Gas e Petro

Destilação a Vácuo

Guaratinguetá, 16 de julho de 2011

É importante salientar que quanto mais baixas forem as pressões atingidas. se baixarmos a pressão. devido à sobrecarga no sistema de produção de vácuo. elas serão vaporizadas a uma temperatura menor que a necessária à sua vaporização quando se trabalha sob pressão atmosférica. é um corte de alta massa molar e de baixo valor comercial. é impossível vaporizá-los.OBJETIVOS Introduzir conhecimentos sobre a destilação do petróleo. . subproduto da destilação atmosférica do petróleo. pois. trabalhando-se a pressões menores. tais como os gasóleos. o que provoca a vaporização de boa parte da carga. Sua única utilização prática é como óleo combustível. A carga aquecida. é possível retirar-se do cru reduzido os gasóleos. que não podem ser separados por meio da destilação usual. A decomposição dos hidrocarbonetos. fazendo com que a pressão aumente. entra na “zona de flash” da torre de vácuo. em particular a destilação a vácuo. provoca a geração de gases leves. EMPREGO A destilação a vácuo é empregada usualmente em dois casos: produção de óleos lubrificantes ou produção de gasóleos para carga da unidade de craqueamento catalítico. O PROCESSO Figura 1: Fluxograma esquemático da destilação a vácuo O resíduo atmosférico que deixa o fundo da torre principal é bombeado e enviado aos fornos da seção de vácuo. As torres de vácuo possuem normalmente um grande diâmetro. a temperatura de saída dos fornos não deve ultrapassar a temperatura inicial de craqueamento térmico. as temperaturas de ebulição das frações também cairão. devido a suas altas temperaturas ebulição à pressão atmosférica. melhores serão as condições de fracionamento. nele estão contidas frações de elevado potencial econômico. em face do limite de 400ºC. Da mesma forma que na destilação atmosférica. pois o volume ocupado por uma determinada quantidade de vapor é bem maior em pressões reduzidas que em pressões atmosféricas. INTRODUÇÃO O resíduo atmosférico. ou seja. após deixar os fornos. Assim. Logo. Sabemos que a temperatura de ebulição varia diretamente com a pressão. imposto pela decomposição térmica dos hidrocarbonetos pesados. além da formação de depósitos de coque nas tubulações e na região abaixo da “zona de flash”. A pressão nessa região da torre é em torno de 100 mmHg. para que sua temperatura seja aumentada. Esclarecer dúvidas comuns e detalhar o processo. Contudo. por meio da destilação a vácuo.

saindo somente vapor d’água. Conforme as suas especificações. atravessam bandejas e/ou recheios de fracionamento e são coletados em duas retiradas laterais: gasóleo leve (GOL) e gasóleo pesado (GOP). Não existe retirada de produto de topo. também pode ser injetado vapor d’água no fundo da torre. . aumentando o resíduo de carbono e o teor de metais da carga para craqueamento. deve-se controlar.vaporizando as frações mais leves arrastadas. que iria contaminar os cortes laterais. além de contar com uma razoável concentração de impurezas. produzem o vácuo. o ponto final de ebulição. O abaixamento de pressão é feito por intermédio de uma série de condensadores e ejetores. Entre a “zona de flash” e a retirada de gasóleo pesado existe um conjunto de telas de aço superpostas. Após o último estágio de ejetores e condensadores. Isto é feito variando-se a vazão de retirada desse produto da torre. hidrocarbonetos leves e uma pequena quantidade de ar. O produto residual da destilação é conhecido como resíduo de vácuo. principalmente. o resíduo de carbono e o teor de metais do GOP. Esses gases são continuamente sugados da torre pelo sistema de produção de vácuo. que. pode ser vendido como óleo combustível ou asfalto. os gases incondensáveis (ar e hidrocarbonetos leves) podem ser queimados em fornos ou em tocha química. Quando os cortes laterais são destinados ao craqueamento catalítico.Esse equipamento tem por finalidade evitar o arraste pelo vapor de partículas pesadas do produto de fundo. Tal como na destilação atmosférica. por intermédio da condensação do vapor d’água e de algum hidrocarboneto.Os hidrocarbonetos vaporizados na “zona de flash”. É constituído de hidrocarbonetos de elevadíssimas massas molares. visando a retificar-se o resíduo de vácuo (pv). conhecido como “Demister pad”. como na destilação convencional.

Processos de Refino” http://processo-industrial. Desta maneira. BIBLIOGRAFIA Apostila “Centro Universitário Positivo . uma vez que é realizado logo em seguida da destilação atmosférica. às 12:12 pm. . Isto se deve ao fato de que com pressões normais.com/2010/04/processo-de-refino-refinariadestilacao. o processo de destilação a vácuo é de extrema importância para a indústria do petróleo. não é possível ebulir alguns dos compostos presentes no petróleo. aproveitando assim o máximo possível dos resíduos desta. pode-se dizer que os objetivos do trabalho foram alcançados com sucesso. às vezes a uma parcela ínfime.Curso de Formação de Operadores de Refinaria. reduz-se a pressão.CONCLUSÃO Conforme analisado. Dito isso e em vista das informações adquiridas.html. acessado em 12/07/2011. chamando assim de destilação a vácuo.blogspot.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful