Você está na página 1de 7

CASO CLÍNICO DOENÇAS ÓSSEAS

CASO CLÍNICO 1
• AJC, 29 anos, masculino, branco, professor de Educação Física, natural e
procedente de São Paulo.
História pregressa da moléstia atual
• Paciente previamente hígido relata que há 2 anos passou a apresentar
dor em quadril à D, com piora importante aos esforços. Fratura de úmero
D após queda da própria altura enquanto corria. Dez meses após 1ª
fratura, fratura em úmero E ao se apoiar no membro superior para se
erguer de uma cadeira.
• Refere emagrecimento de 7 kg no período, acompanhada por astenia e
desânimo, náuseas e vômitos eventuais. Notou ainda, obstipação
intestinal, polidipsia e poliúria há 2 meses. Negava história de cólicas
nefréticas.

CASO CLÍNICO 1
Exame Físico
• Bom estado geral, corado, hidratado, eupneico, emagrecido.
• Peso: 72 kg Alt: 1,82 m IMC: 21,7 kg/m2
• FC: 70 bpm PA: 13 x 8 cm Hg
• Região cervical sem massas ou nódulos palpáveis.
• Avaliação cardiológica: sem alterações dignas de nota.
• Avaliação pulmonar: sem alterações dignas de nota.
• Abdome: plano, flácido, indolor, sem visceromegalias.
• Neurológico e osteomuscular: força muscular preservada, limitação
da movimentação do ombro D.

139
CASO CLÍNICO 1
Exames Laboratoriais
Ca Ca i P Cr PTH Ca u
Data
(mg/dL) (mg/dL) (mg/dL) (mg/dL) (pg/mL) (mg/kg/24 h)
VR 8,6-10,2 4,6-5,3 2,3-4,6 0,6-1,2 11-62 1,5-4,0
1ª avaliação 14,4 8,8 2,5 1,6 1957 6,2
2ª avaliação 13,4 8,1 2,1 1,5 953 5,4

Densitometria Óssea
BMD
Sítios analisados T Z
(g/cm2)
L1-L4 0,922 -1,53 -1,53
Colo fêmur 0,360 -5,63 -5,27
Fêmur total 0,380 -5,32 -5,12
1/3 distal do antebraço 0,537 -5,01 -4,94

CASO CLÍNICO 1
Cintilografia Óssea

140
CASO CLÍNICO 1

Rx crânio normal Rx crânio do paciente

141
CASO CLÍNICO 1

Rx mãos normal Rx mãos do paciente

CASO CLÍNICO 1
USG de rins e vias urinárias

• Rim D mede 12,1 x 5,2 x 4,8 cm; espessura à D: 1,9 cm;


• Rim E mede 11,0 x 7,5 x 5,3 cm; espessura à E: 2,5 cm;
• Camada córtico-medular com ecogenicidade e espessura
normais, notando-se hiperecogenicidade das pirâmides renais
bilateralmente, com imagens sugestivas de microcalcificações;
• Sem evidências de hidronefrose ou litíase urinária.
• Conclusão: sinais de nefrocalcinose bilateralmente.

142
CASO CLÍNICO 1

Ultrassom cervical Cintilografia de paratireoides


com MIBI 99mTc
• Ausência de lesões focais em
tireoide;
• imagem nodular em
topografia de paratireoide,
medindo 2,0 x 3,7 x 1,4 cm
em região posterior e abaixo
do pólo inferior E da
tireoide.

CASO CLÍNICO 2
• Senhora de 55 anos, mulata, casada, aposentada, mãe de 2 filhos
saudáveis.
História pregressa da moléstia atual
• Em exame de rotina, 4 anos atrás, a paciente apresentava Ca total = 10,1
mg/dL.
• Exames periódicos semestrais: os valores da calcemia variaram de 10,4 a
11,3 mg/dL (pelo menos 3 valores acima de 11 mg/dL).
• Histórico de obstipação intestinal desde a infância sem mudança recente.
• Paciente negava histórico de fraturas, litíase renal ou alterações de humor.
• Consumo de pelo menos um produto lácteo por dia.
• Negava uso de suplementos a base de cálcio ou vitamina D.
• Menopausa aos 51 anos, sem reposição estrogênica.

143
CASO CLÍNICO 2
Exames laboratoriais atuais:
o Ca total = 11,1 mg/dL (VR: 8,4 a 10,3 mg/dL)
o Ca i = 5,58 mg/dL (VR: 4,48 a 5,28 mg/dL)
o PTH = 102 pg/mL (VR: 15 a 65 mg/dL)
o P = 3,4 mg/dL (VR: 2,7 a 4,5 pg/mL)
o Cr = 0,7 mg/dL (VR: 0,5 a 0,9 mg/dL)

Densitometria Óssea
BMD
Sítios analisados T Z
(g/cm2)
L1-L4 0,728 -2,9 -1,79
Colo fêmur 0,866 -0,29 +1,04
Fêmur total 1,009 +0,28 +1,10
1/3 distal do antebraço 0,619 -1,12 +0,8

CASO CLÍNICO 3
• Homem de 38 anos deu entrada em Serviço de Emergência com parestesias faciais
e câimbras nos membros superiores.
• Seus sintomas foram progressivos, tendo início com parestesias discretas no 1º PO
com intensificação dos sintomas nas últimas 24 horas.
• Histórico de diagnóstico de carcinoma papilífero de tireoide, motivo pelo qual foi
submetido a uma tireoidectomia total há 2 dias.
• Exames físico: cicatriz cervical, vídeos 1 e 2
• Exames laboratoriais:
o Ca total = 5,8 mg/dL (VR: 8,4 a 10,3 mg/dL)
o Ca i = 3,36 mg/dL (VR: 4,48 a 5,28 mg/dL)
o P = 6,6 mg/dL (VR: 2,7 a 4,5 mg/dL)
o PTH = indosável (VR: 15 a 65 pg/mL)
o Cr = 0,9 mg/dL (VR: 0,7 a 1,2 mg/dL)

HD: hipocalcemia aguda decorrente de hipoparatireoidismo adquirido pós-cirúrgico.

144
CASO CLÍNICO 3

NEJM http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMicm1110569

145