P. 1
Cancer de próstata revisão

Cancer de próstata revisão

5.0

|Views: 11.377|Likes:

More info:

Published by: Antonio Fernandes Neto on May 12, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/06/2013

pdf

text

original

Ambos os métodos EDR e USTR são investigador-dependente e requer muita prática
do profissional. Tem sido sugerido que o EDR é um teste não confiável devido a variação da
habilidade do médico em detectar uma significante anormalidade da próstata (Phillips e
Thompson, 1991). Isto pode ser um problema na realização de rastreamento populacional de
câncer de próstata se ao invés do urologista que é considerado especialista na identificação do
câncer de próstata através do EDR, o “screening for realizado por clínico geral que tem
resultado menos consistente ao realizar o EDR. Um estudo prospectivo de variação e inter-
observação entre urologista e clinico geral encontrou um entendimento completo para todas as
observações em 45,6% dos homens (Varenhorst et al., 1993). Usando a estatística Kappa (K)
que estima o valor esperado da chance encontrada, deu um valor de K entre 0,485 e 0,682 o
qual sugere um bom nível de entendimento. Um outro estudo de 116 voluntários examinados
duas vezes no mesmo dia por diferentes urologistas encontrou um valor bem menor de acordo
entre os examinadores com valor de K de 0,22 (Smith e Catalona, 1995).

Um baixo valor preditivo e uma variabilidade entre os examinadores quando realizam
o EDR são argumentos a favor de omitir o EDR como método de rastreamento populacional.
A capacidade de detectar alguns tipos de cânceres não detectados por outros métodos de

31

rastreamento populacional é a razão de se continuar a usa o EDR no rastreamento
populacional do CaP. É possível que o câncer detectado através de biópsia da próstata
realizada em conseqüência de EDR suspeito em um teste de “screening “ seja igual a chance
de ser encontrado CaP ao acaso. Quando o câncer é pequeno ele é impossível de ser palpado
através do EDR mais pode estar presente ao mesmo tempo algumas das anormalidades
benignas que são palpadas. Vis e colaboradores ( 2002), realizaram um estudo para avaliar a
magnitude de detecção do câncer da próstata ao acaso (detecção coincidente do CaP durante
avaliação de um resultado de teste de rastreamento populacional anormal) quando o EDR ou
a USTR eram usados como teste inicial de rastreamento populacional do CaP em homens
com baixo nível de PSA (PSA; 0,0 – 3,9 ng/ml). Uma proporção relativamente alta de câncer
diagnosticada nestes homens foi considerada em conseqüência do acaso. Foi estimado valor
entre 27% e 63% de CaP detectado coincidentemente, e não com resultado de um verdadeiro
teste positivo. (Vis et al., 2002).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->