Você está na página 1de 11

Objeto e Método da Sociologia

Docente: Joaquim Nave Ano letivo 2017/2018

Objeto e Método da Sociologia Docente: Joaquim Nave Ano letivo 2017/2018 Aluno nº 83680: Ricardo Domingues

Aluno nº 83680: Ricardo Domingues E-mail: rjsds1@iscte-iul.pt Turma de curso: SA1 Avaliação contínua

1ºSemestre

Índice

Índice .............................................................................................................................................

1

  • 1. Introdução

2

  • 2. Sociologia como ciência social

3

  • 1.1 O que é a Sociologia?

3

  • 1.2 Construção do conhecimento cientifico

3

  • 1.3 Objeto sociológico

3

  • 2. Obstáculos epistemológicos à investigação

4

  • 2.1 Naturalismo

4

  • 2.2 Individualismo...............................................................................................................

4

  • 2.3 Etnocentrismo

4

  • 3. Método e perspetiva da Sociologia

5

  • 3.1 Etapas da investigação sociológica

5

  • 3.2 Estratégias ao conhecimento

5

  • 4. Desconstrução do Senso Comum

..........................................................................................

6

  • 5. Reflexão da reportagem de acordo com a problemática

7

  • 6. Conclusão

8

  • 7. Referências Bibliográficas

9

1. Introdução

A redação deste presente trabalho destina-se ao desafio proposto pelo docente, no âmbito do trabalho final da unidade curricular, Objeto e Método da Sociologia.

Após uma nova leitura de vários textos e outras fontes integrantes da bibliografia disponibilizada, que achei mais adequados, foi possibilitado dar a conhecer mais sobre a essência, o método e finalidade da Sociologia no decorrer da sua investigação cientifica.

Esta reflexão apresenta como tema principal, a evidência da rutura epistemológica requerida à Sociologia, em especial a desconstrução dos modos de pensamento alusivos ao senso comum, assim como outros desafios que confrontam a critica e vigilância epistemológica, ao longo do processo de construção de objetos sociológicos. Será, deste modo, possível uma reflexão e compreensão de como a Sociologia desenvolve a sua perspetiva própria.

Para tal, ocorrerá a breve interpretação e explicação da natureza da Sociologia, quais as suas particularidades, como se dá a sua metodologia epistemológica e respetiva definição do objeto, e por último a evidencia das estratégias de critica conceptual da investigação sociológica, renegando os complexos obstáculos assentes na pesquisa.

Com vista a uma melhor compreensão da necessidade de rutura com o senso comum, e qual a sua influência nas distintas representações do social, toda a reflexão será relacionada com um vídeo disponibilizado pelo docente, correspondente a uma reportagem acerca do Racismo e Xenofobia em Portugal da autoria da TVI ..

2. Sociologia como ciência social

  • 1.1 O que é a Sociologia?

  • 1.2 Construção do conhecimento cientifico

  • 1.3 Objeto sociológico

2. Obstáculos epistemológicos à investigação

  • 2.1 Naturalismo

  • 2.2 Individualismo

  • 2.3 Etnocentrismo

3. Método e perspetiva da Sociologia

3.1 Etapas da investigação sociológica 3.2 Estratégias ao conhecimento

4. Desconstrução do Senso Comum

5. Reflexão da reportagem de acordo com a problemática

Em que medida a construção de objetos sociológicos pressupõe o questionamento e a descontrução das categorias e interpretações do senso comum.

6. Conclusão

A elaboração deste pequeno oficio, permitiu atingir os fins previamente estabelecidos. Foi possível e evidenciar as particularidades da Sociologia, como o método, a construção do objeto e elucidar os obstáculos ao conhecimento não só sociológico, como a todo o dito empirismo presente no contexto social. Para tal, a reportagem disponibilizada foi um ótimo utensilio de maior interiorização da complexidade que a investigação Sociológica apresenta, mas que acaba por ser menosprezada.

A sociedade apresenta intrinsecamente representações, ideias pré-estabelecidas com base no contexto social e na cultura, que orienta o individuo, a classificar todo os fenómenos sociais, originando diversos problemas sociais socialmente reconhecidos pelas diferentes interpretações.

Na virtude de estudar estes factos sociais, surge a Sociologia, que apresenta um método epistemológico não só compreensivo como também reflexivo, instigando uma análise e posterior interpretação dos fenómenos sociais, que é a qualquer altura refutável. Cabe ao Sociólogo difundir-se dos modos senso-comunais, a que está sujeito enquanto qualquer outro ser social.

Conclui-se que toda a validade da análise do social é condicionada se não apresentar um método e instrumentos para o mesmo efeito. É essencial uma investigação com base num quadro teórico de proposições verificáveis, ajustáveis ao objeto em estudo, que possibilitem a conexão com a realidade, sem alimentar problemas sociais, por uma adulterada compreensão.

A ação do investigador passa, portanto, por evidenciar as causas da ação social, sem expressar uma opinião pessoal sobre a realidade, que tem obviamente uma importante influencia na vida quotidiana.

Perante tamanhos problemas sociais, ainda presentes na sociedade contemporânea, é percetível perceber a influência do senso comum na formação de pré-noções do social, modificadas por uma representação cultural que continua a alimentar a desigualdade de grupos sociais na sociedade.

7. Referências Bibliográficas

  • - Almeida, João Ferreira de (coord.), Introdução à Sociologia, Lisboa, Universidade Aberta, pp.

193-222

  • - Bourdieu, Pierre (1988), Razões práticas: Sobre a teoria da ação, Oeiras, Celta, pp. ix-xi, 3-14

  • - Bourdieu, Pierre (1989), “Introdução a uma sociologia reflexiva”, in O Poder Simbólico, Lisboa, Difel, pp. 17-58

  • - Costa, António Firmino da (2001), Sociologia, Lisboa, Difusão Cultural (3º ed.), pp. 13-28

  • - Giddens, Anthony (2004), “Métodos de Investigação em Sociologia”, Sociologia, Lisboa, Calouste Gulbenjian (4º ed.), pp. 640-663

  • - Lenoir, Rémi (1996), “Objeto sociológico e problema social”, im Patrick Champagne et al.,

Iniciação à Prática Sociológica, Petrópolis, Vozes, pp. 59-106

  • - Nunes, Adérito Sedas (1982), Sobre o Problema do Conhecimento nas Ciências Sociais, Lisboa, ICS, pp.7-36

  • - Pinto, José Madureira (1994), Proposta para o ensino das Ciências Sociais, Porto, Afrontamento, pp. 113-138

  • - Quivy, R. e L. Champenhoud (2003), Manual de Investigação em Ciências Sociais, Lisboa, pp.

24-28

  • - Silva, Augusto Santos (1986), “A rutura com o senso comum nas Ciências Sociais”, in A.S Silva e J.M. Pinto (orgs.), Metodologia das Ciências Sociais, Porto, Afrontamento, pp. 29-53

Referência do vídeo da reportagem da tvi - !

Confirmar com a revista Sociologia: Problema e praticas.

Notas: Termos a usar

Reflexividade Subjetividade e objetividade da sociologia … omnipresença do

social (texto 12) Usar o texto 20 já relido, na parte da metodologia sociológica, na construção do

quadro de interpretação. Opiniões apriorísticas

Classificações como padrões de cultura socialmente partilhados. Classificação,

como implícito na vida soial e de forma espontânea.

Falar do texto 25_ classificações sociais (?????)