Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

Av. Lourival Melo Mota, s/n - Cidade Universitária


Maceió - AL, 57083-410
Fone: Secretaria FALE – 3214-1332
http://www.fale.ufal.br

PLANO DE ENSINO
SEMESTRE - 2017.2

I. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA:
NO DE HORAS TOTAL DE HORAS-
CÓDIGO NOME DA DISCIPLINA TURMA
TEÓRICAS PRÁTICAS AULA SEMESTRAIS
Ingles Instrumental I 20 20 40

II. PROFESSOR(ES) MINISTRANTE(S)


Pedro Gustavo Rieger, Msc.

III. PRÉ-REQUISITO(S)
CÓDIGO NOME DA DISCIPLINA
-- --

IV CURSO(S) PARA O(S) QUAL(IS) A DISCIPLINA É OFERECIDA


Ciências Sociais

V. EMENTA
Leitura de textos na modalidade escrita para fins acadêmicos.

VI. OBJETIVOS
Desenvolver estratégias de leitura em nível introdutório/básico que permitam ao alun@ interagir com textos de diferentes
gêneros textuais, com foco a textos científicos e midiáticos pertinentes às áreas das Ciências Sociais.

Ao Final do curso, @s alun@s devem ser capazes de:


(1) fazer uso de estratégias de leitura que auxiliem a leitura e a compreensão de textos e artigos técnico-científicos escritos;
(2) fazer uso de dicionários assim como de outros materiais disponíveis que auxiliem o processo de compreensão e uso da
língua inglesa;
(3) usar conhecimentos morfossintáticos básicos à compreensão de textos; e
(4) conhecer bases lexicais e estruturais da língua inglesa via observação, reflexão, análise contrastiva e crítica lingüística de
textos devidamente contextualizados.

VII. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


1. PROGRAMA TEÓRICO-PRÁTICO

1 - 1ª Estratégia: Exploratória Ascendente (bottom-up) e


exploratória descendente (top-down): predicting, skimming e
scanning.

2 - 2ª Estratégia: 227 itens lexicais e gramaticais básicos e


dialetais.
3 - 3ª Estratégia: Cognatos lexicais falsos e legítimos

Página 1 de 4
(heterossemânticos).
4 - 4ª Estratégia: Pronomes como sujeito e/ou complemento
oracional.
5 - 5ª Estratégia: Verbos especiais finitos: “to be” e “to have”.
6 - 6ª Estratégia: Verbos regulares e irregulares; tabela verbal.
7 - 7ª Estratégia: SS = Reducionismos/nominalizações.

VIII. METODOLOGIA DE ENSINO / DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA


As aulas serão organizadas priorizando metodologias e estratégias diversificadas, visando contribuir com a
aprendizagem construtiva, reflexiva e crítica d@ licenciand@, bem como com sua formação para exercer a
pesquisa, docência e cidadania. Deste modo, algumas estratégias de ensino serão utilizadas, tais como:

- aula expositiva e dialogada;


- dinâmicas de grupo;
- leitura dos textos e apresentação de seminários;
- construção de mapa conceitual;
- realização de júri simulado;
- desenvolvimento de trabalhos/atividades em pequenos grupos;
- estudo dirigido com produção de resenha crítica;

RECURSOS DIDÁTICOS

Quadro, diagramas, revistas científicas (online ou impressas), jornais (online ou impressos), cópias de textos, fichas
de documentação, Youtube, Twitter entre outras redes sociais de veiculação científica e midiática.

IX. METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO


O processo de avaliação terá caráter processual e cumulativo. A avaliação se dará, portanto, a partir das seguintes
atividades:
ORAL: Participação em aula em atividades individuais e em grupos. Apresentação de seminário. Critérios gerais de
avaliação: capacidade de articular conceitos e dados, estabelecer conexões textuais e extra textuais, expressar
pontos de vista, síntese, coerência e coesão; e
ESCRITA: dissertativas, informais-objetivas, exercícios estandardizados, produção de resenha crítica. Serão
aplicadas duas provas no decorrer do semestre e, caso necessário, uma avaliação Recuperativa e Final;
AUTO-AVALIATIVA: Cada alun@ deverá apresentar uma auto-avaliação do envolvimento e comprometimento
via elaboração de um portfólio.

A nota final resultará da média aritmética simples das notas obtidas no conjunto das atividades avaliativas. A
resenha crítica poderá ser realizada em duplas ou trios, assim como a apresentação dos seminários. A cada
apresentação dois grupos também ficarão responsáveis por trazer duas perguntas cada, referentes aos textos em
debate, para que sejam discutidas junto ao grande grupo.

X. NOVA AVALIAÇÃO
Caso seja necessário, será elaborada uma nova avaliação, tendo em vista as justificativas e necessidades
apresentadas.

XI. CRONOGRAMA
1. CRONOGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO:

Página 2 de 4
Data Conteúdo H/A

Aula 1 Objetivos:
Apresentação de alunas e alunos. Apresentação do docente. Apresentação do plano de ensino.
Apresentação de aspectos gerais da disciplina, incluindo ementa, objetivos, organização 2
pedagógica, aulas, avaliação, participação, frequência. Coleta de lista de e-mails. Ouvir d@s
alun@s o que esperam da disciplina.
Aula 2 Objetivos:
Apresentar estratégias de leitura: Prediction / Skimming / Scanning.
Discutir estratégias de leituras utilizadas pel@s alun@s: atividade em pares e trios.
Realizar atividade de prediction partindo de títulos de artigos científicos. 2
Abordar skimming a partir da leitura de Abstracts,
Explicar scanning. Pedir que, em casa, selecionem um dos artigos e identifiquem partes /
ideias centrais do texto.
Aula 3

Aula 4

Aula 5

Aula 6

Aula 7

Aula 8

Aula 9

Aula 10

Aula 11

Aula 12

Aula 13

Aula 14

Aula 15

Aula 16

Aula 17

Aula 18

Aula 19

Aula 20

Página 3 de 4
XII. BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ALLIANDRO, H. Dicionário Escolar Inglês Português. Rio: Ao Livro Técnico, 1995.
INFORMATION TECHNOLOGY. Oxford: Factfiles, 2002.

MICHAELIS/Dicionário inglês-português e português-inglês. São Paulo: Melhoramentos, 1989.

MUNHOZ, Rosângela. Inglês Instrumental: estratégias de leitura. São Paulo: Textonovo, 2000.

MURPHY, R. Essential grammar in use: a self-study reference and practice book for elementary students of English. Great
Britain: Cambridge, 1990.

NUTTALL, C. Teaching reading skills in a foreign language. London: Heinemann Educational Books, 1982.

OLIVEIRA, S. Reading strategies forcComputing. Brasília: UnB, 1998.

PINTO, D. et al. Compreensão inteligente de textos. Rio: Ao livro técnico, 1991.

SILVA, J. A. de C., GARRIDO, M. L., BARRETO, T. P. Inglês Instrumental: leitura e compreensão de textos. Salvador:
UFBA, 1994.

SOUZA, A. G. F. et al. Leitura em Língua Inglesa: uma abordagem instrumental. São Paulo: Disal, 2005.

XIII. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


Sites de Consulta:
https://dictionary.cambridge.org/ (Cambridge Dictionary)
https://en.oxforddictionaries.com (Oxford Dictionary)
https://www.theguardian.com/international (The Guardian UK)
http://journals.sagepub.com/home/soc (Sage Publications: Sociology)
https://culanth.org/ (Journal: Cultural Anthropology)
https://www.haujournal.org/index.php/hau/ (Journal of Ethnographic Theory)
http://www.asanet.org/research-and-publications/journals (American Sociological Association: Journals)
http://www.annualreviews.org/journal/soc (Annual Review of Sociology)
https://www.britsoc.co.uk/publications/sociology-journal/ (British Sociological Association)
http://www.sk.com.br/sk.html

Última alteração: 23/01/2018

Página 4 de 4