Você está na página 1de 48

Eletrocardiograma Normal

Dra. Aldrey Nascimento Costa


TSCB/TDIC-SBC/TSBCM
LAUDO DESCRITIVO

a) Analise do ritmo e quantificação da frequência cardíaca


(FC)
b) Analise da duração, amplitude e morfologia da onda P e
duração do intervalo PR
c) Determinação do eixo elétrico de P, QRS e T
d) Analise da duração, amplitude e morfologia do QRS e
intervalo QT
e) Analise da repolarização ventricular e descrição das
alterações do ST-T, QT e U quando presentes
LAUDO CONCLUSIVO

• Deve conter a síntese dos diagnósticos


SISTEMA DE CONDUÇÃO

Fonte:http://estudosmedicina.blogspot.com.br
ELETROFISIOLOGIA

Fonte:http://estudosmedicina.blogspot.com.br
DERIVAÇÕES PLANO FRONTAL
(PERIFÉRICAS)
TRIANGULO DE EINTHOVEN
D1
aVR aVL

D2 D3

aVF
Fonte:https://www.tipakademi.com
DERIVAÇÕES PRECORDIAIS

• V1 – 4º EICD borda
paraesternal
• V2 - 4º EICE borda paraesternal
• V3 – entre V2 e V4
• V4 - 5º EICE LHC
• V5 - 5º EICE LAA
• V6 - 5º EICE LAM
• *V7 a V8 (dorsais)
• *V3R e V4R (VD) master-visual-diagnosis-of-ecg-a-short-atlas-learn-ecg-through-ecg
ECG

• aVR– braço direito


• aVL – braço esquerdo
• aVF – perna esquerda
• Perna direita
PROJETO HOMEM VIRTUAL - ECG

Video
CALIBRAGEM

Fonte:http://ecg.med.br Fonte:http://ecg.med.br
PADRONIZAÇÃO (N)

• À velocidade de 25 mm/s:
• 1 mm = 0,04 s
• 5 mm = 0,2 s
• A voltagem é medida ao longo
das linhas verticais e é
expressa em milivolts.
• Normalmente, 10 mm = 1 mV.

Fonte:http://www.misodor.com/ELETROCARDIOGRAMA.php
RITMO

• Ritmo Sinusal (RS)


• é́ um ritmo fisiológico do coração.
• que se origina no átrio direito alto,
• Presença de ondas P positivas nas derivações D1, D2 e aVF.
FREQUÊNCIA –
BATIMENTOS POR MINUTO (BPM)

• Adultos: Crianças e adolescentes:

• Normal: 50 – 100 bpm • Frequência elevada: idade


• < 50 bpm = Bradicardia (neonatos até 2 anos),
sinusal choro, ansiedade, anemia,
febre
• > 100 bpm = Taquicardia
sinusal • Arritmia sinusal: variação
fisiológica da frequência
cardíaca relacionada com a
respiração
FREQUÊNCIA –
BATIMENTOS POR MINUTO (BPM)

Crianças e adolescentes:

Idade FC (bpm)
• Frequência elevada: idade
RN até 6m 125
(neonatos até 2 anos),
choro, ansiedade, anemia, >6m até 2 anos 115
febre > 2 anos – 6 anos 100
6anos – 10 anos 90
• Arritmia sinusal: variação
> 10 anos 85
fisiológica da frequência
cardíaca relacionada com a
respiração
FREQUÊNCIA CARDÍACA

RR
• D2 longo
• Contar o numero de
quadrados entre RR
• Dividir por 1500

1500
• FC =
𝑅𝑅

Fonte:https://www.msdmanuals.comt
ONDA P

• Eixo de P pode variar entre -


30° e +90°.
• Amplitude máxima de 2,5 mm
• Duração ≤ 110 ms.
• Podem ocorrer modificações
de sua morfologia
dependentes da FC.

Fonte:http://medicina-exploracionfisica.blogspot.com.br
INTERVALO PR

Adultos

• P-R = 120 a 200 ms

Fonte:http://www.misodor.com/ELETROCARDIOGRAMA.php
EIXO ELETRICO
EIXO ELETRICO

D1 – aVF
D2 – aVL
D3 - aVR

- - + - D1 0º

+ - ++
aVF
+ 90º
EIXO ELETRICO

D1 – aVF
D2 – aVL
D3 - aVR

-- -+ D1

+ - ++
aVF
+ 90º
EIXO ELETRICO

-- -+ D1

+ - ++
aVF
D1 – aVF
+ 90º
D2 – aVL
D3 - aVR
Eixo eletrico

1. Delimitar o quadrante

2. Morfologia D1 e aVF

3. VN: - 30º a + 90º

4. Perpendiculares:
D1 – aVF
D2 – aVL
D3 - aVR
Fonte: http://slideplayer.com.br
QRS NORMAL

• Duração < 120 ms


• Amplitude:
• derivações do plano frontal -
entre 5 e 20 mm
• derivações precordiais -
entre 10 e 30 mm
*com orientação normal do
eixo elétrico

Fonte:http://www.misodor.com/ELETROCARDIOGRAMA.php
NOMENCLATURA DO QRS

http://ecg.med.br/eletro-normal.asp
MORFOLOGIA DO QRS

master-visual-diagnosis-of-ecg-a-short-atlas-learn-ecg-through-ecg
INTERVALO QT

• Atividade elétrica ventricular:


inicio do QRS ao termino da
onda T
• Variável de acordo com a FC
• QT corrigido(QTc) pela formula
de Bazzet, onde:

* QTc =

• * QT medido em
milissegundos e distância RR
em segundos.
INTERVALO QT

Valor normal

• Homens: 450 ms
• Mulheres: 470 ms
• Crianças: > 340 ms a 460 ms
ONDA U

a) Repolarização tardia das


fibras de Purkinje
b) Repolarização demorada
dos músculos papilares
c) Potenciais residuais tardios
do septo
d) Acoplamento
eletromecânico
e) Atividade das células M
f) Pós-potenciais de atividade
gatilho (triggered activity).
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR

1. Ponto J - ponto final do QRS


em sua interseção com o
segmento ST
3
2. Segmento ST - entre o
1 complexo QRS e a onda T
2 3. Onda T - assimétrica,
positiva em quase todas as
derivações, com polaridade
semelhante à do QRS e de
amplitude equivalente a 10 a
30% do QRS
Fonte:http://www.misodor.com/ELETROCARDIOGRAMA.php
SEGMENTO S-T
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR

• a) Anterosseptal – V1, V2 e V3.


• b) Anterior – V1, V2, V3 e V4.
• c) Anterior localizada – V3, V4 ou V3-V5.
• d) Anterolateral – V4 a V5, V6, D1 e aVL.
• e) Anterior extensa – V1 a V6 , D1 e aVL.
• f) Lateral baixa – V5 e V6.
• g) Lateral alta – D1 e aVL.
• h) Inferior – D2, D3 e aVF
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR
REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR
LAUDO

A. Ritmo
B. Frequência
C. Intervalo PR
D. Eixo Elétrico
E. Intervalo QT
F. Repolarização ventricular
G.Outras
H. Conclusão
Sinusal
1500 ÷ 20 = 75 bpm
+

Eixo 0º e +30º
+

Eixo 0º e +30º
+

Eixo 0º e +30º
+

Eixo 0º e +30º
P-R 0.16s QRS 0.12s QT 0.36s ou
ou 160ms ou 120ms 360ms
Sem alteração de repolarização
ventricular (s/ ARV)
Sequencia para laudo

Etapa 1 Etapa 4 Etapa 7

Ritmo Eixo elétrico Outros

Etapa 2 Etapa 5 Etapa 8

Frequência Intervalo QT Conclusão

Etapa 3 Etapa 6

Intervalo PR Repol. ventricular