INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ IFPI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LINGUÍSTICA DISCIPLINA: TEORIAS LINGUÍSTICAS PROFESSORA: MARIA

DE LOURDES

CONCEITOS DE GRAMÁTICA
Francisca Beatriz Jorgelene Lima Luciene Maciel Maria Antonia Sales Maria Castro Reis

CONCEITOS DE GRAMÁTICA Gramática tradicional Gramática histórico-comparativa Gramática estrutural Gramática gerativa Gramática cognitivo-funcional

Os falantes não combinam os elementos do modo como querem, já que sua língua apresenta restrições quanto a esse processo .

d) Aluno o entregou trabalho o. c) ?Entregou o aluno o trabalho. .PESSOAS S a) O aluno entregou o trabalho. b) O trabalho o aluno entregou.

objeto a ser descrito pelo cientista. .Designa o funcionamento da própria língua. Gramática: Modelos teóricos criados pelos cientistas a fim de explicar o funcionamento da língua.

de um modo geral. . pela linguística moderna. criticado.1 GRAMÁTICA TRADICIONAL Gramática tradicional = gramática normativa = gramática escolar FCaráter normativo.

. O uso da língua não está regido. no entanto.FOs padrões de correção impostos pela gramática influenciam as restrições de combinação dos elementos linguísticos. não se pode ignorar as construções alternativas aos padrões gramaticais. pelos padrões de correção. Isso é para mim fazer . pelo menos em sua essência. Eu vi ele . tais como: A gente vamos lá .

. FPor isso.FConcebem a existência de formas gramaticais corretas e abandonam formas que são efetivamente usadas pelos falantes na comunicação diária. adota uma visão parcial da língua. aquelas comumente denominadas erradas . FRelaciona linguagem e lógica Restringe seu foco aos aspectos formais da língua.

.2 GRAMÁTICA HISTÓRICOCOMPARATIVA FProposta de comparar elementos gramaticais de línguas de origem comum a fim de detectar a estrutura da língua original da qual elas se desenvolveram.

LATIM caput cãrus campus cabãllus FRANCÊS chef cher champ cheval ITALIANO capo caro campo cavallo ESPANHOL cabo caro campo cabalo PORTUGUÊS cabeça caro campo cavalo .

.FAbandono dos princípios que regiam a tradição gramatical de base grega. FDesenvolveu-se em função dos seguintes fatores: O surgimento do Romantismo na Alemanha. A descoberta do sânscrito. O surgimento das ideias de Darwin.

pat r (grego) . heart (ingles) . father (inglês). cor (latim) . FLei de Grimm correspondências fonéticas: pãter (latim) .FFrans Bopp e Jacob Grimm bases que nortearam a comparação sistemática das línguas. kardia (grego) .

FLíngua primitivo pré-histórica indu-europeu tronco linguístico indu-europeu. FÀ linguística são aplicadas as ideias de Darwin (August Schleicher). .

interfere nos movimentos naturais dos sons. . EMPRÉSTIMO: influência de uma língua sobre outras. atrapalhando a atuação das leis fonética.Neogramáticos mudança uniformitária ANALOGIA: a mente humana estabelece semelhança nas formas originalmente distintas.

TESE DO RELATIVISMO LINGUÍSTICO: a língua reflete sua própria história.NEOGRAMÁTICOS: as mudanças são decorrentes dos hábitos linguísticos individuais. .

FFaz análise da língua em elementos isolados.LIMITAÇÕES DA GRAMÁTICA HISTÓRICO-COMPARATIVA FFaz uma abordagem histórica do funcionamento gramatical. FMudança linguística estudada no âmbito individual. .

. ou seja. inerentes ao próprio sistema.3 GRAMÁTICA ESTRUTURAL FConhecida como estruturalismo Ferdinand de Saussure (Curso de Linguística Geral) FCaracteriza-se como sistema autônomo. cujas partes se organizam em uma rede de relações de acordo com as leis internas. FSaussure propunha que a langue constitui um sistema linguístico de base social que é utilizado como meio de comunicação pelos membros de uma determinada comunidade.

FNa concepção estrutural de gramática (na visão de Saussure) o sistema possui três aspectos importantes: a) existência elementos. que deve sempre ter prioridade sobre as partes que contém. c) a existência de um conjunto de regras que comanda a combinação dos elementos para formar unidades maiores. organizando-se solidariamente em um todo. . de um conjunto de b) cada elemento só tem valor em relação a outros.

Uso do método indutivo. 2. . Apresenta um caráter descritivo e não universalista. identificada por três características básicas: 1.FCostuma-se relacionar o movimento estruturalista com a corrente filosófica do empirismo. Condicionamento à experiência. 3.

4 GRAMÁTICA GERATIVA FNoam Chomsky FESTRUTURAS SINTÁTICAS (1957) .

FChomsky ressalta o componente criativo da linguagem humana. e a teoria lingüística passa a ter o objetivo de explicar o funcionamento de um órgão mental particular responsável pelo funcionamento da linguagem humana. . FDesse modo. indicando o papel primordial desempenhado por determinados processos mentais que são inerentes à nossa espécie. a natureza da linguagem é relacionada à estrutura biológica humana.

A GRAMÁTICA GERATIVA ANALISA A ESTRUTURA GRAMATICAL DAS LÍNGUAS Dois princípios básicos caracterizam a concepção gerativa de gramática: FPRINCÍPIO DO INATISMO FPRINCÍPIO DA MODULARIDADE DA MENTE .

GU DADOS DA EXPERIÊNCIA LINGUÍSTICA português japonês carajá inglês alemão . constituída de um conjunto de princípios gerais que impõem limites na variação entre as línguas e que se manifestam como dados universais.PRINCÍPIO DO INATISMO FExiste uma estrutura inata.

constituída de módulos ou partes. que trabalham separadamente. ou seja. FA noção de modularidade se manifesta nos estudos referentes à relação entre cérebro e linguagem através de uma proposta chamada localista. . caracterizados como sistemas cognitivos diferentes entre si.PRINCÍPIO DA MODULARIDADE DA MENTE FNossa mente é modular.

e não o desempenho.CARACTERÍSTICAS DA GRAMÁTICA GERATIVA FNoção de cognição Está associada à especificidade biológica da linguagem humana. FDistinção entre desempenho. competência e FO objeto de estudo da linguística deve ser a competência. .

FCostuma-se relacionar o movimento gerativista com a corrente filosófica do racionalismo. que pode ser identificada por três características básicas: A RAZÃO CONHECIMENTO: INATAS É FONTE DO EXISTEM IDEIAS UTILIZA O MÉTODO DEDUTIVO APRESENTA UM CARÁTER EXPLICATIVO E UNIVERSALISTA .

que não conseguia dar conta da aquisição e do uso das línguas. indiferente aos interesses do sujeito que o utiliza e ás características do ambiente social em que atua. ressaltando a criatividade humana para a linguagem. demonstrando de forma definitiva a existência de mecanismos inatos subjacentes a esses processos. . FMantém a noção de linguagem como um sistema autônomo. FDemonstrou que os humanos não decoram por estímulos externos as frases que utilizam.A GRAMÁTICA GERATIVA: FDeixou para trás uma concepção empirista de linguagem.

. seus participantes e seu contexto discursivo.5 GRAMÁTICA COGNITIVO-FUNCIONAL FIntensifica os estudos linguísticos para além dos fenômenos estruturais. A estrutura gramatical Analisa A situação de comunicação inteira: Propósito de fala.

FSegundo essa concepção. . no uso da língua determinados aspectos de cunho comunicativo e cognitivo são atualizados constantemente de acordo com o discurso. Pois. a situação comunicativa motiva a estrutura gramatical que não se limita a dados artificiais.

não se pode analisar a competência como algo distinto do desempenho. o discurso precisa dos padrões da gramática para se processar. FPois. renovando-se para se adaptar as novas situações de interação. mas a gramática se alimenta do discurso.FPara essa gramática. .

O esquema abaixo ilustra esse processo: GRAMÁTICA DISCURSO .

Muito obrigada! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful