Você está na página 1de 6

08/09/2015

Composição das dietas enterais


Proteínas em Nutrição Enteral
• 14 – 20% VCT (hiperproteicas > 20%)
• AA essenciais (40% p/ síntese proteica)
• Fontes: extrato e isolado proteico de
soja, lactoalbumina, caseína, proteína do
soro do leite, aa livres.

Carboidratos em Nutrição Enteral

• 40 – 60% VCT
Profª. Ms. Priscila Paiva Dias • Fontes: glicose, sacarose, frutose, lactose, amido de milho, maltodextrina
Fortaleza - CE
ESPEN, 2006

Composição das dietas enterais Composição das dietas enterais


Lipídios em Nutrição Enteral Vitaminas e Minerais em Nutrição Enteral

• 30 – 35% VCT (hiperlipídicas > 40%) RDA ou DRI

• AG essenciais: 3-4% VCT • 1000 - 1500 mL de dieta enteral

• Fontes: óleo de canola, de milho, de açafrão, de girassol, de soja, gordura • Antioxidantes


de coco e TCM ASPEN, 2007

Água em Nutrição Enteral


Fibras em Nutrição Enteral
Conteúdo aproximado de água em fórmulas enterais baseado na densidade
• ADA: 20 – 35 g/dia calórica.

• Fontes: polissacarídeo da soja, inulina, goma guar, celulose amido DC (kcal/ml) Conteúdo de água (ml) Conteúdo de água %
resistente 1,0-1,2 800-860 80-86
1,5 760-780 76-78
ESPEN, 2006 2,0 690-710 69-71

Categorização das fórmulas enterais


Osmolaridade/osmolalidade
segundo a densidade calórica
[ ] de partículas osmoticamente ativas
Classificação Kcal/ml Categorização da na solução
fórmula
Muito baixa < 0,6 Acentuadamente Osmolaridade plasmática – aproximadamente 300 mOsm/L
hipocalórica
Baixa 0,6-0,8 Hipocalórica
Osmolaridade=mOsm/L solução
Padrão 0,9-1,2 Normocalórica
Alta 1,3-1,5 Hipercalórica Osmolalidade=mOsm/Kg água
Muito alta > 1,5 Acentuadamente
hipercalórica

Osmolaridade (mOsml/L H20 exp) = Osmolalidade x (1,04-0,2)

1
08/09/2015

Osmolaridade/osmolalidade
Quanto < a partícula > a osmolaridade

Monossacarídeos e dissacarídeos
• Na CL
• Peptídeos menores
• Aa cristalinos

Form. hipotônicas 280 – 300 mOsm/L


Form. isotônicas 300 - 350mOsm/L
Form. moderadamente hipertônicas 350mOmo/L- 450mOsm/L
Form. hipertônicas > 450mOsm/L

Artesanais:
• naturais - alimentos in natura • Fórmulas nutricionalmente completas
• modulares - alimentos industrializados, • Fórmulas nutricionalmente incompletas
preparadas na cozinha do hospital ou domicílio.

Industrializadas: formuladas e preparadas pela


industria farmacêutica. X
• Pó
• Líquida semi pronta para uso
• Líquida pronta para uso (SF)

• Fórmulas lácteas ou sem lactose • Dieta polimérica: nutrientes íntegros, TGI funcionante, com ou
• Fórmulas com ou sem fibras sem lactose, baixa osmolaridade, menor custo, hiperproteicas,
hipercalóricas suplementadas com fibra, etc.
• Dieta oligomérica ou semi-elementar: hidrólise enzimática das
proteínas, suplementação de aminoácidos cristalinos,
osmolaridade mais alta, digestão facilitada, absorção intestinal alta.
• Dieta monomérica ou elementar: nutrientes na forma mais
com fibras
Presença de lactose com fibras
Sem lactose simples, aa 100% livres, isenção de resíduos, hiperosmolares, alto
custo.

2
08/09/2015

- Monoméricas ou elementares: A proteína se encontra apenas na


forma de aminoácidos cristalinos e/ou peptídeos de cadeia curta; o
- Poliméricas: proteínas naturais (base leite de vaca), purificadas, base carboidrato pode estar na forma de monossacarídeos (glicose, amido
modificado) e o lipídio na forma de TCM ou ácidos graxos essenciais (AGE),
caseína ou proteína do soro de leite, proteínas não lácteas (soja) óleos vegetais, minerais e vitaminas

- Oligoméricas ou semi-elementar: As proteínas são hidrolisadas em - Modulares: separadas por módulos (CHOS, PTN,...), maltodextrina
pequenos peptídeos (lactoalbumina ou caseína); as fontes de carboidrato são albumina em pó
oligossacarídeos (polímeros de glicose, maltodextrina); as fontes de lipídios são
habitualmente triglicerídeos de cadeia média (TCM) e óleos vegetais

SUPLEMENTOS ORAIS: POLIMÉRICAS DIETAS MODULARES


Módulo de carboidratos Módulo de proteínas

Módulo de lipídios
Módulo especializados

Módulo de fibras

 Padrão: dietas poliméricas


 Latas
 Especializada:
 Frascos
• Nefropatas: sem HD teor proteico e eletrólitos
 Envelopes
com HD teor proteico
 Tetrapack
• Pneumopatas: CHO e de lipídios
 Bolsas
• Hepatopatas: proteínas e AACR
• Imunodeprimidos: nutrientes imunomoduladores
 Plásticos semi-rígido
• Diabéticos: sem sacarose, gorduras, fibras
• Má- Absorção: proteína hidrolisada, resíduos e gordura.

3
08/09/2015

• Industrializadas em pó: dietas acondicionadas em


latas ou pacotes que necessitam de reconstituição
em água ou em outro veículo.

• Industrializadas líquidas, semi-prontas para uso:


dietas acondicionadas em latas, embalagens tetra
PÓ LÍQUIDA SISTEMA
FECHADO pack, frascos ou bolsas, geralmente estéreis.

Dieta artesanal Dieta em pó Dieta líquida Dieta SF


Individualização ++++ +++ +++ +++  Diagnóstico
Flexibilidade nut. ++++ - - -  Situação Clínica
Flexibilidade vol. +++ +++ - -  Idade
Definição nutric. + ++++ ++++ ++++  Posicionamento e Tipo de sonda
Manipulação ++++ +++ ++ -  Necessidades Energéticas
Área preparo SIM SIM SIM NÃO  Necessidades Hídricas
Tempo preparo ++++ +++ ++ -  Necessidade Vitamínicas e Minerais
Pessoal treinado SIM SIM SIM NÃO
 Condições Sócio-Econômicas e Culturais
Custo + ++ +++ ++++
 Custo - Benefício

Quando indicar dieta modulada/caseira no domicílio ? Exemplo de Dieta Modulada


Dieta Hipercalórica/Hiperproteica (1800 kcal/dia)

• Trato gastrintestinal digestão e absorção em condições Gêneros Quantidade (g) Medida caseira
normais alimentos com nutrientes na forma intacta. Leite Molico® 20 2 col de sopa

• Estabilidade clínica e nutricional do paciente. Massa de Arroz ou milho ® 21 3 col.sopa rasas

• Gastrostomia. Sustagem® 20 2 col.sopa rasas

• Boas condições higiênicas do domicílio. Óleo de milho 8mL 1 col.sopa rasa

Água para completar 200 -----


• Aceitação da família.

• Cuidador capacitado. Prescrição Nutricional: SNG 250 mL 3/3h 6 vezes ao dia


Densidade Calórica: 1.2

4
08/09/2015

Exemplo de Dieta Caseira Seleção da dietas enterais


HORÁRIOS 06h 09h 12h 15h 18h 21h 24h  Escolha mais comum:
LEITE* SUCO SOPA SUCO SOPA LEITE * LEITE *
 Industrializadas: Pó, Líquida semi pronta para uso e
Para os horários de leite: 06:00, 21:00, 24:00h
Líquida pronta para uso (SF)
• Leite integral: 01 colher de sopa cheia
• Leite desnatado: 04 colheres de sopa cheia
• Nidex ou Maltodextrina: 04 medidas/02col sopa
• Óleo de soja: 01 colheres de sopa
• Água filtrada e fervida: 300mL

*Ou pode ser vitamina ou iogurte

Cálculo da dieta enteral


• M.M.S, feminino, 68 anos, com sequela de AVC, recebia Estimativa de Kcal/ Kg de peso corporal (fórmulas de bolso em geral*)
alimentação pastosa por via oral. Após pneumonia por
aspiração foi indicada dieta por SNE (pós-pilórica). Pela Adultos: Perda de peso 20- 25 Kcal/kg/dia
Manutenção 25-30 Kcal/kg/dia
avaliação nutricional apresenta 64kg e altura de 1,65m.
Ganho de peso 30-35 Kcal/kg/dia
Prescreva a nutrição enteral. Cirurgia Geral 32 Kcal/kg/dia
Politrauma 40 Kcal/kg/dia
Calcule: Sepse 30-35 Kcal/kg/dia
• necessidades nutricionais (kcal, PTN, % de macros)
Pediatria:
• a prescrição da dieta enteral que atende as necessidades Pré-termo (<1000g) 150 Kcal/kg/dia
• volume prescrito Pré-termo (>1000g) 100-150 Kcal/kg/dia
• kcal prescritas 1-10 kg 100 kcal/kg/dia
• densidade calórica 11-20 kg 1000 kcal + 50 kcal para cada kg >10 kg
• Kcal/kg/ dia e g PTN/kg/dia > 20 Kg 1500 kcal + 20kcal para cada kg > 20Kg
• % HC, prot e lip prescrito e recebido * Definir as necessidades nutricionais com base na patologia principal e comorbidades
Associadas (ver literatura, Consensos, Diretrizes) Fonte: Martins,C Cardoso, SP.
Ter. Nut. Ent. Par., 2000

NUTRISON STANDARD 1.0


Exemplo de Dieta Enteral Líquida
Necessidades calóricas ISOSOURCE SOYA 1.2
Harris-Benedict: (peso em Kg, altura em cm, idade em anos)

GEB homens = 66, 5 + (13,75 x peso) + (5,0 x altura) - (6,75 x idade)


GEB mulheres = 655 + (9,56 x peso) + (1,85 x altura) - (4, 68 x idade)
NC ou GET = GEB x fator atividade x fator injúria

• Fator atividade: acamado = 1,2; acamado móvel = 1,25; deambulando = 1,3


Fonte: Harris- Benedict, 1919; Long, 1979

Necessidades hídricas
População Necessidades hídricas
Jovem 40mL/kg/dia
Adultos 35mL/kg/dia
Idosos (55-75 anos) 30mL/kg/dia
Idosos (> 75 anos) 25 mL/kg/dia

Fonte: Modificado de Oh e cols,1999

5
08/09/2015

Exemplo de Dieta Enteral em Pó Vamos aos Cálculos....


Para preparar uma porção de 230 ml, colocar 195 ml de água fria em um
copo. Agitando continuamente, adicionar seis medidas rasas (56,4g)

ENSURE pó

É um alimento nutricional usado para suplementar ou complementar a alimentação


diária de adultos.