Você está na página 1de 3

Dra.

Mônica Xavier
Psicóloga e psicopedagoga
CRP 20050 - 06

Paciente: Joao Victor Barcelos Egea


Idade 7 anos Escola: Objetivo - Inf. IV – Profa. Mariana
Data: ago/set de 2009
Material utilizado:
Teste de Atençao Concentrada e Inteligencia
Teste Gráfico Projetivo dos desenhos (H.T.P.)
Avaliaçao psicopedagógica de alfabetização e matematica
Estrevista com pais e coordenador da escola

RELATO DE AVALIAÇAO PSICOPEDAGÓGICA

João Vitor chegou para uma avaliação psicopedagógica em


julho/agosto de 2009. O relato inicial dos pais pontuava que a criança
apresentava dificuldades escolares relacionadas à alfabetização e que
a escola havia solicitado uma avaliação técnica de sua aprendizagem.
Nesta ocasião os pais relataram também que a criança sempre
apresentou dificuldades comportamentais na escola.
No sentido de colaborar com a delimitação de suas dificuldades,
guardada a transitoriedade e mantido o sigilo destas informações,
segue abaixo um breve relato das observações realizadas,
1 – Na avaliação específica de inteligência foi observado normalidade,
não havendo nenhuma discrepância com relação à idade do paciente.
2- Do ponto de vista cognitivo e de aprendizagem, consegue,
quando orientado, atingir o raciocínio proposto, demonstrando
lógica e consistência de idéias.
3- No aspecto psicomotor, observa-se uma criança com boa
coordenação motora, porém com certo déficit de controle corporal e
de ações,’ dificultando que permaneça sentado ou em posição
adequada quando da realização de atividades escolares.
4- Suas funções mentais superiores como a memória e percepção
encontram-se preservadas e bem estimuladas. Já a atenção encontra-
se em déficit. João Vitor tem dificuldade em realizar uma atividade
sem interrupção, no tempo previsto. Neste sentido, orientamos a
família a buscar um acompanhamento médico, talvez homeopático
que o auxiliasse nesta questão, bem como a submete-lo a um
processo psicoterápico para ajudá-lo a adequar às situações de
aprendizagem, quando a concentração é mais exigida. Interessante
também realizar uma avaliçao oftalmológica para descartar possíveis
problemas de visão, sempre indicada nestes casos.
5 – Do ponto de vista da teoria desenvolvimentalista (que descreve os
comportamentos mais apropriados para cada faixa etária), João Vitor
apresenta em alguns momentos comportamento discrepante à idade,
evidenciando precocidade em algumas atitudes, como gestos ou falas
de um adolescente. Tal fenômeno deve interferir em seu
relacionamento e integração com o grupo de sua idade e também
com os adultos responsáveis por conduzir sua disciplina.
6 – Do ponto de vista emocional e comportamental encontramos as
justificativas para as dificuldades apresentadas pela criança e seu
distanciamento no interesse pela vida acadêmica, exposto a seguir:
- a criança já percebeu sua defasagem perante o grupo, o que talvez
tenha prejudicado sua auto-estima, ocasionando um certo bloqueio
com relação à aprendizagem. Neste aspecto, não o ajudara
orientações verbais ressaltando suas capacidades, até porque já
percebeu sua defasagem. Deverá sim, ser ajudado na prática a
superar as mesmas. Desta forma, ao ver seu próprio progresso, se
sentira motivado a persistir.
- diante de uma dificuldade, por menor que seja, na área acadêmica,
João Vitor, tende a desistir e recusar. Neste sentido, deverá ser-lhe
exigido o cumprimento das mesmas, já que possui as habilidades e
requisitos necessários para a realização das atividades que lhe são
propostas. Orientamos aqui, que ele tenha rotinas bem estabelecidas
de pequenos compromissos em casa próprios para sua idade o que,
de maneira indireta contribuirá para o acolhemimento da
responsabilidade sobre as tarefas escolares. Ou seja, deverá ser
clarificado que são obrigações dele e que será necessário empenho e
persistência para realizá-las.
- necessitará de uma ajuda extra escolar para superar as defasagens
que já adquiriu até aqui na alfabetização. Este “reforço”poderá ser
proporcionado pela escola, pela família ou por uma terceira pessoa,
mas é importante que seja sistemático, freqüente e didático. Acredito
que aos poucos, vai compreender as diversas hipóteses que pode
construir com relação à leitura e escrita e assim, prosseguir no
processo de forma satisfatória.
A família relata preocupação com relação à criança refazer esta
serie, o que não ficou evidenciado ser necessário nesta avaliação. O
mais importante, como a criança não apresenta problemas de
aprendizagem é, adequar seus comportamentos e atitudes ao ato de
aprender, sem isso, estas dificuldades persistirão no futuro em
outras séries.
Seguidas as orientações acima, João Vitor, tenderá a superar suas
dificuldades, porém o acompanhamento psicopedagógico semanal
poderá ajudar a acelerar esse processo, pois continuará orientando
criança, família e escola nestas questões.

Para os esclarecimentos que se fizerem necessários, encontro-me `a


disposição.

Atenciosamente

Dra. Mônica Xavier


CRP 20050-6

Rua Aristides Friggi, 09 – Vila Ema – São José dos Campos – SP


Email: psikids@hotmail.com – tel. (12) 3922-3464 .