Você está na página 1de 50

CONTINUANDO NOSSA ÚLTIMA

AULA...
ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Utilização de abreviaturas não Transcrição da prescrição


padronizadas médica

“manter prescrição” Falta de conhecimento amplo


sobre estabilidade,
incompatibilidade e
Ordens médicas verbais armazenamento de
medicamento por parte da
enfermagem

Nomes comerciais e/ou Prescrições médicas


fármacos com grafias incompletas e confusas
semelhantes
Má qualidade da gráfica médica
ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Modelo do Queijo Suíço


ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Fonte: Ribeiro, 1992.


ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

REDUÇÃO DE ERROS NO SDMDU


A dose do medicamento é embalada, identificada e distribuída
pronta para ser administrada ao paciente, de acordo com a
prescrição médica;

Na unidade assistencial estarão estocados somente os medicamentos


que atendem os casos de emergência, anti-sépticos e as doses
necessárias para suprir as próximas 24 horas de tratamento do
paciente;

Dupla conferência do medicamento


pela farmácia e equipe de enfermagem.
Fonte: Ribeiro, 1992.
MEDICAMENTOS DE EMERGÊNCIA

Todas as unidades assistenciais deverão manter em local de fácil


acesso um estoque de medicamento para ser usado em situações de
emergência.

É importante que se determine a necessidade de controle deste


estoque, de forma a mantê-lo sempre atualizado e sua reposição
deve ser feita mediante prescrição médica em nome do paciente
que utilizou o medicamento.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO CENTRALIZADO E DESCENTRALIZADO

• Sistema Centralizado: distribuição concentrada em


uma única área física, atendendo todas as unidades
assistenciais;

• Sistema Descentralizado: existe mais de uma unidade


de distribuição localizada em locais estratégicos
destinados a demandas especiais de medicamentos.

 Farmácias Satélites!
Centro cirúrgico
Centro obstétrico
Quimioterapia
SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM – HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO DE MORAES - UFES


SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM
SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM
QUESTÃO DE PROVA:

UFJF – EBSERH –AOCP – 2015 O sistema de distribuição de medicamentos adotado pela


farmácia do hospital interfere diretamente na qualidade do serviço farmacêutico prestado
na instituição. Qual das alternativas a seguir é uma vantagem do sistema de distribuição
por dose unitária?

a) Grande disponibilidade de medicamentos nas unidades de internação.

b) Redução nas solicitações de medicamentos à farmácia.

c) Redução na incidência de erros de medicação.

d) Necessidade de menor número de funcionários na farmácia.

e) Maior tempo gasto pela enfermagem no preparo dos medicamentos.


QUESTÃO DE PROVA:

UFJF – EBSERH –AOCP – 2015 O sistema de distribuição de medicamentos adotado pela


farmácia do hospital interfere diretamente na qualidade do serviço farmacêutico prestado
na instituição. Qual das alternativas a seguir é uma vantagem do sistema de distribuição
por dose unitária?

a) Grande disponibilidade de medicamentos nas unidades de internação.

b) Redução nas solicitações de medicamentos à farmácia.

c) Redução na incidência de erros de medicação.

d) Necessidade de menor número de funcionários na farmácia.

e) Maior tempo gasto pela enfermagem no preparo dos medicamentos.


FARMÁCIA HOSPITALAR

Material médico hospitalar

Profa. Dra. Gabriela Modenesi Sirtoli

gabrielamodenesi@yahoo.com.br
INTRODUÇÃO

Material médico hospitalar:

São artigos descartáveis ou não, destinados a


viabilizar diversos procedimentos de assistência
ao paciente, executados no hospital.
INTRODUÇÃO

São artigos que possuem um alto consumo no hospital.

Um dos aspectos mais importantes do MMH é a necessidade de


elevar e uniformizar os aspectos tecnológicos e profissionais
desses produtos

Enfermeiros  principais profissionais


INTRODUÇÃO

Farmacêutico:

o Unificação dos critérios sobre os materiais do hospital;


o Controle de qualidade;
o Especificar tecnicamente as características do material
adquirido (junto com o enfermeiro);
o Aspectos econômicos;
o Contatar autoridades sanitárias sobre qualquer
intercorrência detectada.
DISTRIBUIÇÃO

Correta distribuição promove o uso racional e seguro.

Existem dois tipos de distribuição dos MMH:


Forma geral
Por kits
DISTRIBUIÇÃO

Forma Geral

Consiste em deixar os materiais médicos-hospitalares


em grande quantidade nos locais de uso  centro
cirúrgico, leito do paciente, enfermarias.

E a reposição é feita de acordo com a necessidade.

Grande elenco de materiais.


DISTRIBUIÇÃO

Forma Geral
Desvantagens

oDifícil controle do estoque


o Grande risco de desvio de materiais
oAlto consumo
oCobrança indevida de materiais (hospitais
particulares)
oPerda de espaço físico, salas do centro cirúrgico cheia
de materiais
DISTRIBUIÇÃO

Forma Geral
Vantagem

oA única vantagem e a redução do número de pessoas


trabalhando na farmácia.

oCusto beneficio do processo não é ideal, pois ocorre


muito desperdício dos materiais médico-hospitalares.
DISTRIBUIÇÃO

Kits
É a forma mais adequada de dispensação de materiais
médico-hospitalares

Promove maior controle do estoque

Não promove cobranças indevidas aos pacientes


(hospital particular)
DISTRIBUIÇÃO

Kits
A definição dos Kits deve ser baseada no perfil dos
pacientes atendidos no hospital

Pelo perfil das equipes médicas

Precisa ter espaço na farmácia para acondicionar os


kit
DISTRIBUIÇÃO

Confecção dos Kits


1. Levantamento das especialidades médicas;
2. Relação de materiais médico-hospitalares utilizados
em comum para especialidades médicas diferentes;
3. Validação da relação dos materiais médico-
hospitalares pelas diferentes equipes médicas;
4. Monta-se os kits em caixas plásticas de material
resistente e as caixas devem ser lacradas;
5. Evitar caixas pesadas e de difícil manuseio.
DISTRIBUIÇÃO

Confecção dos Kits

oEsses Kits devem ser montados sempre um dia anterior


ao uso;
oProcedimentos de emergência devem ter também um
kit básico necessário para iniciar um procedimento;
oOs demais materiais essenciais necessários para
finalizar o procedimento são retirados na farmácia;
oAo final do procedimento os Kits devem ser devolvidos
a farmácia para reposição dos materiais.
KITS
KITS
MATERIAIS MÉDICOS CONSIGNADOS

oConsignar um material é solicitá-lo ao fornecedor e caso


haja consumo deve-se pagar por ele;

oSão materiais de grande valor e com consumo pequeno


ou para procedimentos específicos;

oMateriais de consumo regular porém de alto valor :


cirurgias neurológicas;

oMateriais de consumo permanente  chefe do


almoxarifado de materiais ou chefe da manutenção;
MATERIAIS MÉDICOS CONSIGNADOS

Quando há necessidade da utilização de um material consignado o


médico preenche um requerimento para solicitação de material
consignado;

Deve ser em duas vias;

E deve ser entregue a farmácia;

Farmácia encaminha para o setor de compras e para direção do


hospital e faz o contato com o fornecedor;

Uma via fica retida na farmácia para efeito de auditoria.


CONSIDERAÇÕES

oPrazo de validade;
oData de fabricação ou esterilização do produto;
oIndicação do processo de esterilização;
oMaterial descartável;
oFinalidade, uso e aplicação a que se destina o
produto;
oPrecauções, cuidados com armazenagem,
transporte;
oRegistro no ministério da saúde;
oRegistro na ANVISA.
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Adesivos
Artigos utilizados para proteção, isolamento e fixação
em procedimentos de curativos e outros.
Ex.: Esparadrapos, fitas adesivas.

Bolsas e Coletores
Artigos utilizados para coleta de líquidos orgânicos,
estéreis ou não.
Ex.: bolsa de colostomia, bolsa de sangue, coletor de
urina.
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Dispositivos de Infusão
Artigos utilizados para infusão de formas farmacêuticas
injetáveis, hemoderivados, dieta enteral e parenteral etc.
Ex.: agulhas, cateteres, equipos, seringas, escalpes etc

Cateteres
Possuem maior comprimento que as agulhas e permitem
uma permanência no paciente por períodos maiores, com
um mínimo de danos.
Ex.: Cateter venoso central, cateter periférico.
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Agulhas
Podem ser divididas em 2 grupos:
➢ Bisel largo: utilizadas para anestesia local, aspirações e
administrações subcutâneas.
➢ Bisel curto: utilizadas para injeções, infusões e transfusões
endovenosas.

Fatores de seleção:
➢ velocidade de infusão do fluxo, segurança e comodidade
para o paciente.
➢ comprimento, espessura da parede e diâmetro externo da
agulha. Ex.: 25 x 0,7 (mm).
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Equipos
Utilizados para veicular o medicamento a ser
infundido. É conectado a uma agulha, cateter ou
escalpe para permitir a infusão.

Tipos:
- Equipo simples macrogotas;
- Equipo microgotas com câmara graduada;
- Equipo para bomba de infusão;
- Equipo para transfusão de sangue;
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Outros
Escalpes e seringas descartáveis.

Materiais de látex
Utilizados para proteção da pele, aspiração de secreções etc.
Ex.: Luvas cirúrgicas, luvas para procedimentos.
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Têxteis
São produtos de fibra de algodão, que visam proteção,
isolamento, compressão, absorção e higienização.
Ex.: atadura de algodão ortopédico, atadura gessada,
algodão hidrófilo, compressa de campo operatório,
máscara, gorro, pro-pé.
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Tubos, drenos, sondas e conexões


Materiais utilizados como auxílio na respiração e para
drenagem de fluidos orgânicos, secreções e outros.
▪cânula para traqueostomia,
▪tubo orotraqueal,
▪dreno de tórax,
▪sonda uretral : curta permanência e longa permanência
(demora ou foley).
▪ Sonda nasoentérica
▪ Sonda gástrica
▪ Sonda retal

CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Fios cirúrgicos
Materiais utilizados para ligar vasos sanguíneos e aproximar tecidos
garantindo força suficiente para suportar tensões normais e promover a
sua cicatrização.
Tipos:
Absorvíveis:
-Naturais: Catgute simples, catgute cromado
-Sintéticos: Poligalactina, polodioxanona

Não absorvíveis:
- Naturais: Algodão, seda, linho
- Sintéticas: Nylon,polipropileno,poliéster
- Metal: Aço inox
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Características das agulhas


Comprimento (cm), curvatura e pontas.
Curvatura: ½ círculo, 3/8 círculo

- Pontas:
Triangular Cilíndrica Espatular
CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE MATERIAIS

Características dos fios


Comprimento (cm), diâmetro do fio, disposição das fibras constituintes
do fio.

Diâmetro:
10-0/ 9-0/ 8-0/ 7-0/ 6-0/ 5-0/ 4-0/ 3-0/ 2-0/ 1-0/ 0/ 00/ 000

Menor diâmetro Maior diâmetro

-disposição das fibras: monofilamentar, polifilamentar (trançado).


Próxima aula: PROVA