Você está na página 1de 5

Direito do Trabalho I

Exame – época de recurso, 1.ª e 2.ª turmas


29 de Janeiro de 2014

Nome: __________________________________________________________________

I. Em cada um dos seguintes grupos de afirmações, escolha a que considera verdadeira. (6 x


1,5 val.)

NB: Assinale a sua opção de forma inequívoca, no próprio enunciado, o qual, por isso,
deve ser devolvido e identificado.

1. Uma cláusula de uma convenção colectiva que preveja que o trabalhador poderá faltar
justificadamente ao serviço no dia do seu aniversário:
a) É válida porque afasta uma norma legal convénio-dispositiva;
b) É inválida porque afasta uma norma legal relativamente imperativa;
c) É inválida porque afasta uma norma legal absolutamente imperativa;
d) É válida porque afasta uma norma legal relativamente imperativa.

2. Uma cláusula de um contrato individual de trabalho segundo a qual o trabalhador em


causa não observará período de experiência:
a) É inválida, se a convenção colectiva aplicável contiver, sobre o ponto, um regime
igual ao legal;
b) É inválida, por contrariar uma norma legal inderrogável;
c) É válida desde que a convenção colectiva aplicável permita o afastamento do regime
legal nesta matéria;
d) É válida, porque afasta uma norma legal passível de derrogação por acordo
entre as partes.

3. Um contrato a termo resolutivo certo:


a) Nunca pode ser celebrado por menos de duas semanas;
b) Se for celebrado verbalmente, converte-se num contrato a termo incerto;
c) Nunca pode ser celebrado a tempo parcial;
d) Nenhuma das afirmações anteriores está correcta.

4. Um trabalhador contratado no dia 1 de Março de 2013:


a) Só poderá gozar férias em 2014;
b) Em 2013 pode gozar 22 dias úteis de férias;
c) Em 2013 pode gozar 20 dias úteis de férias;
d) Poderá gozar 12 dias úteis úteis de férias a partir de 1 de Setembro de 2013.

5. A suspensão do contrato de trabalho:


a) Não impede que, em contratos de trabalho a termo, o prazo continue a correr;
b) Implica, em qualquer caso, a paralisação do dever de pagamento da retribuição;
c) Não interrompe a contagem do prazo do período experimental;
d) Tem como sub-modalidade a suspensão judicial do despedimento.

6. O despedimento:
a) Nunca pode incidir sobre um trabalhador que não haja cometido qualquer infracção
disciplinar;
b) Implica sempre o pagamento de uma indemnização ao trabalhador visado;
c) Se for feito verbalmente, pode ser impugnado por invalidade, devendo a acção ser
intentada no prazo de 60 dias em formulário próprio;
d) Se for judicialmente declarado inválido, não extingue a relação jurídico-laboral.
II. Resolva a seguinte hipótese prática, justificando as suas respostas:

Josefa, recém-licenciada em comunicação social, foi contratada pela Projecto24FM,


detentora de um jornal local, pelo período de seis meses, para substituir Laura, revisora editorial,
que se encontrava ausente, em licença de maternidade, por um período previsível de cinco
meses.
Josefa está com dúvidas sobre a validade do seu contrato, uma vez que, embora o
documento que o formaliza mencione que ela fora contratada para as realizar as tarefas que
incumbiam a Laura, a verdade é que, desde o início, quem está a ocupar o lugar da trabalhadora
ausente é Madalena, a filha do empregador, tendo sido atribuído a Josefa, diferentemente, o lugar
de secretária do jornal. No entanto, Josefa receia invocar este facto em tribunal pois pensa que,
se o fizer, o seu contrato será considerado inválido e ela não apenas ficará sem emprego como
deixará de ter título jurídico para reclamar o pagamento de dois salários em atraso, que o seu
empregador nunca pagou.
1. Comente a situação e as dúvidas de Josefa. (4 val.)

-noção de contrato de trabalho a termo resolutivo certo e sua perspectivação como contrato
atípico e excepcional na o. j portuguesa; relação com o princípio da segurança no emprego;
-requisitos de validade de celebração de um contrato a termo resolutivo; em especial, a
verificação de uma das situações do art. 140.º; necessidade de redução a escrito com indicação
do motivo justificativo;
-canalização da trabalhadora para funções distintas das invocadas no documento que formalizou
o contrato como circunstância de que resulta a invalidade da cláusula de termo: ou por não haver
motivo para a contratação a termo (caso de a actividade para que foi canalizada ser permanente e
não haver outro fundamento), ou por, em todo o caso, não constar do documento; eventualmente:
intuito fraudulento; concl.: o contrato tem-se como celebrado sem termo (art. 147.º, n.º 1)
-a trabalhadora não deve temer ficar sem emprego por força da invalidação do contrato porque a
consequência não é a invalidade total, mas a aludida concepção do contrato como sem termo;
-mas, mesmo que fosse, sempre restaria o título para exigir o pagamento dos salários, porquanto
a invalidade não produz, em Dto do Trabalho, efeito retroactivo.
Obs.: suscitar o problema da mobilidade funcional poderia, porventura, ter sentido, mas não
resolvia a questão da (in)validade do contrato

2. Por outro lado, independentemente do mencionado anteriormente, Josefa, estranhando


o seu contrato ter sido celebrado por seis meses, quando o período previsto para a
ausência de Laura era de cinco, questionou o empregador sobre esse aspecto. O
empregador respondeu que os contratos a termo tinham, em qualquer caso, uma
duração mínima obrigatória de seis meses. Tem razão? (2 val.)
- o período de seis meses como período mínimo normal dos contratos a termo resolutivo;
-mas não se aplica sempre;
-se se aplicasse, qual a consequência
-art. 148.º, n.º 2 e n.º 3

NB: A circunstância de o contrato se ter celebrado por seis meses quando a ausência duraria,
previsivelmente, cinco, pode reforçar a suspeita sobre a não correspondência entre o motivo
invocado como justificativo da aposição da cláusula de termo e a situação real (relação com a
resposta dada em 1)

3. Hoje, decorridos quatro meses sobre a celebração do contrato, Josefa pretende fazê-lo
cessar, uma vez que encontrou um novo emprego. Pode fazê-lo? Em que termos? (2,5
val.)

-qualificação do acto de Josefa como um acto de denúncia, a ter lugar fora dos
quadros do regime do contrato a termo;
-liberdade de denúncia;
-regime jurídico aplicável;
-art. 400.º e ss.
4. Se o contrato cessar quatro meses após ter tido início, quanto deverá Josefa receber a
título de férias, supondo qua ganhava 1200 euros mensais? (2,5 val.)
-noção e fundamento do direito a férias;
-percepção da existência de um regime especial para contratos de curta duração;
-o regime dos números 4 e 5 do art. 139.º: apuramento dos dias e valores a receber a título
de férias.