Você está na página 1de 83

EXMO. SR. DR.

JUIZ FEDERAL DA 17ª VARA – ESPECIALIZADA


CRIMINAL – DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DA BAHIA

IPL n. 256/2012 e autos n. 18378-13.2012.4.01.3300

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL oferece DENÚNCIA em


desfavor de:

1) MARCO PRISCO CALDAS MACHADO, DADOS


PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

2) JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS, DADOS


PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

3) JOSAFÁ RAMOS DOS SANTOS, DADOS PESSOAIS


EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS

1
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

4) GILVAN SOUZA SANTANA, DADOS PESSOAIS


EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

5) BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS SANTOS,


DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS,

6) DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA, DADOS


PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

7) JEANE BATISTA DE SOUSA, DADOS PESSOAIS


EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS
PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,
DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS
EXCLÚIDOS, DADOS PESSOAIS EXCLÚIDOS,

2
De 31 de janeiro a 11 de fevereiro de 2012, os denunciados
consorciaram-se para lesar e expor a perigo o Estado Democrático de Direito,
para, com articulação nacional e nítida motivação política, aterrorizar a
população baiana, ordenado e executando a prática de uma série de crimes
previstos na Lei n. 7.170/1983.
Tais condutas delituosas serão narradas adiante. Antes,
contudo, faz-se necessário rememorar algumas noções basilares acerca do
bem jurídico tutelado pela lei adrede mencionada.

I. BREVES CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENS


JURÍDICOS TUTELADOS PELA ATUAL LEI DE SEGURANÇA NACIONAL.
RESSIGNIFICAÇÃO A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO DE 1988:

Datada dos estertores do regime militar, a vigente Lei de


Segurança Nacional (Lei n. 7.170, de 14 de dezembro de 1983) foi
inicialmente fulcrada na doutrina de igual denominação (doutrina da
segurança nacional1), que, em verdade, traduzia-se como segurança
(inclusive no plano ideológico) do Estado de então e daqueles que o dirigiam.
Hoje, o referido ato normativo deve ser interpretado em con-
formidade à Constituição da República de 5 de outubro de 1988, que lhe so-
breveio, mas expressamente pretendeu mantê-la, inserindo-a no conceito de
crimes políticos, cuja persecução foi outorgada à Justiça Federal 2. Em outras

1 Contra, sustentando que a Lei n. 7.170/83 já abandonara esta doutrina, FRAGOSO,


Heleno Cláudio. A nova lei de segurança nacional. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_58/panteao/HelenoClaudioFragoso.pdf.
Acesso em 18-02-2013; FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lei de segurança nacional: uma
experiência antidemocrática. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1980, p. 53-55.
2 Fernando da Costa Tourinho Filho ensina que “os crimes políticos, na velha e revelha lição
de Hungria, são os praticados contra o Estado como unidade orgânica das instituições
políticas e sociais”, neles incluindo os eleitorais – sujeitos à Justiça Eleitoral – e os elencados
na Lei de Segurança Nacional, que, com o advento da nova Constituição, “passaram para a
competência da Justiça Comum Federal” (TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo
Penal. Vol. 2. 22ª ed. São Paulo: Saraiva, 2000, p. 164-165).
Nesse exato sentido doutrinam Gilmar Ferreira Mendes, Paulo Gustavo Gonet Branco e
Inocêncio Mártires Coelho: “Não se deve omitir ainda referência à competência da Justiça
Federal para os crimes políticos, como tais entendidos os crimes contra a segurança

3
palavras, a Lei n. 7.170 deve ser submetida, na expressão cunhada por Paulo
Schier, a uma filtragem constitucional, para que se confirme sua recepção
material.
Não poderia ser de outra forma. Se a missão do Direito Penal
consiste na proteção dos valores mais caros a uma determinada sociedade, é
evidente que o Estado Democrático de Direito, instalado no art. 1º da Carta
Magna de 1988, é merecedor dessa especial proteção .
Feita a filtragem, ou seja, a reorientação hermenêutica dos ti-
pos da Lei de Segurança Nacional, para que se alinhem aos valores da atual
quadra democrática, é inevitável constatar que a segurança do governo, en-
quanto bem jurídico, agora cede lugar à segurança da sociedade e a de
seus valores fundantes, externados no pórtico da Lei Fundamental bra-
sileira.
Já pensava assim Heleno Cláudio Fragoso, mesmo antes do
advento do vigente texto constitucional:

A nova lei restringiu o conceito de segurança nacional, de acordo


com a tendência mais liberal e democrática. Segurança Nacional é
o que se refere à nação como um todo, e diz respeito à própria exis-
tência do Estado à sua independência e soberania. Trata-se da se-
gurança nacional, ou seja, da nação. Ela não se confunde com a
segurança do governo ou da ordem política e social, que é coisa
bem diversa. Esse conceito de segurança nacional é o que prevale-
ce no Direito Internacional. Quando o Pacto de Direitos Civis e Polí-
ticos permite a derrogação da garantia dos direitos humanos, por
motivos de segurança nacional (arts 12 a 14, 19, 21 e 22), essa ex-
pressão significa apenas a garantia de bens relativos a toda a na-
ção, com exclusão de atentados ao governo. Nesse sentido são os
chamados “Princípios de Siracusa”, aprovados em reunião de peri-
tos convocada pela Comissão Internacional de Juristas e pela Asso-

nacional”, citando, em seguida, da jurisprudência do STF, a RC n. 1.468/RJ, Rel. Maurício


Corrêa, DJ de 16-8-2000 (MENDES, Gilmar Ferreira, COELHO, Inocêncio Mártires,
BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 2ª ed. São Paulo:
Saraiva, 2008, p. 985).

4
ciação Internacional de Direito Penal; celebrada na cidade de Sira-
cusa, na Itália, em abril/maio de 1984, para o estudo das derroga-
ções e limitações previstas pelo Pacto de Direitos Civis e Políticos 3.

O aludido diploma normativo traz a expressão “segurança na-


cional” ao lado de “ordem política e social”. Louvando-se novamente nas li-
ções do referido jurista fluminense, vale conferir a conceituação por ele em-
pregada ao fazer referência a esses objetos de proteção tutelados pela Lei:

Ordem política é a estrutura política do Estado, na forma que a


Constituição a estabelece. Ordem social é o regime econômico que
o sistema político institui e tutela. À ordem política e social refere-se
o que se tem chamado de segurança interna4.
Rememorado o sentido hodierno do art. 1º, inciso II, da Lei n.
7.170 (“Art. 1º - Esta Lei prevê os crimes que lesam ou expõem a perigo de
lesão: Il - o regime representativo e democrático, a Federação e o Estado de
Direito”), há que se assinalar que tanto estes valores basilares quanto a
segurança da sociedade, essenciais para a manutenção da paz e o livre
desenvolvimento da vida, foram severamente agredidos pelo movimento
coordenado pelos denunciados, como se explanará nos capítulos seguintes
desta exordial acusatória.

II. DOS CRIMES PRATICADOS

De fato, os denunciados valeram-se do pretexto de organizar


e executar uma greve de policiais militares no Estado da Bahia – atividade
expressamente vedada pela Constituição da República (art. 142, § 3º, IV c/c o

3 FRAGOSO, Heleno Cláudio. A nova lei de segurança nacional. Disponível em:


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_58/panteao/HelenoClaudioFragoso.pdf.
Acesso em 18-02-2013.
4 FRAGOSO, Heleno Cláudio. A nova lei de segurança nacional. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_58/panteao/HelenoClaudioFragoso.pdf.
Acesso em 18-02-2013.

5
art. 144, § 6º) – para atentar contra a segurança da sociedade nacional, com
evidente propósito político.
Em verdade, os denunciados objetivavam, não somente o
aumento de seus próprios capitais políticos – o que restou claramente
comprovado no curso das Eleições de 2012, como se demonstrará adiante – ,
mas também forçar o Congresso Nacional a aprovar a Proposta de Emenda
Constitucional (PEC) n. 300/2008, que pretende alterar o § 9º do art. 144 da
Constituição da República, a fim de que ele passe a ter a seguinte redação:

A remuneração dos servidores policiais integrantes dos órgãos


relacionados neste artigo será fixada na forma do § 4º do artigo 39,
sendo que a das Polícias Militares dos Estados, não poderá ser
inferior a da Polícia Militar do Distrito Federal, aplicando-se também
o Corpo de Bombeiro militar desse Distrito Federal, no que couber,
extensiva aos inativos5.

A oportunidade para dar início aos atos atentatórios à


segurança nacional surgiu durante as negociações travadas 6 entre
associações representativas de policiais militares baianos e o Governo do
Estado, no início do ano de 2012.
MARCO PRISCO CALDAS MACHADO (primeiro
denunciado), ex-policial militar que fora excluído das fileiras da PMBA por
sua participação na “greve” de 2001, presidia a ASPRA BAHIA – Associação
de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia, fundada
em 2009 e até então pouco representativa da categoria.
Pretendendo catapultar o seu prestígio político, com vistas à
aprovação da citada PEC n. 300 e à ocupação ulterior de cargos eletivos, ele

5 Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;


jsessionid=40BD7A3CC4E48E669E2E033705D92E8E.node1?
codteor=610200&filename=PEC+300/2008. Acesso em: 21-02-2013.
6 A pauta consistia, essencialmente, nos pedidos de anistia dos policiais participantes do
movimento “grevista” de 2001, criação de Código de Ética, criação de Comissão para
discussão de um plano de carreira, pagamento da Gratificação de Atividade Policial (GAP) no
nível V, incorporação da GAP V ao soldo, pagamento de auxílios acidentário, de
periculosidade e insalubridade (cf. Apenso I, Volume I, p. 3).

6
levou a ASPRA7 a romper unilateralmente as tratativas salariais, declarando a
paralisação total das atividades dos policiais militares.
Isto ocorreu no dia 31 de janeiro de 2012 em assembleia
realizada no sindicato dos bancários. Tal evento contou com a participação do
segundo denunciado, JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS (cf. Relatório
de Inteligência n. 6279, p. 440, Apenso II, Volume III e cf. interrogatório do
segundo denunciado no inquérito policial militar, fl. 812, Apenso II, Volume
V) ), Cabo da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, do Sub Ten PM/CE
QUEIROZ, do SD PM e do Deputado Estadual em Roraima FRANCISCO
SAMPAIO – o que já evidencia que as ações criminosas tinham caráter
nacional desde o nascedouro – e de ELIAS ALVES DE SANTANA, Diretor-
Presidente da Associação dos Profissionais de Polícia e Bombeiros Militares
do Estado da Bahia – ASPOL8.
O evento foi retratado na seguinte fotografia, em que o
primeiro denunciado aparece em primeiro plano9:

7 Cuja página na internet hoje pode ser encontrada em http://www.asprabahia.com.br/.


8 Cuja página na internet hoje pode ser encontrada em http://aspolbahia.blogspot.com.br/.
9 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes1/artigo/
onibus-e-atravessado-na-pista-e-bloqueia-transito-na-ba-099/. Acesso em: 21-02-2013.

7
Na citada ocasião, o primeiro denunciado orientou os
presentes – incluindo-se aí o segundo denunciado – a dirigirem-se ao
prédio da Assembleia Legislativa da Bahia, situado no Centro Administrativo
da Bahia, com o propósito de pressionar o Governo do Estado a cederem aos
pleitos apresentados naquele oportunidade, o que resultou em diversos
transtornos a população e intensos congestionamentos, especialmente na
região de Iguatemi e na avenida Paralela.
Na Assembleia Legislativa os manifestantes conseguiram
uma audiência com o Presidente do Poder Legislativo Estadual, o Deputado
Marcelo Nilo (cf. Ofício n. 2549/2012-GAB/SI/SSP/BA, de 1º de fevereiro de
2012, fl. 4).
Sucede que os manifestantes, liderados pelo denunciado,
ante a negativa do Presidente do Poder Legislativo Estadual, não se
dispuseram a negociar com o governo do Estado, deixando claro que seu
único desiderato era o de deflagrar o caos político-social que se seguiu.
Tendo em vista a necessidade de conseguir adesão
significativa da categoria, especialmente dos policiais militares na ativa, o
primeiro denunciado resolveu mudar de estratégia, decidindo minar as
ordens política e social de todo o Estado da Bahia, às vésperas de sua maior
festa popular, o Carnaval. A intenção, com viés nitidamente político, era de
ulteriormente alastrar a ação criminosa todo o país, a fim de promover a
aprovação da prefalada PEC n. 300 e de alavancar o capital eleitoral dos
próprios denunciados, com vistas a futuras eleições.
Para uma melhor compreensão do que se sucedeu, as
condutas criminosas serão agrupadas segundo os dias em que foram
cometidas.

II.1. Atos criminosos ocorridos em 01 de fevereiro de


2012:

8
II.1.1. De fato, o Ofício n. 2549/2012-GAB/SI/SSP/BA, datado
de 01-02-2012 (fls. 3 e ss., Apenso I, Volume I) aponta, inclusive com fotos,
que “durante a noite de 31.01.12 (terça-feira) e início da manhã de 01.02.12
(quarta-feira) o policiamento foi considerado normal”.
Diante disto, os denunciados resolveram tornar permanente
a ocupação do prédio da Assembleia Legislativa da Bahia, impedindo o
regular funcionamento do Poder Legislativo do referido Estado Membro da
Federação no período de 01/02/2012 a 09/02/2012.
Para atingir seu desiderato, o primeiro denunciado
determinou que os policiais ocupantes da Assembleia Legislativa levassem
suas famílias ao local10, transformando mulheres e crianças em verdadeiros
“escudos humanos”11,, em clara afronta ao art. 232 do Estatuto da Criança e
do Adolescente (ECA).
Nesse sentido, vale colacionar frames de reportagem
veiculada pela TV Bahia, afiliada local da Rede Globo de Televisão:

10 Informação disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110350-prisco-


pede-que-policiais-levem-familias-para-acampar-na-al-ba.html. Acesso em: 08-02-2012.
11 Informação disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110350-prisco-
pede-que-policiais-levem-familias-para-acampar-na-al-ba.html. Acesso em: 08-02-2012.

9
Armados, e juntamente com seus liderados, os denunciados
transformaram o prédio em um verdadeiro bunker, ameaçando reagir à bala
caso fossem retirados do prédio.
O fato foi bem explanado pela Folha de São Paulo, em
matéria veiculada no dia 05-02-2012:

10
De todo o exposto, não há dúvida de terem os denunciados
impedido, mediante grave ameaça, o livre exercício do Poder Legislativo do
Estado da Bahia.

II.1.3. Demais disso, os denunciados ordenaram a invasão e


a sabotagem de instalações policiais militares espalhadas pelo Estado, com a
finalidade de impedir que os policiais, que não aderiram ao movimento
mostrando respeito à Constituição da República, saíssem às ruas, além de
causar dano e paralisação a serviços públicos essenciais à segurança da
sociedade.
Nesse sentido, vale transcrever trecho do testemunho do
Major PM GILSON SOARES SEIXAS:

Que é o comandante da 47ª CIPM [Companhia Independente da


Polícia Militar] e na data de primeiro de fevereiro do ano de dois e
doze encontrava-se na sede da CIPM; que, por volta das 08h, após
realizar preleção com a tropa que entraria em serviço, quando

11
foram explicadas as consequências legais do não cumprimento da
escala de serviço, em circunstância do movimento grevista,
momento em que a tropa acatou a determinação do comandante e
se preparavam para iniciar o serviço; que, em seguida, ouviu gritos
de “greve, greve” e verificou a presença de aproximadamente trinta
pessoas no interior da companhia, sendo que um dos integrantes
subiu até o primeiro andar, indo ao encontro do declarante, o qual é
Sargento da PM-BA, mas o declarante não sabe informar o nome
do mesmo, sabendo que ele se encontrava ao lado de MARCOS
PRISCO, em entrevista veiculada na TV Bahia, ontem; que o
sargento informou ao declarante que estava cnvidando os policiais
que estavam largando o serviço para participarem de uma reunião
na Assembléia Legislativa; que, o declarante convidou o Sargento a
retirar-se do interior da Companhia, no que foi atendido, contudo foi
verificado que a viatura de prefixo 4712 teve os pneus dianteiro e
traseiro do lado esquerdo foram esvaziados; após isso, as
guarnições se preparam para o serviço e saíram em comboio; por
vola das 10h, as viaturas de prefixos 9.4705 e 9.4708 foram
interceptados pelos grevistas com cerca de oitenta supostos
policiais e escoltados até a sede da Companhia; que, os grevistas
estavam de motocicletas e automóveis particulares, com as placas
cobertas com panos ou sacos plásticos pretos. Chegando na
Companhia alguns dos integrantes do movimento grevista fecharam
o portão, impedindo a saída das viaturas.(...). (fls. 56-57, Apenso I,
Volume I).

Procedimento análogo foi tomado contra a 39ª Companhia


Independente da Polícia Militar (39ª CIPM), sediada na Boca do Rio, nesta
capital. De fato, o Relatório de Inteligência n. 6275/2012-CI/SI/SSP-BA
informa que os denunciados dolosamente sabotaram aquela instalação
militar, haja vista que, “por volta das 12:00, os grevistas entraram no pátio da
39ª CIPM – Boca do Rio (Aeroclube) e furaram os pneus das quatro viaturas
de números 3901, 3902, 3903 e 3904(...)” (fl. 431, Apenso II, Volume III).

12
Vale salientar que tentativa análoga foi empreendida junto à
48ª CIPM (Sussuarana), por parte de cerca de trinta policiais liderados pelos
denunciados (cf. fls. 557-558, Apenso II, Volume III).

II.1.4. Não contentes com isto, os denunciados também


determinaram que fossem tomadas ou depredadas viaturas que
empreendiam o policiamento da capital, sabotando aqueles meios de
transporte com o propósito de causar dano e paralisação dos serviços
públicos essenciais à segurança da sociedade. Destarte, diminuía-se a
frequência do policiamento ostensivo, além de dotar a própria quadrilha
armada de maior mobilidade.
Esses dramáticos episódios foram relatados nos diversos
depoimentos que integram os autos, dos quais se destacam os seguintes:

Que na data de primeiro de fevereiro do ano de dois mil e doze


encontrava-se escalado de serviço no posto do Comércio, e se
deslocava para lá, por volta das 9h30min, embarcado na viatura 02,
comandada pelo Sub Ten Ivan; (...) quando estava trafegando na
Av. Paralela, nas proximidades do viaduto Leonel Brizola, próximo
ao CAB, avistou o trânsito parado e uma aglomeração de pessoas;
que percebeu uma certa quantidade de pessoas vindo em direção
às viaturas; que os manifestantes tentaram tomar as chaves dos
veículos, impedindo as viaturas de prosseguirem; (...) que os
manifestantes se identificaram como policiais militares, e
informaram acerca de uma manifestação que estava acontecendo
em busca de questões salariais (movimento grevista); que os
manifestantes foram em direção ao caminhão e tomaram as chaves
que estavam na ignição; posteriormente as chaves foram
recuperadas pelo Sd PM Bastos; que os manifestantes tentaram
tomar as chaves da Viatura 02, sem êxito; que os policiais de
serviço convenceram os manifestantes a liberarem o caminhão,
pois havia solípedes embarcados; que os manifestantes permitiram
que o caminhão prosseguisse, porém danificaram o pneu da viatura

13
02, rasgando-o; que em seguida os manifestantes tomaram as
chaves da vtr 02; (...) PERGUNTADO: Se os manifestantes
utilizavam armamento? RESPONDIDO: Positivamente, porém
estava na cintura e não chegaram a exibir (SD PM UIRLON DA
SILVA MATOS – fls. 22-23, Apenso I, Volume I).

Que na data de primeiro de fevereiro do ano de dois mil e doze,


encontrava-se de serviço como motorista da viatura 9.2311,
comandada pelo Sd. PM Arailton, tendo como patrulheiros o Sd PM
Alisson e o Sd PM Dorea, quando por volta aproximadamente das
12h estavam em ronda na Estrada das Barreiras, sentido o bairro
de Tancredo Neves, mais precisamente na localidade conhecida
como “macaco”, foram interceptados por quatro carros e duas
motos, “fechando” a viatura e forçando que parassem, momento em
que se identificaram como policiais militares componentes do
movimento grevista, desembarcando cerca de vinte homens,
apesar de estarem alguns encapuzados, outros com boné e os
demais com capacete; (...) que estavam armados e pode perceber
que portavam pistolas, alguns com armas em punho e outros com
arma na cintura, informando que eram policiais militares, apesar de
não apresentarem suas identificações funcionais, e que queriam
levar a viatura, mas que permitiriam que retirassem os seus
pertences de dentro da viatura, e que não pediram as armas dos
policiais da guarnição e não usaram de violência, sendo que um
deles assumiu a direção da viatura e entraram mais uma ou duas
pessoas e seguiram em comboio com os demais carros, sentido
Sussuarana, deixando a guarnição a pé (SD PM MARCUS
VINICIUS SILVA FERREIRA – fls. 38-39, Apenso I, Volume I).

Que na data de primeiro de fevereiro do ano de dois mil e doze


encontrava-se de serviço como patrulheiro de guarnição de
radiopatrulhamento, no turno das 7 às 19h; que por determinação
do Oficial de Operações, o 1º Ten Barros Reis, deslocou-se da sede
da 19ª CIPM, a bordo da vtr prefixo 1911, comandada pelo SD PM
GONZAGA, a fim de realizar o policiamento normal (...); que após
passar pela entrada do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual

14
[BPRv], aproximadamente 500 metros após a Guarda do quartel, a
guarnição foi abordada por um veículo de cor preta, tipo Vectra, o
qual atravessou na frente da viatura, forçando sua parada, e
simultaneamente uma motocicleta com dois ocupantes se
posicionaram (sic) na lateral da viatura, com seu garupa apontando
a arma para o comandante da guarnição, que também era o
motorista; que havia um terceiro veículo que parou em sua
retaguarda, onde (sic) os ocupantes se encontravam com armas
longas em punho apontadas para o chão; que foi dada a ordem
para levantar as mãos, sendo informado que se tratavam de
policiais, com a exibição de identidade funcional da PM à distância
e dizendo que eram do movimento grevista; informaram que aquela
viatura seria tomada e conduzida ao CAB a fim de fortalecer o
movimento grevista; (...) que nesse meio tempo os elementos
assumiram a direção da viatura e foram deslocando no sentido
contrário, novamente no sentido a Águas Claras; que ao passar
pela entrada do BPRv avisaram para não reagir; sendo assim não
houve possibilidade de pedir socorro aos policiais militares do
BPRv; que cerca de 200 metros após o BPRv os indivíduos
resolveram liberar a guarnição (SD PM GABRIEL SANTANA DA
CONCEIÇÃO – fls. 60-61, Apenso I, Volume I).

Que estando de serviço na operação APOLO, em guarnição


formada pelos SDs Evandro (Patrulheiro), Adelson (Motorista),
Marcos Soares (Patrulheiro) e comandada por este declarante,
todos desta CIPM, na viatura de prefixo 9.5010, placa policial
NTD7193, quando em deslocamento, já na saída da Rua Nossa
Senhora do Carmo, a fim de assumir serviço na referida operação,
a viatura foi cercada por 3 (três) veículos, quando desceram deles
mais ou menos 12 (doze) homens armados, que furaram os 4
pneus da viatura, estando de posse de um punhal. PERGUNTADO:
Por que não houve reação? RESPONDEU: Porque todos os
homens que ali estavam desceram dos veículos empunhando
armas e não houve tempo para reação (SD PM BENEDITO DE
JESUS RAMOS, fl. 79, Apenso I, Volume I).

15
Que na data do dia primeiro de fevereiro do ano de dois mil e doze,
estando de serviço como motorista coordenador de área, e estando
em alfa 16 na área da unidade, precisamente por volta das 10:20h,
foi informado por um motoqueiro que havia vários veículos se
deslocando para sua unidade, que retornou a sua base e quando lá
chegou verificou que o comandante com os oficiais, que alguns
dialogavam com os manifestantes e alguns praças da unidade,
posicionados na enfrente impedindo o acesso dos manifestantes,
que o declarante e sua guarnição parou a viatura, por eles estarem
todos parados na entrada do quartel, que nesse momento teve a
sua viatura a blazer 4711, os pneus do lado direito furados, pelos
manifestantes, que gritavam: É greve, fura greves e que não era
para ter viaturas na rua” (...), que na tarde do mesmo dia, dando
prosseguimento serviço permaneceram alfa 18 no Max, porém por
volta das 18:20h quando retornava para a unidade, fora o comboio
que o declarante participava a bordo por vários veículos, com
grande número de manifestantes, gritando novamente dizendo que
eram policiais e que o declarante e os outros policiais de serviço
eram fura greve, (...) que dirigia nesta tarde a 4708, que teve os três
pneus furados (sic – SD PM ANAXAGORAS BISPO DA SILVA – fls.
217-218, Apenso I, Volume II).

Durante a tarde, cerca de 80 (oitenta) policias grevistas


hostilizaram uma equipe do Esquadrão Águia que estava em serviço no
Centro Administrativo da Bahia, interceptando-os e chamando-os de
“covardes”. Na oportunidade, uma viatura do esquadrão, uma GM Blazer,
teve os pneus dianteiros esvaziados.
Naquela ocasião, o primeiro denunciado foi flagrado
negociando a devolução da viatura (cf. fotografias às fls. 445-446 do Apenso
II, Volume III – Relatório de Inteligência 6275/2012-CI/SI/SSP-BA). Destarte,
resta inequívoco o domínio do fato criminoso que o nominado acusado
detinha.

16
De igual sorte, noticiou-se, na imprensa local, que: três
viaturas foram tomadas pelos grevistas e, depois, perfiladas em frente ao
prédio da Assembleia Legislativa; carros pertencentes à Cavalaria e 23ª
Companhia Independente (Tancredo Neves) tiveram seus pneus esvaziados;
e um veículo VW Gol, da Base Comunitária de Segurança do Calabar, foi
devolvido após a Comandante da Unidade, Capitã Maria Oliveira, e o Major
Jutamar Oliveira, Comandante da 41ª Companhia, intercederem junto à
ASPRA12.
A materialidade destas infrações penais restou comprovada
pelos laudos periciais de fls.140 e ss. do Apenso I, Volume I e 274 e ss. do
Apenso I, Volume II. Tais documentos comprovaram a sabotagem das
viaturas policiais e de ônibus de passageiros efetuada com o emprego da
mesma tática: rasgar os seus pneus e danificar a chaparia.

II.1.5. Por volta das 17h30min, na cidade de Jequié,


integrantes da Associação de Praças – APPM e da Associação de Policiais e
Bombeiros da Bahia – ASPOJER, liderados pelo SD PM GILVAN SOUZA
SANTANA (quarto denunciado), Diretor Jurídico da APPM, e o SD PM R/R
DEYVISON ÉRRICO AUSTRAGÉSILO BATISTA13, Presidente da ASPOJER
e Vereador, promoveram uma assembleia na Câmara de Vereadores daquele
Município do interior baiano, para tratar da adesão ao movimento.
Ao mesmo tempo, cerca de 100 (cem) policiais reuniram-se
na Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista, sob a liderança do sexto
denunciado DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA .
II.1.6. Todos estes episódios foram amplamente noticiados na
imprensa, conforme se verifica da chamada de capa do Jornal A Tarde,
edição de 02-02-201214:

12 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5805865&t=Grevistas


+protestam+contra+colegas+que+continuam+em+servico, Acesso em:08-02-2012.
13 Para o qual foram requeridas diligências complementares, a fim de determinar sua
eventual responsabilidade penal.
14 Merece especial destaque o seguinte texto: “TUMULTO. Oitenta seguidores da única

17
II.2. Atos criminosos ocorridos em 02 de fevereiro de
2012:

entidade que se recusa a negociar com o governo hostilizam policiais em serviço” (sem
negrito no original).

18
II.2.1. Os atentados perpetrados pelos denunciados contra o
regime representativo e democrático intensificaram-se no dia 02-02-2012.
Vale salientar que 17(dezessete) pessoas foram
assassinadas durante a madrugada, em Salvador e região metropolitana,
conforme consta no boletim da Superintendência de Telecomunicações das
Polícias. Entre as vítimas, estariam quatro moradores de rua que foram
mortos na Avenida Jorge Amado, no Imbuí15.
A esta altura, já haviam sido contabilizados, desde o início da
paralisação, 39 (trinta e nove) homicídios e 80 (oitenta) furtos/roubos de
veículos na capital baiana e adjacências.
Por volta das 8h, à altura do Conjunto Habitacional Recanto
Verde e Moradas do Sol, bairro do Pirajá, Salvador/BA, um grupo que fazia
uso de 21 (vinte e uma) motocicletas e 10 (dez) veículos, todos com placas
cobertas, cercou e tomou, por inconformismo político e mediante graves
ameaças, a viatura utilizada pelo Major PM JAMERSON ENCARNAÇÃO DE
QUEIROZ, o Ten PM ALEXSANDRO DA SILVA BISPO e o SD PM MÁRCIO
DE ALMEIDA REIS, todos lotados na 48ª CIPM.
Durante a aludida abordagem, o Major JAMERSON
QUEIROZ notou que os elementos usavam códigos fonéticos operacionais da
PM entre si, a exemplo de “Alfa 24 – todo mundo polícia”, notando, ainda, que
um deles trazia um punhal adredemente guardado no pulso.
A fim de dificultar suas identificações pessoais, a quase
totalidade de tais indivíduos usavam bonés, óculos escuros e alguns até
balaclavas, e quando um deles assumiu a direção da viatura policial que fora
tomada à força, suspendeu o boné do que sentara no banco do motorista. Foi
quando o Major JAMERSON QUEIROZ o identificou prontamente como
sendo o SD PM CARLOS AUGUSTO CERQUEIRA ROCHA, Mat. 30.283.344-
4, da sua própria unidade, a 48ª CIPM e que atualmente encontra-se lotado
na Junta Médica da PMBA.
15 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806340&t=Comando
+da+PM+confirma+10+mil+PMs+em+greve. Acesso em: 08-02-2012.

19
Ao ser identificado, o referido SD PM foi logo substituído por
outro do grupo, saindo após em disparada, fazendo buzinaço e gritando
palavras de ordem, comemorando a tomada da viatura militar.
Em todo este episódio criminoso, o único delinquente “de cara
limpa”, ou seja, sem balaclava, óculos ou panos cobrindo sua face, era o SD
PM JOSAFÁ RAMOS DOS SANTOS (terceiro denunciado), presidente da
associação em Feira de Santana/BA. Ele foi posteriormente identificado, via
fotografias e vídeos, pelo Major JAMERSON QUEIROZ (cf. fl. 696, Volume 3,
dos autos n. 18378-13.2012.4.01.3300).

II.2.2. Antes, mais especificamente às 0h20min daquele


mesmo dia 02-02-2012, os policiais liderados pelos denunciados já tinham
roubado, por inconformismo político e mediante grave ameaça, uma viatura
que trafegava nas imediações da unidade da UNIME no Doron/Paralela. O
SD PM ALEX OLIVEIRA DE MIRANDA relatou o que se passou:

que na data de hoje por volta da 00h20min, quando se encontrava


de serviço como patrulheiro da Vtr 9.2307 comandada pelo SD
ADRIANO; que após realizar uma refeição no posto de combustível
nas imediações da Danton veículos, situada na Av. Paralela, na
altura de Narandiba, trafegava próximo à rua da faculdade Unime
quando foi interceptado por cerca de vinte e cinco elementos
embarcados em cerca de dez motos e quatro carros; que os
elementos estavam à paisana com os rostos cobertos por
balaclava, camisas ou capacetes, informando que eram colegas
policiais militares, do movimento grevista; que não viu nenhum
deles sacar qualquer arma, mas acredita estarem armados tendo
em vista o volume existente na cintura deles, bem como a postura
com as mãos sempre posicionadas como se fossem sacar; que em
virtude da superioridade numérica por parte dos manifestantes, que
afirmavam ser policiais militares do movimento grevista, não houve
reação por parte da guarnição que desembarcou e entregou a
chave da viatura (fls. 194-195, Apenso I, Volume II).

20
Na mesma madrugada, por volta das 3h00, o Ten PM
MANUEL ALEXANDRE DA SILVA NETO reforçava a guarda do Departamento
de Apoio Logístico (DAL), juntamente com os SDs AGILDO, RUBIVALDO,
EURICO e MAGNO CASTRO, quando percebeu a chegada de motocicleta e
automóveis. O Tenente notou que perto da viatura CAB 03 havia cerca de
vinte pessoas, portando armas e utilizando balaclavas ou camisas na cabeça,
Os liderados pelo denunciado gritavam serem PMs e exigiam as chaves do
veículo. Ao serem informados que elas estavam na sede da Companhia, eles
sabotaram a viatura, furando os seus pneus com faca.
Às 10h30min, os liderados pelos denunciados roubaram
uma viatura das Rondas Especiais/Baía de Todos os Santos (Rodesp/BTS),
na Av. Luís Tarquínio, em local próximo à antiga fábrica da Souza Cruz. O fato
foi narrado pelo SD PM DANILO MOURENTINO DE OLIVEIRA, in verbis:

(...) quando se encontrava de serviço como motorista da RONDESP


2.2212, (...) na altura da Av. Luís Tarquínio, próximo a antiga fábrica
da Souza Cruz, ao efetuarem um Alfa 18, foram cercados por vários
elementos, não sabendo precisar a quantidade, que se
identificaram como policiais militares que estavam no movimento
grevista, e afirmavam que só queriam as viaturas; que o
comandante da guarnição, SD NONATO tentou argumentar com os
manifestantes afirmando que iria voltar para a base, na tentativa de
não entregar a viatura, mas os policiais grevistas estavam
irredutíveis e assim tiveram que entregar as mesmas; que os
manifestantes informaram que iriam levar a viatura para o
movimento; que os policiais grevistas estavam todos à paisana,
sendo que os que estavam nas motocicletas usavam capacete e os
que estavam nos automóveis, por sua vez, usavam balaclava; que
os manifestantes estavam armados com arma em punho, todavia
não apontaram as armas para o declarante (fls. 164-165, Apenso I,
Volume II).

21
Diálogos captados com autorização judicial deixam claro que
as ordens para o roubo e a sabotagem das viaturas partiram do primeiro
denunciado:

Conversa entre PRISCO e HNI [homem não identificado],


datada de 02/02/2012 às 11h00min19s
HNI fala que é o SIERRA DELTA da 17ª CIPM (soldado da 17ª
Companhia Independente – URUGUAI). HNI faça que na
companhia está tudo parado e aguardando uma posição de
PRISCO. PRISCO fala que é para HNI segurar mesmo. PRISCO
fala que a posição é que se for possível é para pegar a viatura
e ir para a Assembleia Legislativa. HNI pergunta se não tem nada
(possivelmente pergunta sobre retaliação). PRISCO fala que não.
PRISCO fala que o movimento está forte, pois está tudo parando e
convoca HNI para ir onde PRISCO está.

Conversa entre PRISCO e COURO, datada de 02/02/2012 às


11h27min53s
COURO fala que as 5 VIATURAS da RONDESP ATLÂNTICO que o
pessoal iria levar para onde PRISCO está, mas o capitão não
deixou. COURO fala que o pessoal da ATLÂNTICO recuou e deu
apoio aos meninos. COURO fala que as 5 viaturas estão sendo
recolhidas agora para a sede. COURO fala que o capitão queria ir
para cima do pessoal, mas eles falaram que eram colegas,
pertencentes ao movimento e não iriam para cima (para o
confronto). PRISCO pergunta se as viaturas foram recolhidas,
se foram todas para a base. COURO diz que sim. PRISCO fala
que se foram recolhidas e estão na base não saem e pronto, é
melhor.

Algumas das viaturas roubadas serviram à locomoção dos


liderados pelos denunciados pela capital baiana, facilitando o cometimento
de outros crimes. Outras foram estacionadas na área exterior do prédio da

22
Assembleia Legislativa, ocupado pelos denunciados e seus liderados,
conforme se vê da imagem adiante colacionada 16:

II.2.4. Naquele dia, teve seguimento a ocupação do prédio da


Assembleia Legislativa, que impedia o livre exercício do Poder Legislativo
baiano.
Impende ressaltar que o primeiro denunciado, presidente da
ASPRA e chefe da societas sceleris voltada à prática de crimes contra a
segurança nacional, após receber informação (então não confirmada) de que
sua prisão preventiva teria sido decretada, declarou, também segundo a
imprensa local, que não se entregaria e que contava com cerca de 1.500 (mil
e quinhentos) manifestantes, fazendo um cordão de isolamento para impedir
qualquer tipo de tentativa de invasão às dependências do parlamento baiano.
Na ocasião, advertiu que a eventual insistência ensejaria “derramamento de

16 Disponível em: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/ba/com-a-pm-em-greve-bandidos-


saqueiam-lojas-na-bahia/n1597612592809.html. Acesso em: 31-03-2013.

23
sangue”17.
A grave ameaça foi repetida pelo primeiro denunciado ao
TC PM EDMILSON, em conversa telefônica gravada com autorização judicial:

Conversa entre PRISCO e TENENTE CORONEL PM EDMILSON,


datada de 02/02/2012 às 22h50min07s.
TENENTE CORONEL PM EDMILSON diz para PRISCO que
conversou com o Comandante Geral e que foi garantido pelo
Comandante que não haverá ordem para invadir a Assembleia para
nada. PRISCO diz que se houver invasão para cumprimento de
prisão, haverá derramamento de sangue e será o dia mais triste
da Polícia Militar no Brasil. TENENTE CORONEL PM EDMILSON
acrescenta que prefere confiar no que o COMANDANTE GERAL
lhe falou (Relatório de Inteligência n. 6277, página 6 de 6, autos n.
18378-13.2012.4.01.3300, 4º volume, número de fls. ilegível) 18.

II.2.5. Não contentes com o todo o terror a que haviam dado


causa, os denunciados ordenaram a invasão e a sabotagem do quartel da
19ª CIPM, situado em Paripe, bairro da capital baiana.
De fato, às 14h00 o SGT PM JOÃO KLEITON OLIVEIRA
NUNES encontrava-se a bordo da viatura 1912, na rua principal da Base
Comunitária da Fazenda Coutos, quando cerca de setenta policiais militares à
paisana roubaram o aludido veículo.
Eles seguiram para o quartel da 19ª CIPM, fazendo uso de
motocicletas e da viatura recém-subtraída, e empurraram os portões. Sua
superioridade numérica fez com que quedassem inúteis os esforços do Major
GOMES FIHO, Comandante da Companha, e do Tenente CARLOS, que
tentaram impedir que os intrusos adentrassem na instalação militar.

17 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110483-lider-de-


movimento-grevista-diz-que-teve-prisao-preventiva-decretada.html. Acesso em: 08-02-2012.
18 Em diálogo captado no mesmo dia 02-02-2012, o segundo denunciado asseverou a
Lílian, da TV BAHIA, que os policiais militares somente desocupariam o prédio da Assembleia
“com negociação e anistia” (Relatório de Inteligência n. 6277, página 5 de 6, autos n. 18378-
13.2012.4.01.3300, 4º volume, número de fls. ilegível).

24
Após invadirem a instalação militar, os liderados pelos
denunciados subtraíram a viatura Blazer de prefixo 9.1911, ameaçando
sabotar as demais mediante a danificação de seus pneus.

II.2.6. Neste entretempo, em Jequié, GILVAN SOUZA


SANTANA (quarto denunciado) e seus liderados ocuparam, com o emprego
da força, a Câmara de Vereadores, impedindo o regular funcionamento do
Poder Legislativo municipal – de maneira idêntica ao que ocorrera na capital
do Estado, o que evidencia o caráter coordenado de tais ações delituosas (cf.
Ofício n. s/n/02/2012, Apenso II, Volume III, in fine).
Em paralelo a isto, o quarto denunciado GILVAN executou,
sob as ordens da quadrilha chefiada pelo primeiro denunciado, o bloqueio
de vias de transporte em Jequié, como narra o citado Ofício n. s/n/02/2012.

II.2.7. Não satisfeitos com todo o caos criado pelas suas


ações, os denunciados determinaram que seus liderados em Salvador se
apoderassem de meios de transporte coletivos, nomeadamente ônibus, com
emprego de grave ameaça aos passageiros. Ato contínuo, eles estacionaram
os aludidos veículos, de forma enviesada, em vias de grande circulação de
automóveis, a fim de bloquear o tráfego. Desta forma, além de travarem o
trânsito da cidade, eles disseminavam ainda mais a sensação de insegurança
na população, com o nítido intuito de aterrorizá-la.
Isto ocorreu na Av. Otávio Mangabeira, sentido Itapuã, em
frente ao Multi Shopping (Boca do Rio), como comprova a fotografia abaixo
reproduzida19:

19 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes1/artigo/


onibus-e-atravessado-na-pista-e-bloqueia-transito-na-ba-099/. Acesso em: 21-02-2013. No
mesmo sentido, http://atarde.uol.com.br/noticias/5806211. Acesso em: 31-03-2013.

25
Na Av. Luiz Viana Filho (Av. Paralela), os liderados dos
denunciados apoderam-se de ônibus e de automóveis para bloquear o
tráfego de veículos à altura da entrada do Imbuí. Senão vejamos 20.:

20 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes1/artigo/


onibus-e-atravessado-na-pista-e-bloqueia-transito-na-ba-099/. Acesso em: 21-02-2013.

26
O sítio eletrônico do Jornal Correio da Bahia
(www.correio24horas.com.br) veiculou21 retratos dos liderados dos
denunciados, documentando, deste modo, suas ações:

21 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-


1/artigo/fomos-surpreendidos-diz-secretario-de-seguranca-sobre-greve/. Acesso em: 31-03-
2013.

27
28
Tais fatos também foram retratados em reportagens de
emissoras de televisão, conforme indica o Laudo de Perícia Criminal Federal
n. 0513/2012 -SETEC/SR/DPF/BA(fl. 121):

29
Como apontou a Folha de São Paulo, na sua edição de 03-
03-2013, os denunciados também apoderaram-se de veículos de transporte
coletivo para fechar avenidas de acesso ao Centro Administrativo da Bahia
(CAB)22, impedindo, com isso, o regular funcionamento do Poder Judiciário
Estadual, cuja sede lá se encontra, e de praticamente todo o Poder Executivo
do Estado da Bahia, que também lá se concentra. Isto sem falar da
Assembleia Legislativa da Bahia, transformada em bunker dos denunciados,
e que justamente não permaneceu sem funcionamento desde 01-02-2013.
Não bastasse tudo isso os liderados dos denunciados
propositalmente espalharam boatos de saques por todo o Estado, para que o
medo da população pressionasse o Governo do Estado a acatar sua pauta de
reivindicações. Nesse sentido, merece reprodução a matéria adrede referida:

22 No mesmo sentido, http://atarde.uol.com.br/noticias/5806211. Acesso em: 31-03-2013.

30
Da mesma forma, o emprego de técnicas de terrorismo,
ordenado pelos denunciados na sua investida contra o regime democrático,
foi mencionado na edição de 03-03-2013 do Jornal Correio da Bahia:

31
32
Os boatos somaram-se a um aumento concreto de violência
no Estado. Vê-se de notícias jornalisticas extraídas da internet que seis lojas
da Cesta do Povo, rede de mercado popular mantido pelo Estado da Bahia,
foram saqueadas no dia 02-02-2012 (cf. fl. 448, Apenso II, Volume III).
Ademais, shoppings Centers da capital e instituições de
ensino superior tiveram que fechar mais cedo, entre 18h30min e 19h00, ante
o clima de terror instalado no Estado (cf. fl. 451, Apenso II, Volume III).
Também merece registro que a greve foi reconhecida como
ilegal pela 6ª Vara de Fazenda Pública da Comarca de Salvador, o que
sequer abalou os denunciados, que seguiram praticando delitos contra a
segurança nacional.
Confira-se, a propósito, mais uma das matérias jornalísticas
publicadas no dia imediatamente subsequente, 03-02-2012:

33
Diante deste quadro, o Governo do Estado teve que apelar
para o Governo Federal, que acionou a Força Nacional de Segurança e o

34
Exército Brasileiro, arcando com os altíssimos custos derivados dessa
operação.

II.3. Atos criminosos ocorridos em 03 de fevereiro de


2012:

Por volta das 3h do dia 03-02-2012, as viaturas 1807 e 1809


do 18º Batalhão da Polícia Militar (18º BPM – Centro Histórico de Salvador)
patrulhavam a região do Pelourinho, quando prenderam em flagrante oito
pessoas que praticavam furto mediante arrombamento na Loja Insinuante do
Benin/Taboão.
Os PMs foram direcionados pelo plantão central para a
Delegacia da 14ª Circunscrição Policial (Barra). Contudo, quando as viaturas
estavam lá estacionadas para que os policiais pudessem desembarcar os
presos, descarregar o material e prestar os testemunhos necessários à
lavratura do auto de prisão em flagrante, apareceram dois indivíduos em uma
motocicleta. Estes últimos cortaram os quatro pneus de ambas as viaturas
policiais militares, sintomaticamente deixando incólumes os de um outro
veículo que estava ao lado, mas que pertencia à Polícia Civil, conforme se
infere do depoimento prestado pelo CAP PM GABRIEL MANUEL DA SILVA
NETO, constante a fls. 314-317, Apenso I, Volume II.
Durante o dia, o Comandante-Geral da Polícia Militar
anunciou que 10 (dez) mil policiais militares, em todo o Estado da Bahia,
teriam aderido ao movimento deflagrado pela ASPRA, o que corresponderia a
um terço do efetivo da corporação23.
Tomados pelo clima de insegurança, os rodoviários de
Salvador, representados por seu Sindicato, cogitaram suspender as
atividades às 18 (dezoito) horas, o que provocou o retorno antecipado de
muitos cidadãos aos seus lares.
23 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806340&t=Comando
+da+PM+confirma+10+mil+PMs+em+greve, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

35
No Município de Feira de Santana, os rodoviários
efetivamente pararam por conta do clima de insegurança. O comércio
daquela cidade também amanheceu fechado. O Exército Brasileiro, sob o
comando do Tenente Coronel Rogério Matos dos Santos, ocupou as ruas
daquela que é a segunda maior cidade da Bahia 24.
Naquele mesmo dia, foi publicada a Portaria nº 211, de
fevereiro de 2012, expedida pelo Ministro de Estado da Justiça, que dispôs
sobre o emprego da Força Nacional de Segurança no Estado da Bahia, a fim
de garantir a ordem pública no Ente federado, atendendo-se a requerimento
do Governador Jaques Wagner.25.
Luigi Gustavo Pereira, Capitão da Força Nacional de
Segurança Pública, relatou que a estratégia de atuação dos 150 (cento e
cinquenta) homens que chegaram à capital baiana foi definida em conjunto
com a cúpula da Segurança Pública do Estado, com o objetivo de atender às
necessidades da população, sendo que mais 500 (quinhentos) componentes
da Força Nacional estariam a caminho para reforçar a segurança nas regiões
interioranas26.
O clima de insegurança e desordem, no entanto, continuou
ganhando maiores proporções, situação colocada como objeto de destaque
no Brasil e no exterior. A título exemplificativo, o Consulado dos Estados
Unidos da América emitiu comunicado oficial com informações sobre a greve
de parte dos policiais militares no Estado da Bahia com a recomendação de
que fosse adiada “qualquer não-essencial viagem às áreas em questão até
que as condições de segurança se estabilizem”27.

24 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110501-feira-de-santana-


exercito-confirma-presenca-nas-ruas.html, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
25 Diário Oficial da União, seção 1, p. 19, de 06 de dezembro de 2012.
26 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806 335&t=Forca+
de+Seguranca+sera+usada+para+patrulhamento, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
27 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110670-consulado-dos-
eua-emite-nota-para-que-visitantes-adiem-qualquer-viagem-%EF%BF%BDnao-essencial%
EF%BF%BD-a-bahia.html, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

36
A violência e os saques ocorridos foram destacadas no Jornal
A Tarde publicado no dia imediatamente posterior, in verbis:

37
O mesmo fez o Correio da Bahia, enfatizando que o terror
criado e mantido pelos denunciados instalara-se em todo o Estado:

38
39
Isto tudo, e a deliberada proximidade do Carnaval, festa
popular máxima da Bahia, também não passou despercebido à Folha de São
Paulo:

40
O prestigioso periódico paulista registrou, outrossim, o dano
que as condutas dos denunciados haviam causado ao turismo, importante
atividade econômica da Bahia:

41
O prejuízo a estabelecimentos comerciais e ao turismo, em
razão da paralisação dos serviços públicos de segurança foram também
constatados por reportagem da TV Bahia, degravada no laudo pericial nº
0513/2012-SETEC/SR/DPF/BA encartado nos autos(cf. fl. 127):

42
II.4. Atos criminosos ocorridos em 04 de fevereiro de
2012:

No dia 04 de fevereiro de 2012 (sábado), os agentes da


Transalvador – órgão responsável pelo tráfego de veículos em Salvador –
suspenderam suas atividades devido ao clima de insegurança 28.
Naquele mesmo dia, cinco associações de Policiais Militares 29
publicaram nota de repúdio a “qualquer forma de resolução violenta que
28 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807198&t=Veiculos+sao+
atravessados+na+pista+em+varios+pontos+da+cidade, acessado em 08 de fevereiro de
2012.
29 Eram elas: Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta); Associação
dos Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM); Associação dos Subtenentes, Sargentos e
Oficiais da Polícia Militar da Bahia (ABSSO de Salvador, Itaberaba e Ilhéus); Associação dos
Cabos e Soldados da Polícia Militar da Bahia de Itaberaba; e Associação de Policiais e
Bombeiros da Bahia (ASPOJER)

43
ponha em risco a integridade física e a vida de qualquer policial militar ou de
qualquer outro cidadão”, advertindo que, se tal ameaça se concretizasse,
afastariam-se imediatamente do processo de negociação, responsabilizando
o Governo do Estado por todo e qualquer incidente daí decorrente 30.
Na oportunidade, estas mesmas entidades decidiram
suspender as negociações depois que o Governo do Estado da Bahia
declarou que não haveria diálogo enquanto perdurasse a greve. Alegaram, no
ensejo, que não representavam os policiais que aderiram ao movimento
paredista31.
Diante da insegurança, as escolas adiaram o início do ano
letivo, prejudicando milhares de estudantes, conforme informe jornalístico na
sequência:

30 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806718&t=PMs


+repudiam+ordem+de+Jaques+Wagner+de+invadir+AL, acessado em 08 de fevereiro de
2012.
31 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110590-associacoes-de-
pms-retiram-se-da-mesa-de-negociacoes.html, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

44
Durante reunião com autoridades em Salvador, o Ministro da
Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou ter pedido reserva de vagas em dois
presídios de segurança máxima para transferir, caso necessário, policiais
militares que cometeram atos criminosos. 32

32 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110580-ministro-da-


justica-pede-reserva-de-vagas-em-presidios-de-seguranca-maxima-para-pms.html, acessado
em 08 de fevereiro de 2012.

45
Nesse entretempo, BENEVENUTO DACIOLO FONSECA
DOS SANTOS (quinto denunciado) entrou em contato com o primeiro
denunciado, pedindo-lhe que prolongasse o desfecho do movimento, a fim
de que os policiais e bombeiros militares do Estado do Rio de Janeiro
pudessem entrar simultaneamente em greve e, com isso, o Poder Legislativo
Federal fosse compelido a aprovar a PEC n. 300:

Conversa entre PRISCO e DACIOLO, datada de 04/02/2012 às


16h54min13s
PRISCO pergunta a DACIOLO se o Rio de Janeiro parou.
DACIOLO fala para PRISCO segurar, pois está acionando a
“galera” e sugere postar a notícia em rede nacional. PRISCO
fala que já colocou na rede a paralisação do Rio de Janeiro e a
TROPA ficou animada. Fala que o momento do Rio de Janeiro é
agora e pergunta pelo CABO GURGEL. DACIOLO fala para
PRISCO ficar tranquilo e pergunta se estão querendo mandar “os
caras” para o presídio federal. PRISCO confirma.

Conversa entre PRISCO e a SD PM ANA PAULA, datada de


04/02/2012 às 17h10min02s
SOLDADO PM ANA PAULA fala a PRISCO que Ilhéus está firme e
diz que a Companhia Rodoviária parou e pergunta se é verdade
que o Rio de Janeiro entrou em greve. PRISCO confirma que sim.

Conversa entre PRISCO e NOVAIS, datada de 04/02/2012 às


17h10min46s
NOVAES quer confirmar com PRISCO se a greve no Rio de Janeiro
é verídica. PRISCO confirma e diz que a categoria (policiais
militares) no Rio de Janeiro só antecipou, pois a assembleia que
estava marcada para o dia 10. NOVAES diz que vai anunciar.

A afronta à segurança interna de todo o país fica clara quando


o primeiro denunciado entra em contato com lideranças policiais militares

46
cearenses, que lhe aconselham a pressionar o Governo pedindo ajuda ao
Arcebispo e a empresários:

Conversa entre PRISCO/ROBERTO e SABINO, datada de


04/02/2012 às 15h20min44s.
SABINO pergunta a PRISCO como está o movimento. PRISCO fala
que o movimento está forte. SABINO pergunta por que não convoca
“o povo” para a Assembleia. PRISCO fala que está convocando
todos para Assembleia Legislativa. HNI (Voz de fundo) fala
talvez nem role o carnaval de Juazeiro hoje. PRISCO fala “que
beleza”. SABINO pergunta essa história de invasão. PRISCO fala
que não vem não, tem muita mulheres e crianças, quase três
mil pessoas, o BRASIL quer uma Cadeira de Segurança na
ONU ia bancar uma chacina dessa. Se vier “o povo” está
preparado. SABINO pergunta se estão armados, PRISCO
confirma que sim e fala para SABINO, PEDRO QUEIROZ e
CAPITÃO VAGNER pegarem um avião (CEARÁ PARA A BAHIA)
e ajudar o movimento. SABINO fala que não gostou do contato
com o CORONEL EDMILSON e comenta com PRISCO para manter
contato com o CDL, o BISPO para que eles possam pressionar o
Governo do Estado, acrescenta que quem manda não são os
políticos. PRISCO fala que sabe que são os presidentes da
confederação do Comércio, da Indústria... SABINO fala com
ROBERTO CAETANO para falar com PRISCO para chegar no
pessoal do CDL e dos Sindicatos dos Construtores para intermediar
com o Governo. ROBERTO fala que está na luta na ASSEMBLEIA
LEGISLATIVA. SABINO afirma que o Sindicato dos Construtores
tem uma grande força para resolver o impasse.

O receituário foi seguido à risca pelo primeiro denunciado.


Poucos dias depois, D. Murilo Krieger, Arcebispo de Salvador e Primaz do
Brasil, voluntariou-se para mediar uma solução 33 – que jamais viria, pois o
verdadeiro plano da quadrilha integrada pelos denunciados era de prolongar

33 Disponível em: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=285177. Acesso em: 03-04-


2013.

47
o “movimento” o máximo possível, para que policiais de outras federativas
entrassem em greve. Fulcrados nessa estratégia, para além de pressionar o
Congresso Nacional a aprovar a PEC n. 300, os denunciados pretendiam
alavancar seus capitais políticos para favorecê-los nos ulteriores pleitos
eleitorais.

II.6. Atos criminosos ocorridos em 05 de fevereiro de


2012:

Em 05 de fevereiro de 2012, a cidade de Salvador foi


assolada por uma onda de homicídios, saques e assaltos a motoristas. No
bairro da Santa Cruz, três pessoas morreram e uma ficou ferida durante um
tiroteio. Também foram registrados assaltos na Avenida Antônio Carlos
Magalhães, próximo ao Parque da Cidade, no bairro do Itaigara. Criminosos
teriam colocado toras de bambu na pista para forçar os motoristas a reduzir a
velocidade e em seguida roubá-los 34. O número de homicídios em Salvador e
região metropolitana cresceu 129% em comparação ao mesmo período da
semana anterior35.
Teve-se, ainda, notícia de que aproximadamente 40
(quarenta) homens armados invadiram, durante a noite, o bairro de
Saramandaia, espalhando medo no local. Em Fazendo Grande do Retiro,
uma loja foi saqueada36.
Demais disso, ocorreram homicídios nos bairros de São
Marcos, Itinga e Marechal Rondon, nas proximidades do Estádio Manoel
Barradas, bem como nos Municípios de Candeias e Madre de Deus. Nos
bairros de Fazenda Grande do Retiro, Liberdade e Pelourinho teve-se notícia
34 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807196&t=Tiroteio+
na+Santa+Cruz+deixa+tres+mortos+e+um+ferido, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
35 Disponível em: http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/110612-numero-de-
homicidios-em-salvador-e-rms-cresce-129-durante-greve-da-pm.html, acessado em 08 de
fevereiro de 2012.
36 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807196&t=Tiroteio+na+
Santa+Cruz+deixa+tres+mortos+e+um+ferido, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

48
de inúmeros saques em estabelecimentos comerciais 37.
No início da tarde, o Comando de Operações Táticas da
Polícia Federal desembarcou em Salvador, trazendo um efetivo de 40
(quarenta) homens, com a missão de executar os mandados de prisão contra
os ora denunciados38.
Envidando esforços para resolver a situação, o Governo do
Estado da Bahia ofereceu, a todas as categorias da Polícia Militar, o reajuste
de 6,5%, de acordo com informações da Secretaria de Comunicação Social
do Estado. Os “grevistas”, no entanto, recusaram a proposta 39, pois, em
verdade, pretendiam protrair ao máximo a extensão do “movimento”, a fim de
forçar o Congresso Nacional a aprovar a PEC n. 300.
Esta articulação para a desestabilização da segurança interna
nacional, existente desde o início das ações criminosas, fica mais uma vez
clara com a leitura dos seguintes diálogos, mantidos pelo primeiro e pelo
segundo denunciados, versando, dentre outros, assuntos referentes às
paralisações que estavam a ser gestadas nos Estados do Espírito Santo e
Rio de Janeiro:

Conversa entre PRISCO e FLÁVIO GABA, datada de 06/02/2012


às 16h12min14s.
GABA (ES) X PRISCO – Polícias do ES e RJ ameaçam parar caso
haja invasão da Assembleia.
Gaba diz que está em contato constante com o CABO GURGEL
do RJ, e já avisou para os dirigentes dos estados que caso
haja invasão da Assembleia na Bahia, as polícias desses
estados irão parar (ES e BA).
Gaba pergunta se tem algo mais que possam fazer, PRISCO diz
que está tudo tranquilo agora e diz que está havendo uma reunião
37 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806974&t=Policia+
registra+82+homicidios+desde+inicio+da+greve, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
38 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807015&t=Tropa+de+
Elite+da+Policia+Federal+desembarca+em+Salvador, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
39 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-
1/artigo/greve-de-pms-governador-oferece-reajuste-de-65-para-policiais-militares/, acessado
em 08 de fevereiro de 2012.

49
de representantes do Governo (Parlamentares, secretário e
governador). PRISCO diz que não tem representante do
Movimento, apenas membros do Governo. PRISCO diz que estão
(Membros do Governo) ligando para perguntar algumas coisas para
ele. PRISCO diz que 03 Parlamentares que estão na reunião, irá
até ele na assembleia apresentar as novas propostas. Gaba
pergunta quanto tempo PRISCO acha que dá para manter o
movimento, PRISCO diz que quer que acabe em 30min, diz que é
só o Governo aceitar a pauta. Gaba diz que se PRISCO sair da
Greve de “mãos abanando” estão todos ferrados, no Brasil inteiro.

Conversa entre FLAVIO e CABO JEOÁS, datada de 05/02/2012,


às 19h38min01s.
CABO JEOÁS fala para FLAVIO que conversou com P. QUEIROZ
da ANASPRA e solicitou o cancelamento da agenda
(compromissos) em Brasília e vão convocar todos os Diretores da
ANASPRA para irem até Salvador e o presidente concordou e fez
convocação para os diretores da ANASPRA irem para Salvador.
FLAVIO fala que está certo e pergunta se tem notícias do Rio.
CABO JEOÁS fala que o Rio de Janeiro está se mobilizando e
talvez antecipem a greve e acrescenta que as Polícias de
outros estados já estão ligando para saber se vai haver uma
mobilização nacional e provavelmente se não se resolver a
situação na Bahia, ocorra paralisação nos outros estados também,
acrescenta que as polícias dos outros estados estão apoiando o
movimento da Bahia.

Concretamente, o país estava realmente prestes a deparar-se


com uma greve nacional de policiais militares, com o desiderato de obrigar o
Poder Legislativo federal a aprovar, em segundo turno, a PEC n. 300. E esta
possibilidade, que desde o princípio moveu os denunciados, já estava tão
evidente que era comentada por jornalistas 40.

40 Nesse sentido, veja-se, por exemplo, o seguinte texto de Bob Fernandes:


http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5595275-EI6578,00-

50
Sabendo que sua prisão preventiva havia sido decretada, o
primeiro denunciado entrou em contato com DAVID SALOMÃO DOS
SANTOS LIMA (sexto denunciado), integrante da quadrilha com base em
Vitória da Conquista, a terceira maior cidade do Estado. Nestes diálogos, o
primeiro denunciado dolosamente incita o sexto denunciado a trazer
policiais militares a Salvador, praticando, no caminho, sabotagem contra a
BR-116 (Rio-Bahia), uma das mais importantes vias de transporte do Estado.
In verbis:

Conversa entre PRISCO, SALOMÃO e JOSÉ, datada de


05/02/2012, às 18h39min44s.
PRISCO pede para que toda a tropa desça para SALVADOR
com a CAESG e o pessoal. SALOMÃO fala que irá queimar
duas carretas na RIO-BAHIA (BR-116). SALOMÃO fala que quer
certeza. PRISCO fala que é certeza. SALOMÃO pergunta se já
chegou (possivelmente as tropas de invasão). PRISCO fala que
sim. PRISCO fala para o pessoal de CAESG colocar a farda e ir
para lá, pegar as viaturas. PRISCO fala que é para todo mundo
descer para lá. SALOMÃO pede calma a PRISCO. SALOMÃO
pergunta se as tropas já chegaram lá. PRISCO fala que já.
SALOMÃO fala que não dará tempo. PRISCO fala para SALOMÃO
fechar a RIO-BAHIA (fazer o possível). SALOMÃO discute. PRISCO
pede para que o pessoal da 37ª CIPM embarcar na viatura e ir para
o local. SALOMÃO pede para PRISCO lhe explicar a situação.
PRISCO fala que o presidente da Assembleia autorizou a invasão
da Assembleia para a prisão de PRISCO. PRISCO fala que será
levado para um presídio federal. PRISCO fala que a tropa de
SALVADOR resolveu resistir. PRISCO fala que a TROPA DE FEIRA
DE SANTANA está indo para a Assembleia, juntamente com
ILHÉUS, GUANAMBI, CRUZ DAS ALMAS, todas as tropas estão
descendo e não importa o tempo. PRISCO fala para SALOMÃO
descer e fechar a RIO-BAHIA, fechar todas as BR. SALOMÃO
fala que é melhor fechar a RIO-BAHIA. PRISCO fala que é para

Governadores+avaliam+que+luta+de+policias+por+salario+pode+se+alastrar+pelo+Pais.html
. Acesso em: 03-04-2013.

51
fechar logo a RIO-BAHIA. JOSÉ pergunta como é que estão as
coisas. PRISCO fala que as tropas federais estão indo para lá, fala
que o presidente já autorizou. PRISCO fala que os deputados já
confirmaram. PRISCO fala que agora é a hora. PRISCO diz que a
PM da BAHIA deve ser respeitada. JOSE pergunta se já entrarão
na Assembleia. PRISCO fala que estão em assembleia. PRISCO
diz que não entraram e fala que irão resistir. JOSÉ fala que a
resistência de PRISCO é a resistência deles, pois eles irão resistir.
JOSÉ fala que está ajudando a um HNI que está cansado e diz que
está junto na luta (cf. |Relatório de Inteligência n. 6283, autos n.
18378-13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine).

Conversa entre PRISCO e SALOMÃO/FABRINE, datada de


05/02/2012 às 19h27min54s.
PRISCO pede que SALOMÃO não bote fogo, feche mas não
bote fogo. SALOMÃO diz que já ficou nervoso e perdeu o
controle. PRISCO pede que SALOMÃO mantenha a calma e
manda mantenha a tropa no Quartel aguardando a segunda
ordem. PRISCO diz que o pessoal avançado de moto observou
que as tropas ainda estão no Quartel do Exército e se ocorrer deles
(Exército) partirem para lá (Assembleia) aí faz RIO/BAHIA.
PRISCO diz para manter-se no Quartel e só fechar a pista da
RIO/BAHIA caso a Assembleia seja invadida. PRISCO diz para
FABRINE manter-se no Quartel, pois o pessoal avançado de moto
observou que as tropas do exercito não vieram. PRISCO diz para
manter a tropa no Quartel e se houver a confirmação de que eles
(Exército) partiram de lá (para a Assembleia) aí fecha a RIO/BAHIA
(cf. |Relatório de Inteligência n. 6283, autos n. 18378-
13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine).

Além disto, JEANE BATISTA DE SOUSA (sétima


denunciada), outra integrante do bando armado, articulou e orientou o
primeiro denunciado sobre as providências importantes para fins de invadir
e sabotar o Batalhão de Guardas, responsável pela segurança das unidades
prisionais da capital:

52
Conversa entre PRISCO e MNI (JEANE), datada de 05/02/2012
às 20h10min30s.
MNI demonstra receio de estar sendo gravada e pergunta para
PRISCO sobre o risco. PRISCO diz que o telefone dele está
“grampeado” e diz para ela enviar mensagens. MNI diz que vai falar
sobre uma via e PRISCO pode ver com “o pessoal” para dar uma
passada lá (provavelmente Batalhão de Guardas) e acrescenta
que tem uma via na Avenida Gal Costa, conhecida como Pistão,
que tem uma escadaria que dá acesso facilmente à cadeia. MNI
diz que no local o contingente de colegas é mínimo e acrescenta
que amanhã pela manhã ela (MNI) está lá (provavelmente no
Batalhão de Guardas)

Detalhes SMS
05/02/2012 20:20:48
web: “MANDE UM GRUPO HOJE MESMO A AV. GAL COSTA
CONHECIDACOMO PISTAOPARA LOCALIZAR UMA ESCARIA
QUE DA ACESSO AGUARI SD SANTOS”

05/02/2012 20:24:45
web: “OBSERVAR UMA GUARITA MT ALTA TEM UMA
ESCADARIA, NAOTEM PROTECAO E SO ESCALAR A
ESCADARIA E SEGUIR A DIREITA CONI”

05/02/2012 20:27:59
web: “E IMPORTANTE OBSERVAR O LOCAL ANTES DA
ACAO,PRECISADE UM QUANT. BOA DE COLEGAS.AMANHA
ASSIM, QUE EU DESCOBRIR QUEM cont.”

05/02/2012 20:31:09
web: “DESCOBRIR QUEM VAI ESTAR A FRENTE DA GUARDA
MANDOMSG PRA VC SABER SE E MELHOR DE MANHA OU A
NOITE P/AGIRCONT.”

05/02/2012 20:37:51

53
web: “TEM UMA SALA DE MEIOS E NO MAXIMO W SGT
GUARNECENDO ESTA, OS SD PM SOBEM LOGO P/ AS
GUARITAS QUE SO ABREM POR DENTRO cont.”

05/02/2012 20:39:40
web: “DEVEM ADENTRAR O COMPLX.COM OS RG PM EM
MAOS PARA EVITAR CONFRONTO.ME LIGUE AGORA
P/GARANTIR Q N TERA VIOLENCIA cont.” (cf. |Relatório de
Inteligência n. 6298, autos n. 18378-13.2012.4.01.3300, 4o.
Volume, in fine).

Demais disso, há que se registrar que os denunciados


prosseguiram ocupando o prédio da Assembleia Legislativa e, com isso,
impedindo o livre exercício do Poder Legislativo. Tanto assim que o Deputado
Estadual Marcelo Nilo, Presidente daquela casa, concedeu entrevista ao site
de notícias G1, admitindo que não tinha como fazer com que os funcionários
daquele poder laborassem41.
No encerramento do dia, a Secretaria de Segurança Pública
já havia registrado 86 (oitenta e seis homicídios), 226 (duzentos e vinte e
seis) furtos a veículos e 28 (vinte e oito) roubos a coletivos em Salvador e
região metropolitana. Destarte, apenas durante o período da paralisação, os
números já se aproximariam daqueles contabilizados durante todo o mês de
fevereiro de 2011, quando foram registrados 172 homicídios e 346 furtos de
veículos na capital e região metropolitana 42.
Para fins de conter a situação caótica instalada no Estado,
cerca de 2.578 praças e oficiais das Forças Armadas e da Força Nacional
patrulhavam as cidades de Salvador, Feira de Santana, Barreiras e Paulo
Afonso, na Bahia, segundo informou o Tenente-Coronel Cunha, porta-voz da

41 Disponível em: http://m.g1.globo.com/bahia/noticia/2012/02/nao-posso-obrigar-


funcionarios-trabalhar-diz-presidente-da-al. Acesso em: 03-04-2013.
42 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5806974&t=
Policia+registra+82+homicidios+desde+inicio+da+greve, acessado em 08 de fevereiro de
2012.

54
6ª Região Militar43.

II.7. Atos criminosos ocorridos em 06 a 09 de fevereiro de


2012:
Em 06 de fevereiro de 2012 (segunda-feira), por volta das
05h50, homens do Exército, Força Nacional, Polícia Federal e das
Companhias Independentes de Policiamento Especializado da Polícia Militar
cercaram o prédio da Assembleia Legislativa e fecharam as ruas de acesso
ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), local em que funciona a Justiça
Federal na Bahia. O trânsito da Avenida Luiz Viana Filha (Paralela) para o
CAB foi interditado.
Tais eventos foram devidamente registrados pela TV Bahia,
afiliada local da Rede Globo de Televisão:

43 Disponível em: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-


1/artigo/greve-de-pms-governador-oferece- reajuste-de-65-para-policiais-militares/, acessado
em 08 de fevereiro de 2012.

55
A ação, causada pela persistente e ilícita ocupação, por parte
dos denunciados, do prédio da Assembleia Legislativa da Bahia, fez com
que órgãos públicos municipais, estaduais e municipais não funcionassem ou
encerrassem o expediente mais cedo44.
Até a Seção Judiciária da Bahia – Poder Judiciário da União –
teve suas instalações fechadas, pois, em vista destes acontecimentos, o
Presidente do Tribunal Regional Federal da Primeira Região determinou,
mediante a PORTARIA/PRESI/CENAG-46, de 06 de fevereiro de 2012, a
suspensão, ad referendum do Conselho de Administração e até ulterior
deliberação, do expediente externo e dos prazos processuais da Justiça
Federal neste Estado.
A estratégia adotada pelos Governos Federal e Estadual tinha
o propósito de coibir o acesso e a saída dos denunciados e de seus
44 Disponível em: http://www.band.com.br/noticias/cidades/noticia/?id=100000484218,
acessado em 08 de fevereiro de 2012.

56
liderados no prédio ocupado, evitando que estes incursionassem pela cidade
para praticar os atos de terror vivenciados nos dias passados. Além disso, o
cerco servia para controlar o ingresso de alimentos no local e, destarte, fazer
com que fosse desocupada a sede do Poder Legislativo estadual.
Nada obstante, os denunciados persistiram ocupando o
prédio, impedindo o livre exercício daquele Poder Legislativo, com as
ameaças de que reagiriam à bala e de que se poria em risco a vida dos
“escudos humanos”, incluindo crianças defesas.
O Jornal A Tarde registrou isto, pondo em sua capa, inclusive,
a fotografia de uma das crianças submetidas criminosamente a
constrangimento pelos denunciados:

57
Ainda durante o período da manhã, caminhões e ônibus
foram tomados e atravessados nas pistas, sem as chaves, nas avenidas São

58
Rafael, San Martin e Luís Eduardo Magalhães, na rodovia BR-324, no Largo
do Tanque, São Caetano, São Marcos, Estação Pirajá, o que deixou o trânsito
lento nessas regiões45.
Enquanto isso, o primeiro denunciado telefonou para o
Deputado Federal Mendonça Lima (SE), articulando a aprovação da PEC n.
300:

Conversa entre PRISCO e DEPUTADO MENDONÇA, datada de


06/02/2012 às 12h44min38s.
DEPUTADO MENDONÇA fala que está saindo de Aracaju está
indo para Brasília fazer a movimentação para ver se consegue
alguma coisa ou para hoje ou para amanhã. PRISCO fala que está
esperando ele lá. MENDONÇA pergunta como PRISCO está.
PRISCO fala que está bem. MENDONÇA diz que já deu
entrevista, falou na rádio câmara e já disse que isso vai dar um
problema nacional. PRISCO disse que já deu (cf. |Relatório de
Inteligência n. 6302, autos n. 18378-13.2012.4.01.3300, 4o.
Volume, in fine).

À tarde, na Assembleia Legislativa da Bahia, houve conflitos


entre as tropas do Exército e os liderados dos denunciados, após a tentativa
de isolamento do local com placas de zinco. Devido à reação dos policiais, o
Exército desistiu da medida. De igual modo, houve desentendimento entre as
tropas do Exército e os familiares dos grevistas, que tentavam acessar o
prédio da Assembleia Legislativa para reunirem-se aos policiais mobilizados 46.
Novamente, as equipes de televisão serviram como
testemunhas oculares dos acontecimentos:

45 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807198&t=Veiculos+


sao+atravessados+na+pista+em+varios+pontos+da+cidade, acessado em 08 de fevereiro de
2012.
46 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807198&t=Veiculos+
sao+atravessados+na+pista+em+varios+pontos+da+cidade, acessado em 08 de fevereiro de
2012.

59
60
Tais fatos também foram retratados pelo Jornal A Tarde, em
sua edição de 07-02-2012:

Os veículos de comunicação noticiaram, outrossim, que o


número de homicídios na capital baiana e região metropolitana, registrados
desde o dia 31 de janeiro, havia subido para 95 (noventa e cinco). Com isto,
os assassinatos contabilizados durante a greve da Polícia Militar já
ultrapassavam mais da metade dos 175 homicídios registrados em todo mês

61
de fevereiro de 2011. Além disso, a Superintendência de Telecomunicações
da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (STELECOM) registrou,
durante o período de greve, o furto/roubo de 235 veículos 47.
Diante do contexto, o Sindicato dos Estabelecimentos de
Ensino do Estado da Bahia (SINEPE-BA) expediu recomendação para que as
escolas somente voltassem às aulas após o fim da greve da Polícia Militar.
No Município de Vitória da Conquista, bancos, lotéricas,
shoppings e outros estabelecimentos comerciais fecharam depois de 07
(sete) homicídios (ocorridos nas 48 horas anteriores) e pelo menos 35 (trinta
e cinco) assaltos e tentativas perpetradas contra taxistas, ônibus urbanos,
lojas, postos de combustível, lotéricas, bares e restaurantes. As faculdades e
escolas particulares e públicas também suspenderam as atividades 48.
Em 07 de fevereiro de 2012, o Ministério Público do Estado
da Bahia, tendo em vista a presença de crianças no prédio da Assembleia
Legislativa da Bahia, propôs ação com o escopo de obter provimento
jurisdicional cautelar, junto ao Plantão Judiciário, para retirada dos menores 49.
Àquela altura, de acordo com boletim divulgado pela
Secretaria de Segurança Pública, já havia ultrapassado para mais de 100
(cem) o número de homicídios ocorridos durante a greve dos policiais
militares em Salvador e região metropolitana 50.
Neste ínterim, MARCO PRISCO CALDAS MACHADO
(primeiro denunciado) e BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS
SANTOS (quinto denunciado) prolongavam artificialmente o “movimento”
criminoso que geriam na expectativa de que o terror sofrido pela população
baiana levasse à aprovação, em segundo turno, da PEC n. 300. Confira a
47 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807204&t=Sobe+
para+92+numero+de+homicidios+durante+a+greve+da+PM, acessado em 08 de fevereiro de
2012.
48 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5807498&t=Homicidios+
e+assaltos+amedrontam+populacao+de+Conquista, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
49 Disponível em: http://www.tribunadabahia.com.br/news.php?idAtual=105489, acessado
em 08 de fevereiro de 2012.
50 Disponível em: http://revistabahia.com.br/2012/02/07/ja-passa-de-100-o-numero-de-
mortos-em-salvador-em-oito-dias-de-greve/, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

62
seguir colóquios mantidos pelos aludidos denunciados sobre o assunto, in
verbis:

Conversa entre DACIOLO e HNI, datada de 07/02/2012 às


08h08min59s.
DACIOLO X HNI – DACIOLO fala HNI com (tratamento de
SENHOR, provável liderança hierarquicamente superior a
DACIOLO). DACIOLO comenta que recebeu uma ligação da
Associação dos Magistrados do Brasil, e que o Presidente da
referida Associação pediu para ele (DACIOLO) ajudar a intermediar
a negociação junto ao movimento paredista baiano, fala que está
seguindo para Salvador-Ba, por volta das 10:00hs de hoje. HNI
argumenta com DACIOLO que vai ser um momento espetacular
para mostrar a liderança de DACIOLO e que se tiver
oportunidade de falar para os JUIZES que o fundamental é PEC
(PEC 300) para PACIFICAR O BRASIL, pode não ser a PEC que
está lá (no CONGRESSO). DACIOLO pergunta o nome do atual
Ministro da Defesa. HNI fala que é Celso Amorim, mas é provável
que seja colocado um Comandante Militar e manda os parabéns
para DACIOLO e no final fala PEC, PEC 300. OBS. DACIOLO
chama HNI de algo parecido com PARQUE. DACIOLO se despede
como de costume, mandando um beijo para o seu interlocutor (cf. |
Relatório de Inteligência n. 6302, autos n. 18378-
13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine).

No dia posterior, DACIOLO telefonou para o Deputado


Federal Arnaldo Faria de Sá, autor da PEC n. 300 51, “vendendo” a ideia de
que a aprovação em segundo turno da aludida proposta poderia fazer com
que a segurança interna brasileira retomasse a sua normalidade – segurança
esta que sua própria quadrilha deliberadamente minara, com propósitos
evidentemente políticos.

Conversa entre DACIOLO X DEPUTADO ARNALDO FARIA DE

51 Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?


idProposicao=414367. Acesso em: 03-04-2013.

63
SÁ, datada de 08/02/2012 às 09h09min10s.
Daciolo informa que está na Bahia e solicita algumas orientações
sobre a possibilidade de passar para o 2º turno da semana que vem
a votação da pec. Parabeniza pela luta e diz que está junto e pode
contar com ele. Daciolo: fala deputado, tudo bem com o sr?
Deputado: tudo em praz irmão. Daciolo: deixa eu fazer uma
perguntinha para o sr. Estou na Bahia com alguns companheiros da
Bahia tentando ajudar a resolver esse problema que está
acontecendo aqui. E eu tive conversando com alguns
parlamentares já aqui, tentando fechar com o Senador Valter Deles
e com alguns deputados estaduais para começar uma negociação
aqui e trazer uma solução para o problema... pergunto ao sr que o
sr é uma pessoa importantíssima para nossa pec, pergunto, qual é
a verdadeira possibilidade de nós conseguirmos passar ao segundo
turno semana que vem? Deputado: depende do Presidente da
Câmara Marco Maia. Daciolo: não sei se o sr sabe, nós estamos
com uma assembleia geral amanhã no Rio de Janeiro, com a
abertura de uma greve geral no Rio de Janeiro também com a
probabilidade de não haver carnaval nem na Bahia nem no Rio
de Janeiro esse ano, e São Paulo está para dar uma resposta
agora e outros Estados também. Teria alguma possibilidade de
o sr nos ajudar a intervir com o Marcos Maia para colocar...
estamos também com um general aqui que está resolvendo a
questão do que está acontecendo na Bahia e nós acreditamos que
se tivesse uma resposta do governo, principalmente o Marcos
Maia assinalando a possibilidade de uma votação em segundo
turno da pec, nós sabemos que não seria nada de imediato,
que ainda vai ter que passar pelo senado e ainda tem todo um
trâmite a ocorrer, mas que acalmaria muito o que está
acontecendo na Federação, o sr poderia nos ajudar a falar
tentar com ele se tem uma perspectiva futura de isso acontecer
semana que vem? Deputado: anota o outro telefone meu Daciolo.
Daciolo: calma aí, pode falar deputado: 61 9655-5929, depois das
14 horas faz contato comigo neste telefone que na hora do almoço
estarei com o Marco Maia. Daciolo: 9655-5929. Deputado: isso, eu
vou estar com ele no horário do almoço, e depois das duas horas

64
eu posso dar um quadro da vontade dele ou do atrapalho dele.
Daciolo: tá, nós conseguimos trazer pra cá um Juiz Federal da
União José Barroso Filho, ele está aqui conosco tentando ajudar na
negociação ... na verdade foi o primeiro dia de negociação ontem...
e nós chegamos a uma conclusão de que o governo do Estado está
sinalizando uma pequena... de aumento, e se nós conseguirmos
botar para semana que vem esta votação, acredito que acabe esse
problema daqui, dá para mandar todo mundo embora, o garotão se
entrega e dá um desfecho nisso tudo aqui para melhorar isso tudo
aí que está acontecendo e não ter nenhum problema de confronto.
(cf. |Relatório de Inteligência n. 6302, autos n. 18378-
13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine)

O quinto denunciado utiliza-se da mesma estratégia


para abordar o Deputado Federal fluminense Anthony Garotinho:

Conversa entre DEPUTADO ANTHONY GAROTINHO X


DACIOLO, datada de 08/02/2012 às 18h13min34s.
DACIOLO: fala Governador, tudo bem com o Senhor?
GAROTINHO: estou tentando costurar aqui uma condição PR,
PDT, PPS, PV e outros partidos daqui para obstruir tudo a partir
de amanhã enquanto não votar a PEC 300. DACIOLO: amém.
GAROTINHO: agora me diga uma coisa, como está o movimento
pra amanhã aí?
DACIOLO: EU ESTOU AQUI NA BAHIA, porque eu viam a Bahia, o
clima estava muito tenso aqui para o PRISCO, eu conheço muito o
PRISCO, eu consegui um contato com o Juiz Federal da área
militar que é o Doutor José Barroso Filho e eu o trouxe para Bahia
para dar uma aliviada no estava acontecendo, o que foi muito
importante e interessante. Eu estou saindo daqui hoje.
GAROTINHO: mas você acha o que? Tem clima para parar lá no
Rio?
DACIOLO: tem, tem total condição que isso vai acontecer e a tropa
está bem forte, apesar do governo está armando colocar o pessoal
em plantão extra, escala extra e tudo mais, só que as coisas está
muito aquecida, o interior está descendo, o governo começou a

65
conversar. O líder do governo MARCO MAIA. É bem provável que
haja uma conversa lá na Assembleia, mas a princípio não mudou
nada.
GAROTINHO: o clima está para parar ná?
DACIOLO: tá para parar o clima é esse.
GAROTINHO: então tá bom, vou costurar isso aqui e se for
possível você dar uma pressão.
DACIOLO: se puder na terça feira melhor ainda.
GAROTINHO: vou ver aqui, vou conversar com o pessoal aqui, tá
bom? (cf. |Relatório de Inteligência n. 6302, autos n. 18378-
13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine)

O denunciado DACIOLO também travou diálogo com o


Deputado Soares, de Santa Catarina, deixando claro seu intento de “criar
uma situação política”:

Conversa entre DACIOLO X DEPUTADO SOARES (SANTA


CATARINA), datada de 08/02/2012 às 09h24min.
DACIOLO X DEPUTADO SOARES (SANTA CATARINA) – (...)
DACIOLO diz que conversou com Senador WALTER PINHEIRO e o
orientou para criar uma solução política para resolver o
problema. DACIOLO diz que falou com o DEPUTADO ARNALDO
FARIA DE SÁ para conversar com MARCO MAIA, a fim de
colocar a PEC em votação na 3a. Feira, haja vista que o RJ irá
entrar em greve de 5a. Para 6a. Feira. DACIOLO convida
SOARES para comparecer na Cinelândia cf. |Relatório de
Inteligência n. 6302, autos n. 18378-13.2012.4.01.3300, 4o. Volume,
in fine)

Naquele mesmo dia, o quinto denunciado DACIOLO


foi orientado pela Deputada Estadual (RJ) JANIRA ROCHA a não permitir que
se encerrassem as condutas criminosas que vitimavam a população baiana
enquanto não fosse deflagrada a “greve” dos militares do Rio de Janeiro:

66
Conversa entre DEPUTADA JANIRA X DACIOLO, datada de
08/02/2012 às 13h19min11s.
DEPUTADA fala que conseguiu negociar com o Presidente para
receber a comissão das 03 forças para negociar uma proposta.
Como DACIOLO está na Bahia, sugeriu que a reunião seja,
amanhã, 08/02/2012, às 11:00h, em sessão extraordinária para
votar o projeto. DEPUTADA disse que falou com o BRAGA chamar
o pessoal. DACIOLO orienta para convocar para reunião MAJ
HELIO, GURGEL, PABLO, WAGNER, MARCO AURELIO E
BRAGA. DACIOLO fala da negociação na BA. DEPUTADA fala que
está errado fechar negociação agora sem a greve do RJ.
DACIOLO então eu vou embora daqui. DEPUTADA eles estão
querendo que você faça um acordo antes da greve do RJ.
DEPUTADA sabe como vc vai ajudar eles? Voltando para o RJ, o
governo aqui vai fazer alguma coisa rebaixada. Vocês garantindo a
mobilização aqui vocês vão ajudar eles, a liberar o PRISCO a ter
uma negociação. Você sabia que Brasília fez uma carreata ontem
de apoio e que tem indicativo de entrar em greve no dia 15/02.
DACIOLO fala que São Paulo está conosco também. DACIOLO diz
que vai embora da BA. DEPUTADA fala que depois que sair a greve
do RJ muda tudo. Não adianta falar negociando agora não, pois
tem muita água para rolar debaixo da ponta (cf. |Relatório de
Inteligência n. 6302, autos n. 18378-13.2012.4.01.3300, 4o.
Volume, in fine).

A citada parlamentar estadual orientou o primeiro


denunciado exatamente no mesmo sentido:

Conversa entre DEPUTADA X PRISCO, datada de 08/02/2012 às


15h50min37s.
JANIRA fala que eles precisam ganhar tempo, pois se o Rio entrar
em greve, isso vai fortalecer eles (o pessoal da Bahia), pergunta se
já está sabendo que o pessoal de Brasília fez uma carreata de
apoio ao movimento da Bahia e estão com indicativo de greve
através de uma assembleia que vai acontecer dia 15. Fala que se o

67
Rio entrar em greve fortalece a negociação (dos policiais na Bahia),
para poderem avançar na questão salarial e questão da anistia, o
interessante agora é segurar (negociação) do que tentar uma
negociação parcial e depois fique difícil de reverter. (...) PRISCO
pede para falar com MARCELO FREIXO da justiça pois não estão
deixando entrar mais nada, gostaria que quando nada liberasse
remédio para o pessoal (…) (cf. |Relatório de Inteligência n. 6302,
autos n. 18378-13.2012.4.01.3300, 4o. Volume, in fine).

Fulcrado em tais diálogos, fácil constatar o porquê de que,


conquanto tenha o Governo reforçado a proposta apresentada aos “grevistas”
– contemplando o reajuste de 6,5% retroativo a janeiro e pagamento
partilhado das GAPs IV e V entre 2012 e 2015, com a primeira parcela em
novembro deste ano – , mesmo assim ela tenha sido recusada por MARCO
PRISCO CALDAS MACHADO 52.
Vale salientar que a quadrilha chefiada pelo primeiro
denunciado, na tentativa de espalhar nacionalmente a paralisação e, desta
forma, vulnerar da maneira mais contundente possível a segurança nacional,
intensificou o uso de comunicações eletrônicas e redes sociais. Isto foi bem
percebido pela Folha de São Paulo, que corretamente associou o
estratagema à PEC 300:

52 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5808003&t=Animos+


estao+exaltados+no+nono+dia+de+greve+da+PM, acessado em 08 de fevereiro de 2012.

68
Enquanto isto, a população baiana sofria com o estado de
caos a que foi submetida. Em face do aumento do número de homicídios em
Salvador, registrado depois que parte da Polícia Militar paralisou as
atividades, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)
passou a priorizar as investigações de mortes que apresentam indícios de
extermínio, a exemplo da execução de cinco moradores de rua na Boca do
Rio, durante a madrugada de sexta-feira (3), e de uma mulher, também
pedinte, baleada e morta quando amamentava a filha recém-nascida na
Praça da Piedade, por volta das 19 horas. Da zero hora do dia 1° de fevereiro
até às 14 horas da quarta-feira (8), o DHPP já havia registrado 94 mortes em

69
Salvador53.
Cerca de quinhentos policiais militares que chegaram pela
manhã às proximidades da Assembleia Legislativa do Estado ameaçaram
fechar a Avenida Paralela, via expressa que liga o Aeroporto ao Centro de
Salvador, devido ao não fechamento de um acordo com o Governo do Estado
para colocar fim à paralisação. Além disso, os policiais militares, de acordo
com notícias locais, teriam ficado revoltados com o endurecimento do cerco
do Exército na Assembleia Legislativa54.
Ainda no dia 08-02-2012, foram divulgados, com autorização
judicial, áudios das conversas dos denunciados que tinham sido
interceptadas. Com isto, uma vez explicitadas as ações delitivas dos
denunciados, até mesmo os seus liderados ficaram cientes dos reais
propósitos daqueles a quem obedeciam. Assim, a “greve” da polícia militar
baiana perdeu força, e, no dia seguinte, os denunciados finalmente
desocuparam o prédio da Assembleia Legislativa da Bahia.
Naquele mesmo dia nove, as Polícias Civil, Militar e os
bombeiros declararam-se em greve no Estado do Rio de Janeiro,
confirmando as apostas feitas desde o princípio pelos denunciados55.
Contudo, a ampla divulgação das reais intenções políticas subjacentes a tal
“movimento” fez com que a adesão fosse muito baixa e, felizmente, o
movimento malograsse naquele Estado.

III. DO DOLO

Como se procurou explicar no decorrer desta denúncia, os


delitos perpetrados atentaram, não apenas contra a segurança da sociedade,

53 Disponível em: http://www.ssp.ba.gov.br/noticias/dhpp-prioriza-os-casos-de-


exterminio.html, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
54 Disponível em: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5808003&t=Animos+
estao+exaltados+no+nono+dia+de+greve+da+PM, acessado em 08 de fevereiro de 2012.
55 Disponível em: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2012/02/policias-civil-militar-e-
bombeiros-decretam-greve-no-rio-de-janeiro.html. Acesso em: 03-04-2013.

70
mas também – e principalmente – contra o regime representativo e
democrático, a Federação e o Estado Democrático de Direito.
Há que se lembrar que a jurisprudência do Pretório Excelso,
atenta ao art. 2º da Lei n. 7.170 56, tem ressaltado a necessidade de
integração do dolo dos agentes pelo especial fim de agir da motivação
política.
Nesse sentido,

EMENTA: RECURSO ORDINÁRIO CRIMINAL. CRIME CONTRA A


SEGURANÇA NACIONAL. ARMA DE FOGO DE USO EXCLUSIVO
DAS FORÇAS ARMADAS. LEI 7.170/83. CRIME COMUM. I. - O
Plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu que, para configura-
ção do crime político, previsto no parágrafo único do art. 12 da Lei
7.170/83, é necessário, além da motivação e os objetivos políticos
do agente, que tenha havido lesão real ou potencial aos bens jurídi-
cos indicados no art. 1º da citada Lei 7.170/83. Precedente: RCR
1.468-RJ, Maurício Corrêa para acórdão, Plenário, 23.3.2000 (...).
(RC 1470, Relator: Min. CARLOS VELLOSO, Segunda Turma, jul-
gado em 12/03/2002, DJ 19-04-2002 PP-00050 EMENT VOL-
02065-02 PP-00301).

EMENTA: CRIME POLÍTICO. COMPETÊNCIA. INTRODUÇÃO, NO


TERRITÓRIO NACIONAL, DE MUNIÇÃO PRIVATIVA DAS FOR-
ÇAS ARMADAS, PRATICADO POR MILITAR DA RESERVA (ARTI-
GO 12 DA LSN). INEXISTÊNCIA DE MOTIVAÇÃO POLÍTICA: CRI-
ME COMUM. PRELIMINARES DE COMPETÊNCIA: 1ª) Os juízes
federais são competentes para processar e julgar os crimes políti-
cos e o Supremo Tribunal Federal para julgar os mesmos crimes
em segundo grau de jurisdição (CF, artigos 109, IV , e 102, II, b), a
despeito do que dispõem os artigos 23, IV, e 6º, III, c, do Regimento
Interno, cujas disposições não mais estão previstas na Constituição.
2ª) Incompetência da Justiça Militar: a Carta de 1969 dava compe-
tência à Justiça Militar para julgar os crimes contra a segurança na-
cional (artigo 129 e seu § 1º); entretanto, a Constituição de 1988,
substituindo tal denominação pela de crime político, retirou-lhe esta
competência (artigo 124 e seu par. único), outorgando-a à Justiça
Federal (artigo 109, IV). 3ª) Se o paciente foi julgado por crime polí-
tico em primeira instância , esta Corte é competente para o exame
da apelação, ainda que reconheça inaplicável a Lei de Segurança
Nacional. MÉRITO: 1. Como a Constituição não define crime po-
lítico, cabe ao intérprete fazê-lo diante do caso concreto e da

56 Art. 2º - Quando o fato estiver também previsto como crime no Código Penal, no Có -
digo Penal Militar ou em leis especiais, levar-se-ão em conta, para a aplicação desta Lei: I - a
motivação e os objetivos do agente; II - a lesão real ou potencial aos bens jurídicos mencio -
nados no artigo anterior.

71
lei vigente. 2. Só há crime político quando presentes os pressu-
postos do artigo 2º da Lei de Segurança Nacional (Lei nº
7.170/82), ao qual se integram os do artigo 1º: a materialidade da
conduta deve lesar real ou potencialmente ou expor a perigo de le-
são a soberania nacional, de forma que, ainda que a conduta esteja
tipificada no artigo 12 da LSN, é preciso que se lhe agregue a
motivação política. Precedentes. 3. Recurso conhecido e provido,
em parte, por seis votos contra cinco, para, assentada a natureza
comum do crime, anular a sentença e determinar que outra seja
prolatada, observado o Código Penal.
(RC 1468 segundo, Relator: Min. ILMAR GALVÃO, Relator p/ Acór-
dão: Min. MAURÍCIO CORRÊA, Tribunal Pleno, julgado em
23/03/2000, DJ 16-08-2000 PP-00088 EMENT VOL-02078-01 PP-
00041 – sem negrito ou sublinhado no original).

Esta motivação política está mais que evidente no caso em


testilha. Afinal de contas, desde os primórdios, os denunciados urdiram e
executaram uma miríade de condutas criminosas que, sob a aparência de um
movimento grevista policial militar – per se vedado pela Constituição – , em
verdade tinha por meta minar a segurança e o regime democrático na Bahia
e, depois, de outros Estados-Membros da Federação.
Tudo isto era movido por dois propósitos bem claros:

a) forçar o Congresso Nacional, delegatário do Poder de


Reforma Constitucional – uma das mais nítidas expressões da soberania
nacional – , a aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) n.
300/2008;
b) alavancar o capital político-eleitoral dos denunciados, com
vistas à disputa das eleições posteriores.

Do primeiro deles já se falou sobejamente no curso desta


exordial acusatória.
Quanto ao segundo, sua comprovação advém da consulta ao
sítio eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.jus.br).
Sem sombra de dúvidas, o principal beneficiário dos atos
criminosos foi o primeiro denunciado, MARCO PRISCO CALDAS

72
MACHADO. Usando o nome de urna “Soldado Prisco”, ele disputara as
eleições de 2008, obtendo resultado pífio com apenas 1.819 votos.
Posteriormente, munido da notoriedade deliberadamente
obtida com os crimes contra a segurança nacional que praticou acima
narrados, ele voltou à carga no pleito de 2012, tendo sido, desta feita, eleito
Vereador com uma votação expressiva, com mais de 14.820 votos, ou seja,
cerca de 815% mais em relação à eleição anterior.
JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS (segundo
denunciado) também investiu o capital político nas eleições de 2012
derivado de sua participação criminosa nos fatos acima narrados. Identificado
como “Cabo Jeoás” (cf. extrato do DivulgaCand/TSE, juntado nesta data), ele
quase se elegeu ao cargo de Vereador, uma vez que conseguiu 1.973 votos 57.
De maneira bastante similar, JOSAFÁ RAMOS DOS
SANTOS (terceiro denunciado) candidatou-se a Vereador em Feira de
Santana/BA, conseguindo 1.664 votos. Apesar de não ter sido eleito por
questões de quociente eleitoral, em termos absolutos, o número de votos
obtidos pelo referido denunciado revelou-se superior aos 1.567 obtidos pelo
último dos eleitos na segunda maior cidade baiana.
GILVAN SOUZA SANTANA (quarto denunciado) também
postulou o cargo de Vereador em 2012, desta feita no Município de Jequié (cf.
extrato do DivulgaCand/TSE, acostado hoje). Usando o nome de “Soldado
Gilvan”, ou seja, apelando, à semelhança dos demais denunciados, para o
fato de ser policial, ele foi eleito com 1.870 votos.
Da mesma forma, DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA
apresentou candidatura a Vereador no Município de Vitória da Conquista e
obteve votação expressiva de 1.517 votos, não tendo sido eleito em razão do
indeferimento de sua candidatura por problemas enfrentados com o Partido
ao qual era filiado(cf. extrato do DivulgaCand/TSE, juntado nesta data).

57 Sem contar com o quociente eleitoral, o último dos Vereadores eleitos de Natal recebeu
2.078 votos.

73
De igual sorte, o denunciado BENEVENUTO DACIOLO
aproveitou-se, nas eleições de 2012, do capital político angariado da sua
participação no movimento grevista baiano, conforme se observa da
reportagem abaixo:

O líder da greve dos bombeiros no Rio de Janeiro,


Benevenuto Daciolo, está de volta aos palanques.
Expulso da corporação, o ex-cabo entrará de cabeça
nas eleições para vereador deste ano com a missão de
arregimentar votos para os candidatos do movimento
SOS Bombeiros, que fez uma série de protestos no
estado, entre eles a invasão ao Quartel General.
Daciolo foi o bombeiro flagrado em escutas telefônicas
combinando a nacionalização do movimento da
categoria, no começo deste ano, com Marco Prisco,
líder da Associação dos Policiais, Bombeiros e dos seus
Familiares da Bahia. Ele chegou a pedir a continuação
do movimento grevista baiano para fortalecer a
paralisação no Rio. Agora, o pedido é outro: votos.(...) A
imagem de Daciolo, figura principal durante todo o
processo de reivindicações da categoria, estará
disponível para aparecer com qualquer bombeiro do
movimento. Integrantes do SOS Bombeiros acreditam
que, se Daciolo conseguir anular a exclusão da
corporação, provavelmente será candidato a deputado
em 2014. O grupo deu entrada na Justiça para tentar a
reintegração(http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/cabo-
que-liderou-greve-sobe-no-palanque-para-eleger
bombeiros).

74
É indubitável, portanto, a presença do dolo na conduta dos
denunciados, integrado do especial fim de agir adrede descrito, que se
revelou evidenciado nas suas reais motivações e os objetivos subjacentes às
atrocidades praticadas no decorrer da greve dos Policias Militares 58,.

IV. DA QUADRILHA ARMADA:

A prova dos autos não permite dúvidas no sentido de que os


denunciados associaram-se, de forma estável e com permanência, para
praticar crimes contra a segurança nacional. E este bando era armado, além
de ser caracterizado pela divisão do trabalho criminoso, como demonstram as
diversas condutas delituosas comprovadamente praticadas.
Nesta societas sceleris, MARCO PRISCO CALDAS
MACHADO (primeiro denunciado) respondia pelo comando operacional dos
crimes. Isto fica bem claro quando ele não apenas incita o fechamento da BR-
116 (Rio-Bahia), mas também explica detalhadamente como a ação deve ser
efetuada (“PRISCO pede que SALOMÃO não bote fogo, feche mas não bote
fogo (...) PRISCO diz para manter a tropa no Quartel e se houver a
confirmação de que eles (Exército) partiram de lá (para a Assembleia) aí
fecha a RIO/BAHIA”), ou quando ele ordena a subtração e sabotagem de
viaturas policiais (“PRISCO fala que a posição é que se for possível é para
pegar a viatura e ir para a Assembleia Legislativa”).
JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS (segundo
denunciado) e BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS SANTOS (quinto
denunciado) cuidavam da articulação nacional da quadrilha, atuando para
disseminar por todo o país as ações criminosas e, desta forma, coagir o

58 É importante ressaltar que este dolo específico evidentemente cingiu-se aos


denunciados, não sendo partilhados pela totalidade dos policiais militares “grevistas”, cujas
reivindicações se cingiam a questões remuneratórias e de qualidade de trabalho, não
abrangendo, por óbvio, o nítido propósito político de atentar contra o regime representativo e
o Estado Democrático de Direito.

75
Congresso Nacional a aprovar a PEC n. 300, em clara afronta ao regime
representativo e ao Estado Democrático de Direito.
Por seu turno, JOSAFÁ RAMOS DOS SANTOS (terceiro
denunciado), GILVAN SOUZA SANTANA (quarto denunciado), DAVID
SALOMÃO DOS SANTOS LIMA (sexto denunciado) e JEANE BATISTA DE
SOUSA (sétima denunciada) eram executores materiais das deliberações
emanadas do primeiro, do segundo e do quinto denunciados.
Conforme os fatos exaustivamente acima delineados, esta
quadrilha, tão bem organizada, voltava-se à prática dos crimes capitulados
nos arts. 15, § 1º, “b”; 18; 19 e 23, IV, da Lei n. 7.170 (cf. item V, infra), tendo
também infringido ao art. 232 do ECA.

V. DAS CONDUTAS DOS DENUNCIADOS:


RECAPITULAÇÃO

V.1. Todas as provas coligidas aos autos, demontraram à


saciedade que MARCO PRISCO CALDAS MACHADO foi o principal
responsável pelo impedimento do livre exercício do Poder Legislativo baiano,
mediante a ocupação do seu prédio. Isto foi feito mediante as graves
ameaças de retaliação com emprego de arma de fogo, em caso de tentativa
de desocupação, e do risco de “carnificina”, mediante o uso deliberado de
mulheres e crianças como “escudos humanos”. Demais disso, ao ordenar o
bloqueio das vias de acesso ao Centro Administrativo da Bahia (CAB) e da
submissão de todo o Estado a um regime de terror, inclusive via
disseminação de boatos, também acabou por impedir o livre exercício do
Poder Judiciário estadual e de boa parte do Poder Executivo do Estado da
Bahia.
Além disto, é importante lembrar que, ao concitar os seus
liderados para que levassem seus filhos menores para o prédio da

76
Assembleia, PRISCO ordenou que crianças que estavam sob a guarda de
seus liderados fossem submetidas aos constrangimentos e privações
ocasionados pelo cerco sofrido.
O primeiro denunciado também ordenou que seus liderados
se apoderassem do controle de veículos de transporte coletivo (ônibus), com
emprego de graves ameaças contra os motoristas e os passageiros.
Além disto, o primeiro denunciado planejou e comandou a
prática de sabotagem contra instalações militares e meios de transporte
(viaturas policiais), depredando-as por inconformismo político. Com isto,
foram causados danos ou neutralizados meios de segurança, paralisando,
ainda que parcialmente, serviços públicos essenciais para a segurança
interna do país.
Impende ressaltar que MARCO PRISCO CALDAS
MACHADO também incitou a prática de crimes contra a segurança nacional
por parte de seus liderados. E, no caso específico da ordem para bloqueio da
BR-116, incitou o denunciado DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA a
sabotar aquela via de transporte, bloqueando o seu tráfego com o emprego
de carretas, ou seja, à prática do crime do art. art. 15, § 1º, “b” da Lei n.
7.170.
Por fim, deve-se lembrar que o primeiro denunciado
associou-se aos demais acusados, de forma estável, permanente e armada,
para praticar crimes. Ele inclusive chefiava a quadrilha armada, conforme se
explanou anteriormente.

V.2. JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS participou, desde


o início, do impedimento do livre exercício do Poder Legislativo baiano,
mediante a ocupação do seu prédio. Vale lembrar que isto sucedeu-se
mediante as graves ameaças de retaliação com o uso de arma de fogo, em
caso de tentativa de desocupação, e do risco de “carnificina”, mediante o uso
deliberado de mulheres e crianças como “escudos humanos”. Ademais, por

77
participar do bloqueio das vias de acesso ao CAB e da submissão de todo o
Estado a um regime de terror, inclusive via disseminação de boatos, também
acabou por impedir o livre exercício do Poder Judiciário estadual e de boa
parte do Poder Executivo do Estado da Bahia.
Impende ressaltar que JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS
também incitou a prática de crimes contra a segurança nacional,
principalmente no que tange a policiais de outros Estados (cf. item II.6 desta
denúncia, supra. Ademais, o segundo denunciado associou-se aos demais
acusados, de forma estável, permanente e armada, para praticar crimes,
consoante se explanou anteriormente.

V.3. JOSAFÁ RAMOS DOS SANTOS foi identificado como


um dos executores materiais de uma das ações de sabotagem/roubo de
meios de transporte (viaturas policiais), com danos ou neutralização de meios
de segurança, paralisando, ainda que parcialmente, serviços públicos
essenciais para a segurança interna do país (cf. fl. 696, Volume 3, dos autos
n. 18378-13.2012.4.01.3300). .
Paralelamente a isto, o terceiro denunciado associou-se aos
demais acusados, de forma estável, permanente e armada, para praticar
crimes, como se explicou anteriormente.

V.4. De acordo com o Ofício n./s/n/02/2012/19º BPM (Jequié),


GILVAN SOUZA SANTANA participou de sabotagem, mediante o bloqueio e
impedimento de saída de viaturas, de instalação militar, consistente no
Batalhão de Polícia Militar de Jequié. Desta maneira, foram neutralizados
meios de segurança, paralisando, ainda que parcialmente, serviços públicos
essenciais para a segurança interna do país.
Nisto ele agiu como executor material de crime ordenado pela
quadrilha armada chefiada pelo primeiro denunciado, quadrilha esta à qual

78
o denunciado associou-se de forma estável, permanente e armada, para
praticar crimes.

V.5. BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS SANTOS


participou do impedimento do livre exercício do Poder Legislativo baiano,
mediante a ocupação do seu prédio. Vale lembrar que isto sucedeu-se
mediante as graves ameaças de retaliação com uso de arma de fogo, em
caso de tentativa de desocupação, e do risco de “carnificina”, mediante o uso
deliberado de mulheres e crianças como “escudos humanos”.
Outrossim, é imperioso ressaltar que o quinto denunciado
incitou a prática de crimes contra a segurança nacional, não somente no que
tange a policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, cuja “greve” pretendeu
deflagrar, mas principalmente ao instigar e incitar o primeiro denunciado a
estender ainda mais a sua prática criminosa, a fim de exercer pressão
visando à aprovação da PEC 300.
Ademais, o segundo denunciado associou-se aos demais
acusados, de forma estável, permanente e armada, para praticar crimes,
consoante se explanou anteriormente.

V.6. DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA participou,


juntamente com o primeiro denunciado, da incitação de crime contra a
segurança nacional, para que sabotasse via de transporte (a BR 116 ou Rio-
Bahia), bloqueando o seu tráfego com o emprego de carretas, ou seja, à
prática do crime do art. art. 15, § 1º, “b” da Lei n. 7.170.
Isto demonstra que ele integrava, na qualidade de executor
material, a quadrilha armada chefiada pelo primeiro denunciado, quadrilha
esta à qual associou-se de forma estável, permanente e armada, para
praticar crimes.

79
V.7. Finalmente, JEANE BATISTA DE SOUSA também
incitou a prática de crime contra a segurança nacional, ao instigar o primeiro
denunciado a sabotar instalação militar (o Batalhão de Guardas).
Este fato indica que ela também associara-se aos demais
denunciados associou de forma estável, permanente e armada, para praticar
crimes, na qualidade de executora material.

VI. DOS PREJUÍZOS OCASIONADOS À UNIÃO

Com efeito, considerando o quadro de intimidação à


população civil e o atentado contra as instituições democráticas, houve a
necessidade de atuação cooperativa entre a União e o Estado, com o
emprego excepcional das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança
Nacional de Segurança Pública, para garantia da lei e da ordem na capital
baiana e nas maiores cidades do Estado
Nesse cenário, o Ministro de Justiça, nos termos da Lei
Federal nº. 11.473/200759, determinou o emprego da Força Nacional de
Segurança Nacional(FNSP) por intermédio da Portaria nº 211, de 03 de
fevereiro de 2012, o que motivou o deslocamento, ao Estado da Bahia, de
milhares de homens da FNSP. Em acréscimo, houve determinação para o
envio de Policiais da Polícia Federal e da Rodoviária Federal.
Do mesmo, objetivando conter o gravíssimo quadro de
instabilidade ocorrido em decorrência da greve deflagrada pelos policiais
militares e dos atos dela decorrentes, a Presidente da República, em
atendimento à solicitação do Governo do Estado da Bahia, autorizou o
emprego temporário das forças armadas em ações para garantia da lei e da
ordem, nos termos da Lei Complementar nº 97/99 60 e do Decreto nº.

59 Dispõe sobre cooperação federativa no âmbito da segurança pública e revoga a Lei no


10.277, de 10 de setembro de 2001.
60 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças
Armadas.

80
3.897/2001, bem com para preservação da ordem pública e da incolumidade
das pessoas e do patrimônio daquele Estado.
Conforme se depreende da nota técnica nº.
28/DEPES/SOF/MP da lavra do Ministério do Planejamento e do ofício nº
4354/MD do Ministério da Defesa(acostados ao IPL nº. 0256/2012), foram
empregados na Operação Bahia, no período de 03 a 18 de fevereiro de 2012,
os efetivos de 49 militares da Aeronáutica, que transportaram integrantes do
Exército e da Força Nacional de Segurança Pública, 154 Fuzileiros Navais e
4.182 militares do Exército, totalizando 4.635 militares na citada Operação.
As informações prestadas pelo Estado-Maior da Aeronáutica
e pelo Comando Militar do Nordeste dão conta de que os gastos realizados
com a Operação Bahia somaram R$ 14.365.904,20 (quatorze milhões,
trezentos e sessenta e cinco mil, novecentos e quatro reais e vinte centavos).
Desse modo, tendo em vista os altíssimos custos decorrentes
da mobilização das Forças Amadas e da FNSP, resta hialino os elevados
prejuízos ao erário ocasionados pelo movimento encabeçado pelos
denunciados que se revelaram diretamente proporcionais aos dias de
duração da greve.
Frise-se que o Código de Processo Penal, em seu art. 387,
inc. IV, com a redação alterada pela Lei nº 11.719/2008, estatuiu que o
Magistrado fixará, na sentença condenatória, o valor mínimo para reparação
dos danos causados pela infração correspondente ao montante gasto (R$
14.365.904,20) com a Operação realizada pelo Governo Federal para
preservação da ordem pública e incolumidade das pessoas e do patrimônio
do Estado baiano.

VII. DOS PEDIDOS

De todo o exposto, o Ministério Público Federal requer que


seja recebida a presente denúncia e determinada a citação dos denunciados

81
para responder a acusação, no prazo de 10 (dez) dias, e acompanhar o
processo em seus ulteriores termos, até final condenação, de acordo com as
sanções dos dispositivos legais abaixo transcritos:
a) MARCO PRISCO CALDAS MACHADO: art. 18 da Lei n.
7.170; art. 19 da Lei n. 7.170 c/c o art. 71 do Código Penal; art. 15, § 1º, “b”
da Lei n. 7.170 c/c o art. 71, CP; art. 23, IV, da Lei n. 7.170; art. 288,
parágrafo único, CP; e art. 232, ECA c/c o art. 29, CP;
b) JEOÁS NASCIMENTO DOS SANTOS: art. 18 da Lei n.
7.170; art. 23, IV, da Lei n. 7.170; art. 288, parágrafo único, CP;
c) JOSAFÁ RAMOS DOS SANTOS: art. 15, § 1º, “b” da Lei
n. 7.170 e art. 288, parágrafo único, CP;
d) GILVAN SOUZA SANTANA: art. 15, § 1º, “b” da Lei n.
7.170 e art. 288, parágrafo único, CP;
e) BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS SANTOS: art.
18 da Lei n. 7.170; art. 23, IV, da Lei n. 7.170; art. 288, parágrafo único, CP;
f) DAVID SALOMÃO DOS SANTOS LIMA: art. 23, IV, da Lei
n. 7.170 e art. 288, parágrafo único, CP.
g) JEANE BATISTA DE SOUSA: art. 23, IV, da Lei n. 7.170 e
art. 288, parágrafo único, CP.

Outrossim, requer:
1 que sejam inquiridas as testemunhas adiante elencadas;
2. que sejam juntados em apenso a estes autos cópias do
Inquérito Policial nº. 04/2012-COE/PC e do Inquérito Policial Militar,
instaurado sob a Portaria nº 018D/174-12/12, incluindo os relatórios de
inteligência policial que compõem os autos, as transcrições de escutas, além
do IPL nº. 0256/2012-SR/DPF/BA.
3. seja fixado, na condenação, o valor mínimo do dano
causado, ora estimado em R$ 14.365.904,20(quatorze milhões, trezentos e
sessenta e cinco mil, novecentos e quatro reais e vinte centavos).

82
4. Por fim, pugna para que seja cientificada a propositura
desta ação penal ao Ministério Público Estadual, à Polícia Federal, à SSP/BA
e ao Comando da Polícia Militar

Pede deferimento,

Salvador, 08 de abril de 2013.

ANDRÉ LUIZ BATISTA NEVES


PROCURADOR DA REPÚBLICA

MELINA CASTRO MONTOYA FLORES


PROCURADORA DA REPÚBLICA

PABLO COUTINHO BARRETO


PROCURADOR DA REPÚBLICA

83