Auditoria dos Estoques 16.1 Objetivo A auditoria dos estoques tem a finalidade de: a.

determinar sua existência, que poderá estar na companhia, em custódia com terceiros ou em trânsito; b. determinar se é pertencente â companhia; c. determinar se foram aplicados os princípios de contabilidade geralmente aceitos, em bases uniformes; d. determinar a existência de estoques penhorados ou dados em garantia; e e. determinar se estão corretamente classificados nas demonstrações financeiras e se as divulgações cabíveis foram expostas por notas explicativas. 16.2 Revisão do controle interno A revisão do controle tem por objetivo fornecer ao auditor a base para a determinaçãodo escopo de trabalho, os procedimentos a utilizar, a data e a extensão dos trabalhos. Cada companhia como uma entidade diferente estabelece o controle interno de acordo com suas reais necessidades e baseada na materialidade envolvida, pessoal existente e número de itens em estoque. Muito embora isto seja variável de companhia para companhia, a administração deve estabelecer os controles internos que lhe concedam alguma segurança para efeito de sua gestão. Entre outros, seguem alguns exemplos de fortalecimento de controle interno que podemser utilizados pelas companhias: · segregação de funções entre a guarda física dos estoques e a de contabilização; · autorização de compra por pessoa de nível;EXECUÇÃO DAS AUDITORIAS utilização de coleta de preços para compras; utilização de requisição de materiais para produção; apontamentos das horas trabalhadas na produção; registro perpétuo do estoque; determinação de ponto mínimo de estoque; conciliação periódica entre o registro perpétuo e o razão sintético de estoques; contagens rotativas de estoques; sistema de custo integrado à contabilidade; segregação de funções entre o setor de compras e o de recebimento; e contagem física quando da recepção e emissão de documento comprobatório. 16.3 Procedimentos de auditoria Os procedimentos de auditoria a serem utilizados são dependentes da efetividade do controle interno e da materialidade envolvida. Seguem abaixo alguns procedimentos ilustrativos que poderão ser utilizados durante a execução dos trabalhos de auditoria: a. Examefísico b Confirmação c. Documentos originais d. Cálculos a. Escrituração j { contagem de estoques de matérias-primas, processo, acabados e materiais em consignação ou com terceiros. j confirmação de estoques com terceiros; confirmação de estoques de terceiros;

A seleção e a data de aplicação dos procedimentos de auditoria devem estar definidas com base na eficiência dos controles internos e na materialidade envolvida. existem alguns itens que merecem particular atenção e podem ser assim considerados: · contagem física de estoques. Definido isto. e qualquer erro influi diretamente no resultado. Entretanto.4 Orientação o exame de auditoria efetuado na área de estoques tem por finalidade atingir os objetivos previamente determinados. follow-up das contagens físicas. o resultado do ano e patrimônio líquido. apropriação das despesas gerais de fabricação. Muito embora esse erro seja compensável quase de imediato. constitui o maior desafio ao auditor. os exames de auditoria podem ser realizados em data anterior à do encerramento das demonstração financeiras. Entre os cuidados que o auditor deve tomar em relação à área de estoques. f. 1 variação do saldo de estoque. o auditor deve ter a mente aberta para não se guiar cegamente pelo programa e deixar passar assuntos e problemas importantes não previstos no programa. Investigação Exame minucioso das ordens de fabricação em aberto. o exercício em exame estará incorreto. exame documental das apropriações de matérias-primas e mão-de-obra.confirmação de estoques em consignação. o programa original deve ser modificado para atingir os itens não programados inicialmente. exame documental das notas fiscais por compra e pagamentos. . pois geralmente envolve o ativo circulante de maior importância. Exame do cut-off de compras e vendas. conseqüentemente. exame de contratos de compra e venda. para certificar-se da veracidade do saldo final.16. o programa de auditoria deve ser considerado para evitar trabalhos desnecessários ou enfoque incorreto. j soma da contagem de estoques. exame das ordens de fabricação. . cálculos dos impostos. A área de estoques. cálculos das quantidades pelo preço unitário. executando-se procedimentos alternativos entre a data auditada e a de final de ano. Exame minucioso do registro perpétuo. prejudicando o princípio de competência de exercícios e. em verdade. exame da conta de razão de produtos acabados. Caso isto ocorra. Quando os controles internos sobre os estoques forem considerados adequados. AUDITORIADOSESTOQUES 295 j exame detalhado da documentação de compra. exame da conta de razão de importações em trânsito. exame de atas e assembléias. · avaliação dos estoques.

h.AUDITORIA DOS ESTOQUES 297 d. observação quanto aos métodos seguidos para a correta apuração do inventário. e · cut-off de contabilização. auxiliares exame das ordens de produção/fabricação. de estoques. teste de contagens para verificação de que os estoques estão sendo corretamente levantados.g. Não importa quão eficiente é o sistema de registro contábil dos estoques empregado pela companhia. · inclusão de todos os itens de estoque. a contagem física faz-se necessária para assegurar que o registro contábil reflita com propriedade a existência física. locais de estocagem. e . b. · constatação de que os estoques de propriedade de terceiros estão sendo incluídos da contagem. Correlação { relacionamento das vendas compras com os baixa fornecedores.5 Contagem física dos estoques A contagem física é o meio pelo qual o auditor se satisfaz quanto à existência efetiva dos estoques. critérios de avaliação dos estoques. · existência de estoques considerados como morosos ou obsoletos. revisão das instruções de contagens para determinar quais os métodos e critérios a serem seguidos pela companhia. existência de materiais em poder de terceiros ou de terceiros em poder da companhia etc. solicitação do pedido de confirmação de estoques em poder de terceiros ou de terceiros em poder da companhia. para posterior follow-up quanto ao tratamento contábil a ser destinado a esses itens. Registros { exame do registro perpétuo de estoques. Essa revisão deve ser feita com antecedência. As razões do acompanhamento e observação do auditor ao inventário físico podem ser assim resumidas: a.296 EXECUÇÃO DAS AUDITORIAS · realização dos estoques. i. Observação dos princípios de contabilidade. e c. sistema de armazenamento. b. 16. e · correta emissão de etiquetas dos itens contados fisicamente. Os aspectos essenciais que devem ser observados pelo auditor para o levantamento dos estoques podem ser assim resumidos: a. cabendo ao auditor a responsabilidade pelo acompanhamento e pela observação do levantamento físico dos estoques. execução de testes de contagens para certificar-se da correta apuração dos estoques. c. observação da contagem física quanto à: · obediência do pessoal participante do inventário quanto às instruções de contagem. A responsabilidade pela contagem física é da companhia. determinação da efetiva existência física dos estoques. Inquérito inquérito sobre a existência de produtos moroso sou obsoletos. ! classificação adequada _ contas. Para a obtenção de melhores resultados é recomendável ao auditor dispor de conhecimento prévio dos itens componentes do inventário. j. cabendo ao auditor formular possíveis sugestões de melhorias ou de controles necessários. observação de estoques morosos ou obsoletos.

zadas. entre o custo ou mercado. o estoque final deverá obviamente estar avaliado segundo as últimas aquisições reali.2 Produtos acabados e em processo o critério de acumulação de custos para a produção ou elaboração de produtos . a execução de contagem em base de testes. tais como registro perpétuo. 16. o auditor identificará a documentação comprobatória da aquisição. dos dois o menor. Dessa forma. produtos em processo. atitude e independência do pessoal envolvido na contagem de estoques. Fifo (primeiro a entrar. a correspondente inclusão no registro perpétuo e o cômputo no novo preço estabelecido pela movimentação. A contagem física dos itens de estoque é tarefa do pessoal da companhia. elaboração do cut-off de entradas. Quando da utilização de etiquetas. 298 EXECUÇÃO DAS AUDITORIAS perpétuos. primeiro e sair). tantas quantas forem necessárias para convencer-se da diligência e exatidãodaquelas realizadas pelo pessoal da companhia.6. Os critérios de avaliação aceitos são do preço médio. Se utilizado o Fifo (primeiro a entrar. Para efeitos locais.6 Avaliação dos estoques O princípio de contabilidade indica o custo como base de valor para a efetiva avaliação dos estoques. para posterior follow-up de que elas estão efetivamente expostas na listagem final do inventário. Durante o inventário. A extensão das observações e testes de contagem do auditor são dependentes de vários fatores. o auditor deve apurar se a base que a companhia se propôs utilizar está realmente sendo seguida e corretamente aplicada. etiquetas de contagem e itens de inventário. os estoques envolvem as contas de matérias-primas. o auditor deve basear-se nas fontes possíveis para selecionar testes.1 Matérias-primas Para as matérias-primas. Para tanto. o critério comumente utilizado é o do preço médio.6. inclusive da adequação das instruções de contagem. cabendo ao auditor o acompanhamento do inventário. 16. ao final do inventário. o exame de avaliação é razoavelmente simples. experiência. As saídas devem ser realizadas ao novo preço médio computado. Não é aceito para efeitos fiscais o Lifo (último a entrar. Como regra geral. primeiro a sair). Esse acompanhamento da utilizaçãq das etiquetas baseia o auditor na propriedade e veracidade das contagens realizadas. é necessário que o auditor conheça previamente o número de etiquetas disponíveis para a contagem física. efetuar o cut-off das etiquetas utilizadas ou não no inventário físico. saídas e etiquetas. 16. produtos acabados e materiais em trânsito ou importações em andamento. O auditor deve concentrar seus esforços nos locais ou itens de inventário que representem a partemais significativa e realizar testes limitados em outros itens ou áreas. primeiro a sair) e Lifo (último a entrar. o auditor deve acompanhar a emissão e o controle das etiquetas distribuídas e devolvidas e. No caso de utilização de registros.. de forma a se assegurar de maneira global da efetividade da contagem. a acumulação do médio deverá ser conferida pela nova entrada ocorrida. recorrendo o auditor às compras realizadas durante o exercício e verificando o cômputo da avaliação dos itens individuais de matérias-primas. Se utilizado o critério de preço médio. ou seja. primeiro a sair).e.

a avaliação dos produtos acabados e em processo deverá estar carregada dos três itens básicos. quersejam com perdas potenciais em relação ao mercado. à apropriação de mão-de-obra direta por meio dos apontamentos de mãodeobra direta e aos critérios utilizados para a alocação das despesas gerais de fabricação.AUDITORIA DOS ESTOQUES 299 Saldos antigos de materiais em trânsito ou de importações em andamento devemser criteriosamente analisados. pois podem indicar itens recebidos fisicamente e não transferidos para as contas definitivas. cabe ao auditor analisar as contas de variação. relação descritiva ou requisições de materiais empregados na produção e despesas gerais de fabricação. riais. Muito embora o auditor não seja um perito em relação aos materiais.3 Materiais em trânsito ou importações em andamento O exame de avaliação para os materiais em trânsito ou importações em andamento é tão simples quanto o de matérias-primas. é necessário que o auditor identifique os procedimentos utilizados pela companhia para avaliação desses itens. caberá a identificação de seu estágio de fabricação. quer com prazos além do normalmenterealizável. dirigindo seu trabalho para o cumprimento desses procedimentos e verificação de que são os mais adequados. inclusive de materiais consumidos e não levadosao resultado. o trabalho do auditor poderá estar voltado para o exame das folhas de custo de mão-de-obra. A análise demonstrativa das despesas gerais de fabricação deve ser cuidadosamente examinada com o intuito de verificar que realmente todos os custos indiretos relacionados com a produção e somente estes estão ali incluídos.é variável de companhia para companhia. 16. Para o caso de produtos em processo. pois nos materiais em trânsito ou importações em andamento estarão indicados os valores desembolsados antecipadamente e ainda não recebidos fisicamente. o auditor tem poder de observação quanto à qualidade e quantidade dos estoques existentes. 16. dependendo do tipo de produto fabricado por ela. O exame do auditor nesse caso deverá cobrir alguns itens a serem testados quanto à correta apropriação das matérias-primas por meio das requisições de mate. mão-de-obra direta e despesas gerais de fabricação. Durante a contagem física. uma vez que saldos elevados de variação indicam incorreções na utilização dos padrões ou falta de alocação correta de custos. a documentação comprobatória do desembolso ou a confirmação obtida diretamente do fornecedor são os elementos aplicáveis para a constatação da correta avaliação desses itens.7 Realização dos estoques o trabalho do auditor na área de estoques deve envolver procedimentos voltados para a determinação de quaisquer problemas com a realização dos estoques. Muito embora haja diferenças de procedimentos.6. Se a companhia dispuser de registro de acumulação de custos. quais sejam: matérias-primas. a observação é um dos procedimentos utilizados para a identificação de materiais em condições invendáveis ou em quantidades . Antes de quaisquer exames com respeito à avaliação dos estoques de produtos acabados ou em processo. percentual de conclusão ou efetiva acumulação dos custos já incorridos. Se a companhia utilizar o custo padrão. Para este caso.

excessivasem relação ao poder de colocação no mercado pela companhia. que. deteriorados. o trabalho de auditoria voltado para a realização dos estoquesdeve cobrir: · observação do inventário físico quanto à existência de itens morosos ou obsoletos. · para as matérias-primas: comparação com os preços de mercado e inclusão das matérias-primas no consumo da produção subseqüente. Outra fonte de determinação de estoques com problemas de realização é a do examedos registros perpétuos analíticos. Um dos problemas para o qual o auditor deve manter-se alerta é o de constatar que todos os estoques existentes de propriedade da companhia foram apropriadamente incluídos nos estoques. aumentando ou reduzindo o resultado do exercício encerrado. o exercício social ora auditado terá sido influenciado pelos erros cometidos de contabilização em exercícios indevidos. quanto à data de sua movimentação. por suavez. Exemplificando: a. O cut-off relaciona-se com a independência de dois exercícios sociais separados apenas pela mudança cronológica de uma data previamente definida pela administração. Dessa forma. e · para os produtos em processo: idem aos produtos acabados. · revisão dos registros perpétuos quanto à data de movimentação dos itens e obtenção de explicações para os itens julgados anormais. ou então de vendas realizadas em períodos inadequados. a companhia efetua o lançamento contábil: . exame de mercado quanto à possibilidade de colocação dos produtores. incluídos os custos a incorrer para a elaboração do produto final. diminuídos das despesas para vender e margem de lucro esperada. podem fornecer indícios de que os materiais existentes em estoque somente poderãoser realizados a preços inferiores aos registros contabilmente. não devendo vacilar em fundamentar seu trabalho inclusive com inquisições ao pessoal responsável sobre as condições dos materiais que lhe pareçamanormais. O exame da situação dos compromissos de compras e vendas assumidos pode evidenciarquaisquer alterações nas tendências dos negócios da companhia. poderão ocorrer casos em que mercadorias tenham sido incluídas no estoque físico sem que tenha havido a conseqüente contabilização. · discussão com a gerência da companhia ou pessoal qualificado para a determinação dos estoques consideráveis como morosos ou obsoletos.8 Cut-off contabilização o cut-off visa identificar a correta contabilização das transações em seus períodos de competência. · para os produtos acabados: comparação com as tabelas de preços vigentes. como sendo a de encerramento do exercício social daquela companhia. e aqueles não mais pertencentes à companhia foram apropriadamente excluídos. Compras recebidas em um exercício e contabilizadas em outro Estoque físico (inclui as compras recebidas e não contabilizadas) Estoque contábil (não inclui as compras recebidas) Como o estoque contábil deve ser ajustado ao estoque físico. Muito embora ao longo do tempo esses efeitos se compensem. Para efeito ilustrativo. obsoletos. O auditor deveestar alerta quanto à possibilidade de existência de materiais morosos.300 EXECUÇÃODASAUDITORIAS 16.

Atenção especial deve ser dada às transações de compras e vendas realizadas aofinal de um exercício e ao início do exercício seguinte.Realização dos produtos acabados . C5-2 . Essa é a época propícia em queerros de contabilização ou considerações indevidas podem ser notados e cabe ao auditor assegurar-se de que essas falhas podem ser eliminadas com a observância dosseguintes aspectos: .Anexo 2. C2-5 .Anexo 18. ocorrerá o inverso da situação ora demonstrada.Anexo4.Anexo 12.Anexo 19.Teste de avaliação de matérias-primas .EXECUÇÃO DAS AUDITORIAS .Importaçõesem andamento.Contagemfísicados produtosacabados.D.Anexo 17. C2-3 . C1-1 .Estoques. C-5 .Lançamentos de ajuste e/ou reclassificação . não influenciarãoo resultado. C2-2 . identificando a correta classificação contábil nos períodos de competência.Cut-offde entradas . C2-4 . C5-3 .Anexo 20. Vendas realizadas em um exercício e contabilizadas em outro Vendas Custo das vendas Efeito no lucro bruto c. porém com o cut-off determina-se a segregação de dois exercícios distintos.Contagem física de produtos em processo . anotar as últimas entradas e saídas do período auditado e as primeiras entradas e saídas do exercício subseqüente. C2-1.Anexo 8.Cut-off de etiquetas .Anexo 11. BLA .Balancete de Trabalho-Ativo .Cut-off de saídas .Resumo dos produtos acabados . C-3 . C3-1 .Anexo 9.Anexo 6. se realizados durante um mesmo exercício.Avaliação do produto B . C . Estoques No exercício subseqüente.Avaliação do produto C .Avaliação do produto A .Resumo das matérias-primas . C-1 . 1-C . C1-2 .Anexo 21. b. C-4 . identificando a existência de materiais recebidos ou a expedir e o tratamento contábil dispensado a esses itens.Contagem física de matérias-primas . C-2 .Pontos de recomendação .Resumo dos produtos em processo . Se o inventário físico for realizado em data anterior à do encerramento do exercício social.Anexo 15.Anexo 10.Anexo 16.Anexo 3.Anexo 7. Vendas e custos das vendas realizadas em um exercício e contabilizadas em exercícios diferentes Vendas Custo das vendas Efeito no lucro bruto AUDITORIA DOS ESTOQUES Os efeitos demonstrados. e · observação da área de expedição e da área de recepção de materiais no momento do inventário físico.Anexo5. C5-1 .Memosobrecontagemfísica. idêntico procedimento deve ser realizado na data de encerramento do exercício social.Anexo 14.Anexo 13. 2-C .

11. saídas e etiquetas. se houver. c. Bronze para levantamento físico dos estoques e anote. ou custódia de terceiros.ANEXO1 Programa de Trabalho I . valorização.Anexo 4. Não é mantido o sistema Aquisição de mercadorias Formalização de procedide coleta de preços a preços nem sempre me. expedição e recebimento) e certifique-se de que o pessoal esteja contando e emitindo adequadamente as etiquetas de contagem.dependentes à preparaques tas ção das listagens de estoques . ou para perdas oriundas de compromissos ligados à compra e venda.I. n~ 1 e 2) e na materialidade envolvida. foi feita provisão adequada para obsolescência. b. Existência de ônus. 11I. compareça à fábrica da Cia. 5. para subseqüente fOllow-up.necedores sem o devido quaisquer sobras ou faltas rias são apontadas após desconto observadas na recepção 20 dias de mercadorias 3 C-1 Erros aritméticos observa. Tempo AUDITORIA DOS ESTOQUES 1 C.ções financeiras incorre.Apontamento imediato de das entradas de mercado.Revisão por pessoas indos na listagem de esto. 2. se foram feitas as divulgações cabíveis no balanço. Na data de 31-12-X2. e estão em mãos. atentando para que sejam os principais itens em estoque de: 8 itens de matérias-primas 3 itens de produtos em processo 2 itens de produtos acabados 2.Ocorrência de demonstra. As diferenças decorrentes Possível pagamento a for. Os estoques são de propriedade da companhia e estão totalmente contabilizados. constate que as operações físicas estejam totalmente paralisadas (fábrica.mentos de coleta de preIhores ços 2 C. Os estoques estão corretamente descritos e classificados no balanço.PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA Contagem Física 1.DETERMINAÇÃO DO ESCOPO DO TRABALHO Com base na revisão do controle intemo realizado (vide pontos fracos descritos no wp 2-C . realização e cut-off de entradas. alguns testes de contagem. 4. as apurações ao valor de mercado são adequadas.OBJETIVOS DE AUDITORIA 1. penhora ou garantia e. 3. determinamos que o escopo do trabalho dos estoques será de contagem física e follow-up dos principais itens de estoques. Os estoques existem. Durante a contagem. em trânsito. as operações de custo são adequadas. Os estoques estão contabilizados de acordo com PCGA e uniformes ao ano anterior: a.!.

4 C1-1 Existência de materiais Estoques custeados ao Segregação física de esencharcados e de retalhos valor contábil e não ao de toques não aproveitáveis não aproveitáveis na pro.realização e estoques na produção e informação dução quantitativos irreais imediata à contabilidade e aos departamentos competentes aldo 18-2-X3 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful