Você está na página 1de 2

-­‐

 Mestrado  Integrado  em  Medicina                                                                                                      Formulário  auxiliar  para  treino  de  “OSCEs”  

Estação:  Exame  Pescoço  e  Tiróide  


Nome:  

Não  realiza  
com  falhas  
sem  falhas  
Realiza  

Realiza  
 
Data:  ___/___/___      Tempo:  ____  min.  ___  seg    
 
 
     
Antes  de  começar:  
Apresentar-­‐se  ao  paciente  (pcte)        
Explicar  exames  que  vão  ser  executados,  e  pede  consentimento  para  os  executar        
Pede  para  expor  pescoço  e  tronco        
Senta  Pcte  numa  cadeira        
       
O  exame:        
Inspecção:        
ð Inspecção   geral,   procurando   em   especial   sinais   de   Dça  
Tiróide  e  ainda  Sexo  e  Idade,  visto  serem  componentes  importantes  no  Diagnóstico  
Diferencial  de  Bócio  
ð Inspecciona   pescoço,   procurando   assimetrias,   cicatrizes   ou  
outras  lesões  
ATENÇÃO:          
Bócio,   ou   Glândula   Tiróide   Aumentada,   é   identificada   como   uma   tumefacção   abaixo   da  
Cartilagem  Cricóide  de  cada  lado  da  traqueia  
ð Pedir  ao  paciente  para  engolir  saliva/água        
ð Observar  movimento  das  seguintes  estruturas:  
ð Glândula  Tiróide  
ð Cartilagem  Tiróide  
ð Cartilagem  Cricóide  
ð Quisto  Tiroglosso  
ð Nódulos  Linfáticos  
ð Pedir   para   mostrar   a   língua.   Uma   tumefacção   na   linha   média   que   se   move        
superiormente  aquando  da  protusão  da  língua  é  indicador  de  Quisto  Tiroglosso  
ð Posicionar-­‐se  por  trás  do  Pcte  e  inspeccionar  de  cima  possível  Exoftalmia  
Palpação:        
ð Perguntar  se  existe  sensibilidade  ao  toque  ou  dor  na  região  do  pescoço  
ð Colocando   as   mãos,   uma   de   cada   lado   do   pescoço,   examinar   triângulos   postrior   e  
anterior  do  pescoço  com  os  dedos  
ð Se  existirem  massas,  tentar  determinar:        
ð Tamanho  
ð Simetria  
ð Consistência  
ð Mobilidade  
ð Palpar  Glândula  Tiróide.  Determinar:        
ð Tamanho  
ð Simetria  
ð Consistência  
ð Sensibilidade  ao  toque  
NOTA:  Glândula  Tiróide  NÃO  É,  normalmente,  palpável  
ð Palpar  Nódulos  Linfáticos  Cervicais        
ð Palpar  para  desvio  da  traqueia  na  Depressão  Supraesternal  
Percussão:        

1  
 
-­‐  Mestrado  Integrado  em  Medicina                                                                                                      Formulário  auxiliar  para  treino  de  “OSCEs”  
ð Percutir  para  Macicez  de  Bócio  Retroesternal  acima  do  esterno  e  tronco  
 
Auscultação:        
ð Auscultar   acima   da   tiróide   para   Sons   Anormais.   Pedir   ao   Pcte   para   suster   respiração  
enquanto  tenta  ouvir.  Por  vezes  ouve-­‐se  um  ligeiro  murmúrio  no  Hipertiroidismo  
       
 
       
Após  a  colheita  da  história:  
Ajuda  Pcte  a  vestir  roupas  e  Assegura-­‐se  que  está  confortável        
Perguntar  se  tem  dúvidas  ou  alguma  preocupação        
Agradece        
Sugere  um  diagnóstico  ou  diagnóstico  diferencial        
Estabelecer   o   que   seria   desejável   para   confirmar   o   diagnóstico   sugerido,   como   meios        
complementares  de  diagnóstico  (Testes  de  Função  Tiróide,  Ac  Tiróide,  Ultrasom  Tiróide…)  
                                             
     
Bibliografia:   Burton  N.,Birdi  K.,  Clinical  Skills  for  OSCEs,  2nd  edition,  2006,  Informa  Healthcare.  
  Burton  N.,Birdi  K.,  Clinical  Skills  for  OSCEs,  3nd  edition,  2009,  Informa  Healthcare  
  Welsby  P.D.,  História  e  Exame  Clínico,  2ª  edição,  2004,  Euromédice  
   

Bócio  e  Dça  Tiróide:  


Sinais  Hipertiroidismo  
Glândula   Tiróide   aumentada   ou   nódulos   na   tiróide,   murmúrio   da   tiróide,   hipertermia,  
diaforese   (Sudação   excessiva),   desidratação,   tremor,   taquicardia,   arritmia,   Insuficiência  
Cardíaca  Congestiva,  onicólise  (descolamento  da  unha  do  leito  ungueal)  
ð Doença   de   Grave:   glândula   uniformemente   aumentada,   em   jovens  
(principalmente);   Retracção,   atraso,   equimose   da   pálpebra,   edema   periorbital,  
exoftalmia,   diplopia,   mixedema   pré-­‐tibial;   espessamento   pele;   crescimento   ósseo  
Tiróide  
ð Bócio  Tóxico  Multinodular:  no  paciente  de  meia-­‐idade  
ð Nódulo  Tóxico  e  Tiroidite  de  Quervain  menos  comuns  
Sinais  Hipotiroidismo  
Hipotermia  e  intolerância  ao  frio,  ganho  de  peso,  movimento  e  fala  lentificada,  voz  rouca,  
pele  seca,  perda  de  cabelo,  facis  em  forma  de  pêra,  hipotensão,  bradicardia  e  hiporreflexia  
ð Tiroidite  de  Hashimoto:  glândula  tiróide  moderadamente  aumentada,  normalmente  
em   pacientes   sexo   feminino   entre   30-­‐50   anos;   hipertiroidismo   inicial   que   progride  
para  hipotiroidismo  e,  se  não  tratado  leva  a  mixedema  
 
 

Condições  mais  comuns  para  surgir  nesta  estação:  


Quisto  Tiroglosso  
Bócio  Tóxico:  Nódulo  tóxico  difuso  (Dça  Grave),  Nódulo  tóxico  multinodular  (Dça  Plummer)  
Tiroidite  de  Hashimoto  
Neoplasmo  Tiroide  
Nódulo  Linfático  aumentado  
Bócio  fisiológico  da  puberdade  ou  da  grávida  
 
Observações:    

2