Você está na página 1de 3

(htps/w

: wwa.dvogadosnisovlencaip.t)

(http://www.advogadosinsolvencia.pt/)

Horas : 02:08 (am) Data : 11/06/2020

Graduação de créditos
 
Graduação de créditos –
hierarquia, ordem ou
prioridade no pagamento:
 
Em caso de insolvência do
devedor, ou mesmo no decurso
de um processo executivo para
a cobrança coerciva de dívidas,
a graduação de créditos e
correspondente hierarquia ou
prioridade de pagamento faz-
se de acordo com a seguinte
ordem:
1.º - créditos garantidos
(/mapa/creditos-garantidos);
2.º - créditos privilegiados (/mapa/creditos-privilegiados);
3.º - créditos comuns; e,
4.º - créditos subordinados (/mapa/creditos-subordinados).
 
1.º lugar) Créditos garantidos:
 
Em 1.º lugar, são pagos os créditos garantidos (/mapa/creditos-garantidos), que são os
créditos que beneficiam de garantias reais (/mapa/garantias-reais), incluindo os privilégios
creditórios especiais, até ao valor dos bens objeto da garantia. São créditos garantidos
(/mapa/creditos-garantidos) os créditos que beneficiam de: hipoteca (/mapa/hipoteca),
penhor (/mapa/penhor), privilégios creditórios especiais, direito de retenção, entre outros.
 
Os créditos garantidos são pagos apenas com o produto da venda dos bens onerados com a
garantia, depois de:
- abatidas as despesas com a respetiva liquidação (pagamento de eventuais comissões a
leiloeiras, despesas de atos notariais como a celebração de escritura pública ou o termo de
autenticação, etc..) e;
- abatida a percentagem de 10% do valor obtido com a venda para o pagamento das dívidas
da massa insolvente (/mapa/dividas-da-massa-insolvente).
 
Por exemplo, se existir uma dívida de 400.000,00€ e se o imóvel onerado com a hipoteca
(/mapa/hipoteca) é vendido no decurso de um processo de insolvência
(/insolvencia/processo-de-insolvencia) por 340.000,00€, tendo havido 20.000,00€ de
despesas com a venda:
- pelo menos, 34.000,00€ (10% do valor da venda) são afetos ao pagamento das dívidas da
massa insolvente (/mapa/dividas-da-massa-insolvente);
- 20.000,00€ são afetos ao pagamento das despesas com a venda do imóvel (eventuais
comissões a leiloeiras, despesas de atos notariais como a celebração de escritura pública ou
o termo de autenticação, etc..), que também são consideradas dívidas da massa insolvente
(/mapa/dividas-da-massa-insolvente);
- o crédito é graduado como garantido (/mapa/creditos-garantidos) até ao valor de
286.000,00€ (340-34-20=286); no remanescente da dívida, após abate do desconto para a
massa e das despesas com a venda, o crédito é graduado como crédito comum, no valor de
60.000,00€ (400-286-34-20=60).
 

2.º lugar) Créditos privilegiados:


2.º lugar) Créditos privilegiados:
 
Em 2.º lugar e, se saldo subsistir, são pagos os créditos privilegiados (/mapa/creditos-
privilegiados), que são os créditos que beneficiam de privilégios creditórios gerais,
mobiliários ou imobiliários. Os privilégios creditórios gerais são aqueles que incidem sobre a
generalidade dos bens do devedor.
 
São qualificados como créditos privilegiados apenas os créditos que beneficiam de privilégios
creditórios gerais e não já os créditos que beneficiam de privilégios creditórios especiais, que
são aqueles que incidem sobre bens específicos do devedor. Com efeito, os privilégios
creditórios especiais são considerados garantias reais (/mapa/garantias-reais) e, por isso,
são qualificados como créditos garantidos (/mapa/creditos-garantidos).
 
3.º lugar) Créditos comuns:
 
Em 3.º lugar e, se saldo subsistir, são pagos os créditos comuns, que são os créditos que não
beneficiam de garantias reais (créditos garantidos (/mapa/creditos-garantidos)), nem de
privilégios creditórios gerais (créditos privilegiados (/mapa/creditos-privilegiados)), nem se
qualificam como créditos subordinados (/mapa/creditos-subordinados).
 
Assim, são créditos comuns, por exemplo:
- os créditos que beneficiam apenas de garantias pessoais, tais como a fiança
(/mapa/fianca) e o aval pessoal (/mapa/aval-pessoal);
- os créditos que, apesar de beneficiarem de garantia real (/mapa/garantias-reais), não
tenham conseguido ser pagos com o valor da venda do bem objeto da garantia, conforme foi
referido acima no tópico "1.º lugar, créditos garantidos";
- os créditos cuja garantia real se tinha extinto com a declaração de insolvência (é o caso de
alguns privilégios creditórios do Estado, gerais e especiais, entre outros);
- os créditos cuja garantia real seja totalmente desconsiderada no âmbito do processo de
insolvência (/insolvencia/processo-de-insolvencia). É o caso dos créditos que beneficiam
de garantia real de natureza processual como a penhora (/penhora), o arresto
(/penhora/arresto-de-bens) e a hipoteca judicial (/mapa/hipoteca-judicial).
 
4.º lugar) Créditos subordinados:
 
Em 4.º e último lugar, se saldo ainda subsistir (o que é muito pouco provável), são pagos os
créditos subordinados (/mapa/creditos-subordinados). São créditos subordinados
(/mapa/creditos-subordinados), por exemplo:
- os créditos detidos por pessoas especialmente relacionadas com o devedor, pessoa
singular ou pessoa coletiva; ou os,
- créditos por suprimentos detidos pelos sócios de sociedades por quotas ou sociedades
unipessoais por quotas; entre outros.
 
Dívidas da massa insolvente e créditos sobre a insolvência:
 
Em caso de insolvência do devedor é feita a apreensão de todos os seus bens e/ou
rendimentos - esse conjunto de bens e rendimentos do insolvente é designado por massa
insolvente (/insolvencia/massa-insolvente). Essa massa insolvente será chamada
para satisfazer o passivo do insolvente.
 
Contudo, em primeiro lugar é necessário proceder ao pagamento das dívidas da massa
insolvente (/mapa/dividas-da-massa-insolvente), tais como as custas do processo de
insolvência, os honorários do administrador de insolvência (/insolvencia/administrador-de-
insolvencia), as despesas que o administrador tiver que fazer com a venda dos bens, etc…).
 
Só depois de estarem totalmente pagas as dívidas da massa insolvente (/mapa/dividas-da-
massa-insolvente) e, se saldo subsistir, é que se pode proceder ao pagamento dos créditos
sobre a insolvência, que foram reclamados no processo pelos credores (ver: reclamação de
créditos em processo de insolvência (/insolvencia/reclamacao-de-creditos)), de acordo
com a respetiva qualificação e graduação.
 
Incidente de verificação e graduação de créditos:
 
A graduação de créditos em processo de insolvência é feita no incidente de verificação e
graduação de créditos (/mapa/verificacao-e-graduacao-de-creditos), que se inicia com a
reclamação de créditos (/insolvencia/reclamacao-de-creditos) por parte dos credores.
 
 
Artigos relacionados:
 
-  Créditos (/mapa/creditos)
-  Créditos garantidos (/mapa/creditos-garantidos)
-  Créditos privilegiados (/mapa/creditos-privilegiados)
-  Créditos subordinados (/mapa/creditos-subordinados)
-  Reclamação de créditos em processo de insolvência (/insolvencia/reclamacao-de-
creditos)
-  Verificação e graduação de créditos em processo de insolvência (/mapa/verificacao-e-
graduacao-de-creditos)
-  Dívidas da massa insolvente (/mapa/dividas-da-massa-insolvente)
-  Massa insolvente (/insolvencia/massa-insolvente)
-  Garantias reais (/mapa/garantias-reais)
-  Hipoteca (/mapa/hipoteca)
-  Penhor (/mapa/penhor)
-  Direito de retenção no processo de insolvência (/mapa/direito-de-retencao-no-processo-
de-insolvencia)
-  Privilégios creditórios (/mapa/privilegios-creditorios)
 
 

Partilhar

1
Shares
b Facebook e Whatsapp c Twitter g Linkedin

m Email n Print

Telefone:  217 160 319 (tel:217160319)


 
Telemóvel:  913 119 772 (tel:913119772)
 
E-mail:
geral@pmmadvogados.pt (mailto:geral@pmmadvogados.pt)
(mailto:geral@pmmadvogados.pt)

Contacte-nos (/contactos/contacte-nos)

Insolvência pessoal (/insolvencia/insolvencia-pessoal)