Você está na página 1de 22

Empreendedorismo

Material Teórico

Modelo de Plano de Negócios

Responsável pelo Conteúdo:


Profa. Esp. Isabel Rodrigues

Revisão Textual:
Profa. Ms. Elisabeth Hormizida Britto Cury
i
un
idad
un

4
e
Modelo de Plano de Negócios

Orientações de Estudo
Nesta Unidade, um dos objetivos é entender como o empreendedor pode construir e se
beneficiar de uma rede de relacionamentos (Network), os quais agregam valor para a sua
imagem e da empresa, além, de ser uma importante ferramenta do marketing pessoal.
Outro ponto importante desta Unidade é a aplicação do que foi apreendido nas demais
unidades na elaboração de um Plano de Negócios Simplificado.

5
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Contextualização

As formas de comunicação mudaram muito nos últimos anos, especialmente com


a criação do computador e da internet. Hoje é possível termos acesso a inúmeras
informações, sejam de interesse pessoal ou profissional, por meio de sites especializados
na Web (World Wide Web) – rede de alcance mundial.

Fonte: http://www.servimg.com/image_preview.php?i=15&u=17843530. Acesso em 25/08/2013.

Para iniciarmos esta unidade, vamos refletir sobre a importância da comunicação entre as
pessoas e de que forma podem agregar valor aos envolvidos neste diálogo. Estes relacionamentos
estabelecidos pela sua rede de contatos (network) podem, com certeza, ajudá-lo na conquista
de seus propósitos profissionais. Portanto, é muito importante conhecer e saber relacionar-se
com pessoas.
Ressaltamos a importância de não fazer contato somente quanto estiver precisando e muito
menos fazer contato se não há algo de interessante a dizer.
Veja a tirinha abaixo e faça uma reflexão sobre a relevância da informação quando
acessamos nossa rede de contatos.

Fonte: http://profeticos.net/tag/redes-sociais/

6
Construção da rede de relações (network)

“O conhecimento e a informação são os recursos estratégicos


para o desenvolvimento de qualquer país. Os portadores
desses recursos são as pessoas e suas competências”.
Peter Drucker1

Conceito
O network pode ser entendido como uma rede de contatos que nascem das relações
pessoais e profissionais. Estes relacionamentos podem, de certa forma, ajudá-lo na conquista
de seus propósitos profissionais. Portanto, é muito importante conhecer e relacionar-se com
as pessoas.
Atualmente, temos à disposição na internet, por exemplo, o Likedin que tem configuração
de uma rede de relacionamentos no âmbito profissional, bem semelhante a uma rede social.
A diferença, está no perfil do público que acessa. O Likedin promove entre os seus usuários
uma interatividade entre pessoas das mais diversas profissões. Muitas delas, que estão em
busca de oportunidade de trabalho, fazem parte da rede.
O network profissional pode trazer grandes benefícios para sua imagem e da empresa,
entende-se até como uma importante ferramenta do marketing pessoal.

1 Peter Drucker (1909-2005). Economista, analista financeiro, jornalista, conferencista, consultor, autor e professor, considerado
o pai da administração moderna.

7
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Entenda-se o marketing, de acordo com Kotler (1994) como um grande processo de


trocas, em que:
• Há pelo menos duas partes envolvidas.
• Cada parte tem algo que pode ser de valor para a outra.
• Cada parte tem capacidade de comunicação e entrega.
Destaca-se, portanto, a importância da comunicação entre as pessoas, a qual agrega valor,
além de trazer benefícios aos envolvidos neste diálogo que deve ser permanente.
Muitas empresas já fazem uso do network no processo de contratação, por meio de
indicações, o que mostra a importância da manutenção de um bom relacionamento.
Existem diversas maneiras de se construir um network, não necessariamente pelas redes
sociais, como Linkedin, Facebook etc. Você pode em um evento, palestra, festa, clube, na
escola, por exemplo, começar a construir o seu network.
Para aqueles que pensam em empreender, socializar-se com pessoas que tenham
experiência, especialmente no setor em que pretendem atuar, poderá ser de grande ajuda,
pois não podemos ignorar a experiência e o conhecimento que podem vir desses contatos.

Trocando Ideias
A importância das Redes Sociais
Sem sombra de duvidas, as redes sociais hoje em dia é um dos grandes meios de troca de informações
entre as pessoas e as empresas.
Essa mídia vem crescendo cada vez mais, e a importância de ter conteúdo relevante foi devido
à grande disseminação de informações instantâneas. No Brasil principalmente, a utilização das redes
sociais é usada principalmente para trocar conteúdos cotidianos, acontecimentos bons ou ruins de
diversos assuntos; diferentemente de outros países que utilizam a internet para abraçar alguma causa
e compartilhar para outros usuários para que possa ter algum resultado.
Para se ter ideia do crescimento, se o Facebook fosse um país, ele teria uma população maior que
o Brasil, Rússia e Japão juntos. Desde 2011, o Twitter vem aumentando a cada mês 20 milhões de
usuários, e esses dados só tem a crescer caso não apareça alguma rede social nova para tomar posse
do tempo gasto das pessoas na frente de um computador ou celular. Até o fim deste ano, cerca de
21% de toda população do planeta estará conectado a alguma rede social e é previsto que até o fim
de 2013 o Facebook consiga alcançar a meta do seu primeiro bilhão de usuários em todo o mundo.
E ainda tem empresas que não se importam ou não se adaptam a esse meio. Hoje em dia, a
combinação do conteúdo de um site junto de perfis nas redes sociais, ajudam a divulgar um produto/
serviço, ajuda a alavancar as vendas de um negócio, ajuda a ser uma marca lembrada na cabeça do
consumidor, ajuda a ter um feedback da sua marca com as pessoas, etc.
Com todos esses dados, fica claro que a utilização do Facebook, Twitter, YouTube, LinkedIn,
dentre outras redes sociais, é muito importante para uma empresa. Sendo assim, é preciso focar a
mensagem no seu publico alvo, despertando o interesse dessas p essoas. Lembrando que a utilização
dessas redes nem sempre é pensando em alavancar vendas, mas também aumentar a visibilidade da
sua marca, aumentar o share of mind da empresa, com isso o resultado ao longo prazo é positivo.
Por: Winston Yenzo
Fonte: http://www.devisual.com.br/materia/a-importancia-das-redes-sociais/24. Acesso em: 21/08/2013

8
Porém, cabe uma observação, não faça contato somente quando estiver precisando. Para
que seu network seja de fato efetivo, não se esqueça de cumprimentar um amigo pelo seu
aniversário e demais datas especiais, até pelas suas conquistas, pois pequenos gestos demonstram
a atenção e a importância que estas pessoas têm para você, mas sem exageros!

Regras de Construção do Network


Existem algumas regras que podem auxiliá-lo na construção de manutenção do
seu network:

Dê seu cartão somente quando existir uma boa razão – O melhor momento para dar seu cartão é
quando seu contato tiver algum benefício em fazer negócios com você, quando vocês concordaram
em trocar mais informações ou quando concordaram em aprofundar o relacionamento, marcando
um encontro ou telefonema posterior.

Ao pegar o cartão do seu contato, não esqueça de anotar atrás um lembrete de onde você
encontrou essa pessoa e o motivo para ligar novamente – assim, você já tem um gancho para
iniciar a próxima conversa.

Tenha um objetivo específico para cada encontro – Pense no propósito de cada reunião ou
evento, antes de apresentar-se. Se você pertence formalmente a um grupo, seu objetivo deveria
ser dar e receber dicas de possíveis clientes.

Em grandes eventos, faça como os organizadores, não como um convidado. Comece você
mesmo o contato fique em pé ao lado da porta de entrada, cumprimente as pessoas conforme
elas forem entrando e encoraje-as a se apresentarem.

Ao entrar em qualquer grupo, trabalhe primeiro em benefício dele. Invista tempo em descobrir
os outros e deixe as pessoas conhecerem você melhor – é a melhor forma de convencê-los do
seu valor.

Crie oportunidades – Encontre pessoas novas e diferentes.

Lembre-se dos seus clientes – O network mais importante que existe são os seus clientes,
não apenas para vender mais, mas também para proteger-se de ataques da concorrência, de
compradores que mudam de empresa, de demissões etc. Fazer parte da vida dos seus clientes
aumenta sua lealdade.

Faça com que as pessoas saibam que elas fazem parte do


seu network – Um network não é um banco de dados. Pessoas seu
e melhorar
no seu network precisam ser tratadas cuidadosamente e isso Aumentar e do
ve ser part
requer contatos pessoais. Para conseguir o máximo do seu network de de
plano e stratégico
network, doe seu tempo, sua energia e seu conhecimento. seu com
de acordo
O resto acontecerá naturalmente. negócios, sua
efinida pela a
a missão d s
s benefício
empresa. O to para você
Fonte: Adaptado. http://goo.gl/K3fjjp. Acesso em: 21/08/2013
, tan
longo prazo dos
seus resulta
quanto para sos
serão imen
em vendas,

9
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

A partir das dicas para a construção do seu network, observe que não necessariamente
a construção da sua rede de relacionamentos provém somente de amigos. O empreendedor
deve estabelecer um bom relacionamento junto aos seus clientes, fornecedores e até mesmo
com outras empresas que atuam no setor em que está inserido.
É fundamental, para as estratégias que o empreendedor adotará na condução do seu
negócio, conhecer o nível de satisfação dos clientes em relação ao que é ofertado e conhecer
as ações de sua concorrência, o que possibilita uma melhor tomada de decisão.

Importante
Participe e debata permanentemente sobre questões relacionadas à sua profissão, procure estar
atento a mudanças e ao surgimento de novas tendências que lhe propiciarão um melhor
entendimento dos rumos a serem tomados, seja no campo pessoal ou profissional.

Modelo de Plano de Negócios: elaboração e apresentação


de um plano de negócios simplificado

Conceito de Plano de Negócios


Com certeza, em algum momento de sua vida, você precisou usar um mapa, para localizar
uma cidade, o bairro onde mora, ou até mesmo algum lugar aonde você queira ir e não sabe
como chegar.
Como abrir uma empresa ou até mesmo administrá-la sem planejamento? Já vimos
anteriormente que muitas empresas fecham suas portas por total desconhecimento de
gestão. Portanto, é importante para o empreendedor saber exatamente o que e como fazer.
Delinear de forma clara o conceito do seu negócio, entender seu público alvo, os concorrentes,
avaliar os riscos inerentes ao próprio negócio, definir estratégias mercadológicas e desenvolver
um plano financeiro. Estas ações ajudarão o empreendedor na viabilização de seu negócio.
O Plano de Negócios, também conhecido como “business plan”, é muito semelhante a um
mapa ou uma bússola que ajuda o empreendedor a determinar os rumos do seu negócio.
Ele é utilizado pelas empresas como uma ferramenta de gestão, que auxilia o empreendedor
no Planejamento, Organização, Execução e Controle.

10
De acordo com Salim (2005), a elaboração do Plano de Negócios pode ajudar
o empreendedor a responder algumas perguntas:

Fonte: Adaptado. Salim (2005, p.2)

Observe que construir um Plano de Negócios não é uma tarefa tão simples e requer
questionamentos importantes para a construção e condução do seu negócio, a fim de que
se torne viável. Além disso, o Plano de Negócios pode ser uma importante ferramenta
que servirá de argumento para o empreendedor que está em busca de financiamento,
sócio ou investidor.
O Plano de Negócio é um documento que, segundo alguns autores, como Dornelas
(2005) e Salim (2005), devem ter de 10 a 15 páginas no máximo, apresentando de
forma sucinta o conceito do negócio e os diversos tipos de planejamento (marketing,
finanças etc.), com metas que se possam colocar em prática, além do estudo de viabilidade
do empreendimento. Devem considerar:

• Conhecimento da equipe (habilidades e competências);


• Potencial do seu mercado alvo;
• Ideia inovadora ou que traga um benefício diferenciado, distinto em relação à concorrência;
• Viabilidade econômica do negócio;
• Projeções financeiras concretas (reais).

É importante destacar que o Plano de Negócios por si só não é garantia de que o negócio
dará certo, porém ajuda o empreendedor a traçar uma rota mais segura para a implementação
do seu negócio, lembrando a importância de se ter uma boa equipe, dedicada e comprometida
no exercício de suas funções.

11
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Fonte: Thinkstock/Getty Images

Elaboração do Plano de Negócios Simplificado


Na elaboração de seu Plano de Negócios, tenha em mente que ele deverá ser escrito de
forma clara, concisa (resumida) e organizada. Lembre-se de que ele será o seu “Mapa” (roteiro)!
Cada autor que trata sobre a Estrutura do Plano de Negócios apresenta-o de formas
diferentes, porém os tópicos mais importantes são comuns a todos:

12
Os tópicos apresentados servirão de referência para a construção do seu Plano
de Negócios:
1. Sumário Executivo: é um dos tópicos mais importantes a ser desenvolvido
no Plano de Negócios. De acordo com Salim (2005), faz parte do Sumário Executivo:
o conceito do negócio, missão, visão e valores, informações sobre a equipe de gestão,
breve descrição do mercado e da concorrência, os principais objetivos do negócio e metas,
as principais estratégias de Marketing e Vendas, processo de Produção ou Operações
(serviços) e estimativa dos Resultados Financeiros e investimentos.
Para Dornelas (2005, p.127), o Sumário Executivo deverá responder as seguintes perguntas:

Recomenda-se que o Sumário Executivo, seja descrito no máximo em duas páginas.


Deverá ser desenvolvido somente ao final da elaboração do Plano de Negócios, pois todas
as informações necessárias para a realização ainda precisam ser construídas.
2. Produtos e Serviços: Descrever as mais importantes características dos produtos
e/ou serviços da empresa, sua aplicabilidade (uso), como são desenvolvidos (produzidos) os
recursos que serão utilizados para o seu desenvolvimento e produção, inclusive tecnológicos,
dentre outros aspectos que considerar importante. Caso haja perspectiva de lançamento de
novos produtos e/ou serviços, também deve ser mencionada.

13
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

3. Análise do Mercado: para o desenvolvimento desta parte do plano, será necessária


uma pesquisa de mercado para descrever, especialmente, o mercado que você pretende
introduzir (comercializar) seu produto e/ou serviço. Compreender como o mercado em
que pretende atuar está segmentado, as taxas de crescimento deste mercado (potencial
de mercado), conhecer as principais características do consumidor, localização, análise da
concorrência, analisar qual será sua participação no mercado, bem como dos seus principais
concorrentes, além de análise dos riscos inerentes ao negócio, etc.
Quanto ao Potencial de Mercado, de acordo com Churchill (2000, p.225) está relacionado a:
“as compras que os compradores de um segmento, provavelmente farão durante um
determinado período de tempo especificado” para compra de determinado produto ou
serviço, representado no quadro 2.

Fonte: “Marketing –Um Visão Brasileira”, de Raimar Richers, Negócio Editora, 2000

4. Plano de Marketing: pode ser entendido como o fruto ou resultado do


Planejamento Estratégico de Marketing, o qual propõe cursos de ação para o produto,
determina a melhor estratégia de preço a ser praticada pela empresa, escolhe a melhor
estratégia de comercializar (canais de distribuição), promove o produto para o seu público
alvo (comunicação), projeta vendas (estima o quanto a empresa pretende vender em um
determinado tempo) etc.

5. Plano de Recursos Humanos: deve descrever os planos da empresa quanto ao


desenvolvimento e treinamento de seus colaboradores (funcionários). No entendimento
de Maximiano (2011), é importante detalhar o número de funcionários, descrição de
cargos e de competências desejadas; delinear os processos de recrutamento, seleção e de
desenvolvimento; apresentar políticas salariais, benefícios etc.

6. Plano Operacional: descrever a localização, projeto das instalações, tecnologia,


especificações do produto e/ou serviço, modo de operações, métodos de gerenciamento de
projetos, sistema de gestão da qualidade, controle e administração da qualidade, descrição
do processo produtivo, análise dos fornecedores, insumos, cadeia de suprimentos etc.

14
7. Plano Financeiro: as ações planejadas devem ser expressas em número, ou seja,
o empreendedor deverá apresentar valores do custo da abertura da empresa, se ele dispõe
destes valores ou será necessário buscar empréstimo ou investidor; análise do ponto de
equilíbrio, para determinar o quanto precisa vender para o empreendimento ser viável;
análise de indicadores financeiros que apresenta especialmente para o empreendedor o
prazo de retorno sobre o investimento (payback), permitindo uma avaliação dos riscos da
abertura do negócio, além de sua viabilidade ou não, dentre outros elementos que devem
ser analisados no Plano Financeiro.
Independente da estratégia que o empreendedor pretende adotar para a criação e
consolidação do seu negócio, o mesmo deve estar adequado aos recursos de que dispõe.
Salim (2003) chama a atenção quanto aos cuidados que o empreendedor deve tomar na
elaboração de seu Plano de Negócios e as classifica de “armadilhas”. Portanto, fique atento,
mesmo após a elaboração do seu plano e verifique se não há falhas que possam comprometer
o seu negócio:

• Verifique se está claro, se é compreensível o conceito do seu negócio;


• Não basta apenas descrever as características do seu produto ou serviço, é importante
destacar os benefícios que trará para o consumidor;
• Não perca do Foco;
• Reveja sua Análise de Mercado, ela precisa ser consistente e coerente;
• É preciso criar instrumentos para medir o sucesso do seu negócio;
• O empreendedor não pode se descuidar de conhecer bem o mercado em que pretende
atuar, bem como de seus competidores (concorrência). O descuido com esta análise
pode comprometer o sucesso do negócio;
• A Análise S.W.O.T. é imprescindível para traçar os rumos do negócio, especialmente
com relação aos seus pontos fracos, pois o seu desconhecimento pode comprometer
toda a sua estratégia;
• Ter clareza quanto aos recursos que serão investidos no negócio;
• O empreendedor deve acompanhar de perto o seu negócio, pois a ausência de controle
compromete o desempenho e a eficácia de suas ações.

15
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Plano de Negócios Simplificado


Como já foi dito anteriormente, existem muitos modelos de Plano de Negócios. A seguir,
um modelo simplificado que poderá auxiliá-lo na elaboração do seu plano.

PLANO DE NEGÓCIO

NOME DA EMPRESA
Nome da empresa
1 - DEFINICÃO DO NEGÓCIO 
Qual é o negócio da empresa? (O motivo da sua criação)
Qual o ramo do negócio?
Quais são os clientes? Perfil.
Quais são as necessidades dos clientes?
Qual será a forma de atender às necessidades dos clientes?

2 - PLANO DE MARKETING
Descrição do Produto.
Qual o diferencial, a vantagem competitiva?
Definição do preço.
Propaganda.
Escolha do ponto. Distribuição do produto.
Previsão de vendas (unidades). 
3 - CONCORRÊNCIA - Analise a concorrência.
Quem são os concorrentes mais fortes
4 – INVESTIMENTOS INICIAIS (R$ - Projeção para um ano de funcionamento – 12 meses)
Móveis e equipamentos
Veículos
Reformas e adequações do imóvel
Despesas pré-operacionais (abertura da empresa)
Estoque inicial de produto/material
Publicidade e propaganda
Outros 
Total de investimentos (valor total)

16
5 - ANÁLISE FINANCEIRA (R$ - Projeção para um ano de funcionamento – 12 meses)
5.1 - Custos dos produtos (definir o valor mensal e multiplicar por 12 meses)
a) Custo do produto (material)
b) Salários e encargos com pessoal (da produção)
c) Depreciação de máquinas de produção
d) Manutenção de máquinas de produção
Total de custos de produtos (valor total)
5.2 - Despesas operacionais (definir o valor mensal e multiplicar por 12 meses)
a) Salários e encargos pessoal (administrativo)
b) Água, luz, telefone e internet
c) Prestação de serviços (contador)
d) Aluguel
e) Manutenção máquinas da administração e material de consumo
f) Comissões de vendedores/representantes
g)Outros
Total das despesas operacionais (valor total)
5.3 – Receita de vendas
a) Preço unitário de venda dos produtos
b) Previsão de Vendas em um ano
Receita bruta total (preço unitário x previsão de venda)
5.4 - Demonstrativo dos resultados
Discriminaçao
1 - Receita bruta de vendas
2 - (-) Deduções da receita bruta (impostos 21 %)
3 - (=) Receita líquida de vendas
4 - (-) Custos dos produtos vendidos (item 5.1)
5 - (=) Margem de contribuição bruta
6 - (-) Despesas operacionais
7 - (=) Lucro operacional
8 - (-) Imposto de renda (Lucro presumido calculado sobre a receita bruta: 1,2%)
9 – Lucro líquido da empresa em um ano (valor total)

Fonte: www.facom.ufu.br. Acesso em: 23/08/2013

17
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Material Complementar

Link
Assista as dicas da escritora e consultora de Marketing Digital Martha Gabriel sobre Networking.
A consultora fala da importância do “outro” no processo de comunicação; planejamento do
networking; networking não é só “on-line”, também é “presencial”, que complementará as
regras para a construção de nossa rede de contatos:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=UZrj7FBWOgc#t=21

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – (SEBRAE), disponibiliza em


seu site, o Manual de como Elaborar um Plano de Negócios. Neste material, o SEBRAE
apresenta, de forma simples e com exemplos, o passo a passo para a construção do Plano de
Negócios. Não deixe de acessar este manual, ele o ajudará a entender melhor cada etapa do plano
e como fazê-la:
http://www.sebraesp.com.br/arquivos_site/biblioteca/diversos/manual_software_plano_negocios.pdf

18
Referências
DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: Transformando Ideias em Negócios. 2.
ed.Campus: Campus, 2005.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação


e controle. 4. ed. São Paulo: Atlas: 1994.

MAXIMIANO, ANTONIO CESAR AMARU. Administração para empreendedores:


fundamentos da criação e da gestão de novos negócios. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice
Hall, 2011.

SALIM, C. S. Construindo Plano de Negócios. 3.ed. São Paulo: Campus, 2005.

19
Unidade: Modelo de Plano de Negócios

Anotações

20