogado ou salada.cnph. Os frutos podem ser arredondados ou terem a forma de pêra. tamanho e cor.br Email: sac@cnph. É uma hortaliça de sabor suave. F.br Emater DF Email: geral@emater. ou salada fria. a partir de quando começam a murchar. que se machuca com facilidade e a casca escurece rapidamente quando danificada. por 3 a 5 dias depois de colhidos. Quando os frutos estão maduros. com a parte de baixo se abrindo. originário da América Central e ilhas vizinhas. pois são mais consistentes e têm mais fibra.embrapa. sopas. O chuchu é um fruto muito sensível. cremes.    Rita de Fátima A. . Frutos passados apresentam a casca sem brilho e amarelada e com a ponta mais larga começando a se abrir. rica em fibras e pobre em calorias. está entre as dez hortaliças mais consumidas no Brasil. * Corte e descasque os frutos crus sob água corrente pois estes têm uma liga que gruda nas mãos. Os melhores preços de chuchu ocorrem entre os meses de junho a outubro. Portanto. Quando os frutos estão bem novos podem ser consumidos com casca e miolo. A casca pode ser removida antes ou após o cozimento. as abóboras. COMO CONSERVAR Os frutos podem ser mantidos em condição ambiente. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng.br Chuchu Sabor suave da América Central O chuchu é uma hortaliça fruto. na parte de baixo da geladeira. Atualmente. desde que mantido embalado em vasilha tampada ou em saco de plástico. menores e com casca brilhante. COMO CONSUMIR Os frutos não são consumidos crus. assim como o pepino. cortado em cubos e embalado com filmes de plástico. Podem ser conservados por maior tempo. com a cor variando de branco a verde bem escuro. A casca pode ser lisa ou com espinhos. Destaca-se como fonte de potássio e fornece vitaminas A e C. prefira os frutos mais novos. COMO COMPRAR Há uma grande diversidade de frutos quanto à forma. com tamanho de 12 a 18 cm de comprimento (fruto graúdo) e 7 a 10 cm (fruto miúdo). O chuchu é uma Cucurbitácea. embalados em saco de plástico. suflês. O chuchu também pode ser encontrado na forma minimamente processada. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. No mercado há preferência pelos frutos de casca verdeclara.gov. evitando causar ferimentos. pois quando mantido em condição ambiente.embrapa. estraga-se rapidamente. Certifique-se de que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação. escolha os frutos com cuidado. são excelentes para a elaboração de suflês.

Leve para assar em forno pré-aquecido. mexa lentamente. Acrescente o leite sem parar de mexer. até aparecer o fundo da panela. Modo de fazer l Cozinhe o chuchu na água e sal até ficar mole. mexa o doce. l Mexa com uma colher de pau de vez em quando. até formar um mingau grosso. o fermento e o chuchu. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: sirva com arroz branco. l Quando o chuchu estiver macio.Receitas Doce de Chuchu com Banana (Fonte Empaer-MS) Ingredientes * 8 bananas nanicas picadas em pedaços pequenos * 3 chuchus médios picados em pedaços pequenos * açúcar em peso igual à soma dos pesos da banana e do chuchu descascados. carne moída e salada de tomate e alface Suflê de Chuchu Ingredientes * 8 chuchus grandes sem casca * 1 colher (sopa) de margarina * 3 colheres (sopa) de farinha de trigo * 2 xícaras (chá) de leite * 4 gemas * 4 claras batidas em neve * 1 colher (sopa) de fermento químico em pó * 6 colheres (sopa) de queijo ralado minas meia cura * 1 cebola pequena ralada * sal e pimenta a gosto. misture bem e leve ao fogo baixo. tendo o cuidado de não deixar queimar. tampe a panela e deixe o chuchu cozinhar até ficar macio (al dente). em temperatura alta. l Coloque esta mistura numa forma pequena e untada. pimenta a gosto * 1/2 cebola média cortada em cubinhos * 1/2 xícara de cheiro verde picado * 6 colheres de sopa de farinha de trigo * 3 colheres (sopa) de óleo Modo de fazer l Aqueça o óleo e doure a cebola e o alho. fazendo um cozimento lento (o chuchu libera bastante água). coloque a margarina. o sal e a pimenta e refogue bem. o queijo ralado. Mexa sempre até esta mistura ficar torrada. l Numa panela. l Coloque numa vasilha de vidro ou vidros de conserva. l Junte o chuchu. retirando a espuma que forma sobre o doce. Rendimento: + ou . Por último junte as claras em neve. l Retire do fogo e acrescente o sal e a pimenta. lavados e cortados tipo batidinho * 1 dente de alho amassado * sal. reserve. misture bem. misture bem e deixe no fogo por mais 1 minuto.Rendimento: 4 porções Tempo de preparo e cozimento: 30 minutos Sugestão: Se não tiver forma própria para suflê pode assar em forma pequena retangular Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * * .12 porções Tempo de preparo e cozimento: 60 minutos Sugestão: pode usar batata doce no lugar da banana Chuchu Refogado Ingredientes * 3 chuchus médios com casca. as gemas. a cebola ralada e a farinha de trigo e leve ao fogo baixo. l Quando a água secar. l Coloque o chuchu num pano e esprema apertando bem até escorrer toda água. feijão. acrescente o cheiro verde. Modo de fazer l Coloque todos os ingredientes numa panela. Sirva quente.

para não danificar aqueles que serão comprados por outros consumidores. COMO CONSERVAR A couve é uma hortaliça que se conserva por pouco tempo. sendo as do grupo manteiga as mais comuns. Evite comprar este produto quando as folhas estiverem murchas e com pontos escuros. K e B5. vitaminas A. deve ser . o brócolis.embrapa.cnph. pode ser aproveitada em regimes para obesos. Deve-se escolher o maço com cuidado. É escassa em calorias. Essas possuem folhas verde-claro.Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. F. ou seja. sem sinais de murcha e com os talos firmes. com peciolo e nervura verde-clara. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. ferro.embrapa. Em condição ambiente. É fundamental que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação. a couve-flor e o rabanete. As folhas de couve são comercializadas na forma de maço.df. especialmente cálcio. principalmente nas bordas.br Emater DF Email: geral@emater. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. mas satisfaz muito bem a sensação de apetite. evitando quebrá-lo ou machucá-lo.C. A couve pode ser comercializada na forma minimamente processada.br Email: sac@cnph.gov. As folhas devem estar com aspecto de produto fresco. ou seja. pelo seu aspecto. É uma hortaliça originada da costa do Mediterrâneo e pertence à família das Brássicas. portanto. já picada e embalada. COMO COMPRAR A couve é colhida durante todo o ano. somente são plantadas couves de folhas lisas. murchando e amarelecendo rapidamente.br Couve Muito além da feijoada A couve de folha ou couve comum é muito rica em nutrientes. lisas ou pouco onduladas. No Brasil. assim como o repolho. tenras. mas como é favorecida por clima ameno os menores preços ocorrem de junho a outubro. e cheiro alterado. sem manchas escuras ou amarelas.

quando picada. Passe por uma peneira. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo: 13 minutos Sugestão: Pode misturar outros vegetais . devendo ser usada somente em pratos cozidos. deve ser picada fina e colocada em saco de plástico do qual deve se retirar a maior quantidade possível de ar. *Em outra vasilha. mas são importantes para eliminar microorganismos que possam causar doenças. Por último. por até um dia. deve-se evitar deixá-la muito tempo no fogo. colocando-se uma tampa sobre a peneira para acelerar e uniformizar o cozimento. na elaboração de saladas e sucos. farofas e cozidos. *Frite a lingüiça e reserve. conservandose por até uma semana. junte a cebola. com pão tipo francês. Farofa mineira Ingredientes *1 maço de couve *200 g de lingüiça de porco picada em pedaços pequenos *2 ovos cozidos e picados *Cheiro verde à gosto *1 cebola média picada *3 colheres (sopa) de toucinho defumado picado ou bacon *Farinha de milho na quantidade desejada para deixar a farofa mais úmida ou mais seca Modo de fazer *Frite o toucinho defumado. deixe dourar e reserve. misturando-os com cuidado. pois fica escura e com o sabor ruim. coloque os ovos picados. A água sanitária ou o vinagre não retiram resíduos de agrotóxicos. *Acrescente a quantidade de farinha necessária. Para tanto. COMO CONSUMIR A couve pode ser consumida crua. o azeite e misture até dissolver o sal. deve ser mantida em saco de plástico fechado ou em vasilha de plástico tampada. abacaxi ou laranja. inteira ou picada. A solução de água sanitária não deverá ser reutilizada. a lingüiça. O descongelamento é feito ao fogo. A couve pode ser picada fina ou rasgada na preparação de cozidos. o tomate e a cebola numa vasilha e misture. utilizando-se uma panela própria ou ainda uma peneira sobre a panela com água fervente. azeite e sa*a gosto Modo de fazer *Coloque a couve. Quando congelada. o cheiro verde e misture e tempere a gosto. junte o toucinho. junte o alho. Deve-se cozinhá-la preferencialmente no vapor. Tempo de preparo: 10 minutos Sugestão: o limão pode ser substituído por caju. a couve não se presta para consumo na forma crua. jogue sobre os vegetais e misture bem. *Refogue a couve. Rendimento: 8 porções Tempo de preparo: 30 minutos Sugestão: a farinha de milho pode ser substituída tota*ou em parte por farinha de mandioca. o suco de limão. *Prefira o consumo da couve crua. A couve pode ser congelada. Tanto ao refogar como ao cozinhar a couve. Receitas Suco de Couve com Limão IngreIngredientes: *3 limões com casca bem lavados *2 folhas de couve bem lavadas *1 litro de água *Açúcar e gelo a gosto Modo de fazer: *Bata todos os ingredientes no liqüidificador. *Sirva gelado. refogada ou como ingrediente de sopas. Quando conservada em geladeira. Se for consumir as folhas cruas é necessário deixá-las de molho em solução de água sanitária por 30 minutos na proporção de 1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água filtrada. Lave as folhas uma por uma em água corrente. Em seguida. pois o cozimento resulta em perda de parte das vitaminas * A couve para congelamento deve ser picada e não rasgada. em local bem fresco. enxágüe-as com água filtrada. DICAS *Experimente comer a couve refogada como recheio de sanduíche. durante o processo de preparo. o sal. Salada de Couve Ingredientes: *100 g de couve lavada e picada fininha *2 tomates cortados em cubinhos *1/2 xícara de cebola cortada em cubinhos *1/2 dente de alho amassado ou picado *suco de limão.mantida com os talos dentro de uma vasilha com água ou dentro de saco de plástico aberto. quando inteira ou por três dias. Rendimento: 5 copos de 200 ml.

Como é pobre em calorias. A couve chinesa . F. o brócoli e o repolho. vitamina A. É uma excelente fonte de ácido fólico (importante para a formação do sangue). Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Ronaldo de Oliveira / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:      Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng.embrapa. a couve-comum. vitaminas do grupo B e cálcio. pode ser usada em regimes de emagrecimento.br Emater DF Email: geral@emater.embrapa.br Couve chinesa A preferida do oriente A couve chinesa é uma Brássica.br Email: sac@cnph. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. assim como a couve-flor.gov. Também chamada de repolho chinês.df. é muito nutritiva.cnph. Também fornece vitamina C e potássio.

Escorra bem a água. Também é um ingrediente importante do sukiyaki. escurecendo e apodrecendo rapidamente quando danificados. * Temperos que combinam com couve chinesa: azeite.provavelmente é originária da China e vem sendo consumida na Ásia desde o século V antes de Cristo. Coloque-a por cima das demais compras e manuseie com cuidado. Somente lave e higienize as folhas antes do preparo do prato. utilize shoyo. que é uma outra hortaliça. com hortaliças como couvechinesa. orégano. faça o pré-cozimento em água fervente por 2 minutos. e aji-nomoto. espécie de refogado. coloque a couve chinesa em saco ou recipiente de plástico e leve ao congelador.5 a 5. separe as folhas. muitas vezes é chamada erroneamente de acelga. limão. cebola. DICAS * As folhas internas são ideais para o preparo de saladas. substituindo ou acompanhando outras hortaliças folhosas como chicória. pimenta. Em seguida. temperados com molho de soja (shoyo). pois os talos e folhas da couve chinesa são quebradiços. é utilizada no preparo de saladas. faça o pré-cozimento em água fervente por 2 a 3 minutos para folhas mais duras e 1 a 2 minutos para folhas mais novas. COMO COMPRAR Os melhores preços da couve chinesa no mercado do Distrito Federal são alcançados de junho a outubro. Para congelar. * Acrescente a couve chinesa e mexa até que fique macia e com cor verde clara. Couve chinesa e filé de merluza Ingredientes: . * Para utilizar as folhas inteiras para fazer lasanha. em sopas. COMO CONSERVAR Em condição ambiente a couve chinesa murcha rapidamente. pode ser armazenada por até 3 meses. por serem mais tenras. Antes de guardá-la remova as folhas murchas. ele aprimora o sabor. COMO CONSUMIR As folhas e talos podem ser consumidos crus ou cozidos. Escolha as cabeças mais compactas. de cor verde bem claro. feito com pedacinhos de carnes fritos na hora. * Adicione alho e cebola. Receitas Couve chinesa com macarrão Ingredientes * 8 xícaras (chá) de couve chinesa picada * 1 colher (sopa) de açúcar * 200g de macarrão parafuso * sal e pimenta à gosto * 4 colheres (sopa) de azeite * 1 cebola pequena picada * 2 dentes de alho picados Modo de fazer * Em uma frigideira ou panela grande aqueça o azeite. Tempo de preparo e cozimento: 50 minutos. sujas ou danificadas. Para facilitar o acondicionamento da cabeça da couve chinesa na geladeira. além de dar uma cor bonita ao prato. assim será mais fácil preparar o prato. coentro. no recheio de tortas. misturada com arroz e em croquetes. arranjadas umas sobre as outras formando a cabeça de formato alongado. A couve chinesa possui as folhas enrugadas. existem áreas com cor creme ou amarronzada. Sugestão: se não gostar de utilizar açúcar em pratos salgados. saquê. tomilho. bolinhos e pizzas. O peso da cabeça varia de 3.0 Kg. ou com vapor por 3 minutos. que se estragam mais rapidamente. cebola. alho. Para utilizar o produto congelado coloque-o em água fervente com sal ou refogue diretamente durante o preparo do prato. Pode ser mantida em geladeira. Além disso pode ser utilizada em lasanhas no lugar do macarrão. Quando crua. faça o resfriamento colocando a couve chinesa em água com gelo. salsa. repolho e pimentão. As folhas mais externas são naturalmente mais escuras do que as folhas internas e os talos são brancos. tornando-se inapropriada para consumo. embalada em filme de plástico por uma semana. açúcar. * Adicione o macarrão cozido e tempere com sal e pimenta. Verifique se na parte inferior da cabeça. Utilize primeiramente as folhas picadas. retire as folhas de fora. mexendo até que dourem. agrião ou alface. * Acrescente o açúcar e espere até a cor da couve chinesa se tornar ligeiramente dourada. Seu uso é comum na cozinha oriental na forma de sopas e empanados. pique-as e armazene em vasilhas de plástico e cubra a parte restante com filme plástico. Introduzida no Brasil no começo do século XX. Rendimento: 4 porções. indicando um início de apodrecimento nesta região. pois em geral este se estende ao interior da cabeça. pertencente à família da beterraba. Nesta condição.

junte os filés de merluza. Modo de fazer: * Coloque as folhas de couve chinesa em água quente e salgada e deixe por 2 minutos. * Escorra a água e coloque as folhas em água fria deixando por 4 minutos. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Mário Felipe de Melo — Eng. verifique se está temperado. Agrônomo — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fotos: Paulo de Araújo / CBPress . cubra com um filme de plástico e deixe descansar por cerca de 1 hora. maduros e firmes. Leve ao forno pré-aquecido quente em temperatura moderada por 10 minutos.* 4 pratos fundos de couve chinesa picada * 500g de filé de merluza * 8 tomates maduros. * Abaixe o fogo e pique os pedaços de merluza com um garfo. regue com o molho e misture bem. Salada de couve chinesa Ingredientes: * 6 xícaras (chá) de couve chinesa cortada fininha * 1 cebola pequena. * Retire do fogo. * Coloque o azeite em uma panela. * Numa saladeira coloque a couve chinesa. cortada em rodelas finas e separada em anéis * 2 colheres (sopa) de suco de limão * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * 3 tomates grandes. a salsinha. misture bem. Tempo de preparo: 30 minutos. Rendimento: 6 porções. a cebola. o tomate. * Escorra a água e reserve as folhas. frite o alho e a cebola. F. Tempo de preparo: 45 minutos. sal e pimenta. cortados em gomos finos * 3 ovos cozidos cortados em 4 partes * sal e pimenta a gosto Modo de fazer: * Faça um molho colocando numa vasilha o suco de limão. as azeitonas. alterne camadas de couve chinesa com camadas de filé de merluza. * Acrescente os tomates em cubinhos. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:      Maria José L. sem pele e sem sementes. * Junte os ovos cozidos e misture delicadamente. picados em cubos * 1/2 xícara (chá) de azeitona picada * 1 cebola média picada * 1 colher (chá) de orégano * 1/4 de xícara (chá) de salsinha picada * 1 xícara (chá) de vinho branco seco * 1 colher (sopa) de tomilho * 5 colheres (sopa) de azeite * sal e pimenta-do-reino a gosto. o tomilho e misture bem. o azeite. o cheiro verde. Rendimento: 6 porções Sugestão: Os filés de merluza podem ser picados e temperados antes de levados ao fogo. tempere com sal e pimenta. Sugestão: acrescente cenoura ralada. * Numa forma refratária untada. Este prato é indicado para acompanhar frango. regue com vinho branco e deixe evaporar.

Em seguida. cebola. * 1 cabeça média de couve-flor pesa cerca de 750g e rende 3 – 4 porções. alho.df. Quando nesta forma. pique em florzinhas menores e deixe 30 minutos de molho em água e sal (1/4 xícara de sal para 1 litro de água ). picada e embalada. e tem teores bem baixos de sódio e calorias. prepare-a de acordo com a indicação da receita. cravo da Índia. Para uniformizar o cozimento da couve-flor inteira faça um corte em forma de cruz nas partes mais grossas. Quando passada do ponto.gov. escorra. noz moscada. Depois seque bem e envolva em saquinho plástico do qual se retirou todo o ar com uma bombinha de vácuo. retire o caule mais grosso e as folhas. seguida pelo cozimento da couve-flor picada ou inteira. murcha e com pontos escuros. coloque um pouco de leite. Também é uma hortaliça importante do ponto de vista nutricional pois é rica em cálcio e fósforo e fonte de folato e vitamina C. Além disso. Escolha as cabeças com cuidado. a couve comum. Para pratos em que a couve-flor seja assada ou frita. alecrim. Para descongelar a couve-flor. * Temperos que combinam com a couve-flor: cebolinha verde. a cabeça fica dividida. dentro de saco de plástico perfurado. cerca de 5 – 10 minutos se picada ou 15 – 20 minutos se inteira. Quando guardada já picada. * Para impedir que a couve-flor provoque gases intestinais.br Emater DF Email: geral@emater. cozinhe-a no vapor. Cuidado para não cozinhar demais: espere a água ferver para depois colocar a couve-flor. Para congelar.cnph. Compre a couve flor por último. sem manchas escuras. Originária da Ásia Menor.embrapa. COMO CONSERVAR A couve-flor se estraga rapidamente por isto compre somente a quantidade necessária ao consumo para utilização imediata. Evite comprar este tipo de produto quando ele estiver com pontos escuros e com líquido no fundo da embalagem. é livre de gorduras e colesterol. o brócoli. hortaliça delicada e tenra. estas devem estar verdes e sem sinais de murcha. e mantenha-a ao fogo somente pelo tempo necessário para deixá-la macia mas consistente.embrapa. para adequada conservação. já limpa. O preparo básico consiste na remoção das folhas e das partes muito grossas e duras do caule. COMO CONSUMIR A couve-flor é uma hortaliça de fácil digestão. sua durabilidade é ainda menor. cozinhe-a previamente por cerca de 8 minutos em água e sal e em seguida coloque em uma vasilha com água fria para esfriar. Na geladeira pode ser conservada por 3 a 5 dias sem grande perda de qualidade. cozinhe em água fervente por quatro minutos. coloque-a em água fervente com sal. Se envolvida pelas folhas. escorra novamente e coloque em água gelada até esfriar.Embrapa Hortaliças Internet: http://www.br Couve-Flor Descubra este sabor A couve-flor. endro. tomilho. azeite. deve obrigatoriamente estar em gôndola refrigerada. páprica. uma rodela de limão ou suco de limão na água de cozimento. cujo consumo é indicado para pessoas de todas as idades. A couve-flor é uma das hortaliças mais sensíveis ao manuseio.br Email: sac@cnph. constitui saborosa iguaria quando bem preparada. Ë uma hortaliça do tipo inflorescência (conjunto de flores) que pertence à família Brassicaceae assim como o repolho. . DICAS * Para deixar a couve-flor branquinha após o cozimento. evitando assim que ela seja amassada por outros produtos no fundo do carrinho. Antes de guardar. remova as partes escuras e folhas mas não lave a cabeça. foi levada para a Europa no século 16. Em seguida. A couve flor fresca também pode ser encontrada na forma minimamente processada. de cor branca ou creme. COMO COMPRAR Escolha cabeças compactas. pois as partes danificadas escurecem e apodrecem mais rapidamente.

Receitas
Torta de couve-flor
Ingredientes: * 4 ovos * 2 xícaraS (chá) de farinha de trigo * 1 cebola picadinha ou ralada * 1 ½ xícara (chá) de leite * ½ xícara (chá) de azeite * 1 xícara (chá) de cebolinha e salsa picados * 4 tomates maduros sem pele e sementes cortados em pedaços * 1 couve-flor de tamanho médio, bem lavada e picada miudinha inclusive os talos * 1 xícara (chá) de queijo ralado * ½ pimentão verde picadinho * sal e pimenta do reino a gosto * 1 colher (sopa) de fermento em pó Modo de fazer Bata no liquidificador: o leite, os ovos, o azeite, os tomates, o queijo, a farinha de trigo, o sal e a pimenta; Em uma vasilha misture a couve-flor, a cebola, o cheiro-verde, o pimentão, o sal e a pimenta e junte à massa; Unte um tabuleiro e polvilhe com farinha de trigo e leve ao forno preaquecido em temperatura alta (220º C); Asse por 50 minutos ou até que a massa fique dourada por cima. Rendimento: 16 pedaços Tempo de preparo e cozimento: 1:10 h Sugestão: acrescente presunto picado ou carne moída

Couve-flor gratinada
Ingredientes: * 1 couve-flor inteira, tamanho médio, bem lavada * ¼ xícara (chá) de queijo parmesão ralado * ¼ xícara (chá) de cebolinha verde picada * ¼ xícara (chá) de cebola ralada * ½ xícara (chá) de farinha de rosca * 1 xícara (chá) de maionese * sal e pimenta do reino a gosto * 1 colher (chá) de orégano (opcional) Modo de fazer: Cozinhe a couve-flor inteira com água e sal, com a parte das flores voltada para o fundo da panela; Numa vasilha misture a cebola ralada, a cebolinha e a maionese; Em outra vasilha misture o queijo, o orégano, a farinha de rosca e a pimenta do reino; Coloque a couve-flor inteira numa fôrma refratária, cubra-a com a mistura de maionese cebolinha e cebola; Salpique com a mistura de queijo ralado, orégano e farinha de rosca e leve ao forno para gratinar. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo e cozimento: 25 minutos Sugestão: sirva acompanhado de purê de batata e peixe frito ou assado.

Couve-flor e brócolos ao molho
Ingredientes * 500g de couve-flor picadinha * 300g de brócolis picadinho * sal a gosto Para o creme: * 1 cebola média cortada em pedacinhos * ½ xícara de margarina * 5 colheres (sopa) de farinha de trigo * 2 ½ xícaras de leite * 1 colher (sopa) de suco de limão * sal e pimenta-do-reino a gosto Modo de fazer: Cozinhe as flores de couve-flor e brócolos em água e sal por 10 minutos ou até ficarem macias porém consistentes; escorra e reserve; Prepare o creme: refogue a cebola na margarina, junte a farinha de trigo e mexa bem, até dourar. Acrescente o leite aos poucos, sem parar de mexer; Deixe cozinhar até engrossar e ferver; Retire do fogo e tempere com sal, pimenta do reino e caldo do limão; Arrume a couve-flor e o brócolis numa travessa e cubra com o molho; Sirva quente. Rendimento: 08 porções

Tempo de preparo e cozimento: 25 minutos Sugestão: acrescentar 1 colher (café) de noz-moscada no molho.

Os melhores meses para compra
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

*

*
Autores:

*

*

  

Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Maria José L. F. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF

 
Fotos: Paulo de Araújo / CBPress

Mário Felipe de Melo — Eng. Agrônomo — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças

Embrapa Hortaliças Internet: http://www.cnph.embrapa.br Email: sac@cnph.embrapa.br Emater DF Email: geral@emater.df.gov.br

Espinafre

O super-herói das hortaliças
Duas hortaliças diferentes são conhecidas como espinafre. O verdadeiro, consumido pelo herói Popeye das estórias em quadrinhos, é originário da Ásia e pertence à família Chenopodiaceae. O outro espinafre, da Nova Zelândia, é facilmente encontrado no mercado brasileiro. Possui folhas triangulares, de cor verdeescura e pertence à família Aizoaceae. Nesta cartilha, somente o espinafre da Nova Zelândia será considerado. O espinafre é uma hortaliça saborosa, rica em ferro e excelente fonte de vitaminas A e B2, além de fornecer cálcio, fósforo, potássio e magnésio, sendo particularmente indicado para pessoas com anemia e desnutrição.

COMO COMPRAR

O espinafre deve estar limpo, com as folhas de cor verde uniforme, sem sinais de murchamento. Não compre se as folhas estiverem com cor verde-amarelada, ou se as folhas e talos estiverem com pontos escuros. O espinafre já higienizado e embalado deve estar exposto em gôndolas refrigeradas. Verifique sempre o prazo de validade. Depois de comprado, deve ficar pelo menor período de tempo possível fora da refrigeração. Melhores preços são alcançados de julho a novembro.

COMO CONSERVAR
O espinafre deve ser mantido preferencialmente na geladeira, pois tem durabilidade muito baixa. Sob refrigeração, pode ser mantido por no máximo 5 dias. Em condição ambiente, pode ser mantido de um dia para o outro, desde que o maço seja imerso em uma vasilha com água e mantido em local fresco. Antes de colocá-lo na geladeira, lave as folhas, escorra o excesso de água e coloque-o em sacos de plástico perfurados ou em vasilha de plástico rígido. O espinafre não deve ser colocado no mesmo saco de plástico onde estão frutas maduras ou hortaliças como o tomate, pois neste a cor mudará de verde para amarelo mais rapidamente. Para congelar, lave bem o espinafre, seque-o com um pano limpo ou deixe escorrer naturalmente. Embale-o em saco de plástico e retire o ar. Pode ser conservado por 30 dias.

COMO CONSUMIR
Antes de cozinhar o espinafre, lave as folhas em água corrente e escorra o excesso de água. A água retida nas folhas, em geral, é suficiente para o cozimento. Se necessário, acrescente pequena quantidade de água, de modo a preservar as vitaminas. Cozinhe somente pelo tempo necessário para que as folhas murchem e fiquem macias. Se preferir, cozinhe no vapor, usando uma panela própria ou improvisando com uma peneira colocada sobre uma panela com água fervente. O espinafre também pode ser usado em sopas, suflês, omeletes. É ótimo como recheio ou acompanhamento de massas como macarrão, quiche, tortas, pastéis e assados. Folhas bem novas, podem ser usadas cruas em salada. Para usar o produto congelado, descongele-o em água fervente com sal ou diretamente durante o preparo de pratos cozidos.

DICAS
* Os talos podem ser utilizados em sopas, feijão ou em refogados com temperos e ovos batidos. * Experimente usar o espinafre refogado, com azeite de oliva, cebola e passas brancas como recheio de sanduíche, com pão integral ou pão francês. * Temperos para o espinafre: limão, cebola, cheiro-verde.

Receitas

Tortinhas de espinafre e queijo
Ingredientes: * 1/2 maço de espinafre picado, aferventado rapidamente por 2 minutos e escorrido * 1/2 xícara (chá) de queijo prato ralado * 5 colheres (sopa) de farinha de trigo * 1 cebola grande picada *4 colheres (sopa) de margarina * 1 colher (sopa) de margarina para untar a forma * 3 ovos batidos ligeiramente * 1 xícara (chá) de creme de leite fresco * 4 colheres (sopa) de cheiro verde picado * Sal e pimenta a gosto * 2 dentes de alho picados Modo de fazer: * Numa panela refogue a cebola e o alho na margarina, junte o espinafre e refogue; *Misture o espinafre com queijo ralado e a farinha de trigo e reserve; *Numa vasilha coloque os ovos, o creme de leite e o cheiro verde, tempere com sal e pimenta; *Coloque a mistura com ovos sobre o refogado de espinafre e mexa bem; *Coloque em forminhas individuais untadas com margarina e leve para assar em forno pré-aquecido em temperatura moderada (180ºC) em banho-maria pelo tempo necessário para que as tortinhas fiquem bem assadas (cerca de 20 minutos). *Sirva-as quentes. Rendimento: 14 tortinhas. Tempo de preparo: 50 minutos. Sugestão: se quiser, acrescente carne moída, frango ou presunto.

Arroz com espinafre
Ingredientes: * 2 xícaras (chá) de arroz * 2 xícaras (chá) de espinafre * 2 colheres (sopa) de cebola ralada

Rendimento: 12 porções. * Bata o espinafre no liqüidificador com parte da água do pré cozimento. envolva-a com filme plástico e deixe na geladeira por 30 minutos. acrescente o queijo e sirva quente. com a panela meio destampada. reserve. * Junte o espinafre batido ao arroz e cubra com a água restante do pré-cozimento. Agrônomo — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fotos: Carlos Vieira / CBPress . tempere com sal e deixe cozinhar em fogo baixo. refogue as folhas sem batê-las no liqüidificador juntamente com o arroz. frite a cebola e o alho. Modo de fazer: * Pré-cozinhe o espinafre por 2 minutos com uma xícara de chá de água. Quiche de espinafre Ingredientes: Massa * 1 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo * 6 colheres (sopa) de margarina gelada cortada em pedacinhos * 1 ovo * 1 colher (chá) de sal Recheio * 1 maço pequeno de espinafre lavado. Unte uma forma de quiche de 24cm de diâmetro. distribua por cima o espinafre e novamente com o restante da mistura. Fure o fundo da massa com um garfo. tire do forno e sirva morno. adicione o arroz misture e refogue. * Se necessário. * Após os 30 minutos. acrescente mais água para completar o cozimento. * Leve para assar num forno pré-aquecido em temperatura média (180ºC). Tempo de preparo: 35 minutos Rendimento: 6 porções. * Coloque numa tigela os ingredientes da massa e misture com as pontas dos dedos até obter uma massa homogênea. Reserve esta mistura. * Coloque o óleo numa panela. com exceção do espinafre. Faça uma bola com a massa. espremido e picado * 400g de ricota desmanchada com o auxílio de um garfo * 1/4 xícara (chá) de cebola ralada * 1/4 xícara (chá) de salsa picadinha * 3/4 xícara (chá) de queijo parmesão ralado * 1 colher (sopa) de farinha de rosca * 2 ovos batidos * 1/2 lata de creme de leite * sal e pimenta a gosto Modo de fazer * Misture todos os ingredientes do recheio. por cerca de 35 minutos ou até o recheio ficar dourado. F.* 1 dente de alho picado * 3 colheres (sopa) de azeite * sal a gosto * 4 colheres (sopa) de queijo minas meia cura ralado no ralo grosso. Sugestão: a ricota pode ser substituída por outro tipo de queijo. Quando o arroz estiver cozido. cubra com a massa e apare a borda. abra a massa com um rolo. Tempo de preparo: 1h 20min. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:      Maria José L. * Coloque um pouco da mistura do recheio sobre a massa. cozido. entre duas folhas de plástico até ficar numa espessura de 3mm. Sugestão: se desejar. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Mário Felipe de Melo — Eng.

sem sinais de brotação. pimenta. desde que mantidos em local arejado. O inhame japonês apresenta rizomas grandes (100-200g).df. é saboroso na forma de refogados. Não é necessário retirar cascas grossas para evitar desperdícios. Os inhames devem estar firmes. DICAS * Experimente servir o inhame cozido coberto com mel ou melado no café da manhã ou como sobremesa. sal. ocorrem de junho a setembro. cebolinha. Também é rico em vitaminas do complexo B e sais minerais como cálcio. bolos e sobremesas.br Email: sac@cnph. ovais.embrapa. sempre evitando deixar o produto ao fogo por tempo excessivo. fósforo e ferro. O cozimento pode ser feito em água ou no vapor. dentro de sacos de plástico. saladas. assim como o cará e a taioba. com poucos pêlos na casa. o inhame pode ser temperado com açúcar mascavo.br Emater DF Email: geral@emater. noz-moscada. e portanto os menores preços. salsa.gov. sem áreas amolecidas ou enrugadas e sem sinais de mofo. onde pode ser mantido por até 6 meses. COMO CONSUMIR O inhame somente é consumido após cozimento. Se ele não for utilizado imediatamente. enquanto os rizomas de inhame chinês são menores. cebola. lave-os bem. Originou-se na Ásia. Também pode ser industrializado na forma de farinha. É uma hortaliça de fácil digestibilidade. Amasse até formar um purê. Muito usado em sopas. Para descongelar deixe-o em temperatura ambiente ou descongele diretamente durante o preparo do prato. espalhou-se para a América através da África e vem sendo cultivado há mais de 2400 anos na Índia e há mais de 2000 anos no Egito. Os tipos mais comuns no mercado brasileiro são o japonês e o chinês. * Além do mel. Receitas . pães. COMO COMPRAR A maior oferta de inhame. para que não ocorra grande perda de vitaminas. Se quiser. Coloque em vasilha de plástico tampado e leve ao congelador. devem ficar na parte inferior. Para congelar. ovais e com ponta afilada como um pião. acrescente margarina na proporção de 1 colher de chá para cada 1/2kg de inhame e misture bem. Quando colocados em geladeira doméstica.Embrapa Hortaliças Internet: http://www. COMO CONSERVAR Os inhames não precisam ser mantidos em geladeira pois se conservam em condição natural por até 10 semanas.br Inhame Opção para todas as refeições O inhame é um rizoma rico em carboidratos sendo uma excelente fonte energética. açafrão. descasque-os e cozinhe-os até que fiquem macios.embrapa. é preciso deixá-lo em uma vasilha com água para que não escureça.cnph. escuro e seco. Pertence à família Aracea. Se houver formação de gotículas de água dentro da embalagem recomenda-se perfurá-la com um garfo.

arrume os inhames descascados em um refratário untado. * 1/2 xícara (chá) de cebolinha verde. Modo de fazer l Lave bem os inhames e cozinhe inteiros em água e sal. * 01 cebola média picada. em seguida cubra com o molho. mexa e desligue o fogo. * 1/2 xícara (chá) de água. l Tome pequenas porções da massa com uma colher. * Sal. * 1 ovo grande. l Faça uma outra camada de inhame e cubra com o restante do molho. * Óleo para fritar. l Numa panela. Em seguida. pimenta a gosto. descascados e cortados em rodelas. l Frite em óleo quente. * 1/4 de xícara (chá) de melado. o melado e a manteiga e deixe cozinhando por 5 minutos.Inhame glaçado Ingredientes: * 6 inhames médios cozidos. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * Autores:    Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. * 01 colher (sopa) de óleo. l Despeje esta calda sobre os inhames e asse por 20 minutos ou até que estejam bem glaçados ( com aparência lustrosa). em ponto mole. Inhame à Bolonhesa * 250 g de inhame. * 01 colher (chá) de orégano. misture o açúcar. coloque a água. l Coloque uma camada de inhame numa assadeira untada. * 6 colheres (sopa) de farinha de trigo para dar liga. * 01 xícara (chá) de carne moída. o sal e a pimenta e misture. * 1/2 xícara (chá) de açúcar mascavo Modo de fazer: l Leve ao forno em temperatura média. acrescente a carne e refogue. polvilhe com queijo ralado e leve ao forno por 10 minutos. molhando-os frequentemente. com calda. mexendo sem parar. cebola. mexa e deixe cozinhar formando um molho. Bolinho frito de Inhame (Cortesia: Olga Falqueto Altoé) * 500 gramas de inhame cru descascado e ralado tipo palha. pimenta. no café da manhã. Modo de fazer: l Misture todos os ingredientes. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo: 35 minutos Sugestão: sirva quente. l Doure a cebola e o alho no óleo. * 1 colher (sopa) de manteiga ou margarina. l Junte o molho de tomate. corte-os em rodelas e reserve. * 01 colher (sopa) de queijo ralado. cebolinha e temperos a gosto. * Sal. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças . * 01 lata de molho de tomate. ou trocar a carne por frango. * 01 dente de alho amassado. * Óleo para untar a forma. Rendimento: cerca de 40 unidades Tempo de preparo: 30 minutos Sugestão: pode-se acrescentar carne à massa. No final do cozimento acrescente a cebolinha e o orégano. Rendimento: 05 porções Tempo de preparo e cozimento: 35 minutos Sugestão: pode-se mudar o molho.

quando os preços são mais acessíveis. devendo ser utilizadas no preparo de pratos cozidos. faça como o purê de batata. recém colhidas. imediatamente após tirá-las do congelador. Pertence à família Apiácea. devem apresentar cor amarelo-intensa. provavelmente a partir da Colômbia. durante o preparo do prato. O descongelamento é feito diretamente ao fogo. Também substitui a batata na forma de chip ou palha. deve-se evitar embalar as raízes com plástico.df. o anis. a salsa. o salsão ou aipo e o funcho. As raízes congeladas não se prestam para a elaboração de frituras. * A mandioquinha é um alimento recomendado para atletas e profissionais com alto gasto energético.embrapa. Em condição ambiente. F. quando embaladas em saco de plástico e mantidas em geladeira doméstica. Devido a fácil digestibilidade de seu amido. * Pessoas em regime de emagrecimento devem consumi-la com moderação. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. bolos ou em saladas frias e maionese. secas com papel absorvente e colocadas em saco de plástico. suflês. DICAS * Experimente fazer purê de mandioquinha. pois possui muita caloria . batata-salsa ou cenoura amarela é uma hortaliça rica em fósforo. Para a retirada da casca. somente substitua a batata por mandioquinha.   Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. Raízes frescas se conservam por até cinco dias.br Email: sac@cnph. áreas amolecidas ou manchas escuras. Algumas cultivares produzem raízes brancas. com ferimentos. COMO CONSERVAR As raízes se deterioram muito rapidamente. introduzida no Brasil no início deste século. de pessoas idosas e convalescentes. a mandioquinha-salsa é muito saborosa quando utilizada na elaboração de pães. o coentro. biscoitos. As raízes devem ser lavadas. COMO CONSUMIR Tradicionalmente consumida como sopa. canjas. É uma raiz tuberosa originária dos países andinos (Equador-Peru). do qual se retira todo o ar com um bombinha de vácuo. também conhecida por batata-baroa. é amplamente recomendada para alimentação infantil. sendo também uma importante fonte de energia em função do seu alto teor de carboidratos. que podem apodrecer mais rapidamente. Evite comprar raízes cortadas. como a cenoura. As raízes frescas.gov. vitamina A e niacina. papinha para alimentação de bebês e ensopados.br Mandioquinha-salsa Popular no mundo todo A mandioquinha-salsa. mas deve-se evitar aquelas com tamanho superior a 25cm. COMO COMPRAR A mandioquinha-salsa é produzida durante todo o ano. que podem ser fibrosas por terem sido colhidas de plantas velhas.br Emater DF Email: geral@emater. porém estas não são comuns no mercado brasileiro. nhoque. O tamanho das raízes não é muito importante. A mandioquinha-salsa crua pode ser congelada. as raízes são raspadas com uma faca sob água corrente.embrapa. Agrônomo — Emater-DF Maria José L.cnph. entretanto a safra se concentra no período mais frio. chegando a apodrecer em 24 horas em temperatura ambiente.

Se necessário. Rendimento: 4 porções Tempo total de preparo e cozimento: 60 minutos Sugestão: pode ser servido com molho branco Sopa Creme Ingredientes: . Descasque e cozinhe as mandioquinhas-salsas em bastante água com sal. . farinha de trigo. colorau e cominho. cortando-a depois em pedaços de 2 a 3 cm de comprimento. . Agrônomo — Emater-DF . 1/2 kg de mandioquinha crua. o sal e a margarina e amasse bem. . de modo a poder enrolar a massa. sal. 1 colher (sopa) de salsinha (ou coentro) picada . 4 colheres (sopa) de cebola picada . Deixe esfriar bem antes de desenformar. pimenta. Adicione o ovo. adicione mais um pouco de farinha. Refogue a cebola. ralada no ralo fino. pimenta. Enrole a massa em tiras de aproximadamente 1 cm de diametro. neste ponto estarão cozidos Deixe escorrer bem e coloque-os em uma vasilha refratária. Amasse-as bem como para a preparação de purê. . Retire-os com uma escumadeira quando boiarem na água.Receitas Receita de Nhoque de Mandioquinha-salsa Ingredientes: 1/2 kg de mandioquinha-salsa 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo 1 ovo inteiro e 1 gema 1 colher (sopa) de margarina a temperatura ambiente sal à gosto Modo de fazer: Descasque e cozinhe as raízes. Sirva com queijo ralado. 1 lata de leite condensado . 1 xícara (chá) de leite de coco . Misture bem todos os ingredientes. Unte forminhas de empada e polvilhe levemente com açúcar. Modo de fazer: . a gema. . 6 ovos . Bata as raízes no liquidificar com a água de cozimento suficiente pra obter consistência de creme. 1 colher (sopa) de manteiga ou margarina . Rendimento: 30 unidades Tempo total de preparo e cozimento: 60 minutos Sugestão: o leite de coco pode ser substituído por leite de vaca com 1/2 xícara de chá de coco ralado fresco ou hidratado. polvilhe com queijo parmesão ralado e leve ao forno para gratinar. de preferência no vapor. a salsinha (ou coentro) em óleo ou bacon e tempere com sal. Rendimento: 8 porções Tempo total de preparo e cozimento: 25 minutos Sugestão: pode-se complementar com carne moída Bom bocado de Mandioquinha IIngredientes . Leve ao forno por 40 minutos . 1 kg de mandioquinha-salsa . cominho e colorau Modo de fazer: . Cubra com molho de tomate ou molho com carne moída à gosto. deixe levantar fervura. 4 colheres (sopa) de óleo ou 100g de bacon picado . Fonte: CEASA/DF Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:  Mário Felipe de Melo — Eng. Mergulhe os nhoques em água fervente com um pouco de óleo. Acrescente o creme de mandioquinha-salsa. 1/2 xícara de queijo ralado . .

COMO CONSUMIR O maxixe é consumido tradicionalmente na forma cozida ou refogada. DICAS * No caso de pratos cozidos ou ensopados. acrescente os maxixes no final. para evitar desperdícios. * Temperos que podem ser usados: sal. devem ser colocados na parte mais baixa.     Rita Fátima A. É um fruto originário da África. podendo ser mantidos sem perda de qualidade por no máximo três dias. Para consumo cozido ou cru. introduzido no Brasil pelos escravos. Os frutos já raspados devem ser mantidos em geladeira. com sabor ruim e sementes duras. azeite. já lavado.br Emater DF Email: geral@emater. Este produto deve estar exposto em gôndolas refrigeradas.br Email: sac@cnph. os frutos devem ser lavados em água corrente e higienizados com uma mistura de 1 litro de água filtrada e 1 colher de sopa de água sanitária. por até uma semana. O maxixe é uma Cucurbitacea. com cor uniforme. com os espinhos inteiros. O maxixe pode ser encontrado na forma minimamente processada. Quando consumido na forma crua. ainda pouco conhecida no Centro-Sul do país. prefira frutos mais verdes. com casca espinhosa ou lisa. ou seja.br Maxixe Sabor do nordeste O maxixe é uma hortaliça tradicional no Nordeste. melão e melancia. pois sua durabilidade é menor do que a do maxixe inteiro. . limão. Os frutos são fonte de sais minerais. como as abóboras. pimenta. Para salada. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Maria José L. Na maxixada. O maxixe cru pode ser usado na forma de salada em substituição ao pepino. Escolha frutos firmes. COMO CONSERVAR Em condição ambiente. quiabo e temperos. pepino. o maxixe deve ser previamente descascado. Na geladeira. os frutos murcham e amarelecem rapidamente. de cor verde clara. murcham mais rapidamente e escurecem nas áreas danificadas.gov. COMO COMPRAR Os frutos são ovalados.embrapa. A maior oferta e os menores preços vão de novembro a maio. principalmente zinco. que por serem mais velhos tornam-se fibrosos. raspando o fruto com uma faca ou retirando uma casca bem fina.embrapa. Deixe os frutos de molho por 30 minutos e enxágüe em seguida em água filtrada. embalados em saco de plástico ou vasilha tampada.cnph. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Fotos: Nehil Hamilton / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Quando machucados. raspado e embalado. por isso escolha os frutos com cuidado sem amassá-los ou ferí-los com a unha. e têm poucas calorias.F. Se houver formação de gotículas de água no interior da embalagem. O maxixe possui a casca fina e delicada. abóbora.df. é cozido juntamente com carnes. fure o plástico com um garfo. que ainda não formaram sementes. cebolinha. para evitar cozimento excessivo. * O maxixe fica delicioso quando cozido no caldo de feijão. prato típico do Nordeste. acondicionados em sacos de plástico. Evite frutos amarelados.

raspe-os casca com uma faca e corte-os em rodelas finas. misturando bem. l Em uma tigela. * Quando o maxixe estiver cozido. com o caldo do cozimento * 06 maxixes. * Em seguida. acrescente a cebolinha e a salsinha e desligue o fogo. junte o alho e frite. junte o alho e frite. deixe dourar. sal e pimenta. acrescente a cebola. raspados e cortados em 04 partes * 02 colheres (sopa) de óleo * 01 cebola pequena cortada em cubos * 01 dente de alho amassado * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * sal e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Aqueça o óleo. junte os ovos e mexa bem. raspados e cortados em cubinhos * 01 colher (sopa) de azeite * 02 colheres (sopa) de margarina * 02 ovos batidos * 01 cebola pequena cortada em cubos * 02 dentes de alho amassados * 1/2 xícara (chá) de farinha de mandioca * sal e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Aqueça o azeite e a margarina. acrescente a cebola. deixe dourar. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ .Receitas Salada de Maxixe Ingredientes: * 08 maxixes * 1/2 xícara (chá) de vinagre branco * 1 colher (sobremesa) de açúcar * 02 colheres (sopa) de salsinha e cebolinha picadas * sal e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Lave bem os maxixes. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo e cozimento: 10 minutos Sugestão: sirva com arroz branco e carne seca Farofa de maxixe Ingredientes: * 06 maxixes. * Acrescente o maxixe e refogue até ficar macio. * Tempere com sal e pimenta. * Sirva gelado. misture todos os temperos e acrescente o maxixe. * Acrescente o feijão. Rendimento: 02 porções Tempo de preparo: 10 minutos Sugestão: Pode-se temperar com iogurte. * Quando o caldo ferver. junte o cheiro verde e a farinha de mandioca e mexa bem. cubra-o com o caldo e deixe ferver. Ensopado de maxixe Ingredientes: * 200 g de feijão cozido. junte os maxixes. Rendimento: 04 porções Tempo de preparo e cozimento: 10 minutos Sugestão: pode enriquecer com outras hortaliças.

pois em condição ambiente perde rapidamente o sabor adocicado. assado ou cozido. Para consumo em saladas. Cuidado com o milho embalado em filme ou saco de plástico. deve ser mais desenvolvido. COMO CONSERVAR O milho verde perde a qualidade rapidamente após a colheita. Em condição ambiente. dura no máximo um dia. sem brilho e seco. Apresenta grande capacidade de adaptação a diversos climas. O milho para curau. existem variedades denominadas milhodoce. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Moura / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. com ou sem palha. sendo assim um alimento energético. apresenta-se tenro. porém macios e leitosos. No Brasil.br Milho verde Fuja do trivial O milho é uma planta da familia Gramineae. Neste caso. O milho é rico em carboidratos. B2 e E. que têm sabor mais adocicado.br Email: sac@cnph. enquanto os grãos mais desenvolvidos são de cor amarela fosca. A palha deve apresentar-se com aspecto de produto fresco e cor verde viva. o que é percebido pelo cheiro azedo. fica duro e ‘‘farinhento‘‘ e pode deteriorar-se.embrapa.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. Este produto exige refrigeração. originária da América Central. com cor brilhante e transparente (cristalina). em climas úmidos e regiões secas.* * * * * * * Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. preste atenção à coloração dos grãos. neste caso. Também é fonte de óleo e fibras e fornece pequenas quantidades de vitaminas B1.gov. nos hemisférios norte e sul.br Emater DF Email: geral@emater. sendo plantado em praticamente todas as regiões do mundo. preso na ponta da espiga. prefira os grãos mais novos. O milho mais novo tem os grãos de cor amarela clara brilhante e cristalina. Os grãos devem estar bem desenvolvidos. devido ao maior teor de açúcares. o mesmo milho plantado para colheita de grão seco é colhido ainda verde para consumo. ao nível do mar e em regiões montanhosas.cnph. Mesmo quando não se . pamonha e outros pratos semelhantes. No caso da espiga sem palha. angu.df. o ‘‘cabelo‘‘ do milho apresenta-se com cor amarronzada.embrapa. o ‘‘cabelo‘‘ do milho. Além do milho verde comum. mingau. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. F. COMO COMPRAR O milho verde pode ser comprado na espiga. O mesmo se aplica para os grãos vendidos separados da espiga.

colocando o milho em água gelada pelo dobro do tempo que foi gasto no pré-cozimento. faça o resfriamento. Para congelar somente os grãos. o sabuguinho. manjericão. numa vasilha com água. com vantagem. cozido ou assado na espiga. Coloque os grãos numa bandeja ou vasilha aberta e deixe no congelador até que endureçam. retire-os da espiga com uma faca afiada. Em seguida. cremes. cozidas e espremidas * 2 colheres (sopa) de margarina * 1/4 xícara (chá) de leite * 2 ovos * 1 xícara (chá) de farinha de trigo * 1 colher (sobremesa) de fermento em pó * 1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado * sal e pimenta a gosto Recheio * 2 xícaras (chá) de milho cozido * 1 cebola média picadinha * 1 colher (sopa) de azeite * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * 1 colher (sopa) de farinha de trigo * 1 dente de alho amassado * 1 colher (sopa) de tomilho * 1 colher (café) de noz-moscada * 1 lata de creme de leite * sal a gosto Modo de fazer: Recheio * Refogue a cebola e o alho no azeite. descongele-o em água fervente ou use diretamente no cozimento do prato. retire as folhas e os cabelos. a noz-moscada e mexa sem parar até formar um creme grosso. suflês. Para congelar o milho na espiga. ele pode ser mantido. Como sobremesa pode ser usado em bolo. mingau ou curau. Receitas Torta de milho verde Ingredientes: Massa * 4 batatas grandes. os grãos ficarão mais duros. * Acrescente os ovos. 3 a 5 minutos no vapor. junte o creme de leite. faça o resfriamento da mesma maneira que para a espiga. refogado com temperos. ou 3 a 4 minutos no microondas. sorvete. o milho. * Temperos que combinam: canela. faça o pré-cozimento por 3 minutos em água fervente. Para usar o produto congelado. Como o milho verde suporta baixas temperaturas. O milho doce deve não se presta para a elaboração de pamonha. Croquete de milho verde Ingredientes: * 2 xícaras (chá) de milho verde * 1/2 xícara (chá) de leite . em sopas e cozidos. * Retire do forno.deterioram neste período os grãos ficam com o sabor e a textura prejudicados. pimenta. Em pratos salgados pode ser preparado em sopas. O milho novinho. farofas e saladas. Retire a bandeja do freezer. junte a farinha de trigo e mexa sem parar. o queijo. * Por último. a farinha. conserva-se no máximo por 3 dias. pode ser preparado com carne. pães. por ter baixo teor de amido. sal. Sugestão: a massa de batata pode ser trocada por massa de farinha de trigo. * Deixe esfriar. na forma de pamonha. Sirva quente. polvilhe o restante do tomilho sobre a massa. orégano. Rendimento: 12 porções. noz-moscada. Seque com papel absorvente. o cheiro verde. lave bem as espigas usando uma escova macia e faça o pré-cozimento em 3 a 4 minutos em água fervente. * Em seguida. como recheio para qualquer prato. ou seja. cebola. acressente metade do tomilho. pudim e creme. Em seguida. tomilho. alho. coloque em saco plástico e congele. curau e mingau. * Em seguida. o sal e deixe refogar. na parte mais alta da geladeira. o leite. cebolinha-verde. o fermento e o sal e mexa até obter uma mistura homogênea. DICAS * O milho verde não deve ser cozido em excesso. Na geladeira. Não se esqueça de colocá-lo em saco de plástico para que os grãos não murchem rapidamente. Tempo de preparo: 1 hora e 30 minutos. Consumir o milho verde somente nestes pratos tradicionais é desconhecer as inúmeras possibilidades do uso desta hortaliça na culinária. Massa * Junte a margarina à batata ainda quente e misture bem. * Coloque numa forma untada. ainda em formação. numa vasilha com água. em seguida. açúcar. embale os grãos em sacos de plástico e leve novamente ao congelador. 6 minutos no vapor. pois ao contrário do que se pensa. em bolinhos. Acrescente o sal apenas no final do cozimento. ou 4 a 5 minutos no microondas. coloque o recheio frio sobre a massa e leve ao forno pré-aquecido em temperatura alta por 40 minutos. espalhando bem. COMO CONSUMIR O milho-verde é muito apreciado em todas as regiões do Brasil. cozido com mel.

br Email: sac@cnph. linguiça ou carne de sol.br Emater DF Email: geral@emater. Rendimento: 12 porções. Tempo de preparo: 2 horas e 40 minutos.embrapa.df. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Mário Felipe de Melo — Eng. até a massa ficar dourada. Sugestão: pode se acrescentar carne moída e tomates picados. mexendo bem. * Deixe esfriar. o queijo pode ser substituído por bacon. leve ao fogo e mexa sem parar até que a massa solte do fundo da panela. * Em seguida. antes de servir.* 1/2 xícara (chá) de cheiro verde * 1/2 cebola picada * 5 colheres (sopa) de farinha de trigo * 1 colher (sopa) de margarina * 1 colher (sopa) de queijo ralado * pimenta e sal a gosto * óleo para fritar * Farinha de rosca para empanar Modo de fazer: * Bata no liquidificador todos os ingredientes. Sugestão: nesta massa.br . Agrônomo — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. * Despeje numa panela. leve para assar em forno pré-aquecido em temperatura alta. F.gov. junte o cheiro verde. do cheiro verde e da farinha de rosca. * Unte uma fôrma de pão e despeje a massa. Bolo salgado de milho Ingredientes: * 4 xícaras (chá) de milho verde batido no liquidificador ou ralado * 2 dentes de alho picados * 1 cebola média picada * 1 xícara (chá) de cheiro verde * ¾ xícara (chá) de manteiga derretida quente * 1/4 xícara (chá) de óleo quente * 2 xícaras (chá) de queijo meia cura ralado * 3 ovos * 1 xícara (chá) de leite * sal e pimenta a gosto Modo de fazer: * Coloque a massa numa bacia e despeje a margarina quente sobre a massa. com exceção do óleo.cnph. modele os croquetes e passe na farinha de rosca. Tempo de preparo: 50 minutos. Rendimento: 24 croquetes. * Frite em óleo quente e coloque sobre papel absorvente. junte o restante dos outros ingredientes e misture.embrapa. Os melhores meses para compra JAN FEV MA R ABR MAI J U N JUL AGO SET OUT NOV DE Z * * * * * Autores:      Maria José L.

Pepino Ideal para dias quentes O pepino é uma Cucurbitácea assim como as abóboras. Foi trazido para a América por Cristóvão Colombo. recomenda-se mastigá-lo bem. B2. sua durabilidade é menor. a melancia e o melão. Os menores preços de pepino ocorrem de outubro a janeiro. Deixe os frutos de molho por 30 minutos e enxague em seguida em água filtrada. e de sais minerais. Compre somente quando esse produto estiver exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação. B1. orégano * Para facilitar a digestão do pepino. O pepino deve ser colocado na parte inferior da geladeira. Frutos muito grandes. O pepino pode ser comercializado já picado. Em geladeira. Também é excelente para incrementar sanduíches de carne ou frango. sabor e aparência. pimenta. azeite. sal. mais finos e alongados que os anteriores. sopas quentes ou frias. 3) pepino do tipo japonês. embalado em sacos de plástico ou bandejas recobertas por filme de plástico. Escolha os frutos com cuidado para não danificá-los pois os ferimentos e amassamentos prejudicam sua qualidade e reduzem sua durabilidde. África e Europa. 2) pepino do tipo caipira. O pepino tipo Aodai deve ser consumido sem a casca. Frutos consumidos crus devem ser lavados em água corrente e higienizados com uma mistura de 1 litro de água filtrada e 1 colher de sopa de água sanitária. com reentrâncias na casca. estrias brancas e casca lisa. * O pepino batido no liquidificador com água e mel serve para as mãos ressecadas por detergente. Originário da Índia. Prefira frutos firmes e com casca brilhante. limão. que já iniciaram o amadurecimento somente são recomendados para consumo na forma refogada. Para a produção de picles. com frutos verde-escuros e casca lisa. tem sido cultivado desde a Antiguidade na Ásia.O pepino contém pequena quantidade de vitaminas A. C. o chuchu. a indústria utiliza variedade próprias para conserva. com frutos verdeescuros brilhantes. COMO CONSUMIR Os pepinos são consumidos essencialmente crus na forma de saladas ou picles mas também podem ser usados cozidos e recheados. COMO COMPRAR Os frutos mais comumente encontrados no mercado brasileiro podem ser de três tipos: 1) pepino do tipo Aodai. dentro de sacos de plástico perfurado. Frutos muito pequenos são saborosos mas murcham mais rapidamente. DICAS * Temperos que combinam com o pepino: vinagre. pois a casca é de difícil digestibilidade. ideal para consumo em dias quentes. em refogados. Receitas SALADA DE PEPINO ENIQUECIDA Ingredientes: * 3 pepinos médios cortados em fatias finas * 150g de queijo minas fresco cortado em cubo * 1 tomate sem semente cortado em cubos * 1 colher (sopa) de cebolinha verde picada . COMO CONSERVAR O pepino se estraga rapidamente se mantido em condição ambiente. juntamente com tomate e alface. É uma hortaliça refrescante. com frutos verde-claros. pode ser conservado por até uma semana sem grandes alterações na cor. pois quando os frutos estão descascados e picados.

o queijo. a pimenta e o orégano e distribua sobre as hortaliças Rendimento: 6 porções. orégano e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Junte o pepino. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. leve ao fogo. F. Tempo de preparo: 20 minutos Sugestão: este prato acompanha qualquer tipo de carne. * Acrescente o cheiro verde e misture. junte o pepino. o sal e a pimenta e refogue. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * * * * Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Rendimento: 4 porções Tempo de preparo: 15 minutos Sugestão: pode-se acrescentar outros temperos SALADA DE PEPINO COM IOGURTE Ingredientes: * 2 pepinos médios cortados em fatias finas * 1/2 copo de iogurte natural * 1 colher de sopa de cebolinha verde picada * Limão.cnph. PEPINO REFOGADO Ingredientes: * 2 pepino grandes cortados em fatias não muito finas e sem sementes * 2 colheres (sopa) de azeite * 1 colher (sopa) de cheiro verde picado * sal e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Coloque o azeite numa panela. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.embrapa.* 1 colher (sopa) de azeite * vinagre branco. sal.embrapa. orégano e pimenta à gosto Modo de Fazer: * Misture bem todos os ingredientes e sirva gelado. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. * Deixe cozinhar até que fique macios e consistentes. o sal. * Desligue o fogo.br Email: sac@cnph.gov.br .df.br Emater DF Email: geral@emater. a cebolinha e o tomate numa tigela: * Em seguida misture numa xícara o azeite. sal. o vinagre. Rendimento: 3 porções Tempo de preparo: 15 minutos Sugestão: o iogurte pode se substituído por creme de leite azedo.

os frutos devem ser deixados de molho por 30 minutos em solução de água sanitária (1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água fervida). Possui poucas calorias. crus em saladas. Os pimentões roxo e creme formam a exceção deste padrão. Os frutos colhidos muito novos são pequenos. Com relação a coloração. quando embalados em sacos plásticos perfurados e colocados na parte inferior. cozinhe-os previamente em água fervente por 3-5 minutos. retangular e cônico. DICAS * Para retirar a pele do pimentão coloque-o em água fervente por cerca de 1 minuto ou até romper a pele. e portanto. Quando consumido cozido é de digestão mais fácil do que quando cru. Quando o pimentão é consumido cru. Ao escolher os frutos deve-se manipulá-los com cuidado. pois apresentam esta cor desde o início de sua formação. Receitas Pasta de Pimentão Vermelho Ingredientes * 1/4 de xícara (chá) de iogurte natural. Os frutos maduros de algumas cultivares são utilizados para a produção de páprika (pimentão em pó). fósforo e ferro. Em seguida. Vale lembrar que a solução de água sanitária ou de vinagre não elimina resíduos de pesticidas ou agrotóxicos. o que indica que estão frescos. dependendo da variedade. Em geladeira doméstica podem ser mantidos por mais de uma semana. por 2 a 4 dias. os melhores preços. assados ou cozidos na elaboração de diversos tipos de pratos. ocorrem durante os meses de setembro a janeiro. COMO COMPRAR O pimentão é uma planta de verão. para não danificar os que serão adquiridos por outros consumidores. COMO CONSERVAR Os frutos podem ser conservados em condição natural. É um fruto originário do sul do México e América Central. amarelos ou alaranjados quando maduros. A maior oferta. como condimento no preparo de molhos. é fundamental higienizá-lo bem antes do consumo para eliminar microorganismos que possam estar na casca e causar doenças. Deve-se dar preferência aos frutos cujos talos foram cortados rentes. atualmente produzido também no inverno com o uso de cultivo em estufa. * Para preparar pimentões recheados. em local fresco. Há três tipos básicos de pimentão quanto ao formato: quadrado. tornando-se vermelhos. a berinjela e as pimentas. * 1/2 xícara de maionese * 2 pimentões vermelhos picados * 1 colher (chá) de molho inglês . pertencente à família das Solanáceas como a batata. o jiló. Após lavagem em água corrente. sem apertá-los ou quebrá-los. Os frutos devem apresentar-se limpos. o tomate. firmes e com casca brilhante. COMO CONSUMIR Os frutos podem ser consumidos verdes ou maduros. Também é fonte de cálcio. devem ser enxagüados com água filtrada. têm cor verde-pálida e murcham mais rapidamente. os frutos são verdes quando imaturos. O amadurecimento é acelerado quando os frutos são mantidos em condições naturais.Pimentão Fonte de vitaminas O pimentão é uma das hortaliças mais ricas em vitamina C e quando maduro é excelente fonte de vitamina A.

Salada de Pimentão Ingredientes * 2 fatias de pão de forma sem casca e cortadas em cubinhos * 1/2 xícara (chá) de nozes picadas * 2 colheres (sopa) de azeite * 2 colheres (sopa) de suco de limão * 1/2 cebola média picada * 1/2 pimentão vermelho médio. o suco de limão. *Leve à geladeira até a hora de servir. Despeje sobre a salada e misture bem. sem sementes. picado * sal e pimenta do reino à gosto. frite o alho em fogo médio. até amaciar os pimentões. o pimentão e misture. biscoitos e torradas. junte os cubinhos de pão. em seguida acrescente o restante dos ingredientes e deixe no fogo. o pimentão e o iogurte e bata até obter uma mistura homogênea.Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF  Mário Felipe de Melo — Eng. Pimentões Refogados Ingredientes: * 03 pimentões verdes grandes cortados em tiras * 02 colheres de sopa de azeite de oliva *01 dente de alho amassado *01 colher de chá de manjerona *Sal a gosto Modo de fazer *Coloque o azeite em uma frigideira. o molho de pimenta. Modo de fazer *Torre os cubinhos de pão de forma em forno pré-aquecido à temperatura média. Agrônomo — Emater-DF . Rendimento: 2 porções Tempo de preparo: 12 minutos Sugestão: sirva com acompanhamento de carne assada Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:     Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Numa tigela. *Junte o cheiro verde e misture. o molho inglês. o sal e misture. Rendimento: 1 1/2 xícara de chá Tempo de preparo: 10 minutos. mexendo de vez em quanto. as nozes. a cebola. Tempo de preparo: 10 minutos Rendimento: 04 porções Sugestão: Servir com carne assada. Sugestão: sirva com pães. Em uma vasilha pequena.* sal e molho de pimenta a gosto * 1/4 xícara (chá) de cheiro verde picado Modo de fazer *Coloque na jarra do processador a maionese. junte o azeite.

pimentão e cheiro verde.embrapa. Ou lave os frutos inteiros. na parte inferior da geladeira ou rápido. COMO CONSERVAR Após a colheita. corte as pontas e cabos e cozinhe-os. dentro de sacos de plástico. picados e acondicionados em saco de plástico. Após 15 minutos lave-os.br Quiabo O caipira que veio da África O quiabo é uma hortaliça pertencente à família Malvácea. Para congelar frutos inteiros. e em seguida deixá-los por 2 a 3 minutos em água fervente. com a maior oferta e os menores preços ocorrendo de janeiro a maio.br Email: sac@cnph. DICAS * Para evitar a baba. tenros e recém-colhidos. por 4 a 5 minutos no vapor.br Emater DF Email: geral@emater. Para congelar os frutos. deve-se lacrar o saco e levar ao congelador. sendo introduzido no Brasil pelos escravos. quando os frutos são pequenos (menores que 5 cm de comprimento). Frutos manuseados sem o devido cuidado tornam-se escuros rapidamente. estes devem ser levados. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Embrapa Hortaliças Internet: http://www.df. Pode ter sido originário da África ou da Ásia. fibroso e escurece em seguida. seque-os. * O suco de limão não deve ser utilizado durante o cozimento para retirar a baba. durante o preparo do prato. cozinhe ou frite o quiabo. deve-se secar os frutos e. somente o quiabo picado dá baba. Tradicionalmente utilizado no preparo de pratos típicos como frango com quiabo. COMO COMPRAR O quiabo é uma hortaliça de clima quente.cnph. retirando todo o ar com bombinha de vácuo. além de fornecer cálcio. Maria José L. secá-los. O quiabo não tolera temperaturas muito baixas por longo período de tempo. Os frutos devem ter cor verde intensa. F. Para verificar a qualidade dos quiabos não é preciso quebrá-los. em especial as vitaminas A. o quiabo deve ser consumido rapidamente pois fica murcho. somente remova as pontas. pois ficam escuros e deterioram-se. quando estes estiverem frios. também pode ser consumido cru. sem manchas escuras e com comprimento menor que 12 cm. caruru e com costelinha de porco. refogado ou frito. COMO CONSUMIR O quiabo é uma hortaliça de fácil preparo. Nesta condição. porém. O descongelamento dos frutos pode ser lento. é recomendável lavá-los. Por isso. ou por 3 1/2 a 4 1/2 minutos no microondas. direto ao fogo. Depois. esfreque-os com caldo de limão. Frutos acima de 12 cm e com coloração verde esbranquiçada (pálida) tendem a ser fibrosos e duros. C e B1. O fruto do quiabeiro é uma boa fonte de vitaminas. colocá-los em saco de plástico.embrapa. pois altera a cor e o gosto dos frutos. ele deve ser colocado na parte inferior da geladeira. Após. ele pode ser conservado por até uma semana. . Geralmente é consumido cozido. do qual se retira todo o ar com uma bombinha de vácuo. o quiabo também é saboroso no preparo de saladas frias com tomate.gov. serem firmes. Não é preciso descascá-lo.

frite a cebola e o alho até dourar. apenas para não ressecar. Rendimento: 4 porções Tempo de preparo e cozimento: 15 minutos Sugestão: sirva acompanhado de carne assada. Tempo de preparo: 20 minutos Rendimento: 04 porções Sugestão: pode acompanhar frango cozido e angu ou carne seca. escorra e passe em água fria. cobrindo-os completamente. l Acrescente o creme de leite. Reserve. l Passe os quiabos nos ovos batidos e depois no fubá.Receitas Quiabo à milanesa Ingredientes * 1/2 kg de quiabo lavado. Retire as duas pontas e corte-os em rodelas de mais ou menos 1 cm. tampe a panela e deixe cozinhar. seco e com a ponta cortada * 2 ovos * molho de pimenta à vontade * 1 colher (chá) de alho e sal * 1 colher (sopa) de molho inglês * Fubá para polvilhar * Óleo para fritar Modo de fazer l Ferva os quiabos por 8 minutos e escorra-os l Bata bem os ovos e tempere-os com os demais ingredientes com exceção do fubá. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ . Quiabo ao Molho de Curry Ingredientes * 1/2 kg de quiabo * 1 cebola picada * 3 colheres (sopa) de manteiga * 1 pimentão vermelho e 1 verde cortado em tiras * 1 a 2 colheres (chá) de curry * sal a gosto * 1 xícara de creme de leite Modo de fazer * Lave os quiabos. Abaixe o fogo. Se for necessário. acrescente os pimentões e o quiabo e frite rapidamente. seque-os e corte as pontas l Ferva os quiabos por 3 minutos em água com sal. Rendimento: 4 porções Tempo de preparo e cozimento: 20 minutos Sugestão: para enriquecer acrescente cebolinha picada aos ovos batidos. Quiabo refogado Ingredientes: * 1/2 kg de quiabo * 2 colheres (sopa) de óleo * 1 cebola média cortada em rodelas * sal e pimenta a gosto * 1 dente de alho amassado Modo de preparar * Lave os quiabos e enxugue-os bem. l Frite em óleo quente. * Coloque o óleo numa panela. até os quiabos ficarem macios. * Junte o quiabo e tempere com sal e pimenta. acrescente um pouquinho de água. l Polvilhe com o curry e misture. tampe a panela e cozinhe por 5 minutos. l Frite a cebola na manteiga.

couve-flor e brócoli. A casca é de cor branca. os construtores das pirâmides consumiam grandes quantidades de rabanete. Assíria.embrapa. originária da região Mediterrânea.gov. Era uma hortaliça muito apreciada no antigo Egito.br Emater DF Email: geral@emater. Grécia e Roma.* * * * * Autores:       Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Possui poucas calorias. Suas qualidades ainda são pouco conhecidas pelos brasileiros que o consomem em pequena quantidade. Atualmente o rabanete é muito consumido na cozinha asiática. apreciada pela polpa crocante e sabor picante. juntamente com cebola e alho.df.br Rabanete Enriqueça sua salada O rabanete é uma raiz tuberosa. enquanto a polpa é sempre branca.br Email: sac@cnph. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Moura / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. fósforo e fibras. podendo ser redonda. O rabanete redondo de casca vermelha é o preferido no mercado . sendo portanto recomendado para pessoas em ditas de emagrecimento. COMO COMPRAR A raiz tuberosa apresenta grande variação de tamanho e de forma. a mesma da couve. ou vermelha e branca. Agrônomo — Emater-DF Maria José L. No Egito. vermelha.embrapa. oval ou alongada. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng.cnph. F. Pertence à familia Brassicaceae. O rabanete é fonte de vitamina C.

Sirva gelado. Os rabanetes podem também ser preparados na forma de petiscos. antes das refeições. retire de cada rabanete uma quantidade de polpa suficiente para recheá-lo. podem ser consumidos cozidos ou com picles. consuma-o com pouco sal. *Escorra bem a água dos rabanetes e recheie-os. *Reserve a polpa e coloque os rabanetes cortados numa vasilha com água. Se houver formação de gotículas de água dentro do saco. Molho de rabanete e requeijão Ingredientes: *05 rabanetes pequenos cortados em pedacinhos *1/2 copo de requeijão cremoso *02 colheres (sopa) de suco de limão *1/2 xícara (chá) de cebolinha verde e salsa *01 colher (sopa) de manjericão verde *01 colher (chá) de orégano *sal e pimenta a gosto Modo de fazer *Misture todos os ingredientes e tempere com sal e pimenta a gosto. tem em média 3cm de diâmetro. em saladas. por isso devem ser mantidos preferencialmente em geladeira. as raízes são vendidas em maços. COMO CONSERVAR Os rabanetes murcham rapidamente. ser firmes e lisas. sem pontos escuros ou rachaduras. dentro de sacos de plástico. aproveite o restante da polpa refogado com carne ou em salada. Remova as folhas antes de armazená-los. Quando cozidos. as raízes ficam duras e esponjosas. Quando passadas. estimulando assim o consumo de outras hortaliças. O rabanete redondo. de cerca de 800g.brasileiro. ovos e peixes Sanduíche de rabanete e alface Ingredientes *01 xícara (chá) de rabanetes picadinhos *1/2 xícara (chá) de requeijão cremoso *1/2 xícara (chá) de maionese *01 colher (sopa) de limão . As folhas devem estar com aspecto de produto fresco. *O rabanete é um ótimo estimulante do apetite. azeite Receitas Rabanete recheado *16 rabanetes lavados *02 colheres (sopa) de sardinha ou atum amassado *01 colher (sopa) de azeitona picadinha *01 colher (sopa) de cheiro-verde picadinho *01 colher (chá) de suco de limão *01 colher (sopa) de maionese *sal e pimenta a gosto Modo de fazer *Com o auxílio de um colher de café. raízes maiores têm maior probabilidade de ser esponjosas. outras hortaliças. Combine-os com recheios e molhos de sua preferência. limão. junte todos os ingredientes a 1 colher (sopa) de polpa picada e misture bem. COMO CONSUMIR O rabanete é uma excelente alternativa para diversificar a dieta. O uso mais comum é na forma crua. Quando grandes. vinagre. pois quando estas são mantidas o produto murcha mais rapidamente. ajuda a decorar a salada quando cortado em rodelas e servido com tomate.O rabanete não precisa ser descascado para ser consumido. seque-os superficialmente com pano limpo ou com toalha de papel. fure-o com um garfo. As raízes devem ter a casca com cor uniforme. sal. por terem sido colhidas tardiamente ou por estarem há muito tempo na gôndola do supermercado. Rendimento: 05 porções Tempo de preparo: 20 minutos Sugestão: Sirva como entrada num jantar ou como acompanhamento de aperitivo. com cor verde brilhante. DICAS * A folha do rabaneta pode ser aproveitada para preparar sopas. *Temperos que combinam. Os melhores preços são alcançados de julho a outubro. Devido à sua cor e formato. *Para fazer o recheio. o sabor é menos picante. Em geral. Rendimento: 01 xícara de chá Tempo de preparo: 15 minutos Sugestão: Sirva com sanduíche. mais comum no mercado brasileiro. vinagre e sal enquanto prepara o recheio. uma alternativa mais saudável do que os pratos ricos em calorias geralmente utilizados. aipo e pepino. refogados ou recheio de tortas e bolinhos. cheiro-verde. Caso seja preciso lavar os rabanetes antes de armazená-los na geladeira.

br Emater DF Email: geral@emater.df. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Maria José L. Rendimento: 06 unidades Tempo de preparo: 15 minutos Fonte: CEASA/DF Os melhores meses para compra JAN FEV MA R ABR MAI J U N J U L AGO SE T OUT NO V DE Z * * * * Autores:       Mário Felipe de Melo — Eng.*01 colher (sopa) de limão *01 colher (sopa) de cheiro-verde *12 fatias de pão *1/2 xícara (chá) de salsa *01 dente de alho picadinho *sal e pimenta a gosto *04 folhas de alface picada Modo de fazer *Misture todos os ingredientes.F.br Email: sac@cnph.cnph.embrapa.gov. e tempere com sal e pimenta a gosto.embrapa. *Passe essa mistura numa fatia de pão e cubra com a outra fatia de pão.br Repolho . Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Fotos: Carlos Vieira / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www. Agrônomo — Emater-DF Rita Fátima A. com exceção do pão.

assim como a couve. As cabeças devem ser firmes. na proporção de 1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água filtrada. * 1 colher (chá) de cravo em pó. do sabor e das propriedades nutritivas. o repolho machuca-se com facilidade. Também fornece vitaminas B1. Receitas Salada de repolho roxo cozido Ingredientes: * 1 cabeça pequena de repolho roxo lavada e cortada em tiras finas. Em seguida. o brócolis. Verifique a data de validade e não compre se o produto estiver murcho. retire o ar de dentro da embalagem com uma bombinha de vácuo e leve ao congelador. principalmente nas bordas. sobretudo cálcio e fósforo. A água sanitária ou o vinagre. o mel e misture bem. As folhas devem estar livres de manchas escuras e de perfurações. além de sais minerais. É uma das hortaliças de uso mais antigo. escurecendo e apodrecendo mais rapidamente nos locais danificados. acrescente algumas gotas de vinagre para evitar que as folhas fiquem azuladas. a couve-flor. Apesar de parecer resistente. os preços mais baixos ocorrem de agosto a janeiro. Deve-se cozinhar preferencialmente no vapor. conservando-se por até cinco dias. É originária da Europa Mediterrânea e Ásia Menor. cozido em água ou leite ou fermentado (chucrute). ou folhas crespas de cor verde. Quando consumidas cruas. manusei-as com cuidado. ou em tiras finas. a couve-chinesa e o rabanete. Destaca-se como fonte de vitamina C. desde que colocado dentro de sacos de plástico. * Refogue o repolho temperado com sal e vinagre. E e K. Ao escolher as cabeças. Este procedimento é importante para eliminar grande parte dos microorganismos que possam estar nas folhas e causar doenças. não remove resíduos de agrotóxicos. com postos escuros. Sob refrigeração pode ser mantido por várias semanas. * Retire do fogo. COMO COMPRAR Atualmente o repolho é produzido durante todo o ano. Para descongelar. COMO CONSUMIR O repolho pode ser consumido cru em saladas. coloque-o em água fervente ou diretamente ao fogo durante o preparo do prato. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo e cozimento: 10 minutos Sugestão: acompanha carne . retire as folhas externas caso estas estejam murchas ou danificadas. entretanto. misture o cravo. * sal a gosto. ocorrem alterações da cor. compactas e sem rachaduras. COMO CONSERVAR Quando mantido em condição ambiente. deve obrigatoriamente ser mantido embalado ou em vasilha tampada na geladeira. murchando primeiramente as folhas externas. conserva-se por menos de uma semana. * 2 colheres (sopa) de óleo. Entre as cabeças de mesmo tamanho escolha as mais pesadas. * 1 colher (sopa) de mel. para garantir sua adequada conservação. Para congelar o repolho. Modo de fazer * Aqueça o óleo em uma panela aberta e frite a cebola. Acondicione-o em saco de plástico. O repolho deve ser cozido somente pelo tempo suficiente para tornar as folhas macias.Uma tradição milenar O repolho é uma hortaliça de cabeça formada pela sobreposição de folhas. O repolho pode ser comercializado já picado e embalado. O repolho é uma Brássicacea. B2. Corte o repolho em 4 partes. O repolho pode apresentar folhas lisas de cor verde ou roxa. É fundamental que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas. * O cheiro desagradável do repolho pode ser eliminando quando se cozinha as folhas em panela destampada. desde cerca de 2000 anos antes de Cristo. DICAS * As folhas internas do repolho são mais ricas em vitamina C do que as folhas externas. Com tempo de cozimento prolongado. as folhas devem ser lavadas uma por uma em água corrente e deixadas de molho em solução de água sanitária por 30 minutos. e cheiro desagradável. * 1 cebola pequena picada em cubos. * 1 colher (sopa) de vinagre. * Ao cozinhar o repolho roxo. devem ser enxaguadas com água filtrada. Quando picado.

deixando na geladeira até a hora de servir. acrescente o cheiro verde. o coco ralado e misture bem. Escalde o repolho em água e sal. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo: 8 minutos Sugestão: pode-se substituir a maionese por creme de leite azedo ou iogurte natural . por último. * 1/2 colher (chá) de açúcar. * Misture todos os ingredientes do molho e reserve. * 1 colher (sopa) de suco de limão. * 1 cenoura média ralada. 50g do queijo ralado. Acrescente o repolho. Luengo — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Mário Felipe de Melo — Eng. por cima despeje os ovos batidos. * sal e pimenta-do-reino a gosto. Acrescente a cebola e o alho picadinho e deixe dourar. Reserve. * 1/2 colher (chá) de páprika. Sirva quente. * Polvilhe com o restante do queijo ralado e leve ao forno quente por mais ou menos 30 minutos. e acrescente as gemas uma a uma. * Coloque a manteiga ou margarina e o azeite para esquentar em uma panela. Falso Siri Ingredientes: * 500 g de repolho * 2 colheres (sopa) de azeite * 100g de manteiga ou margarina * 2 tomates sem pele e sem sementes. * 1 beterraba média média ralada Para o molho: * 1/2 xícara (chá) de maionese: * 1 colher (sopa) de leite. Coloque para escorrer em escorredor de macarrão. Rendimento: 10 porções Tempo de prepar: 50 minutos.assada de porco ou de pato Salada de repolho com molho de maionese Ingredientes: Para a salada: * 1 repolho médio cortado em tiras finas * 1 pimentão verde médio cortado em tiras finas. * Sirva o molho separado da salada. * Despeje o refogado em um pirex untado. pimentões. * Deixe no fogo até ficar bem sequinho. assim as sobras de salada poderão ser reaproveitadas na próxima refeição. picados * 100g de coco ralado * azeitonas picadas a gosto * 2 cebolas picadas * 2 pimentões vermelhos picados * 2 dentes de alho * 5 ovos * cheiro verde à gosto * 2 pacotes de 50g de queijo parmesão ralado Modo de fazer * Corte o repolho bem fininho. * 1 cebola pequena picada. * Acrescente os tomates. Agrônomo — Emater-DF . * Adicione sal e pimenta à gosto. Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * * Autores:      Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Rita de Fátima A. Modo de fazer * Misture todos os ingredientes de salada e reserve. deixando na geladeira até a hora de servir. * Bata as claras em neve.

devem ser enxaguados com água filtrada. Tomates vermelhos se estragam rapidamente por isso. . No mercado são encontrados vários tipos de tomate: Santa Cruz . devem ser colocados na geladeira. Quando o tomate é consumido cru. é fundamental higienizá-lo bem antes do consumo. pois o tomate verde não tem valor nutritivo adequado. purês. Os tomates tipo Caqui são mais indicados para salada. F. purê e geléia prefira os tomates Santa Cruz ou Saladinha que apresentam maior rendimento. Cereja e Saladinha. geléias ou sucos. ocorrem no período de julho a outubro. na parte inferior. e os menores preços. Tomates ‘‘de vez’’ devem ser mantidos em ambiente natural até o completo amadurecimento. Quando totalmente vermelhos servem para consumo imediato ou para molho. Maria José L. A cor.cnph. tem a mesma aparência dos outros. DICAS * Para facilitar a retirada da pele ou casca do tomate. No mercado.br Emater DF Email: geral@emater. Em seguida. Deixar os tomates de molho na água com água sanitária ou com vinagre não elimina os resíduos de pesticidas ou agrotóxicos mas elimina microorganismos que possam estar na casca e causar doenças. COMO CONSUMIR O tomate pode ser consumido em saladas. principalmente com casca. O tomate cru (inteiro ou picado) não deve ser congelado.df. COMO COMPRAR A maior oferta de tomate. como o pimentão. Pertence à família das Solanáceas. molhos. doces. com manchas ou ferimentos. COMO CONSERVAR Os tomates se conservam bem fora da geladeira por poucos dias.embrapa. Caqui. o jiló. a berinjela e a batata. Prefira tomates maduros ou de vez. mas quando bem maduro e vermelho ele se mantém firme por mais tempo.br Email: sac@cnph. Em alguns mercados também se encontra tomate Cereja e do grupo Santa Cruz de cor amarela. Ao escolher os frutos deve-se evitar apertá-los ou jogá-los na banca para não estragá-los. Os frutos devem estar ‘‘de vez’’ (mudando de verde para maduro) quando se pretende conservá-los em casa por mais tempo. Evite comprar os frutos totalmente verdes (eles podem não amadurecer). espete-o com um garfo e leve-o ao fogo. desde o norte do Chile até a Colômbia. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Fotos: Carlos Moura / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.gov. Somente o molho de tomate pode receber este tratamento. com furos. dentro de sacos de plástico perfurados. Mantenha-o a certa distância para não queimá-lo e vá virando o fruto lentamente até começar a soltar a casca. a firmeza e a sanidade são as características mais importantes na hora da compra.br Tomate Popular no mundo todo O tomate está entre as hortaliças mais consumidas no mundo. sendo uma fonte de vitaminas A e C e de sais minerais como potássio e magnésio. O tomate Cereja pode ser usado inteiro como aperitivo ou em saladas. É um fruto originário dos países andinos. Após lavagem em água corrente os frutos são deixados de molho em água filtrada com água sanitária (1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água por 30 minutos). Para preparo de molho. O tomate denominado longa vida tem maior conservação póscolheita.embrapa. se não forem consumidos logo.

* 2 colheres (sopa) de suco de limão. * 1/2 xícara (chá) de azeitona picada. . Modo de fazer: Misture todos os ingredientes. * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde. o óleo e misture bem. Tempo de preparo e cozimento: 35 minutos Sugestão: Sirva com pães. untada e polvilhada com farinha de trigo. Receitas Receita de Geléia de Tomate Ingredientes: * 1 quilo de tomate maduro * 1/2 kg de açúcar * Caldo de 1/2 limão Modo de fazer: * Lave bem os tomates. a azeitona. a pimenta.* Se o tomate estiver mole. biscoitos e torradas ou como cobertura de bolo. bata-os no liquidificador e passe em peneira fina. * 2 dentes de alho amassados. Misture até formar uma massa dura. Bolo Salgado de Tomate Ingredientes * 6 tomates cortados em cubinhos sem pele e sem sementes. Rendimento: 6 porções Tempo de preparo e cozimento: 15 minutos Sugestão: A quantidade de farinha pode ser reduzida quando se quer a farofa mais úmida. * 1 colher (sopa) de fermento em pó. * 1 xícara (chá) de milho verde. * 3 ovos inteiros. Ele ficará mais firme e mais fácil de ser cortado. * 1 xícara (chá) de farinha de milho. * Acrescente a farinha de trigo. * 1 ovo cozido e picado. * 1 colher (sopa) de óleo. o cheiro verde. * 1/2 xícara (chá) de queijo ralado. o fermento em pó peneirado e o queijo ralado. * Deixe ferver. * sal e pimenta à gosto. * 2 colheres (sopa) de azeite. * 1 xícara (chá) de leite. em fogo brando. * Sal e pimenta à gosto. o sal. * Junte o leite até obter uma papa grossa. Modo de fazer * Coloque numa vasilha o tomate. ou aumentada para farofa mais seca. Farofa Crua de Tomate Ingredientes: * 500g de tomate maduro picado em cubos. deixe-o de molho em água fria ou gelada por 15 minutos. os ovos. * 1 cebola média cortada em cubinhos. coloque numa travessa e sirva. * 2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo. * Elimine a parte retida na peneira e coloque a parte peneirada em uma panela. * 1/2 xícara (chá) de cheiro verde. * Coloque numa forma redonda com furo no meio. * 1 xícara (chá) de farinha de mandioca. * 1/2 xícara (chá) de azeite. * 1/2 xícara (chá) de azeitonas picadas. mexendo de vez em quando para não grudar na panela. * 180g de cenoura ralada em palitos. a cebola. Rendimento: 720g. até obter a consistência cremosa de geléia. * Pique-os. o alho. acrescente o caldo de limão e o açúcar.

embrapa. Tempo de Preparo e Cozimento: 2h Rendimento 14 pedaços Sugestão: pode-se enriquecer com milho verde ou outros vegetais. Agrônomo — Emater-DF Rita Fátima A.embrapa.br Email: sac@cnph.gov. Fonte: CEASA/DF Os melhores meses para compra JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ * * * * Autores:       Mário Felipe de Melo — Eng.cnph. Luengo —Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Maria José L.br .F.df. Matos — Economista Doméstica — Emater-DF Selma Aparecida Tavares — Economista Doméstica — Emater-DF Milza Moreira Lana — Pesquisadora — Embrapa Hortaliças Fausto Francisco dos Santos — Pesquisador — Embrapa Hortaliças Fotos: Paulo de Araújo / CBPress Embrapa Hortaliças Internet: http://www.br Emater DF Email: geral@emater.* Leve para o forno pré-aquecido em temperatura alta.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful