Você está na página 1de 34

Seminário de Práticas Educativas I:

oficinas de Leitura e Produção Textual na


Prática Escolar

Sequência Didática: Leitura Dialógica e Produção Textual

Autor: Manoel dos Santos

Letras Vernáculas
Turma 2017.2 – Polo EAD
Itabuna, 16 de dezembro de 2017
Apresentação Sequência Didática

Gestão da Educação
Pressupostos Teórico-Metodológicos
Aprendizagem Dialógica:

A Aprendizagem Dialógica é uma concepção teórico-metodológica elaborada pelo Centro


Especial de Investigación en Teorías y Praticas Superadoras de Desigualdades da Universitad de
Barcelona (CREA), pauta-se em sete princípios (FLECHA, 1997):

Teoria do Agir Comunicativo - (HABERMAS, [1981]2001):

“Todas as pessoas têm a capacidade de linguagem e ação”.

Teoria da Educação Sociocultural - Freire (1979):


Gestão da Educação
O diálogo promove a conscientização para a emancipação
humana).
Objetivos

1. Proporcionar condições para o aprendizado da leitura com qualidade a fim de


promover a alfabetização e o letramento literário;

2. Desenvolver competências leitoras e de escritas para o avanço dos saberes


linguísticos empregados na produção textual;

3. Garantir que a construção da aprendizagem da leitura e da escrita seja mediada


pelos princípios da aprendizagem dialógica recorrendo à intertextualidade;
Gestão da Educação
Objetivos

4. Realizar Tertúlias Literárias Dialógicas para implementar práticas dialógicas de leitura


e escrita de modo a potencializar o aspecto da dimensão instrumental na
aprendizagem da leitura e da produção escrita, dos conteúdos, estabelecendo
relações a partir dos clássicos da literatura universal com suas vidas e realidades.

Conteúdos:

Narrativas Literárias de Natureza – Lírica (Canção) e Épica


(Epopeia).
Desenvolvimento Metodológico

• Tertúlia Literária Dialógica

• Tertúlia Musical Dialógica


Desenvolvimento Metodológico

Tertúlia Literária Dialógica e Tertúlia


Musical Dialógica:

• O que é uma Tertúlia Literária ou


Musical?
• O que se promove com as
práticas das tertúlias em sala de
aula?
• O que representa a Tertúlia
Literária Dialógica?
• O que implica desenvolver
práticas leitoras e habilidades da
escrita na perspectiva dialógica?
Desenvolvimento Metodológico

• Tertúlia Literária Dialógica:

• A Tertúlia Literária Dialógica e a Tertúlia Musical Dialógica são encontros de


pessoas para dialogar a partir de uma obra dos clássicos da literatura universal;

• Promove a construção coletiva de significado;

• A aproximação com a cultura clássica universal e o conhecimento científico


acumulado pela humanidade ao longo do tempo (AUBERT, et al., 2016);

• Permite que as relações de aprendizagem sejam estabelecidas a partir da


dialogicidade.
Desenvolvimento Metodológico

• Desenvolver práticas leitoras e habilidade


da escrita nesta perspectiva, segundo A Tertúlia Literária Dialógica
Flecha e Valls (2008, p. 03):

“É o processo intersubjetivo de ler e • Aumenta o vocabulário;


compreender um texto onde pessoas • Melhora da expressão oral e escrita;
aprofundam em suas interpretações refletem • Ampliação da compreensão leitora;
criticamente sua compreensão leitora através de • Estimula o pensamento crítico;
interações com outros agentes”. • Desenvolve a capacidade de
argumentação, atitudes de respeito
ao outro e solidariedade (AUBERT,
et al., 2016).
Desenvolvimento Metodológico

• Organização e Funcionamento: Tertúlia Musical Dialógica

Antes Durante Depois

Seleção das peças musicais a Audição das peças musicais Diálogos sobre as diferentes
serem ouvidas pelos de diferentes gêneros. formas
estudantes. expressivas/comunicativas
da música e das palavras.

A finalidade: Propor articulação intertextual (Música Mulheres de Atenas – BUARQUE


e BOAL (1976), Ilíada e a Odisséia – de Homero).
Desenvolvimento Metodológico

A Ilíada:

Poema bélico – briga entre Aquiles, melhor


guerreiro grego, e Agamênon, chefe das tropas,
e derrota dos aqueus.

A Odisséia:

Poema de retorno de Odisseu/Ulisses, para


casa, após o fim da guerra, leva 10 anos para
chegar à Ítaca, sua terra natal, necessitando
ainda reestabelecer a ordem em seu lar por
causa dos 108 pretendentes de sua mulher,
Fonte: Google
Penelópe (SAIS, 2017)
Desenvolvimento Metodológico

• Organização e Funcionamento: Tertúlia Literária Dialógica


Antes

Preparação: A escolha da obra literária Leitura da obra literária

Papel do Moderador (Professor): Escolha do livro e a definição do Leitura das obras selecionadas;
Planeja, pesquisa sobre a proposta trecho ou parágrafo a serem lidos; Escolha do trecho para compartilhar
de atividade; e explicar (GIROTTO, 2011):
Reflete, organiza a conversa, garante O Moderador acorda com os
participação igualitária; estudantes a escuta da música O que gostou? O que não gostou? O
Não explica, não contextualiza, não Mulheres de Atenas e propõe a que chamou sua atenção?
analisa a obra literária; leitura antecipada dos clássicos
Evita relações de poder. Ilíada e Odisséia de Homero. Obs: As leituras devem ser
realizadas previamente.
Desenvolvimento Metodológico

• Organização e Funcionamento: Tertúlia Literária Dialógica


Durante
Realização da sessão das Tertúlias Leitura e argumentação: Comentários:
Literárias Dialógicas (2h);
O Moderador faz as inscrições das Promove a intertextualidade a partir
O Moderador abre o turno da falas, garante os princípios da dos compartilhamentos de
palavra; aprendizagem dialógica. fragmentos da música com as obras
a Ilíada e a Odisséia.
Os participantes leem os Constroem-se o diálogo com as
trechos/parágrafos que chamaram contribuições que surgirem no
sua atenção em voz alta, explicam, grupo; Vamos ver possíveis exemplos de
comentam; articulação intertextual entre a
Argumentam, contextualizam, música Mulheres de Atenas, a Ilíada
validam e concluem tecendo e a Odisséia – de Homero?
intertextualidade de forma
consensualizada.
Desenvolvimento Metodológico

• Organização e Funcionamento: Tertúlia Literária Dialógica

Depois – Produção Textual

Após as leituras dos trechos dos textos das obras literárias citadas, os alunos devem
estabelecer relações heteroautorais identificando os possíveis níveis de
intertextualidades, conforme orientações a seguir:
Desenvolvimento Metodológico

Mulheres de Atenas
Chico Buarque

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas, se perfumam


Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram Fonte: Google

Mais duras penas; cadenas


A relação do papel desempenhado por Penélope
na Ilíada e a representatividade da mulher grega
Mulheres de Atenas
Chico Buarque
[...]

Quando eles embarcam soldados


Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Fonte: Google
Carícias plenas, obscenas
”Numa sociedade machista em que a mulher era constantemente
silenciada, a tecelagem era uma das poucas formas que ela tinha de se
comunicar”, (SAIS, 2017, p. 10).
Desenvolvimento Metodológico

Veja a “tecitura” de Penélope no fragmento que segue (HOMERO, 1799-1864, p.2008):


“Um gênio me inspirou tramar imensa.
Larga teia delgada, e assim lhes disse:
— Amantes meus depois de morto
Ulisses. Vós não me insteis, o meu
lavor perdendo. Sem que do herói
Laertes a mortalha Toda seja tecida,
para quando. No sono longo o sopitar
o fado: Nenhuma Argiva exprobre-me
um funéreo. Manto rico não ter quem
teve tanto. — A diurna obra desfazia à
noite. E os entretive ilusos por três
anos”.
Fonte: Google
A beleza feminina era objeto de contemplação
entre os Gregos
Continua...

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho


Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas Fonte: Google
A beleza feminina era objeto de contemplação
entre os Gregos
Observe a contemplação da beleza materializada em um dos seguintes trechos da
Ilíada (HOMERO, 1874, p. 10):

Os dois exércitos avançam um contra o outro. — Páris à frente dos Troianos provoca os mais
bravos dos Gregos ao combate. — Menelau vai ao seu encontro, mas Páris amedrontado busca
refúgio entre os Troianos. — Exprobracões de Heitor. — Resposta de Páris; propõe sustentar um
combate com Menelau do qual Helena será o prêmio. — Heitor, contente leva o desafio de seu
irmão ao herói Grego. — Discurso de Menelau. — Preparam-se sacrifícios. — Entretanto Íris,
tomando a forma de Laodice, vai ter com Helena, e lhe anuncia as disposições dos dois exércitos
— Helena vai às portas Ceias, onde ela acha a assembleia dos velhos Troianos, que fazem o
elogio de sua beleza, (HOMERO, 1874, p. 10). (Grifos nossos)
Desenvolvimento Metodológico

Continua... Um destaque importante que Durkheim


(1995, p. 02) apronta sobre a educação na
Mirem-se no exemplo Grécia Antiga:
Daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas

Elas não têm gosto ou vontade


Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas
Não tem sonhos, só tem presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas, morena Indivíduo subordinado à coletividade/sociedade.
Desenvolvimento Metodológico

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas


E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
Às suas novenas, serenas.

Fim!
Fonte: letrasdemusicas.com
Desenvolvimento Metodológico

Em equipe, produza um estudo analítico-comparativo sobre a situação da


mulher na Grécia Antiga a partir da música Mulheres de Atenas, articulando
a sua intertextualidade da música com as obras Íliada e Odisséia de Homero.

• Caracterize o contexto histórico-cultural apresentado nas epopeias épicas


Ilíada e Odisséia de Homero e o papel da mulher no período helenístico
em cada obra.
Desenvolvimento Metodológico

• Explore as diferentes características discursivas dos gêneros literários com os


seguintes questionamentos: quem escreve as obras literárias?

• Com que proposito? Onde? Quando? Com base em que informações?

• Qual a temática explorada em cada obra? Como elas articulam entre si?

• Quem escreve cada texto? Que influência um leitor pode sofrer devido à
leitura desses gêneros?

• Em que condições esses gêneros podem ser produzidos e circular em nossa


sociedade?
Desenvolvimento Metodológico

Para finalizar, estabeleça um contraponto sobre a


conduta antagônica de Helena à Penelope,
caracterizando seu perfil comportamental, dialogando
com trechos da musica Mulheres de Atenas que
demonstram a relação de mulheres falenas (cortesãs)
que vivem relacionamentos vulgares.
Desenvolvimento Metodológico

• Para isso, justifique em sua análise apresentando


citações que comprovem seus argumentos,
considerando o que você leu sobre a atuação da
mulher em a Odisséia e na Ilíada e a proposição da
Musica Mulheres de Atenas, se você considera ou não
que os compositores defenderam uma condição mulher
cadena (submissa, prisioneira do lar, obediente,
subordinada) no momento que lançaram a musica,
refletido sobre a seguinte estrofe: “Mirem-se no
exemplo daquelas mulheres de Atenas”.
Desenvolvimento Metodológico

Justifique se existe relação entre o trecho da obra a


Odisséia de Homero apresentado acima com o seguinte
estrofe da música: “quando eles embarcam, soldados.
Elas tecem longos bordados. Mil quarentenas, e explique
tal relação.
Desenvolvimento Metodológico

• [...] Um gênio me inspirou tramar imensa. Larga teia


delgada, e assim lhes disse: — Amantes meus depois de
morto Ulisses. Vós não me insteis, o meu lavor
perdendo. Sem que do herói Laertes a mortalha Toda
seja tecida, para quando. No sono longo o sopitar o
fado: Nenhuma Argiva exprobre-me um funéreo.
Manto rico não ter quem teve tanto. — A diurna obra
desfazia à noite. E os entretive ilusos por três anos;”
(HOMERO, 1799-1864, p.2008).
Desenvolvimento Metodológico

Em seguida, estabeleça uma comparação entre o


comportamento de Penélope, enfatizando sua postura no
casamento, como heroína romântica à espera do seu
eterno amor, conforme pode-se conferir no trecho a
seguir:
Gestão do Tempo

Tempo necessário para as


atividades: 04 horas
Duração de 01 Tertúlia Literária
Dialógica: 02 horas;
Tempo de cada aula: 50 minutos.
Avaliação da Aprendizagem

• A avaliação será sempre dialógica, processual, participativa, e isso implica considerar a


participação ativa dos educandos no processo de construção do conhecimento.

• Será feita uma avaliação inicial de sondagem do nível de conhecimento dos educandos
sobre o conhecimento no que se refere a habilidades leitoras e escritas, durante o
processo formativo e outra no final das tertúlias para verificar o nível de evolução dos
conhecimentos, para fins de intervenção pedagógica e revisão do planejamento, se
necessário.

• Composição de portfólio das produções textuais dos educandos com os estudos e


pesquisas propostos pelas atividades para mensurar a evolução das competências
leitoras e de escritas desenvolvidas no percurso das Tertúlias Dialógicas Literárias.
Empoderamento Feminino

• A importância das vestimentas como meio de comunicação e expressão do poder


feminino na Ilíada e Odisseia.

• A ligação presente entre o ato de tecer, a astúcia e a fala, como posicionamento de


empoderamento .

• “A ligação entre tecelagem e engano está bem enraizada no texto homérico, […]
o verbo ‘tecer’ pode ser usado no sentido literal, de tecer vestes, astúcia, ou um
engano“ (SAIS, 2017, p. 01).
Empoderamento Feminino

• Na sociedade grega antiga, não se dava a palavra à mulher, mas nem por isso ela
se calava, “em vez de falar, elas tecem. As mulheres, silenciadas, tecem […]
fazendo um ‘material silencioso falar” (SAIS, 2017, p. 01).

• Na obra a Odisseia, Helena assume o protagonismo da Guerra de Troia, ela


“tece” o seu destino e os acontecimentos político-sociais, quando a heroína
demonstra em seus atos que, “ao mesmo tempo em que as mulheres podem ser
vozes da verdade, como profetizas e professoras, podem também dar à mentira
forma e aparência de verdade“ (SAIS, 2017, p. 01).
Desenvolvimento Metodológico

Referências:

AUBERT, Adriana. Aprendizagem dialógica na sociedade da informação. Editora Edufscar: SP, 2016.

BUARQUE, Chico; BOAL, Augusto. Mulheres de Atenas, 1976. Disponível em:<


https://www.youtube.com/watch?v=MabbVn0Rlv4>. Acesso em: 01 de dez de 2017.

DURKHEIM, Émile. A educação como processo socializador: função homogeneizadora e função diferenciadora. In: FORACCHI,
Marialice M.; PEREIRA, Luiz. Educação e Sociedade: leituras de sociologia da educação. 5ª ed., Editora Nacional: São Paulo, 1970.

FLECHA, R. Compartiendo palavras: al aprendizaje de las personas adultas através del diálogo, Barcelona: Paidós, 1997.

FLECHA, R.: VALLS, R. Lectura dialógica: interacciones que mejoran y aceleran la lectura, Revista Iberoamericana de Educación,
2008. Disponível em:< http://rieoei.org/historico/documentos/rie46a04.htm>. Acesso em: 01 de dez de 2017.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática de Liberdade, 8ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.
Desenvolvimento Metodológico

Referências:

GIROTTO, Vanessa Cristina. Leitura Dialógica: primeiras experiências com tertúlia literária dialógica com crianças em sala de aula. UFSCar: São
Carlos, SP, 2011. (Tese de Doutorado). Disponível em:< https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/2258/3536.pdf?sequence=1>.
Acesso em: 01 de dez de 2017.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Manoel Odorico Mendes (1799-1864), Biblioteca Clássica: São Paulo, 2009.

______. Odisséia. Tradução de Manoel Odorico Mendes (1799-1864), eBooksBrasil: São Paulo, 2009.

INSTITUTO NATURA. Caderno de formação Pedagógica Dialógica de Comunidade de Aprendizagem. SP: 2015. Disponível em:<
http://www.comunidadedeaprendizagem.com/uploads/materials/10/6572906c71693d49b4e963bca256ad22.pdf >. Acesso em: 10 de nov.
2017.

SAIS, Lilian Amadei. Vestes que falam: a tecelagem e as personagens femininas dos poemas homéricos. Revista Criação & Crítica, São Paulo,
n. 15, p. 7-19, dec. 2015. ISSN 1984-1124. Disponível em: <http://www.periodicos.usp.br/criacaoecritica/article/view/102115/106507>.
Acesso em: 13 dec. 2017.