Você está na página 1de 2

i

Licenciatura em História na Modalidade Ead


Introdução aos Estudos Históricos

ATIVIDADE 01.

Uma contribuição de Bloch foi definir a História enquanto ciência


dos homens no tempo, pois ao historiador não cabe se ater ao
passado, visto que, enquanto sujeito ativo no processo de produção do
conhecimento, está no presente, caminha no tempo que vive, olhando
sempre os fatos pela ótica do presente. Ele acreditava que o
historiador é necessariamente levado a recortar o ponto de aplicação
particular de suas ferramentas (BLOCH, 1949, p. 55)

A) Algumas definições de História colocam que a mesma é a disciplina que estuda


o passado, o que o autor no expõe sobre isso? Escreva com suas palavras.

Na década de 20, Marc Bloch e Lucien Febvre impulsionam um movimento de renovação


que marca a história da historiografia com a criação da Escola dos Annales, na qual
propunham uma escrita da história que privilegiasse o econômico e o social em detrimento
do viés apenas político e factual. A revista Anais da História Econômica e Social configurou
uma frente pioneira na modernização do método de investigação histórica, utilizando a
interdisciplinaridade como estratégia importante para se chegar ao conhecimento histórico.

Deste modo, Marc Bloch, em toda a sua obra, carrega a essência dessa primeira fase da
escola dos Annales. O historiador afirma o homem como o objeto de estudo da história,
propondo, então, uma abordagem da história não mais cerceada por uma visão que se
limita a fatos, documentos e datas. Bloch rompe com todo tipo de erudição documental
positivista do século XIX e se aprofunda na problematização e na construção do fato
histórico.

Em “Apologia da História”, o autor inaugura a noção de “história como problema” e


desconstrói a ideia da história apenas como um estudo do passado ao salientar que “o
passado não é objeto da ciência” e que o ofício do historiador é estudar o homem em seu
contexto histórico, levando em consideração o espaço-tempo, buscando significados e
fazendo uma ponte com o presente. A história é a ciência dos homens no tempo. Destarte,
faz-se necessária a humanização desta ciência, por isso o apelo para o diálogo com outras
disciplinas humanas; Bloch busca a significação dos acontecimentos em uma ótica social.

Dito isto, é inevitável refletir que vivemos tempos sombrios, onde uma grande onda
positivista nos atinge, não só os espaços políticos, mas também outros os ambientes
sociais como instituições religiosas e de ensino. Corremos o risco de retroceder à um
sistema educacional factual e irreflexivo. Mais do que nunca há que se estudar sobre o que
nos ensina Marc Bloch, tratando o homem e a história com responsabilidade e respeitando
a pluralidade social.
i
1.FONTE: JUNIOR, Vanir. História: A Ciência dos Homens no Tempo (Marc Bloch - Apologia da História)
Disponível em:< http://escoladosruralis.blogspot.com/2011/11/historia-ciencia-dos-homens-marc-bloch.html> Acesso
em 08 de mar.2019
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Jorge Zahar Editor: Rio de Janeiro, 2002