Você está na página 1de 81

ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

OS 60 ACÓRDÃOS MAIS RELEVANTES


PROFERIDOS PELO TCU EM 2017, E OS 20 DE
MAIOR DESTAQUE PROLATADOS EM 2018,
RELACIONADOS À ÁREA DE LICITAÇÕES E
CONTRATOS ADMINISTRATIVOS
(as decisões serão apresentadas sob a forma de
perguntas e respostas, estas últimas representando o
entendimento do TCU consagrado no respectivo acórdão)

Luiz Felipe Bezerra Almeida Simões

ACÓRDÃO 134/2017 - PLENÁRIO


1ª PERGUNTA:
É legal a exigência de comprovação, para
fim de qualificação técnica, de tempo de
experiência dos profissionais a serem
disponibilizados pela licitante para a execução
do objeto contratado?

1
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 134/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 1ª PERGUNTA:
É ilegal a exigência de comprovação, para
fim de qualificação técnico-profissional, de
tempo de experiência ou de exercício em função
dos profissionais a serem disponibilizados pela
licitante para a execução do objeto, porquanto o
rol de exigências de habilitação previsto na Lei
8.666/1993 é taxativo.

ACÓRDÃO 134/2017 - PLENÁRIO


2ª PERGUNTA:
É possível exigir, como critério de
habilitação, atestado de qualificação técnica
comprovando experiência em tipologia
específica de obra ou serviço?

2
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 134/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 2ª PERGUNTA:
Caracteriza restrição à competitividade da
licitação a exigência, como critério de
habilitação, de atestado de qualificação técnica
comprovando experiência em tipologia
específica de obra, salvo se imprescindível à
certeza da boa execução do objeto e desde que
devidamente fundamentada no processo
licitatório.

ACÓRDÃO 248/2017 - PLENÁRIO


3ª PERGUNTA:
Na condição de participante, bem como de
adquirente não participante (mediante adesão),
em licitações pelo sistema de registro de preços,
os órgãos e entidades devem fazer constar do
processo administrativo de contratação, além de
justificativa sobre os quantitativos solicitados,
justificativa acerca da pertinência dos requisitos,
das restrições e das especificações dispostos no
edital às suas necessidades e peculiaridades?

3
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 248/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 3ª PERGUNTA:
Na condição de participante, bem como de
adquirente não participante (mediante adesão), em
licitações pelo Sistema de Registro de Preços, os
órgãos e entidades da Administração Pública
Federal devem fazer constar do processo
administrativo de contratação, além de justificativa
sobre os quantitativos solicitados, justificativa
acerca da pertinência dos requisitos, das restrições
e das especificações dispostos no edital às suas
necessidades e peculiaridades, em obediência ao
art. 6º, caput, do Decreto 7.892/2013 c/c arts. 3º,
caput, e 15, § 7º, incisos I e II, da Lei 8.666/1993.

ACÓRDÃO 248/2017 - PLENÁRIO


4ª PERGUNTA:
Em licitações pelo sistema de registro de
preços, deve ser computado o valor previsto das
adesões de órgãos e entidades não participantes
(“caronas”) para aferição do limite que torna
obrigatória a realização da audiência pública
prevista no art. 39, caput, da Lei 8.666/1993?

4
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 248/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 4ª PERGUNTA:
Em licitações pelo Sistema de Registro de
Preços, deve ser computado o valor previsto das
adesões de órgãos e entidades não participantes
(caronas) para aferição do limite que torna
obrigatória a realização da audiência pública
disposta no art. 39, caput, da Lei 8.666/1993.

ACÓRDÃO 365/2017 - PLENÁRIO


5ª PERGUNTA:
A exigência de comprovação de
propriedade ou de compromisso de cessão,
locação/leasing ou venda das máquinas e dos
equipamentos considerados essenciais para o
cumprimento do objeto da licitação contraria o
art. 30, § 6º, da Lei 8.666/1993?

5
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 365/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 5ª PERGUNTA:
A exigência de comprovação de
propriedade ou de compromisso de cessão,
locação/leasing ou venda das máquinas e dos
equipamentos considerados essenciais para o
cumprimento do objeto da licitação contraria o
art. 30, § 6º, da Lei 8.666/1993, que proíbe
exigências de propriedade e de locação prévia
para a participação em licitações, e restringe a
competitividade do certame.

ACÓRDÃO 361/2017 - PLENÁRIO


6ª PERGUNTA:
É obrigatório o estabelecimento de
parâmetros objetivos para análise da
comprovação (atestados de capacidade técnico-
operacional) de que a licitante já tenha prestado
serviços pertinentes e compatíveis em
características, quantidades e prazos com o
objeto da licitação (art. 30, inciso II, da Lei
8.666/1993)?

6
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 361/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 6ª PERGUNTA:
É obrigatório o estabelecimento de
parâmetros objetivos para análise da
comprovação (atestados de capacidade técnico-
operacional) de que a licitante já tenha prestado
serviços pertinentes e compatíveis em
características, quantidades e prazos com o
objeto da licitação (art. 30, inciso II, da Lei
8.666/1993).

ACÓRDÃO 559/2017 - PLENÁRIO


7ª PERGUNTA:
É admissível a indicação ou a preferência
por marca em processo licitatório? A licitação
tem por objetivo, necessariamente, a escolha do
produto ou do serviço de melhor qualidade
disponibilizado no mercado?

7
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 559/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 7ª PERGUNTA:
A indicação ou a preferência por marca só
é admissível se restar comprovado que a escolha
é a mais vantajosa e a única que atende às
necessidades da Administração. A licitação não
tem por objetivo, necessariamente, a escolha do
produto ou do serviço de melhor qualidade
disponibilizado no mercado.

ACÓRDÃO 10049/2017 – 1ª CÂMARA


8ª PERGUNTA:
A possibilidade de realização de diligência
(art. 43, § 3º, da Lei 8.666/1993) na empresa
que ofertou a melhor proposta na fase de lances
de pregão, para verificar suas instalações físicas
e equipamentos, a fim de comprovar as
condições declaradas pela licitante, extrapola as
previsões contidas no art. 30, §§ 5º e 6º, da Lei
8.666/1993?

8
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 10049/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 8ª PERGUNTA:
A possibilidade de realização de diligência
(art. 43, § 3º, da Lei 8.666/1993) na empresa
que ofertou a melhor proposta na fase de lances
de pregão, para verificar suas instalações físicas
e equipamentos, a fim de comprovar as
condições declaradas pela licitante, não
extrapola as previsões contidas no art. 30, §§ 5º
e 6º, da Lei 8.666/1993, tampouco significa a
imposição de ônus prévio à licitação, mas
apenas a verificação das condições mínimas de
cumprimento do objeto que se deseja contratar.

ACÓRDÃO 745/2017 - PLENÁRIO


9ª PERGUNTA:
Uma vez admitida a participação de
consórcios em processo licitatório, o edital
poderá fixar o número máximo de empresas
integrantes do consórcio?

9
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 745/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 9ª PERGUNTA:
A limitação a número máximo de empresas
integrantes de consórcio deve ter motivação
prévia e consistente, sob pena de afrontar os
arts. 3°, § 1°, inciso I, e 33 da Lei 8.666/93 c/c os
arts. 2° e 50 da Lei 9.784/99.

ACÓRDÃO 756/2017 - PLENÁRIO


10ª PERGUNTA:
É admissível o estabelecimento de
requisito de velocidade mínima de impressão na
contratação de empresa para a prestação de
serviço de outsourcing?

10
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 756/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 10ª PERGUNTA:
É admissível o estabelecimento de requisito
de velocidade mínima de impressão na contratação
de empresa para a prestação de serviço de
outsourcing quando os requisitos técnicos dos
equipamentos previstos no edital requeiram
compatibilidade de desempenho entre eles, de
modo a assegurar a qualidade da solução a ser
contratada.

ACÓRDÃO 2260/2017 - 1ª CÂMARA


11ª PERGUNTA:
É permitida a participação de cooperativas
de trabalho em licitações que envolvam
terceirização de serviços?

11
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2260/2017 - 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 11ª PERGUNTA:
A permissão à participação de cooperativas
em licitações que envolvam terceirização de
serviços com subordinação, pessoalidade e
habitualidade afronta os arts. 4º, inciso II, e 5º da
Lei 12.690/2012, a Súmula TCU 281, o Termo de
Conciliação Judicial entre a União e o Ministério
Público do Trabalho, de 5/6/2003, e o art. 4º da IN-
SLTI/MPOG 2/2008. A aparente economicidade dos
valores ofertados pelo licitante nesses casos não
compensa o risco de relevante prejuízo financeiro
para a Administração Pública advindo de eventuais
ações trabalhistas.

ACÓRDÃO 2416/2017 - 1ª CÂMARA


12ª PERGUNTA:
É legal a exigência de que a vistoria técnica,
quando exigida, seja realizada exclusivamente
pelo sócio administrador da licitante?

12
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2416/2017 - 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 12ª PERGUNTA:
É ilegal a exigência de que a vistoria técnica
seja realizada exclusivamente pelo sócio
administrador da licitante, tendo em vista que
tal visita, quando exigida, não deve sofrer
condicionantes por parte da Administração que
resultem em ônus desnecessário aos
particulares e importem restrição injustificada à
competitividade do certame.

ACÓRDÃO 910/2017 - PLENÁRIO


13ª PERGUNTA:
Partindo da premissa de que a Administração
deve adotar como referência, para fins de
orçamentação e critério de aceitabilidade de preço,
composições de custos que adotem a metodologia
mais econômica, o contratado poderia executar
determinado serviço valendo-se de equipamentos
que resultassem em maior produtividade, obtendo
assim vantagens comparativas ao Sicro, por
exemplo, no caso de obras rodoviárias? Por outro
lado, seria legítimo transferir para a Administração
os custos decorrentes da utilização de metodologia
executiva mais onerosa?

13
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 910/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 13ª PERGUNTA:
O contratado pode executar o serviço com
metodologia distinta da prevista no Sicro,
valendo-se de equipamentos ou arranjos
produtivos que lhes são mais convenientes,
contudo não pode transferir para a
Administração os custos da utilização de
metodologia mais onerosa do que aquela
prevista no Sicro.

ACÓRDÃO 926/2017 - PLENÁRIO


14ª PERGUNTA:
A comprovação de credenciamento ou
parceria junto a fabricantes pode ser exigida
como requisito de habilitação das licitantes?

14
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 926/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 14ª PERGUNTA:
A comprovação de credenciamento ou
parceria junto a fabricantes, quando
imprescindível e desde que devidamente
motivada, deve ser exigida como requisito
técnico obrigatório da contratada e não como
requisito de habilitação das licitantes.

ACÓRDÃO 929/2017 - PLENÁRIO


15ª PERGUNTA:
A contratação de serviços de conservação e
manutenção de infraestrutura predial, com a
inclusão de serviços variados, na modelagem
conhecida como contratação de facilities,
prática adotada no setor privado, configura
afronta à Lei 8.666/1993?

15
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 929/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 15ª PERGUNTA:
Assegurado o atendimento aos princípios que
regem as licitações e os contratos públicos, a
contratação de serviços de conservação e
manutenção de infraestrutura predial, com a
inclusão de serviços variados, na modelagem
conhecida como contratação de facilities, não
configura, por si só, afronta à Lei de Licitações,
quando prévia e formalmente motivada, de modo a
evidenciar, de forma clara e inequívoca, os
benefícios potenciais advindos dessa modelagem,
com destaque para a quantificação das vantagens
econômicas e financeiras e dos ganhos advindos da
economia de escala.

ACÓRDÃO 9455/2017 – 2ª CÂMARA


16ª PERGUNTA:
Há óbice a que familiar do gestor de
contrato seja admitido por empresa prestadora
de serviço terceirizado em contratações sob a
sua fiscalização?

16
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 9455/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 16ª PERGUNTA:
O gestor de contrato responde por
nepotismo ao não coibir a admissão de familiar
seu por empresa prestadora de serviço
terceirizado em contratações sob a sua
fiscalização, por afronta aos princípios da
moralidade e da impessoalidade.

ACÓRDÃO 1079/2017 - PLENÁRIO


17ª PERGUNTA:
A desclassificação de proposta por
inexequibilidade pode dar-se sumariamente
com base no critério definido no edital, sem a
necessidade de ser franqueada oportunidade ao
licitante de defender sua proposta e demonstrar
sua capacidade de bem executar os serviços no
preço por ele ofertado?

17
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1079/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 17ª PERGUNTA:
A desclassificação de proposta por
inexequibilidade deve ser objetivamente
demonstrada, a partir de critérios previamente
publicados, e deve ser franqueada oportunidade
de o licitante defender sua proposta e
demonstrar sua capacidade de bem executar os
serviços, nos termos e condições exigidos pelo
instrumento convocatório, antes de ter sua
proposta desclassificada.

ACÓRDÃO 1122/2017 - PLENÁRIO


18ª PERGUNTA:
A contratação direta com base no art. 24,
inciso IV, da Lei 8.666/1993, também se mostra
possível quando a situação de emergência
decorre da falta de planejamento ou mesmo da
desídia administrativa?

18
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1122/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 18ª PERGUNTA:
A contratação direta também se mostra
possível quando a situação de emergência decorre da
falta de planejamento, da desídia administrativa ou
da má gestão dos recursos púbicos. O art. 24, inciso
IV, da Lei 8.666/1993 não distingue a emergência
resultante do imprevisível daquela resultante da
incúria ou da inércia administrativa, sendo cabível,
em ambas as hipóteses, a contratação direta, desde
que devidamente caracterizada a urgência de
atendimento a situação que possa ocasionar prejuízo
ou comprometer a segurança de pessoas, obras,
serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou
particulares.

ACÓRDÃO 2443/2017 - PLENÁRIO


19ª PERGUNTA:
O fato de o orçamento estimativo da
licitação não contemplar os salários definidos
em convenção coletiva mais recente é
considerado falha meramente formal, passível
de convalidação mediante repactuação logo
após a assinatura do contrato?

19
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2443/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 19ª PERGUNTA:
O fato de o orçamento estimativo da
licitação não considerar os salários definidos em
convenção coletiva mais recente, a despeito da
possibilidade de repactuação em seguida à
assinatura do contrato, viola o art. 9º, § 2º, do
Decreto 5.450/2005, uma vez que o orçamento
estimativo deve refletir os preços de mercado
no momento da publicação do edital.

ACÓRDÃO 1134/2017 - PLENÁRIO


20ª PERGUNTA:
A ausência de interesse da contratada em
prorrogar (renovar) avença de prestação de
serviços de natureza continuada autoriza a
realização de dispensa de licitação para
contratação de remanescente de serviço (art.
24, inciso XI, da Lei 8.666/1993)?

20
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1134/2017 - PLENÁRIO


RESPOSTA À 20ª PERGUNTA:
A ausência de interesse da contratada em
fazer nova prorrogação de avença de prestação
de serviços de natureza continuada autoriza a
realização de dispensa de licitação para
contratação de remanescente de obra, serviço
ou fornecimento (art. 24, inciso XI, da Lei
8.666/1993), desde que atendida a ordem de
classificação da licitação anterior e aceitas as
mesmas condições oferecidas pelo licitante
vencedor, inclusive quanto ao preço.

ACÓRDÃO 10075/2017 – 1ª CÂMARA


21ª PERGUNTA:
Nos contratos de soluções de tecnologia da
informação, o atesto de faturas por parte do
gestor do contrato, sem a manifestação do fiscal
técnico quanto à avaliação dos serviços
executados ou dos bens entregues, viola o
princípio da segregação de funções?

21
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 10075/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 21ª PERGUNTA:
Nos contratos de soluções de tecnologia da
informação, o atesto de faturas por parte do
gestor do contrato, sem a manifestação do fiscal
técnico quanto à avaliação dos serviços
executados ou dos bens entregues, viola o art.
34, incisos II e III, da IN-SLTI 4/2014, bem como o
princípio da segregação de funções.

ACÓRDÃO 4222/2017 – 1ª CÂMARA


22ª PERGUNTA:
É irregular a adesão de entidades do
Sistema ‘S’ a atas de registro de preços de
órgãos e entidades da Administração Pública?

22
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 4222/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 22ª PERGUNTA:
É irregular a adesão de entidades do
Sistema ‘S’ a atas de registro de preços de
órgãos e entidades da Administração Pública,
caso seus regulamentos próprios de licitações
não prevejam tal possibilidade.

ACÓRDÃO 2472/2017 – PLENÁRIO


23ª PERGUNTA:
A participação de empresa estatal no bloco
de controle de empresa privada da qual é
acionista minoritária, mediante celebração de
acordo com o acionista majoritário, conferindo à
estatal parcela de controle compartilhado,
torna-a controladora da empresa participada,
sendo assim devida sua contratação direta pela
estatal com base no art. 24, inciso XXIII, da Lei
8.666/1993?

23
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2472/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 23ª PERGUNTA:
A participação de empresa estatal no bloco de
controle de empresa privada da qual é acionista
minoritária, mediante celebração de acordo com o
acionista majoritário, conferindo à estatal parcela de
controle compartilhado, não a torna controladora da
empresa participada, devendo esta concorrer nas licitações
em condições de igualdade com as demais empresas do
setor privado, sendo indevida sua contratação direta pela
estatal com base no art. 24, inciso XXIII, da Lei 8.666/1993.
Para fins de dispensa de licitação com fundamento nesse
dispositivo, entende-se por controlada a empresa em que a
União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do
capital social com direito a voto, em analogia ao conceito
do art. 165, § 5º, inciso II, da Constituição Federal, que
baliza a noção de empresa controlada.

ACÓRDÃO 1406/2017 – PLENÁRIO


24ª PERGUNTA:
É possível a participação de organizações
sociais (OSs) e de organizações da sociedade
civil de interesse público (Oscips) em
procedimentos licitatórios realizados pelo poder
público?

24
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1406/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 24ª PERGUNTA:
Inexiste vedação legal à participação de
organizações sociais, qualificadas na forma dos
arts. 5º a 7º da Lei 9.637/1998, em
procedimentos licitatórios realizados pelo Poder
Público, sob a égide da Lei 8.666/1993, desde
que o intuito do procedimento licitatório seja a
contratação de entidade privada para prestação
de serviços que se insiram entre as atividades
previstas no contrato de gestão firmado entre o
Poder Público e a organização social.

ACÓRDÃO 1431/2017 – PLENÁRIO


25ª PERGUNTA:
A variação da taxa cambial, para mais ou
para menos, pode ser considerada suficiente
para, isoladamente, fundamentar a necessidade
de reequilíbrio econômico-financeiro do
contrato?

25
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1431/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 25ª PERGUNTA:
A variação da taxa cambial, para mais ou para
menos, não pode ser considerada suficiente para,
isoladamente, fundamentar a necessidade de reequilíbrio
econômico-financeiro do contrato. Para que a variação do
câmbio seja considerada um fato apto a ocasionar uma
recomposição nos contratos, considerando se tratar de fato
previsível, deve culminar consequências incalculáveis
(consequências cuja previsão não seja possível pelo gestor
médio quando da vinculação contratual), fugir à
normalidade, ou seja, à flutuação cambial típica do regime
de câmbio flutuante e, sobretudo, acarretar onerosidade
excessiva no contrato a ponto de ocasionar um
rompimento na equação econômico-financeira, nos termos
previstos no art. 65, inciso II, alínea d, da Lei 8.666/1993.

ACÓRDÃO 2552/2017 – PLENÁRIO


26ª PERGUNTA:
É regular a exigência de prestação de
garantia da proposta antes da data de
apresentação dos documentos de habilitação?

26
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2552/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 26ª PERGUNTA:
É irregular a exigência de prestação de
garantia da proposta antes da data de
apresentação dos documentos de habilitação,
pois não encontra amparo na Lei 8.666/1993 e
permite o conhecimento antecipado das
empresas que efetivamente participarão do
certame, o que pode comprometer o caráter
competitivo da licitação.

ACÓRDÃO 1545/2017 – PLENÁRIO


27ª PERGUNTA:
É regular a aquisição pela Administração,
mediante credenciamento, de passagens aéreas
em linhas regulares domésticas, sem a
intermediação de agência de viagem?

27
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1545/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 27ª PERGUNTA:
É regular a aquisição pela Administração,
mediante credenciamento, de passagens aéreas
em linhas regulares domésticas, sem a
intermediação de agência de viagem, por ser
inviável a competição entre as companhias
aéreas e entre estas e as agências de viagem.

ACÓRDÃO 1549/2017 – PLENÁRIO


28ª PERGUNTA:
Nas licitações regidas pela Lei 8.666/1993,
pela Lei 10.520/2002 (Lei do Pregão) e pela Lei
13.303/2016 (Lei das Estatais), o valor orçado se
confunde com o preço máximo?

28
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1549/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 28ª PERGUNTA:
Nas licitações regidas pela Lei 8.666/1993, o
valor orçado não se confunde com o preço máximo,
a menos que o instrumento convocatório
estabeleça tal condição. Não sendo ela
estabelecida, a contratação por preço superior ao
orçado deve ser justificada.

ACÓRDÃO 5244/2017 – 1ª CÂMARA


29ª PERGUNTA:
A existência de um único imóvel apto a,
por suas características de instalação e
localização, atender às finalidades precípuas da
Administração é requisito para a contratação
por dispensa de licitação fundada no art. 24,
inciso X, da Lei 8.666/1993?

29
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 5244/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 29ª PERGUNTA:
A existência de um único imóvel apto a,
por suas características de instalação e
localização, atender às finalidades precípuas da
Administração não é requisito para a
contratação por dispensa de licitação fundada
no art. 24, inciso X, da Lei 8.666/1993.

ACÓRDÃO 1667/2017 – PLENÁRIO


30ª PERGUNTA:
O desenvolvimento e a manutenção de
softwares podem ser enquadrados na categoria
de objetos comuns prevista na Lei 10.520/2002
(Lei do Pregão)?

30
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1667/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 30ª PERGUNTA:
O desenvolvimento e a manutenção de
softwares enquadram-se na categoria de
objetos comuns prevista na Lei 10.520/2002
sempre que possam ter seus padrões de
desempenho e qualidade objetivamente
definidos no edital por meio de especificações
usuais no mercado, devendo, nessa situação, ser
licitados mediante pregão (art. 9º, §§ 1º e 2º, do
Decreto 7.174/2010).

ACÓRDÃO 1604/2017 – PLENÁRIO


31ª PERGUNTA:
A utilização do sistema de registro de
preços para contratação imediata de serviços
continuados e específicos, com quantitativos
certos e determinados, sem que haja
parcelamento de entregas do objeto, viola o art.
3º do Decreto Federal 7.892/2013?

31
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1604/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 31ª PERGUNTA:
A utilização do sistema de registro de
preços para contratação imediata de serviços
continuados e específicos, com quantitativos
certos e determinados, sem que haja
parcelamento de entregas do objeto, viola o art.
3º do Decreto 7.892/2013.

ACÓRDÃO 2554/2017 – PLENÁRIO


32ª PERGUNTA:
Para atendimento dos limites definidos no
art. 65, §§ 1º e 2º, da Lei 8.666/1993, é possível
a compensação entre acréscimos e supressões?

32
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2554/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 32ª PERGUNTA:
Como regra geral, para atendimento dos
limites definidos no art. 65, §§ 1º e 2º, da Lei
8.666/1993, os acréscimos ou supressões nos
montantes dos contratos firmados pelos órgãos
e entidades da Administração Pública devem ser
considerados de forma isolada, sendo
calculados sobre o valor original do contrato,
vedada a compensação entre acréscimos e
supressões.

ACÓRDÃO 2600/2017 – PLENÁRIO


33ª PERGUNTA:
É regular a permissão de adesão à ata de
registro de preços derivada de licitação na qual
foram impostos critérios e condições
particulares às necessidades do ente
gerenciador?

33
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2600/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 33ª PERGUNTA:
É irregular a permissão de adesão à ata de
registro de preços derivada de licitação na qual
foram impostos critérios e condições
particulares às necessidades do ente
gerenciador.

ACÓRDÃO 1893/2017 – PLENÁRIO


34ª PERGUNTA:
É possível a utilização da ata de registro de
preços por quaisquer interessados – incluindo o
próprio gerenciador, os órgãos participantes e
eventuais “caronas” – para aquisição separada
de itens de objeto adjudicado por preço global
de lote ou grupo para os quais o fornecedor
convocado para assinar a ata não tenha
apresentado o menor preço na licitação?

34
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1893/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 34ª PERGUNTA:
É indevida a utilização da ata de registro de
preços por quaisquer interessados – incluindo o
próprio gerenciador, os órgãos participantes e
eventuais caronas, caso tenha sido prevista a
adesão para órgãos não participantes – para
aquisição separada de itens de objeto
adjudicado por preço global de lote ou grupo
para os quais o fornecedor convocado para
assinar a ata não tenha apresentado o menor
preço na licitação.

ACÓRDÃO 2033/2017 – PLENÁRIO


35ª PERGUNTA:
Mesmo com a edição da Lei 13.303/2016,
as empresas estatais exploradoras de atividade
econômica estão dispensadas de licitar a
prestação de serviços relacionados com seus
respectivos objetos sociais?

35
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2033/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 35ª PERGUNTA:
Embora as empresas estatais estejam
dispensadas de licitar a prestação de serviços
relacionados com seus respectivos objetos
sociais (art. 28, § 3º, inciso I, da Lei
13.303/2016), devem conferir lisura e
transparência a essas contratações, em atenção
aos princípios que regem a atuação da
Administração Pública, selecionando seus
parceiros por meio de processo competitivo,
isonômico, impessoal e transparente.

ACÓRDÃO 9873/2017 – 2ª CÂMARA


36ª PERGUNTA:
O contrato emergencial deve conter
expressa cláusula resolutiva que estabeleça a
sua extinção logo após a conclusão do processo
licitatório para nova contratação dos
correspondentes serviços?

36
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 9873/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 36ª PERGUNTA:
O contrato emergencial deve conter
expressa cláusula resolutiva que estabeleça a
sua extinção logo após a conclusão do processo
licitatório para nova contratação dos
correspondentes serviços.

ACÓRDÃO 2077/2017 – PLENÁRIO


37ª PERGUNTA:
A apuração das condutas faltosas
praticadas por licitantes consiste em faculdade
do gestor público com tal atribuição?

37
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2077/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 37ª PERGUNTA:
A apuração das condutas faltosas
praticadas por licitantes não consiste em
faculdade do gestor público com tal atribuição,
mas em dever legal. A aplicação de penalidades
não se restringe ao Poder Judiciário, mas, nos
termos das Leis 8.666/1993 e 10.520/2002, cabe
também aos entes públicos que exercem a
função administrativa.

ACÓRDÃO 2212/2017 – PLENÁRIO


38ª PERGUNTA:
Em certame licitatório para a contratação
de serviços de gerenciamento, controle e
fornecimento de combustíveis por meio de
sistema informatizado, é legal a exigência de
comprovação de rede credenciada na fase de
habilitação técnica?

38
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2212/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 38ª PERGUNTA:
Em certame licitatório para a contratação
de serviço de gerenciamento, controle e
fornecimento de combustíveis, é irregular a
exigência de comprovação de rede credenciada
na fase de habilitação, porquanto acarreta ônus
desnecessário ao licitante e, em consequência,
restringe indevidamente a competitividade da
licitação.

ACÓRDÃO 1134/2017 – 2ª CÂMARA


39ª PERGUNTA:
A licitação conjunta de equipamentos e
dos respectivos serviços de instalação, por ser
exceção à regra geral do parcelamento, exige do
órgão contratante a demonstração, por meio de
estudos preliminares, de que aquisição conjunta
seria efetivamente a mais adequada em termos
técnicos e econômicos?

39
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1134/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 39ª PERGUNTA:
A licitação conjunta de equipamentos e
dos respectivos serviços de instalação, por ser
exceção à regra geral do parcelamento, exige do
órgão contratante a demonstração, por meio de
estudos preliminares, de que a segregação da
compra traria prejuízos aos fins pretendidos e
de que a aquisição conjunta seria efetivamente
a mais adequada em termos técnicos e
econômicos.

ACÓRDÃO 212/2017 – PLENÁRIO


40ª PERGUNTA:
Mesmo sendo imprescindível a vistoria ao
local da prestação dos serviços, deverá o edital
prever a possibilidade de substituição do
atestado de visita técnica por declaração do
responsável técnico da licitante de que possui
pleno conhecimento do objeto, das condições e
das peculiaridades inerentes à natureza dos
trabalhos?

40
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 212/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 40ª PERGUNTA:
A vistoria ao local da prestação dos
serviços somente deve ser exigida quando
imprescindível, devendo, mesmo nesses casos, o
edital prever a possibilidade de substituição do
atestado de visita técnica por declaração do
responsável técnico da licitante de que possui
pleno conhecimento do objeto, das condições e
das peculiaridades inerentes à natureza dos
trabalhos.

ACÓRDÃO 2397/2017 – PLENÁRIO


41ª PERGUNTA:
A não realização da audiência pública
prevista no art. 39 da Lei 8.666/1993 constitui
vício insanável que macula todo o procedimento
licitatório, ocasionando a sua anulação?

41
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2397/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 41ª PERGUNTA:
A não realização da audiência pública
prevista no art. 39 da Lei 8.666/1993 constitui
vício insanável que macula todo o procedimento
licitatório, ocasionando a sua anulação.

ACÓRDÃO 637/2017 – PLENÁRIO


42ª PERGUNTA:
A inexequibilidade de itens isolados da
planilha de custos caracteriza motivo suficiente
para a desclassificação da proposta?

42
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 637/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 42ª PERGUNTA:
A inexequibilidade de itens isolados da
planilha de custos não caracteriza motivo
suficiente para a desclassificação da proposta
(art. 48, inciso II, da Lei 8.666/1993), pois o juízo
sobre a inexequibilidade, em regra, tem como
parâmetro o valor global da proposta.

ACÓRDÃO 844/2017 – PLENÁRIO


43ª PERGUNTA:
Existe percentual tolerável de sobrepreço
global nas contratações públicas?

43
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 844/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 43ª PERGUNTA:
Não existe percentual tolerável de
sobrepreço global nas contratações públicas,
especialmente quando a análise da
economicidade se baseia em amostra
representativa e os preços paradigmas são
extraídos dos sistemas oficiais de referência.

ACÓRDÃO 2504/2017 – 1ª CÂMARA


44ª PERGUNTA:
Quais requisitos deverão ser observados
para que o credenciamento possa ser
considerado como hipótese de inviabilidade de
competição?

44
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2504/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 44ª PERGUNTA:
O credenciamento pode ser considerado
como hipótese de inviabilidade de competição
quando observados requisitos como: i) contratação
de todos os que tiverem interesse e que satisfaçam
as condições fixadas pela Administração, não
havendo relação de exclusão; ii) garantia de
igualdade de condições entre todos os interessados
hábeis a contratar com a Administração, pelo preço
por ela definido; iii) demonstração inequívoca de
que as necessidades da Administração somente
poderão ser atendidas dessa forma.

ACÓRDÃO 1175/2017 – PLENÁRIO


45ª PERGUNTA:
O menor somatório dos preços unitários é
critério racional, apto e válido para seleção da
proposta mais vantajosa para a Administração?

45
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1175/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 45ª PERGUNTA:
O menor somatório dos preços unitários
não é critério racional, apto e válido para
seleção da proposta mais vantajosa para a
Administração, nos termos do art. 3º da Lei
8.666/1993, e, portanto, não pode ser utilizado
como critério de julgamento em licitações para
contratação de serviços de planejamento,
organização e execução de eventos, ou
destinadas a qualquer outro tipo de
contratação.

ACÓRDÃO 2397/2017 – PLENÁRIO


46ª PERGUNTA:
Viola o art. 31, § 2º, da Lei 8.666/1993 o
edital da licitação exigir comprovação de
patrimônio líquido mínimo pelo licitante, para
fins de qualificação econômico-financeira,
concomitantemente com previsão de prestação
de garantia contratual (art. 56) pelo contratado?

46
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2397/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 46ª PERGUNTA:
Não viola o art. 31, § 2º, da Lei 8.666/1993
o edital da licitação exigir comprovação de
patrimônio líquido mínimo pelo licitante, para
fins de qualificação econômico-financeira,
concomitantemente com previsão de prestação
de garantia contratual (art. 56) pelo contratado.
Afronta aquele dispositivo legal a exigência
simultânea de patrimônio líquido mínimo e de
garantia de participação na licitação (art. 31,
inciso III) como requisitos de habilitação.

ACÓRDÃO 4843/2017 – 1ª CÂMARA


47ª PERGUNTA:
A autoridade homologadora é
solidariamente responsável pelos vícios
identificados nos procedimentos licitatórios?

47
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 4843/2017 – 1ª CÂMARA


RESPOSTA À 47ª PERGUNTA:
A autoridade homologadora é
solidariamente responsável pelos vícios
identificados nos procedimentos licitatórios,
exceto se forem vícios ocultos, dificilmente
perceptíveis. A homologação se caracteriza
como um ato de controle praticado pela
autoridade competente, que não pode ser tido
como meramente formal ou chancelatório.

ACÓRDÃO 1549/2017 – PLENÁRIO


48ª PERGUNTA:
O fato de os valores adjudicados
encontrarem-se superiores aos valores orçados
serve para evidenciar que aqueles estão acima
dos preços de mercado?

48
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1549/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 48ª PERGUNTA:
O sobrepreço deve ser aferido a partir dos
preços de mercado ou com base em sistemas
referenciais de preço. O fato de os valores
adjudicados encontrarem-se superiores aos
valores orçados não serve para evidenciar que
aqueles estão acima dos preços de mercado.
Essa constatação deve estar baseada em
informações sobre os preços efetivamente
praticados no mercado à época.

ACÓRDÃO 1671/2017 – PLENÁRIO


49ª PERGUNTA:
Nos serviços de natureza continuada, é
lícita a previsão contratual de retenção pela
Administração de pagamentos devidos à
contratada em valores correspondentes às
obrigações trabalhistas e previdenciárias
inadimplidas, relativas aos empregados
dedicados à execução do contrato?

49
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1671/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 49ª PERGUNTA:
Nos serviços de natureza continuada, é
lícita a previsão contratual de retenção pela
Administração de pagamentos devidos à
contratada em valores correspondentes às
obrigações trabalhistas e previdenciárias
inadimplidas, relativas aos empregados
dedicados à execução do contrato.

ACÓRDÃO 2468/2017 – PLENÁRIO


50ª PERGUNTA:
Em contratações de serviços de software,
há amparo legal para a exigência de certificado
de qualidade de processo de software, a
exemplo de CMMi ou MPS.BR, como requisito
de habilitação no certame licitatório?

50
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2468/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 50ª PERGUNTA:
Em contratações de serviços de software,
não há amparo legal para a exigência de
certificado de qualidade de processo de
software, a exemplo de CMMi ou MPS.BR, como
requisito de habilitação no certame licitatório.

ACÓRDÃO 1823/2017 – PLENÁRIO


51ª PERGUNTA:
A adesão à ata de registro de preços deve
ser justificada pelo órgão não participante
(“carona”). Serve a esse propósito a mera
reprodução do plano de trabalho do órgão
gerenciador?

51
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1823/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 51ª PERGUNTA:
A adesão a ata de registro de preços deve ser
justificada pelo órgão não participante mediante
detalhamento das necessidades que pretende
suprir por meio do contrato e demonstração da sua
compatibilidade com o objeto discriminado na ata,
não servindo a esse propósito a mera reprodução,
parcial ou integral, do plano de trabalho do órgão
gerenciador. A comprovação da vantagem da
adesão deve estar evidenciada pelo confronto
entre os preços unitários dos bens e serviços
constantes da ata de registro de preços e
referenciais válidos de mercado.

ACÓRDÃO 7979/2017 – 2ª CÂMARA


52ª PERGUNTA:
A contratação direta de remanescente de
obra, serviço ou fornecimento decorrente de
rescisão contratual (art. 24, inciso XI, da Lei
8.666/1993) requer a manutenção das
condições oferecidas pelo licitante vencedor,
inclusive quanto aos preços unitários, ou basta
apenas a adoção do mesmo preço global?

52
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 7979/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 52ª PERGUNTA:
A contratação direta de remanescente de
obra, serviço ou fornecimento decorrente de
rescisão contratual (art. 24, inciso XI, da Lei
8.666/1993) requer a manutenção das
condições oferecidas pelo licitante vencedor,
inclusive quanto aos preços unitários,
devidamente corrigidos, e não apenas a adoção
do mesmo preço global.

ACÓRDÃO 7982/2017 – 2ª CÂMARA


53ª PERGUNTA:
Pode o edital vedar o somatório de
atestados para fim de comprovação, por parte
dos licitantes, dos quantitativos mínimos
exigidos na qualificação técnico-operacional?

53
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 7982/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 53ª PERGUNTA:
A vedação, sem justificativa técnica, ao
somatório de atestados para comprovar os
quantitativos mínimos exigidos na qualificação
técnico-operacional contraria os princípios da
motivação e da competitividade.

ACÓRDÃO 8330/2017 – 2ª CÂMARA


54ª PERGUNTA:
O tratamento favorecido às microempresas
e empresas de pequeno porte para
comprovação de regularidade fiscal, previsto na
Lei Complementar 123/2006, também deve ser
estendido à qualificação econômico-financeira?

54
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 8330/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 54ª PERGUNTA:
O tratamento favorecido às microempresas
e empresas de pequeno porte para
comprovação de regularidade fiscal, previsto na
Lei Complementar 123/2006, não se estende à
qualificação econômico-financeira.

ACÓRDÃO 8514/2017 – 2ª CÂMARA


55ª PERGUNTA:
Na elaboração de orçamento estimativo
para equipamentos a serem fornecidos em
mercado competitivo, devem ser adotados os
valores decorrentes das cotações mínimas?

55
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 8514/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 55ª PERGUNTA:
Na elaboração de orçamento estimativo
para equipamentos a serem fornecidos em
mercado restrito, devem ser adotados os valores
decorrentes das cotações mínimas. As médias
ou medianas de cotações de preços devem ser
empregadas apenas em condições de mercado
competitivo.

ACÓRDÃO 8564/2017 – 2ª CÂMARA


56ª PERGUNTA:
A Administração pode realizar despesas
com festividades, eventos comemorativos,
lanches e congêneres vinculados às finalidades
da entidade?

56
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 8564/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 56ª PERGUNTA:
A Administração não deve realizar
despesas com festividades, eventos
comemorativos, lanches e congêneres não
vinculados às finalidades da entidade e sem que
haja comedimento de gastos, em obediência aos
princípios da legalidade, da moralidade, da
legitimidade e da economicidade.

ACÓRDÃO 9609/2017 – 2ª CÂMARA


57ª PERGUNTA:
Há vedação à participação do autor do
projeto básico em certame licitatório para a
elaboração do projeto executivo ou para a
assessoria técnica dos projetos durante a
construção da obra?

57
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 9609/2017 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 57ª PERGUNTA:
Não há vedação à participação do autor do
projeto básico em certame licitatório para a
elaboração do projeto executivo ou para a
assessoria técnica dos projetos durante a
construção da obra. A proibição incide sobre a
participação do autor do projeto básico ou
executivo na licitação para a contratação da
obra, serviço ou fornecimento deles
decorrentes, nos termos do art. 9º, inciso I, da
Lei 8.666/1993.

ACÓRDÃO 2307/2017 – PLENÁRIO


58ª PERGUNTA:
Quais os riscos da existência, na planilha
contratual, de serviços específicos com preços
unitários acima dos referenciais de mercado,
mesmo que não esteja caracterizado o
sobrepreço global?

58
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2307/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 58ª PERGUNTA:
A existência na planilha contratual de serviços
específicos com preços unitários acima dos
referenciais de mercado, ainda que não caracterize
sobrepreço global, deve ser evitada, principalmente
se concentrados na parcela de maior materialidade
da obra, pois traz risco de dano ao erário no caso de
celebração de aditivos que aumentem quantitativos
dos serviços majorados (jogo de planilha) ou diante
da inexecução de serviços com descontos
significativos nos preços, depois de executados
aqueles com preços unitários superiores aos de
mercado (jogo de cronograma).

ACÓRDÃO 2318/2017 – PLENÁRIO


59ª PERGUNTA:
É competência do pregoeiro verificar se
houve pesquisa recente de preços junto ao
mercado fornecedor do bem licitado e se essa
pesquisa se orientou por critérios aceitáveis?
Essa verificação também pode ser exigida da
autoridade que homologa o certame?

59
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2318/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 59ª PERGUNTA:
É da competência do pregoeiro e da
autoridade que homologa o certame verificar se
houve pesquisa recente de preços junto ao
mercado fornecedor do bem licitado e se essa
pesquisa se orientou por critérios aceitáveis.

ACÓRDÃO 2591/2017 – PLENÁRIO


60ª PERGUNTA:
Na contratação integrada do RDC,
eventuais ganhos ou encargos oriundos das
soluções adotadas pelo contratado na
elaboração do projeto básico devem ser
auferidos ou suportados única e exclusivamente
pelo particular, independentemente da
existência de uma matriz de riscos disciplinando
a contratação?

60
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 2591/2017 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 60ª PERGUNTA:
Na contratação integrada do RDC,
eventuais ganhos ou encargos oriundos das
soluções adotadas pelo contratado na
elaboração do projeto básico devem ser
auferidos ou suportados única e exclusivamente
pelo particular, independentemente da
existência de uma matriz de riscos disciplinando
a contratação. Eventuais omissões ou
indefinições no anteprojeto, em regra, não
ensejam a celebração de termos de aditamento
contratual, pois anteprojeto não é projeto
básico.

ACÓRDÃO 170/2018 – PLENÁRIO


61ª PERGUNTA:
A vistoria ao local das obras, quando
exigida pela Administração, pode ser substituída
pela apresentação de declaração de preposto da
licitante de que possui pleno conhecimento do
objeto?

61
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 170/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 61ª PERGUNTA:
A vistoria ao local das obras somente deve
ser exigida quando imprescindível para a
perfeita compreensão do objeto e com a
necessária justificativa da Administração nos
autos do processo licitatório, podendo ser
substituída pela apresentação de declaração de
preposto da licitante de que possui pleno
conhecimento do objeto. A visita deve ser
compreendida como direito subjetivo da
empresa licitante, não como obrigação imposta
pela Administração.

ACÓRDÃO 420/2018 – PLENÁRIO


62ª PERGUNTA:
A mera comparação dos valores constantes
em ata de registro de preços com os obtidos
junto a empresas consultadas na fase interna de
licitação é suficiente para configurar a
vantajosidade da adesão à ata?

62
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 420/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 62ª PERGUNTA:
A mera comparação dos valores constantes
em ata de registro de preços com os obtidos junto
a empresas consultadas na fase interna de
licitação não é suficiente para configurar a
vantajosidade da adesão à ata, haja vista que os
preços informados nas consultas, por vezes
superestimados, não serão, em regra, os
efetivamente contratados. Deve o órgão não
participante (“carona”), com o intuito de aferir a
adequação dos preços praticados na ata, se
socorrer de outras fontes, a exemplo de licitações
e contratos similares realizados no âmbito da
Administração Pública.

ACÓRDÃO 505/2018 – PLENÁRIO


63ª PERGUNTA:
Em licitações de serviços de terceirização
de mão de obra, pode ser aceito o somatório de
atestados para fins de qualificação técnico-
operacional mesmo quando eles não se
referirem a serviços executados de forma
concomitante?

63
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 505/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 63ª PERGUNTA:
Em licitações de serviços de terceirização
de mão de obra, só deve ser aceito o somatório
de atestados para fins de qualificação técnico-
operacional quando eles se referirem a serviços
executados de forma concomitante, pois essa
situação equivale, para comprovação da
capacidade técnica das licitantes, a uma única
contratação.

ACÓRDÃO 980/2018 – PLENÁRIO


64ª PERGUNTA:
O sistema de registro de preços é aplicável
à contratação de obras?

64
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 980/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 64ª PERGUNTA:
O sistema de registro de preços não é
aplicável à contratação de obras, pelo fato de o
objeto não se enquadrar em nenhuma das
hipóteses previstas no art. 3º do Decreto
7.892/2013 e também porque, na contratação
de obras, não há demanda por itens isolados,
pois os serviços não podem ser dissociados uns
dos outros.

ACÓRDÃO 3474/2018 – 2ª CÂMARA


65ª PERGUNTA:
O contrato emergencial deve conter
expressa cláusula resolutiva que estabeleça a
sua extinção logo após a conclusão do processo
licitatório para nova contratação dos
correspondentes serviços?

65
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 3474/2018 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 65ª PERGUNTA:
O contrato emergencial deve conter
expressa cláusula resolutiva que estabeleça a
sua extinção logo após a conclusão do processo
licitatório para nova contratação dos
correspondentes serviços.

ACÓRDÃO 1095/2018 – PLENÁRIO


66ª PERGUNTA:
É possível a Administração estabelecer
limites ao somatório de atestados ou mesmo
não o permitir no exame da qualificação técnica
do licitante?

66
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1095/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 66ª PERGUNTA:
É vedada a imposição de limites ou de
quantidade certa de atestados ou certidões para
fins de comprovação da qualificação técnica.
Contudo, caso a natureza e a complexidade
técnica da obra ou do serviço mostrem
indispensáveis tais restrições, deve a
Administração demonstrar a pertinência e a
necessidade de estabelecer limites ao somatório
de atestados ou mesmo não o permitir no
exame da qualificação técnica do licitante.

ACÓRDÃO 1234/2018 – PLENÁRIO


67ª PERGUNTA:
É possível a formalização de contratação de
fornecimento de bens para entrega imediata e
integral, da qual não resulte obrigações futuras,
por meio de nota de empenho,
independentemente do valor ou da modalidade
licitatória adotada? O que significa “entrega
imediata”?

67
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1234/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 67ª PERGUNTA:
É possível a formalização de contratação de
fornecimento de bens para entrega imediata e
integral, da qual não resulte obrigações futuras, por
meio de nota de empenho, independentemente do
valor ou da modalidade licitatória adotada, nos
termos do art. 62, § 4º, da Lei 8.666/1993 e à luz
dos princípios da eficiência e da racionalidade
administrativa. Entende-se por “entrega imediata”
aquela que ocorrer em até trinta dias a partir do
pedido formal de fornecimento feito pela
Administração, que deve ocorrer por meio da
emissão da nota de empenho, desde que a
proposta esteja válida na ocasião da solicitação.

ACÓRDÃO 1347/2018 – PLENÁRIO


68ª PERGUNTA:
Numa licitação para registro de preços em
que tenha sido utilizada a modelagem de
aquisição por preço global de grupo de itens, é
possível a aquisição futura de itens
isoladamente?

68
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1347/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 68ª PERGUNTA:
Nas licitações para registro de preços, a
modelagem de aquisição por preço global de
grupo de itens é medida excepcional que precisa
ser devidamente justificada, a ser utilizada
apenas nos casos em que a Administração
pretende contratar a totalidade dos itens do
grupo, respeitadas as proporções de quantitativos
definidos no certame. Apesar de essa modelagem
ser, em regra, incompatível com a aquisição
futura de itens isoladamente, admite-se tal
hipótese quando o preço unitário ofertado pelo
vencedor do grupo for o menor lance válido na
disputa relativa ao item.

ACÓRDÃO 1443/2018 – PLENÁRIO


69ª PERGUNTA:
A contratação direta de remanescente de
obra, serviço ou fornecimento decorrente de
rescisão contratual (art. 24, inciso XI, da Lei
8.666/1993) requer a manutenção das
condições oferecidas pelo licitante vencedor,
inclusive quanto aos preços unitários,
devidamente corrigidos, ou só apenas a adoção
do mesmo preço global?

69
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1443/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 69ª PERGUNTA:
A contratação direta de remanescente de
obra, serviço ou fornecimento decorrente de
rescisão contratual (art. 24, inciso XI, da Lei
8.666/1993) requer a manutenção das
condições oferecidas pelo licitante vencedor,
inclusive quanto aos preços unitários,
devidamente corrigidos, e não apenas a adoção
do mesmo preço global.

ACÓRDÃO 1620/2018 – PLENÁRIO


70ª PERGUNTA:
O juízo do pregoeiro acerca da
aceitabilidade da proposta é feito após a etapa
competitiva do certame (fase de lances),
devendo o licitante ser convocado para
comprovar a sua exequibilidade antes de
eventual desclassificação. É possível também a
exclusão de lances durante a etapa competitiva
do pregão?

70
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1620/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 70ª PERGUNTA:
O juízo do pregoeiro acerca da
aceitabilidade da proposta é feito após a etapa
competitiva do certame (fase de lances),
devendo o licitante ser convocado para
comprovar a sua exequibilidade antes de
eventual desclassificação. Apenas em situações
extremas, quando os lances ofertados
configurarem preços simbólicos, irrisórios ou de
valor zero, gerando uma presunção absoluta de
inexequibilidade, admite-se a exclusão de lances
durante a etapa competitiva do pregão.

ACÓRDÃO 1695/2018 – PLENÁRIO


71ª PERGUNTA:
A definição do critério de aceitabilidade
dos preços unitários e global nos editais para a
contratação de obras, com a fixação de preços
máximos para ambos (Súmula TCU 259), é
obrigatória mesmo no caso de empreitada por
preço global?

71
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1695/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 71ª PERGUNTA:
A definição do critério de aceitabilidade
dos preços unitários e global nos editais para a
contratação de obras, com a fixação de preços
máximos para ambos, é obrigação e não
faculdade do gestor (Súmula TCU 259), ainda
que se trate de empreitada por preço global.
Essa obrigação tem por objetivo mitigar a
ocorrência dos riscos associados tanto ao “jogo
de cronograma” quanto ao “jogo de planilha”.

ACÓRDÃO 1872/2018 – PLENÁRIO


72ª PERGUNTA:
Na fase de negociação posterior à disputa
de lances em pregão sob a modelagem de
adjudicação por preço global de grupo de itens,
é possível a aceitação pelo pregoeiro de itens
com preço unitário superior àquele definido na
etapa de lances, desde que o valor total do
respectivo grupo tenha sido reduzido?

72
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1872/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 72ª PERGUNTA:
Na fase de negociação posterior à disputa
de lances em pregão sob a modelagem de
adjudicação por preço global de grupo de itens,
é irregular a aceitação pelo pregoeiro de itens
com preço unitário superior àquele definido na
etapa de lances, ainda que o valor total do
respectivo grupo tenha sido reduzido. A
negociação de itens de grupo só é admissível se
resultar em redução ou manutenção dos preços
desses itens (art. 4º, inciso XVII, da Lei
10.520/2002).

ACÓRDÃO 1953/2018 – PLENÁRIO


73ª PERGUNTA:
Nos contratos celebrados entre entidades
pertencentes à Administração Pública, são
aplicáveis as cláusulas exorbitantes, previstas
nos arts. 58 e 59 da Lei 8.666/1993?

73
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1953/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 73ª PERGUNTA:
Nos contratos celebrados entre entidades
pertencentes à Administração Pública, são
inaplicáveis as cláusulas exorbitantes, previstas
nos arts. 58 e 59 da Lei 8.666/1993, porquanto
se trata de avenças acordadas por entidades
detentoras de prerrogativas de Poder Público,
onde há situação de igualdade entre as partes.
Assim, qualquer alteração em contratos da
espécie somente pode ocorrer por acordo das
partes, não havendo espaço, ainda, para
anulação ou rescisão pela via administrativa.

ACÓRDÃO 710/2018 – PLENÁRIO


74ª PERGUNTA:
Para fim de qualificação econômico-
financeira, é possível exigir, cumulativamente,
capital social mínimo e garantia de proposta,
prevista no art. 31, inciso III, da Lei 8.666/1993
(garantia de participação)?

74
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 710/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 74ª PERGUNTA:
Para fim de qualificação econômico-
financeira, é vedada a exigência cumulativa de
capital social mínimo e garantia de proposta,
prevista no art. 31, inciso III, da Lei 8.666/1993
(garantia de participação).

ACÓRDÃO 718/2018 – PLENÁRIO


75ª PERGUNTA:
A pesquisa de preços para elaboração do
orçamento estimativo da licitação pode ter
como único foco propostas solicitadas a
fornecedores?

75
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 718/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 75ª PERGUNTA:
A pesquisa de preços para elaboração do
orçamento estimativo da licitação não pode ter
como único foco propostas solicitadas a
fornecedores. Ela deve priorizar os parâmetros
disponíveis no Painel de Preços do Portal de
Compras do Governo Federal e as contratações
similares realizadas por entes públicos, em
observância à IN-SLTI 5/2014.

ACÓRDÃO 719/2018 – PLENÁRIO


76ª PERGUNTA:
O fato de o licitante apresentar
composição de custo unitário contendo salário
de categoria profissional inferior ao piso
estabelecido em acordo, convenção ou dissídio
coletivo de trabalho enseja, necessariamente, a
desclassificação da proposta?

76
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 719/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 76ª PERGUNTA:
O fato de o licitante apresentar
composição de custo unitário contendo salário
de categoria profissional inferior ao piso
estabelecido em acordo, convenção ou dissídio
coletivo de trabalho é, em tese, somente erro
formal, o qual não enseja a desclassificação da
proposta, podendo ser saneado com a
apresentação de nova composição de custo
unitário desprovida de erro, em face do
princípio do formalismo moderado e da
supremacia do interesse público.

ACÓRDÃO 1347/2018 – PLENÁRIO


77ª PERGUNTA:
No sistema de registro de preços com
critério de adjudicação pelo menor preço global
por grupo (lote) de itens, é admissível aquisição
junto a empresa que apresentou a melhor
proposta para determinado item, mas que não
foi vencedora do respectivo grupo?

77
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1347/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 77ª PERGUNTA:
No sistema de registro de preços com
critério de adjudicação pelo menor preço global
por grupo (lote) de itens, não é admissível
aquisição junto a empresa que apresentou a
melhor proposta para determinado item, mas
que não foi vencedora do respectivo grupo, uma
vez que a licitação para registro de preços
objetiva a convocação dos fornecedores mais
bem classificados para assinar as atas, sendo
possível, única e exclusivamente, contratação
com as empresas vencedoras para fornecimento
dos itens nelas registrados.

ACÓRDÃO 1381/2018 – PLENÁRIO


78ª PERGUNTA:
O sistema de registro de preços pode ser
utilizado para a contratação de obras?

78
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1381/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 78ª PERGUNTA:
É cabível o registro de preços para a
contratação de serviços de engenharia em que a
demanda pelo objeto é repetida e rotineira, a
exemplo dos serviços de manutenção e
conservação de instalações prediais, não
podendo ser utilizado para a execução de obras.

ACÓRDÃO 7184/2018 – 2ª CÂMARA


79ª PERGUNTA:
Eventual ausência de cláusula contratual
de reajuste de preços constitui impedimento ao
reequilíbrio econômico-financeiro do contrato?

79
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 7184/2018 – 2ª CÂMARA


RESPOSTA À 79ª PERGUNTA:
O estabelecimento do critério de reajuste de
preços, tanto no edital quanto no contrato, não
constitui discricionariedade conferida ao gestor, mas
sim verdadeira imposição, ante o disposto nos arts.
40, inciso XI, e 55, inciso III, da Lei 8.666/1993, ainda
que a vigência contratual prevista não supere doze
meses. Entretanto, eventual ausência de cláusula de
reajuste de preços não constitui impedimento ao
reequilíbrio econômico-financeiro do contrato, sob
pena de ofensa à garantia inserta no art. 37, inciso
XXI, da Constituição Federal, bem como de
enriquecimento ilícito do erário e consequente
violação ao princípio da boa-fé objetiva.

ACÓRDÃO 1628/2018 – PLENÁRIO


80ª PERGUNTA:
A conduta culposa do responsável que foge
ao referencial do “administrador médio”
utilizado pelo TCU para avaliar a razoabilidade
dos atos submetidos a sua apreciação
caracteriza o “erro grosseiro” a que alude o art.
28 do Decreto-lei 4.657/1942 (Lei de Introdução
às Normas do Direito Brasileiro), incluído pela
Lei 13.655/2018?

80
ELO CONSULTORIA EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS

ACÓRDÃO 1628/2018 – PLENÁRIO


RESPOSTA À 80ª PERGUNTA:
A conduta culposa do responsável que foge
ao referencial do “administrador médio”
utilizado pelo TCU para avaliar a razoabilidade
dos atos submetidos a sua apreciação
caracteriza o “erro grosseiro” a que alude o art.
28 do Decreto-lei 4.657/1942 (Lei de Introdução
às Normas do Direito Brasileiro), incluído pela
Lei 13.655/2018.

MUITO OBRIGADO!
(luizfelipe.adv.bsb@gmail.com)

81