Você está na página 1de 2

CURSO DE PSICOLOGIA

DISCIPLINA: PSICOLOGIA CONSTRUTIVISTA

OPERAÇÕES INFRALÓGICAS E LÓGICAS


(A partir de: GOULART, I. B. Piaget: experiências básicas para utilização pelo professor. Petrópolis,
RJ: Vozes, 2007.)

PERÍODOS
 Período operatório concreto (7-11anos):
- Operações infralógicas: que são constituintes do objeto. Operações: conservações
físicas (massa, peso e volume) e espaciais (comprimento, superfície, perímetro)

- Operações lógicas: neste período versam sobre semelhanças e diferenças.


Operações: classificação, seriação e multiplicação lógica – são as principais. A
operação da compensação simples também surge neste período, mas a compensação
complexa só será plenamente alcançada no estádio operatório formal.
- Conceito de número

 Período operatório formal (a partir dos 11/12 anos):


- Operações lógicas: neste período implicam uma combinatória. Operações:
compensação, razão-proporção, probabilidade, indução de leis.

OPERAÇÕES

Conservação: operação infralógica definida pela capacidade do sujeito de perceber


que apesar da variação (transformação) da forma ou arranjo espacial, uma
quantidade ou valor não varia se dele não se retira ou adiciona algo.
Classificação (7-9anos): operação lógica que envolve o agrupamento por classes;
implica uma relação de semelhanças e diferenças; é a capacidade de separar (ou
agrupar) objetos, pessoas, fatos, idéias, etc. em classes ou grupos tendo por critério
uma ou mais características comuns.
Seriação (7-9anos): operação lógica que consiste em ordenar os elementos segunda
grandezas crescentes ou decrescentes; é uma ordenação de elementos segundo uma
qualidade que varia; é uma relação sobre assimetrias.
Multiplicação Lógica (9-11anos): consiste em multiplicar logicamente duas ou mais
séries de acontecimentos em processo de mudança; requer que o sujeito trabalhe
com duas, três ou mais variáveis combinando-as entre si; é o último estágio da
classificação; dois ou mais atributos são combinados para se obter o próximo de uma
série.
Compensação (simples – 9-11; complexa – a partir dos 11/12anos): operação lógica
que permite o sujeito encontrar a maneira de restabelecer o equilíbrio de um sistema
que tenha se alterado por modificações em uma ou mais variáveis.
Razão-Proporção (pensamento proporcional ou proporcionalidade – a partir dos
11/12anos): operação lógica que permite construir relações métricas que descrevem
matematicamente mudanças proporcionais nas variáveis.
Probabilidade (a partir dos 14anos): operação lógica que permite justificar que o
objeto/evento que tem a maior freqüência/quantidade no grupo é aquele que tem a
maior chance de ocorrer ou de ser escolhido/sorteado; permite pensar logicamente o
acaso; permite pensar a relação entre o real e o possível (qual das relações possíveis
tem validez real); sujeito necessita dominar a combinatória (capacidade de construir
quaisquer classes e relações) e a proporcionalidade (capacidade de construir relações
métricas – permite cálculo da probabilidade).
Indução de Leis (a partir dos 14anos): operação lógica que possibilita a construção de
regras ou leis que relacionam os acontecimentos entre si (acontecimentos que
envolvem certo grau de “randomicidade”, ou seja, que envolvem elementos
aleatórios que podem se repetir, ter algo em comum – assim, o sujeito varia cada um
destes elementos para ver o que ocorre com os outros para depois combinar suas
hipóteses ou descobertas e deduzir uma regra); exige a manipulação de hipóteses,
proposições e sua combinação; necessita do domínio de todas as operações lógicas
anteriores e também o domínio da linguagem, do pensamento verbal.

Extras:

Conceito de número (a partir dos 7 anos): a noção operatória de número envolve o


domínio das operações de invariância (conservação) da quantidade (a conservação
dos conjuntos numéricos independentemente dos arranjos espaciais), de seriação e
de classificação; saber contar verbalmente não é igual a dominar o conceito de
número.

Combinatória (a partir dos 11/12 anos): é a classificação das classificações (depende


do domínio de vários tipos de operações de classificação); permite combinar entre si
objetos ou fatores, idéias, pessoas, reunindo-os 1 a 1, 2 a 2, 3 a 3, etc.; é uma
característica do pensamento lógico formal, do período operatório formal, quando o
sujeito usa um método sistemático no emprego das combinações, permitindo tomar
em consideração todas as associações possíveis entre os elementos em jogo numa
situação.