Padrão intersticial Gustavo de Souza Portes Meirelles1

1 – Doutor em Radiologia pela Escola Paulista de Medicina – UNIFESP

1 – Definição

O interstício é uma rede de tecido conectivo que dá suporte aos pulmões e normalmente não é visível na radiografia. Compreende as paredes dos brônquios e alvéolos, além dos septos interlobulares e do tecido que acompanha brônquios e vasos pulmonares.

Várias doenças causam alterações intersticiais, que podem se manifestar como micronódulos, opacidades reticulares ou alterações retículo-nodulares (forma mais comum de apresentação). Na descrição das alterações deve-se sempre evitar os termos “infiltrado” e “acentuação da trama broncovascular”, por se tratarem de termos inespecíficos, sem muito significado prático. Utilizar como descritivo a palavra “opacidades”, caracterizada quanto ao seu tipo (reticular, nodular ou reticulo-nodular).

2 – Padrão micronodular

O padrão micronodular é decorrente de múltiplos nódulos medindo de 1 a 5 mm, que podem se tornar coalescentes. Quando maiores, geralmente são decorrentes da somatória de alteração intersticial e acinar. As principais causas do padrão micronodular são doenças infecciosas (tuberculose miliar, histoplasmose), sarcoidose, pneumoconioses, pneumopatias intersticiais e algumas neoplasias (linfoma, bronquioloalveolar). Causas mais raras são a amiloidose, hemossiderose pulmonar e histiocitose de Langerhans.

Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4

1

menores que 0.Figura 1. Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 2 . Múltiplos micronódulos esparsos. Sarcoidose com padrão micronodular na radiografia simples. Padrão micronodular na radiografia simples.5 cm (silicose). Figura 2.

pneumonia intersticial linfóide e pneumonia intersticial não específica. Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 3 . edema pulmonar e neoplasias com linfangite pulmonar carcinomatosa. como a pneumonia intersticial usual. sob a forma reticular. além de infecções (especialmente virais). Múltiplas opacidades lineares no pulmão esquerdo (pneumopatia intersticial). Figura 3. Alteração intersticial difusa.3 – Padrão reticular O padrão reticular é composto por espessamentos septais. asbestose. bandas (estrias) e opacidades lineares. Ocorre principalmente nas pneumopatias intersticiais.

Figura 4. Linfangite carcinomatosa. além de derrame pleural e aumento da vascularização apical. Espessamentos septais e estrias no pulmão direito. Figura 5. com estrias no pulmão direito. Paciente com neoplasia pulmonar central direita (hilo direito de volume aumentado). Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 4 . Padrão reticular no edema pulmonar. Padrão reticular de apresentação.

infecções. como espessamentos septais e estrias. pneumopatias intersticiais e neoplasias. Figura 6. Asbestose com padrão reticulo-nodular. Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 5 . presente nas doenças pulmonares fibrosantes. O achado clássico é o de micronódulos associados a opacidades reticulares. pois corresponde a uma somatória dos dois primeiros. espessamentos septais e estrias.4 – Padrão retículo-nodular Este talvez seja o padrão mais comum de apresentação. como pneumoconioses. Pode ser visto em várias afecções. Micronódulos. Muitas vezes é decorrente de faveolamento.

Padrão retículo-nodular na fibrose pulmonar idiopática. Faveolamento em pneumonia intersticial usual por colagenose.Figura 7. com padrão retículo-nodular na radiografia simples de tórax. Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 6 . Figura 8.

Chest roentgenology. Lippincott Williams & Wilkins. 512p. Thoracic Radiology: The Requisites. 1998. Philadelphia. Crummy AB. Paul and Juhl's Essentials of Radiologic Imaging. Curso PneumoAtual de Radiologia – aula 4 7 . PA. 1408p.5 – Leitura recomendada Felson B. Kuhlman JE. Mosby. Juhl JH. WB Saunders. 1973: 574p. 1998. McLoud TC.