Você está na página 1de 7

RELATÓRIO NUTRICIONAL

Em 02/05/2017, foi atendida pela clínica de nutrição no POLIAMBULATÓRIO – Sociedade


Civil Nossa Senhora Aparecida, XXXX, nascida em 04/05/1948, 69 anos, encaminhada
pelo médico neurologista com Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson e impossibilitada de se
alimentar por via oral. A paciente está em terapia nutricional enteral, com utilização de
sonda nasogástrica desde 15/01/2017, ou seja, a aproximadamente 4 meses. Na consulta,
estiveram presentes a cuidadora XX e o filho XX. A paciente é totalmente dependente e
não possui lucidez. Mora com uma filha, dois netos e o genro. Necessita receber fórmula
industrializada. Porém a família relata dificuldade para aquisição, sendo que a fórmula
mais acessível, recomendada neste quadro é a Trophic 1.5 (Prodiet). A cuidadora relata
que após o inicio do uso da fórmula, em Janeiro de 2017, observou considerada perda de
peso na paciente, sendo que atualmente, a paciente aparenta desnutrição evidente. Por
conta do relato de perda de peso e devido ao aparente quadro de desnutrição da paciente,
recomenda-se a adequação do uso da fórmula de 1,5 litros ao dia, de acordo com as
necessidades nutricionais da paciente.

A desnutrição é um problema notável nos idosos, podendo comprometer a saúde e levar a


complicações fatais. A terapia nutricional enteral visa ofertar, através do uso de sonda,
nutrientes necessários a manutenção do organismo em pacientes impossibilitados de
ingerir dieta por via oral.

Foz do Iguaçu, 08 de Maio de 2017.

Magda Stapf Amancio

Nutricionista – CRN84014
Paciente: XXXXX

Data: 08/05/2017

Uso Interno

Trophic 1.5 (Prodiet) ---------------------------------------------------------- 45 litros

Modo de Uso

- A fórmula deve ser administrada na sonda na quantia de 250 ml 6


vezes ao dia, nos seguintes horários:

07h30
10h30
12h30
15h30
18h30
21h30

Magda Stapf Amancio

Nutricionista - CRN8 4014


Para creche

RELATÓRIO

Informo que XXXX, está em atendimento com nutricionista no Poliambulatório


desde 2015 com diagnóstico de Doença Celíaca.

A exposição ao glúten ataca e destrói porções do intestino delgado. O intestino


delgado é responsável pela degradação, absorção, transporte e assimilação de
nutrientes. Esta destruição define o estágio de desnutrição e inflamação
crônica e uma cascata grande de consequências.
O sistema imunológico, por exposição ao glúten, libera moléculas inflamatórias
que criam a inflamação e perpetuam uma resposta inflamatória que tem efeitos
locais e no corpo largo. No intestino delgado, os produtos inflamatórios
danificam o revestimento do intestino, e criam falhas microscópicas tornando-o
mais permeável.
A má absorção é responsável pela maioria das doenças relacionadas e
complicações da doença celíaca, incluindo: osteoporose, anemia, TDAH,
infertilidade, depressão, neuropatia, defeitos do esmalte dentário, problemas de
pele e até mesmo tipos certos tipos de câncer.
Além disso, os sintomas gastrintestinais pioram - mais inchaço, cólicas, gás
diarreia, constipação, ou uma combinação de ambos.
Assim, deve se dar continuidade à dieta, pois o seu quadro ainda requer, ou,
enquanto aguarda novos exames médico que dispensam a dieta.

Foz do Iguaçu, 12 de junho de 2017

Magda Stapf Amancio


Nutricionista – CRN8 4014
A paciente XXXXXXX foi encaminhada em 16/12/2013 para
acompanhamento nutricional e intervenção de cirurgia bariátrica, com peso
de inicial de 105kg, 1,59cm de altura, IMC 41,5kg/m².
A partir do acompanhamento nutricional visando à mudança dos
hábitos alimentares, juntamente com a prática de exercícios físicos, tudo isso
alinhado, fez com que a mesma conseguisse uma redução de peso
significativa, sem que houvesse a necessidade de uma intervenção cirúrgica
para redução do estômago. Peso atual em 88kg, IMC 34,92km/m².
No entanto, mesmo que a redução de peso seja em decorrência de um
tratamento nutricional e físico, ainda assim, devido a significativa perda de
peso a paciente ganha um excesso de pele, no abdômen, sendo indicado
como extensão do tratamento de emagrecimento, a cirurgia plástica
reparadora, a fim de que não haja desproporcionalidade entre pele, gordura e
músculo, evitando assim, futuros problemas clínicos (O excesso de pele pode
causar dermatites, assaduras e até mesmo infecções), e psíquicos
(proporcionar bem estar, autoestima e qualidade de vida).
Todos têm direito ao benefício se ele for realmente imprescindível para
que a vida siga absolutamente normal. Sendo um dos princípios do SUS, a
integralidade presente tanto nas discussões quanto nas práticas na área da
saúde e está relacionada à condição integral, e não parcial, de compreensão
do ser humano. Ou seja: o sistema de saúde deve estar preparado para ouvir o
usuário, entendê-lo inserido em seu contexto social e, a partir daí, atender às
demandas e necessidades desta pessoa.

“A ‘integralidade’ como eixo prioritário de uma política de saúde, ou seja,


como meio de concretizar a saúde como uma questão de cidadania, significa
compreender sua operacionalização a partir de dois movimentos recíprocos a
serem desenvolvidos pelos sujeitos implicados nos processos organizativos em
saúde: a superação de obstáculos e a implantação de inovações no cotidiano
dos serviços de saúde, nas relações entre os níveis de gestão do SUS e nas
relações destes com a sociedade” (Pinheiro, 2009)

Foz do Iguaçu, 05 de junho de 2018.

Magda Stapf Amancio


Nutricionista – CRN8 4014
RELATÓRIO

O Programa Municipal de Obesidade e de Cirurgia Bariátrica de Foz do Iguaçu


inclui também para atendimento dos participantes do grupo o profissional
nutricionista.
Em atendimento ao cliente XXXXXXXXXXXXXX o mesmo declarou que não há
interesse em aderir às orientações propostas e só está interessado no relatório,
pois por duas vezes com objetivo de realizar a cirurgia bariátrica, participou das
orientações nutricionais.
Dois os princípios básicos de cidadania que asseguram ao cidadão o direito
básico ao ingresso digno nos sistemas de saúde, sejam eles públicos ou
privados são: Todo cidadão tem direito ao acesso ordenado e organizado aos
sistemas de saúde. E todo cidadão também tem responsabilidades para que
seu tratamento aconteça da forma adequada.
A adesão ao tratamento não tem uma definição estabelecida e universalmente
aceita. Há uma grande dificuldade e variabilidade na definição de critérios que
revelem adequadamente a adesão, o que torna complexo identificar a falta de
adesão, assim como quantificá-la.
Diante dessa realidade, a adesão pode ser definida como uma situação em que
o comportamento do cliente corresponde com as orientações dadas pelos
profissionais de saúde; ou ainda, como uma participação ativa e de
colaboração voluntária do cliente em comportamento aceito por mútuo acordo,
a fim de produzir um resultado terapêutico ou preventivo desejado.
Também não se pode esquecer que: "Os direitos individuais do cliente e as
obrigações do nutricionista devem ser respeitados, mas sem esquecer as
recíprocas, as obrigações do cliente (de seguir as prescrições, ajudar a si
próprio, empenhar-se no entendimento do problema, mudar de profissional se
não tiver confiança) e o direito do nutricionista".

Foz do Iguaçu, 09 de outubro de 2018.

Magda Stapf Amancio XXXXXXXXXXXXX


Supervisora de estágio e Cliente
nutricionista – CRN8 4014
PARECER NUTRICIONAL

Paciente XXXXXXXX, 37 anos, a 4 meses diagnosticado com fístula colo


vesical (migração fezes para bexiga), procurou a nutrição com objetivo de emagrecer
aproximadamente 15 kg para realização da cirurgia reparadora.

Durante anamnese o mesmo relata que o consumo de casca (feijão) e semente


são visíveis na migração pelo canal urinário e que as fezes são de consistência
pastosas à líquidas o que tem causado dores.

Sabe se que em paciente com fístula a desnutrição pode ocorrer devido


absorção inadequada de nutrientes e perda de secreções ricas em proteínas e que a
migração das fezes à bexiga aumenta riscos de infecções.

O estado nutricional influi diretamente na evolução perioperatória do paciente,


podendo afetar significativamente o resultado da cirurgia. Ainda no pré-operatório, o
cuidado nutricional deve ser iniciado, com o objetivo de prevenir a desnutrição ou de
minimizar seus efeitos. Também a resposta ao trauma cirúrgico pode desencadear o
aparecimento ou o agravamento da desnutrição, com consequente queda na
qualidade da resposta imunológica, cicatrização ineficiente e aparecimento de
infecções.

Assim para minimizar os riscos, optou-se em trata-lo com fórmula de nutrição


enteral, sendo uma dieta industrializada e indicada nos pacientes para auxiliar na
manutenção e/ou recuperação do estado nutricional e com doenças inflamatórias
intestinais.

A nutrição enteral possui alta concentração de proteínas de alto valor


biológico, minimizando os efeitos do balanço proteico negativo prevenindo ou tratando
a desnutrição proteica. Diminui complicações infecciosas e metabólicas. Reduz a
translocação bacteriana e por conter fibras alimentares alivia a constipação e previne a
diarreia, mantendo a microbiota intestinal mais saudável. Contém também nutrientes
imunomoduladores que contribuem para o fortalecimento da resposta imunológica, e
melhora da cicatrização (pós operatório).

Propôs se no período pré operatório:

- Reabilit Peptiflex uma vez/dia;


- Modulen IBD uma vez/dia;

- Suco cramberry 250ml de uma a duas vezes/dia.

Em contato com paciente em 19/08/2019, o mesmo relata ter sido novamente


atendido na UPA devido as dores abdominais e infecção urinária e em uso de
antibiótico.

Na maioria das vezes a diarreia não esta relacionada à dieta enteral, mas sim a
outros fatores. A estratégia de interrupção ou redução da dieta enteral em pacientes
com diarreia não deve ser utilizada antes da realização de um algoritmo que permita
identificar os fatores mais comumente relacionados com o desenvolvimento de
diarreia. Dentre alguns fatores já identificados como fatores de risco para diarreia em
pacientes críticos estão: Desnutrição; Hipoalbuminemia; Infecção; Antibioticoterapia
etc

Assim, paciente está sendo orientado a contatar o profissional que o está


acompanhando o mais rápido possível.

Magda Stapf Amancio

Nutricionista – CRN8 4014

Foz do Iguaçu, 19 de agosto de 2019.