Você está na página 1de 16

Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785

Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Artigo de Revisão


Planejamento Familiar: importância das práticas educativas em saúde para jovens
e adolescentes na Atenção Básica

Family Planning: importance of educational practices in health for youth and


adolescents in Primary Care

Planificación Familiar: importancia de las prácticas educativas en materia de salud para


los jóvenes y adolescentes en la Atención Primaria

Karla Rona da Silva1, Alessandra dos Santos importância das práticas educativas
Souza2, Débora Janaína Pimenta3, Roseana
da Silva4, Marina Dayrell de Oliveira Lima 5 criativas em saúde a fim de contribuir
para uma maior participação dos jovens
Resumo
e adolescentes nas atividades do
O planejamento familiar é o direito que
planejamento familiar, utilizando como
toda pessoa tem de optar em ter ou não
recurso metodológico a revisão de
ter filhos, por meio de uma assistência
literatura, constituída principalmente
especializada e com informação. Estas
por artigos científicos. Para o
informações são ofertadas por
levantamento dos artigos na literatura,
intermédio da atenção básica durante o
realizou-se uma busca na Biblioteca
programa de planejamento familiar.
Virtual em Saúde (BVS), em diversos
Englobar os adolescentes no
bancos de dados. Acredita-se que a
planejamento familiar é uma tarefa de
abordagem de novas pedagogias de
grande importância, sendo que neste
ensino baseadas na arte e criatividade
período os jovens estão despertando em
poderá atrair os jovens e adolescentes
si a sexualidade. Por meio de estudos já
ao programa. Disponibilizar
realizados observa-se que há um
informações lúdicas durante o
despreparo da equipe de enfermagem
planejamento familiar é uma das
para abordar esses usuários. Para tanto,
melhores formas de adesão a um
este estudo propõe refletir sobre a
programa de prevenção e promoção.
1
Doutora em Biomedicina pelo Instituto de Ensino e
Descritores: Educação em Saúde.
Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte (2013).
Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Planejamento Familiar. Atenção
Aplicada da Universidade Federal de Minas Gerais.
Curso de Gestão em Serviços de Saúde. E-mail: Primária à Saúde. Enfermagem em
karlarona@bol.com.br
2
Graduada em Enfermagem do Centro Universitário Saúde Comunitária.
Newton Paiva. E-mail: alessouza13@hotmail.com
3
Graduada em Enfermagem do Centro Universitário Abstract
Newton Paiva. E-mail: deborajp1987@yahoo.com.br
4
Graduada em Enfermagem do Centro Universitário Family planning is the right that every
Newton Paiva. E-mail: rosesilva.magem@yahoo.com.br
5
Graduanda em Enfermagem da Faculdade Ciências person has to choose to have or not have
Médicas de Minas Gerais. E-mail:
marina_dayrell@hotmail.com

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327- 42 327
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

children, through expert assistance and La planificación familiar es el derecho


information. This information is offered de cada persona debe elegir tener o no
through primary care for the family tener hijos, a través de la asistencia
planning program. Encompass especializada y la información. Esta
adolescents in family planning is a very información se ofrece a través de la
important task, and in this period young atención primaria para el programa de
people are awakening sexuality itself. planificación familiar. Incluir
Through previous studies it is observed adolescentes en la planificación familiar
that there is a lack of preparation of the es una tarea muy importante, y en este
nursing staff to address those users. período los jóvenes están despertando la
Therefore, this study aims to reflect on sexualidad misma. A través de estudios
the importance of creative educational previos se observó que hay una falta de
practices in health in order to contribute preparación del personal de enfermería
to greater participation of young people para hacer frente a esos usuarios. Por lo
and adolescents in the activities of tanto, este estudio se propone
family planning, using as reflexionar sobre la importancia de las
methodological approach the literature prácticas educativas creativas en
review consists primarily of scientific materia de salud con el fin de contribuir
articles. For the survey of articles in the a una mayor participación de los
literature, there was a search of the jóvenes y adolescentes en las
Virtual Health Library (VHL), in actividades de planificación familiar,
several databases. It is believed that the mediante el uso metodológico de la
approach of new teaching pedagogies revisión de la literatura consiste
based on art and creativity can attract principalmente en artículos científica.
young people and adolescents to the Para el levantamiento de artículos en la
program. Provide entertaining literatura, hubo una búsqueda en la
information for family planning is one Biblioteca Virtual en Salud (BVS) en
of the best ways of joining a prevention varias bases de datos. Se cree que el
and promotion program. enfoque de las nuevas pedagogías de
Keywords: Health Education. Family enseñanza basadas en el arte y la
Planning. Primary Health Care. creatividad puede atraer a los jóvenes y
Community Health Nursing. adolescentes en el programa.
Proporcionar información sobre
Resumen actividades recreativas para la

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 328
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

planificación familiar es una de las lançamento do PAISM o governo


mejores maneras de unirse a un brasileiro vem atuando nas questões
programa de prevención y promoción. sobre o planejamento familiar com
Descriptores: Educación en Salud. políticas e medidas que permitem o
Planificación Familiar. Atención acesso da população aos meios de
Primaria de Salud. Enfermería en Salud prevenção(4).
Comunitaria. O planejamento familiar deve
ser o elemento principal na prevenção
1. Introdução de doenças sexualmente transmissíveis
Com a redemocratização na e de gravidez indesejadas, devendo os
segunda metade dos anos 1970, profissionais na área de saúde utilizar
surgiram novos atores sociais métodos individuais e coletivos para
interessados na questão do orientar as pessoas que buscam os
planejamento familiar, entre os quais os serviços, oferecendo as informações
grupos de mulheres que atuavam em necessárias para a escolha do melhor
defesa da saúde e do planejamento método anticoncepcional. Essas
familiar. A partir daí, as feministas orientações e métodos são ofertados
tiveram como aliadas integrantes do pelos serviços de saúde na atenção
movimento que discutia a reforma básica, que é primeiro contato dos
sanitária e a instituição de um Sistema indivíduos com o sistema de saúde. É
Único de Saúde (SUS) para garantir consensual que os países que adotam
acesso igualitário e universal aos princípios da atenção básica geram os
(1)
serviços . melhores resultados(5,6,7).
No início dos anos de 1980, a A educação em saúde deve
radicalização em relação ao tema do acontecer de maneira integral,
controle demográfico foi seguida da possibilitando que os profissionais de
indignação dos novos atores sociais, saúde na atenção básica e pacientes,
(2)
incluindo o movimento feminista . construam sentidos e significados a
Participantes da Reforma partir de saberes já existentes. Estudos
Sanitária criaram um programa reforçam que a ação educativa em saúde
chamado de Programa de Assistência é de responsabilidade da equipe de
Integral à Saúde da Mulher (PAISM), saúde, com realce principal para a
onde foram inclusas as questões da equipe enfermagem, e deve ser aplicada
(1,3)
anticoncepção . A partir do a todos os níveis de atenção à saúde(8,5).

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 329
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

A educação é uma prática social, usuários. Sendo assim, acredita-se que a


onde as experiências dos usuários abordagem de novas pedagogias de
devem ser valorizadas. Esta deve ser ensino baseadas na arte e criatividade
entendida como um processo de poderá atrair os jovens e adolescentes
participação de toda a população no para o programa do planejamento
contexto de sua vida e não apenas sob a familiar. Disponibilizar informações
possibilidade de adoecimento(9,10). lúdicas aos métodos anticoncepcionais
É importante que as equipes de existentes é uma das melhores formas
enfermagem utilizem a metodologia da de adesão a um programa de promoção
educação em saúde durante a realização e prevenção(12).
do planejamento familiar fazendo com Sendo assim, este estudo se faz
que a população participe de forma relevante por apontar a importância da
ativa na escolha do método utilização de metodologias criativas na
contraceptivo. O enfermeiro de saúde abordagem aos jovens durante o
pública tem possibilidade de planejamento familiar estimulando a
desenvolver atividades com a adesão e a participação ativa. Célebres
comunidade, tornando-se um da literatura científica afirmam que o
profissional de grande importância para uso de práticas educativas inovadoras
tomada de decisão na escolha de provenientes de uma educação
métodos contraceptivo(5,11). transformadora possibilita que as
Englobar os adolescentes no pessoas envolvidas se tornem
planejamento familiar é uma tarefa de participativas, despertando para a
(13)
extrema importância, ainda porque, a conscientização crítica e reflexiva .
adolescência é um período em que Para efetivação das práticas de
ocorre um importante desenvolvimento inovação, faz-se necessário uma adesão
que torna o indivíduo capaz de e conscientização dos envolvidos. É
reproduzir(12). preciso que todos compreendam a
Nessa perspectiva, sugere-se que essência de sua participação como ser
exista um déficit de práticas educativas ativos no processo de construção e
criativas no programa do planejamento partilha do saber. No entanto, compete
familiar voltada para os jovens e ao profissional de saúde refletir
adolescentes e sendo esta, uma criticamente sobre suas práticas atuais e
abordagem fundamental para a mudança buscar estratégias para melhorar as
de conceitos e comportamentos desses práticas futuras(14).

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 330
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

Para tanto, este estudo tem por seguintes bases de dados: Scientific
objetivo descrever a importância das Electronic Library Online (SCIELO),
práticas educativas criativas em saúde Literatura Latino-Americana e do
que podem contribuir para uma maior Caribe em Ciências da Saúde
adesão dos jovens e adolescentes nas (LILACS), Literatura Internacional em
atividades de planejamento familiar, Ciências da Saúde (MEDLINE) e
utilizando como recurso metodológico a BIREME. Utilizou-se também artigos
revisão de literatura. publicados em revistas e manuais de
circulação nacional com subsídio
2. Metodologia cientifico conhecido, de 1996 até 2015,
Este estudo trata de uma revisão por meio dos seguintes descritores:
de literatura exploratória baseada em educação em Saúde; práticas
referências bibliográficas, constituída educativas; planejamento familiar;
principalmente por artigos científicos. A atenção básica; e enfermagem. Os livros
vantagem da pesquisa bibliográfica é foram disponibilizados pela biblioteca
que esta possibilita a busca de um da Faculdade de Ciências Biológicas e
grande número de trabalhos disponíveis da Saúde do Centro Universitário
nos diversos meios de comunicação, Newton Paiva em Belo Horizonte. A
permitindo uma visão ampla dos autores busca ocorreu no período de agosto de
que tratam do tema em questão. Esta 2010 a junho de 2015.
metodologia consiste em identificar, Foram selecionados 52 artigos
obter e consultar a bibliografia já que tratavam sobre o tema em questão,
existente que sejam úteis aos objetivos e após leitura detalhada, verificou-se
do estudo, retirando as informações que 22 artigos atendiam aos objetivos
necessárias(15). do estudo por apresentarem assuntos
O intuito principal do estudo foi relacionados ao planejamento familiar e
responder a pergunta norteadora: qual a sobre práticas educativas em saúde na
importância das práticas educativas em atenção básica. Além de serem
saúde para atrair os jovens e utilizados 03 livros, 01 monografia, 01
adolescentes para o planejamento dissertação de mestrado, 01 manual do
familiar na atenção básica? Fundo de População das Nações Unidas
Para o levantamento dos artigos e 01 Portaria do Ministério da Saúde
na literatura, realizou-se uma busca na para melhor contextualização científica.
Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), nas

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 331
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

3. Resultados e Discussão além de outras necessidades


identificadas a partir do perfil
3.1 Evolução histórica das concepções populacional das mulheres(1,3).
sobre o planejamento familiar na Por intermédio do PAISM, o
atenção básica Ministério da Saúde reconheceu a sua
O Estado brasileiro de acordo responsabilidade em atender as
com o Fundo de População das Nações necessidades das mulheres e de
Unidas chegou à segunda metade do defender a atuação dos profissionais de
século XX mantendo uma postura saúde no que se refere ao planejamento
natalista com relação à política familiar. Foi baseado nos direitos à
populacional, onde o anúncio de saúde das mulheres e dos casais sobre a
métodos para evitar a gravidez era definição do número de filhos que
proibido. Entretanto em 1979, desejam ter(16,2,17,11,18).
aconteceu à redemocratização, dando Com isso, entende-se que o
direito de expressão à população. planejamento familiar é o direito que a
Assim, foram surgindo novos atores população tem à informação, e assim
sociais interessados nas questões de poder optar pelo número de filhos que
métodos contraceptivos, em especial os cada casal deseja ter, a partir de ações
grupos de mulheres que atuavam em que buscam controlar a natalidade por
defesa da saúde e do planejamento meio da conscientização dos indivíduos.
familiar(1,2). A assistência ao planejamento
Nesse processo, destaca-se que familiar é oferecida, atualmente no
as feministas tiveram como aliados Brasil, pelas equipes do Programa
integrantes do movimento que Saúde da Família (PSF), que estimula o
discutiam a reforma sanitária e a criação trabalho em equipe entre os
de um Sistema Único de Saúde, política profissionais e comunidade, valorizando
Latino-Americana, para garantir acesso a participação dos mesmos. As Equipes
igualitário e universal aos serviços, de Saúde da Família (ESF) devem
assumindo assim a tarefa de formular conhecer sua população de abrangência
em 1983, uma proposta avançada, e incentivar a participação popular no
denominada Programa de Assistência intuito de criar vínculos(19,20).
Integral à Saúde da Mulher (PAISM). Ademais, o PSF tem a função de
Este tem como objetivo prestar promover ações para a coletividade
atendimento global a saúde da mulher, valorizando a prevenção e promoção da

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 332
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

saúde, a fim de substituir o modelo população, não podendo ser


puramente curativista(19). Para tanto, separadas(20).
devem propor estratégias para uma O termo educação em saúde vem
melhor adequação ao planejamento sendo utilizado para evidenciar a
familiar. No entanto, esse contexto necessidade de atuação entre o
assistencial ainda não é reconhecido e profissional e a comunidade para a
nem valorizado quanto às práticas realização de atividade de prevenção e
educativas, pois muitos profissionais de promoção da saúde(22). Tais práticas
saúde não percebem que realizam devem ter a conscientização do
atividades educativas em seu cotidiano, indivíduo e de sua coletividade, e os
enquanto outros realizam de forma profissionais envolvidos necessitam
restrita, sendo apenas uma transmissão adotar metodologias de ensino que
de informação (21). transformem a capacidade das pessoas
Compreendemos que a prática de compreensão por meio da sua
educativa deve ser algo compartilhada e realidade, para uma vida mais
valorizada entre todos os envolvidos. É saudável(13).
preciso que o profissional de saúde se Percebe-se que o tema
capacite constantemente para executá-la desenvolvido na prática educativa tem
de maneira inovadora, dinâmica e sua origem em problemas do cotidiano,
eficaz, de forma a contribuir para que no qual as experiências vividas por cada
todos sejam sujeitos ativos no processo indivíduo são relevantes devendo ser
ensino-aprendizagem. adotadas na prática. Assim, trabalhar a
partir da realidade vivenciada pela
3.2 A importância da educação em população torna-se algo essencial ao
saúde no planejamento familiar profissional de saúde, com destaque
Uma das principais para as ações realizadas pela equipe de
características da atenção básica no enfermagem. É preciso conhecer as
SUS é a criação de equipes características populacionais, para
multidisciplinares que devem agir a fim depois planejar a intervenção de forma
de desenvolver práticas de saúde com efetiva.
integralidade para atender a população. A equipe de enfermagem tem a
A saúde e a educação estão articuladas, possibilidade de realizar atividades com
vistas como complementares e o indivíduo e a comunidade, cabe a ela
essenciais para o progresso da saúde da orientar sobre o planejamento familiar.

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 333
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

Os profissionais devem apresentar as uma abordagem metodológica


metodologias lúdicas, partilhando descritiva e retrospectiva. Este foi,
conhecimentos, técnicas, articulando o realizado no setor de Planejamento
problema com a realidade sociocultural Familiar da Universidade Federal de
local(11,23). São Paulo a partir de dados coletados
É consensual na literatura que os em 264 prontuários de adolescentes que
comportamentos de uma população tinham como antecedente ao menos
diante de seus problemas de saúde, são uma gravidez anterior à matrícula(12).
construídos a partir da percepção de Seus resultados revelaram que a
saúde dessa população, a qual se ergue a menarca ocorreu em média aos 12,2
partir de seu contexto sociocultural. O anos, a sexarca aos 15 anos e a primeira
conhecimento prévio dessa percepção gravidez um ano após. Ao se
de saúde da comunidade, que determina matricularem no programa 73,5%
o pensar e o agir perante o processo possuíam uma gestação e 2% duas. Os
saúde-doença, são fundamentais para a métodos hormonais foram os
eficiência das ações de assistência e contraceptivos mais utilizados. A
(24)
educação em saúde . reincidência de gravidez foi observada
Ações educativas e preventivas em 4,9% das adolescentes. Os autores
com o objetivo de assegurar a escolha consideraram que os dados encontrados
do melhor método de controle da reforçam a importância do oferecimento
natalidade são extremamente de programas de planejamento familiar
importantes para os jovens e que englobem a educação e a assistência
adolescentes, pois além de evitar a com oferta do método contraceptivo
gravidez indesejada, também contribui voltados a adolescentes(12).
para a prevenção de Doenças O estudo mencionado ratifica a
Sexualmente Transmissíveis (DST)(2,17). importância de atrair os jovens e
Cabe mencionar o estudo adolescentes para o programa do
intitulado Prevenção da reincidência de planejamento familiar. Percebe-se que
gravidez em adolescentes: efeitos de um por meio deste é possível diminuir as
Programa de Planejamento Familiar, taxas de gravidez indesejada e
realizado com o objetivo de avaliar os consequentemente das potenciais
efeitos de um programa educativo e complicações emocionais, interpessoais
assistencial frente à reincidência de e familiares oriundas desta.
gestação em adolescentes por meio de

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 334
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

Outro estudo, realizado na didática apropriada para atrair esses


Unidade de Atenção Primária em Saúde jovens e adolescentes para o programa
(19)
Dom Bosco no distrito de Cachoeira do . Assim, percebemos o quão
Campo, município de Ouro Preto/MG, importante é discutir e ampliar os
teve como objetivo conhecer as estudos científicos sobre estas práticas e
perspectivas sobre a educação em saúde sua relevância, como proposto por este
e problematizá-las por meio da estudo.
concepção dialógica de Paulo Freire. Os É necessário desenvolver ações
sujeitos de pesquisa foram sete agentes educativas que proporcionem ao jovem
comunitárias de saúde, um médico e interesse em participar do planejamento
uma enfermeira, membros da equipe de familiar levando em consideração a
saúde da família. Nos círculos de falta de conhecimento sobre a própria
cultura, foram abordados quatro temas: sexualidade, desinformação sobre a
equipe de saúde da família; educação fisiologia e anatomia sexual, além de
em saúde; prática da educação em saúde ressaltar que esses problemas de ordem
no trabalho da equipe; e de que maneira pessoal e, sobretudo, conflitos amorosos
melhorar as ações de educação em são capazes de desencadear sérios riscos
saúde existentes(20). emocionais e, consequentemente, alterar
Foram analisados seus conceitos, a resposta sexual desses
dificuldades, possibilidades e adolescentes(17).
expectativas em relação a práticas A enfermagem, com o passar
educativas desenvolvidas. Os resultados dos anos, vem atuando nas diferentes
demonstraram que a educação em saúde questões sociais da vida de cada
é reconhecida pelos sujeitos como uma indivíduo, de sua família e de sua
responsabilidade. Contudo, sua prática comunidade(25). É imprescindível que a
se depara com entraves culturais e ainda equipe de enfermagem tenha
recebe pouco destaque no cotidiano do conhecimento e saiba compartilhar as
(20)
trabalho . devidas informações por intermédio da
Fica evidente que existe que os troca de experiências de maneira clara,
profissionais de saúde se deparam com objetiva e atraente, orientando e
inúmeras dificuldades para desenvolver atendendo os adolescentes em questão
as ações de educação frente ao de anticoncepção, bem como para a
planejamento familiar, que nem sempre prevenção de doenças de transmissão
há por parte desses profissionais uma sexual(17).

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 335
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

Compreende-se que a A utilização de novas ações


enfermagem mantém-se mais próxima educacionais para a saúde traduz e
do usuário, devendo desenvolver prioriza a interatividade, a relação ativa
trabalhos que despertem o interesse das do sujeito com o objeto de
pessoas em realizar o planejamento conhecimento, a ideia do conhecimento
familiar, além de desenvolver um como algo que resulta de um processo
trabalho interdisciplinar em sua unidade de construção, de troca de ideias entre
de saúde. Ademais, utilizar-se de participantes e da reflexão em torno das
estratégias de inovação em unidades de temáticas abordadas(26).
saúde com foco no adolescente, Esta explícita o quanto a
atualmente, é algo desafiador, mas inovação das ações em saúde é essencial
necessário à prática profissional, uma para que o jovem e o adolescente se
vez que as constantes mudanças do sintam estimulados a aderir ao
mundo moderno e o avanço tecnológico planejamento familiar. Entretanto,
têm impulsionado os profissionais de entendemos que inovar para a prática do
saúde a encontrar formas diferenciadas enfermeiro é algo desafiador e ainda
para a promoção do saber. alicerçada por paradigmas sociais
Cabe ratificar que os contemporâneos, que fragiliza o
profissionais de saúde são fundamentais processo ensino-aprendizado,
para que aconteçam as ações de reforçando o modelo tradicional, onde o
educação em saúde. A usuário se apresenta como agente
desconstrução/reconstrução de passivo e apenas receptor de
conceitos é importante para a informações.
aprendizagem desses profissionais com Assim pode-se mencionar a
apreensão e incorporação de novos capacitação permanente com ferramenta
saberes na forma de agir no processo de de apoio diferencial e capaz de
trabalho. A educação em saúde atua na promover singulares mudanças na
promoção da saúde e na prevenção de prática educadora, acompanhando uma
doenças, englobando os diversos tendência natural nas inovações das
saberes, possibilitando que os sujeitos práticas em saúde.
tenham uma visão crítica, reflexiva e Existem várias estratégias para
com uma maior participação nas aumentar o acesso dos jovens e
questões de saúde(21,26,27). adolescentes aos serviços de saúde,
devendo-se trabalhar com a

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 336
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

responsabilização da equipe de saúde adolescentes estão inseridos de forma


pela população de sua área de clara e atrativa, com o intuito de
abrangência(9). A adoção de práticas despertar este público para o
educativas mais dialogadas e dinâmicas autocuidado.
que instiguem maior participação O princípio de educar para a
popular e uma maior atuação saúde e para o ambiente, parte da
profissional mostra-se como hipótese de que vários problemas de
metodologias interessantes e saúde são resultantes da precária
qualificadoras do trabalho da equipe de situação educacional da população,
saúde(20). necessitando, portanto, de medidas
Considera-se que a abordagem educativas. Sendo assim, o educador em
de metodologias lúdicas durante o saúde tem um papel importante ao
planejamento familiar pode atrair os desenvolver ações que despertem nas
jovens e adolescentes para o programa. pessoas o senso de responsabilidade e
Ressalta-se que as ações educativas em interesse pela sua própria saúde(27).
saúde contribuem significativamente A co-responsabilização
para a adesão da população aos evidencia-se neste contexto e através
serviços, sendo umas das melhores das ações de educação o enfermeiro
formas de prevenção e promoção da poderá compartilhar conceitos e saberes
saúde. de forma a proporcionar maior
A educação em saúde se autonomia e conscientização aos jovens
desenvolve procurando estabelecer e adolescentes através do
procedimentos de prevenção e empoderamento resultante do processo
promoção, por meio de um conjunto de de aprendizagem significativa.
medidas que os jovens devem É absolutamente necessária para
incorporar em seu cotidiano, medidas o processo de transformação social a
essas que, se internalizadas, irão noção de empoderamento. A inserção
(17)
garantir uma sexualidade saudável . do adolescente na transformação de sua
Para a Enfermagem, entende-se realidade exige dele a conscientização,
que as práticas educativas são que poderá ser adquirida por meios de
ferramentas eficazes e inovadoras por ações de educação que possam
demonstrar que é possível utilizar um convergir em uma conscientização em
método de comunicação próximo da comunhão, ou seja, conscientização
realidade em que os jovens e conjunta(28).

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 337
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

Entendemos que ninguém agindo como educador em saúde tem


conscientiza ao outro, nem a si próprio. um papel fundamental ao desenvolver
A conscientização é dinâmica, ações que despertem nos jovens e
construída em conjunto e exige dos adolescentes interesse em participar do
sujeitos envolvidos participação ativa e programa. Utilizando da construção da
pautada na realidade em que estão saúde a partir de práticas educativas,
inseridos. favorece o envolvimento das pessoas
Para o desenvolvimento do tornando-as participativas e despertando
empoderamento individual as práticas em si a conscientização crítica e
devem estar direcionadas a um processo reflexiva sobre sua saúde.
de construção de autoestima,
autoconfiança e independência nos 4. Considerações Finais
indivíduos, reforçando seu poder de Com a finalização deste estudo,
atuação coletiva. No entanto, para o faz-se necessário retomar seu objetivo
desenvolvimento do empoderamento principal que é descrever a importância
comunitário faz-se necessário propor das práticas educativas criativas em
abordagens educativas que valorizam a saúde que podem contribuir para uma
criação de espaços públicos e/ou maior adesão dos jovens e adolescentes
colegiados, que permitam a discussão nas atividades de planejamento familiar.
dos problemas e eleição de estratégias Pelos estudos científicos
de intervenção coletivas(29). analisados nesta revisão, percebemos
Finalizando, espera-se que a que é extremamente importante a
equipe de enfermagem tenha estímulo e realização de práticas educativas
compreensão sobre o seu papel durante inovadoras, utilizando-se do lúdico
o planejamento familiar, como forma de estimular a adesão dos
desempenhando o processo de jovens e adolescentes ao planejamento
construção de saúde a partir de práticas familiar. Embora estas atividades se
educativas, concretizando a mostrem como desafiadoras para os
humanização e comprometimento com a profissionais de saúde, sua utilização
qualidade de vida e saúde da deve ser incentivada.
população(21). Esta pesquisa nos permite inferir
Pode-se concluir que cada que a equipe de enfermagem é a
profissional da equipe de saúde, com principal responsável pelas ações de
destaque para a equipe de enfermagem, educação em saúde nos serviços de

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 338
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

atenção básica no Brasil. Assim sendo é frente ao planejamento familiar e a co-


preciso que estes profissionais estejam responsabilização destes usuários.
bem capacitados para auxiliar o
adolescente no alcance da Referências
transformação de sua realidade. 1. FUNDO DE POPULAÇÃO DAS
NAÇÕES UNIDAS - UNFPA.
Ademais, confirma-se nossa
Planejamento familiar no Brasil.
hipótese de que existe um déficit de Brasília [Internet]. 2008 (acesso em:
14 de junho de 2015); 1-28.
práticas educativas criativas no
Disponível em:
programa do planejamento familiar http://www.unfpa.org.br/Arquivos/p
romovendo_direitos_reprodutivos.p
voltada especificamente para os jovens
df
e adolescentes, o que pode dificultar o
controle da gestação indesejada e a
2. COSTA, AM; GUILHEM D;
disseminação das doenças de SILVER, LD. Planejamento
familiar: a autonomia das mulheres
transmissão sexual.
sob questão. Rev. Bras. Saúde
Sugere-se ampliar as discussões Mater. Infant. [Internet]. 2006
(acesso em: 14 de junho de 2015);
sobre esta temática com os profissionais
6(1): 75-84. Disponível em:
de saúde, com destaque para a equipe de http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v6n1
/a09v6n1.pdf
enfermagem, estimulando a capacitação
permanente e apoio para o
3. BRASIL. Ministério Da Saúde.
desenvolvimento de práticas educativas
Política Nacional de Atenção
inovadoras nos serviços de saúde. Integral à Saúde da Mulher:
Princípios e Diretrizes. Brasília-DF,
Além da realização de estudos campais
2009.
investigando as práticas educativas
realizadas para a população jovem e
4. OSI, MJD; FAUNDES, A;
adolescente, tendo em vista o grande MAKUCH, MY; MELLO, MB;
SOUSA, MH; ARAUJO, MJO.
déficit encontrado na literatura sobre o
Atenção ao planejamento familiar
tema abordado. no Brasil hoje: reflexões sobre os
resultados de uma pesquisa. Cad.
Enfim, o presente estudo
Saúde Pública [Internet]. 2006
contribui com reflexões atualizadas e (acesso em: 10 de março de 2011);
22(11): 2481–2490. Disponível em:
sistematizadas sobre a importância das
http://www.scielosp.org/pdf/csp/v22
práticas educativas criativas em saúde n11/23.pdf
no que tange a adesão dos jovens e
adolescentes as atividades realizadas 5. ANDRADE, EC; SILVA, LR.
Planejamento familiar: uma questão
pelos serviços de atenção básica a saúde

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 339
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

de escolha. Rev. Eletr. Enf. 10. GUEDES, MVC; SILVA, LF;


[Internet]. 2009 (acesso em: agosto FREITAS, MC. Educação em
de 2010);11(1):85-93. Disponível saúde: objeto de estudo em
em: dissertações e teses de enfermeiras
http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n no Brasil. Rev. Bras. Enferm.
1/pdf/v11n1a11.pdf [Internet]. 2004 (acesso em 13 de
junho de 2015); 57(6): 662-665.
Disponível em:
6. MATA, MS; COSTA, FA; http://www.scielo.br/pdf/reben/v57n
SOUZA, TO; MATA, ÁNS; 6/a05.pdf
PONTES, JF. Dor e funcionalidade
na atenção básica à saúde. Ciênc.
saúde coletiva [Internet]. 2011 11. LINDNER, SRL; COELLHO, EBS;
(acesso em: 16 de maio de 2011); BUCHELE, F; SOARES, C.
16(1): 221-230. Disponível em: Direitos reprodutivos: o discurso e a
http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n1/ prática dos enfermeiros sobre
v16n1a25.pdf planejamento familiar. Cogitare
Enferm. [Internet]. 2006 (acesso em:
16 de junho de 2015); 11(3): 197–
7. MENDONÇA; CS. Saúde da 205. Disponível em:
Família, agora mais do que nunca! http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/
Ciênc. Saúde Coletiva [Internet]. cogitare/article/view/7304/5236
2009 (acesso em 03 de março de
2011); 14(1): 1493-1497.
Disponível em: 12. BERLOFI, LM; ALKMIN, ELC;
http://www.scielosp.org/pdf/csc/v14 BARBIERI, M; GUAZZELLI,
s1/a22v14s1.pdf CAF; ARAÚJO, FF. Prevenção da
reincidência de gravidez em
adolescentes: efeitos de um
8. SAMPAIO, J; SANTOS, RC; Programa de Planejamento Familiar.
PAIXÃO, LA; TORRES, TS. Acta Paul Enferm. [Internet]. 2006
Promoção da saúde sexual: desafios (acesso em: 03 de junho de 2015);
no Vale do São Francisco. Psicol. 19(2):196–200. Disponível em:
Soc. [Internet]. 2010 (acesso em 05 http://www.scielo.br/pdf/ape/v19n2/
de maio de 2011); 22(3): 499-506. a11v19n2
Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/psoc/v22n3
/v22n3a10.pdf 13. MONTEIRO, EMLM; VIEIRA,
NFC. Educação em saúde a partir de
círculos de cultura; Rev. Bras.
9. ALVES; GG; AERTS, D. As Enferm. [Internet]. 2006 (acesso em:
práticas educativas em saúde e a 28 de maio de 2011); 63(3): 397–
Estratégia Saúde da Família. Ciênc. 403. Disponível
Saúde Coletiva [Internet]. 2011 em:http://www.scielo.br/pdf/reben/v
(acesso em 27 de maio de 2015); 16 63n3/a08v63n3.pdf
(1): 319-325. Disponível em:
http://www.scielosp.org/pdf/csc/v16
n1/v16n1a34.pdf 14. FREIRE, P. Pedagogia da
Autonomia: saberes necessários à

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 340
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

prática educativa. 25ª Ed. São 970. Disponível em:


Paulo: Paz e Terra, 1996. 55p. http://www.scielo.br/pdf/csp/v23n4/
22.pdf

15. GIL, Antônio Carlos. Como


elaborar projetos de pesquisa. 5. ed., 20. FERNANDES, MCP; BACKES,
São Paulo: Atlas, 2010. 175p. VMS. Educação em saúde:
perspectivas de uma equipe da
Estratégia Saúde da Família sob a
16. COELHO, EBS. Enfermagem e o óptica de Paulo Freire. Rev. Bras.
planejamento familiar: as interfaces Enferm. [Internet]. 2010 (acesso em:
da contracepção. Rev. Bras. Enferm. 10 de março de 2011); 63(4): 567–
[Internet]. 2005 (acesso em 15 de 573. Disponível em:
abril de 2011); 58(6): 665–672. http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n
Disponível em: 4/11.pdf
http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n
6/a07v58n6.pdf
21. ARAÚJO, FM. Ações de Educação
em Saúde no Planejamento Familiar
17. CARRENO, I; COSTA, JSD; nas Unidades de Saúde da Família
OLINTO, MTA; MENEGHEL, S. do município de Campina Grande –
Uso de métodos contraceptivos PB. João Pessoa: UEPB [Internet].
entre mulheres com vida sexual 2004 (acesso em: 10 de abril de
ativa em São Leopoldo, Rio Grande 2011): 71p. Disponível em:
do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publi
[Internet]. 2006 (acesso em 20 de cacoes/premio2004/especializacao/
maio de 2011); 22(5):1101–1109. MonografiaFlaviaMentorAraujo.pdf
Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/csp/v22n5/
23.pdf 22. SALES, FMS. Ações de educação
em saúde para prevenção e controle
da dengue: um estudo em Icaraí,
18. POLI, MEH. A anticoncepção como Caucaia, Ceará. Ciênc. Saúde
instrumento do planejamento Coletiva [Internet]. 2008 (acesso em
familiar e da saúde. Scientia Medica 05 de maio de 2011); 13(1): 175-
[Internet]. 2006 (acesso em 15 de 184. Disponível em:
março de 2011); 16(4): 168-171. http://www.scielo.br/pdf/csc/v13n1/
Disponível em: 21.pdf
http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs
/index.php/scientiamedica/article/vi
ewFile/1618/1783 23. ANTUNES, MJM; SHIGUENO
LYO; MENEGHIN P. Métodos
pedagógicos que influenciaram o
19. MOURA, ERF; SILVA, RM; planejamento das ações educativas
GALVÃO, MTG. Dinâmica do dos enfermeiros: revisão
atendimento em planejamento bibliográfica. Rev. Esc. Enf. USP
familiar no Programa Saúde da [Internet]. 1999 (acesso em: 08 de
Família no Brasil. Cad. Saúde maio de 2011); 33(2):165-74.
Pública [Internet]. 2007 (acesso em: Disponível em:
10 de junho de 2015); 23(4): 961-

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 341
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785
Silva KR, Souza AS, Pimenta DJ et al Planejamento familiar: importância das práticas...

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v33
n2/v33n2a08.pdf 28. ROSO, A; ROMANINI, M.
Empoderamento individual,
empoderamento comunitário e
24. CAMARA, AMCS; MELO, VLC; conscientização: um ensaio teórico.
GOMES, MGP; PENA, BC; et al. Psicologia e Saber Social [Internet].
Percepção do processo saúde- 2014 (acesso em 16 de junho de
doença: significados e valores da 2015); 3(1): 83-95. Disponível em:
educação em saúde. Rev. bras. educ. http://www.google.com.br/url?sa=t
med. [Internet]. 2012 (acesso em 15 &rct=j&q=&esrc=s&source=web&c
de junho de 2015); 36(1): 40-50. d=1&ved=0CB0QFjAAahUKEwijj-
Disponível em: La45bGAhWIkQ0KHZMeAME&ur
http://www.scielo.br/scielo.php?pid l=http%3A%2F%2Fwww.e-
=S0100- publicacoes.uerj.br%2Findex.php%
55022012000200006&script=sci_art 2Fpsi-
text sabersocial%2Farticle%2Fdownload
%2F12203%2F9505&ei=sm6BVaP
uE4ijNpO9gIgM&usg=AFQjCNGQ
25. COELHO, EAC; LUCENA, MFG; X9nQ-Fxhn69uRA3yAys448hj-g
SILVA, ATM. Política de
Planejamento Familiar em João
Pessoa - PB: análise das 29. SOUZA, JM; THOLL, AD;
contradições existentes entre o CORDOVA, FP; HEIDEMANN,
discurso oficial e a prática. Rev. ITSB; BOEHS,AE;
Esc. Enf. USP [Internet]. 2000 NITSCHKE,RG. Aplicabilidade
(acesso em 16 de junho 2015); prática do empowerment nas
34(2): 119-27. Disponível em: estratégias de promoção da saúde.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid Ciênc. Saúde Coletiva [Internet].
=S0080- 2014 (acesso em 16 de junho de
62342000000200001&script=sci_art 2015); 19(7): 2265-2276.
text Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?pid
=S1413-
26. CARNEIRO, ACLL. Práticas 81232014000702265&script=sci_art
educativas nas unidades básicas de text
saúde de Belo Horizonte e sua
relação com a promoção de saúde.
Dissertação (Mestrado em
Enfermagem). Escola de Sources of funding: No
Conflict of interest: No
Enfermagem da Universidade Date of first submission: 2015-02-03
Federal de Minas Gerais, Belo Last received: 2015-06-18
Accepted: 2015-10-09
Horizonte, 2010. 125 f. Publishing: 2016-01-29

27. GAZZINELLI, MF; REIS, DC;


MARQUES, RC. Educação em
saúde: teoria, método e imaginação.
Belo Horizonte: UFMG, 2006.
166p.

Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016 p. 327-42 342