Você está na página 1de 2

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR.

JORGE AUGUSTO CORREIA


Direção de Serviços da Região do Algarve
ES/3EB Dr. Jorge Augusto Correia; EB 2,3 D. Paio Peres Correia; EB1 nº2 Tavira;
EB1/JI Conceição; EB1 Cabanas

Curso de Educação e Formação de Adultos – EFA C (50h)/2014-2015


CLC 7 / Formadora: Lígia Cerqueira
Actividade 4
Formanda: Olga Ilyina nº21
Data:20/11/2014

1- A estética é uma disciplina filosófica que remete ao séc. XVII, estuda o


conhecimento sensorial e tem como objecto o “belo”. Além disso, debruça-se
sobre vários problemas, como: o que é a beleza? Como sabemos que algo é
belo? O que é a Arte? O que faz a Arte ter valor? Defende que o homem possui
uma faculdade, diferente do conhecimento racional, a que chamam ‘’faculdade
de gosto’’.

2- É difícil definir Arte, uma vez que existem varias correntes estéticas com
critérios diferenciados pelos quais um objeto possui, ou não, qualidade de
“arte”. A arte é uma espécie de respiração da alma, análoga à respiração física,
sem a qual o nosso corpo não pode passar. Em filosofia, a arte para ser definida
exige critérios rigorosos e o mais possível objetivos, daí a existência de uma
multiplicidade de teorias estéticas. Também, podemos afirmar que o ‘’gosto’’
educa-se, mas segundo regras e normas que nada se relacionam com a
vulgaridade ou com o” senso comum”. Aliás, a crescente proliferação do ‘’mau
gosto’’, seja em música, em vestuário, em peças decorativas das nossas casas,
ou até do carro que escolhemos, em nada agrada aos especialistas em arte e
estética.

3- A arte influencia a sociedade, a cultura a época e, vice-versa. Por


exemplo, na antiguidade existiam critérios e normas pelos quais, foram escritos
poemas e\ou peças. A estética influencia sem dúvida as movimentações
culturais de um dado momento histórico, através de critérios específicos que
normalmente são decididos pelas classes dominantes, ideologicamente
determinadas. Este facto implica que muitas obras de arte sejam colocadas de
lado, apenas porque não se inserem nesse quadro valorativo vigente

1
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. JORGE AUGUSTO CORREIA
Direção de Serviços da Região do Algarve
ES/3EB Dr. Jorge Augusto Correia; EB 2,3 D. Paio Peres Correia; EB1 nº2 Tavira;
EB1/JI Conceição; EB1 Cabanas

4- A cultura tem impacto na sociedade tal como a sociedade tem impacto


na cultura. Muitas pessoas tentam seguir a cultura dominante, outros criam a
sua própria cultura artística, com aquilo que lhes agrada. É evidente que as
sociedades são fortemente influenciadas pela cultura artística, vemos isso, na
moda e nas ‘’vivências’’ culturais a vários níveis.

5- A produção artística sempre fez parte da cultura do Homem O Homem


pré-histórico já utilizava a pintura que tinha uma finalidade mágica, mas
também era fonte de beleza. Vemos isso, nas pinturas rupestres que abundam
em vários locais e atestam que os valores estéticos sempre acompanharam o
processo de hominização. Se, as pinturas rupestres identificam a humanidade
num determinado período histórico, assim também, as produções artísticas de
cada povo identificam-no e consolidam-no. Desde as produções literárias,
musicais e pictóricas mais refinadas, até ao artesanato, ao folclore, todas estas
manifestações identificam um povo. Existem Instituições que permitem que as
pessoas tenham acesso, a estes bens artísticos e culturais, como Museus,
Bibliotecas, Centros de Pesquisa, entre tantos outros que têm por objetivo
difundir a Cultura.

6- Todos os artistas possibilitam experiências estéticas, porque para o


artista a sua obra é a criação de algo belo e único, talvez, incomum para os
outros. Desta forma, o artista possibilita a vivência estética que possibilita ao
Homem aceder a novas realidades, ‘’abrindo-lhe’’ nos horizontes e quem sabe,
muitas vezes, reencontrar-se. Artista e público existem um para o outro. O
artista cria e, o público usufrui de sentimentos e emoções únicos.