Você está na página 1de 4

ESPAÇO GEOGRÁFICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: capitalismo e meio

ambiente

Uelder Jeferson
Discente do curso de química do IFBA-salvador.

A hibridez da sociedade espacial nos torna cada vez mais pensantes e
consequentemente inquietos com todo o atual crescimento exponencial da
sociedade de consumo, e a cada dia que passa, não compreendemos que sem
a natureza tudo que temos hoje se tornará um grande lixo urbano. Será que
todas as catástrofes naturais que estão acontecendo em virtude das alterações
do homem no espaço geográfico, isto é, a relação homem-natureza vem sendo
remodelada de modo que tudo se torna descartável, não são suficientes para o
homem rever seus conceitos em prol de nova forma de pensar a ligação
homem-natureza?
Segundo Ratzel o espaço geográfico é visto como base indispensável para a
vida do homem. Isto é, é nele que todos os setores sociais são formados e
consequentemente vão sendo alterados no decorrer dos anos em virtude de
melhorias para á manutenção da vida humana.
No mesmo contexto de determinação o geografo brasileiro Milton Santos
analisa o espaço geográfico dá centralidade ao sujeito-homem na construção
do mundo e do espaço. Já o território é compreendido como espaço de uma
nação, delimitado e regulado. Apresenta elementos fixos, resultantes da ação
homem e seu trabalho bem como relações sociais e diferentes formas de
ocupação e produçãomcorresponde ao recorte do espaço pelo processo de
formação de um Estado-nação:
O espaço é organizado socialmente, com formas e funções definidas
historicamente, pois se trata da morada do homem e do lugar de vida que
precisa ser constantemente reorganizado. O espaço e o homem são
sínteses dialéticas compreendidas numa combinação teórico-metodológica.

É necessário que haja as suas respectivas alterações no espaço, pois são
essas mobilidades que determinará todo o processo de espação da economia
e consequentemente tornará estes espaços mais “desenvolvidos”. Entretanto o
que se percebe atualmente é um crescimento desenfreado da sociedade de
consumo, ocasionando um aumento significativo dos índices referentes ao grau
de desigualdade social, justificado principalmente porque nem sempre o que se
é produzindo numa indústria em uma determinada região, é revestido em
1

por meio dos mesmos. Outros. constatou. Na natureza uma coisa depende da outra. tanto no âmbito individual quanto coletivo”.melhorias. O complexo desses trabalhos privados forma o trabalho social total. (C1. A fome tem sido um parâmetro para o controle do número de espécie humana sobre a terra (controle biológico). AZIZ AB‟ SABER afirma que: “Educação Ambiental é um processo que envolve um vigoroso esforço de recuperação de realidades e que garante um compromisso com o futuro. Devem-se desenvolver relações sociais solidárias de respeito e comprometimento com a natureza. isto é. chamado “Nosso futuro comum”. onde os produtores estão ligados entre si somente pelo intercâmbio de seus produtos: "Objetos de uso se tornam mercadorias apenas por serem produtos de trabalhos privados. Uma ação entre missionária utópica destinada a reformular comportamentos humanos e recriar valores perdidos ou jamais alcançados. miséria. exercidos independentemente uns dos outros. são necessárias relações específicas para a sobrevivência de toda estrutura planetária. O que é notável é nada mais nada menos que toda uma Lógica do mercado capitalista (consumo. produção generalizada de mercadoria. De acordo com Rio-92.71) O que muitos se questionam é: como se deve ocorrer a evolução e\ou transformações sócias sem agredir a natureza? Ou ainda como deve ocorrer à relação homem-natureza no atual ápice da terceira revolução industrial ou Revolução Tecno-científica informacional? Não é simples e não irá ocorrer de um dia para o outro. econômicas. de fato. os trabalhos privados só atuam.se que alguns consomem muito. culturais ou ecológicas. entre os produtores”. A educação ambiental não deve apenas preocupar-se somente com a aquisição de conhecimentos científicos ou com campanhas utópicas de proteção ao meio ambiente. Trata-se de um novo ideário comportamental. doenças e morte prematura. 2 . Como os produtores somente entram em contato social mediante a troca de seus produtos de trabalho. é preciso que seja compreendido o sentido de educação ambiental. nenhum ser vive sozinho. ao homem e a si mesmo. consomem os recursos naturais disponíveis a tal ritmo que provavelmente pouco sobrará às gerações futuras. Em outras palavras. como membros do trabalho social total por meio das relações que a troca estabelece entre os produtos do trabalho e. deve sim. mobilidade urbana etc. não há um capital de retorno visando melhorias na educação. isto é. as características especificamente sociais de seus trabalhos privados só aparecem dentro dessa troca. em número muito maior. consomem pouco e vivem com a fome. saúde. propiciar um processo de mudança de comportamento e aquisição de novos valores e conceitos convergentes a necessidade do mundo atual e suas relações com as questões sociais. mais-valia) ou ainda como foi defendido por KARL MARX. A resposta é um conceito bem importante para a compreensão de espaço geográfico e suas transformações.

quando o capital busca cada vez mais a produtividade do trabalho e. (1985:78) A perda da identidade orgânica do homem com a natureza se dá a partir do capital. Se o poder sobre os homens nas „sociedades naturais‟ passa pelo controle da terra. do saber. a degradação ambiental. ele amplia a base de alienação do trabalho e da própria natureza. "A alienação do trabalho reproduz-se a todas as instâncias da sociedade capitalista: aliena-se o homem da natureza. consequentemente. de forma participativa e comprometida em defesa do ambiente natural e do meio social. dos produtos. Segundo Moreira. Uma vez que a sociedade necessita se desenvolver. assim. e fundamentalmente. do poder e dos próprios homens. bem como. 3 . conscientização. surgem às discussões.26) Dessa forma. a elevação da taxa de exploração do trabalho e da natureza. sob o capital o poder passa pela alienação do trabalho". p. A única forma de obter crescimento industrial e social de forma a manter uma relação harmônica entre homem e natureza configura em entender os conceitos e aplicações de espaço geográfico. “a preservação ambiental e o desenvolvimento econômico devem coexistir. gera a perda da identificação do homem com a natureza e. da relação do homem com o homem. com o reconhecimento pela sociedade que os recursos naturais são finitos e a preservação do meio ambiente é imprescindível para a manutenção da vida desta e das futuras gerações. que gera a contradição e que. gerando uma dicotomia entre sociedade e natureza. bem como necessita de um meio ambiente equilibrado. Fiorillo (2004. da educação ambiental e a partir deste momento aplicar ações que visem uma ação menos devastadora do homem na natureza. mobilizações para atuar. na contradição.A problemática ambiental assume um papel de relevância social em proporções cada vez mais alarmantes e nocivas à qualidade de vida de uma população. de modo que aquela não acarrete a anulação deste”.

epublicacoes. Disponível em: < http://www. Anales electrnicos.scielo. Disponível em: http://jararaca.pdf. O que é Geografia.. 1985. espaço e território.br/websites/unidadedeapoio/download/alessandra.Referência bibliográfica MOREIRA. 4 . Acesso em: 05 de maio de 2015. 2010. Acesso em 05 de maio de 2015. MILTON SANTOS: concepções de geografia. Introdução ao Capital de Karl Marx.br/038/38tc_callinicos. QUADROS. (Col. Acesso em: 07 de maio de 2015.php/geouerj/article/viewFile/1389/1179>. Acesso em: 05 de maio de 2015. Educação ambiental.mma.br/scielo. Relações de trabalho e modo de produção capitalista. Disponível em: < http://www. DALLAGO. Unesp Franca. In: SEMINARIO DE SAUDE DO TRABALHADOR DE FRANCA. Alex.espacoacademico.proceedings. Ministério do meio ambiente.ufsm.htm> tradução de Rui Polly. Ruy.com. 7. CALLINICOS.. Cleonilda S.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000 000112010000100001&lng=es&nrm=abn>. T. Alessandra de: educação ambiental: iniciativas populares e cidadania..br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental>. Disponível em: <http://www.br/index.gov. Disponível em: < http://www..uerj. Primeiros Passos) São Paulo: Brasiliense. Acesso em: 05 de maio de 2015. Franca.