Você está na página 1de 19

CURRÍCULOS: CONCEITOS E TEORIAS

1ª parte do texto 1
25/08/2020
Conceituando
• apesar de o termo currículo ser encontrado
em registros do século XVII, as discussões a
seu respeito, pelo menos numa perspectiva
mais crítica, datam do início do século XX, em
especial nos Estados Unidos, cujo conceito,
grosso modo, está relacionado a um projeto
de controle do ensino e da aprendizagem, ou
seja, da atividade prática da escola.
Difícil definição
• A priori, vale dizer que o currículo,
tem múltiplos conceitos e significados. Em
função disso, é um assunto bastante
interessante e que nos ajuda na compreensão
da dinâmica da escola com relação, entre
outros aspectos, àqueles que tratam dos
conteúdos, métodos, processo
ensino‑aprendizagem e avaliação
ESCOLA
• Independentemente das diferenças, todos
têm direito a frequentar a escola, a vivenciar
as experiências educativas que nessa
instituição se desenvolvem, ou seja, a receber
instrução e conhecimento. Esse direito de
todo ser humano está registrado no artigo 26
da Declaração Universal dos Direitos
Humanos.
Garantia Constitucional
• Art. 205. A educação, direito de todos e dever
do Estado e da família, será promovida e
incentivada com a colaboração da sociedade,
visando ao pleno desenvolvimento da pessoa,
seu preparo para o exercício da cidadania e
sua qualificação para o trabalho (BRASIL,
1988).
Questões norteadoras
• Quem define o que será ensinado: o professor, a escola,
a Secretaria Municipal de Educação, o governo estadual,
o Ministério da Educação?
• Por que alguns alunos aprendem e outros não? Será que
o problema da não aprendizagem é algo individual do
aluno ou uma questão curricular que deve ser analisada
pela escola? Todas as escolas ensinam a mesma coisa?
• Quais são os conteúdos comuns a todos e os conteúdos
específicos de uma localidade? Isso é possível?
.
Currículo
• Mais precisamente no dicionário Aurélio, verificamos que
currículo é definido como “programação de um curso ou de
matéria a ser examinada”.
• Antiguidade apesar do currículo “ganhar vida” junto ao
surgimento da escola ele não tinha nome!
• Aparece, pela primeira vez em 1633 no Oxford English
Dictionary, e é utilizado para designar um plano estruturado
de estudos numa escola ou universidade
• Do ponto de vista etimológico outras definições como curso,
carreira, exemplo: curriculum vitae (carreira da vida ou
percurso de vida).
Teorização sobre currículo
• A publicação do livro The curriculum, em 1918, nos
Estados Unidos, por Franklin John Bobbitt,
representa um marco no processo de teorização do
currículo.
• Conforme podemos observar, Bobbitt definiu o
currículo como conjunto ou série de coisas que as
crianças e os jovens devem fazer e experimentar a
fim de desenvolver habilidades que os capacitem a
decidir assuntos na vida adulta
Definição que estudaremos
[...] o currículo é a ligação entre a cultura e a
sociedade exterior, à escola e à educação;
entre o conhecimento e cultura herdados e a
aprendizagem dos alunos; entre a teoria
(ideias, suposições e aspirações) e a prática
possível, dadas determinadas condições
(SACRISTÁN, 1989, apud LIBÂNEO, 2004,p.170)
Quando planejamos conteúdos 3 questões
norteiam as escolhas
• O que nossos alunos precisam aprender?

• Para que aprender?

• Em função de que aprender?

Currículo não pode ser considerado neutro, mas


intencional
Cultura
[...] O complexo dos padrões de comportamento,
das crenças, das instituições e doutros valores
espirituais e materiais transmitidos
coletivamente e característicos de uma
sociedade; civilização; 4. O desenvolvimento
de um grupo social, uma nação, etc., que é
fruto do esforço coletivo pelo aprimoramento
desses valores; civilização, progresso.
Cultura única
• A cultura passou a ser entendida como estado – o
estado do espírito cultivado pela instrução, o
indivíduo que tem cultura. Esse sentido foi utilizado
pelos pensadores iluministas, que entenderam a
cultura como a soma dos saberes acumulados ao
longo da história e transmitidos pela humanidade.
Para eles, o progresso nasce da cultura entendida
como única e própria do homem, com toda
distinção de povos ou de classes (CUCHE, 2002).
Várias culturas
• O conceito de cultura é, segundo Cuche
(2002), fundamental na reflexão sobre a
unidade da humanidade na diversidade além
dos termos biológicos, pois é a cultura que
fornece a resposta mais satisfatória à questão
da diferença entre os povos.
Para Cuche:
• Se todas as “populações” humanas possuem a mesma
carga genética, elas se diferenciam por suas escolhas
culturais, cada uma inventando soluções originais para os
problemas que lhe são colocados. No entanto, estas
diferenças não são irredutíveis umas às outras, pois
considerando a unidade genética da humanidade, elas
representam aplicações de princípios culturais universais,
princípios suscetíveis de evoluções e até de
transformações
(CUCHE, 2002, p. 10)
Multiculturalidade
• A cultura pode explicar o comportamento do homem e
suas ações na sociedade em que vive; por isso, não há
uma cultura única e, sim, culturas, uma para cada
sociedade. Todo comportamento humano é informado
pela cultura, desde a divisão sexual dos papéis e das
tarefas nas sociedades até as funções fisiológicas do
homem (como fome, sono, desejo sexual etc.). Assim,
pode‑se afirmar que “[...] as
sociedades não dão exatamente as mesmas respostas a
estas necessidades
Cultura não é estática
• “Toda cultura é um processo permanente de
construção, desconstrução e reconstrução”

• O currículo não pode ser estático, rígido, ele é


flexível porque deve absorver aspectos da
cultura local onde o ensino (a escola) ocorre
CICLO
Teorias de Currículo

• Tradicionais;
• Críticas;
• Pós-críticas.
Para concluir...
• A partir dessas indagações, percebemos que o
assunto é um tanto complexo e que não
podemos nos ater ao senso comum. Portanto,
faremos uma viagem na história do currículo
na busca de respostas que nortearão nossas
discussões