DESIDRATAÇÃO

1- CONSIDERAÇÕES GERAIS: 2° causa de ⇑ taxa de mortalidade 1 em cada 10 crianças morrem antes dos 5 anos Situação de emergência ⇑ incidência em populações desfavorecidas

DESIDRATAÇÃO
2- CONCEITO: É a contração do volume EC secundária à perdas hidroeletrolíticas Gravidade depende da magnitude do déficit em relação as reservas do corpo e da relação entre o déficit de água e eletrólitos Na criança o LEC é proporcionalmente maior

desmame precoce .⇓ nível sócio-econômico e cultural .imaturidade renal.ETIOPATOGENIA: 1.Fatores predisponentes .baixa idade (incapacidade beber só. perdas ⇑ processos infecciosos) .DESIDRATAÇÃO 3.constituição corporal (> quantidade % H2O SC) .

hemorragias .ETIOPATOGENIA: 2.DESIDRATAÇÃO 3.Fatores desencadeantes .falta de oferta .vômitos .queimaduras .diarréia .

Quanto a intensidade: Grau de desidratação Leve (1º grau) Moderada (2º grau) Grave (3º grau) CHOQUE HIPOVOLÊMICO Perda peso nas 24 horas 1 a 5% (até 50 ml) 5 a 10% (até 100 ml) 10 a 15% (até 150 ml) ⇑ 15% (> 150 ml) Toxicose .DESIDRATAÇÃO Classificação 1.

Quanto a Osmolaridade: Tipo Isonatrêmica Hiponatrêmica Hipernatrêmica Perda resultado Isotônica Hipotônica Hipertônica Na+ plasmático 130-150 ⇓ 130 ⇑ 150 mOsm/l 270 – 310 ⇓ 270 ⇑ 310 .DESIDRATAÇÃO Classificação 2.

DESIDRATAÇÃO Classificação 3.Sinais clínicos: Sinais Perda de peso Psiquismo Sede Diurese 1º GRAU 1-5% Alerta Moderada ⇓ discreta 2º GRAU 5-10% Agitado Intensa oligúria 3º GRAU >10% Deprimido Inaparente oligoanúria .

Avaliação do psiquismo: A — Acordado V — responsivo à Voz D — responsivo à Dor N — Não responsivo .

DESIDRATAÇÃO Classificação 3.Sinais clínicos: Sinais PELE Umidade Elasticidade Turgor Cor Perfusão periférica seca normal normal pálida < 2 seg seca perda perda acinzentada > 3 a 5 seg Muito seca perda Prega persistente marmórea > 5 seg 1º GRAU 2º GRAU 3º GRAU .

DESIDRATAÇÃO Classificação 3.Sinais clínicos: Sinais Mucosas Fontanelas Olhos Pulsos PA Acidose 1º GRAU Pouco secas normal normal cheio normal ausente 2º GRAU secas deprimida fundos Fino e rápido normal compensada 3º GRAU Ressecadas Muito ⇓ Muito fundos Impalpável hipotensão descompensada .

Como avaliar o grau de hidratação: 1.DESIDRATAÇÃO Classificação 4.OBSERVE Condição Bem alerta Olhos Lágrimas Boca e língua Sede Normais Presentes Úmidas Bebe normalmente Irritado Intranquilo Fundos Ausentes Secas Sedento. bebe rápido Comatoso Hipotônico * Muito fundos Ausentes Muito secas Bebe mal ou * não consegue .

débil Ausente * > 3 a 5 seg > 5 seg * .EXPLORE Sinal da Desaparece Prega rapidamente Pulsos Cheios Enchimento capilar Normal < 2 seg Desaparece Muito lentamente lentamente Rápido.DESIDRATAÇÃO Classificação 4.Como avaliar o grau de hidratação: 2.

DESIDRATAÇÃO Classificação 3.TRATE: PLANO A PLANO B PLANO C 2 ou + sinais +1*= desidratação grave .DECIDA: Não tem 2 ou + sinais desidratação anteriores tem desidratação 4.Como avaliar o grau de hidratação: 3.

Mg) Distúrbio ácido-básico 5.COMPLICAÇÕES: Intoxicação hídrica Hipernatremia Trombose de veia renal .DESIDRATAÇÃO 4. Ca.K.MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS ASSOCIADAS: Choque Distúrbios metabólicos (Na.

DESIDRATAÇÃO 6.TRATAMENTO: Plano A (sem desidratação) Plano B (com algum grau de desidratação e sem sinais de choque ou risco iminente de vida) GASTRÓCLISE Plano C Rehidratação parenteral (TREV) .

5 g/lt de água 1.5 g/lt de água 2.9 g/lt de água 20 g/lt de água 27.DESIDRATAÇÃO Rehidratação oral (TRO): Ingredientes do Soro oral da CEME Cloreto de Sódio 3.9 g/lt de água Cloreto de potássio Citrato de sódio Glicose TOTAL .

DESIDRATAÇÃO Rehidratação oral (TRO): Composição do Soro oral da CEME Sódio Potássio Cloreto Citrato Glicose TOTAL 90 Mmol/Lt água 20 Mmol/Lt água 80 Mmol/Lt água 30 Mmol/Lt água 111 Mmol/Lt água 331 .

Como reconhecer desidratação .manter a alimentação normal .maior aporte de líquidos .DESIDRATAÇÃO Rehidratação oral (TRO): Tipos: Soro oral da CEME Pedialyte Hidrafix Plano A (sem desidratação) .orientar a mãe .

manter amamentação no seio .Não oferecer outro líquido até hidratar=SRO .DESIDRATAÇÃO Rehidratação Oral (TRO): Plano B (com desidratação) .TRO 20 a 30ml/kg/hora de colher ou copo 10/10’ .Pesar a criança antes e após o término de cada hora até hidratar .Persistência da desidratação após 4 horas = GASTRÓCLISE ou TREV .

DESIDRATAÇÃO Rehidratação oral (TRO): Plano B (com desidratação) criança hidratada iniciar alimentação Após cada evacuação ou vômito = 10ml/kg Vômitos persistentes (> 4 em 1 hora) ou distensão abdominal ou perda de peso após 2 horas de TRO = INSUCESSO Alternativa = GASTRÓCLISE - - .

DESIDRATAÇÃO .

DESIDRATAÇÃO Quando suspender a hidratação oral: crise convulsiva e/ou ↓ da consciência > 3 vômitos após SNG distensão abdominal após SNG perda de peso após 2 horas de gavagem .

DESIDRATAÇÃO Contra-indicações de hidratação oral: – condições que impedem a ingestão de líquidos (deprimida. neuropatas) – íleo paralítico – sinais de irritação peritoneal – suspeita de processo infeccioso grave = HIDRATAÇÃO EV .

Perda de peso após 2-4 hs de TRO .Íleo paralítico .DESIDRATAÇÃO Plano C .Diarréia de alto débito (>10 ml/kg/h) .Depressão da consciência .Hemorragia GI .Choque periférico .Vômitos persistente apesar da gastróclise .Rehidratação venosa (TREV): INDICAÇÕES: .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful